Relatorio 3periodo sala-amarela-2012-2013

13,454 views

Published on

Relatorio 3periodo sala-amarela-2012-2013

  1. 1. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR ARMANDO LUCENA Malveira RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO TRIMESTRAL (3º Período - Final) Henrique Santos Sala Amarela EB1/JI de S. Miguel – Enxara do Bispo Ano letivo 2012-2013
  2. 2. 2 EB1/JI S. Miguel – Enxara do Bispo Agrupamento de Escolas Professor Armando Lucena Malveira Relatório de Atividades da Sala Amarela 3º Período letivo e Final Ano Letivo 2012/2013 Data: 05.07.2012 Com base na proposta pedagógica apresentada no Projeto de Desenvolvimento Curricular (Art.º 3º do Decreto-lei 139/2012) (PDC), bem como no espaço de planificação e preparação de atividades, tal como inscritas no Plano Anual de Atividades (PAA) do estabelecimento, apresenta-se, de seguida o relatório trimestral (e final) de avaliação das atividades referente ao terceiro trimestre do ano letivo em curso No âmbito da atividade docente desenvolvida deve fazer-se uma distinção entre as atividades didático-pedagógicas e as atividades não letivas, onde figuram as atividades desenvolvidas no espaço da intervenção em reuniões, planeamento e avaliação, bem como em outros espaços de intervenção docente. Nesse sentido, apresenta-se o relatório referente à Atividade docente e o relatório da Atividade Pedagógica. Far-se-á ainda uma reflexão sobre os espaços de articulação desenvolvidos no âmbito de Atividades de Apoio às Famílias, Componente de Apoio à Família, desenvolvida em colaboração com a Câmara Municipal de Mafra. Atividade docente. Mantém-se, na lógica e na dinâmica da produção deste documento, as referências ao desenvolvimento de apoio à atividade letiva, nomeadamente a continuação da participação do docente titular de turma nas reuniões de organização, planeamento e avaliação (Departamento de Educação Pré-Escolar), em reuniões de análise colaborativa e apoio educativo (Ensino Especial – Unidade de Apoio Educativo, Intervenção Precoce – ELI MAfra, Terapia da Fala, Psicologia Escolar) e em reuniões de coordenação e articulação pedagógica (Estabelecimento, Parceiros, Escola Segura, Proteção Civil, Junta de Freguesia), dinamização de atividades de complemento e apoio educativo, participação em atividades de organização escolar (aquisição de equipamentos, gestão de recursos, etc.) e ainda todo o espaço de atendimento e avaliação dos processos educativos e curriculares com famílias (Encarregados de Educação) e comunidade, designadamente na preparação de atividades (Associação de Pais e Encarregados de Educação) com vista à execução do PDC e também do PAA. De referir ainda o espaço de reflexão e execução de atividades no âmbito da articulação e cooperação educativa, de onde se destacam as Atividades realizadas no âmbito do Projeto de Educação para a Saúde. De salientar ainda as atividades desenvolvidas no âmbito da Reflexão Didático-Pedagógica e da Formação, de onde se destaca a participação em fóruns de debate e reflexão pedagógica (Seminários do Instituto da Educação da Universidade de Lisboa) conforme certificados apresentados oportunamente nos serviços administrativos do Agrupamento.
