Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

4 planejamento julho e agosto de 2018

571 views

Published on

Tema: Música, sons, ritmos e instrumentos musicais, em um novo olhar para educação Infantil de Manaus norteada pela BNCC: linguagem, interações, jogos, brinquedos e brincadeiras no processo de ensino e desenvolvimento de habilidades na educação integral.
Autora: Simone Helen Drumond Ischkanian
Formadora PNAIC - UFAM - CEFORT

Published in: Education
  • Be the first to comment

4 planejamento julho e agosto de 2018

  1. 1. INO FICHA DE PLANEJAMENTO DO PERÍODO DE / / A / / Creche/CMEI/Escola Municipal: Fase Pré-escola: Turno: Educadora: Eixos norteadores: Música, sons, ritmos e instrumentos musicais, em um novo olhar para educação Infantil: linguagem, interações, jogos, brinquedos e brincadeiras no processo de ensino e desenvolvimento de habilidades na educação integral. Objetivos de desenvolvimento Habilidades e Competências a serem desenvolvidas Experiências Práticas e Recursos (Ver Proposta Pedagógica) CONHECIMENTO DE SI E DO MUNDO Construir o conhecimento de si e do mundo, proporcionando experiências sensoriais envolvendo o lúdico e as diversas habilidades infantis; Desenvolver a compreensão, por meio das perspectivas expressivas e corporais para possibilitar a movimentação. Experiência 1 – Experiência corporal Experiência 7 - Vivências estéticas da família e da comunidade Experiência 10 – Atividades com sucatas Experiência 9 - Programas culturais: Excursões, aulas- passeio e exposição na Unidade de Ensino Canções em família - Proporcionar momentos entre escola e família, convidando os pais para irem passar um momento na sala de aula com seus filhos, solicitar à aqueles que tenha algum instrumento que o traga. O monta e desmonta do xilofone - Compreender que um dos instrumentos mais interessantes para crianças que estão começando a aprender música é o xilofone, porque facilita a percepção de diferentes sons. E ele tem uma vantagem adicional quando é daqueles modelos que podem ser desmontados. Quando pedimos que as crianças tirassem as notas e tornem a montar o xilofone, elas seguem dois critérios: o do som e o do tamanho de cada uma das placas e ao fazerem a seriação do menor para o maior, as crianças descobrirão que as peças menores geram sons mais agudos, enquanto os sons graves são produzidos pelas peças maiores. Este é mais um passo no sentido de trabalhar sons graves e agudos com suas crianças. É um grande avanço nessa idade a criança conseguir seriar objetos de aparência idêntica e produtores de sons diferentes. Esta seqüência de exercícios, serve para mostrar que o som pode ser grave ou agudo, forte ou fraco, rápido ou lento. E dá o primeiro passo rumo à escrita musical Explorar texturas, cores, odores, sabores e sons diferenciados, usando o corpo como instrumento de conhecimento do mundo. Experiência 1 - Experiência com cores, sabores e sons. Experiência 2 - Expressão plástica Caixa musical das notas musicais - Disponibilizar uma caixa decorada com as notas musicais colocar diversos nomes de música conhecidas das crianças, entregar a caixa a uma delas e explicar a brincadeira. Em seguida começar a parlenda: “Lá em cima do piano tem um copo de veneno quem bebeu morreu e o culpado não fui eu dó ré mi fá sol lá si dó si lá sol fá mi ré dó. Todos devem cantar a primeira parte e um de cada vez falará o nome das notas no ritmo e vai passando a caixa de mão em mão, quem ficar com a caixa na última nota, abrirá a caixa e sorteará uma música que deverá ser cantada no centro da roda, podendo os outros colegas ajudarem quando algum não se sentir a vontade para cantar sozinho. Se quiser pode acelerar o pulso para que a SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE GESTÃO EDUCACIONAL DEPARTAMENTO DE GESTÃO EDUCACIONAL DIVISÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL Av. Mário Ypiranga Monteiro, 2549 - Parque 10 CEP. 69057-002 – Manaus – Amazonas Fone:3632-2438
  2. 2. brincadeira se torne mais divertida e dinâmica. Escolher uma música de interesse dos alunos, ouvir sua gravação, e depois cantá-la alternando a voz em grave, aguda, rápida, lenta. Distribuir folhas de papel A4, canetinhas coloridas, lápis de cor e solicitar que façam a ilustração da música ouvida. Depois afixar os desenhos no mural da sala de aula, possibilitando que todos possam apreciar os trabalhos uns dos outros. Explorar experiências expressivas e corporais Experiência 1 - Exploração e conhecimento do mundo Experiência 1 – Experiência expressiva O desenho que veio do som - Promover um festival de desenhos de sons de algumas músicas. Com isso as crianças expressam graficamente o que ouvem transitando de uma linguagem para a outra. Podemos também trabalhar com cenas de filmes e desenhos animados, mostrando as mudanças que a música sofre, dependendo de os momentos serem alegres, tristes, de tensão ou relaxamento. LINGUAGENS E FORMAS DE EXPRESSÃO Favoreçam a imersão das crianças nas diferentes linguagens e o progressivo domínio por elas de vários gêneros e formas de expressão: gestual, verbal, plástica, dramática e musical. Experiência 2 - Expressão gestual e verbal Experiência 11 - Folclore, objetos e fantasias. Estatua do som e silêncio - Utilizar dois instrumentos: um representa o silencio o outro o som. Ao movimentar o instrumento do som, as crianças devem dançar ao ritmo do instrumento. Depois ao movimentar o instrumento que representa o silencio, a criança deve ficar estatua (parada). Nessas atividades, as crianças descobrem o valor do intervalo entre os sons na música; Expressão gestual e verbal; Expressão musical. O pulso é o coração da música - Criar com o corpo formas diversificadas de expressão de sentimentos, sensações e emoções, tanto nas situações do cotidiano quanto em brincadeiras, dança, teatro, música: Exemplos: andar no pulso da musica; estalar os dedos no pulso da música; bater o pé no pulso da música; bater palmas no pulso da música; andar na ponta dos pés ao pulso da musica; andar nos calcanhares ao pulso da musica; andar na parte interna dos pés ao pulso da musica; andar imitando animais no pulso da musica; batendo pauzinhos ao pulso da musica; batendo coquinhos ao pulso da musica e cruza/estala ao pulso da musica. Expressar-se através da linguagem dramática Experiência 2 - Expressão dramática Experiência 5 - Identidade da criança e do grupo. Experiência 12 - Filmagens Hora da história “Visita ao papai urso” - utilizar a caixa de contação da história “Visita ao papai urso”, levar as crianças para o pátio da escola, todos deverão sentar em círculo, a professora então iniciará a conotação da história “Visita ao papai urso”. Era uma vez, um ursinho que foi visitar seu papai urso, ele morava lá do outro lado da floresta. O ursinho começou a andar, andar... (todos deverão estar sentados e batendo as mãos nas pernas, as batidas devem ser lentas para quando o ursinho andar devagar e aceleradas para quando ele andar rápido. Repetir esse movimento toda vez que o ursinho andar).
