Qualidade total em manejo de pastagens

3,175 views

Published on

Artigo originalmente publicado no anuário Anualpec 2008 Agra FNP

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,175
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
806
Actions
Shares
0
Downloads
98
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Qualidade total em manejo de pastagens

  1. 1. ANUALPEC 2008 Manejo de pastagens pede qualidade total Conceitos antes aplicáveis apenas na indústria, comércio e serviços, agora precisam ser adotados nas fazendas O Brasil se tornou um grande exportador de carne se relaciona com o meio. Em última análise, as interaçõesbovina. O mundo conheceu o chamado boi verde, mais entre o sistema de produção e o ambiente social e ecológicosaudável, e comercialmente insuperável pelo sistema servem como desculpa para processos de embargo.de produção predominante. Mas os novos consumidores A pecuária de corte brasileira é essencialmentesão exigentes. Obrigaram a indústria frigorífica a investir baseada em pastagens. Apenas 5% dos animais abatidosem qualidade e certificar seus processos, e estes provêm de confinamentos. E mesmo assim, permanecemrequisitos também terão que adentrar pelas porteiras. muito pouco tempo confinados, ganhando apenas 3 Tal obrigação demandou investimentos fundamentais arrobas nessa etapa, em média. É nas pastagens, portanto,para a escalada exponencial das exportações. O que se produz carne bovina no Brasil. E é no campo queprincípio regulador do mercado, oferta e demanda, se dão as interações entre o solo, o pasto, os animais, ogarantiu a viabilidade econômica desses gastos para homem e o ambiente (Figura 1). Tais interações tornamtoda a cadeia de produção. Com o aumento da procura, o sistema técnico e operacionalmente complexo.os preços se elevaram, proporcionando melhorresultado econômico. Foi esse o primeiro benefício da As interações entre os elementos integrantes geramqualidade total para a pecuária. o resultado final do sistema. Uma interação positiva entre solo, ambiente e pasto, por exemplo, tem como Não é objetivo deste artigo discutir o embargo conseqüência o aumento da produção de forragem. Noimposto pela União Européia no início de 2008 nem os ambiente de qualidade total essa interação já estáfatos ligados a essa decisão (Sisbov, problemas sanitários,ambientais, pressão dos concorrentes europeus, etc.). O prevista pelo homem, outro integrante do sistema, poisfato é que, com ou sem embargo, o consumidor de carne só assim haverá a efetiva colheita da produção pelobovina se tornou muito mais exigente. Se o produto integrante que faltava, o animal.não tiver as características desejadas, o produtor perde O homem interage com os aspectos biológicos emercado para a concorrência. ecológicos, e incorpora o resultado obtido nas interações Atualmente as qualidades procuradas já não se limitam econômicas, para garantir o sucesso de seuàquelas intrínsecas à carne, como maciez, suculência, empreendimento. Num ambiente de qualidade total, acoloração, etc. O consumidor também está preocupado máquina principal é o homem. Implantar o ambiente decom o ambiente - tanto do ponto de vista ecológico qualidade total no manejo de pastagens significa investirquanto social - e quer saber como o sistema de produção no ambiente humano. Ambiente Gestor das Ambiente H Interações Homem O Homem M E Animal Animal M Receptor das Pasto Pasto Interações Solo SoloFigura 1 − O ambiente genérico do sistema de produção em pastagens Figura 2 − O ambiente de qualidade total no manejo de pastagenscom seus integrantesInstituto FNP +55 11 4504-1414 www.fnp.com.br Consultas Rápidas 69
