Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Fazer leitores. crescer com a biblioteca

3,379 views

Published on

Documento apresentado pela Helena Araújo, membro do gabinete coordenador da Rede de Bibliotecas Escolares, no âmbito 8º Encontro de Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares, realizado no dia 4 e 5 de dezembro em Vila Nova de Famalicão.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Fazer leitores. crescer com a biblioteca

  1. 1. Fazer leitores Crescer com a Biblioteca 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  2. 2. Sumário • FAZER LEITORES 1. Reflexão sobre a leitura 2. Práticas de leitura 3. Fases de desenvolvimento de leitura 4. Paradigmas sobre o texto literário 5. Estratégias de leitura • CRESCER A LER COM A BIBLIOTECA 1. A literacia da leitura e a biblioteca escolar 2. Práticas na biblioteca: a) Pré-leitura b) Aprender a ler c) Ler para aprender d) Ler para compreender múltiplos pontos de vista e) Ler para construir e reconstruir conhecimento 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  3. 3. FAZER LEITORES… • O desenvolvimento da competência leitora é indispensável para que o cidadão desenvolva competências para a aprendizagem ao longo da vida. • A leitura feita por prazer está associada ao aumento das competências em leitura e escrita, ao aumento da aquisição de vocabulário e ao aumento geral do conhecimento. (Guthrie, 2003) • Encorajar as crianças a ler por prazer contribui para aumentar os níveis educacionais e ajudar a combater a exclusão social. Virgínia Coutinho e Fernando Azevedo (2007) . “A importância do ensino básico na criação de hábitos de leitura: o papel da escola” in Formar leitores das Teorias às Práticas . Lisboa: Lidel 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  4. 4. Significado Atenção Tonalidade emocional Proposta de modelo para o desenvolvimento de estratégias de promoção da leitura ( Silveira, 2014) 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015 FAZER LEITORES…
  5. 5. PRÁTICAS DE LEITURA • Leitura contemplativa (ou literária)- pressupõe recolhimento, reflexão, aprofundamento, sequencialidade, solidão, introspeção – uma relação de intimidade entre o eu e o livro. • Leitura fragmentada – vivendo num contexto de agitação, velocidade e grande necessidade de operacionalidade, tornamo-nos leitores fragmentados – é uma leitura que visa a satisfação imediata de questões pontuais e pragmáticas, que não exige reflexão. • Leitura virtual – não deixa de ser uma leitura fragmentada mas enriquecida por signos, sons e sensações. Possibilita ao leitor uma sensação de liberdade e de compreensão rápida. No entanto, a centralidade e primazia do texto é, nestes contextos, desvalorizada. Neste ambiente rico em múltiplos estímulos , a ação leitora requer a utilização de quase todos os sentidos de forma sincronizada e veloz. Lúcia Santaellal (1998)– A Leitura fora do livro 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015 FAZER LEITORES…
  6. 6. FASES DE DESENVOLVIMENTO DA LEITURA (Chall 1996) • Fase zero – pré-leitura- quando a criança desenvolve comportamentos emergentes de leitor; • Fases 1 e 2 – quando a criança aprende a ler; • Fase 3 - quando os textos se tornam mais variados, complexos, e a leitura é utlizada como uma ferramenta para aprender. • Fases 4 e 5 – caracterizam-se pela capacidade do leitor compreender múltiplos pontos de vista e construir conhecimento altamente abstrato. • Fase 6 – o leitor é capaz de sintetizar criticamente o trabalho dos outros e construir conhecimento a partir daí. 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015 FAZER LEITORES…
  7. 7. PARADIGMAS SOBRE O TEXTO LITERÁRIO 1. Os sentidos do texto explicavam-se pela biografia do autor; 2. O texto passou a estar no centro das atenções. Compreender um texto literário significava analisar cuidadosamente as suas estruturas, as personagens, os eventos… 3. Atualmente, ganhou importância a receção do texto pelo leitor. A significação do texto só ganha existência quando reconstruída pelo leitor. Sousa, Otília Costa (2007). “O texto literário na escola: uma outra abordagem” in Formar leitores das Teorias às Práticas . Lisboa: Lidel A estes 3 paradigmas correspondem opções pedagógicas distintas. 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015 FAZER LEITORES…
  8. 8. ESTRATÉGIAS DE LEITURA “ A leitura não se promove com atividades extra leitoras. A leitura promove-se lendo. Apenas assim. “ Castro, Rudolfo (2012). A intuição leitora, a intenção narrativa. Lisboa: Ana Paula Faria Editora Atendendo a que ler é compreender, devem-se implementar estratégias que facilitem a compreensão leitora. Pontes, Verónica e Barros, Lúcia (2007). “Formar leitores críticos, competentes e reflexivos: o programa de leitura fundamentado na literatura” ” in Formar leitores das Teorias às Práticas . Lisboa: Lidel 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015 FAZER LEITORES…
