O Bandeirante - n.219 - Fevereiro de 2011

345 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
345
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O Bandeirante - n.219 - Fevereiro de 2011

  1. 1. Jornal O Bandeirante Ano XIX - no 219 - Fevereiro de 2011 Publicação Mensal da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores - Regional do Estado de São Paulo - SOBRAMES-SP Os Bons Ventos da HistóriaJosyanne Rita de Arruda FrancoMédica PediatraPresidente da Sobrames SP / Biênio 2011-2012 Tenho recebido muitas corres- dores de rua. Carros blindados Moraes Barros.pondências eletrônicas alertan- circulam à margem dos graciosos Naquele belo dia de sol emdo sobre a demolição de antigos arvoredos, conduzindo pessoas Itu, selecionamos e visitamos al-imóveis não tombados que cede- afobadas que não sabem mais guns hotéis; lugares históricos serão espaço para a construção de refletir sobre si próprias e suas descortinavam a cada quilôme-novos espigões urbanos. Longe vidas. Falam aos celulares com- tro percorrido, os ares do inte-de ser uma pessoa conservadora, pulsivamente, vivem plugadas rior ressoavam nas ruas estreitasconsidero importante a preserva- aos seus eletrônicos cruzando do centro histórico, na fachadação da memória das coisas, seja avenidas, ignorando uns aos ou- azulejada de casas coloniais, node um tesouro particular, seja um tros, sem perceber que as qua- badalo dos sinos da matriz queprédio público, uma residência resmeiras estão floridas, que os dizem das horas idas, nos ban-imponente ou um jardim. Acredi- passarinhos cantam e, prestando cos da praça principal onde con-to que os símbolos devem ser pre- melhor atenção, que as cigarras versam jovens e idosos. Os sonsservados e ter a seu dispor toda a anunciam o fim do dia. do passado enchendo as ruas datecnologia possível para destacar Talvez seja o preço e o custo de cidade com o bimbalhar arquetí-seu encantamento de outrora. um viver sem sabedoria... pico do sino, a tagarelice risonha Certamente que nem tudo Sem pretender divagar, encon- das crianças e o entra e sai nospoderá ser mantido, o progresso tro-me com os olhos mergulhados diversos antiquários.clama ares de modernidade, mas na visão de um passado recente e A cidade quadrissecular rece-a beleza não é feita somente de encantador: a cidade paulista de berá nossos confrades e confrei-coisas recentes, tanto é verdade Itu, que acolheu alguns membros ras na penúltima semana de se-que ficamos extasiados com pe- da atual diretoria em um domingo tembro. Com seu jeito modestoças de escavações e arte de todas quente deste fevereiro suarento. e simpático, Itu oferecerá caloras épocas expostas em museus es- Fomos iniciar a caminhada humano, beleza e história. Umapalhados pelo mundo. que construirá nossa XI Jornada inesquecível e carinhosa estadia Como proceder para não apa- Médico-Literária Paulista nesta se anuncia para a nossa SOBRA-gar o passado numa sociedade que cidade que foi parada obrigató- MES-SP em seu mês de aniversá-acelera seus dias em extenuantes ria de sertanistas, bandeirantes e rio. Evento que certamente fica-horas de labor sacrificante? Como monçoneiros. Berço da Repúbli- rá destacado em nossa memóriapreservar memória e história? ca que nos deu um dos seus filhos como uma grande jornada pau- As praças estão vazias de pes- para ser o primeiro presidente lista porque, tratando-se de Itu,soas, cheias de poluição e mora- civil do Brasil, Prudente José de evidentemente tudo é grande!
