<ul><li>Capa……………………….....1 </li></ul><ul><li>Introdução…………………...3 </li></ul><ul><li>Segurança e prevenção. Porquê?.........
<ul><li>Neste trabalho pretendo explicar o porquê da segurança ser tão importante e a maneira como se pode prevenir. </li>...
<ul><li>Todos os dias chegam até nós notícias de acidentes violentos nas estradas. </li></ul><ul><li>Contudo muitos desses...
<ul><li>Todos os dias morrem pessoas nas estradas, umas morrem injustamente por culpa de outros condutores, e outras porqu...
<ul><li>A prevenção rodoviária portuguesa  (PRP) é uma associação, sem fins lucrativos, com o objectivo de prevenir os aci...
<ul><li>Excesso de velocidade; </li></ul><ul><li>Conduzir sobre o efeito do álcool; </li></ul><ul><li>Falar ao telemóvel e...
<ul><li>O excesso de velocidade é uma das principais causas de acidentes rodoviários, </li></ul><ul><li>Os limites de velo...
Localidades Outras vias Vias reservadas  a automóveis Auto-estradas Tipo de veículos 50 90 100 120 Carros e motas 50 80 90...
Quando se duplica a velocidade, quadruplica a distância necessária para travar em segurança e a violência do choque(em cas...
<ul><li>Enquanto se descreve as curvas, os veículos sofrem o efeito da “força centrífuga” que tende a projectá-los para fo...
Efeito da “força centrífuga”
<ul><li>A ingestão de bebidas alcoólicas a partir de uma certa dose provoca uma redução do rendimento intelectual e muscul...
<ul><li>Um condutor embriagado é bastante afectado no seu comportamento: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>A visão sofre p...
<ul><li>O uso de telemóvel durante a condução faz com que o condutor se distraia, mesmo que seja durante uns escassos segu...
<ul><li>Determinadas doenças físicas e mentais, do mesmo modo que certos medicamentos, produzem falta de aptidão para cond...
<ul><li>As ultrapassagens perigosas pode dar origem a um grave acidente. </li></ul><ul><li>O condutor que efectua a manobr...
<ul><li>Como regra geral as ultrapassagens devem fazer-se pelo lado esquerdo do veículos s ultrapassar. </li></ul><ul><li>...
<ul><li>Por vezes a origem dos acidentes não está no condutor, mas sim nas condições das vias, pois muitas estradas são co...
<ul><li>Um exemplo deste tópico é a estrada IP5: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Pouco depois da inauguração total do IP5, c...
Sinalização mal colocada. Curvas muito apertadas.
<ul><li>Neve e gelo: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>A existência de neve ou gelo no pavimento das faixas de rodagem, reduz ...
Piso escorregadio
<ul><li>Ventos laterais: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Se o vento incidir lateralmente com rajadas fortes sobre um veículo...
 
<ul><li>Chuvas: </li></ul><ul><ul><ul><li>Quando começa a chover, após um longo período de seca, o pavimento fica coberto ...
<ul><ul><ul><li>Outro problema de extrema gravidade é a falta de visibilidade, não só pelo efeito de “cortina” que a chuva...
Visibilidade pelos condutores em período de chuvas.  Pode-se afirmar que neste campo de visão não se consegue visualizar: ...
<ul><li>Manter a distância de segurança; </li></ul><ul><li>Respeitar os sinais de trânsito; </li></ul><ul><li>Fazer revisõ...
<ul><li>Distância de segurança é a distância mínima que dois veículos devem manter entre si para, no caso de uma travagem ...
<ul><li>Perante um obstáculo que surja inesperadamente na faixa de rodagem, nenhum condutor, por mais rápido que sejam os ...
<ul><li>O tempo de reacção aumenta com: </li></ul><ul><li>A fadiga e a sonolência; </li></ul><ul><li>Estados emocionais fo...
<ul><li>Tempo de reacção:  é o tempo decorrido entre o instante em que  o condutor se apercebe do obstáculo e o instante e...
 
<ul><li>Quanto maior for a velocidade do automóvel, maior é a distância de reacção e maior é a distância de travagem </li>...
<ul><li>Sinais de Perigo: servem para indicar a existência ou possibilidade do aparecimento de condições particularmente p...
Subida de inclinação acentuada Bermas baixas Projecção de gravilha Pavimento escorregadio Passagem estreita Passagem estre...
