Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Protagonismo Juvenil<br />Educação para valores e participação autônoma<br />
 1 - O cenário<br />A juventude é histórica - nem sempre apareceu como etapa singular demarcada. <br />   Nasce na socieda...
Preparação para a vida<br />Feita em instituições especializadas (escola), implicava a suspensão do mundo produtivo. <br /...
Condição juvenil<br />- Forma como a sociedade representa/ pensa a juventude. <br />- Tem relação com os movimentos que ti...
Situação juvenil<br />- Diferentes percursos: modos como os jovens vivem a condição juvenil de seu tempo.<br />  - Fatores...
    O ingresso na vida adulta não obedece mais a rituais tradicionais.<br />É possível ser pai ou mãe sem sair da casa do...
   A escola, a família e o trabalho deixam de ocupar o lugar de importância que possuíam na vida de jovens de outros tempo...
Observa-se a caracterização de uma cultura juvenil quase universal.<br />Substitui a transmissão cultural das instituiçõe...
A experiência da situação juvenil está relacionada com uma complexa e preocupante instabilidade no presente e incerteza fr...
A juvenilização da sociedade. Apesar da juventude ser vista como fonte de problemas, busca-se, cada vez mais, parecer jove...
A questão juvenil - o que é ser jovem hoje<br />O significado de ser jovem (condição juvenil) é dado pelo modo como se pen...
Quem é jovem<br />ONU - 15 a 24 anos<br />Cada lugar determina sua faixa jovem de acordo com sua realidade e cultura, e co...
Os jovens brasileiros - alguns dados<br />80% dos(as) jovens do Cone Sul vivem no Brasil.<br />O país concentra 50% dos(as...
28,2 milhões (83%) moram na zona urbana e 5,9 milhões (17%), na zona rural.<br />20 milhões (58,7%) vivem em famílias com ...
O que se espera dos jovens. Quais jovens?<br />1- Uma juventude: TEEN *<br />Incluída, protegida, consumidora, escolarizad...
2-Outra juventude: POPULAR*<br />Excluída, empobrecida, desprotegida, discriminada, exposta à    violência e à orfandade. ...
O que desejam os jovens:<br />- políticas públicas para o acesso a bens materiais ou culturais, <br />- consideração como ...
Os jovens e a participação<br />Dimensões da vida cotidiana vêm transformando a prática da participação juvenil: <br />a f...
Criam-se novas formas de participação:<br />       - múltiplas e por vezes episódicas;<br />       - ligadas a uma causa q...
2- As juventudes<br />Subjetividade <br /> Saber<br /> Socialização<br />
A educação<br />Família<br />Escola<br />Sociedade<br />Privado<br />Transição<br />Público<br />
Os pilares da educação<br />
A família<br />
A escola<br />
A sociedade<br />Houve um tempo em que a moda era instrumento de agressão. Os filhos usavam roupas para chocar os pais e o...
3- O protagonismo juvenil<br />O protagonismo juvenil é uma estratégia de educação para a cidadania que considera os joven...
Protagonismo Juvenil<br />É um processo de educação para valores que tem na participação social juvenil:<br /><ul><li>uma ...
o caminho para o envolvimento com causas coletivas;
a construção de competências que tornem duradouras as ações empreendidas. </li></li></ul><li>Protagonismo Juvenil<br />Est...
Os atores das ações são os coletivos jovens.<br />Não pressupõe a geração de lideranças individuais, mas a geração de part...
Alerta!!!<br />A autonomia – capacidade de agir a partir de valores já internalizados, de reconhecer o que está de acordo ...
PJ, processo formador, competências<br />Compreender o terreno de sua atuação: <br />Apropriação de informações e capacida...
Processo formador<br />A família, a escola, <br />os espaços de formação de jovens -<br />saberes necessários.<br />
Etapas da participação<br />?<br />Manipulada – faz o que o adulto quer<br />Decorativa – segura a bandeira no palco<br />...
5. Planejamento + Execução =<br />   Quando será? Onde será? Como será?<br />6. Decisão + Planejamento + Execução =<br />V...