  3. 3. 3 Destaca-se ainda o apoio a estágios do Instituto Superior de Ciências Educativas, com a presença de duas estagiárias finalistas, e a colaboração com alunos do Curso de Educação Básica da Escola Superior de Educação de Lisboa, no âmbito de projetos de investigação decorrentes da frequência dos cursos universitários. De destacar ainda as atividades desenvolvidas no âmbito das atividades de complemento educativo (Falar a Escola, na EB1/JI de S. Miguel e Semana da Infância 2013, do Departamento de educação Pré-Escolar), executadas numa perspetiva de partilha e reflexão com a comunidade educativa Por último a dinamização de espaços de colaboração educativa, desenvolvidos através de fóruns e plataformas de formação on-line (E-Twinnig, Plataforma moodle DGIDC e Portal das Escolas), de onde se destaca a atribuição do selo “BloguesEDU” ao sítio de internet da Sala Amarela (http://salamarela-enxara.blogspot.com) e a participação no projeto europeu “Children traveling to Europe through fairy tales”, com países como a República Checa, Grécia, Itália ou Espanha. No âmbito da formação, a frequência no curso de Doutoramento em Educação – especialização TIC na Educação, do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa regista-se como um espaço de aposta na melhoria e crescimento pessoal e profissional do educador. Atividade Pedagógica Das análises feitas nas Reuniões de Avaliação (quer de Estabelecimento quer de avaliação do PDC com Encarregados de Educação) das atividades realizadas ao longo do terceiro trimestre letivo resultou uma avaliação de elevado nível (Excelente1 ) para todas as atividades desenvolvidas, com especial relevo para os espaços de articulação educativa (escola/família). O envolvimento e partilha, com a Associação de Pais, com os docentes das Atividades de Enriquecimento Curricular do 1º CEB e da CAF, bem como a participação ativa de pais e familiares nas dinâmicas da sala de atividades foram importantes espaços de promoção educativa e de articulação pedagógica, reconhecidos como de importância efetiva para o desenvolvimento escolar e educativo das crianças. As reuniões formais desenvolvidas com encarregados de educação (quatro, ao longo do ano), destacaram a validade e a qualidade das práticas (ver atas das reuniões), bem como a pertinência das opções metodológicas e educativas. As atividades realizadas no âmbito do PNL (e outras em articulação com a Biblioteca Escolar), bem como as enquadráveis no Plano de Educação para a Saúde, tendo sido, em termos de planeamento, alvo de organização específica no âmbito da coordenação pedagógica do estabelecimento, tiveram a sua avaliação nesse âmbito, tendo sido destacada a colaboração e a cooperação atingida entre todos os setores da escola, bem como os resultados obtidos. O PDC orientou a sua ação para a dinamização de atividades congruentes com a especificidade do nível etário dos alunos e da estrutura da sala, pelo que, ao longo do ano procurou‐se definir um conjunto de objetivos a partilhar e dinamizar por todos os intervenientes, para que existisse uma efetiva devolução das práticas no âmbito do desenvolvimento integral das crianças. Uma nota especial para o envolvimento das assistentes operacionais na dinamização e conceção de atividades, com especial destaque para as assistentes operacionais que desenvolvem a sua atividade no apoio direto aos alunos da turma, que, fruto das suas capacidades de trabalho e dedicação, se tornaram, efetivamente, peças chave na realização e execução de parte das atividades 1 Ver “Fichas de Avaliação de Atividades do PAA 2012/2013” da EB1/JI de S. Miguel
  4. 4. 4 desenvolvidas. Neste particular é fundamental referir a dinâmica pedagógica e educativa da sala, na qual o adulto é parte do grupo e não, necessariamente, líder ou dirigente da ação educativa. As estratégias escolhidas, como de resto definido previamente, no âmbito da organização do PDC, pressupuseram o conhecimento da história individual de cada criança, de cada família e cada elemento comunitário. A temática central do Plano Anual de Atividades do Estabelecimento, que definiu a orgânica de todas as ações realizadas no âmbito da articulação educativa da EB1/JI de S. Miguel, na Enxara do Bispo, teve como temática central, “A minha pegada no Mundo” e pretendeu ser um projeto de educação para os valores, onde se abordaram as questões relativas ao desenvolvimento de uma consciência coletiva de pertença num grupo, solidariedade, cooperação, sustentabilidade, educação para os valores e outros aspetos nos quais a escola pode contribuir para uma formação baseada na partilha, no conhecimento do outro, na construção social da ética e da moralidade e no desenvolvimento de competências cívicas baseadas nas relações e interdependências culturais. Na Sala Amarela, promoveu-se, ao longo do ano letivo, o desenvolvimento