Travessia de peões Passagem de peões Saída de ciclistas Cavaleiros  Sinalização luminosa Pista de aviação Túnel  Animais s...
Intersecção com via onde circulam veículos sobre carris Outros perigos Obstrução da via Congestionamento
<ul><li>Sinais de cedência de passagem: indicam uma obrigação ou um direito do condutor, impondo especial atenção e prudên...
Entroncamento com via sem prioridade
<ul><li>Sinais de proibição: indicam vias e locais onde o trânsito ou o estacionamento são interditos ou ficam sujeitos a ...
Trânsito proibido a cavaleiros Trânsito proibido a veículos de tracção animal Trânsito proibido a peões Trânsito proibido ...
Proibição de ultrapassar Proibição de ultrapassar para automóveis pesados Proibição de ultrapassar para motociclos e ciclo...
Estacionamento proibido Paragem e estacionamento proibidos Proibição de exceder a velocidade máxima de 40 quilómetros por ...
Fim de todas as proibições impostas anteriormente por sinalização a veículos em marcha. <ul><li>Sinais de obrigação:  impõ...
Sentido obrigatório
Sentidos obrigatórios possíveis
Via reservada a veículos de transporte público Fim da via reservada a veículos de transporte público Pista obrigatória par...
Pista obrigatória para velocípedes Fim da pista obrigatória para velocípedes Obrigação de transitar à velocidade mínima de...
Obrigação utilizar correntes de neve em duas rodas motoras Fim da obrigação utilizar correntes de neve em duas rodas motor...
Obrigação de utilizar as luzes de cruzamento (médios) acesas Fim da obrigação de utilizar as luzes de cruzamento as luzes ...
<ul><li>A luz vermelha significa passagem proibida; </li></ul><ul><li>A luz amarela significa transição da luz verde para ...
<ul><li>No caso das luzes dos sinais luminosos que regulam o trânsito, apresentarem a forma de uma seta, as indicações dad...
<ul><li>As revisões periódicas dos automóveis feitas por oficinas especializadas, permitem manter os vários órgãos bem reg...
<ul><li>Nas revisões os operários testam: </li></ul><ul><ul><ul><li>O óleo do motor; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A...
<ul><ul><ul><li>Durante uma travagem brusca, os passageiros que se encontram no interior de veículo tendem a ser projectad...
Por isso é importante todos usarem cinto de segurança para evitarem que sejam projectados para o vidro do carro, ou mesmo ...
Nesta imagem pode-se reparar que o condutor não tinha o cinto colocado, logo perante uma colisão, foi projectado para a fr...
<ul><li>Capacete: </li></ul><ul><ul><ul><li>Assim como o  air bag  suaviza o embate, reduzindo os danos que a colisão poss...
<ul><li>É muito importante não esquecer que as crianças devem ser transportadas no banco de trás numa cadeira de segurança...
Grupo 0 : Crianças com menos de 10 kg Grupo 0+ : Crianças com menos de 13 kg Grupo 1 : Crianças entre 9 e 18 kg Grupo 2 : ...
<ul><li>Desde o anoitecer ao amanhecer e ainda quando as condições meteorológicas reduzam a visibilidade, de acordo com o ...
<ul><li>As características das luzes e dos reflectores existentes nos veículos devem estar em conformidade com as normas r...
<ul><li>Utilização das Luzes </li></ul><ul><li>Existem condições meteorológicas ou ambientais que tornam a visibilidade in...
<ul><ul><ul><li>Nestes casos os condutores devem utilizar as seguintes luzes: </li></ul></ul></ul><ul><li>Presença (mínimo...
 
<ul><li>Neste trabalho aprendi imensas coisas sobre a segurança rodoviária. Aprendi coisas que não fazia a mínima ideia qu...
<ul><li>http://conduziremseguranca.blogspot.com/2009/05/sinalizacao-de-perigo-quando-o-veiculo.html ; </li></ul><ul><li>ht...