  9. 9. ESTRATÉGIAS DE LEITURA Antes de começar a ler é importante: ativar-se conhecimentos prévios, antecipar sentidos. Atividades de pré-leitura têm como objetivos: • Ativar e construir a competência enciclopédica do aluno, através da exploração de elementos paratextuais, como a capa, o título, as ilustrações, encorajando-o a expressar as suas ideias e a partilhar as suas experiências; • Despertar a curiosidade dos alunos, motivando-os para a leitura, através do levantamento de hipóteses acerca do conteúdo da obra e estabelecendo objetivos de leitura, que visam auxiliar o aluno na interpretação do texto. 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015 FAZER LEITORES…
  10. 10. ESTRATÉGIAS DE LEITURA Durante a leitura devem: confirmar-se antecipações, estabelecer novas antecipações, selecionar ideias importantes, ligar o conteúdo do texto a ideias prévias, selecionar ideias importantes. As atividades durante a leitura têm como objetivos: • Preparar o aluno para usar estratégias de compreensão; • Familiarizá-lo com a estrutura do texto • Focar a sua atenção na linguagem; • Facilitar a compreensão sobre personagens, acontecimentos, temas, ideias-chave; • Colaborar na construção de sentidos e interpretações. É durante a leitura que o aluno mais se envolve com o texto, estabelece conexões, questiona, cruza a informação. 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015 FAZER LEITORES…
  11. 11. ESTRATÉGIAS DE LEITURA Após a leitura: devem-se confirmar as antecipações, resumir o texto, esclarecer todas as dúvidas que surjam. As atividades após a leitura têm como objetivos: • Encorajar respostas pessoais; • Promover a reflexão sobre o texto, convidando os alunos a expressar o que é mais significativo para eles; • Facilitar a organização, a análise e a síntese de ideias; • Proporcionar oportunidades de partilha e construção de significados com os colegas. As atividades de pós leitura podem proporcionar experiências de escrita. 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015 FAZER LEITORES…
  12. 12. Como é que pode a BibliotecaEscolarajudaras criançase jovensa crescerna leitura? O professor bibliotecário deve pensar a promoção de leitura como um projeto transversal a todo o agrupamento e a todos os níveis de ensino, estabelecendo objetivos específicos a alcançar, envolvendo os decisores internos , desenvolvendo atividades tendo em conta diversos tipos de leitura e a articulação curricular; estabelecendo parcerias externas e internas e avaliando os resultados alcançados. 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  13. 13. Como é que pode a BibliotecaEscolarajudaras criançase jovensa crescerna leitura? Promovendo • atividades que estimulem o prazer de ler; • atividades onde se lê ou se ouve ler e onde se dá a ler; • atividades que levem os alunos a interagir com o livro antes, durante e após a leitura; • atividades em colaboração com a comunidade; • atividades pensadas especificamente para desenvolver as competências específicas para cada fase do desenvolvimento leitor. 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  14. 14. CRESCER A LER COM A BIBLIOTECA Na Fase da Pré-leitura a criança necessita de: • Conhecer regras e convenções associadas ao material escrito; • Desenvolver a sensibilidade fonológica e o conhecimento das relações entre o oral e o escrito; • Experimentar os diferentes usos da linguagem; • Desenvolver o gosto pelas atividades de leitura e escrita 8ºEncontrodasBibliotecasemVilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  15. 15. CRESCER A LER COM A BIBLIOTECA Exemplos de Práticas na Biblioteca para a Fase da Pré-leitura • Falar sobre o material impresso que rodeia as crianças, destacando a função desse mesmo material; • Usar canções, rimas e lengalengas desenvolvendo o prazer de explorar a língua; • Ler histórias e outros materiais impressos numa variedade grande de contextos e atividades; • Modelar o processo de leitura e escrita permitindo que a criança veja “como se faz”; • Realizar sessões de natureza experimentalista (ouvir, tocar, cheirar); • Organizar atividades que possibilitem à criança contar, recontar e inventar histórias. 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  16. 16. Na Fase em que a criança aprende a ler necessita de: • Desenvolver a fluência leitora; • Aumentar o vocabulário; • Relacionar o texto com conhecimentos anteriores; • Organizar a informação de um texto lido; • Descobrir o prazer de ser capaz de ler e fruir uma história sozinha (“Ler em termos pessoais”); • Começar a desenvolver o pensamento simbólico e abstrato. CRESCER A LER COM A BIBLIOTECA 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  17. 17. Exemplos de Práticas na Biblioteca para a Fase em que a criança aprende a ler: • Ler aos alunos textos de diferentes tipologias e incluir textos com um nível ligeiramente superior ao da competência leitora dos alunos; • Proporcionar o diálogo a partir das leituras: a previsão dos acontecimentos, a clarificação dos sentidos, a discussão do vocabulário desconhecido; a análise das ilustrações. • Realizar leituras em coro; • Produzir com os alunos podcasts com leituras feitas por eles; • Realizar pequenas dramatizações de textos. CRESCER A LER COM A BIBLIOTECA 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  18. 