  3. 3. Expressar-se através da linguagem plástica: desenho, pintura e construções tridimensionais. Experiência 2 - Expressão plástica Experiência 6 - Cuidados com o corpo, saúde e bem-estar. Experiência 12 – onvergências Tecnológicas Cartazes musicais - Disponibilizar na parede cartazes com as letras das canções que serão trabalhadas, ler varias vezes com eles em seguida perguntar quais os nomes de instrumentos aparecem na música, depois cantar a música com todos, após cantar algumas vezes, pedir que se levantem e ensinar-lhes a coreografia da música, daí então cantar e fazer os movimentos. Figuras de instrumentos musicais - Apresentar figuras dos instrumentos musicais, utilizando um retroprojetor ou gravuras e fazer uma pequena explanação sobre cada um deles. Utilizar os CDs da coleção novos caminhos, que tem os sons dos instrumentos para que as crianças possam reconhecer o som de cada um deles, daí então pausar o Cd ao som de cada instrumento, para que as crianças possam falar o nome daquele e que som produz. Letramento nas diversas linguagens das imagens - Formar grupos de quatro a cinco crianças e distribuir cartolinas, revistas, tesoura, cola e pincéis, para que elas recortem figuras dos instrumentos e que cada grupo faça o seu cartaz, após o termino de confecção dos cartazes levar os alunos para o pátio e pedir que fixem os seus cartazes nas paredes da escola para que toda comunidade escolar possa apreciar. Expressar-se através da linguagem musical. Experiência 2 - Expressão musical Experiência 3 - Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada O lugar certo dos graves e agudos - Promover diálogos informativos e perspectivas educacionais para que a turma colocar a lata com o som mais grave debaixo da mesa, a com o som médio sobre a mesa e a que for mais aguda em cima da cadeira. Em seguida, usando bolinhas de fita crepe, associe cada linha na lousa ao som de uma lata, colocando o som mais grave na linha de baixo, o médio na linha do meio e o agudo na linha alta. Desta forma, as crianças estarão dando o primeiro passo para entender o que é registro sonoro: a passagem do som para sua forma escrita. Use as latinhas para trabalhar outros conceitos importantes na música. Sacudindo uma delas de maneira forte ou fraca, você mostra a diferença de intensidade do som; agitando rápida ou vagarosamente, trabalha-se a noção do andamento. As crianças nesta idade costumam confundir os dois conceitos e uma pulsação rápida tende a ser compreendida como forte. Mostre as crianças como um som pode ser fraco (na intensidade) e rápido (no andamento) ou forte e lento. Festival de desenhos interpretativos - Criar movimentos, gestos, olhares, mímicas e sons com o corpo em brincadeiras, jogos e atividades artísticas como dança, teatro e música, para as crianças promoverem os gestos e movimentos corporais. Dialogar com as crianças sobre a música Escravos de Jó com a música Boi Sarapintado, após promover um festival de desenhos interpretativos.
  4. 4. NARRATIVAS E GÊNEROS TEXTUAIS, ORAIS E ESCRITOS Possibilitem às crianças experiências de narrativas, de apreciação e interação com a linguagem oral e escrita; Explorar as diversas formas de linguagem oral, escrita, visual. Experiência 3 – Falada Experiência 3 – Escrita Experiência 12 - Filmagens Hora da roda - Promover um círculo com as cadeiras e pedir as crianças para se sentarem, iniciar uma conversa e explicar o projeto para elas, falar sobre as atividades que serão desenvolvidas e a importância das mesmas, através dessa conversa buscar saber qual o tipo de música mais ouvida no cotidiano delas, através do relato das crianças e também dos conhecimentos prévios das crianças em relação a música. Conversar sobre os instrumentos musicais e perguntar as crianças quais os que elas conhecem, os que já ouviram falar ou que já viram na TV. Expressar-se nas diferentes situações que envolvam a linguagem oral e escrita. Experiência 3 - Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada Experiência 12 – Criticas Televisivas Cadeiradas, do grupo Barbatuques - Colocar na TV ou local especifico da escola o DVD com o vídeo Cadeiradas, do grupo Barbatuques, que pode ser baixado do YouTube. Quando terminar de ver o vídeo fazer discussões sobre o mesmo. Após essa discussão orientar às crianças para produzirem diferentes sons utilizando o próprio corpo. Ex: bater palmas quando ouvir sons agudos, bater os pés quando ouvirem sons graves, bater no peito quando ouvir sons de longa duração, bater os dedos na palma da mão quando ouvirem sons de curta duração. logo após deixar que eles mesmos façam a percussão corporal criando seus próprios movimentos. Ampliar vocabulário. Experiência 3 - Mediações críticas Escutar o som do próprio corpo e do corpo dos companheiros - Colocar a mão no peito “escutando” o coração, a respiração. Alternar momentos de repouso e de atividade física intensa. A professora poderá levar um estetoscópio. Escutar também a respiração, o espirro, a tosse, o bocejo, as batidas das mãos, de estalos; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo. Coordenação de pés, mãos e boca - Promover o acompanhamento ou representação de uma música conhecida com sons produzidos pelos pés, mãos, boca (incluindo ou não o canto); Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo. Perceber a função social da matemática. Desafiar a construção de noções de tamanho, cores, formas, espessura e quantidade Experiência 4 - Medir e quantificar Movimentos de 1 a 10 - Criar com o corpo formas diversificadas de expressão de sentimentos, sensações e emoções, tanto nas situações do cotidiano quanto em brincadeiras, dança, teatro, música. Contar de 1 até 10 - Bater palmas no 1 e bater o pé no ultimo A cada recontagem suprima o ultimo numeral. (1 ao 10) (1 ao 9) (1 ao 8), etc. Expressar medidas (peso, altura, etc.), construindo gráficos básicos. Linhas retas, curva, sinuosas, abertas e fechadas - Promover atividades de noções de tempo e espaço. Esticar cordas no chão representando linhas retas, curvas, sinuosas, abertas e fechadas. A criança deve cantar uma música enquanto caminha por ela. O objetivo é fazer com que a música "caiba" no tempo em que ela caminha pela linha. Trabalha-se, assim, o equilíbrio, a percepção auditiva e o ritmo.
