Pct 11 12

3,011 views

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,011
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
65
Actions
Shares
0
Downloads
110
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Pct 11 12

  1. 1. Projeto curricular de turma 11/12SUMÁRIO1 – Introdução2 – Diagnóstico 2.1- Caraterização socioeconómica e cultural das famílias 2.2- Identificação e caraterização das crianças com NEE3- Avaliação diagnóstica do grupo4- Princípios Pedagógicos5- Prioridades Educativas 5.1- Definição das prioridades educativas6- Organização do Ambiente Educativo 6.1- Equipa da sala 6.2- Organização do espaço físico da sala de atividades 6.3 - Organização do Tempo 6.4 - Organização do grupo 6.5 - Organização do estabelecimento educativo 6.6- Trabalho com parcerias7 – Intenções para o ano letivo 2011/2012 7.1- Objetivos Gerais 7.2- Objetivos Específicos8 – Metodologia e estratégias9- Conteúdos e Competências10 – Procedimentos de avaliação11- Comunicação e divulgação de resultados12 – Planificações13- BibliografiaAnexos 3
  2. 2. Projeto curricular de turma 11/12 1 – Introdução A integração na creche de crianças pequenas é um tema que temsuscitado diferentes opiniões no seio de diferentes decisores sociais e daprópria opinião pública. As exigências sociais e os novos estilos familiares incentivam a procuradestas respostas educativas para crianças entre os 4 meses e os 3 anos. Paraos pais e respetivos filhos, este processo pode ser difícil, e por isso énecessário ter em conta uma série de fatores e princípios para que o processode separação-adaptação (separação da família e adaptação a um novocontexto, uma nova rotina e outros adultos) decorra de forma tranquila,respeitando a individualidade de todos os intervenientes. Para a preparação do novo ano letivo na valência de creche tivemos emconta três pontos fulcrais para que o processo de separação-adaptação seja omais adequado e tranquilo possível: em primeiro lugar ter consciência que afamília da criança, no papel dos pais ou encarregados de educação, quando aentregam na sala de creche sentem um misto de emoções: ansiedade,receio…; em segundo lugar, que a criança vai ficar fora de um quadro de vidafamiliar e deve a partir desse dia adaptar-se ao ritmo de um grupo de formaprogressiva; em terceiro lugar devemos estar preparados para diferentesmodalidades comportamentais na experienciação da creche, ou seja,comportamentos pacíficos e/ou reações dramáticas. Definidos os pontos que consideramos essenciais para uma adequadaintegração em creche entendemos como fundamental nomear alguns dosfatores que consideramos substanciais para estruturar a organização doambiente educativo na sala parque, mais precisamente: a) Atendimento centrado na criança, no seu nível de desenvolvimento enecessidades; b) Atenção individualizada prestada pelos adultos; c) Ambiente seguro e estimulante; d) Criar oportunidades de interagir com outras crianças; e) Planificar diferentes experiências que possibilitem à criança diversasoportunidades educativas. A intervenção educativa não se pode resumir ao desencadear derespostas automáticas, e por isso o sentido da nossa intervenção é contribuirpara o desenvolvimento da criança em todos os aspetos, alargando o seucampo de relações e experiências. As relações entre as famílias e a instituição são muito importantes deforma a desenvolver-se um trabalho de equipa onde a criança é vista a partirde uma perspetiva partilhada e todos passam a ter uma visão mais alargada daindividualidade emergente da criança. 4
  3. 3. Projeto curricular de turma 11/12 “ Permitir a uma criança Saber quem é, Em todas as situações da vida, Não importa com que adulto, Eis o desafio De toda a EDUCAÇÃO.”1 O projeto de estabelecimento tem por base o Plano Nacional de Leitura eo Plano Tecnológico de Educação com a designação de “Literacia Emergente eLiteracia Digital: ler antes de ler e as narrativas digitais” sendo que o projetocurricular de turma (designado por PCT) se fundamenta nos princípiosdefinidos pelo estabelecimento. O Plano Nacional de Leitura e o Plano Tecnológico da Educação são umainiciativa do governo, do Ministério da Educação e da Cultura. O ponto de partida do Plano Nacional de Leitura são os níveis de literaciados portugueses, que segundo estudos internacionais (PISA 2003 / 2006)estão muito abaixo do ideal. As orientações governamentais prendem-se com anecessidade de promover a emergência da escrita e da leitura, dascompetências de literacia, desde que a criança ingressa na creche e durante oseu percurso pelo jardim de infância, sempre numa ação de continuidade. O Plano Tecnológico de Educação teve o seu início em 2007 e pretendecolocar Portugal entre os cinco países europeus mais avançados noapetrechamento e implementação das novas tecnologias de informação ecomunicação (TIC). Neste âmbito pretende-se que os colaboradores da instituição se sintamcapacitados para exercer as suas funções relacionando-se com as novastecnologias de informação e comunicação no seu quotidiano, promovendoatividades, quer com as famílias, quer com as crianças em que estes novosrecursos sejam utilizados sem receios. Decorrente do “à vontade” dos adultos da instituição com as TICpretende-se que esta se reflita nas atividades de sala a utilização destesrecursos para a sua dinamização. A utilização destes recursos deverá melhoraras atividades, na sua qualidade, diversidade e atualidade. As crianças deverãodeste modo, conseguir desenvolver skills básicos no domínio das tecnologiasque as ajudem a desenvolver competências em todas as outras áreas deconteúdo. O estabelecimento educativo participa no projeto Eco-Escolas tendodesenvolvido o projeto “Conhecer para agir” que pretende ser promotor datransversalidade de aprendizagens, uma vez que são apresentadas propostase atividades onde se intercetam e interagem domínios das diferentes1 SALOMÉ, J.(1989). Papá, Mamã, escutem-me com atenção – Para compreender asdiferentes linguagens da criança; Horizontes Pedagógicos, p. 137. 5
