GC&i da Estratégia aos Resultados: Direcionamento,Soluções e Métricas

1,758 views

Published on

Apresentação da Oficina de Aprendizagem em GC&i da Estratégia aos Resultados realizada no dia 19 de maio de 2011, por Beto do Valle

Published in: Education, Business
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,758
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
81
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

GC&i da Estratégia aos Resultados: Direcionamento,Soluções e Métricas

  1. 1. Gestão 2010 - 2011 Transformando Conhecimento em Valor GC&i da Estratégia aos Resultados: Direcionamento, Soluções e Métricas Facilitador: Beto do Valle - TerraForum bvalle@terraforum.com.br Twitter: @BetoDoValleTF@SBGCnacional #sbgc
  2. 2. Bom dia! 8-)= Para acompanhar e participar das discussões dehoje em diante, use o hashtag #sbgcER no Twitter (da Estratégia aos Resultados) Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  3. 3. Objetivos• Estabelecer uma base conceitual• Compartilhar exemplos reais• Habilitar os participantes para a implantação e sustentação da gestão do conhecimento nas organizações Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  4. 4. ProgramaManhã:1. Geração de Valor na Economia do Conhecimento: Por quê? GC como Processo de Geração de Valor2. Diagnóstico e Orientação estratégica da GC O quê?Tarde:3. Soluções e Práticas de Gestão do Conhecimento Como?4. Inserção da Gestão do Conhecimento no Contexto Quem? Quando? Organizacional: indicadores, governança, gestão de Onde? mudanças Quanto?5. Desafios, práticas e perspectivas GC E agora? Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  5. 5. Programa1. Geração de Valor na Economia do Conhecimento: GC como Processo de Geração de Valor2. Diagnóstico e Orientação estratégica da Gestão do Conhecimento3. Soluções e Práticas de Gestão do Conhecimento4. Inserção da Gestão do Conhecimento no Contexto Organizacional: indicadores, governança, gestão de mudanças5. Desafios, práticas e perspectivas em Gestão do Conhecimento Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  6. 6. Economia do Conhecimento Propósito: Existência sustentável Fator Humano na Criação de Valor Conhecimento e talento - Criatividade humana - Criatividade das máquinas Rotinas e processos - Mecânicos - De informação e conhecimento Estamos aqui: economia industrial, com algumas práticas Força física incipientes da economia do conhecimento. Há um longo caminho adiante Economia Economia Economia do ? agrícola industrial conhecimento Adaptado de Tissen, Andriessen, Deprez (2000) Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  7. 7. Ativos tangíveis X intangíveis Conhecimento: crescentemente valorizado 10500 economicamente ? Conhecimento Fatores de Conhecimento Média Dow Jones Industrial 9000 Marca 7500 Relacionamentos 6000 Inovação 4500 Propriedade Intelectual 3000 Modelos de Negócios Ativos intangíveis 1500 Ativos tangíveis 0 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000 2010 Adaptado de Miller & Morris (2000) Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  8. 8. Conhecimento e Mercado ~anos 60 ~anos 80 anos 2000... Fonte Dados Informação Conhecimento Foco Produto Solução Inovação Dinâmica Competição Cooperação ColaboraçãoConfiguração Players Cadeia Rede Conhecemos para onde Adaptado de Debra M. Amidon (2003) caminha o mundo, mas convivemos com práticas em diferentes estágios Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  9. 9. Contexto mudança globalização velocidade inovação valores sustentabilidade conexão informação redes sociais tecnologia colaboração Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  10. 10. ContextoDifícil como nunca: Fácil como nunca:• Acompanhar as mudanças • Manter-se informado sobre as sociais, econômicas e mudanças sociais, econômicas e tecnológicas tecnológicas• Satisfazer aos consumidores e • Conhecer o que os clientes consumidores e clientes pensam• Responder aos desafios na • Comunicar-se diretamente com velocidade exigida consumidores e clientes• Manter o controle sobre o que • Conectar-se a pessoas e se diz sobre sua marca organizações de todo o mundo• Prever os rumos de um setor ou • Promover a colaboração e a mercado aprendizagem Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  11. 11. Geração de Valor Qual é o “valor” que sua organização busca gerar para seus clientes e para a sociedade? Quais os principais desafios a serem enfrentados para viabilizar a geração de valor no contexto atual? Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  12. 12. Principais desafios atuais das organizações Curto prazo X Longo prazo Otimização de recursos Maximização dos resultados Alinhamento estratégico Integração e sinergia Relacionamento com clientes / mercado Conhecimento: Aprimoramento dos processos fator-chave Atração de talentos Desenvolvimento de pessoas Disseminação de conhecimentos Absorção de novas de tecnologias Inovação Preparação para mudanças (...) Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  13. 13. Geração de Valor na Economia do Conhecimento Qual o papel do conhecimento na superação dos desafios e na geração de valor em sua organização? Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  14. 14. Organizações e Conhecimento A maior parte do conhecimento relevante flui pelas redes informais internas e externas... Fluxos formais de conhecimento Fluxos informais de conhecimento Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  15. 15. Exemplo real: Redes de Conhecimento Unidade 1 ...que podem ser mapeadas por meio das técnicas de mapeamento e análise de redes sociais Unidade 2 Unidade 4 Unidade 3Nós: 330Densidade: 0,83%Coesão: 0,16%Conexões: 904 Unidade 5 Unidade 6 Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  16. 16. Capital intelectual Capital Intelectual Capital Capital Capital Humano Estrutural SocialEssência Competências Processos RelacionamentosEscopo Interno, Links Links relacionado a organizacionais organizacionais pessoas e equipes internos externosParâmetros Capacidade e Eficiência Qualidade e Produtividade Longevidade Adaptado de Nick Bontis, 2002 As organizações ainda dão atenção desigual a aspectos fundamentais de seu capital intelectual Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  17. 17. Gestão: o que gerenciamos afinal? recursos? pessoas? redes? competências? conhecimento? processos? relacionamentos? reputação? necessidade de uma abordagem sistêmica Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  18. 18. Gestão do Conhecimento como dinâmica integradora Gestão Estratégica Relacionamento Gestão com Mercado e de Pessoas Stakeholders Gestão do Conhecimento Educação Gestão da Corporativa Inovação Gestão da Informação @TerraForum Consultores Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  19. 19. Elementos-chave para a Gestão do Conhecimento Estratégia e Governança captura Inputs Processos de Captura, Mobilização OutputsOrganizacionais Organizacionais e Inovação de Conhecimentos inovação mobilização © TerraForum Consultores Infraestrutura e Ferramentas Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  20. 20. Desenvolvimento de um Modelo de GC Desafios Portfólio de Estratégicos Iniciativas Plano deContexto do Diretrizes Processos Conhecimentos ImplementaçãoNegócio e da Estratégicas de GC Críticos e SustentaçãoOrganização de GC Organizacional de GC © TerraForum Consultores Governança e Fluxos de Indicadores conhecimento de GC Etapas-chave para o desenvolvimento de um Modelo de GC Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  21. 21. Programa1. Geração de Valor na Economia do Conhecimento: GC como Processo de Geração de Valor2. Diagnóstico e Orientação estratégica da Gestão do Conhecimento3. Soluções e Práticas de Gestão do Conhecimento4. Inserção da Gestão do Conhecimento no Contexto Organizacional: indicadores, governança, gestão de mudanças5. Desafios, práticas e perspectivas em Gestão do Conhecimento Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  22. 22. Desenvolvimento de um Modelo de GC Desafios Portfólio de Estratégicos Iniciativas Plano deContexto do Diretrizes Processos Conhecimentos ImplementaçãoNegócio e da Estratégicas de GC Críticos e SustentaçãoOrganização de GC Organizacional de GC © TerraForum Consultores Governança e Fluxos de Indicadores conhecimento de GC Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  23. 23. Diagnóstico e Orientação estratégica de GCQuestões-chave:• Quais os desafios estratégicos da organização?• Quais os conhecimentos críticos para fazer frente aos desafios do negócio?• Quais os fluxos de conhecimento existentes com atores internos e externos?• Quais as prioridades para direcionar o fluxo de conhecimentos para a geração de resultados no curto e longo prazos? Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  24. 24. Contexto de GC: macroambiente, cadeia e organização Macroambiente Fatores socioeconômicos, políticos, ambientais, culturais Variáveis Variáveisdeterminantes Setor / Mercado influenciadoras Cadeia de Valor / Cadeia Produtiva Organização Cultura e Imperativos do Valores Negócio © TerraForum Consultores Fluxos de Fluxos de bens e Conhecimentos Redes de ativos recursos intangíveis Críticos Conhecimento É fundamental desafiosentender os diversosníveis de contexto eos desafios em cada um deles Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  25. 