  2. 2. ANUALPEC 2008 O primeiro ser humano do processo é o executivo processos e assim estabelecem padrões que geram aprincipal da organização, o líder. Ele é o responsável uniformidade de produtos.pela boa comunicação, pela disciplina e pela sinergia. A capacidade de receber assistência técnica éA boa comunicação faz com que as informações corretas extremamente ampliada com a qualidade total. Muitosestejam no local necessário no momento certo. A produtores, atualmente, limitam sua gestão à adoção dequalidade total explora intensivamente a informação. A determinada técnica ou insumo. Visam, com isso,disciplina permite estabelecer e cumprir as instruções e resolver um problema pontual, que julgam ser o gargaloprocedimentos. É de grande ajuda na avaliação dos do sistema de produção, por falta de um planejamentoprocessos e na promoção de ações corretivas e de visão abrangente. Mas o enfoque pontual e a carênciapreventivas. A sinergia resulta do espírito de equipe e de análise e interpretação das informações resultam,faz com que a soma dos esforços movimente a muitas vezes, em decisões equivocadas. Nesse caso,organização na direção de seus objetivos. mesmo técnicas e tecnologias corretas podem levar a A necessidade de um sistema de qualidade total no insucessos e prejuízos nas fazendas.manejo de pastagens decorre da constatação de quemanejar é fundamentalmente administrar. No ambienteproposto na Figura 2, o administrador das interações é o O ciclo PDCA no manejo de pastagenshomem, ou o líder, de modo mais específico. Suasdecisões e atitudes interferem em todas as interações, PDCA é a sigla para Plan - Do - Check - Act, queaté mesmo naquelas entre ele próprio e outras pessoas, significam, respectivamente, planejar, executar, avaliarsejam os empregados ou a sociedade como um todo. e agir. O ciclo PDCA é uma valiosa ferramenta da gestão da qualidade e pode ser aplicado em qualquer atividade Assumindo que manejar pastagens é administrar, na organização.concentra-se o foco das ações nos itens a gerir para queo processo ocorra. Em geral uma boa gerência produzefeitos favoráveis em termos de desempenho, “Plan”durabilidade, confiabilidade, conformidade, padronização “Act” Planejar Agir corretivamentee capacidade de receber assistência técnica. Transpondo A Pos efeitos para o ambiente de pastagem, pode-seentender melhor a necessidade da qualidade total emseu manejo. C D No desempenho, por exemplo, dados científicosafirmam que se pode reduzir a idade de abate para algoem torno de 30 meses, com animais criados unicamenteem pastagens, sem maiores exigências em termos de “Check” “Do”intensificação. Como a idade média de abate no Brasil Verificar Fazeré de aproximadamente 36 meses, a redução proporcionaum ganho considerável com custos baixos, o que se Figura 3 − O ciclo PDCAtraduz em melhor resultado econômico. A durabilidade pode ser entendida por perenidade Em qualquer processo de qualidade total o primeirodas pastagens. No ambiente de qualidade total existem passo é a conceituação de quem é o fornecedor ecritérios para impedir a degradação do pasto. quem é o cliente. No caso da pastagem, o pecuarista é o fornecedor e seu primeiro cliente, o cliente interno, A confiabilidade é o que permite ao pecuarista apoiar- é o boi.se em números e fatos para argumentar com oscompradores. Em outras palavras, confiabilidade é a A gestão da qualidade se desdobra em três tipos derastreabilidade do processo. É a defesa do produtor contra ação: planejamento, controle e aprimoramento dadevaneios políticos, sanitários e comerciais. qualidade. No planejamento identificam-se os clientes e suas necessidades. A partir daí desenvolvem-se A conformidade decorre do detalhamento dos projetos e processos capazes de atender a estas. Oprocessos. Isso permite, por exemplo, antecipar questões controle da qualidade tem o objetivo de manter ocomo a permissão ou proibição do uso de determinado processo operando de acordo com o que se planejou,aditivo alimentar nos suplementos, bem como questões para que atinja as metas estabelecidas. Norelativas aos aspectos sociais e ambientais. aprimoramento, busca-se melhorar os processos, agindo A padronização também é resultado da implantação de forma preventiva, e não somente corretiva. Aoda qualidade total. Ao trabalhar com previsibilidade, promover um giro no ciclo PDCA obtém-se omonitoramento, análise e gestão do sistema, o pecuarista aprimoramento contínuo das tarefas e a elevação do nívelpassa a conhecer as relações entre causa e efeito dos de qualidade do que se faz ou se produz.70 Instituto FNP +55 11 4504-1414 www.fnp.com.br