  2. 2. 2 O BANDEIRANTE - Fevereiro de 2011 EXPEDIENTE Cultura e educação foram temas de grandes de-Jornal O BandeiranteANO XIX - no 219 - Fevereiro 2011 bates no período pré-eleição presidencial. O governo de São Paulo foi acusado pelo baixo nível das escolasPublicação mensal da Sociedade Brasileira de Médicos e principalmente pela aprovação automática que emEscritores - Regional do Estado de São Paulo SOBRAMES-SP . tese desestimula o aprendizado.Sede: Rua Alves Guimarães, 251 - CEP 05410-000 - Pinheiros- São Paulo - SP Telefax: (11) 3062-9887 / 3062-3604Editores: Josyanne Rita de Arruda Franco e Carlos Augusto Não podemos esquecer que o Estatuto da CriançaFerreira Galvão. Jornalista Responsável e Revisora: e do Adolescente transferiu a responsabilidade daLigia Terezinha Pezzuto (MTb 17.671 - SP). Redação eCorrespondência: Rua Francisco Pereira Coutinho, 290, educação para o Estado, tornando os pais meramenteap. 121 A – V. Municipal – CEP 13201-100 – Jundiaí – SPE-mail: josyannerita@gmail.com Tels.: (11) 4521-6484 fornecedores de crianças para as escolas. Trazê-las paraCelular (11) 9937-6342. Colaboradores desta edição: a escola tem custado oferecer leite em pó, vale-gás,Aida Lucia Pullin Dal Sasso Begliomini, Alcione AlcântaraGonçalves, Evanil Pires de Campos, José Jucovsky, livros gratuitos, material escolar, transporte e outrosJosyanne Rita de Arruda Franco, Márcia Etelli Coelho, benefícios.Marcos Salun, Maria de Fátima Calife, Roberto AntonioAniche e Sergio Perazzo. Apesar de todas as críticas, São Paulo ainda é o Estado que mais produzTiragem desta edição: 300 exemplares (papel) e mais de1.000 exemplares PDF enviados por e-mail. trabalhos científicos, oferece cultura 24 horas para quem se dispuser, tem aDiretoria - Gestão 2011/2012 - Presidente: Josyanne Rita maior rede de teatros, concertos, bibliotecas e universidades do País, pola-de Arruda Franco. Vice-Presidente: Luiz Jorge Ferreira. rizando a imigração de brasileiros de todos os Estados para aqui estudar ePrimeiro-Secretário: Márcia Etelli Coelho. Segundo-Secretário: Maria do Céu Coutinho Louzã. Primeiro- trabalhar.Tesoureiro: José Alberto Vieira. Segundo-Tesoureiro:Aida Lúcia Pullin Dal Sasso Begliomini. Conselho Fiscal Os mesmos partidos que execraram, no período pré-eleição, o sistema deEfetivos: Hélio Begliomini, Carlos Augusto Ferreira Galvãoe Roberto Antonio Aniche. Conselho Fiscal Suplentes: ensino em nosso Estado acabaram de indicar o Deputado Federal FranciscoAlcione Alcântara Gonçalves, Flerts Nebó e Manlio Mário Everardo Oliveira Silva, conhecido como o palhaço Tiririca, para a ComissãoMarco Napoli. de Educação e Cultura do Senado. Matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, a opinião da Sobrames-SP Aprovação automática existe sim, e em todo o Brasil, está mais do que Editores de O Bandeirante provado.Flerts Nebó – novembro a dezembro de 1992 Roberto Antonio AnicheFlerts Nebó e Walter Whitton Harris – 1993-1994Carlos Luiz Campana e Hélio Celso Ferraz Najar – 1995-1996Flerts Nebó e Walter Whitton Harris – 1996-2000Flerts Nebó e Marcos Gimenes Salun – 2001 a abril de 2009Helio Begliomini – maio a dezembro de 2009Roberto A. Aniche e Carlos A. F. Galvão - 2010Josyanne R. A. Franco e Carlos A.F. Galvão - janeiro 