<ul><li>Trabalho realizado por: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Sara Brito Nº20 9ºB </li></ul></ul></ul></ul></ul>
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Segurança rodoviária

19,104 views

Published on

  • Excelente trabalho
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here

Segurança rodoviária

  1. 2. <ul><li>Capa……………………….....1 </li></ul><ul><li>Introdução…………………...3 </li></ul><ul><li>Segurança e prevenção. Porquê?.........................4-5 </li></ul><ul><li>PRP (prevenção rodoviária portuguesa)……………………..6 </li></ul><ul><li>Principais causas de acidentes…………………7-28 </li></ul><ul><li>Como prevenir acidentes rodoviários…………….29-67 </li></ul><ul><li>Conclusão……………………..68 </li></ul><ul><li>Bibliografia……………………69 </li></ul><ul><li>Identificação………………….70 </li></ul>
  2. 3. <ul><li>Neste trabalho pretendo explicar o porquê da segurança ser tão importante e a maneira como se pode prevenir. </li></ul>
  3. 4. <ul><li>Todos os dias chegam até nós notícias de acidentes violentos nas estradas. </li></ul><ul><li>Contudo muitos desses acidentes poderiam ser evitados se as regras de segurança fossem cumpridas e se as verificações e reparações dos carros fossem feitas a tempo. </li></ul>
  4. 5. <ul><li>Todos os dias morrem pessoas nas estradas, umas morrem injustamente por culpa de outros condutores, e outras porque fizeram por isso. </li></ul><ul><li>Por isso todos devem cumprir as normas da estrada, porque: </li></ul><ul><li>Hoje são os outros, mas amanhã podemos ser nós! </li></ul>
  5. 6. <ul><li>A prevenção rodoviária portuguesa (PRP) é uma associação, sem fins lucrativos, com o objectivo de prevenir os acidentes rodoviários e as suas consequências, de referência a nível nacional tendo alargado a sua acção, para além da educação e sensibilização, à formação nas várias vertentes quer de professores quer de jovens quer de técnicos ligados à construção, sinalização e conservação dos diversos tipos de vias. </li></ul>
  6. 7. <ul><li>Excesso de velocidade; </li></ul><ul><li>Conduzir sobre o efeito do álcool; </li></ul><ul><li>Falar ao telemóvel enquanto conduz; </li></ul><ul><li>Estado físico e emocional do condutor; </li></ul><ul><li>Ultrapassagens perigosas; </li></ul><ul><li>Más condições das vias; </li></ul><ul><li>Más condições atmosféricas. </li></ul>
  7. 8. <ul><li>O excesso de velocidade é uma das principais causas de acidentes rodoviários, </li></ul><ul><li>Os limites de velocidade estão calculados em função do tipo de veículos e da distância necessária para travar. </li></ul>
  8. 9. Localidades Outras vias Vias reservadas a automóveis Auto-estradas Tipo de veículos 50 90 100 120 Carros e motas 50 80 90 110 Automóveis ligeiros de mercadorias 50 80 90 100 Automóveis pesados de passageiros ex.: autocarro 50 80 80 90 Automóveis pesados de mercadorias
  9. 10. Quando se duplica a velocidade, quadruplica a distância necessária para travar em segurança e a violência do choque(em caso de acidente). Nas localidades Fora das localidades Tipo de veículos 40 40 Moto4 30 40 Tractores e máquinas industriais
  10. 11. <ul><li>Enquanto se descreve as curvas, os veículos sofrem o efeito da “força centrífuga” que tende a projectá-los para fora do centro de rotação. </li></ul><ul><li>Como o impulso exercido pela “força centrífuga” é tanto maior quanto maior for a velocidade a que circula o veículo. Logo se essa velocidade for exagerada para determinado lugar, corre-se o risco do veículo desobedecer à vontade do condutor, saindo da trajectória ideal e despistar-se perigosamente para a “parte de fora” da curva. </li></ul>
  11. 12. Efeito da “força centrífuga”
  12. 13. <ul><li>A ingestão de bebidas alcoólicas a partir de uma certa dose provoca uma redução do rendimento intelectual e muscular e produz uma falsa sensação de segurança. </li></ul>
  13. 14. <ul><li>Um condutor embriagado é bastante afectado no seu comportamento: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>A visão sofre perturbações (o campo visual fica muito reduzido) </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Faz apreciações incorrectas das distâncias e da velocidade; </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Reage com extrema lentidão aos problemas de trânsito; </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>O tempo de reacção torna-se muito longo. </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  14. 15. <ul><li>O uso de telemóvel durante a condução faz com que o condutor se distraia, mesmo que seja durante uns escassos segundos, pode levar a um acidente de muita gravidade. </li></ul><ul><li>O melhor a fazer é encostar o carro para falar ao telemóvel. </li></ul>
  15. 16. <ul><li>Determinadas doenças físicas e mentais, do mesmo modo que certos medicamentos, produzem falta de aptidão para conduzir. </li></ul><ul><li>Também as emoções fortes causadas por desgostos, arrelias ou preocupações com problemas pessoais, impedem os condutores de reagir correctamente às situações mais complexas do trânsito, tornado o seu comportamento muito inseguro. </li></ul>