  3. 3. ANUALPEC 2008A formatação do "P" sistemas de produção. Isso permite aceitar, rejeitar ou remodelar o que virá pela frente. Em vez de chorar sobre Trata-se do primeiro passo para a elaboração do ciclo o leite derramado, evita-se o derramamento do leite.PDCA. A letra P corresponde ao planejamento Algumas das informações que podem ser levantadas eestratégico da qualidade. Suas propostas, esboçadas analisadas são a margem bruta, a receita líquida, o fluxoem documentos, têm um horizonte de 2 a 10 anos. de caixa projetado e a taxa interna de retorno.Há vários itens a considerar, sendo o primeiro oinventário de recursos, que inclui: O quinto item é a avaliação do impacto ambiental. Trata-se de prever os procedimentos relativos aos efeitos • Ambiente físico − levantamento do clima (chuva, da atividade sobre o ambiente, como compactação e temperatura, luz), do solo (textura, relevo e erosão do solo, preservação de reservas florestais, fertilidade), recursos hídricos e a distribuição destes; nascentes e áreas de preservação permanente e • Recursos vegetais − levantamento das espécies biodiversidade. forrageiras, das culturas de grãos e das espécies arbóreas; • Recursos animais − levantamentos dos números de A formatação do "D" raças, categorias, pesos e estádios fisiológicos; Trata-se do planejamento tático da qualidade, • Infra-estrutura − levantamento das áreas de esboçado em documentos e fluxogramas, com um pastagens e áreas de culturas, além de cercas, horizonte de alguns meses a 2 anos. "Do" corresponde bebedouros e instalações. Detalham-se as áreas de à ação, e se divide em três itens, o primeiro dos quais pastagens como unidades individualizadas. é o estabelecimento de critérios e cronogramas de O segundo item é o projeto e avaliação do sistema manutenção e controle de fatores desfavoráveis àem termos físicos. Consiste em: produção. Refere-se ao solo, às pastagens, aos animais e à infra-estrutura: • Solo − o projeto explica os procedimentos relativos à conservação (curvas de nível, terraços, contenção • Solo − estabelecem-se critérios técnicos de erosão, etc.) e fertilidade química; preventivos com respeito à fertilidade e à contenção de erosões, bem como os cronogramas • Volumosos − explica os procedimentos relativos ideais para o sucesso das intervenções; às forrageiras existentes (recuperação e renovação) e às destinadas a corte ou fenação, bem como às • Pastagem − trata-se de definir os critérios técnicos áreas que serão destinadas à integração lavoura- que permitem evitar a degradação e as pragas, e pecuária, incluindo o formato do contrato em caso elaborar os cronogramas ideais para que as ações de arrendamento; sejam bem-sucedidas; • Animais − o projeto explica os procedimentos • Animal − definem-se os critérios técnicos relativos ao processo de produção das categorias preventivos que se referem a doenças, ecto e animais, abordando metas como kg/cabeça/ano, endoparasitos, e os cronogramas ideais para que as índices de natalidade e desmame, idade de abate, vacinações e aplicações de medicamentos épocas de estações de monta, parições e políticas produzam o efeito desejado; de comercialização. • Infra-estrutura − trata-se de dimensionar e O terceiro item do planejamento estratégico da estabelecer a necessidade de manutenção dasqualidade é a previsão de produtividade e equilíbrio de estradas, cercas e instalações (curral, troncos, etc.),produção e demanda de pastagens. Divide-se em: bem como os cronogramas de manutenção ideais. • Volumosos − trata-se da previsão da produtividade O segundo item do planejamento tático é a análise das áreas de integração lavoura-pecuária, das