  5. 5. BRINCADEIRAS INDIVIDUAIS E COLETIVAS Ampliem a confiança e a participação das crianças nas atividades individuais e coletivas; Identificar e compreender a sua pertinência nos diversos grupos sociais dos quais participa. Experiência 5 - Identidade da criança e do grupo. Experiência 7 - Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo Jogo de interpretação Musical - Representar uma música com movimentos corporais, com ou sem auxílio de objetos; Tempo; Expressão gestual. Jogo de palavras - Organizar as crianças, de modo que a primeira criança possa falar uma palavra. A seguinte deve falar outra com a silaba final da palavra precedente. Podem ser eleitos temas para cada rodada, aumentando o grau de dificuldade (frutas, flores, nomes de pessoas). Pode-se também compor palavras: pé-de-cachimbo; cachimbo de barro; barro-branco; branco da neve; neve gelada, etc. BRINCADEIRAS LIVRES: CUIDADO PESSOAL, AUTO- ORGANIZAÇÃO, SAÚDE E BEM-ESTAR Possibilitem situações de aprendizagem mediadas para a elaboração da autonomia das crianças nas ações de cuidado pessoal, auto-organização, saúde e bem-estar; Experiência 2 - Expressão musical Experiência 6 - Cuidados com o corpo, saúde e bem-estar. Experiência 7 - Vivências estéticas da família e da comunidade Brincadeiras de rodas musicais - Estabelecer relações de comparação entre os instrumentos musicais, observando suas propriedades; Observar e descrever mudanças em diferentes materiais, resultantes de ações sobre eles, em experimentos envolvendo fenômenos naturais e artificiais; Identificar e selecionar fontes de informações, para responder a questões sobre a natureza, seus fenômenos, sua preservação; Registrar observações, manipulações e medidas, usando múltiplas linguagens (desenho,registro por números ou escrita espontânea), em diferentes suportes; Classificar objetos e figuras, de acordo com suas semelhanças e diferenças; Resolver situações problema, formulando questões, levantando hipóteses, organizando dados, testando possibilidades de solução; Relatar fatos importantes sobre seu nascimento e desenvolvimento, a história dos seus familiares e da sua comunidade; Relacionar números às suas respectivas quantidades e identificar o antes, o depois e o entre em uma sequência; Formar uma grande roda no pátio da escola (que poderá ser feita com os pais de todas as crianças da escola), e conversar com as crianças sobre a presença deles na escola naquele dia, fazendo questionamentos à cerca dos instrumentos que eles trouxeram, em seguida fazer a organização para que cada pai possa tocar seu instrumento.Pedir aos pais que ajudem as crianças no manuseio dos instrumentos explicando a eles sobre cada um. Após o término da exploração, dar inicio a uma apresentação musical de voz e violão com um cantor da comunidade ou região, que pode ser um pai, buscando a participação de todos para cantar. Adotar hábitos de auto cuidado, demonstrando atitudes relacionadas com higiene, alimentação, conforto e segurança Expressar vontades, desejos com autonomia Experiência 6 – Oportunidade de auto-organização Experiência 12 – Criticas Televisivas Dominó sonoro - Organizar as crianças em roda, a primeira pessoa emite uma seqüência sonora de dois sons, preferencialmente diferentes. A pessoa seguinte deverá imitar o segundo som e criar uma nova seqüência e assim sucessivamente. Jogo de identificação - Promover a produção de sons com objetos variados: o professor produz um som e as crianças devem adivinhar o objeto. À medida
  6. 6. que a capacidade auditiva for sendo desenvolvida, o grau de dificuldade do som produzido, poder ser aumentado, inserindo-se dois ou três objetos simultaneamente. Possibilitem vivências éticas e estéticas com outras crianças e grupos culturais, que alarguem seus padrões de referência e de identidades no diálogo e conhecimento da diversidade. Experiência 7 - Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo Experiência 12 – Convergências Tecnológicas Regência de sons - Organizar as crianças em grupos de 2, 3, 4, 5. Cada um deles inventa um som. Esses sons são memorizados pela classe. Escolhe-se uma ou outra criança para ser o regente que apontará para a criança e a classe reproduzirá o som. Sons da boca - : Demonstrar controle e adequação do uso de seu corpo em momentos de cuidado, brincadeiras e jogos, escuta e reconto de histórias, atividades artísticas, entre outras possibilidades. a) exploração livre das possibilidades de produção sonora com a boca; b) cada criança inventa um som e os demais reproduzem; c) construção de frases sonoras com sons inventados pelo grupo Desenvolver o senso estético. Experiência 7 - Vivências estéticas da família e da comunidade Cantos de acolhida - Demonstrar controle e adequação do uso de seu corpo em momentos de cuidado, brincadeiras e jogos, escuta e reconto de histórias, atividades artísticas, entre outras possibilidades. a) Olá ____________, bom dia ____________, Que bom que você veio / Gosto muito de você! b) Olá como vai? Olá como vai? Eu vou bem. Eu vou bem. E você vai bem também. Legal, legal, legal, legal, legal, legal, legal c) Bom dia como vai você? Meu amigo como é bom te ver. Palma, palma, mão com a mão. Agora um abraço de coração BRINCADEIRAS: MUNDO FÍSICO E SOCIAL, O TEMPO E A NATUREZA - Incentivem a curiosidade, a exploração, o encantamento, o questionamento, a indagação e o conhecimento das crianças em relação ao mundo físico e social, ao tempo e à natureza; Experiência 8 - Mundo físico e social Experiência 8 - Natureza Investigação das vozes de animais - Demonstrar controle e adequação do uso de seu corpo em momentos de cuidado, brincadeiras e jogos, escuta e reconto de histórias, atividades artísticas, entre outras possibilidades. a) explorar livremente as possibilidades de sons imitando os animais; b) cantar uma melodia com voz de animal; c) cantar a mesma melodia com voz de dois animais ao mesmo tempo Incentivar a curiosidade em relação ao mundo natural. Experiência 8 - Natureza Sons da natureza - Organizar as crianças de olhos fechados, sentados em círculo, imaginar e reproduzir o som daquilo que vai sendo descrito. (água caindo, vendo balançando as arvores). Perceber a passagem do tempo. Experiência 8 - Tempo Quem está cantando? - Possibilitar que uma criança seja vendada. As demais crianças andam livremente pela sala. Ao sinal da professora param e olham para ela. A professora aponta uma criança que deverá cantar uma musica. A criança vendada deverá adivinhar quem está cantando.
