Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Seculo xviii iluminismo

2,211 views

Published on

O Iluminismo e a ação de Marquês de Pombal

Published in: Education
  • Be the first to comment

Seculo xviii iluminismo

  1. 1. História, 8ºano O século XVIII um século de mudanças Prof. Teresa Maia
  2. 2. 1. Conhecer e compreender os vetores fundamentais do Iluminismo 1. Relacionar as ideias iluministas com a crença na razão potenciada pelo pensamento científico do século XVII. 2. Identificar os princípios norteadores do Iluminismo e os seus principais representantes. 3. Identificar os meios de difusão das ideias iluministas e os estratos sociais que mais cedo a elas aderiram. 4. Analisar as propostas do Iluminismo para um novo regime político e social baseado na separação dos poderes, na soberania da nação e no contrato social, na tolerância religiosa, na liberdade de pensamento, na igualdade à nascença e perante a lei. 5. Reconhecer a aceitação por parte de alguns dos iluministas da existência de monarcas absolutos, mas cuja governação seria feita em nome da razão e apoiada pelos filósofos (despotismo esclarecido). Descritores de desempenho
  3. 3. 2. Conhecer e compreender a realidade portuguesa na segunda metade do século XVIII 1. Caracterizar os aspetos fundamentais da governação do Marquês de Pombal, no âmbito económico. 2. Relacionar essas medidas com a situação económica vivida em Portugal na segunda metade do século XVIII. 3. Analisar a influência das ideias iluministas na governação do Marquês de Pombal, salientando a submissão de certos grupos privilegiados, o reforço do aparelho de Estado e a laicização e modernização do ensino. Descritores de desempenho
  4. 4. Iluminismo – século XVIII, o Século das Luzes Movimento de renovação intelectual que surgiu na Europa no século XVIII. Segundo o qual o poder da razão iluminaria o homem, libertá-lo-ia do obscurantismo, fomentando a instrução e assim promovendo o progresso social. Defendem-se valores como a liberdade, a tolerância, a igualdade e a felicidade. Alguns dos principais filósofos iluministas Charles de Montesquieu (1689 - 1755),defendeu a lei da separação dos poderes (legislativo, executivo e judicial). Doc 3. p.122 do manual Voltaire (1694 - 1778), insurgiu-se contra o fanatismo e a intolerância, defendeu os direitos naturais de cada Homem. Doc 7. p.122 do manual Jean-Jacques Rousseau (1712 -1778), defendeu a liberdade e a igualdade de direitos de todos os cidadãos. No livro O Contrato Social sustentou que a soberania pertence ao povo que a delega nos seus governantes. Doc 6. p.122 do manual Jean le Rond d'Alembert (1717 - 1783) e Denis Diderot (1713 -1784) Editaram a Encyclopédie ou dictionnaire raisonné des sciences, des arts et des métiers, a primeira enciclopédia publicada na Europa. Immanuel Kant (1724 -1804), filósofo alemão que sublinhou o poder da razão humana.
  5. 5. Divulgação das ideias iluministas  Academias (associações de cientistas, escritores ou artistas interessados no progresso cultural).  Salões  Cafés  Jornais  Enciclopédia  Livros  Lojas maçónicas
  6. 6. A pouco e pouco alguns monarcas foram sendo influenciados pelos princípios do Iluminismo e tentaram promover o progresso e o desenvolvimento cultural. Os reis continuavam a ter o poder absoluto, mas deviam governar tendo como finalidade o bem-comum. Os déspotas esclarecidos ou iluminados não correspondiam completamente aos ideais iluministas. O despotismo esclarecido Frederico II da Prússia, modelo de déspota esclarecido Catarina, a Grande, da Rússia, modelo de déspota esclarecido D. José I, de Portugal, modelo de déspota esclarecido
  7. 7. Portugal e o Iluminismo europeu Na 1ª metade do século XVIII, Portugal era um país onde as transformações culturais demoravam a chegar. Em meados deste século as ideias iluministas começam a chegar a Portugal através dos Estrangeirados. Portugueses que estiveram no estrangeiro, onde estudaram e se inspiraram nas novidades políticas e científicas do tempo. Propõem:  A modernização cultural do país  A renovação do ensino (novos conteúdos, novos métodos de ensino) Alguns estrangeirados Luís António Verney (1713-1792) - pedagogo Ribeiro Sanches (1699- 1783) – médico e colaborar da Jacob de Castro Sarmento (1691-1762) introduz o estudo da Física de Newton Abade Correia da Serra (1750-1823) botânico
  8. 8. Em1750, D. José I nomeou Sebastião José de Carvalho e Melo como secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Guerra, defensor do despotismo esclarecido. A sua grande capacidade de trabalho e a sua qualidade como dirigente foram cruciais na reação nacional ao trágico terramoto de 1755, momento a partir do qual se tornou o homem de confiança de D. José I. A governação do Marquês de Pombal A AÇÃO ECONÓMICA: • fundação de grandes companhias de comércio (ex: companhia do Grão- Pará e Maranhão e companhia de Pernambuco e Paraíba); • criação da Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro; • reorganizou manufaturas existentes e criou novas; • surgimento de uma nova burguesia. SUBMISSÃO DO GRUPOS PRIVILEGIADOS: • submissão da nobreza e perseguição de algumas das suas mais influentes famílias, • expulsão dos Jesuítas.
  9. 9. A governação do Marquês de Pombal REFORÇO DO ESTADO: • criou novas instituições ( a Junta do Comércio, a Intendência-Geral da polícia da Corte e do Reino, o Erário Régio e a Real Mesa Censória). Pág.. 151 do manual MODERNIZAÇÃO DO ENSINO:  Reforma geral do ensino  Laicização do ensino  Reforma da Universidade de Coimbra •Criação de escolas menores para o ensino primário •Criação de escolas régias •Modernização do método de ensino, com recurso à experimentação laboratorial •Escola do comércio •Real Colégio dos Nobres •Jardim Botânico de Coimbra •Faculdades de Matemática e de Filosofia Natural em Coimbra Real Colégio dos Nobres
  10. 10. URBANISMO POMBALINO Terramoto de 1 de novembro de 1755 Reconstrução de Lisboa Projeto inovador influenciado pelas ideias iluministas (engenheiros e arquitetos Carlos Mardel, Manuel da Maia e Eugénio dos Santos)  Abriu-se a Praça do Comércio, com a estátua do rei no centro;  Edifícios com altura e fachada semelhantes;  Estrutura interna dos prédios constituída por uma gaiola em madeira, que pretendia tornar os edifícios mais resistentes a sismos;  Ruas largas e retilíneas com passeios para peões;  Rede de esgotos;  Ordenação geométrica e racional. A governação do Marquês de Pombal Gaiola Pombalina Praça do Comércio

×