  4. 4. Projeto curricular de turma 11/12orientações curriculares de forma a contribuírem para a formação de crianças efamílias conscientes, tolerantes e interventivas. A nossa participação abrange atividades nas salas, intercâmbio entresalas e iniciativas na comunidade. O presente projeto curricular de turma abrange a sala parque e tem emconta as caraterísticas e necessidades de crianças com idades compreendidasentre os 25 meses e os 38 meses.2- Diagnóstico O grupo da sala parque é constituído por 14 crianças com idades compreendidasentre os 25 meses e os 38 meses, sendo que 9 são rapazes e 5 são raparigas. Identificação de género 35,7 Meninas 64,3 Meninos Número de alunos por idade 3 2,5 2 1,5 Número de alunos por idade 1 0,5 0 25m 26m 27m 30m 32m 33m 34m 35m 38m 6
  5. 5. Projeto curricular de turma 11/12 Este grupo integra 10 crianças que transitam do 2º berçário, e 4 novasadmissões.2.1- Caracterização socioeconómica e cultural das famílias Este grupo de crianças caracteriza-se por famílias nucleares (8), filhos de paisseparados (2), de pais que vivem em união de facto (2) e um filho de mãe solteiracomo se pode verificar no gráfico que carateriza o estado civil dos pais. Estado civil dos pais 7,7 15,4 Casados 15,4 61,5 Separados União de facto Mãe solt. No grupo existem 4 crianças com irmãos mais velhos, sete são filhos únicos, 1tem uma irmã mais nova e existe um par de gémeos. O desemprego atinge cerca de 25% dos adultos que constituem as famíliasdestas crianças mas a maior percentagem, 67%, verifica-se nos adultos que trabalhamna indústria e serviços gerais. Neste grupo apenas 8% dos pais possui habilitaçõesacadémicas superiores e consequentemente têm uma profissão que se enquadra nosquadros de técnicos superiores. 7
  6. 6. Projeto curricular de turma 11/12 Profissões dos Pais 8% 25% Técnicos superiores Indústria e serviços gerais 67% Desempregado As habilitações literárias são na sua maior parte do 2º e 3º ciclo num total de 13pessoas. No ensino secundário existem 3 pessoas que terminaram o 12º ano e 2 comum grau superior, licenciatura e mestrado. Habilitações Literárias dos Pais 40,0 35,0 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 5,0 Habilitações Literárias dos 0,0 Pais As famílias deste grupo residem no concelho do Barreiro sendo que a maioriareside na freguesia do Lavradio, cerca de 57% enquanto que os restantes 42,9%residem na freguesia da Verderena, Barreiro ou Alto Seixalinho. 8
  7. 7. Projeto curricular de turma 11/12 Área de residência100%90%80%70%60% 57,1 42,950%40%30%20%10% 0% Lavradio Verderena, Barreiro, Alto Seix. 9
  8. 8. Projeto curricular de turma 11/122.2- Identificação e caraterização das crianças com NEE Não existem crianças referenciadas na equipa de intervenção precoce doBarreiro. Contudo, e devido a algumas dúvidas que persistem em relação aocomportamento e desenvolvimento de uma das crianças que faz parte deste grupopretendemos iniciar o processo de avaliação para uma possível referenciação àequipa de intervenção precoce.3- Avaliação diagnóstica do grupo O trabalho definido para este ano letivo tem como ponto de partida a ficha deavaliação do desenvolvimento global do grupo para a valência de creche, realizada noinício do ano (ver anexo 1). Esta ficha foi criada este ano letivo com base no livro deJacalyn Post e Mary Hohmann Educação de bebés em infantários – Cuidados eprimeiras aprendizagens (2004), e avalia essencialmente as competências adesenvolver em crianças de idade de creche. Estas competências estão enquadradasnas orientações curriculares para a educação pré-escolar definidas pelo Ministério daEducação, facto que nos parece uma mais valia uma vez que consideramos que querna creche quer no jardim de infância, se abordam, holisticamente conteúdos e áreastransversais às duas valências. Verificam-se algumas nuances, tendo em conta ascaracterísticas das faixas etárias abrangidas pela valência de creche. Deste modopassamos a nomear as referidas competências enquadrando-as na respetiva área deconteúdo: Área de Formação Pessoal e Social Desenvolver o sentido de si próprio Aprender acerca das relações sociais Área da Expressão e ComunicaçãoDomínio da linguagem oral e - Aprender competências de comunicação e linguagemabordagem à escritaDomínio das expressões: motora, - Ganhar competência no movimento e na música;dramática, plástica e musical - Aprender a reter coisas através da 10
  9. 9. Projeto curricular de turma 11/12 representação criativa;Domínio da matemática - Aprender os primeiros conceitos de quantidade e número; - Desenvolver a compreensão do espaço Área do Conhecimento do Mundo Aprender sobre o mundo físico explorando objetos Começar a aprender sobre o tempo Com base nesta avaliação podemos opinar o seguinte: Na área de formação pessoal e social, mais precisamente na competência dedesenvolver o sentido de si próprio, as crianças revelam alguma autonomia, noentanto é imprescindível abordar as regras básicas de estar e trabalhar numa sala deatividades, bem como algumas aquisições primárias, como por exemplo, o uso dacasa de banho e o controle dos esfíncteres, o refeitório e o dormitório, e algumasregras de segurança na utilização do equipamento exterior. Consideramos necessário investir na resolução de conflitos, na distinção do eu edos outros e na expressão de iniciativa, desenvolvendo atividades que permitam criarum clima de segurança, onde se instale o diálogo para a resolução dos conflitos. Épertinente ter presente que estas idades se caracterizam por comportamentos quepassam por morder, empurrar ou bater com a mão, devido não só à dificuldade emverbalizar o que os atormenta mas também porque o querer um objeto é encaradocomo um objetivo único. No que diz respeito à competência de aprender acerca das relações sociais, estegrupo revela uma boa relação com os adultos com alicerces fortes, não só porque jáconheciam os elementos da equipa das auxiliares operacionais e a docente queacompanham o grupo desde o passado ano letivo, mas também porque é um grupocom facilidade de relações e muito expressivo ao nível afetivo. As relações com ospares são também muito positivas verificando-se conflitos muito pontuais e apenaspela disputa de um objeto ou lugar. Deste modo propomos desenvolver jogos eatividades em que os sentimentos e necessidades de todos são tidos em conta, e emque a inter-ajuda, a partilha e a solidariedade sejam uma exigência a cumprir. Aodesenvolver o jogo social as crianças conseguirão expressar emoções, distinguir o eudos outros e relacionar-se com os pares mostrando empatia pelos seus interesses. 11