8.Decisão + Planejamento + Execução + Avaliação + Apropriação dos resultados =<br />     Participação responsável<br />9. ...
Etapas e fases da ação protagônica<br />
Importante!!!<br />    ONU, organismos internacionais, governos, instituições financeiras, sociedade civil – têm no protag...
“- Por favor, o senhor poderia me dizer qual é o caminho para sair daqui? – perguntou Alice.<br />- Isso depende muito do ...
A minha alma- O Rappa<br />A minha alma tá armada<br />E apontada para a cara<br />Do sossego (sego...)<br />Pois paz sem ...
Depoimento 1<br />“Éramos inocentes, acreditávamos em quase tudo que nos diziam. Foi se tornando cada vez mais impossível ...
Depoimento 2<br />“ A peça clássica 'Opus 26', de Max Bruch, é pura adrenalina, igual a de pichar em cima do viaduto ou no...
Depoimento 3<br />“Protagonismo não é deixar o jovem à solta, simplesmente aguardando sua vontade de participar de tarefas...
Fontes importantes<br />www.ibase.org.br<br />(pesquisa: Juventude Brasileira e Democracia)<br />www.acaoeducativa.org.br<...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Protagonismo

6,457 views

Published on

Protagonismo

  1. 1. Protagonismo Juvenil<br />Educação para valores e participação autônoma<br />
  2. 2. 1 - O cenário<br />A juventude é histórica - nem sempre apareceu como etapa singular demarcada. <br /> Nasce na sociedade moderna ocidental como tempo de preparação para a vida, para a complexidade das tarefas produtivas da sociedade industrial. <br />
  3. 3. Preparação para a vida<br />Feita em instituições especializadas (escola), implicava a suspensão do mundo produtivo. <br />Estudar e não trabalhar eram elementos da condição juvenil.<br />
  4. 4. Condição juvenil<br />- Forma como a sociedade representa/ pensa a juventude. <br />- Tem relação com os movimentos que tiveram visibilidade nas diferentes épocas. <br /> 1950 - juventude transviada<br /> 1960 - juventude rebelde<br /> 1970 - juventude paz e amor<br /> 1980 - juventude alienada<br /> 1990 - as gangues, as galeras<br /> 2000 - os manos<br />Essas representações uniformizam e escondem a diversidade. <br />
  5. 5. Situação juvenil<br />- Diferentes percursos: modos como os jovens vivem a condição juvenil de seu tempo.<br /> - Fatores que interferem: grupo social, gênero, etnia, idade, escolaridade, religião, territorialidade, entre outros.<br /> Para compreender a diversidade da situação juvenil hoje, é preciso analisar as mudanças em curso:<br />
  6. 6. O ingresso na vida adulta não obedece mais a rituais tradicionais.<br />É possível ser pai ou mãe sem sair da casa dos pais, sem constituir uma nova base familiar, concluir a escolaridade ou ingressar no mundo do trabalho. <br />
  7. 7. A escola, a família e o trabalho deixam de ocupar o lugar de importância que possuíam na vida de jovens de outros tempos.<br />Os comportamentos de grupo mediados pelos meios de informação tornam-se muito mais significativos que as instituições socializadoras tradicionais. <br />
  8. 8. Observa-se a caracterização de uma cultura juvenil quase universal.<br />Substitui a transmissão cultural das instituições que são influenciadas por questões da vida do lugar em que vivem.<br />
  9. 9. A experiência da situação juvenil está relacionada com uma complexa e preocupante instabilidade no presente e incerteza frente ao futuro.<br />No Brasil, os jovens enfrentam a desigualdade do acesso à educação de qualidade, barreiras que dificultam o acesso ao primeiro emprego, o desemprego prolongado e a injusta distribuição salarial. <br />
  10. 10. A juvenilização da sociedade. Apesar da juventude ser vista como fonte de problemas, busca-se, cada vez mais, parecer jovem.<br /> Produtos que prometem retardar o envelhecimento tornam-se fontes de renda, mobilizam propaganda e consumo, difundindo a juvenilização. <br />