da demanda de forragem e suplementos. Consiste em forrageiras de corte para ensilagem ou servidas a três elementos de estudo: pastagem, animal, e a relação fresco (ex.: cana), bem como das leguminosas e entre a pastagem e o animal. gramíneas; Pastagem: • Demanda animal − é estimada conforme a categoria • Alocação para área de pastejo − Aqui se entende a e os lotes, o ganho de peso, a época do ano e a importância de considerar cada área de pastagem eficiência de pastejo. Para a elaboração desta etapa como uma unidade independente, pois é preciso do planejamento recomenda-se a leitura do artigo conhecer as dimensões da área, a capacidade de "A bola de cristal dos gerentes" no Anualpec 2007. suporte e a qualidade dos bebedouros naturais e A análise financeira e econômica é o quarto item. artificiais, além da localização destes no ambienteConsiste em levantar informações com objetivo de pastoril. Com tais informações pode-se prever comoesboçar cenários financeiros e econômicos relativos aos se dará a ocupação das áreas de pastagem pelas72 Instituto FNP +55 11 4504-1414 www.fnp.com.br
  4. 4. ANUALPEC 2008 categorias ou lotes, num horizonte geralmente O terceiro item do planejamento tático é a análise limitado ao ano agrícola. financeira. Tendo em mãos os dois itens anteriores, • Formatação dos métodos de pastejo − Mais uma pode-se levantar dados financeiros, como contas a vez, graças à individualização das áreas de receber, fluxo de caixa projetado, controle de custos pastagem, pode-se prever como cada uma destas e estoques. será utilizada, se em pastejo rotacionado ou em pastejo contínuo. • Diferimento (vedação de pastagens) − O uso dessa A formatação do "C" tecnologia exige as previsões anteriores, pois não A letra C (de check - avaliar) corresponde ao se pode alocar áreas para diferimento sem planejar planejamento operacional da qualidade. Suas propostas, sua necessidade para todos os períodos. Quando o esboçadas em documentos, fluxogramas e registros, têm diferimento for possível, faz-se a previsão das um horizonte de dias ou meses. Define-se, nesta etapa, épocas ideais de vedação, segundo as exigências em que momento se dará o ponto de convergência, ao em termos de quantidade e qualidade de forragem qual toda a equipe afluirá. Trata-se da fase em que a da categoria ou lote que irá ocupar o pasto. necessidade de definir atribuições e responsabilidades • Alocação de áreas para capineiras, conservação e tem a máxima importância. O treinamento constante é agricultura − Tendo em mãos o plano de utilização o único caminho viável. de áreas de pastagens pode-se prever a necessidade Uma sugestão prática para a atribuição de tarefas no de suplementação volumosa (capineiras e silagens) processo operacional a realizar é responder a seis para equilibrar o balanço entre demanda e produção perguntas: de forragem. Também se pode reconhecer as áreas que ficarão subutilizadas, as quais podem ser • O quê? − descrição do processo; arrendadas ou destinadas a atividades agrícolas. • Quem? − atribuição de responsabilidades; Relação pastagem-animal: • Quando? − momento da ação; • Ajuste da taxa de lotação − Como se disse em • Onde? − local ou ponto de interferência no "previsão de produtividade e equilíbrio de processo; produção e demanda de pastagens", juntamente com a alocação das categorias e lotes, faz-se a • Por quê? − justificativa do processo; previsão e o monitoramento do planejado. O • Como? − treinamento dos responsáveis. processo é conhecido cientificamente como "mensuração de massa de forragem". Define-se Manejo das pastagens e do rebanho: como a massa total de forragem acima de uma altura • Solo − detalhamento do processo e das formas de específica por unidade de área do solo. Usa-se o registro da atividade de adubação, bem como método do quadrado, comumente aplicado em escolha dos implementos a utilizar; várias fazendas. O planejamento da mensuração • Pastagem − detalhamento do processo, formas