  10. 10. Projeto curricular de turma 11/12 Na área das expressões e comunicação que engloba as aprendizagensrelacionadas com o desenvolvimento psicomotor e simbólico que determinam acompreensão e progressivo domínio de diferentes formas de linguagem, constatamosa necessidade de investir no domínio da linguagem oral, mais precisamente nalinguagem expressiva, compreensiva e articulação com algumas crianças da sala querevelam algumas dificuldades nesta área. Torna-se evidente a necessidade de investirem praticamente todas as competências uma vez que estas crianças transitam de umsegundo berçário pelo que as suas aquisições ao nível da linguagem são muitodiminutas (também aqui uma característica da idade). Assim sendo, e no domínio dalinguagem oral, as crianças comunicam não verbalmente, exploram livros com muitoprazer e apreciam histórias, lengalengas e canções. Para sermos mais precisosiremos trabalhar para alargar o vocabulário, a comunicação dar e receber e o ouvir eresponder, através de contos de histórias diários (definidos na nossa rotina como ahora do conto e que acontece todos os dias), no reconto dessas mesmas histórias eno diálogo que se pretende manter ao solicitar à criança que criem histórias com baseem imagens, no relembrar de atividades realizadas em casa ou na escola, etc. No que diz respeito à abordagem à escrita, e no âmbito dos projetos depromoção e animação da leitura que pretendemos desenvolver, convém referir aleitura literária, a solicitação da participação ativa das famílias na animação desessões de leitura para os seus educandos, equipa da sala e restantes encarregadosde educação, a animação da leitura através de registos gráficos, dramatizações,construção de livros sobre as leituras que se realizam na sala, etc.. No domínio da expressão motora, grossa e fina, é necessário investir emmovimentar partes do corpo, o corpo todo, desenvolver o movimento pinça, e para ascrianças com maior destreza manual e maturidade o uso correto da tesoura.Pretendemos fazer jogos de movimento e canções em que seja necessáriomovimentarmo-nos e nomear as diferentes partes do corpo desenvolvendo emsimultâneo a noção de esquema corporal. Para ajudar a desenvolver e aperfeiçoar osmovimentos finos pretendemos realizar, por exemplo, as seguintes atividades: massapão, rasgagem e colagem, plasticina, digitintas, etc. Gostaríamos de cruzar a expressão musical com a expressão motora uma vezque grande parte dos jogos de movimento são acompanhados de canções e músicas,o que quer dizer que se irá trabalhar o ritmo e o som em simultâneo com as atividadesmotoras. Pretendemos de igual modo, e ainda neste domínio, promover jogos em queas crianças criem instrumentos musicais, explorem ritmos, sons, timbres e queaprendam a escutar diferentes tipos de música. 12
  11. 11. Projeto curricular de turma 11/12 No domínio da expressão dramática as crianças necessitam sentir-se à vontadepara imitar situações do seu dia a dia e brincar ao faz de conta, pelo que pretendemosir integrando materiais e objetos na área da casa que possibilitem este jogo social esimbólico. Na expressão plástica a exploração de novas técnicas e o aperfeiçoamento deoutras serão os objetivos, uma vez que este grupo realizou poucas atividadesartísticas no 2º berçário, pelas características das idades que o constituem. No domínio da matemática, as crianças já sabem o poder do “mais” mas énecessário investir no número das coisas e experimentar a correspondência um paraum. Como exemplos de atividades a realizar neste domínio podemos referir, o contode histórias onde será abordado o número das coisas, ou a contagem diária dequantos meninos estão na sala solicitando às crianças que nomeiem o nome dosmeninos que faltam; promover jogos em que é necessário uma criança distribuirobjetos ou alimentos a cada um dos outros elementos do grupo. Para desenvolver a compreensão do espaço será necessário explorar alocalização de objetos e pessoas, promovendo jogos espaciais e solicitando àscrianças que realizem determinadas tarefas que permitam limitar o seu espaço e o dosoutros criando uma noção espacial. Na área do conhecimento do mundo é necessário aprender sobre o mundofísico, explorando objetos com os cinco sentidos, as suas diferenças e semelhanças.Pretendemos abordar ainda as questões relacionadas com a importância dareciclagem integradas no projeto eco-escolas em que o estabelecimento está aparticipar. As atividades no âmbto deste projeto incluem a criação de um ecoponto nasala para que todos os elementos do grupo participem na ação conjunta de reciclar,em diversas atividades comuns às diferentes salas e a outras que possam surgir noseio da comunidade educativa do Lavradio e que se adequem à faixa etária dascrianças desta sala. Nesta área serão ainda abordadas as questões das alterações climáticas com opreenchimento diário de um mapa do tempo a partir do mês de janeiro. Neste mapa ascrianças poderão distinguir, numa primeira fase, o sol e a chuva, e posteriormente, jánuma segunda fase em que se exige um pouco mais, o vento, o sol com nuvens, o sole a chuva, o nevoeiro, etc. 13
  12. 12. Projeto curricular de turma 11/12 Para que seja possível investir e responder adequadamente às necessidadesdas crianças reveladas pela ficha de avaliação do grupo, será necessário poder contarcom duas auxiliares operacionais a tempo inteiro e uma auxiliar de apoio a tempoparcial. Em suma, o projeto curricular de turma da sala parque visa, através dashistórias, ajudar a desenvolver as aprendizagens necessárias a um desenvolvimentoequilibrado respondendo às necessidades que foram avaliadas e especificadas noinicio do ano letivo. As histórias que se leem e constroem durante o ano letivo deverão ajudar-nos aaprofundar e a construir ativamente conhecimentos e aprendizagens e acima de tudoa compreendermo-nos e ouvirmo-nos uns aos outros.4- Princípios Pedagógicos Desde que nasce a criança está preparada para a comunicação. Temnecessidade de se fazer entender, de se exprimir e de compreender o que a rodeia, nofundo de comunicar. Esta aprendizagem começa primeiro na interação com a mãe, gratuitamente,utilizando como língua o “maternalês”, através do pseudo-diálogo que existe entreambos. A mãe é o elemento mediador, que antecipa as respostas da criança, que estáatenta às suas reações e as verbaliza, que imita a criança acrescentando sempre maisqualquer coisa à sua linguagem. Cristina Figueira (1988) ao referir-se a Brunner sublinha: “(...) a atmosfera dejogo de gratuitidade e de prazer partilhado são a condição sine qua non para aaprendizagem da linguagem.” O desenvolvimento da linguagem oral, facilita o processo de desenvolvimentodas competências de literacia que acontece em simultâneo e está ligado à fala. A criança como ser social aprende e desenvolve a linguagem em interação comos outros, que lhe permite passar da língua à palavra. É com a palavra, com a fala que compreende e interioriza as ideias dos outros,que exprime os seus sentimentos, as suas experiências e ideias. 14