  11. 11. A questão juvenil - o que é ser jovem hoje<br />O significado de ser jovem (condição juvenil) é dado pelo modo como se pensa a juventude: <br />- o jeito como se fala dela, <br /> - as imagens produzidas em torno dela, <br /> - os valores a ela atribuídos. <br /> Por isso se diz que “ser jovem” decorre de construções culturais, e o significado atribuído à juventude difere de acordo com a época, os grupos sociais e culturais de uma mesma sociedade.<br />
  12. 12. Quem é jovem<br />ONU - 15 a 24 anos<br />Cada lugar determina sua faixa jovem de acordo com sua realidade e cultura, e constrói políticas de acordo com ela.<br />No Brasil, o Plano Nacional de Juventude, é destinado aos jovens com idade entre 15 e 29 anos.<br />
  13. 13. Os jovens brasileiros - alguns dados<br />80% dos(as) jovens do Cone Sul vivem no Brasil.<br />O país concentra 50% dos(as) jovens da América Latina.<br />São 34 milhões de jovens entre 20 e 24 anos.<br />Representam aproximadamente 20% do total da população brasileira.<br />
  14. 14. 28,2 milhões (83%) moram na zona urbana e 5,9 milhões (17%), na zona rural.<br />20 milhões (58,7%) vivem em famílias com renda per capita de até um salário mínimo.<br />1,3 milhões dos (as) jovens são analfabetos(as). Desses(as), 900 mil são negros(as).<br /> Fontes: IBGE, 2004; www.ibase.org.br<br />
  15. 15. O que se espera dos jovens. Quais jovens?<br />1- Uma juventude: TEEN *<br />Incluída, protegida, consumidora, escolarizada.<br /> A entrada no mundo do trabalho se dá cada vez mais tarde. <br /> Trabalho: ampliação do consumo.<br />- Servem de exemplos, modelos positivos...a televisão, revistas, propagandas difundem representações de juventude - tempo do belo, do corpo, do prazer, do tempo livre, da experimentação.<br />- Paradoxalmente são vistos pelo que lhes falta (valores, respeito, compromisso, participação etc.).<br /> * Agrega várias juventudes<br />
  16. 16. 2-Outra juventude: POPULAR*<br />Excluída, empobrecida, desprotegida, discriminada, exposta à violência e à orfandade. <br /> A entrada no mundo do trabalho é antecipada.<br /> Trabalho: sobrevivência imediata.<br />- Quase invisíveis no cotidiano, aparecem em noticiários para reforçar estereótipos. O cinema tem trazido à tona a situação de vida desses jovens, o que possibilita a reflexão. <br /> (Cidade de Deus; Cidade dos Homens; Falcão, meninos do tráfico; Anjos do Sol).<br />- São vistos através do que ameaçam.<br /> * Agrega várias juventudes<br />
  17. 17. O que desejam os jovens:<br />- políticas públicas para o acesso a bens materiais ou culturais, <br />- consideração como sujeitos de direitos, <br />- educação de qualidade,<br />-trabalho,<br />-emitir opiniões e interferir em questões que lhes dizem respeito,<br />-espaços para o lazer, esporte, cultura e divertimento,<br />-participar de grupos horizontais onde possam expressar idéias, ampliar a rede de amigos, construir sentidos de vida e assim projetar o futuro.<br />Fonte: Pesquisa Perfil da Juventude Brasileira, 2004. <br /> Instituto de Cidadania.<br />
  18. 18. Os jovens e a participação<br />Dimensões da vida cotidiana vêm transformando a prática da participação juvenil: <br />a família - se apresenta mais como uma relação do que como uma instituição; <br />o trabalho - ao deixar de ser estável, produz insegurança diante do futuro; <br />as formas tradicionais de participação (partidos políticos, sindicatos, movimento estudantil, escola) - desencanto e ceticismo.<br />
  19. 19. Criam-se novas formas de participação:<br /> - múltiplas e por vezes episódicas;<br /> - ligadas a uma causa que pode girar tanto em torno da defesa das baleias como da paz, do meio ambiente, dos direitos humanos, da igualdade racial. <br />A arte, principalmente a música, tem sido o canal de expressão pelo qual os jovens participam da vida social.<br />
  20. 20. 2- As juventudes<br />Subjetividade <br /> Saber<br /> Socialização<br />
  21. 21. A educação<br />Família<br />Escola<br />Sociedade<br />Privado<br />Transição<br />Público<br />
  22. 22. Os pilares da educação<br />
  23. 23. A família<br />
  24. 24. A escola<br />
