Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Voe Vasp: um exemplo da emo ç ão  como recurso de persuas ão   nas pe ças  de  áu dio publicit ár io. Otacilio Vaz Facinte...
O homem, o som e a emoç ão <ul><li>A relaç ão do homem com o som é ancestral, e a  emoção  sempre esteve presente. </li></...
Homem, som e m úsica <ul><li>Pr é-história: o homem aprende  a reconhecer padrões sonoros vinculados ao seu dia-a-dia. </l...
Homem, som e m úsica <ul><li>Modelamos um padr ão atrás do outro, sucessivamente - até chegarmos a um movimento de sinfoni...
Teoria da Discrep ância <ul><li>Trata  a emoç ão como o resultado de uma experiência inesperada.   </li></ul><ul><li>Emoç ...
Previs ões e Resoluções <ul><li>A m úsica cria previsões e depois as satisfaz. Ela pode reter suas resoluções, assim aumen...
P ublicidade e emoção <ul><li>A propaganda precisa ser criativa, ou seja, precisa trazer algo de novo, que ainda n ão foi ...
Jingle  A Vasp abre suas asas <ul><li>Propaganda: trazer algo novo, surpreender,  emocionar. </li></ul><ul><li>Criado por ...
A Vasp abre suas asas <ul><li>Atenç ã o  (viaje bem, viaje VASP)  </li></ul><ul><li>C éu   azul (viaje bem, viaje VASP)  <...
Mapa do jingle <ul><li>In ício - ritmo lento, pucos instrumentos. Segue em um  crescendo . </li></ul><ul><li>15 segundos -...
<ul><li>Publicidade: experi ência, sugestão e emoção. </li></ul>
Refer ências bibliográficas
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Voe vasp

1,501 views

Published on

Slides de apresentação no XI Intercom Sul - Novo Hamburgo - 2010.

Published in: Education, Technology, Business
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Voe vasp

  1. 1. Voe Vasp: um exemplo da emo ç ão como recurso de persuas ão nas pe ças de áu dio publicit ár io. Otacilio Vaz Facinter - Faculdade Internacional de Curitiba Intercom Sul - 2010
  2. 2. O homem, o som e a emoç ão <ul><li>A relaç ão do homem com o som é ancestral, e a emoção sempre esteve presente. </li></ul><ul><li>Na publicidade , o poder da música em despertar emoções é utilizado como recurso de atratividade e persuasão . </li></ul>
  3. 3. Homem, som e m úsica <ul><li>Pr é-história: o homem aprende a reconhecer padrões sonoros vinculados ao seu dia-a-dia. </li></ul><ul><li>Padr ões ainda presentes. </li></ul><ul><li>Único a ter um sistema cerebral capaz de transformar os sons em música. </li></ul><ul><li>Humanos relacionam ritmo, melodia e harmonia . </li></ul>
  4. 4. Homem, som e m úsica <ul><li>Modelamos um padr ão atrás do outro, sucessivamente - até chegarmos a um movimento de sinfonia. Tons sucessivos são ligados, para formar fragmentos melódicos e, depois, melodias inteiras e suas frases. (JOURDAIN, 1998 p. 23) </li></ul>
  5. 5. Teoria da Discrep ância <ul><li>Trata a emoç ão como o resultado de uma experiência inesperada. </li></ul><ul><li>Emoç ões vinculadas a alguma experiência positiva ou negativa. </li></ul><ul><li>Previs ão - aquilo que se espera, a expectativa. </li></ul><ul><li>Resolução - aquilo que realmente aconteceu, o resultado. </li></ul>
  6. 6. Previs ões e Resoluções <ul><li>A m úsica cria previsões e depois as satisfaz. Ela pode reter suas resoluções, assim aumentando as previsões e, depois, satisfazer as previsões com um grande jorro de resoluções. Quando a música se empenha em violar expectativas que ela cria, nós chamamos de expressiva (JOURDAIN, 1998, p. 393). </li></ul>
  7. 7. P ublicidade e emoção <ul><li>A propaganda precisa ser criativa, ou seja, precisa trazer algo de novo, que ainda n ão foi visto; precisa emocionar, gerar alguma reação inesperada ao consumidor. </li></ul><ul><li>(SAMPAIO, 2003 p. 46) </li></ul>
  8. 8. Jingle A Vasp abre suas asas <ul><li>Propaganda: trazer algo novo, surpreender, emocionar. </li></ul><ul><li>Criado por Theo de Barros em 1972 para a Viaç ão Aérea São Paulo. </li></ul><ul><li>Estilo muito comum nos anos 1970, com uso de instrumentos como bateria, baixo, guitarra, sintetizadores e naipe de sopros (instrumentos reais). </li></ul>
  9. 9. A Vasp abre suas asas <ul><li>Atenç ã o (viaje bem, viaje VASP) </li></ul><ul><li>C éu azul (viaje bem, viaje VASP) </li></ul><ul><li>Aten ç ã o , voc ê com essa ficha na m ão </li></ul><ul><li>Dirija-se ao port ão , embarque nesse avi ão </li></ul><ul><li>(boa viagem) </li></ul><ul><li>Largue o ch ão , escolha uma direç ã o </li></ul><ul><li>Aperte o seu cinto e solte a sua imagina ç ã o </li></ul><ul><li>(voe VASP) </li></ul><ul><li>C éu azul, leste, oeste, norte ou sul </li></ul><ul><li>Voc ê livre pelo ar, com que gosta de voar </li></ul><ul><li>A VASP abre suas asas, sua ternura </li></ul><ul><li>Pra voc ê ganhar altura, viajar... voar... </li></ul><ul><li>Viaje bem, viaje VASP </li></ul>
  10. 10. Mapa do jingle <ul><li>In ício - ritmo lento, pucos instrumentos. Segue em um crescendo . </li></ul><ul><li>15 segundos - mudança de ritmo marcante, levando para o desenvolvimento da idéia. Gradual crescimento com inserção de palmas, mais vozes e modulações. </li></ul><ul><li>45 segundos - entrada da “ponte”, levando ao final apoteótico. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Publicidade: experi ência, sugestão e emoção. </li></ul>
  12. 12. Refer ências bibliográficas

×