2011 Presidentes da Sobrames – SP1 Flerts Nebó (1988-1990;1990-1992 e out/2005 a dez/2006) o2o Helio Begliomini (1992-1994; 2007-2008 e 2009-2010)3o Carlos Luiz Campana (1994-1996)4o Paulo Adolpho Leierer (1996-1998)5o Walter Whitton Harris (1999-2000) Walter Whitton Harris6o Carlos Augusto Ferreira Galvão (2001-2002) Cirurgia do Pé e Tornozelo7o Luiz Giovani (2003-2004) Ortopedia e Traumatologia Geral8o Karin Schmidt Rodrigues Massaro (jan a out de 2005)9o Josyanne Rita de Arruda Franco (2011- ) CRM 18317 Av. República do Líbano, 344 Rua Luverci Pereira de Souza, 1797 - Sala 3 04502-000 - São Paulo - SP Cidade Universitária - Campinas (19) 3579-3833 Editores: Josyanne R. A. Franco e Carlos A.F. Galvão Tel. 3885 8535 www.veridistec.com.br Revisão: Ligia Terezinha Pezzuto Cel. 9932 5098 Diagramação: Mateus Marins Cardoso Impressão e Acabamento: Expressão e Arte Gráfica CUPOM DE ASSINATURAS* longevità Preço de 12 exemplares impressos: R$ 36,00 (11) 3531-6675 Nome:___________________________________________________________ Estética facial, corporal e odontológica * Massagem * Drenagem * Bronze Spray * End.completo: (Rua/Av./etc.) _______________________________________ Nutricionista * RPG Rua Maria Amélia L. de Azevedo, 147 - 1o. andar ________________________________ nº. _______ complemento _________ Cidade:_____________ Estado:_____ E-mail:___________________________ Clínica Benatti Grátis: Além da edição impressa que será enviada por correio, o assinante Ginecologia receberá por e-mail 12 edições coloridas em arquivo digital (PDF) Obstetrícia *Disponível para o público em geral e para não sócios da SOBRAMES-SP Preencha este cupom, recorte e envie juntamente com cheque nominal à SOBRAMES-SP para REDAÇÃO Mastologia “O Bandeirante” R. Francisco Pereira Coutinho, 290, ap. 121 A - V. Municipal - CEP 13201-100 - Jundiaí - SP Dê uma assinatura de “O BANDEIRANTE” de presente para um colega (11) 2215-2951
  3. 3. SUPLEMENTO LITERÁRIO O BANDEIRANTE - Fevereiro de 2011 3 Notícias No dia 13 de fevereiro, os sócios Josyanne Rita de Arruda Franco, Carlos Augusto Ferreira Galvão e Márcia EtelliCoelho estiveram na cidade de Itu em visita a hotéis da cidade, dando o pontapé inicial às atividades de planejamentoe organização da XI Jornada Médico-Literária Paulista, que se dará em setembro próximo. A Pizza Literária do mês de fevereiro (17/02) contou com a temática “Carnaval” na decoração da noite. Além dosbelíssimos trabalhos em prosa e poesia, o destaque ficou por conta do tema da Superpizza: “A mulher e o poder”.Apresentações personalíssimas e brilhantes. Nossa confreira Maria da Glória Civile está se recuperando plenamente de cirurgia odontológica. Nossos votos depronto restabelecimento para que possa nos brindar com sua presença na Pizza Literária de março. No dia 18 de fevereiro, os sobramistas Geovah Paulo da Cruz e Márcia Etelli Coelho participaram do sarau pro-movido pelo Movimento Poético Nacional. O evento ocorreu no auditório da livraria Saraiva do Shopping CenterNorte, num ambiente aconchegante, onde se mesclou canto, teclado e declamação de lindas poesias. Estamos empenhando esforços e estudo orçamentário para criação de nosso site ou blog. Nossa regional está cres-cendo em ideias e