de atividades e estratégias que potenciaram a apropriação dos valores fundamentais de desenvolvimento humano: Solidariedade, Partilha, Promoção do Bem-estar e Reciprocidade. A dinâmica educativa foi orientada para a dinamização de atividades congruentes com a especificidade quer do nível etário dos alunos quer da estrutura da sala. A continuidade da atividade “Piscina”, em colaboração com a Associação de Pais, manteve a sua congruência com o Projeto de Desenvolvimento do Currículo, mantendo a pertinência e adequação aos objetivos do grupo. A este nível é de salientar os efeitos muito positivos que foram enunciados por todos os envolvidos, com especial atenção às opiniões expressas pelos pais e famílias, bem como a apresentação feita pela Associação de pais no âmbito do Conselho Geral do Agrupamento. Também a parceria pedagógica com a Biblioteca Escolar permitiu a promoção de um conjunto de atividades e estratégias diversas na qual se fomentou a estruturação de conteúdos específicos sobre as funções da escrita, sobre o livro e a leitura, sobre a função informativa da escrita e sobre as necessidades literácitas. A página web do jardim de infância, desenvolvida, dinamizada e atualizada pelos alunos (em http://salamarela-enxara.blogspot.com) e onde é possível observar a descrição das atividades realizadas, continua a servir como espaço comunicacional e de relação com famílias e colegas e que funciona também numa dinâmica de “portfólio” da turma que, utilizando as tecnologias à disposição, contribui para a promoção de dinâmicas pedagógicas, designadamente em fóruns alargados de reflexão pedagógica. A partir da troca de correspondência eletrónica, motivaram‐se estratégias de reflexão científica, de experimentação e análise, ligadas a conteúdos sociais e culturais, de raciocínio lógico‐matemático e de aquisição da linguagem, pelo que a aposta e manutenção das dinâmicas suportadas e centradas na disponibilização de conteúdos e o uso sistemático da internet como potenciador de crescimento individual manteve-se e manter-se-á nos próximos momentos letivos. Também a utilização das redes sociais (com especial enfoque no Blogger e no Facebook) mantém a lógica de utilização da internet como espaço comunicacional de eleição. Relação do grupo de crianças Tendo em conta a idade precoce do grupo, foram desenvolvidas estratégias específicas, de caráter afetivo e de prestação de cuidado, de forma a construir um espaço securitário que permitiu um acompanhamento presente e contínuo, que passou, na maior parte das vezes, por encontrar
  5. 5. 5 soluções equilibradas e atentas, para as dinâmicas que, pela “novidade” com que surgiram às crianças puderam, em alguns momentos, causar situações de menor adaptação ou de desestabilização emocional. Neste particular, a adequação do registo alimentar (refeições, hábitos, tipo de alimentos, etc.) ou dos registos de envolvimento e calma (como sejam o sono e a meditação), foram primordiais na construção de respostas educativas de qualidade. De uma forma global, a ação educativa teve como objetivos gerais, independentemente dos que foram definidos para a abordagem a cada área do conhecimento, e dos parâmetros orientadores os que constam no Projeto Educativo do Agrupamento: Estimular a criança a conhecer‐se melhor, no seu todo, e conhecer o mundo em que vive, aprendendo a respeitá‐lo; Despertar na criança a importância do Outro, das relações e das interdependências sociais e culturais; Promover novas aprendizagens de forma a proporcionar à criança a tomada de consciência de que pertencemos a uma comunidade com igualdades e diferenças e com direitos e deveres. O objetivo da definição destes parâmetros orientadores é o de explorar e promover novas aprendizagens, encontrando‐se a expressão de interrogação e de tomada de consciência, de compreensão e de responsabilização, bem como as de pesquisa e certificação, como necessárias para uma cabal compreensão das realidades vividas que fundamentam a pertença a um grupo e às suas regras. Após reflexão participada, na qual tiveram papel preponderante as famílias e a Comunidade Escolar, de forma interventiva e colaborante (ver atas de Reuniões – AO, CAF e Encarregados de Educação), definiu-se um conjunto de objetivos a partilhar e desenvolver por todos os intervenientes. Nestes objetivos valorizaram-se a dinâmica de participação das famílias e dos encarregados de educação, numa perspetiva de colaboração ativa e procurou-se a construção de um espaço relacional eficaz com os outros agentes educativos da Escola, bem como os processos de efetiva articulação pedagógica com as turmas do 1º Ciclo, no qual são de destacar os projetos de ação e reflexão conjunta, designadamente os inseridos no Plano Anual de Atividades. Nas reuniões com os Encarregados de Educação foram sempre apresentadas propostas de