  16. 17. <ul><li>As ultrapassagens perigosas pode dar origem a um grave acidente. </li></ul><ul><li>O condutor que efectua a manobra deve ter cuidado e se possível esperar pela cedência de passagem do condutor que se pretende ultrapassar. </li></ul>
  17. 18. <ul><li>Como regra geral as ultrapassagens devem fazer-se pelo lado esquerdo do veículos s ultrapassar. </li></ul><ul><li>Excepcionalmente, esta manobra poderá fazer-se pelo lado direito, mas só nos seguintes casos: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Ultrapassar veículos que vão mudar de direcção para a esquerda; </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Ultrapassar veículos cujo condutor pretenda parar ou estacionar à esquerda numa via de sentido único. </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  18. 19. <ul><li>Por vezes a origem dos acidentes não está no condutor, mas sim nas condições das vias, pois muitas estradas são construídas com alguns defeitos que podem influenciar os acidentes. </li></ul>
  19. 20. <ul><li>Um exemplo deste tópico é a estrada IP5: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Pouco depois da inauguração total do IP5, começaram-se a notar inúmeros problemas e defeitos de construção. O IP5 tinha um projecto mal feito, com curvas apertadas, marcações horizontais confusas e sinalização pouco clara. </li></ul></ul></ul></ul>
  20. 21. Sinalização mal colocada. Curvas muito apertadas.
  21. 22. <ul><li>Neve e gelo: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>A existência de neve ou gelo no pavimento das faixas de rodagem, reduz ou anula quase completamente a aderência dos pneus. Para evitar acidentes destes o melhor é reduzir a velocidade e utilizar correntes de neve em duas rodas motoras. </li></ul></ul></ul></ul>
  22. 23. Piso escorregadio
  23. 24. <ul><li>Ventos laterais: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Se o vento incidir lateralmente com rajadas fortes sobre um veículo em andamento, a situação pode tornar-se muito perigosa porque a trajectória do veículo sofre desvios bruscos, especialmente se o condutor não conseguir contrariar essa tendência com alguma firmeza no volante da direcção. Nestas condições, a velocidade do veículo deve ser suficientemente reduzida, para evitar que o veículo saia da trajectória. </li></ul></ul></ul></ul>
  24. 26. <ul><li>Chuvas: </li></ul><ul><ul><ul><li>Quando começa a chover, após um longo período de seca, o pavimento fica coberto com uma camada escorregadia, tornando-se muito difícil dominar o veículo, se a velocidade não for suficientemente reduzida. Nestas condições é fundamental circular cautelosamente com velocidade moderada, de modo a que os pneus consigam desalojar a água do solo e pisar o pavimento firme. </li></ul></ul></ul>
  25. 27. <ul><ul><ul><li>Outro problema de extrema gravidade é a falta de visibilidade, não só pelo efeito de “cortina” que a chuva produz quando cai, mas ainda porque a superfície interna dos vidros tende a embaciar-se. Para melhorar as condições de visibilidade, é necessário fazer uso dos limpa pára-brisas e dos dispositivos desembaciadores dos vidros. </li></ul></ul></ul>
  26. 28. Visibilidade pelos condutores em período de chuvas. Pode-se afirmar que neste campo de visão não se consegue visualizar: -a sinalização; -se vêm algum veículo na mesma direcção, o que pode influenciar um acidente.
  27. 29. <ul><li>Manter a distância de segurança; </li></ul><ul><li>Respeitar os sinais de trânsito; </li></ul><ul><li>Fazer revisões periódicas ao veículo; </li></ul><ul><li>Usar cinto de segurança ou capacete; </li></ul><ul><li>Usar cadeiras de segurança para as crianças; </li></ul><ul><li>Usar dispositivos de iluminação. </li></ul>
  28. 30. <ul><li>Distância de segurança é a distância mínima que dois veículos devem manter entre si para, no caso de uma travagem brusca, não colidirem. </li></ul>
  29. 31. <ul><li>Perante um obstáculo que surja inesperadamente na faixa de rodagem, nenhum condutor, por mais rápido que sejam os seus reflexos, consegue reagir e travar instantaneamente. Ao intervalo de tempo entre o obstáculo e o instante em que o condutor acciona o travão denomina-se tempo de reacção. </li></ul><ul><li>À distância que o automóvel percorre durante o tempo de reacção chama-se de distância de reacção. </li></ul>
  30. 32. <ul><li>O tempo de reacção aumenta com: </li></ul><ul><li>A fadiga e a sonolência; </li></ul><ul><li>Estados emocionais fortes (stress, etc.); </li></ul><ul><li>A ingestão de certos medicamentos; </li></ul><ul><li>O efeito do álcool ou de drogas; </li></ul><ul><li>A idade; </li></ul><ul><li>O uso de telemóvel durante a condução. </li></ul>O tempo de reacção normal da maioria dos condutores é aproximadamente de um segundo.