  13. 13. Projeto curricular de turma 11/12 Precocemente as crianças têm um interesse pela escrita e pela leitura. Estascompetências são intrínsecas ao desenvolvimento tendo as interações com o meiofísico e social o papel primordial no seu desenvolvimento e aperfeiçoamento. Numa perspetiva emergente, a criança, constrói de modo ativo a sua própriacompreensão de como a linguagem oral se relaciona com a linguagem escrita.Constrói e testa hipóteses de forma reflexiva, sobre a leitura e a escrita desenvolvendoo processo literácito. É necessário que este processo se desenrole num ambiente educativo rico emescrita, interações e leitores ativos. Identificamo-nos com uma prespectiva sócio-construtivista, mais precisamentecom a pedagogia de Vygotsky e o currículo de orientação cognitiva (High Scope). O papel do adulto é fundamental no desenrolar do processo literácito, não só naconstrução do ambiente educativo, mas também na postura desafiante para com acriança, agindo no que Vygotsky refere como “zona proximal de desenvolvimento”. Ouseja, deverá estar atento às necessidades e interesses manifestados por cada criançade um modo geral, e na escrita e na leitura em particular, agindo e apoiando nasalturas em que o indivíduo sente mais dificuldades, facilitando a sua evoluçãoautónoma, criativa e livre. Identificamo-nos no respeito pelo aluno, pela sua expressão livre em que oeducador valoriza os contributos dos elementos do grupo, que são consideradosimportantes na medida em que permitem desenvolver uma dialética de conhecimentoe aprendizagem entre crianças e adultos na sala de atividades. A utilização dos instrumentos de pilotagem definidos no movimento de escolamoderna, mais precisamente o Mapa de Presenças, o Mapa do Tempo e o Plano doDia promovem a democracia, cooperação, a negociação e a autorregulação no seiogrupo. Para que a criança se torne um leitor ativo é essencial que se criem hábitos deleitura, como refere António Prole, quer “ (…) para a emergência da apetência leitora einstrumento facilitador da aprendizagem do código, das habilidades linguísticas 15
  14. 14. Projeto curricular de turma 11/12básicas, quer para o desenvolvimento de competências específicas mais complexasque levam à compreensão e à análise do escrito como porta de acesso à informação.”2 A criança deverá ser um leitor que interage com o texto, que dialoga com ele,colocando questões para as quais obtém respostas que por sua vez a levam a colocarnovas questões, desenvolvendo o chamado círculo hermenêutico. Tendo por base estes princípios parece-nos pertinente reforçar a importância deinserir na rotina da sala parque, momentos de leitura literária, de promoção eanimação da leitura e de fomentar a aprendizagem e a compreensão leitora. Neste nível de ensino em particular não nos parece possível dissociar apromoção da animação da leitura e da leitura literária, uma vez que espontaneamenteas crianças recontam, antecipam finais de histórias, criam novas histórias aointerpretar imagens de livros contribuem com os seus significados e experiências parainterpretar e compreender o que ouvem e o que “leem”. A animação da leiturapromove e ajuda a desenvolver atividades cognitivas, a procura de sentido e acompreensão leitora antes da aprendizagem formal e convencional da leitura. 5- Prioridades Educativas Tendo em conta a avaliação diagnóstica e a caracterização sócio-económica ecultural do grupo e das respetivas famílias identificamos algumas áreas problemáticas,nomeadamente: - Pouca participação e conhecimento dos encarregados de educação do trabalhodesenvolvido na creche em que os cuidados básicos são considerados por estes, omais importante; - Investir na autorregulação e na negociação para a resolução de conflitos bemcomo na distinção do eu e dos outros e na expressão de iniciativa; - Necessidade de trabalhar as regras básicas de estar e atuar numa sala deatividades, bem como a utilização dos diferentes espaços por onde as criançaspassam no seu dia a dia escolar; - Investir no domínio da linguagem oral, mais precisamente na linguagemexpressiva, compreensiva e articulação como meio de facilitar a socialização;2 PROLE, António (2008) “Como fazer um Projecto de Promoção da Leitura”, artigo consultado a 21 denovembro de 2008; disponível em: http://casadaleitura.pt; p.1 16
  15. 15. Projeto curricular de turma 11/12 - Necessidade de lidar e trabalhar com os livros, a leitura e o material escritodesde a mais tenra idade, promovendo hábitos leitores que contagiem os diferenteselementos da família da criança; - Necessidade de investir no princípio da reciclagem recorrendo ao projeto eco-escolas e incentivando os diferentes parceiros a participar nas diversas atividades quese irão desenvolver durante o ano letivo. 5.1- Definição das prioridades educativas Considerando as áreas problemáticas definidas a nossa intervenção educativadeverá: - Promover uma relação aberta com as famílias, em que a comunicação, ainformação e inter-ajuda surjam como objetivos primordiais; - Desenvolver projetos onde a família seja solicitada a participar, nomeadamenteo Projeto a Família e a Escola: Vamos todos reciclar ou o Projeto da BibliotecaItinerante (salvaguardamos a hipótese de surgirem novos projetos no decorrer do anoletivo); - Adotar práticas pedagógicas que promovam a democracia e a autorregulação; - Desenvolver projetos de promoção e animação da leitura com diferenteshistórias que trabalhem os temas considerados pertinentes aos interesses enecessidades das crianças; 6- Organização do Ambiente Educativo 6.1- Equipa da sala A equipa da sala é constituída por uma educadora de infância, duas assistentesoperacionais a tempo inteiro e uma assistente operacional de apoio. Os horários a realizar pela mesma equipa são os seguintes:Sónia Pacheco (educadora de infância) – 9h – 13h – 14h – 17hCatarina Zacarias (assistente operacional a tempo inteiro) – 9h –13h – 14h –17h 17