de define em que épocas e áreas a atividade será executada, de acordo com as condições registro e definição de critérios de entrada e saída encontradas. de animais no pasto (por exemplo, pela altura do capim), utilização de pastos recém-formados, • Ajuste do consumo e das formas de suplementação lotações efetivas e tratos culturais (como controle − O plano de ocupação pelas categorias ou lotes de invasoras) de cada piquete; permite prever o consumo de suplementos • Animal − detalhamento do processo, formas de minerais e a necessidade de utilizar suplementos protéicos e energéticos conforme a época e o registro e definição de critérios de pesagens, sistema de produção. remanejamento de lotes, descarte de animais, suplementação e arraçoamento. Animal: Plano de atividades: • Épocas de compra e venda de animais − A entrada e a saída de animais na propriedade têm de atender • Mão-de-obra − análise e atribuição de prioritariamente ao balanço entre a produção e a responsabilidades, formação de grupos de demanda de pasto. As circunstâncias de mercado trabalho, controle de horas e cobertura de faltas; vêm em segundo lugar. • Infra-estrutura − planejamento e operacionalização • Épocas de parição e desmame − As ocasiões desses de uso de estradas, instalações e máquinas; fatos têm de ser previstas, para que se reservem as • Finanças − planejamento de pagamentos, saques, áreas de pastagens ideais. empréstimos, cobranças e retiradas.Instituto FNP +55 11 4504-1414 www.fnp.com.br Consultas Rápidas 73
  5. 5. ANUALPEC 2008A formatação do "A" Com as mudanças que se impõem sobre a pecuária brasileira, é cada vez mais necessário tornar os processos A letra A do ciclo PDCA consiste na análise dos previsíveis, bem como monitorá-los, analisá-los eregistros e documentos para a ação corretiva dos administrá-los nos sistemas de produção em pastagens.planejamentos propostos. É a etapa em que todos os Felizmente, isso pode ser realizado.planejamentos se tornam flexíveis, podendo ser ajustadosde acordo com sua efetividade técnica, operacional, O potencial de qualificação da mão-de-obra dassocial e financeira. Os saltos nos níveis de qualidade empresas pecuárias não constitui impedimento. Ao(Figura 4) se tornam claros nesta etapa, com os números contrário, é mais um forte motivo para implantação datraduzindo os fatos. É também neste momento do ciclo gestão de qualidade total. O sistema aqui descritoque se exprime a capacidade de receber assistência promove o espírito de equipe. Na maior parte dastécnica (Figura 5). empresas pecuárias do Brasil, os empregados residem nas fazendas. Por isso a qualidade é ainda mais importante do que nos segmentos em que isso não ocorre. Nível de Qualidade A qualidade tem como foco o homem comprometido e eficiente. No caso da pecuária, reduz a rotatividade de A P mão-de-obra, permitindo seu constante aperfeiçoamento, C D e pode até contribuir para a redução do êxodo rural. A P C D 3 A P C D 2 A P 1 C D 1 0 Para saber maisFigura 4 − Aprimoramento contínuo da qualidade. (adaptado de Cerqueira; Geraldo Martha Jr. et al. Sistemas de produção animal1994) em pastejo: um enfoque no negócio. Embrapa Cerrados, 2002. Base de Diagnóstico dados Jorge Pedreira de Cerqueira. ISO 9000, no ambiente Base de da qualidade total. Imagem Ed., 1994. dados local Previsão dos resultados das alternativas Base de dados local Informação e Escolha entre as alternativas conhecimento/ Apoio à tomada de decisão (consultorias, Josmar Almeida Junior, assessorias) Implementação zootecnista,www.tecnopasto.com, MSc. Supervisor técnico da CONNAN - Cia. Nacional de Nutrição Animal - ManafósFigura 5 − Papel dos sistemas de apoio à decisão (capacidade de receber Fábio Cortez Leite de Oliveira,assistência técnica) num sistema de qualidade (adaptado de Martha zootecnista, oliveirafcl@hotmail.com,Junior, Geraldo B; 2002). MSc. Assessor da Estância Y Poti Dep. de Concepción, Paraguay74 Instituto FNP +55 11 4504-1414 www.fnp.com.br

×