  7. 7. BRINCADEIRAS COM MÚSICA, ARTES PLÁSTICAS E GRÁFICAS, CINEMA, FOTOGRAFIA, DANÇA, TEATRO, POESIA E LITERATURA Promovam o relacionamento e a interação das crianças com diversificadas manifestações de música, artes plásticas e gráficas, cinema, fotografia, dança, teatro, poesia e literatura. Experiência 9 - Programas culturais: Excursões, aulas- passeio e exposição na Unidade de Ensino Trocando os desenhos - Utilizar uma música calma e disponibilizar para cada criança uma folha de sulfite e alguns lápis de cor iniciam um desenho. Ao sinal da professora, passam o desenho para o companheiro da direita. Após algumas rodadas a professora encerra a atividade. Os desenhos são expostos para observação de todos. Essa atividade pode ser refeita sempre trocando os estilos de musica: erudita, samba, clássica. Um de nós foi-se embora - Possibilitar que uma criança de olhos vendados possa desvendar o mistério. A professora aponta uma criança que sai da sala. Todos cantam a quadrinha abaixo e a criança que estava vendada deverá descobrir quem saiu. Um de nós foi embora. Quem será, quem será? Será aplaudido se o nome acertar. BRINCADEIRAS, BIODIVERSIDADE, SUSTENTABILIDADE E RECURSOS NATURAIS - Promovam a interação, o cuidado, a preservação e o conhecimento da biodiversidade e da sustentabilidade da vida na Terra, assim como o não desperdício dos recursos naturais. Experiência 10 - Atividades com sucata Oficina de construção de instrumentos musicais - Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Promover uma oficina para construção de instrumentos musicais com materiais recicláveis Respeitar o meio ambiente. Construir objetos com materiais reutilizáveis. Experiência 10 - Brincadeiras com água Afunda e não afunda com objetos musicais - Promover um circulo com as crianças, cada um com um objeto musicais na mão (copo de plástico, latinha, pauzinho, etc). Cantar uma música e passar o copo no pulso da música, ao final da musica a criança deve colocar o instrumento musical dentro de um balde com água, mas antes deve perguntar as demais crianças se o objeto vai afundar ou não na água. Construir objetos com materiais reutilizáveis. Experiência 10 - Explorações em espaços naturais e modificados Experiência 12 – Sala multimeios Experiência 12 - Filmagens Passando muitas bolas - Organizar as crianças sentadas no chão em círculo. Ao som de uma música vão passando uma bola. Periodicamente a professora introduz mais uma bola até que fiquem muitas bolas na brincadeira. Assim como introduziu, vai tirando uma a uma até que só reste uma. Caixa surpresa - Disponibilizar em uma caixinha uma figura ou um bichinho de plástico. Iniciam cantando uma música ou recitando uma parlenda. Quando terminar, a criança que está com a caixinha abre e dá uma característica do animal. Continuam assim até que descubram qual o animal. BRINCADEIRAS E MANIFESTAÇÕES DE TRADIÇÕES CULTURAIS BRASILEIRAS Propiciem a interação e o conhecimento pelas crianças das manifestações e tradições culturais brasileiras. Experiência 11 - Folclore, objetos e fantasias. Experiência 12 – Convergências Tecnológicas Quente/frio cantado - Demonstrar valorização das características de seu corpo, nas diversas atividades das quais participa e em momentos de cuidado de si e do outro. Incentivar a participação na brincadeira. Uma criança sai enquanto outra esconde um objeto. Ao retornar, a criança que estava fora da sala deverá encontrar o objeto. As demais crianças ajudam cantando alto ou baixo de acordo com a proximidade dela do objeto a ser encontrado. Calar e Cantar - Proporcionar as crianças, brincadeiras de marcar o pulso musical. Com pauzinhos, marcar o pulso da música. Cantando e marcando. Quando a professora toca o tambor, param de cantar e continuam marcando
  8. 8. o pulso com o pauzinho. Ao novo sinal do tambor continuam cantando. Pode- se trocar os pauzinhos por estalos, palmas, coquinhos. Repetição rítmica – com cocos, sucatinhas ou pauzinhos - Promover atividades corporais de reprodução de sons. A professora produz um som e as crianças repetem. Altura e som - Estimular as crianças a esticar uma corda no chão. Ao som agudo ficam de um lado da corda. Ao som grave do outro lado, previamente combinado. Use flauta ou outro instrumento musical de sucatas. Podemos substituir a corda por bambolê ou adaptar a brincadeira de morto/vivo. Festival de canções - Disponibilizar as crianças em dois grupos: um cantará Boi da cara preta, Pirulito que bate bate ou outra da lista de canções Inverter as canções, misturando ritmos. Trabalhando o respeito, a concentração. Caixa musical de brincadeira - Disponibilizar as crianças sentadas em círculo e utilizando a Caixa Musical, propor a brincadeira “Nome das Notas Musicais”, que é uma adaptação da brincadeira “batata quente”. Atividades Permanentes Exemplo: Roda de história / Roda de Conversa / Música / Cuidados com o Corpo / Outras. Acolhida na sala; roda de conversa; roda de história; musicas e movimentos; calendário; tempo; quantos somos hoje? Ajudante do dia; escovação. Atividades Diversificadas Exemplo: Oficinas de desenho / Pintura / Modelagem / Construções / Ateliês / Outros. Pintura dirigida e livre; modelando com massinha; desenhos livres e dirigidos; blocos de encaixe; TV/DVD; micro system; circuito motor; jogos e brincadeiras; atividades livres e no parque. PROGRAMAS TRIMESTRES DE 2018 PESC Viajando na Leitura Mundo das Descobertas 2º trimestre 18/05 a 30/08 Jogos interativos de encaixe: formas geométricas; higiene e alimentos. Jogos de mesa: quebra cabeça. PESC – Cuidados com os animais PESC – Vida Marinha PESC – Flores e plantas PESC – A casa dos bichos PESC – Partes do Corpo PESC – Formas e cores PESC – Os sons  Jogos Brinquedos e brincadeiras Dramatização Canções Historias cantadas, contadas e dramatizadas Espaços Pedagógicos do Ambiente Escolar PROJETOS DA UNIDADE DE ENSINO Música, sons, ritmos e instrumentos musicais, em um novo olhar para educação Infantil: linguagem, interações, jogos, brinquedos e brincadeiras no processo de ensino e desenvolvimento de habilidades na educação integral. AÇÕES MACRO JULHO AÇÕES MACRO AGOSTO AVALIAÇÃO - Participa de situações de interação com autonomia, para utilizar a linguagem matemática de números e quantidades na comunicação das ideias cotidianas;  Demonstra autonomia relacionada aos cuidados com o meio ambiente e usar o próprio corpo ao participar de experiências sensoriais; Professor(a): Pedagogo(a): Gestor(a):