participações, portanto dicas e sugestões são muito bem-vindas. A diretoria está recebendo fotos para acervo de imagens da SOBRAMES-SP. Ao fim das reuniões festivas, faremosfoto dos associados, portanto participe conosco; deixe registrada sua imagem para nossa história. Nesta edição jáconsta o registro do último encontro. São Paulo, fevereiro de 2011. Prezados amigos e amigas da SOBRAMES SÃO PAULO, Esperamos encontrá-los em perfeita paz e harmonia. Como é de conhecimento de todos, a nova diretoria, encabeçada pela nossa presidente Josyanne Rita de ArrudaFranco, já assumiu e está muito ativa, com inúmeras novidades. Nossas reuniões de diretoria continuam sendo naprimeira quinta-feira do mês, sempre abertas para todos os sobramistas, independentemente de participarem ounão da diretoria atual. A Pizza, como de praxe, acontece na terceira quinta-feira, e ambas as reuniões têm lugar naPizzaria Bonde Paulista. Nós, da tesouraria, também temos novidades: o valor da anuidade até março é de R$ 200,00 em cheque ou di-nheiro. Este ano o pagamento poderá ser dividido em até três vezes, com cheques para março, abril e maio no valorde R$ 80,00 cada. A partir de maio, o valor será de R$ 250,00. Nossas Pizzas têm sido festivas e vibrantes e em breve todos estarão recebendo o nosso jornal “O Bandeirante”para deleite e arquivo pessoal. Venham participar de nossos encontros mensais, escutando ótima literatura, conversando com os amigos, bebendoe comendo as saborosas pizzas. É sempre uma grande alegria desfrutar da companhia de cada um de vocês! Abraços Jose Alberto Vieira e Aida Lúcia Pullin Dal Sasso Begliomini Tesoureiros
  4. 4. 4 O BANDEIRANTE - Fevereiro de 2011 SUPLEMENTO LITERÁRIO Perfil 2011 Sobrames-SPAlcione Alcântara GonçalvesAtuação: Médico psiquiatra e diretor clínico do Hospital Psiquiátrico DomBosco de TupãCidade de nascimento: Macaúbas - BahiaComida preferida: Vatapá e FeijoadaEsporte (que pratica ou gosta): FutebolLivro de cabeceira atual: Bíblia SagradaFilme: O Gordo e o MagroFim de semana (o que prefere fazer): Descansar, ler e dormirViagem inesquecível: A Roma, Grécia e IstambulSonho: São muitos com muitos desejosIntolerância: A fumaça do cigarro e a pessoa arroganteCaracterísticas pessoais: Calmo, tolerante, cumpridor dos deveres, exigente com a ética profissionalProjeto futuro: Fazer nova viagem ao exterior: Ásia e ÁfricaFilosofia de vida: Viver em paz e gozar a vida. Tragédia na MontanhaAlcione Alcântara Gonçalves As pessoas dormiam nas suas casas. A natureza bramia e o solo gemia, encharcado e amolecido até as entranhas. A água acumulada começava a escorrer e, de repente, uma enxurrada se formou. A água descia, o solo amolecia, formando uma lama que junto escorria. A chuva continuava, os trovões soavam e tudo em sua volta estremecia. Os clarões dos relâmpagos iluminavam as árvores arrancadas que desciam. O morro veio abaixo, numa fúria descomunal, carregando tudo que encontrava de modo fenomenal; soterrando prédios, sepultando homens e animais, neste pequeno dilúvio do mundo atual. São centenas de mortes, neste fenômeno natural! São os céus ditando a sorte, para o gênero hominal! São as lágrimas de Deus, compadecido com seus filhos, que desobedecendo a suas Leis, criaram pra si este castigo!