25. Contexto de GC: identificação dos conhecimentos críticos Temas / conhecimentos relevantes para o negócio Áreas de conhecimento do negócio Taxonomia de conhecimentos organizacionais Identificar os Áreas de conhecimentoconhecimentos de maior priorizadas impacto no negócio (conhecimentos críticos)(conhecimentos críticos)é uma forma de dar foco aos esforços de GC Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  26. 26. Contexto de GC: entendimento dos fluxos /mapeamento das redes de conhecimento Entender os fluxos dos conhecimentos críticos permite estabelecer estratégias e táticas para aprimorar esses fluxos Nós: 175 Conexões: 473 Conexões/nó: 2,7 Área A Área B Área C Área D Área E Área F Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  27. 27. Contexto de GC: análise maturidade das práticas de GC Governança Gestão da Redes de Aprendizagem e MétricasNível Cultura de GC de GC Informação Colaboração Desenvolvimento de GC Um portal corporativo oferece Práticas de compartilhamento de Um portal corporativo oferece As comunidades e redes Profissionais são responsáveis pelo O modelo de gestão da organização 5 acesso fácil a documentos, e é a principal fonte de informação e espaço de colaboração dos funcionários para o dia-a-dia de conhecimentos e inovação são reconhecidas e incentivadas formalmente pela organização, inclusive com políticas acesso fácil a documentos, e é a principal fonte de informação e espaço de colaboração dos funcionários para o dia-a-dia de colaborativas formais são estratégicas e extrapolam a própria organização, envolvendo inclusive parceiros, clientes e fornecedores. seu autodesenvolvimento, contribuem com a formação dos colegas e contam com recursos e orientação da organização para incorpora, além das métricas de negócio, métricas claramente associadas à Gestão do Conhecimento, da Inovação e do trabalho. corporativas. trabalho. isso. Há mecanismos Capital Intelectual. Compartilhamento de sistematizados para melhoria conhecimentos e trabalho contínua integrados às atividades, colaborativo fazem parte dos processos e projetos processos formais e do organizacionais. funcionamento natural da organização. Há processos definidos e disciplina Práticas de registro e Há processos definidos e disciplina Grupos técnicos, redes de Políticas de desenvolvimento Avaliação dos indicadores do 4 para organizar, classificar e avaliar conteúdos e documentos ao nível das equipes, departamentos e da organização como um todo. compartilhamento de conhecimentos são reconhecidas e incentivadas em algumas áreas, ajudando a aprimorar práticas e para organizar, classificar e avaliar conteúdos e documentos ao nível das equipes, departamentos e da organização como um todo. colaboração e comunidades de prática estão alinhadas aos principais objetivos e/ou processos da organização e têm uma profissional contemplando sistemas de informação, redes de aprendizagem e compartilhamento de conhecimentos como parte dos negócio e dos processos gera aprendizagem e melhorias. Avaliação de desempenho dos colaboradores está claramente processos formais da organização. governança formal definida. recursos para aprendizado de associada à Gestão do indivíduos e equipes. Conhecimento (GC) e aos processos de aprendizagem individuais e organizacionais. Há processos contínuos para a Parte dos conhecimentos é Um portal corporativo oferece Existem redes, grupos técnicos e Aprendizagem é orientada por 3 Gestão de Conteúdo e de Documentos adotados em algumas áreas. formalmente registrada e compartilhada internamente em algumas áreas específicas. acesso fácil a documentos, e é a principal fonte de informação e espaço de colaboração dos funcionários para o dia-a-dia de comunidades de aprendizagem estruturadas, reconhecidas e apoiadas pela organização (inclusivamente tecnologicamente) roteiros de desenvolvimento e a responsabilidade é compartilhada entre profissionais e organização. Sistemas de informação, redes de Avaliações quantitativas e qualitativas formais são realizadas de forma regular, e incluem trabalho. aprendizagem e compartilhamento critérios relacionados ao de conhecimentos facilitam o desenvolvimento individual. desenvolvimento de indivíduos e equipes. Alguns tipos de informação (ex: Alguns conhecimentos são Há processos definidos e disciplina Existem algumas redes e Desenvolvimento individual é 2 Políticas, Normas, documentos oficiais, etc.) estão centralizados e bem organizados. compartilhados apenas informalmente entre profissionais de uma mesma área. Algumas ações de compartilhamento e para organizar, classificar e avaliar conteúdos e documentos ao nível das equipes, departamentos e da organização como um todo. comunidades ativas na organização (razoavelmente organizadas) para troca de informações e experiências. estruturado a partir de modelo de competências, combinando sala de aula e outras atividades orientadas pela organização. Avaliações