Arte romanica

9,579 views

Published on

0 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
9,579
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
35
Actions
Shares
0
Downloads
312
Comments
0
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Arte romanica

  1. 1. Arte românica Catedral de Santiago de Compostela
  2. 2. Arte românica <ul><li>O estilo românico existiu entre os séculos XI e XIII </li></ul><ul><li>Vê-se especialmente nas igrejas após a expansão do Cristianismo </li></ul><ul><li>Após a queda do Império Romano foi o primeiro estilo a apresentar características semelhantes em várias regiões </li></ul><ul><li>A arte hoje dita românica foi, por assim dizer, redescoberta, visto que por um longo tempo foi desprezada, escondida debaixo de reformas e outros estilos, ou mesmo ignorada e destruída. </li></ul>
  3. 3. História <ul><li>A Europa vive um momento de estabilidade e crescimento. </li></ul><ul><li>O comércio volta a florescer e as cidades começam a prosperar, mesmo que timidamente. </li></ul><ul><li>As peregrinações que cresceram e as Cruzadas para libertar a Terra Santa. </li></ul><ul><li>Com todas essas mudanças é plausível o nome românico , visto que a Europa se romanizou como nunca desde o início da Idade Média. </li></ul><ul><li>Esse crescimento religioso se refletiria na construção de inúmeras igrejas. </li></ul>
  4. 4. Características <ul><li>Existiam diferenças nas diversas regiões europeias mas haviam muitas características comuns: </li></ul><ul><li>As igrejas serão as maiores até então, e para que isso seja possível haverá uma evolução dos métodos construtivos e dos materiais. </li></ul><ul><li>A pedra será empregada na construção e o telhado de madeira será trocado por abóbadas de berço e de aresta. </li></ul><ul><li>As igrejas são ricamente decoradas externamente. </li></ul><ul><li>A escultura em pedra em grande escala renasce pela primeira vez desde os romanos. A escultura e a pintura serão carregadas de esquematização e simbolismo , típico de um período em que o artista aprende a representar o que sente, e não somente o que vê. </li></ul>
  5. 5. Igreja de peregrinação <ul><li>Essas igrejas seguiam a planta em forma de cruz latina, com várias nave (ala central) , geralmente 3 ou 5, em que as naves laterais se prolongavam e passavam por detrás da ábside (abóbada), formando o deambulatório (local para andar). Do deambulatório saiam as capelas radiantes, ou absidíolas. </li></ul><ul><li>Entre as igrejas desse tipo estão as de Saint-Sernin de Toulouse, Santiago de Compostela , Santa Madalena de Vézelay e Igreja de Saint-Martin de Tours. </li></ul>
  6. 6. Mosteiros <ul><li>Desse conjunto característico, a dependência a se destacar é o claustro e as arcadas sustentadas por colunas. </li></ul>Arquitectura <ul><li>Haverá grande decoração, externa e internamente, através de esculturas nos tímpanos, nas portas de entrada, nos capitéis e colunas, e pintura parietal nas ábsides e abóbadas das naves. </li></ul>
  7. 7. Catedral de Santiago de Compostela <ul><li>Construída entre os anos de 1075 e 1128 , durante a Reconquista Cristã, na época das Cruzadas, está situada no centro histórico da cidade da província da Corunha , na Galiza. </li></ul><ul><li>É um milenar centro de peregrinação cristã da Europa. </li></ul>
  8. 8. Catedral de Santiago de Compostela <ul><li>Após o descobrimento do que se consideravam os restos do apóstolo Santiago Maior , o rei Afonso II das Astúrias mandou edificar uma igreja dedicada ao culto do apóstolo. A construção iniciou-se em 1075 e em 1128 concluíram as obras do templo, deixando para trás meio século de trabalhos. </li></ul><ul><li>Durante toda a Idade Média a Catedral veio ser a representação material do poder senhorial do Arcebispo Compostelano , sendo o palco de muitos dos feitos mais importantes da história da Galiza . </li></ul>
  9. 9. Catedral de Santiago de Compostela <ul><li>A catedral de Santiago de Compostela situa-se na zona mais ocidental da cidade antiga, rodeada por quatro praças: Praça do Obradoiro , Praça da Acibecharia , Praça das Pratarias e Praça da Quintana . </li></ul><ul><li>Consta de uma planta basilical de cruz latina. Na cabeceira situa-se a capela-mor, rodeada por uma charola pela que se acede a cinco capelas radiais menores. Esta estrutura segue os exemplos franceses dos templos de peregrinação, novas formas construtivas chegadas através do Caminho de Santiago. </li></ul>
  10. 10. Exterior da catedral <ul><li>O Pórtico da Glória </li></ul><ul><li>A Fachada das Pratarias </li></ul>
  11. 11. Interior da catedral <ul><li>O Panteão Real - É o lugar dentro da Catedral onde se soterravam reis e personagens do Reino da Galiza. </li></ul><ul><li>Capela-mor - As suas abóbadas e arcos conservam vestígios de cinco etapas pictóricas. </li></ul>
  12. 12. FIM

×