  31. 33. <ul><li>Tempo de reacção: é o tempo decorrido entre o instante em que o condutor se apercebe do obstáculo e o instante em que inicia a travagem. </li></ul><ul><li>Distância de reacção: é a distância percorrida durante o tempo de reacção. </li></ul><ul><li>Distância de travagem: distância percorrida desde o momento em que o condutor começa a travar até ao momento em que o veículo pára </li></ul>
  32. 35. <ul><li>Quanto maior for a velocidade do automóvel, maior é a distância de reacção e maior é a distância de travagem </li></ul>
  33. 36. <ul><li>Sinais de Perigo: servem para indicar a existência ou possibilidade do aparecimento de condições particularmente perigosas. </li></ul>Curva á direita Curva á esquerda Curva á direita e contracurva Curva á esquerda e contracurva Lomba Depressão Lomba ou depressão Descida perigosa
  34. 37. Subida de inclinação acentuada Bermas baixas Projecção de gravilha Pavimento escorregadio Passagem estreita Passagem estreita Passagem estrita Bermas baixas Saída num cais ou precipício Quedas de pedras Ponte móvel Neve ou gelo Vento lateral Visibilidade insuficiente Crianças
  35. 38. Travessia de peões Passagem de peões Saída de ciclistas Cavaleiros Sinalização luminosa Pista de aviação Túnel Animais selvagens Animais Passagem de nível sem guarda Passagem de nível com guarda Trânsito nos dois sentidos Cruzamento ou entroncamento Trabalhos na via Idosos
  36. 39. Intersecção com via onde circulam veículos sobre carris Outros perigos Obstrução da via Congestionamento
  37. 40. <ul><li>Sinais de cedência de passagem: indicam uma obrigação ou um direito do condutor, impondo especial atenção e prudência. </li></ul>Cedência de passagem Cedência de passagem Cedência de passagem Paragem obrigatória Cruzamento com via sem prioridade Aproximação de rotunda Prioridade nos estreitamentos da faixa de rodagem Cedência de passagem nos estreitamentos da faixa de rodagem
  38. 41. Entroncamento com via sem prioridade
  39. 42. <ul><li>Sinais de proibição: indicam vias e locais onde o trânsito ou o estacionamento são interditos ou ficam sujeitos a determinadas restrições, que os utentes são obrigados a cumprir. </li></ul>Sentido proibido Trânsito proibido Trânsito proibido a automóveis e motociclos com carro Trânsito proibido a automóveis pesados Trânsito proibido a automóveis de mercadoria Trânsito proibido a motociclos simples Trânsito proibido a peões, a animais e a veículos que não sejam automóveis nem motociclos com cilindrada superior a 50 c.c
  40. 43. Trânsito proibido a cavaleiros Trânsito proibido a veículos de tracção animal Trânsito proibido a peões Trânsito proibido a carros de mão Proibição de virar à esquerda Proibição de virar à direita Proibição de inversão do sentido de marcha Proibição de transitar a menos de 70 metros do veículo precedente
  41. 44. Proibição de ultrapassar Proibição de ultrapassar para automóveis pesados Proibição de ultrapassar para motociclos e ciclomotores Fim da proibição de ultrapassar Fim da proibição de ultrapassar para automóveis pesados Fim da proibição de ultrapassar para motociclos e ciclomotores
  42. 45. Estacionamento proibido Paragem e estacionamento proibidos Proibição de exceder a velocidade máxima de 40 quilómetros por hora. Fim da limitação de velocidade Proibição de sinais sonoros Fim da proibição de sinais sonoros
  43. 46. Fim de todas as proibições impostas anteriormente por sinalização a veículos em marcha. <ul><li>Sinais de obrigação: impõe aos utentes das vias públicas determinados comportamentos. </li></ul>Via obrigatória para automóveis pesados Fim da via obrigatória para automóveis pesados Via obrigatória para automóveis de mercadorias Fim da via obrigatória para automóveis de mercadorias
  44. 47. Sentido obrigatório