  5. 5. SUPLEMENTO LITERÁRIO O BANDEIRANTE - Fevereiro de 2011 5 Antônia e o InominadoMaria de Fátima Calife Quando conheci Antonia, só falava num sujeito que parecia ignorar o afeto que ela lhe devotava. Chegava a serentediante ouvir seus arroubos suplicantes do tipo: Ai, como eu gosto de falar com esse cara. Um misto de alívio ebem-estar corre o meu corpo quando ele me toca, ainda que sem intenção. Não procurei, mas me chegou assim, tãode repente, como que trazido pelos ventos do além. Brisa incauta, quem mandou? Não acredito em sina, mas misté-rios acontecem. Dia seguinte, seu humor mudava e vinha de queixosa, tentando convencer que não iria mais deixar-se dominarpela paixão. Vou queimar os meus neurônios, mas expulso essa figura que insiste em retornar. Não tem hora para vire cerimônia é do que mais carece. O tempo passa que nem sinto das bobagens que ele diz, só pra me provocar. Paracom isso, Antônia... Vocês pensam que o admiro? Negativo. Até ridículo eu acho, quando paro pra pensar. Mas, volta e meia, ele chegade mansinho e, se alma existe, a minha fica procurando brecha pra fugir do corpo, faça sol ou faça chuva, é sempretempo de sonhar. Parece carma, coisa do outro mundo. Você ainda vai se dar mal, se não parar... Um dia, Antônia desistiu de compreender o inexplicável e desapareceu da vila onde morava. Não deixou registrodo destino que tomou. Daí o sujeitinho se deu conta, e sentiu falta, do reconhecimento confortável e imerecido. Partiusem rumo certo, em busca de Antônia, única capaz de costurar o bom senso que lhe escapara. Vagou mundo afora,seguindo pistas que o conduziam ao vazio. O que se perde, nem sempre tem retorno. Provavelmente, nunca mais sereencontraram. Esse caso de amor não consumado virou lenda urbana na região. Descruzaram-se na vida de tal forma que nema morte deu jeito de juntá-los. As evidências nas noites enluaradas são de uivos lancinantes a curtas distâncias doscercados. O gado fica inquieto e criança não sossega. Corre logo a se achegar nos lençóis, por entre os pais. Nessasnoites, casal nenhum consegue acasalar. FelicidadeMarcos SalunJornalista (...) Aí teve um tempo em que eu acreditei na felicidade. Sabia exatamente onde ela estava. Fui lá. Certeiro. Dis-seram que ela tinha saído. Não demorava. Esperei. Demorou mais do que prometeram. Desisti? Não! Dei um tempo.Tinha outras coisas pra fazer. Aí teve um outro tempo em que eu me lembrei da felicidade. Achei que sabia onde ela estava. Fui lá, quase certode que estava lá. Disseram que havia um bom tempo que não a viam por ali. Não desisti, mesmo assim. Refleti pro-fundamente. Mas tinha outras coisas pra fazer. Aí teve ainda outro tempo em que achei que acreditava na felicidade. Não tinha nenhuma certeza de onde elapoderia estar. Mas fui lá, assim mesmo. Disseram que era uma lenda muito antiga. No entanto, que eu não me em-polgasse. Fui lá. Cadê? Tornei a refleti, mas já achava pura perda de tempo. Tinha ainda muita coisa pra fazer. Aí o tempo já não interessava mais. Ainda pensava na felicidade: ora como uma esperança, ora como uma crença,ora como uma quimera, ora como uma mentira, ora como uma dança, ora como um louvor, ora como um impulso,ora como uma alavanca. Em tudo isso e em muita coisa mais eu pensei, como se tudo fosse a pura e simples FELICI-DADE. Acho que nesse tempo eu já estava feliz (...)
  6. 6. 6 O BANDEIRANTE - Fevereiro de 2011 SUPLEMENTO LITERÁRIO Miragem TriunfalJosé Jucovsky Variado vento vagando vacilante Bafeja suave sonolenta madrugada Aurora de luz no lusco-fusco insinuante Decifra a magia da amena noite enluarada! A névoa rente ao solo se dissipa titilante À medida que o sol em êxtase gradual Abraça luzindo o renascer a cada instante Nem antes nem depois o mundo matinal! No deslumbrante céu, em alegre fantasia Vê-se leve e serena a natureza despertar Refletindo a tímida luz de um novo dia! Serpenteando visível crepúsculo espectral! A Expressão do Olhar Poética imagem ao deslumbrar o fulgor solar Transforma cores e sons em um sonho triunfal! Evanil Pires de Campos A visão revela no olhar a alma humana O difícil enxergar não mostra a atitude O olhar distante e vago nada assume O sentir vaga silente na ilusão visual A dúvida do olhar é mera ânsia amorosa A volúpia inebria e atormenta o olhar A tristeza do olhar é a sorte perdida Os olhos emanam pura singeleza O olho desperta na beleza o sublime No olhar o desejo move e aguça o ardor O pensar inculca e incita o terno olhar O amor mergulha nossa visão no olhar Nos olhos se enovelam a dor sofrida. No olhar o sorriso todo se deleita O escárnio do olhar envilece ao ferir Na má fé o olhar denigre e embaça Nos olhos o ódio se desenha e fala A tentação gera o real olhar sedutor O olho nutre e se notabiliza no ciúme Os olhos virtuosos embebem a razão A paixão debruça na vista esperançosa A apaixonada visão se deita no coração O amor verdadeiro pousa em nosso ser Ao olhar nossa alma concebe e enfatiza O bendito pelos olhos exalta a emoção Todo olhar se enamora da cândida visão.