  16. 16. Projeto curricular de turma 11/12Luisa Pão-Mole (assistente operacional a tempo inteiro) - 9h30m – 12h30 – 13h30 –17h30mAngelina Deus (auxiliar operacional de apoio) – horário flexível consoante asnecessidades. 6.2- Organização do espaço físico da sala de atividades A sala parque está organizada por áreas, nomeadamente: a área da casinha,das construções, a biblioteca e área da escrita, a arte e os jogos de mesa. Esta organização por áreas vai de encontro ao sugerido pelo currículo deorientação cognitiva, pedagogia que orienta a nossa prática. A área da casinha é constituída por materiais e objetos que facilitam o jogosimbólico e o brincar ao faz de conta. É um espaço onde as crianças podem reproduzirsituações do quotidiano familiar e social. Esta área situa-se perto da área das construções porque consideramos que sãoáreas que se interligam e cujos materiais podem ser utilizados em conjunto. Na área das construções existe um tapete com percursos de estrada, carros,jogos de lego duplo, e outros jogos de construções. A área da biblioteca é constituída por um livreiro, livros, revistas, jornais, sofás eum puff. Neste espaço funciona ainda a área da escrita que possui um desktop, várioscomputadores para brincar ao faz de conta, agendas e revistas onde as criançaspodem escrever e ler; marcadores e lápis de cor; e um cavalete onde as criançaspodem escrever com caneta de quadro branco e giz. É nesta área central da sala que se realiza a reunião diária para planificação dodia e atividades de grande grupo. Existe um placard que irá servir de apoio ao mapade presenças (iniciado em setembro), mapa do tempo e planificação diária a iniciar nomês de janeiro momento em que consideramos que o grupo já tem maturidadesuficiente para realizar este tipo de registos. A área dos jogos de mesa é constituída por duas mesas, cadeiras e um móvel deapoio aos jogos de encaixe, puzzles, enfiamentos, etc. O espaço e o mobiliário servemde apoio para a área da arte. 18
  17. 17. Projeto curricular de turma 11/12 A área da arte é onde se realizam as atividades plásticas (recorte, colagem,modelagem, pintura, desenho, ilustração, etc.). É uma área que acumula outrasfunções, mais precisamente: - a culinária: momento em que se efetuam as receitas; - as ciências, onde se realizam as experiências, uma vez que o número de mesas e cadeiras e o acesso mais fácil e rápido aos lavatórios, facilita estas atividades; Junto às mesas encontram-se 2 lavatórios que apoiam as atividades de mesa eservem para efetuar a higiene das crianças. Esta sala tem acesso ao exterior - a zona coberta e a zona de relva - tem ligaçãocom o 2º berçário e vários placares interiores e exteriores. Existe uma bancada para a muda de fraldas no interior da sala – móvelimprovisado - e três lavatórios, três sanitas pequenas e um poliban no corredorexterior à sala. 6.3 - Organização do Tempo Como já havia sido referido anteriormente a rotina da sala é flexível, respeitandoos diferentes ritmos das crianças e os cuidados quotidianos, de modo a proporcionarsegurança, novidade, brincadeiras, e um cuidado individualizado., como se podeverificar no quadro abaixo. 19
  18. 18. Projeto curricular de turma 11/12Quadro 1- A rotina da sala 2ª FEIRA 3ª FEIRA 4ª FEIRA 5ª FEIRA 6ª FEIRA - Acolhimento - Acolhimento - Acolhimento - Acolhimento - Acolhimento - Reunião diária: - Reunião diária: - Reunião diária: - Reunião diária: - Reunião diária: - Canção de boas vindas - Canção de boas vindas - Canção de boas vindas - Canção de boas vindas - Canção de boas vindas - Hora do conto - Hora do conto - Hora do conto - Hora do conto - Hora do conto - Conversas… - Conversas… - Conversas… - Conversas… - Conversas… - Planificação do dia - Planificação do dia - Planificação do dia - Planificação do dia - Planificação do dia Preenchimento dos mapas Preenchimento dos mapas Preenchimento dos mapas Preenchimento dos mapas Preenchimento dos mapas (a partir de janeiro) (a partir de janeiro) (a partir de janeiro) (a partir de janeiro) (a partir de janeiro) -Actividades nas áreas/ - Visita à Ludoteca do Cil -Expressão Musical -Movimento (jogos - Biblioteca Viva Temático corporais) -Arrumar -Arrumar -Arrumar AM -Arrumar - Higiene - Higiene -Arrumar - Higiene - Higiene - Recordar/ Avaliação e - Recordar/ Avaliação e - Higiene - Recordar/ Avaliação e - Recordar/ Avaliação e Comunicações Comunicações - Recordar/ Avaliação e Comunicações Comunicações - Reforço - Reforço Comunicações - Reforço - Reforço - Atividades de Exterior - Atividades de Exterior - Reforço - Atividades de Exterior - Atividades de Exterior - Atividades de Exterior - Higiene - Higiene - Higiene - Higiene - Higiene - Almoço - Almoço - Almoço - Almoço - Almoço 20
  19. 19. Projeto curricular de turma 11/12 2ª FEIRA 3ª FEIRA 4ª FEIRA 5ª FEIRA 6ª FEIRA - Higiene - Higiene - Higiene - Higiene - Higiene - Sesta - Sesta - Sesta - Sesta - Sesta - Higiene - Higiene - Higiene - Higiene - Higiene - Lanche - Lanche - Lanche - Lanche - Lanche - Higiene - Higiene - Higiene - Higiene - HigienePM - Atividades de Exterior - Atividades de Exterior - Atividades de Exterior - Atividades de Exterior - Atividades de Exterior - Saídas - Saídas - Saídas - Saídas - Saídas 21