18. Na Fase em que a criança já aprendeu a ler de forma consistente necessita de: • Utilizar a leitura como uma ferramenta para aprender; • Fazer inferências a partir da informação contida no texto; • Avaliar criticamente textos; • Tomar consciência que a literatura lhe proporciona outras experiências estéticas, mais imaginárias e criativas (“Ler e escrever para fruição estética”). CRESCER A LER COM A BIBLIOTECA 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  19. 19. Exemplos de Práticas na Biblioteca para a Fase em que a criança já aprendeu a ler de forma consistente: • Organizar competições/concursos de leitura entre 2 turmas ou mais, em que os alunos leem e elaboram perguntas para os adversários responderem; • Envolver os alunos na realização de booktrailers e na sua disponibilização online; • Adaptar um livro a uma peça de teatro, a um filme ou a uma banda desenhada; • Proporcionar momentos de aconselhamento/partilha de leituras (Amostras para ler+ - http://www.rbe.mec.pt/np4/file/1112/amostras_para_ler_.pdf) CRESCER A LER COM A BIBLIOTECA 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  20. 20. No 3º ciclo, o jovem leitor necessita de: • Sentir que o seu conhecimento, as suas experiências e as suas vivências são valorizadas; • Construir conhecimento altamente abstrato; • Reconhecer valores culturais presentes nos textos; • Compreender múltiplos pontos de vista; • Interpretar a linguagem simbólica; • Ler e escrever para fruição estética. CRESCER A LER COM A BIBLIOTECA 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  21. 21. Exemplos de Práticas na Biblioteca para alunos do 3º ciclo: • Disponibilização no blogue ou sitio da biblioteca de impressões de leitura elaboradas por alunos; • Proporcionar momentos de leitura entre pares, em que os grandes leem para os pequenos; • Organizar oficinas de escrita; • Organizar clubes de leitura ou fóruns promovendo a discussão à volta de leituras realizadas e com possível recurso às ferramentas e serviços da Web (Clubes de leitura – Ler, é para já - http://www.rbe.mec.pt/np4/np4/?newsId=1035&fileName=clube_leitura_portal.pdf ) CRESCER A LER COM A BIBLIOTECA 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  22. 22. No ensino secundário, o jovem leitor necessita de: • Ler para construir e reconstruir conhecimento; • Desenvolver o espírito crítico; • Aprofundar a capacidade de compreensão inferencial; • Exprimir pontos de vista suscitados por leituras diversas, fundamentando; • Reconhecer valores culturais, éticos e estéticos manifestados nos textos; • Valorizar uma obra enquanto objeto simbólico, no plano do imaginário individual e coletivo; • Comparar diferentes textos no que diz respeito a temas, ideias e valores. CRESCER A LER COM A BIBLIOTECA 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  23. 23. Exemplos de Práticas na Biblioteca para alunos do secundário: • Envolver os alunos na produção de livros (ou áudio livros ou livros digitais) que reflitam a evolução dos mesmos enquanto leitores. • Criar grupos de leitura/grupos de discussão – apresentação, diálogo, criação, fruição para apresentação de livros, para discussão e comparação de temáticas de livros e para debater questões éticas. • Publicar uma revista com comentários críticos das leituras realizadas pelos alunos. • Promover a participação dos alunos em comunidades de leitura existentes na Internet (canais de Booktube ) • Organizar com os alunos sessões de leitura de partilha intergeracional com instituições parceiras; • Envolver os alunos na dinamização de palestras, com escritores ou outras personalidades. CRESCER A LER COM A BIBLIOTECA 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  24. 24. FAZER LEITORES CRESCER COM A BIBLIOTECA • “Ensinar a ler, motivar para a leitura terá de ser algo em que se acredite. Nenhuma estratégia terá o resultado desejado se não houver crença no seu valor. Ora, a leitura é como o amor. Assim sendo, teremos mesmo de estar apaixonados.” Sardinha, Mª da Graça(2007). “Formas de ler: ontem e hoje” in Formar leitores das Teorias às Práticas . Lisboa: Lidel • “ O único caminho em direção à leitura é ler” Castro, Rudolfo (2012). A intuição leitora, a intenção narrativa. Lisboa: Ana Paula Faria Editora 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  25. 25. Bibliografia • Azevedo, Fernando et all ( 2007). Formar leitores. Das teorias às práticas. Lisboa: Lidel- edições técnicas. • Castro, Rudolfo (2012). A intuição leitora, a intenção narrativa. Lisboa: Ana Paula Faria Editora. • Ramos, Raquel (2015). Fazer leitores na era digital: o contributo da biblioteca escolar. BibliotecaRBE nº8. Lisboa: Rede de Bibliotecas Escolares. • Silveira, Teresa ( 2014). Cérebro e Leitura. Fundamentos neurocognitivos para a compreensão do comportamento leitor no processo educativo. Editora Lema d´ Origem. 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015
  26. 26. MUITO OBRIGADA PELA VOSSA ATENÇÃO! Helena Araújo helena.araujo@mail-rbe.org 8ºEncontrodasBibliotecasem VilaNovadeFamalicão- 4/12/2015

×