  9. 9. CAIXA DE HISTORIA - VISITA AO PAPAI URSO Campo de Experiência: Oralidade e Escrita Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Levantar hipóteses sobre gêneros textuais veiculados em portadores conhecidos, recorrendo a estratégias de observação gráfica e de leitura. Hora da história utilizado a caixa de contação da história “Visita ao papai urso”, levar as crianças para o pátio da escola, todos deverão sentar em círculo, a professora então iniciará a conotação da história “Visita ao papai urso”. Era uma vez, um ursinho que foi visitar seu papai urso, ele morava lá do outro lado da floresta. O ursinho começou a andar, andar... (todos deverão estar sentados e batendo as mãos nas pernas, as batidas devem ser lentas para quando o ursinho andar devagar e aceleradas para quando ele andar rápido. Repetir esse movimento toda vez que o ursinho andar). Andando na floresta o ursinho encontrou um rio ( fazer barulho da água), e o que ele fez? – Ele nadou, nadou, quando de repente olhou para o lado e viu um jacaré, assustado ele começou a nadar rápido , rápido, cada vez mais rápido( gesticular o nado), até chegou do outro lado todo molhado e começou a se sacudir até enxugar. E o ursinho continuou andando, andando, andando, até que chegou a um milharal, começou a atravessar ( esfregar as mãos umas nas outras fazendo barulho), atravessou e então começou a se coçar todo, coçou, coçou até passou ( coçar todo o corpo). O ursinho continuou andando, andando, andando pela floresta, aí ele viu uma ponte enorme que teria que atravessar, o ursinho ficou com medo, mas de repente ele ouviu o barulho de uma onçaaa, ele atravessou a ponte correndo. - vamos correr? Corre, corre, corre... (bater no peito com o punho cerrado para fazer o barulho dos passos na ponte). Do outro lado da ponte ele avistou uma árvore, e subiu (gesticular com as mãos como se estivesse subindo na árvore). Olhou para ver se a onça tinha ido embora (fazer gestos de olhar para baixo). Já foi? Jáaa, então desceu (movimentos). Como já estava cansando foi andando bem devagar, de repente ele avistou uma enorme montanha e ficou pensando no que fazer para chegar do outro lado, teve a ideia de voar, voou... voou... voou..., só que apareceu um enorme gavião e ele voou cada vez mais rápido, ( movimentos de voo), chegou do outro lado e começou a descer. Ele continuou andando ansioso para chegar do outro lado, olhou para ver se já avistava a casa do papai urso. Quando avistou a casa do papai começou a correr, correu, correu,correu até chegou. Chegando na casa bateu na porta Toc, Toc,(bater na cadeira ou mesa), o papai urso abriu a porta( fazer barulho da porta abrindo), e o ursinho deu lhe um grande abraço e então eles fecharam a porta (novamente baruho da porta), e nós? ficamos do lado de fora. Até a volta do ursinho para a casa da mamãe.
  10. 10. SUGESTÃO DE CANÇÕES PARA INTERPRETAR COM A CAIXA MUSICAL E DEMAIS ATIVIDADES DO PROJETO, ENVOLVENDO AS LINGUAGENS: GESTUAL, VISUAL, ORAL E ESCRITA. # A Arca de Noé - Toquinho e Vinícius de Morais: vols. 1 e 2 # A caixa de musica da Bia - Bia Bedran # Abra a roda Tin dô lê lê # Acalantos - Bia Bedran # Acalantos do mundo – Mother’s Songs # Adivinha o que É? - MPB-4 # Alegria, alegria # Brincadeiras de roda – Palavra Cantada # Bia canta e conta - Bia Bedran # Bia canta e conta 2 - Bia Bedran # Brinquedos Cantados - Bia Bedran # Canção dos direitos das crianças Toquinho e Elifas Andreata # Canções curiosas – Palavra Cantada # Canções de Brincar - Coleção Palavra Cantada # Canções de Ninar – Palavra Cantada # Canções do Brasil – Palavra Cantada # Casa de Brinquedos - Toquinho # Castelo Rá-Tim-Bum - Vários autores # Cirandas e Cirandinhas - Heitor Villa-Lobos # Coletânea de músicas infantis - Bia Bedran # Coletânea Palavra Cantada # Concerto para uma só voz – Saint-Preux # Divertimentos de corpo e voz. Thelma Chan e Thelmo Cruz # Dois a dois - Palavra Cantada # Dona árvore e Fazer um bem - Bia Bedran # For Children - Bela Bartok vols. 1 e 2 # IHU. Todos os Sons - Marlui Miranda # Ma Mère L’oye - Maurice Ravel; # Madeira que Cupim Não Rói - Antônio Nóbrega # Mais alegria, alegria # Meu neném – Palavra Cantada # Meu Pé, Meu Querido Pé - Hélio Ziskind # Mil pássaros – Palavra Cantada # Murucututu - Palavra Cantada # Noite feliz – Palavra Cantada # O Grande Circo Místico - Edu Lobo e Chico Buarque # O melhor de Bia Bedran - Bia Bedran # Pandalelê – Palavra Cantada # Partimpim – Adriana Calcanhoto # Pé com pé – Palavra Cantada # Pedro e o Lobo — Prokofief; # Pirralhada – Thelma Chan # Quem canta seus males espanta Volumes 1 e 2 # Rumo – Palavra Cantada # Suíte Quebra-Nozes e The Children’s Album — Tchaikovsky; # Úman - Bia Bedran #Vila Lobos para crianças # Zimbo Trio e as Crianças - Movie Play do Brasil.
