Projeto de Intervenção

15,972 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
15,972
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
72
Actions
Shares
0
Downloads
266
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Projeto de Intervenção

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS - UFAL Centro de Educação – CEDU Curso de Pedagogia Fabiana Tenório Magalhães Lavínnia Rayane Costa Silva Malane Tenório Cavalcante Mariana Costa Rodrigues Rita de Cássia Barros LeiteA CONSCIENTIZAÇÃO DA COMUNIDADE ESCOLAR PARA APARTICIPAÇÃO NA CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO Maceió 2012
  2. 2. Fabiana Tenório MagalhãesLavínia Rayane Costa SilvaMalane Tenório Cavalcante Mariana Costa RodriguesRita de Cássia Barros Leite Projeto de Intervenção apresentado como requisito processual de avaliação da disciplina Estágio Supervisionado I. Profª. Msc. Karla de Oliveira Santos Maceió 2012
  3. 3. SUMÁRIODELIMITAÇÃO DA ÁREA E DEFINIÇÃO DO PROBLEMA .......................................................... 3PROBLEMA E HIPÓTESES ............................................................................................................... 4OBJETIVOS .......................................................................................................................................... 5 Geral ................................................................................................................................................... 5 Específicos ........................................................................................................................................ 5REVISÃO DA LITERATURA .............................................................................................................. 6METODOLOGIA ................................................................................................................................... 9CRONOGRAMA DAS AÇÕES ......................................................................................................... 10REFERÊNCIAS .................................................................................................................................. 11
  4. 4. 3 DELIMITAÇÃO DA ÁREA E DEFINIÇÃO DO PROBLEMA “Preparar o pedagogo para atuar em diferentes espaços educativos tem sidoo grande desafio da Educação Superior” (CASSOL; CROCE, p. 5728). O objetivo doestágio supervisionado realizado no quinto período do curso de Pedagogia da UFAL1visa propiciar a aproximação do estudante de Pedagogia com a gestão escolar dosespaços onde são realizados os estágios. A partir da caracterização previamente elaborada com base nas visitasrealizadas à Escola Municipal Profª. Maria do Socorro Tavares Lima da Silva,localizada na Rua Dr. Carlos de Miranda, 257, Poço, e com base nas conversasrealizadas com a direção da escola, identificamos que a mesma não possui nemRegimento, nem Projeto Político – Pedagógico (PPP). Sendo assim, trabalharemos,basicamente, com a área da gestão escolar. Partindo dessas observações e em diálogo com a professora orientadora,trabalharemos aimportância e a conscientização da participação da comunidadeescolar na construção do PPP, que “ é o ordenador, o norteador da vida escolar”(LIBÂNEO, 2008, p. 161). Além disso, “O projeto é um guia para a ação, prevê, dáuma direção política e pedagógica para o trabalho escolar, formula metas, instituiprocedimentos e instrumentos de ação” (idem, p.153).1Universidade Federal de Alagoas.
  5. 5. 4 PROBLEMA E HIPÓTESES Diante das observações apresentadas anteriormente, constatou-se anecessidade de envolver a comunidade escolar na construção do Projeto Político –Pedagógico.Então, nos basearemos nos problemas: Por que a escola não possui,ainda, PPP? De que forma podemos incentivar a comunidade escolar a participar daconstrução do PPP? A hipótese levantada para a primeira pergunta é que a escola passou por umlongo período de mudanças de localização, sendo instalada até em prédiosalugados e quando há dois anos finalmente foi instaladaem sede própria, estanecessitava de boas reformas. Contribuindo para essa situação, a antiga funcionáriaque ocupava o cargo de diretora aposentou-se, passando a escola novamente porperíodos de mudanças. Já a hipótese formulada ao segundo questionamento é que através dereuniões com explicações diretas e dinâmicas com os segmentos da comunidadeescolar possamos despertar a consciência da importância da participação dosmesmos na construção do PPP.
  6. 6. 5 OBJETIVOSGeral Explicar a importância do PPP para a escola e viabilizar a participação dos diversos segmentos da comunidade escolar na construção do PPP.Específicos Promover reuniões que, de forma interativa, despertam a consciência crítica de participação dos diversos segmentos na construção do PPP; Diagnosticar possíveis problemas que gerem a falta de interesse dos membros na formulação do PPP; Orientar, em especial, os pais para a importância que o PPP possui na educação de seus filhos, tendo em vista que os mesmos não possuem conhecimentos internos da organização escolar; Tentar organizar uma comissão (com membros do conselho escolar e outros que se disponham participar) que se comprometa com a construção do PPP a partir das reuniões realizadas.