  45. 48. Sentidos obrigatórios possíveis
  46. 49. Via reservada a veículos de transporte público Fim da via reservada a veículos de transporte público Pista obrigatória para cavaleiros Fim da pista obrigatória para cavaleiros Pista obrigatória para gado em manada Fim da pista obrigatória para gado em manada Pista obrigatória para peões Fim da pista obrigatória para peões
  47. 50. Pista obrigatória para velocípedes Fim da pista obrigatória para velocípedes Obrigação de transitar à velocidade mínima de 30 km/h Fim da obrigação de transitar à velocidade mínima de 30 km/h Pista obrigatória para peões e velocípedes Fim da pista obrigatória para peões e velocípedes Sem separador Pista obrigatória para peões e velocípedes Fim da pista obrigatória para peões e velocípedes com separador
  48. 51. Obrigação utilizar correntes de neve em duas rodas motoras Fim da obrigação utilizar correntes de neve em duas rodas motoras Rotunda Obrigação de contornar a placa ou obstáculo
  49. 52. Obrigação de utilizar as luzes de cruzamento (médios) acesas Fim da obrigação de utilizar as luzes de cruzamento as luzes de cruzamento acesas
  50. 53. <ul><li>A luz vermelha significa passagem proibida; </li></ul><ul><li>A luz amarela significa transição da luz verde para a luz vermelha; </li></ul><ul><li>A luz verde significa passagem autorizada. </li></ul><ul><li>Sinais luminosos: estão destinados a regular o trânsito de veículos, são constituídos por um sistema de três luzes circulares, cujas cores devem acender pela seguinte ordem: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Verde </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Amarela </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>vermelha </li></ul></ul></ul></ul>
  51. 54. <ul><li>No caso das luzes dos sinais luminosos que regulam o trânsito, apresentarem a forma de uma seta, as indicações dadas pelos sinais, referem-se apenas ao sentido ou sentidos apontados. </li></ul>
  52. 55. <ul><li>As revisões periódicas dos automóveis feitas por oficinas especializadas, permitem manter os vários órgãos bem regulados, do que resulta maior durabilidade do veículo, mais economia de combustível e melhores condições de segurança. </li></ul>
  53. 56. <ul><li>Nas revisões os operários testam: </li></ul><ul><ul><ul><li>O óleo do motor; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A temperatura do motor; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A bateria; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O filtro do ar; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Os pneus; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O limpa pára-brisas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Os travões. </li></ul></ul></ul>
  54. 57. <ul><ul><ul><li>Durante uma travagem brusca, os passageiros que se encontram no interior de veículo tendem a ser projectados para a frente à mesma velocidade que viajam. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>No quadro seguinte compara-se o efeito da colisão com a queda de uma dada altura. </li></ul></ul></ul><ul><li>Cinto de segurança: </li></ul>
  55. 58. Por isso é importante todos usarem cinto de segurança para evitarem que sejam projectados para o vidro do carro, ou mesmo para fora deste. Valor da velocidade na altura da colisão Igual à queda de … 30 km/h 3,5m (1ºandar) 50 km/h 10m (3ºandar) 80 km/h 25m (8ºandar) 100km/h 40m (13ºandar) 120km/h 57m (19ºandar)
  56. 59. Nesta imagem pode-se reparar que o condutor não tinha o cinto colocado, logo perante uma colisão, foi projectado para a frente, acabando por sair do veículo. Nesta imagem, pode-se reparar que o condutor tinha o cinto colocado, logo perante a colisão foi projectado para a frente mas não sofreu outros quaisquer danos.