quantitativas e qualitativas formais são realizadas em alguns projetos ou atividades. Avaliações de desempenho formas de aprendizado além da individual são realizadas de forma “sala de aula” são apoiadas pela regular. organização. Informação tem gerenciamento Há processos contínuos para a Prevalecem as redes de contatos Aprendizagem e desenvolvimento Indicadores de desempenho se “Conhecimento é poder”. Grande 1 pouco estruturado e está dispersa nos arquivos e computadores dos indivíduos ou áreas parte dos profissionais se preocupa em resguardar seu conhecimento como forma de garantir sua posição na organização. Gestão de Conteúdo e de Documentos adotados em algumas áreas. informais. são limitados aos treinamentos providos pela área de RH, oferecidos de forma reativa ou pouco regular. restringem aos negócios da organização. Avaliações de desempenho e feedback aos profissionais são informais e sem regularidade. © TerraForum Consultores Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  28. 28. Contexto de GC: análise maturidade das práticas de GC Governança Gestão da Redes de Aprendizagem e MétricasNível Cultura de GC de GC Informação Colaboração Desenvolvimento de GC Um portal corporativo oferece Práticas de compartilhamento de Um portal corporativo oferece As comunidades e redes Profissionais são responsáveis pelo O modelo de gestão da organização 5 acesso fácil a documentos, e é a principal fonte de informação e espaço de colaboração dos funcionários para o dia-a-dia de conhecimentos e inovação são reconhecidas e incentivadas formalmente pela organização, inclusive com políticas acesso fácil a documentos, e é a principal fonte de informação e espaço de colaboração dos funcionários para o dia-a-dia de colaborativas formais são estratégicas e extrapolam a própria organização, envolvendo inclusive parceiros, clientes e fornecedores. seu autodesenvolvimento, contribuem com a formação dos colegas e contam com recursos e orientação da organização para incorpora, além das métricas de negócio, métricas claramente associadas à Gestão do Conhecimento, da Inovação e do trabalho. corporativas. trabalho. isso. Há mecanismos Capital Intelectual. Compartilhamento de sistematizados para melhoria conhecimentos e trabalho contínua integrados às atividades, colaborativo fazem parte dos processos e projetos processos formais e do organizacionais. funcionamento natural da organização. Há processos definidos e disciplina Práticas de registro e Há processos definidos e disciplina Grupos técnicos, redes de Políticas de desenvolvimento Avaliação dos indicadores do 4 para organizar, classificar e avaliar conteúdos e documentos ao nível das equipes, departamentos e da organização como um todo. compartilhamento de conhecimentos são reconhecidas e incentivadas em algumas áreas, ajudando a aprimorar práticas e para organizar, classificar e avaliar conteúdos e documentos ao nível das equipes, departamentos e da organização como um todo. colaboração e comunidades de prática estão alinhadas aos principais objetivos e/ou processos da organização e têm uma profissional contemplando sistemas de informação, redes de aprendizagem e compartilhamento de conhecimentos como parte dos negócio e dos processos gera aprendizagem e melhorias. Avaliação de desempenho dos colaboradores está claramente processos formais da organização. governança formal definida. recursos para aprendizado de associada à Gestão do indivíduos e equipes. Conhecimento (GC) e aos processos de aprendizagem individuais e organizacionais. Há processos contínuos para a Parte dos conhecimentos é Um portal corporativo oferece Existem redes, grupos técnicos e Aprendizagem é orientada por 3 Gestão de Conteúdo e de Documentos adotados em algumas áreas. formalmente registrada e compartilhada internamente em algumas áreas específicas. acesso fácil a documentos, e é a principal fonte de informação e espaço de colaboração dos funcionários para o dia-a-dia de comunidades de aprendizagem estruturadas, reconhecidas e apoiadas pela organização (inclusivamente tecnologicamente) roteiros de desenvolvimento e a responsabilidade é compartilhada entre profissionais e organização. Sistemas de informação, redes de Avaliações quantitativas e qualitativas formais são realizadas de forma regular, e incluem trabalho. aprendizagem e compartilhamento critérios relacionados ao de conhecimentos facilitam o desenvolvimento individual. desenvolvimento de indivíduos e equipes. Alguns tipos de informação (ex: Alguns conhecimentos são Há processos definidos e disciplina Existem algumas redes e Desenvolvimento individual é 2 Políticas, Normas, documentos oficiais, etc.) estão centralizados e bem organizados. compartilhados apenas informalmente entre profissionais de