colaboração e cooperação ativa que se saldaram por uma elevada participação destes nas atividades e estratégias didático-pedagógicas desenvolvidas na sala e na escola e na sua avaliação. Nos momentos de Escola Aberta foi apresentado aos encarregados de educação, além das considerações globais sobre o desenvolvimento individual e coletivo dos alunos e das suas aprendizagens, um formulário de observação/avaliação baseado num modelo de desenvolvimento de competências, na qual é organizada a informação, individual, de cada aluno, e refletidas, em conjunto, as propostas pedagógicas e estratégias educativas a desenvolver. Foram produzidos relatórios de avaliação final para todos os alunos da turma e de transição para os alunos que transitam de ciclo. Foi ainda entregue um Questionário de Avaliação, a ser preenchido pelos Encarregados de Educação, com o objetivo de promover a avaliação das práticas e dinâmicas desenvolvidas, designadamente no que concerne ao espaço de participação destes nas atividades educativas dos seus educandos. Os resultados observados neste questionário seguem em anexo a este relatório. Por tudo o exposto, e presumindo que o processo de avaliação comporta a interpretação da informação para uma posterior adaptação das práticas, é possível concluir que as práticas didáticas, pedagógicas e extracurriculares da Sala Amarela se situam num plano de elevada qualidade, de acordo com os relatos e evidências apresentadas. Apoio Educativo Específico
  6. 6. 6 No que concerne ao apoio complementar desenvolvido para o aluno com necessidades educativas especiais, por técnicos e assistentes, manteve-se a organização de atividades, devidamente planeadas em sede do grupo de trabalho, que foi alvo de avaliação específica no final do período. Desta reunião de avaliação entre os docentes de apoio e os técnicos ocupacionais e de terapias específicas (ELI Mafra), ficou patente a necessidade de se continuar a desenvolver o apoio ao aluno (agora que transita para o 1º Ciclo do Ensino Básico) o que pressupõe a manutenção dos espaços de apoio e terapia específica. No que concerne ao restante grupo de alunos, a evidência da evolução das aprendizagens das crianças é observável nos registos avaliativos, que mostram um crescimento sustentado de competências e saberes, adequado ao grupo e às condições preexistentes (1º, 2º e 3º período). Por último, a colaboração e cooperação constante, conseguida entre todas as salas de atividade da escola, com especial relevância nas salas de jardim de infância tem também contribuído para um evidente sucesso de estratégias de articulação e planeamento conjunto e da sua adequação aos grupos. Atividades de Enriquecimento Curricular (Componente de Apoio à Família e Atividades de Prolongamento de Horário) e Departamento de Educação Pré- Escolar No caso do jardim de infância, o ano decorreu como esperado, tendo havido reuniões de preparação e coordenação (com Assistentes Operacionais e Coordenadora CAF), de forma a aumentar a qualidade de resposta, sobretudo no âmbito do serviço de refeições. De uma forma global, o espaço de articulação e atendimento foi melhorando ao longo do ano e permitiu a dinamização de outras estratégias de acompanhamento dos alunos, de acordo com os espaços de avaliação constante e contínua. De salientar ainda a mudança de atitude dos parceiros educativos (CMMafra) cujas alterações na gestão de pessoal permitiu um mais efetivo acompanhamento aos alunos, bem como a resposta mais rápida e coerente às necessidades destes e da escola. Também a participação conjunta em atividades de divulgação/informação, bem como na apresentação/mostra de produtos educativos se potencia com um espaço efetivo de articulação pedagógica, sendo de destacar, a contribuição de toda a comunidade educativa na disponibilização de meios para tornar operacionais tais objetivos. Nesse sentido a preparação e participação na atividade Semana da Infância 2013, desenvolvida no âmbito do Departamento de Educação Pré- escolar, revelou-se como um espaço otimizador e potenciador da dinâmica educativa, nomeadamente ao permitir a divulgação de práticas letivas de qualidade e foi uma mais-valia em termos de mobilização e de organização de recursos pedagógicos. Ambiente de Trabalho Manteve-se o espaço de partilha e envolvimento conseguido entre todas as turmas da escola através da realização de atividades conjuntas e de estratégias curriculares e pedagógicas articuladas que possibilitou uma avaliação muito positiva (Excelente) de todas as atividades desenvolvidas no âmbito do PAA, pela Comunidade e pela Associação de Pais. Manteve-se, como facto a destacar, a constante presença preocupada e atenta do Coordenador de estabelecimento que, na sua atitude de acompanhamento permanente permitiu uma eficaz antecipação e resolução de situações potencialmente problemáticas.