  20. 20. Projeto curricular de turma 11/126.4 - Organização do grupo A organização do grupo visa evitar conflitos e promover a inter-ajuda, autonomiae cooperação entre os pares e adultos da sala. Nesse sentido, e no momento das refeições, o grupo está dividido por mesas cujoselementos foram colocados de modo estratégico de modo a que os mais velhosajudem os mais novos, os mais calmos com os mais agitados e os que comem melhorcom os que comem menos bem. Esta organização tem como principal objetivoequilibrar e promover sentimentos e ações de inter-ajuda e cooperação no seio dogrupo. A mesma estratégia foi adotada no momento da sesta de modo a que esteperíodo decorra tranquilamente e sem conflitos.6.5 - Organização do estabelecimento educativo O estabelecimento educativo abre às 7h15m e encerra às 19h. O pessoaldocente assegura a componente letiva das 9h às 15h30, enquanto que o pessoalassistente operacional está distribuído pelo restante horário, assegurando as entradase as saídas das crianças, bem como a manutenção e limpeza do estabelecimento. A organização do estabelecimento educativo promove a inter-ligação entre salase valências. Deste modo, e como referimos anteriormente, os acolhimentos e assaídas são efetuados por assistentes operacionais de diferentes salas e valências querecebem e entregam as crianças numa sala comum, a sala de acolhimento. Entre as 9h15 e as 10h é uma auxiliar que recebe as crianças das diferentesvalências e as entrega na sala, uma vez que os encarregados de educação nãopodem entrar nas salas de atividades para que não perturbem o trabalho pedagógicoque aí já se está a realizar. As educadoras de infância têm a componente não letiva das 15h30m às 17h. O horário de atendimento aos encarregados de educação e famílias é o seguinte: - Telefonicamente: todos os dias das 11h às 12h e das 15h30 às 17h, salvo,quando a educadora se encontrar em reunião; - Presencialmente todas as segundas quintas-feiras do mês com marcaçãoprévia; 22
  21. 21. Projeto curricular de turma 11/12 - Sempre que alguma das partes o considere necessário e sempre com caráterurgente.6.6- Trabalho com parcerias Pretendemos estabelecer parcerias com todas as entidades consideradasnecessárias e pertinentes para melhorar a qualidade da oferta que esteestabelecimento educativo pode oferecer, mais precisamente com o CAFAP, aComissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco, a Polícia de SegurançaPública, a equipa de intervenção precoce do Barreiro, a Associação NÓS, médicosespecialistas que acompanhem as famílias e as crianças, a Junta de Freguesia doLavradio, a Câmara Municipal do Barreiro, Centro de Saúde do Lavradio e outrasentidades que se considerem importantes para o desenvolvimento equilibrado eharmonioso das crianças.7 – Intenções para o ano letivo 2011/2012 No que diz respeito às opções curriculares, e como já referimos anteriormente,identificamo-nos com o currículo de orientação cognitiva e com o movimento de escolamoderna. As nossas prioridades, no que se refere ao primeiro, são mais visíveis naorganização do tempo e do espaço, enquanto que em relação ao MEM se verificam nautilização dos instrumentos de monitorização (adequados a esta faixa etária), naimplementação democrática e na promoção da autorregulação nos elementos dogrupo. A aprendizagem ativa e a construção do conhecimento pelo indivíduo sãoorientadoras da nossa prática pedagógica. Definimos como objetivos gerais e específicos o seguinte:7.1- Objetivos Gerais- “ Proporcionar o entendimento, individualizado da criança num clima de segurançaafetiva e física que contribua para o seu desenvolvimento global;- Colaborar estreitamente com a família numa partilha de cuidados eresponsabilidades em todo o processo evolutivo de cada criança; 23
  22. 22. Projeto curricular de turma 11/12- Colaborar no despiste precoce de qualquer inadaptação ou deficiênciaencaminhando adequadamente as situações detetadas;”3- Sensibilizar para a importância do livro e da leitura como fator de enriquecimentopessoal e instrumento de participação ativa na sociedade;- Fomentar e/ou consolidar hábitos de leitura;- Fomentar e/ou consolidar hábitos de reciclagem;- Estabelecer uma relação cooperante com as crianças e as suas famílias.7.2- Objetivos Específicos - Ajudar a conhecer o meio circundante; - Dar a conhecer o meio em que vive brincando ao faz de conta; - Dar oportunidade à criança de se expressar através de canções mimadas, dança, jogos de roda; - Proporcionar à criança um ambiente calmo, seguro, limpo e desafiante; - Promover a interação com o meio: Social (pares e adultos) Físico (objetos e espaço); -Promover oportunidades e experiências variadas com segurança; - Respeitar a individualidade da criança; - Criar uma rotina flexível e securizante; - Promover o conhecimento de si próprio e dos outros; - Introduzir regras sociais e de higiene; - Promover autonomia com segurança; - Solicitar a participação das famílias no dia a dia da sala;3 DR- 1ª Série nº 248 de 27-10-89 24
  23. 23. Projeto curricular de turma 11/12 - Formar cidadãos ativos; - Promover hábitos de reciclagem; - Promover o prazer pela leitura e pela escrita; - Promover uma cultura ambientalista.8 – Metodologia e estratégias Com base nestas duas pedagogias orientadoras da nossa prática definimosalgumas estratégias pedagógicas e organizativas das componentes educativa e deapoio à família que nos irão conduzir durante o presente ano letivo. Mais concretamente: - A escolha de histórias, que pertencendo ou não à lista definida no planonacional de leitura, possam responder às necessidades e interesses das crianças. - A adoção de diversos instrumentos de monitorização (mapa das presenças, dotempo e respetivas avaliações) enquadra-se numa outra estratégia para promover efomentar a democracia no seio do grupo. Esta é também uma estratégia deresponsabilização e autorregulação de todos os intervenientes no processo deaprendizagem e construção ativa do conhecimento. - A organização do espaço e do tempo tenciona promover as nossas orientaçõese opções curriculares, fazendo por isso parte da nossa lista de estratégiaspedagógicas com o fim de concretizar os objetivos definidos e as necessidadesavaliadas. - Projeto Família e Escola: Vamos reciclar. Com base neste projeto iremos solicitar às famílias que todas as semanas nostragam materiais para colocar no nosso ecoponto. Os pais serão solicitados aparticipar em workshops sobre a reciclagem de modo a reduzir a sua pegadaecológica e a desenvolver hábitos de reutilização e reciclagem. No final do ano serádistribuído um inquérito onde se solicita uma avaliação de todos os parceiros nesteprojeto (inquérito em construção e será anexado atempadamente a este documento). - Projeto da Biblioteca Itinerante: Este projeto tem como um dos principais objetivos criar hábitos de leitura entre opúblico-alvo da sala parque. Neste sentido cada criança irá escolher um livro dabiblioteca da sala que leva para casa onde será solicitado ao encarregado deeducação que leia o livro ao seu educando e registe as suas reações numa folha 25