  11. 11. ATIVIDADE – OFICINA DE CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS Campo de Experiência: O eu, o outro e nós Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Promover uma oficina para construção de instrumentos musicais com materiais recicláveis; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo; Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada. Construção de instrumentos musicais envolvendo as linguagens: gestual, visual, oral e escrita. Quando a criança faz um instrumento, está trabalhando com a essência do som. Qualquer instrumento de corda vai seguir o princípio de uma corda esticada sobre um corpo que amplifica o som. Mas para evitar o problema da afinação do instrumento, o melhor é produzir instrumentos de percussão. Para isso, trabalhe com sucatas. Chocalho de pote de iogurte Campo de Experiência: O eu, o outro e nós Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Material: 1 garrafinha de iogurte vazia; Um pedaço de madeira que encaixe na boca da garrafinha (ou um rolo feito de folhas de jornal retorcido e encapado com fita crepe); Fita crepe; Tintas coloridas; Grãos. Lave e seque muito bem a garrafinha. Prepare o cabo. Se for de madeira, lixe muito bem evitando deixar ferpas expostas. Se for de jornal, enrole-o de forma a ficar bem firme. Encape com fita crepe. Coloque alguns grãos ou contas dentro da garrafinha, Encaixe o cabo vedando com fita crepe e pinte com a tinta plástica; Atividade com sucatas; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo; Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada. Chocalho de pote de iogurte Campo de Experiência: O eu, o outro e nós Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Material: 2 garrafinhas de iogurte, durex colorido, tinta plástica, grãos ou contas. Lave e seque muito bem as garrafinhas. Coloque alguns grãos ou contas em seu interior. Uma as duas garrafas pela boca vedando com durex. Pinte na cor desejada enfeitando com durex coloridos; Atividade com sucatas; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo; Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada.
  12. 12. Lata cantante Campo de Experiência: O eu, o outro e nós Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Material: 1 lata (varsol); 2 toquinhos de madeira não muito grossos; 2 parafusos; tirinhas de metal (recolhidos em construção); tinta. Lave bem a lata de varsol. Pinte-a de acordo com seu gosto. As tirinhas de metal devem ser colocadas entre os toquinhos de madeira e aparafusadas na lata, de acordo com a foto ao lado. Quando se bate nessas tirinhas, o contato delas na lata produzirá som; Atividade com sucatas; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo; Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada. Monocórdio Campo de Experiência: O eu, o outro e nós Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Material: 1 pote de margarina, ou de leite, ou outro que achar conveniente; 1 ripinha de madeira, um pedacinho de madeira; fio de nylon, prego e martelo; tinta. Com o prego faça dois furos nas duas extremidades da ripinha de madeira. Passe o fio de nylon por esses furos amarrando-o de forma a ficar bem esticado. Se for utilizar um pote com tampa, cole de forma que não destampe. Faça um orifício no meio do pote e prenda a ripinha para que fique parecendo um violão; Atividade com sucatas; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo; Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada. Pandeiro Campo de Experiência: O eu, o outro e nós Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Material: 1 aro de madeira ou papelão duro (pote de sorvete grande). 6 tampinhas de garrafa de metal; martelo, pregos e arane. Lixe e pinte o aro de madeira. Bata as tampinhas com o martelo, fure no meio e amarre 2 a 2, com arame. Divida o aro em 3/3 e proceda o recorde onde será encaixado as duplas de tampinhas; Atividade com sucatas; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo; Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada.
  13. 13. Chocalho de tampinhas de metal em suporte de madeira Campo de Experiência: O eu, o outro e nós Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Material: algumas tampinhas de metal (cerveja, gatorede). Um suporte de madeira como o da foto ao lado; tinta; pregos e arame. Abra as tampinhas com o martelo furando-as no centro. Passe um fio de arame por cada uma delas amarrando no suporte de madeira que já deverá estar lixado e pintado à gosto; Atividade com sucatas; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo; Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada. Reco-reco com garrafa de água Campo de Experiência: O eu, o outro e nós Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Material: 1 garrafa de água que tenha ondulações; barbante; 1 ripinha de madeira ou metal. Decore a garrafa á gosto. Amarre uma ponta do barbante na boca da garrafa e a outra ponta na ripinha de madeira; Atividade com sucatas; Expressão gestual; Surdo Campo de Experiência: O eu, o outro e nós Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Material: 1 pote de sorvete de papelão ou um balde plástico; retalho de tecido grosso; barbante ou sisal grosso; retalhos de tecidos, ripinha de madeira ou metal. Lave e seque muito bem o pote de sorvete. Decore o pote como achar melhor usando tinta. Canetas, colegam de papel, etc. Cubra a boca do pote com o tecido grosso amarrando-o com o barbante. Faça uma trouxinha de tecido amarrando-a na ponta da ripinha que servirá de batedor; Atividade com sucatas; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo; Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada. Guitarra de caixa de papelão Campo de Experiência: O eu, o outro e nós
  14. 14. Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Material: 1 caixa de papelão (pode ser de leite); 1 lápis ou uma ripinha de madeira; 3 elásticos de segurar dinheiro (ou fio de nylon); 1 rolo de papelão (toalha de cozinha) ou uma ripinha de madeira. Faça um recorte oval no meio da caixa. Decore-a como achar conveniente. Passe os elásticos de forma que fiquem bem esticados. Cole o rolo de papelão formando assim o braço da guitarra. Coloque o lápis ou a ripinha conforme mostra o desenho ao lado; Atividade com sucatas; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo; Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada. Maracas Campo de Experiência: O eu, o outro e nós Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Material: 1 circulo de papelão grosso; tampinhas de garrafa (metal); tintas coloridas; fitas de cetim. Decore a gosto o circulo de papelão. Dobre o círculo ao meio e cole 2 tampinhas de garrafa de cada lado de modo que batam uma na outra. Cole fitas de cetim coloridas. Segurando como um sanduíche, na parte reta do semi circulo, bata uma tampinha na outra; Atividade com sucatas; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo; Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada. Pau de chuva Campo de Experiência: O eu, o outro e nós Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Material: 2 círculos de papelão; 1 rolo de papelão (toalha de papel); papéis coloridos. Alfinetes ou preguinhos, grãos e cola. Enfie os pregos ou alfinetes por todo o tubo. Com um dos círculos, vede um dos lados do tubo de papelão. Coloque os grãos ou contas no interior do tubo. Vede a outra boca do tuvo e decore com tinta ou colagem de papel. Quando viramos de um lado e do outro, o tubo produz barulho de chuva; Atividade com sucatas; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo; Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada.