  7. 7. 7 Efeitos De acordo ainda com a avaliação feita são notórios os efeitos positivos nas práticas letivas e, essencialmente, nos resultados escolares dos alunos. Potenciaram-se espaços alargados de desenvolvimento de competências sociais e pessoais e fomentaram-se trocas e partilha entre os alunos da escola. No trabalho com as famílias As atividades desenvolvidas foram, na sua maior parte, atividades de parceria educativa e que demonstraram a forte adesão das famílias às estratégias e dinâmicas empregadas. De salientar também a parceria desenvolvida com a Associação de Pais e Encarregados de Educação e o seu envolvimento na organização de diversas atividades. Avaliação Global De acordo com o que anteriormente foi referido, avaliamos como muito positivas, e efetivamente educativas, as estratégias didáticas e pedagógicas escolhidas na Sala Amarela. Neste particular destacam-se, por um lado, as evidências obtidas através dos documentos que lhe dão corpo (Projetos, Atas, Divulgação), por outro, o reconhecimento público das práticas, nomeadamente através da participação em espaços de divulgação científica e da publicação em espaços mediados de comunicação (Locais e Nacionais). Serve ainda como espaço de informação complementar o Relatório de Atividades do Estabelecimento – 3º Período, onde se dá notícia de outras atividades e estratégias que corporizaram a execução dos planos propostos. Enxara do Bispo, Aos cinco dias do mês de julho de dois mil e treze, O Educador de Infância Henrique Santos
  8. 8. 8 ANEXOS
  9. 9. 9 Procedimentos de Avaliação pelos Encarregados de Educação SALA AMARELA da EB1/JI de S. MIGUEL 2012/2013 No âmbito do processo de Avaliação das Atividades do PDC procedeu-se à distribuição de um questionário aos Encarregados de Educação que visou a recolha de opiniões e perceções sobre o desenvolvimento da atividade educativa desenvolvida na Sala Amarela da EB1/JI de S. Miguel ao longo do ano letivo 2012/2013. O questionário foi construído com base na informação referenciada ao longo do ano letivo pelos encarregados de educação e famílias e pretendeu, de forma simples e breve, aferir a perceção global destes sobre alguns dos indicadores de qualidade do processo educativo, do espaço e materiais e da participação das famílias na vida da escola. Dividido em duas áreas (A. Perceção sobre o Envolvimento (do Enc. Ed.) nas atividades da Escola/Sala de Atividades e B. Perceção Individualizada sobre o Desenvolvimento das Atividades Educativas) questionou sobre: Participação nas atividades, Na ação educativa, Ambiente Escolar, Relação Educativa e Desenvolvimento de Atividades e Progresso Educativo dos Alunos. Cada categoria dispôs três ou quatro afirmações para valorar na escala Muito Adequado (MA), Adequado (A), Pouco Adequado (PA), Nada adequado (NA) e Não sei/Não respondo (NS/NR). Permitiu ainda uma reflexão livre facultativa. O questionário poderia ser preenchido de forma anónima ou identificando os dados do respondente. Foram distribuídos 17 questionários (modelo em anexo) aos encarregados de educação na reunião de Avaliação do PDC (dia 27 de junho), e cujas respostas foram recebidas até ao dia 5 de julho. Apenas foram devolvidos 13 questionários, sendo cinco anónimos e oito identificados com o nome do respondente. Com base nos resultados, apresenta-se de seguida um breve relatório descritivo com base nos gráficos de valores. Grupo 1 A. Perceção sobre o Envolvimento (do Enc. Ed.) nas atividades da Escola/Sala de Atividades Sobre a perceção do envolvimento e participação nas atividades realizadas na escola/sala de atividades, a maior parte dos respondentes considerou ser a sua participação adequada.