  24. 24. Projeto curricular de turma 11/12própria (ver anexo 2). Este documento servirá de base à avaliação do dito projeto nofinal do ano letivo. Como principais intervenientes no processo educativo da sala 2 consideramos osseguintes: - O educador de infância a quem compete conceptualizar, concretizar e promoveras opções pedagógicas e curriculares definidas pela intencionalidade educativa e nodespiste e encaminhamento de situações complicadas quer ao nível dodesenvolvimento das crianças quer ao nível familiar; - As assistentes operacionais que estando presentes na sala planeiam e apoiamo educador de infância nas atividades participando com conhecimento na realizaçãodas estratégias definidas por este. Deste modo poderá existir continuidade,responsabilização e autorregulação nas atividades e atitudes por parte das mesmas. - As crianças parte essencial de todo o processo educativo cuja participaçãoativa e responsável é valorizada. Participam na planificação, concretização e avaliaçãodas atividades aprofundando as aprendizagens, construindo conhecimento epromovendo a autorregulação. - As famílias como primeiro interveniente no processo educativo, parceiroprincipal cujo papel é conhecer e apoiar as suas crianças, participando na vida da salasempre que possível. - Outros colaboradores do estabelecimento cujo papel é servirem de canal decomunicação entre as famílias e a escola sempre que os elementos da sala não opodem fazer. - A comunidade educativa na promoção de visitas de estudo e apoio logístico. - As parcerias como o CAFAP, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovensem Risco, a equipa de intervenção precoce do Barreiro, o Centro de Saúde doLavradio, a N.Ó.S., terapeutas da fala, médicos especialista e assistentes de casosespecíficos que frequentem a sala parque.9- Conteúdos e Competências Tendo em conta a avaliação diagnóstica do grupo e as prioridades educativasdefinidas parece-nos pertinente abordar os seguintes conteúdos e competências nopresente ano letivo: 9.1 -Na área de Formação Pessoal e Social: 26
  25. 25. Projeto curricular de turma 11/12 - Componente Pessoal Conteúdos Objetivos - Promover a autonomiaDesenvolver o sentido de si próprio - Saber estar e trabalhar numa sala de atividades desenvolvendo regras básicas - Componente Social Conteúdos Objetivos - Tentar resolver conflitos sem recorrer às agressões físicas As relações sociais - Promover a inter-ajuda, partilha e solidariedade - Expressar emoções - Distinguir o eu dos outros - Componente de Educação Familiar Conteúdos Objetivos - Reconhecer a família e os seus A família diferentes elementos; - Nomear os nomes dos familiares mais próximos. - Componente de Educação para a Participação Conteúdos Objetivos - Regular a participação nas diferentes- Respeito pelos outros situações comunicativas- Cooperação - Saber utilizar os brinquedos e os- Justiça materiais dos outros- Tolerância - Apresentar e emitir opiniões sobre- Respeito pela Diferença trabalhos individuais- Responsabilização - Saber escolher e saber respeitar 27
  26. 26. Projeto curricular de turma 11/12- Liderança Democrática - Cumprir as tarefas distribuídas- Proteção do ambiente - Saber estar em grupo - Saber respeitar as regras dos jogos -Desenvolver hábitos de proteção ambiental 9.2 - Nas restantes áreas de conteúdo:Exp. Plástica Exp. Dramática Exp. Motora Exp. MusicalPintura/Desenho *Organizar-se/ orientar- *Deslocar-se no espaço *Ouvir sons* Utilizar as mãos se no espaço e partir de * Reconhecer posições diferenciados(digitinta) referências visuais, *Identificar posições * Identificar sons* Utilizar os sentidos auditivas *Movimentar- (frente/ atrás; em cima * Cantar canções* Explorar diferentes se sozinho e em baixo; ao lado de; * Explorar ritmosmateriais *Movimentar-se aos dentro/fora) * Experimentar a* Manusear o pincel, o pares * Manipular: bolas, potencialidade sonoramarcador, o lápis e a *Sentir relaxamento arcos; dos objetostesoura * Reconhecer as partes * Lançar bolas * Construir instrumentos* Misturar cores do corpo * Passar / receber bolas musicaisModelagem * Explorar diferentes * Rolar *Reconhecer* Utilizar os dedos expressões faciais * Rastejar auditivamente um* Experimentar: massa * Exprimir-se por gestos *Saltar sobre instrumentode cores, barro, pasta * Reproduzir cenas do obstáculos *Identificar sons dade modelar quotidiano *Subir planos naturezaColagem * Construir máscaras e superiores * Sentir a música do* Amachucar fantoches * Equilibrar-se em corpo e com o corpo* Rasgar * Descobrir sombras superfícies reduzidas * Acompanhar canções* Recortar *Manipular, fantoches * Executar jogos com diferentes * Dramatizar histórias * Explorar ritmos instrumentos * Dançar * Cooperar em jogos * Orientar-se em segurança em espaços exterioresOral e Escrita Matemática*Observar imagens * Fazer experiências simples* Descodificar imagens * Expressar relações de causa/ efeito* Escutar * Comparar tamanhos* Relatar novidades * Seriar* Descrever ações * Classificar* Escolher atividades * Situar-se no espaço em relação aos outros 28