  15. 15. Chocalho indígena Campo de Experiência: O eu, o outro e nós Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Material: 1 forquilha de madeira, barbante colorido; contas ou sementes que produzam som quando em contato uma com as outras, barbante resistente; cola; penas. Encape a forquilha com o barbante colorido, usando as penas para enfeitar. Fure as contas e passe o barbante resistente por elas amarrando na forquilha. Está pronto o chocalho indígena; Atividade com sucatas; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo; Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada. Violinha Campo de Experiência: O eu, o outro e nós Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Material: papelão, fios de nylon, tinta e pregos. Risque o contorno da violinha e recorde duas vezes. Numa delas faça um buraco no meio. Monte a viola contornando com uma tira de papelão de mais ou menos 3 dedos de largura. Recorte e cole o braço da viola. Pinte ou decore como achar melhor. Recorte um retângulo de papelão e se for muito fino cole um sobre o outro até que fique com a espessura de mais ou menos 1 cm. Faça 6 furos nesse retângulo. Faça também 6 furos no braço. Passe o fio de nylom pelos furos do retângulo e cole-o na viola. Passe as pontas soltas dos fios nos furos do braço amarrando bem; Atividade com sucatas; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo; Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada. Chocalho de pé Campo de Experiência: O eu, o outro e nós Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento: Compreender a necessidade das regras no convívio social, nas brincadeiras e nos jogos com outras crianças. Manifestar oposição a qualquer forma de discriminação. Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. Material: 4 embalagens de filme fotográfico, arroz ou outro grão, cola de contato (super bond) durex colorido (opcional). Coloque os grãos dentro dos potes e feche-os. Cole um pote no outro, pelo fundo, dois a dois. Decore com durex colorido e amarre os potes nos pés das crianças que farão barulho quando dançarem; Atividade com sucatas; Expressão gestual; Vivências éticas de respeito ao individual e coletivo; Combinação de Linguagens Visual / escrita / falada.
  16. 16. LITERATURA INFANTIL A literatura infantil faz a ponte entre a imaginação infantil e o mundo das palavras (letramento e linguagens). Ela une aquilo que há de mais puro no mundo infantil, com o mundo real. Ela possibilita a transformação do imaginário em palavras, letras, sons, gestos, movimentos – em vida. (Simone Helen Drumond Ischkanian). 1.Reinações de Narizinho – Monteiro Lobato Reinações de Narizinho’ reúne histórias escritas por Monteiro Lobato em 1920. O livro narra as aventuras que acontecem no Sítio do Picapau Amarelo e apresenta Emília, Tia Nastácia, Dona Benta e sua neta Lúcia. Lúcia, mais conhecida como Narizinho, é quem deve transportar o leitor a viagens pelo mundo da fantasia.
  17. 17. 2.A bolsa amarela – Lygia Bojunga O livro conta a história de Raquel, uma menina que tem 3 grandes vontades: crescer, ser menino e escrever. Sem saber o que fazer com essas vontades que não param de crescer e sem encontrar eco na família, atolada demais para dar atenção às vontades da única criança da casa, Raquel as enfia numa bolsa amarela velha que ganha de uma tia. Mas as vontades não param de crescer, e a bolsa vai ficando sem espaço para aquelas coisas enormes que moram dentro dela.
  18. 18. 3. Chapeuzinho Amarelo – Chico Buarque Chapeuzinho Amarelo conta a história de uma menina com medo do medo — uma menina amarela de medo — que transforma a fantasia dos contos em sua própria realidade, chegando ao ponto de não brincar, não se divertir, não comer, nem mesmo dormir. Enfrentando o desconhecido ―O Lobo‖, ela supera medos, inseguranças e descobre a alegria de viver. Com sensibilidade, Chico Buarque constrói um texto no qual aparece com transparência o valor mágico que o autor atribui à palavra e não só trata com maestria nossos medos, como também, ensina as crianças a superar suas fobias. 4. A Operação do Tio Onofre – Tatiana Belinky A mania de Talita de dar nomes que rimassem com todos os objetos da casa foi o que ajudou a família toda a sair de uma grande encrenca. 5. Bisa Bia Bisa Bel – Ana Maria Machado Bisa Bia, Bisa Bel é um livro infanto-juvenil da autora Ana Maria Machado, que conta a história da relação de uma menina chamada Isabel com sua bisavó Bia que conheceu em um retrato de quando ela era pequena.
  19. 19. 6.A Arca de Noé – Vinícius de Moraes Mais conhecidos pelo disco feito para crianças, os poemas da A Arca de Noé foram escritos por Vinicius muitos anos antes de sua primeira edição. Eram feitos para seus filhos Suzana e Pedro de Moraes. Por muitos anos, eles ficaram guardados. Só em 1970, o conjunto de poemas infantis ganha o mundo. Seu lançamento ocorre na Itália, país onde a presença do poeta era constante, seja através de diversas visitas e temporadas ou de traduções de sua obra. A Arca de Noé tornou-se um dos livros mais populares de Vinicius de Moraes por ter criado um laço com as crianças. Todas as gerações têm nos seus poemas uma porta de entrada no mundo da literatura e da música popular brasileira. 7.Lúcia Já-Vou-Indo –Maria Heloísa Penteado Convidada para uma festa, a lesma Lúcia poderia não chegar a tempo. Pudera, com toda a sua lerdeza! 8.O Gênio do Crime- João Carlos Marinho Seu Tomé é um homem bom, proprietário de uma fábrica de figurinhas de futebol. Existem as fáceis e as difíceis, fabricadas em menor quantidade. Quem enche o álbum ganha prêmios realmente bons. Mas surge uma fábrica clandestina que fabrica as figurinhas difíceis e as vende livremente. O número de álbuns cheios aumenta e seu Tomé não tem mais capacidade de dar todos os prêmios. Há uma revolta, as crianças querem quebrar a fábrica. Edmundo, Pituca e Bolachão, e mais adiante, Berenice, entram em cena para descobrir a fábrica clandestina. Acontece que não se trata de simples bandidos, a quadrilha é chefiada por um gênio do crime, e os meninos terão de botar a cabeça para funcionar se quiserem resolver a situação.