  7. 7. SUPLEMENTO LITERÁRIO O BANDEIRANTE - Fevereiro de 2011 7 Feridas ainda AbertasSergio Perazzo Dr. Carlos Augusto Galvão Psiquiatria e Psicoterapia Rua Maestro Cardim, 517 No dia em que resolveu ser puta, puta de um dia só, puta de todas asnoites, Flor comprou uma liga cor de cereja e um par de meias pretas de Paraíso – Tel: 3541-2593seda pra combinar. Puta de um homem só. Mais linda não havia. Nem haviasensualidade maior, maior que tudo. Melhor dividir o corpo que dividir a alma: Este penteado fiz só pra você. PUBLICIDADE TABELA DE PREÇOS 2009Expressão viva da fêmea que explodia de escova ainda na mão, nuinha da (valor do anúncio por edição)silva, cabelos lisos descendo negros nas escarpas do rosto bem marcado. 1 módulo horizontal R$ 30,00 Apeava do alto do sapato alto e voltava a ser a mulher compacta e generosa 2 módulos horizontais R$ 60,00que o acolhia no peito aberto, no peito-curativo de todos os seus males, de 3 módulos horizontais R$ 90,00todas as suas farmácias, de todas as suas paranoias de abandono, entocado 2 módulos verticais R$ 60,00que estava numa gruta de solidão. Ela mostrava no sorriso franco e limpo, 4 módulos R$ 120,00 6 módulos R$ 180,00para não deixar qualquer sombra de dúvida: Claro que está tudo bem. Por Outros tamanhos sob consultaque não estaria? Quando não estiver eu digo. Ela não abandonava nunca. Ele é que se deixava abandonar pela própria josyannerita@gmail.comimaginação, feridas ainda abertas do passado remoto e recente, que de tãopresente aguardava o band-aid daquele segmento de alma, uma tintura deiodo que demarcasse as zonas de fragilidade a serem evitadas como minasterrestres em tempo de guerra. REVISÃO Flor cintilava no escuro. Olhava através. Olhava adentro. Olhava adiante. de textos em geralNessa hora não usava máscaras. A nudez era mais que nudez. Era a própriaessência e sabor da vida em pleno privilégio de um amor sem barreiras e sem Ligia Pezzuto Especialista em Língua Portuguesafronteiras. O perfume de suas entranhas que ele sorvia sedento sem parar.Sem parar de sentir prazer. O sumo da fruta vaginal, fruta doce, sumorosa, (11) 3864-4494 ou 8546-1725suculenta, carregada de erotismo, colhida no pé, raízes na terra, fruta só polpa,macia, sem caroço e sem travo. O corpo líquido que se derrama em todas asfrestas sem pedir licença, em todos os ângulos, em todos os vértices, em todas ROBERTO CAETANO MIRAGLIAas arestas, em todas as reentrâncias, ajustando-se à procura e ao encontro da ADVOGADO - OAB-SP 51.532excitação máxima que esfrega pele com pele na entrega que precede o orgas- ADVOCACIA – ADMINISTRAÇÃO DE BENSmo; e dos seus lábios sussurrando o nome dele com a rouquidão mais doce, NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS – LOCAÇÃOpedindo mais e mais e mais. COMPRA E VENDA DE IMÓVEIS Tinha que existir um deus que colocou um no caminho do outro. Tinha que ASSESSORIA E CONSULTORIA JURÍDICAter. Tudo configurado para dar um sentido nas coisas esparsas, peças de um TELEFONES: (11) 3277-1192 – 3207-9224puzzle com encaixes mínimos. Sutis. Sutis gradações de cor. De tonalidades.Movimentos de se buscarem com mãos plenas, pernas, olhos, ventres, mamilos,caleidoscópio anatômico a fazer e desfazer imagens de sombras