  25. 25. A sociedade<br />Houve um tempo em que a moda era instrumento de agressão. Os filhos usavam roupas para chocar os pais e os pais usavam roupas para marcar autoridade e distância. Agora as tendências são para todas as idades e muda só o tamanho. Esse novo conceito pode ser visto em todo o lugar do mundo mas se você não quiser ir tão longe, passe na C&A, onde tem tudo para toda a família. <br />Jornal do Brasil, 27/04/86, p.5<br />
  26. 26. 3- O protagonismo juvenil<br />O protagonismo juvenil é uma estratégia de educação para a cidadania que considera os jovens como atores sociais que têm direitos, independente da condição ou situação em que vivem. <br /> Jovens - vistos pelo que são, sabem, sentem, pensam, sonham e se relacionam.<br />
  27. 27. Protagonismo Juvenil<br />É um processo de educação para valores que tem na participação social juvenil:<br /><ul><li>uma forma de construção da co-responsabilidade;
  28. 28. o caminho para o envolvimento com causas coletivas;
  29. 29. a construção de competências que tornem duradouras as ações empreendidas. </li></li></ul><li>Protagonismo Juvenil<br />Está sempre relacionado com ações coletivas e participantes. <br />(Tem na formação de redes a perspectiva da multiplicação)<br />Faz educação para valores através da experimentação dos valores.<br />(Pratica-se mais o respeito do que se fala sobre sua importância)<br />Empodera os jovens para decidirem sobre seu futuro.<br /> (Conhecimento, reflexão, diálogo, criticidade, criatividade)<br />
  30. 30. Os atores das ações são os coletivos jovens.<br />Não pressupõe a geração de lideranças individuais, mas a geração de participação e cooperação social.<br />A questão central é o processo formador que se dá por meio da ação dos jovens: a construção da cidadania e da participação.<br />Os educadores não são reféns dos discursos juvenis, mas têm a função de contextualizar e problematizar, de mediar a construção do conhecimento, de ampliar o universo cultural.<br />
  31. 31. Alerta!!!<br />A autonomia – capacidade de agir a partir de valores já internalizados, de reconhecer o que está de acordo com ideais, de identificar oportunidades para a viabilização de projetos.<br />O empoderamento – não só conferir poder aos jovens, mas assumir o poder da ação dos jovens como iniciativas válidas para a transformação e o desenvolvimento.<br />A intervenção – a partir dos interesses dos próprios jovens e por sua deliberação.<br />
  32. 32. PJ, processo formador, competências<br />Compreender o terreno de sua atuação: <br />Apropriação de informações e capacidade de interpretar dados, identificar problemas e questões que comprometem o bem estar de uma coletividade e se posicionar criticamente.<br />Aderir a uma causa e engajar-se em grupos:<br />Identificação de temas mobilizadores, conhecimento dos fatos, busca de grupos já organizados, responsabilização social e decisão em participar da busca de soluções.<br />Operar na realidade para transformá-la:<br />Desenvolvimento de competências para a atuação coletiva na complexidade. Capacidade de tomar a iniciativa, propor, planejar, participar da realização do planejado, avaliar, rever estratégias e permanecer no processo. <br />
  33. 33. Processo formador<br />A família, a escola, <br />os espaços de formação de jovens -<br />saberes necessários.<br />
  34. 34. Etapas da participação<br />?<br />Manipulada – faz o que o adulto quer<br />Decorativa – segura a bandeira no palco<br />Simbólica – dança, teatro, coral<br />Execução utilitária – festa junina<br />
  35. 35. 5. Planejamento + Execução =<br /> Quando será? Onde será? Como será?<br />6. Decisão + Planejamento + Execução =<br />Vai ter festa? Quando? Como será? Para quais resultados?<br />7. Decisão + Planejamento + Execução + Avaliação = Avaliação participativa<br />
  36. 36. 8.Decisão + Planejamento + Execução + Avaliação + Apropriação dos resultados =<br /> Participação responsável<br />9. Decisão + Iniciativa +Planejamento + Execução + Avaliação + Apropriação dos resultados = <br />Participação autônoma – sem a presença do educador<br />10.Participação autônoma <br /> Com adultos sob sua responsabilidade<br />
  37. 37. Etapas e fases da ação protagônica<br />
  38. 38.