  57. 60. <ul><li>Capacete: </li></ul><ul><ul><ul><li>Assim como o air bag suaviza o embate, reduzindo os danos que a colisão possa causar, o capacete protege a cabeça do motociclista, evitando fracturas cranianas que possam conduzir à morte. </li></ul></ul></ul>
  58. 61. <ul><li>É muito importante não esquecer que as crianças devem ser transportadas no banco de trás numa cadeira de segurança e com o cinto de segurança apertado. </li></ul><ul><li>As cadeiras de segurança devem ser escolhidas conforme o peso da criança. </li></ul>
  59. 62. Grupo 0 : Crianças com menos de 10 kg Grupo 0+ : Crianças com menos de 13 kg Grupo 1 : Crianças entre 9 e 18 kg Grupo 2 : Crianças entre 15 e 25 kg Grupo 3 : Crianças entre 22 e 36 kg (Banco elevatório sem costas) Grupo 3 : Crianças entre 22 e 36 kg (Banco elevatório com costas)
  60. 63. <ul><li>Desde o anoitecer ao amanhecer e ainda quando as condições meteorológicas reduzam a visibilidade, de acordo com o Código da Estrada, o condutor é obrigado a utilizar os dispositivos de iluminação existentes no veículo, para que permita uma melhor visibilidade na faixa de rodagem e dos obstáculos nela existentes. </li></ul>
  61. 64. <ul><li>As características das luzes e dos reflectores existentes nos veículos devem estar em conformidade com as normas regulamentares sobre estes acessórios, nomeadamente: </li></ul><ul><li>É proibida a utilização de luzes ou reflectores vermelhos dirigidos para a frente ou luzes ou reflectores brancos dirigidos para a retaguarda, com excepção: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Da luz de marcha atrás e da luz da chapa de matrícula. </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>Das luzes de trabalho brancas ou amarelas existentes em veículos de pronto socorro, tractores de mercadorias e veículos especiais de limpeza urbana, instaladas à retaguarda ou lateralmente. </li></ul><ul><li>As luzes instaladas nos veículos têm sempre carácter permanente. </li></ul><ul><li>As luzes da mesma natureza e tipo têm que ser todas da mesma cor. </li></ul>
  62. 65. <ul><li>Utilização das Luzes </li></ul><ul><li>Existem condições meteorológicas ou ambientais que tornam a visibilidade insuficiente, nomeadamente em casos de: </li></ul><ul><ul><ul><li>Nevoeiro; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>chuva intensa; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>queda de neve; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>nuvens de fumo ou pó. </li></ul></ul></ul>
  63. 66. <ul><ul><ul><li>Nestes casos os condutores devem utilizar as seguintes luzes: </li></ul></ul></ul><ul><li>Presença (mínimos) : enquanto aguardam a abertura de passagem de nível e ainda durante a paragem ou o estacionamento, em locais cuja iluminação não permita o fácil reconhecimento do veículo à distância de 100 metros. </li></ul><ul><li>Cruzamento (médios) : em locais cuja iluminação permite ao condutor uma visibilidade não inferior a 100 metros, no cruzamento com outro veículos, pessoas ou animais, quando o veículo transite a menos de 100 metros daquele que o precede, na aproximação de passagem de nível fechada ou durante a paragem ou detenção da marcha do veículo. </li></ul><ul><li>Estrada (máximos) : nos restantes casos. </li></ul><ul><li>Nevoeiro : só em caso de necessário. É proibido o uso das luzes de nevoeiro sempre que as condições meteorológicas ou ambientais o não justifiquem. </li></ul>
  64. 68. <ul><li>Neste trabalho aprendi imensas coisas sobre a segurança rodoviária. Aprendi coisas que não fazia a mínima ideia que poderiam originar um acidente grave. </li></ul><ul><li>Gostei de fazer este trabalho, pois penso que vou a olhar com outros olhos as estradas. </li></ul>
  65. 69. <ul><li>http://conduziremseguranca.blogspot.com/2009/05/sinalizacao-de-perigo-quando-o-veiculo.html ; </li></ul><ul><li>http://www.segurancarodoviaria.pt/codigo/titulo/1/capitulo/0/seccao/0/subseccao/0 ; </li></ul><ul><li>http://ec.europa.eu/health-eu/my_environment/road_safety/index_pt.htm ; </li></ul><ul><li>http://europa.eu/legislation_summaries/internal_market/single_market_for_goods/motor_vehicles/technical_implications_road_safety/l24257_pt.htm , </li></ul><ul><li>http://www.prp.pt/inicio.asp ; </li></ul><ul><li>http://educa.fc.up.pt/ciencia_viva/trabalhos_ver.php?id_trabalho=563 ; </li></ul><ul><li>Com base num livro do código da estrada. </li></ul>
  66. 70. <ul><li>Trabalho realizado por: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Sara Brito Nº20 9ºB </li></ul></ul></ul></ul></ul>

×