  10. 10. 10 Já quanto à perceção da colaboração no espaço de definição de estratégias para serem desenvolvidas na sala de atividades, as respostas dividiram-se entre Muito Adequado Adequado no que respeita à avaliação e participação no PCT, e um valor menor na dinamização de atividades complementares e na organização de atividades CAF. Uma parte importante referiu não ter tido intervenção. Grupo 2 B. Perceção Individualizada sobre o Desenvolvimento das Atividades Educativas Em relação ao ambiente da sala de atividades, a grande maioria considera Muito Adequado ou Adequado o material, a organização do material, a sua segurança do espaço a higiene e limpeza. Também a integração dos alunos nas atividades revela ser muito adequada na opinião dos respondentes.
  11. 11. 11 O desempenho do Educador foi também referenciado, na maioria, como Muito adequado e Adequado, designadamente no que respeita à relação com a cos alunos, com a comunidade e com as família. De acordo com as respostas, a maior parte dos respondentes afirma serem muito adequadas as dinâmicas e escolhas do educador, nomeadamente no que concerne aos conhecimentos adquiridos e à evolução evidenciada pelos alunos. A adequação das dinâmicas e estratégias às idades dos alunos também foi positivamente referenciada.
  12. 12. 12 Os dados apresentados, por análise dos questionários recebidos permite a conclusão, e em consonância com os dados de avaliação informal produzidos em reuniões com encarregados de educação, da perceção global dos níveis elevados de qualidade do trabalho desenvolvido na Sala Amarela. Pelo exposto se reafirma a qualidade geral demonstrada nos vários momentos de ação educativa e pedagógica no âmbito do planeamento e ação educativa desenvolvida ao longo do ano letivo que agora termina. Enxara do Bispo, 5 de julho de 2013
  13. 13. 13 Procedimentos de Avaliação pelos Encarregados de Educação Este questionário, de preenchimento facultativo, destina-se apenas a proporcionar ao docente um espaço de reflexão/avaliação sobre as atividades desenvolvidas ao longo do ano letivo 2012/2013, na Sala Amarela do Jardim de Infância da EB1/JI de S. Miguel, na perspetiva do trabalho desenvolvido com as famílias e com os Encarregados de Educação. Muito Obrigado pela colaboração! Nota: Deverá preencher apenas uma quadrícula da escala em cada afirmação. A. Perceção sobre o Envolvimento (do Enc. Ed.) nas atividades da Escola/Sala de Atividades 1 Participação nas atividades Escala Muito adequado Adequado SemOpinião Pouco adequado Nada Adequado De que forma é que analisa o seu desempenho (participação) nas atividades propostas pelo(a) Educador(a)? Nas atividades letivas, por iniciativa própria No âmbito das atividades inseridas no Plano Anual de Atividades Nas atividades extra-curriculares, por iniciativa própria Quando solicitado No âmbito das actividades dinamizadas pela Associação de Pais 2 Participação na ação educativa De que forma é que analisa a sua colaboração na definição de estratégias educativas? Na dinamização/execução de atividades complementares Na organização/execução de atividades de Prolongamento de Horário Na organização/execução do Projeto Curricular de Turma Na avaliação das atividades e das estratégias educativas B. Perceção Individualizada sobre o Desenvolvimento das Atividades Educativas Escala Muito adequado Adequado Sem Opinião Pouco adequado Nada Adequado 1 Ambiente Escolar Como classificaria o ambiente da sala de atividades/escola, em relação a: Qualidade do Material Organização do Material Segurança do espaço e dos materiais Higiene/limpeza Integração/Inclusão dos alunos na Sala de Atividades/Grupo 2 Relação Educativa e Desenvolvimento de Atividades Como classificaria o desempenho do(a) Educador(a) no que respeita a: Relação com a comunidade educativa Relação com os seus alunos Relação com as famílias Pertinência das escolhas e estratégias educativas (Visitas de estudo, Atividades conjuntas inter-ciclos, Dinamização e acompanhamento das atividades extra-curriculares) 3 Progresso Educativo dos Alunos Como classificaria a dinâmica e as escolhas educativas do(a) Educador(a) em relação a: Evolução evidenciada pelo seu educando Conhecimentos adquiridos pelo seu Educando de uma forma global Adequação dos conhecimentos à idade e às necessidades escolares Se pretender disponibilizar outra informação que julgue pertinente, faça-o aqui: Se pretender divulgar os seus dados, faça-o aqui. Nome Encarregado de educação de Data

×