  27. 27. Projeto curricular de turma 11/12* Registar presenças, tempo * Fazer e desfazer construções* Reproduzir pequenos textos com diferentes *Estabelecer relações de grandeza entre objetosentoações (lenga-lengas ou rimas) * Agrupar: tamanho, forma e cor* Inventar histórias* Construir livros de histórias* Completar histórias* Interpretar imagens, sons e texto10 – Procedimentos de avaliação Com as crianças: - Aplicação da ficha diagnóstica de desenvolvimento global do grupo no inicio doano letivo; - Ficha de avaliação individual (ver anexo 3) construída com base em doisdocumentos: o manual de qualidade da valência de creche e o Portage. Esta avaliaçãoserá efetuada nos 3 períodos letivos sendo que os encarregados de educação serãoinformados das aprendizagens e/ou dificuldades dos seus educandos; - Através dos instrumentos de monitorização que permitem uma avaliaçãocooperada integrada na ação e nas aprendizagens (Niza, 1993). As crianças sãoimplicadas paritariamente na avaliação destes instrumentos, promovendo aautorregulação, o aprofundamento das relações inter-pessoais e das aprendizagens. Prevê-se a realização de reuniões trimestrais com os encarregados de educaçãopara avaliação do progresso dos alunos e definição de objetivos e estratégias de ação,e de reuniões periódicas com as diferentes parcerias que estejam a acompanhar ascrianças. . Com a equipa da sala: - Reuniões semanais (sempre que possível), contactos informais, planificaçãosemanal. Com a equipa de docentes: - Reuniões periódicas previamente agendadas com diferentes objetivos deavaliação. Com a família: - Reuniões de pais agendadas antecipadamente com uma periodicidade definidaentre 2 a 3 reuniões por ano letivo. - Reuniões pontuais e individuais, sempre que se considere necessário, podendoser solicitadas pela escola ou a família. 29
  28. 28. Projeto curricular de turma 11/12 - Reunião no final do ano letivo com cada encarregado de educação de modo a informar sobre o progresso e aprendizagens das crianças. Com a comunidade educativa: - Reuniões propostas pelas partes envolvidas no processo educativo. Processos e efeitos: - Quanto à avaliação dos processos e efeitos promovidos durante o ano letivopensamos que podem ser avaliados através de: instrumentos de monitorização erespetiva avaliação, registos individuais das observações realizadas às crianças quese concretizam na ficha de avaliação por período letivo; reuniões com a família;inquérito sobre o projeto Família e Escola: Vamos reciclar; avaliação dos registosefetuados com base no projeto Biblioteca Itinerante; e inquéritos de satisfação aosfamiliares e utentes deste estabelecimento.11- Comunicação e divulgação de resultados a. Através de reuniões agendadas com os parceiros educativos. b. Registo das aprendizagens mais significativas de cada criança, realçando o seu percurso, evolução e progressos num documento escrito que deverá acompanhar a criança no seu percurso (ficha de avaliação da criança construída por nós para o efeito).12 – PlanificaçõesQuadro 2 1º PERÍODOSETEMBRO Receção e adaptação das crianças Organização do ambiente educativo - Introdução do mapa de presençasOUTUBRO - Histórias diversas consoante as propostas no plano nacional de leitura, os interesses manifestados pelas crianças e as necessidades observadas pelo educador da salaNOVEMBRO - Histórias sobre: o outono 30
  29. 29. Projeto curricular de turma 11/12 -Os aniversários: Galeria dos artistas - Comemoração da época natalícia: - Histórias e canções de NatalDEZEMBRO - Atividades plásticas sobre o Natal - Festa de Natal e lanche de Natal - Participação no Concurso “ Árvores de Natal Ecológicas” 2º PERÍODO - Introdução do mapa do tempo - O nosso corpo contornos do corpo das diferentes crianças com identificação das suas principais características.JANEIRO - Histórias sobre: As cores; os animais e o inverno. - Atividades plásticas sobre o tema - Projeto Eco-escolas: Projeto a Família e a Escola: Vamos reciclar - Construção do Ecoponto - Projeto biblioteca itinerante - Participação na ação “Pilhão vai à Escola” Projeto a Família e a Escola: Vamos reciclar Projeto biblioteca itinerante Comemoração da época Carnavalesca: As cores doFEVEREIRO Carnaval Atividades plásticas sobre o tema Histórias sobre: os númerosMARÇO - Projeto a Família e a Escola: Vamos reciclar - Projeto biblioteca itinerante - Histórias sobre: A família e a primavera - Atividades plásticas sobre o tema - Participação na manutenção e desenvolvimento da 31
  30. 30. Projeto curricular de turma 11/12 Horta Biológica 3º PERÍODOABRIL Projeto a Família e a Escola: Vamos reciclar Projeto biblioteca itinerante Comemoração da época pascal: histórias, canções e atividades plásticas Histórias sobre: A família (continuação) - Participação na manutenção e desenvolvimento da Horta BiológicaMAIO Projeto a Família e a Escola: Vamos reciclar Projeto biblioteca itinerante Histórias sobre: Os amigos/ amizade Atividades plásticas sobre o tema - Participação na manutenção e desenvolvimento da Horta BiológicaJUNHO Projeto a Família e a Escola: Vamos reciclar Projeto biblioteca itinerante Histórias sobre: o verão - Participação na manutenção e desenvolvimento da Horta Biológica Atividades plásticas sobre o tema Encerramento do ano letivo 32
  31. 31. Projeto curricular de turma 11/1213- BibliografiaDR- 1ª Série nº 248 de 27-10-89MARTINS, M. A.; SANTOS, A. I.S. (2005). “ Avaliação das práticas de leitura e deescrita em jardim de infância”, Revista Infância e Educação. Investigação e Práticas, 7,Lisboa: GEDEI/Porto Ed., p. 59-70MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (1997). Orientações para a Educação Pré-Escolar,Lisboa: Editorial do Ministério da EducaçãoNIZA, Sérgio (1996). “O Modelo curricular de educação Pré-escolar da EscolaModerna Portuguesa”, in FORMOSINHO, Júlia Oliveira (org.), et. al. ModelosCurriculares para a Educação de Infância, Porto: Porto editora, pp. 137 – 159.POST, Jacalyn e HOHMANN, Mary (2004) Educação de bebés em infantários –Cuidados e Primeiras Aprendizagens, Lisboa: Fundação Calouste GulbenkianPROLE, António (2008) “Como fazer um Projecto de Promoção da Leitura”, artigoconsultado a 21 de novembro de 2008; disponível em: http://casadaleitura.pt; p.1SALOMÉ, Jacques (1989). Papá, Mamã, escutem-me com atenção – Paracompreender as diferentes linguagens da criança; Horizontes Pedagógicos, p. 137.BLUMA, Susan M.; et al. (s.d.) Guia de pais para a educação precoce, AssociaçãoPortage, Portugal. 33
  32. 32. Projeto curricular de turma 11/12Anexos Anexo 1- Ficha de Avaliação do Desenvolvimento Global do Grupo Anexo 2- Registos do Projeto da Biblioteca Itinerante Anexo 3- Ficha de avaliação por período Anexo 4- Inquérito sobre o projeto a Família e a Escola: Vamos reciclar (emconstrução a anexar atempadamente) Anexo 5- Inquérito de satisfação (em construção) Anexo 6- Plano de AçãoTexto convertido pelo conversor da Porto Editora, respeitando o Acordo Ortográfico de1990. 34

×