  39. 39. Importante!!!<br /> ONU, organismos internacionais, governos, instituições financeiras, sociedade civil – têm no protagonismo um importante aliado para o combate à pobreza, à marginalidade, à criminalidade ... <br /> ... as práticas desenvolvidas pelos jovens são, por um lado, de afirmação de direitos e participação política e, por outro, de criação e ação cultural. <br />mas,<br />
  40. 40. “- Por favor, o senhor poderia me dizer qual é o caminho para sair daqui? – perguntou Alice.<br />- Isso depende muito do lugar para onde você quer ir. - disse o Gato.<br />- Não me importa muito onde... - disse Alice.<br /><ul><li>Neste caso, pouco importa o caminho que você tomar. - declarou o Gato.”</li></ul>Lewis Carroll, Alice no país das maravilhas.<br />
  41. 41. A minha alma- O Rappa<br />A minha alma tá armada<br />E apontada para a cara<br />Do sossego (sego...)<br />Pois paz sem voz<br />Não é paz é medo, (medo)<br />Às vezes eu falo com a vida<br />Às vezes é ela quem diz<br />Qual a paz que eu não quero<br />Conservar<br />Para tentar ser feliz (...)<br />
  42. 42. Depoimento 1<br />“Éramos inocentes, acreditávamos em quase tudo que nos diziam. Foi se tornando cada vez mais impossível e desnecessário aceitar os valores que nos impõem. Esse tempo passou: as coisas mudaram, novas percepções se tornaram consciência. Hoje enfrentamos o conservador, vivemos e criamos o novo. Sonhamos com liberdade, vivemos intensamente a juventude!”<br /> Fanzine da ONG Atitude, 2005<br />
  43. 43. Depoimento 2<br />“ A peça clássica 'Opus 26', de Max Bruch, é pura adrenalina, igual a de pichar em cima do viaduto ou no alto do prédio.”<br />Jovem de 17 anos (ex-pichador, toca violino no projeto Guri de São Paulo)<br />
  44. 44. Depoimento 3<br />“Protagonismo não é deixar o jovem à solta, simplesmente aguardando sua vontade de participar de tarefas que levem às ações. Devemos abrandar o medo de agir, o que pode ser feito através de problematizações bem planejadas. Considero que contextualizar e questionar os jovens sobre a provável eficiência de seus planos é uma forma de organizar a reflexão, como se fosse um alinhavo, e isso é diferente de induzir. Muito diferente.”<br />Renato José da Mata (RJ), educador de jovens.<br />
  45. 45. Fontes importantes<br />www.ibase.org.br<br />(pesquisa: Juventude Brasileira e Democracia)<br />www.acaoeducativa.org.br<br />(pesquisa: Juventude, Escolarização e Poder Local)<br />www.institutocidadania.org.br<br />(pesquisa: Perfil da Juventude Brasileira)<br />www. interagir.org.br<br />(site organizado por jovens)<br />
  46. 46. Referências:<br />IULIANELLI, Jorge e FRAGA, Paulo Cesar. Jovens em tempo real. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2003.<br />CARRANO, Paulo César. Juventudes e cidades educadoras. Petrópolis: Vozes, 2003.<br />CHARLOT, Bernard. Os jovens e o saber: perspectivas mundiais. Porto Alegre: Artmed, 2001.<br />NOVAES, Regina (org.). Juventude e sociedade. São Paulo: Instituto de Cidadania, 2004.<br />CASTRO, Mary Garcia; ABRAMOVAY, Miriam. Por um novo paradigma do fazer política. Brasília: Unesco, 2003.<br />

×