  7. 7. 6 REVISÃO DA LITERATURA É de suma importância que a gestão escolar proporcione à instituição otrabalho através da gestão democrática. Uma escola democrática proporciona atodos que estão inseridos em sua realidade a participação e está a serviço da suacomunidade. Essa gestão democrática é quem acolhe a comunidade e a chamapara propor ideias que tragam benefícios à escola. É muito importante que a escolaconvoque todos os membros da comunidade para que juntos possam construir umProjeto Político-Pedagógico significativo para este meio. Moacir Gadotti (2000) em um breve comentário sobre escola democráticaapresenta o seguinte pensamento: A gestão democrática da escola é um passo importante no aprendizado da democracia. A escola não tem um fim em si mesma. Ela está a serviço da comunidade. Nisso, a gestão pedagógica da escola está prestando um serviço também a comunidade que a mantém. A participação na gestão da escola proporcionará um melhor conhecimento do funcionamento da escola e todos os seus atores; propiciará um contato permanente entre professores e alunos [...] (p. 36). Dessa forma, infere-se que a contribuição da comunidade escolar como umtodo representa um grande benefício à escola. Tendo como fato o princípio de que a elaboração de um Projeto Político-Pedagógico democráticodeve visar à participação e envolvimentos de todos (pais,alunos, funcionários, direção e professores), destacamos a importância dedesenvolver as ações desse plano à luz do planejamento participativo. Assim,trazemos a concepção de Silva (ANO , p. 05) para explicar a importância doplanejamento participativo: O planejamento coletivo e o compromisso com a transformação social colocam, pois, o planejamento participativo como perspectiva fundamental quando se pretende pensar e realizar a gestão democrática da escola. Ao mesmo tempo, essa concepção e esse modelo de planejamento se constituem como a base para a construção do Projeto Político-Pedagógico da escola. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (1996) – LDB versa emseu inciso I do art. 12 que “os estabelecimentos de ensino [...] terão a incumbência
  8. 8. 7de elaborar e executar sua proposta pedagógica” e, ainda, em seu art. 14, incisos I eII que: Os sistemas de ensino definirão as normas da gestão democrática do ensino público na educação básica, de acordo com as suas peculiaridades e conforme os seguintes princípios: I - participação dos profissionais da educação na elaboração do projeto pedagógico da escola; II - participação das comunidades escolar e local em conselhos escolares ou equivalentes. Observamos assim, a extrema importância do PPP para o ambiente escolar eque, para sua construção faz-se necessário que todos os indivíduos ligados àcomunidade escolar participem. Mas, o que de fato é projetar? O que é esse talprojeto e porque ele é tão importante para a unidade escolar? Em breve definiçãopode-se dizer que projetar é “[...] tentar quebrar um estado confortável para arriscar-se, atravessar um período de instabilidade e buscar uma nova estabilidade emfunção da promessa que cada projeto contém de estado melhor do que o presente”(GADOTTI, 1997, p. 04). E com relação ao PPP: O projeto político-pedagógico de uma escola deve constituir-se num verdadeiro processo de conscientização e de formação cívica; deve-se constituir-se num verdadeiro processo de repercussão da importância e da necessidade do planejamento na educação(GADOTTI, 2000, p. 38). Para esclarecer um pouco mais acerca do que se trata o Projeto político-pedagógico trazemos o pensamento de Veiga (p. 11) o qual versa: “[...] é um produtoespecífico que reflete a realidade da escola, situada em um contexto mais amploque a influencia e que pode ser por ela influenciado. Em suma, é um instrumentoclarificador da ação educativa da escola em sua totalidade”. Além disso,Vasconcellos (apud Oliveira, p. 07), ressalta que o PPP “é um instrumento teórico-metodológico para intervenção e mudança da realidade. É um elemento deorganização e integração da atividade prática da instituição nesse processo detransformação”. Dessa forma, entende-se que o PPP é um importante projeto que norteia asconcepções práticas e políticas da escola. Sendo assim deve-se considerar que,
  9. 9. 8 Não se constrói um projeto sem uma direção política, um norte, um rumo. Porisso, todo projeto pedagógico da escola é também político. O projeto pedagógico daescola é, por isso mesmo, sempre um processo inconcluso, uma etapa em direção a umafinalidade que permanece como horizonte da escola(GADOTTI, 1997, p.02). Ou seja, o PPP da escola deve estar em constante reformulação à medidaque o contexto escolar e político se alteram. Com base no exposto anteriormente, cabe destacar aqui as seguintesorientações de Vasconcellos (2007, p. 02) sobre a elaboração do PPP das escolasafim de que possa iluminar os caminhos a serem percorridos durante a construçãodo mesmo: Ao elaborar e executar o seu PPP a escola deverá destacar: Os fins e objetivos do trabalho pedagógico, buscando a garantia da igualdade de tratamento,do respeito às diferenças,da qualidade doatendimento e da liberdade de expressão; A concepção de criança, jovem e adulto, seu desenvolvimento e aprendizagem; As características da população a ser atendida e da comunidade na qual se insere; O regime de funcionamento; A descrição do espaço físico, das instalações e dos equipamentos; A relação de profissionais, especificando cargos, funções,habilitação e níveis de formação; Os parâmetros de organização de grupos e relação professor/ aluno ; A organização do cotidiano de trabalho com as crianças, jovens e adultos; A proposta de articulação da escola com a família e a comunidade; O processo de avaliação, explicitando suas práticas, instrumentos e registros; O processo de planejamento geral; Trazer anexos como: a MatrizCurricular vigente e Projetos Especiais a serem desenvolvidos É no intuito de construir/incentivar uma escola democrática e que promova aparticipação de todos os envolvidos nesse ambiente que propomos esse plano deintervenção, para organizar de forma que a comunidade escolar como um todoparticipe de modo consciente da elaboração do Projeto Político-Pedagógico daEscola Municipal Profª. Maria do Socorro Tavares Lima da Silva.