  20. 20. 9.Xisto no Espaço- Lúcia Machado de Almeida Para impedir que Rutus destrua o Universo, Xisto tem de empreender uma longa e perigosa viagem interestelar e enfrentar alienígenas. 10.Marcelo, Marmelo, Martelo- Ruth Rocha Os personagens dos três contos deste livro são crianças que vivem no espaço urbano. Elas resolvem seus impasses com muita esperteza e vivacidade – Marcelo cria palavras novas;
  21. 21. 11.A Bruxinha Atrapalhada-Eva Furnari Este livro apresenta uma das personagens mais cativantes da literatura infantil, a Bruxinha. Com uma linguagem própria – sem a utilização de palavras, só imagens – a autora cria uma bruxinha realmente atrapalhada, que pode realizar seus desejos com a ajuda de uma varinha mágica, sofrendo as mais inusitadas e engraçadas conseqüências. Dez historinhas formam o livro. Em algumas a bruxinha alcança um final feliz, em outras, não é tão feliz em suas mágicas. As imagens permitem ao leitor criar seus próprios diálogos, imaginando a história à sua maneira. Uma excelente pedida para crianças em estágio de alfabetização. Esta obra recebeu diversos prêmios e participa de programas de bibliotecas públicas em vários países. 12.Uni Duni Tê – Angela Lago Divertida trama policial elaborada com fragmentos de diferentes textos populares – parlendas, cantigas de roda ou jogos infantis – e que se organiza em torno do mistério de roubos em geladeiras. 13.O Fantástico Mistério da Feiurinha – Pedro Bandeira Um pouco mais velha, e esperando o sétimo filho, Branca de Neve, agora Branca Encantado, convocou suas amigas para que descobrissem o paradeiro de Feiurinha, que havia desaparecido com seu príncipe, seu castelo e seu reino sem deixar pistas. Logo, a reunião estava completa. Chegaram Chapeuzinho Vermelho, Cinderela Encantado, Bela Adormecida Encantado, Rapunzel Encantado e Rosa Encantado Della Moura Torta. Juntas, começaram a discutir possibilidades e a pesquisar nos livros. Mas nem sinal da história de Feiurinha. Foram procurar um autor, que também não conseguiu nenhuma pista, e já estavam todos desanimados, quando Jerusa, a empregada, contou a história que ninguém encontrava. Agora, Feiurinha existiria para todos, com sua história escrita pelo autor.
  22. 22. 14. Pluft, o Fantasminha- Maria Clara Machado Pluft, o Fantasminha é uma peça teatral infantil escrita pela dramaturga brasileira Maria Clara Machado em 1955. Conta a história do rapto de uma menina pelo malvado pirata Perna-de-Pau. 15.A Fada Que Tinha Ideias – Fernanda Lopes de Ameida Clara Luz é uma fada que quer fazer o mundo andar por suas próprias idéias. Para ela, quando ninguém inventa nada, o mundo fica parado.
  23. 23. 16.A Vida íntima de Laura – Clarice Lispector Uma das maiores escritoras de todos os tempos também não abandonou esse ―ramo‖ tão importante da literatura. Laura, personagem principal e que dá nome à obra, é uma galinha de pescoço feio, mas que, por dentro, tem seus ―pensamentozinhos e sentimentozinhos‖. O texto, no entanto, parece ser mais um ―pretexto‖ de Clarice para adentrar em questões muito profundas que ressaltam, inclusive, a afirmação de Drummond no início do texto: que diferença há entre a literatura adulta e infantil? Que uma criança não entende de um livro de adultos – tirando a linguagem rebuscada e os ―escândalos‖? A vida íntima de Laura é uma obra profunda e delicada, que vai além de si própria, como tudo que vem de Clarice.
  24. 24. 17. Ou Isto ou Aquilo –Cecília Meireles Nesse livro, Cecília Meireles nos faz passear em uma série de poemas que brincam com a linguagem, a sonoridade, ritmo, a linguagem, tudo sempre de maneira leve e fluida, que divertem tanto as crianças quanto os adultos. E, de lá, traz a nós o mundo infantil de maneira muito sensível, imaginativa e, por vezes, imprevisível. Vale a pena dar uma lida e se deliciar, afinal, é Cecília Meireles de quem estamos falando. Leia mais sobre obras infantis escritas por grandes autores da literatura nacional. 18. O Vovô Fugiu de Casa – Sérgio Caparrelli Neste livro, o autor busca transportar para as crianças emoções que atingem todas as idades. A sólida e envolvente amizade entre um garoto e seu avô italiano conduzem a história à zona de colonização italiana no Rio Grande do Sul, por onde empreendem uma fuga delirante e quixotesca, no momento em que a família decide internar o avô em um asilo para velhos. Uma história de amizade e solidariedade, de compreensão e carinho contra o preconceito dos adultos. 19. Tonzeca, O Calhambeque – Camilla Cerqueira Cesar As deliciosas aventuras de um Ford de bigode e seu proprietário Nhotom.
  25. 25. 20.A Vaca Proibida – Edy Lima Nem tudo que faz sentido é verdadeiro, mas o contrário também pode ser real, principalmente quando se trata de mais uma aventura da vaca voadora. Desta vez, rosas de ouro são enviadas todas as manhãs para Tia Quiquinha por um remetente misterioso, peças de um ―dinossauro-polvo‖ mecânico chegam em caixas de madeira e a vaca está proibida. Você vai encontrar todas as qualidades que já conhece dos livros de Edy Lima: a capacidade de arrebatar, a familiaridade com o absurdo, a sabedoria simples que emana das personagens, a variedade das situações em que se envolvem. Tudo isso com um humor inteligente e acessível que faz rir dos velhinhos às crianças! 21.O Menino Mágico – Rachel de Queiroz Esse livro, da conhecida autora regionalista, já foi premiado pela Unesco como um dos dez melhores livros brasileiros no Gênero. Rachel nos conta a história de Daniel, um menino que tinha poderes mágicos e era capaz de viajar e viver as mais diversas aventuras durante os seus sonhos, até que um dia, com João, seu primo e melhor amigo, eles resolvem ir a um programa de TV e ganhar um prêmio… só não imaginavam a confusão que se criaria a partir disso… 22.Uma ideia toda azul – Marina Colasanti Um dia o rei teve uma idéia. Era a primeira da vida toda e, tão maravilhado ficou com aquela idéia azul, que não quis saber de contar aos ministros. Desceu com ela para o jardim, correu com ela nos gramados, brincou com ela de esconder entre outros pensamentos, encontrando-a sempre com alegria, linda idéia dele toda azul. Brincaram até o rei adormecer encostado numa árvore.
  26. 26. 23. A Vaca Mimosa e a Mosca Zenilda – Sylvia Orthof Vaca Mimosa, que bela, que linda! Tem quatro pernas, pernas de vaca Vaca Mimosa, que bela, que linda! Tem pêlo malhado, parece estampado Vaca Mimosa, que bela, que linda! Tem olhos de vaca, redondos que brilham 24. O Menino Maluquinho – Ziraldo O Menino Maluquinho é uma série de histórias em quadrinhos brasileira criada pelo desenhista e cartunista Ziraldo. A revista foi baseada no livro infantil de mesmo nome publicado em 1980 que se tornou um fenômeno durante os anos de 1990 e 2000. 25. Poemas Para Brincar – José Paulo Paes Este clássico da literatura infantil brasileira, que até já virou peça de teatro, é um gostoso convite para a criança mergulhar no mundo da poesia.

×