A ilha do Tesouro

4,281 views

Published on

bb

Published in: Education
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,281
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
917
Actions
Shares
0
Downloads
18
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A ilha do Tesouro

  1. 1. A ilha do tesouro
  2. 2. Há muitos , muitos séculos, no tempo dos piratas, havia ilhas desertas.
  3. 3. Nessas ilhas, havia grutas com ouro! Tanto , tanto ouro, que nelas não cabia nem mais uma moeda!
  4. 4. Na porta da gruta, havia um código, que era pirata! Tentaram decifrá-lo e conseguiram!
  5. 5. Tabalho realizado por: Tiago Miguel Freitas Vieira 5ºA
  6. 6. A ilha do tesouro
  7. 7. Era uma vez um rei, Que vivia numa ilha, Procurava pretendentes Para casar a sua filha.
  8. 8. Porém, a bela princesa Impunha uma condição: Mil moedas de ouro Em troca da sua mão!
  9. 9. Não havia, nessa ilha, Ninguém com tamanha riqueza! Mas havia um tesouro escondido, Disso tinham a certeza.
  10. 10. Todos queriam o tesouro! Mas apenas um encontrou As mil moedas de ouro!
  11. 11. O sortudo foi a correr Em direção ao castelo, Enquanto a princesa esperava, Há dias pelo seu noivo, Rico e belo!
  12. 12. A princesa, feliz, Com o seu amado casou E as mil moedas de ouro No mar as lançou!
  13. 13. Fim
  14. 14. Trabalho realizado por Mariana Fernandes Silva (5.A) Escola Bernardino Machado
  15. 15. A ilha do tesouro
  16. 16. Era uma vez um rapaz chamado José. Ele tinha óculos pretos, cabelo castanho, olhos castanhos, lábios pequenos e um nariz pequeno. Era inteligente, bom rapaz e era muito aventureiro. Um dia, o tio de José foi andar de barco e o José também quis ir. O tio lá deixou e foram os dois.
  17. 17. Passaram-se dias, horas, um dia e um ano e eles sem aparecerem. Tinham naufragado, pois tinha havido um tempestade e o único sobrevivente era o José.
  18. 18. Passaram-se dias, horas, um dia e um ano e eles sem aparecerem. Tinham naufragado, pois tinha havido um tempestade e o único sobrevivente era o José.
  19. 19. O José viu-o e perguntou-lhe: -Olá, como te chamas ? Saltas tão bem! -Olá, eu chamo-me Alberto e tu? -Eu chamo-me José. -Queres ser meu amigo? -Sim. -Então, anda, vamos saltar de liana em liana , é muito divertido! -Eu não sei saltar. – disse muito desanimado o José -Está bem. Sabes, eu sou o único habitante desta ilha. -Olha, há ali ao fundo um guardião muito mau que guarda um tesouro! Juntos pode mos derrotá-lo! -Está bem !
  20. 20. Imediatamente, os dois fizeram um plano e deu tudo certo. Trouxeram o tesouro e abriram- no. A arca estava cheia ! Estava cheia de moedas de ouro, de prata e de bronze e assim ficaram ricos. Navegaram pelo mar fora ,viveram aventuras , lutaram com monstros e conheceram outros mundos.
  21. 21. FIM! TRABALHO REALIZADO POR DIANA nº 5, 5º A
  22. 22. A ilha do tesouro
  23. 23. Na ilha do tesouro não havia nenhum pavão, só havia ouro! Lá todos iam para o tesouro ter na mão.
  24. 24. Todos procuravam, ninguém desistia, até parecia que era um tesouro da Dinastia!
  25. 25. Chegavam mais pessoas era uma confusão ! Ninguém se entendia, davam um trambolhão e ficavam de rastos como uma cobra.
  26. 26. De repente, chegou um capataz e toda a gente recuou para trás!
  27. 27. Agora, o poema vou acabar, antes de alguém o tesouro encontrar.
  28. 28. • Trabalho realizado por Rui Carneiro Ribeiro e por Jéssica Carneiro Ribeiro (irmã). • Escrita manual realizada por Rui Carneiro Ribeiro (eu). • Escrita digital realizada por Jéssica Carneiro Ribeiro (irmã). • Imagens escolhidas por Rui Carneiro Ribeiro (eu). • Imagens postas no PowerPoint por Jéssica Carneiro Ribeiro (irmã). • Feito no computador de Jéssica Carneiro Ribeiro (irmã).
  29. 29. A ilha do tesouro Era uma vez um menino chamado Zé. Ele estava a passear com a sua namorada no parque.
  30. 30. Entretanto, viram uma gruta e foram em direção a ela. Quando chegaram perto da gruta, viram um menino a sair, cheio de medo e quase a chorar.
  31. 31. Como o Zé era muito simpático, foi à beira do menino e perguntou-lhe: -Por que é que estás assim tão assustado? -Porque está ali dentro da gruta um dragão e ele deitou fogo pela boca! E eu assustei-me muito!- disse o Gonçalo a tremer.
  32. 32. -Ok, então anda lá dentro à gruta .- disse o Zé. Eles lá foram os três ver o dragão. Aquela gruta era mesmo grande e eles tiveram de andar muito para chegarem ao dragão . Quando lá chegaram, perto do dragão assustador , o Zé disse que aquele dragão era muito fraco, por isso ia derrotá-lo . E foi isso mesmo que aconteceu . Ele lutou contra o dragão e acabou por matá-lo, porque o Zé tinha um poder mágico que era deitar fogo pela boca e mandar tiros pela barriga.
  33. 33. De seguida, como o dragão morreu, eles tiraram-no dali e enterraram-no na terra longe da gruta. De seguida, voltaram à gruta e escavaram a terra por baixo do dragão . Escavaram , escavaram , até que descobriram um tesouro e ficaram com ele . Depois de dividirem o tesouro pelos três , pelo Zé , pelo Gonçalo e pela namorada do Zé, ficaram ricos para o resto das suas vidas.

×