chinesas. Terminou de Mas era a paz do sentimento que encaixava uma tampa no peito, naqueleburaco de ferida ainda aberta, naquele tumulto aparente. Paz que emanava escrever seudaquela mulher-farol em mar aberto, que nunca foi puta, que era só puta, que livro? Entãoera só e somente generosidade, carinho e desprendimento. Amor de Madale-na. Amor em estado sólido. Mulher que se contenta em comer um pedaço de publique!pizza com as mãos, num banco de praça, para estar feliz. Nada mais. Enquanto isso, a Vila oferecia um cenário natalino para este amor aben- Nesta hora importante, não deixe deçoado, com suas árvores noturnas de lâmpadas azuis coroando os seus bares consultar a RUMO EDITORIAL.de calçada. Publicações com qualidade impecável, dedicação, cuidado artesanal e preço justo. Você não tem mais desculpas para deixar seu talento na gaveta. rumoeditorial@uol.com.br (11) 9182-4815
  8. 8. 8 O BANDEIRANTE - Fevereiro de 2011 SUPLEMENTO LITERÁRIO Eternos NataisMárcia Etelli Coelho Os Natais de hoje não são como os da minha infância quando meus olhos ingênuos aguardavam Papai Noel ebrilhavam ao receber um simples brinquedo. A família reunida, o cheiro de panetone caseiro, o colorido dos enfeitesnas árvores naturais. Aos poucos, a magia foi se consumindo... Família dispersa, árvores artificiais, ceias industrializadas, presentes caros,mas que não despertavam a mesma euforia. Os entes queridos, um a um, se despediram, seguindo novos caminhos, habitando outra dimensão. E eu, em plenafesta, trancava a alegria e, por alguns instantes, me sentia muito só. Esta noite, porém, o céu se abre com um brilho especial. Os astrólogos confirmam a conjunção de planetas. Euprefiro acreditar na força que vence o breu. Ela sussurra o segredo da vida, que pulsa apenas no presente como dádivado Amor Divino. Só agora eu percebo que o tempo que eu desperdicei me lastimando foram momentos a menos em que eu poderiaestar feliz. E eu sorrio, tola, e respiro a beleza ao meu redor. Meu coração bate forte, esquece a saudade e compartilha a esperança. Os Natais que eu já vivi se eternizaram em minha alma... Outros mais hão de vir, cada qual com sua história. Muitos sonhos ainda me encantarão, e eu nem penso em recusá-los. Se o Universo me concede nova chance, por que não aproveitá-la? É NatalAida Lucia Pullin Dal Sasso Begliomini Na manjedoura nasceu uma criança Sob um céu repleto de estrelas Entre elas cintilava mais forte A que prenunciava a nova vida. Ao lado da criança nua Silêncio, profundo momento de solidão Mulher, ainda adolescente Os olhos de marido e mulher enfim se encontram Ofegante do trabalho de parto Seriam eles tão pequenos e humildes Descansava na relva úmida. Pai e mãe de tão esperada criança? Desconsolado, sonolento o homem Vencida pelo cansaço Agora marido e pai A noite lentamente adormece Olhava para um e para outro, Desaparecem a lua e o manto de estrelas Suplicando ajuda em uma oração silenciosa. Surgem radiantes os primeiros raios de sol. De muito longe partiram Mais intensa que tudo Por caminhos sinuosos chegaram No firmamento brilha uma única estrela Sem qualquer ajuda humana É o sinal de fé e esperança Só protegidos pela divina providência No anúncio do nascimento do Deus criança.

×