  10. 10. 9 METODOLOGIA Devido às nossas aproximações com as pessoas que compõem o ambienteescolar estudado e a nossa constante interação com os mesmos, caracterizamosnosso projeto como pesquisa participante. Assim, destaca-se que a pesquisaparticipante “[...] como o próprio nome sugere, implica necessariamente aparticipação, tanto do pesquisador no contexto, grupo ou cultura que está a estudar,quanto dos sujeitos que estão envolvidos no processo da pesquisa” (SOARES;FERREIRA, 2006, p. 95). A pesquisa participante está alicerçada, basicamente, em três pressupostos,os quais são: 1) a inserção do pesquisador no ambiente estudado e a participaçãodos pesquisados contribuindo com o processo da pesquisa; 2) o estudo dassituações reais do local pesquisado; 3) a interdisciplinaridadeentre diferentesespecialidades (idem, 2006). A partir de revisões bibliográficas acerca do tema, será proposto à equipegestora o projeto de intervenção ao qual iremos trabalhar na escola. Sendoaprovado o projeto de intervenção iniciaremos a construção de informativos paraque seja divulgada a data da primeira reunião e onde possamos fazer a mobilizaçãoda comunidade escolar. Após, prepararemos material com textos e vídeos que exponham de formadinâmica a importância da participação de todos aqueles que compõem a escola naconstrução doPPP, bem como a importância desse documento para a escola. Em outro momento realizaremos uma roda de conversa em conjunto comtodos os membros a fim de que exponham suas opiniões sobre a participação naconstrução do PPP e o que pode atrapalhar essa participação. Posteriormente, em outra reunião, coletaremos as propostas organizadaspelos representantes dos segmentos que façam, ou não,parte do conselho escolar.Será proposto que os membros do conselho se comprometam com o envolvimentona elaboração do PPP. A partir das propostas expostas em conjunto por todos os segmentosorganizaremos juntamente com a equipe gestora e os demais que participaram daconstrução do PPP a melhor forma de iniciar a constituição do mesmo.
  11. 11. 10 CRONOGRAMA DAS AÇÕESDATAS ATIVIDADES MATERIAIS NECESSÁRIOS25/04 Apresentação do projeto de Projeto de intervenção intervenção à equipe gestora.09/05 Produção de informativos Cartazes, panfletos sobre a reunião com os diversos segmentos.16/05 Divulgação na instituição. Cartazes, panfletos23/05 Apresentar para a slides comunidade escolar material teórico e vídeos ressaltando a importância do PPP para a instituição.30/05 Roda de conversa na Papel 40 e pilotos escola para saber a opinião dos participantes.06/06 Reunião com os membros da comunidade escolar para coletar propostas.13/06 A partir das propostas apresentadas organizá-las de modo que possam constar no PPP.
  12. 12. 11 REFERÊNCIASBRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n°9394, de 20 dedezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília,DF, 1996.CASSOL, Sandra Carbello; CROCE, Marta L. O estágio em gestão educacional:uma experiência do ensino com pesquisa na formação do pedagogo. p. 5725-5737.Disponível em:<http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2009/anais/pdf/2758_1827.pdf>.Acesso em: 12 abril 2012.GADOTTI, Moacir e colaboradores. Perspectivas atuais em educação. PortoAlegre: Artmed, 2000. p. 35-39.GADOTTI, Moacir. O Projeto Político-Pedagógico da escola na perspectiva deuma educação para a cidadania. São Paulo, 1997.LIBÂNEO, José Carlos. O planejamento escolar e o projeto pedagógico - curricular.In: ______. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5. ed. Goiânia: MFLivros, 2008. p. 147-202.OLIVEIRA, Irailde Correia de Souza. Educação e mudança: o projeto político-pedagógico da escola e a função coordenadora da gestão escolar. Maceió,2009.SILVA, Marcelo Soares Pereira da. Planejamento e práticas da gestãoescolar.Disponível em: < http://escoladegestores.mec.gov.br/site/5-sala_planejamento_praticas_gestao_escolar/pdf/u1_2.pdf>. Acesso em: 20 abril 2012.SOARES, Leandro Queiroz; FERREIRA, Mário César. Pesquisa participante comoopção metodológica para investigação de práticas de assédio moral no trabalho.Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, Santa Catarina, v. 06, n. 2, 2006. p.85 – 109. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rpot/v6n2/v6n2a05.pdf>. Acessoem: 17 abr. 2012VASCONCELLOS, Celso. Orientações para (re)elaboração do projeto políticopedagógico das escolas municipais. Salvador, 2007.VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Perspectivas para reflexão em torno do projetopolítico-pedagógico.MÍMEL, 2011.

×