uma mesma área. Algumas ações de compartilhamento e para organizar, classificar e avaliar conteúdos e documentos ao nível das equipes, departamentos e da organização como um todo. comunidades ativas na organização (razoavelmente organizadas) para troca de informações e experiências. estruturado a partir de modelo de competências, combinando sala de aula e outras atividades orientadas pela organização. Avaliações quantitativas e qualitativas formais são realizadas em alguns projetos ou atividades. Avaliações de desempenho formas de aprendizado além da individual são realizadas de forma “sala de aula” são apoiadas pela regular. organização. Informação tem gerenciamento Há processos contínuos para a Prevalecem as redes de contatos Aprendizagem e desenvolvimento Indicadores de desempenho se “Conhecimento é poder”. Grande 1 pouco estruturado e está dispersa nos arquivos e computadores dos indivíduos ou áreas parte dos profissionais se preocupa em resguardar seu conhecimento como forma de garantir sua posição na organização. Gestão de Conteúdo e de Documentos adotados em algumas áreas. informais. são limitados aos treinamentos providos pela área de RH, oferecidos de forma reativa ou pouco regular. restringem aos negócios da organização. Avaliações de desempenho e feedback aos profissionais são informais e sem regularidade. © TerraForum Consultores Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  29. 29. Estratégia pra quê?Estratégia: O lado negro:• Estabelece uma direção • Perda de visão periférica• Dá foco aos esforços • Pensamento único• Define e distingue a organização • Estereotipia• Provê consistência • Limitação da criatividade Desafio: administrar a tensão entre direcionamento e flexibilidade Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  30. 30. Estratégia? Visão significado As diretrizes de GC devem estar a serviço da macroestratégias da organização meios fins Valores Missão Estratégia Organizacional Objetivos, e de Negócios Metas Estratégia de Gestão do Conhecimento Diretrizes, Estratégia e Desdobramentos © Beto do Valle Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  31. 31. Orientação Estratégica da Gestão do Conhecimento Quais as variáveis estratégicas mais relevantes para sua organização? [fatores, controláveis ou não, que mais influenciam a atuação da organização] Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  32. 32. Estratégia de GC: definição de diretrizes definir as variáveis definir as diretrizes de GC estratégicas do negócio para cada variávelVARIÁVEIS ESTRATÉGICAS DIRECIONADORES DE GCEstratégia Empresarial • Diretriz 1 • Diretriz 2Áreas de Conhecimento Críticas • Diretriz 3 • Diretriz 4 • Diretriz 5Relações Institucionais • Diretriz 6Processos • Diretriz 7Inovação • Diretriz 8 • Diretriz 9Conformidade • Diretriz 10(...) • (...) © TerraForum Consultores Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  33. 33. Estratégia de GC: definição de diretrizes algumas questões-chave para a estratégia de GCQual o papel a ser desempenhado pelo conhecimento:• Na Estratégia Empresarial?• Nos Processos de Negócio?• Nas Conexões Internas e Externas?• Nas Competências Organizacionais e Individuais?• Nos Processos de Inovação ?• Na Cultura Organizacional?(...) © TerraForum Consultores Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  34. 34. Programa1. Geração de Valor na Economia do Conhecimento: GC como Processo de Geração de Valor2. Diagnóstico e Orientação estratégica da Gestão do Conhecimento3. Soluções e Práticas de Gestão do Conhecimento4. Inserção da Gestão do Conhecimento no Contexto Organizacional: indicadores, governança, gestão de mudanças5. Desafios, práticas e perspectivas em Gestão do Conhecimento Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  35. 35. Desenvolvimento de um Modelo de GC Desafios Portfólio de Estratégicos Iniciativas Plano deContexto do Diretrizes Processos Conhecimentos ImplementaçãoNegócio e da Estratégicas de GC Críticos e SustentaçãoOrganização de GC Organizacional de GC © TerraForum Consultores Governança e Fluxos de Indicadores conhecimento de GC Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  36. 36. Soluções e Práticas de Gestão do ConhecimentoQuestões-chave:• Como garantir o fluxo de conhecimentos críticos na organização?• Como mobilizar tanto os conhecimentos explícitos quanto os tácitos?• Quais as práticas mais aderentes aos processos de negócio e à cultura da organização?• Por onde começar? Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  37. 37. Soluções e Práticas de Gestão do Conhecimento Quais as práticas já adotadas para promover os fluxos de conhecimento em sua organização? Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  38. 38. Formas de Conversão do Conhecimento Tácito > Tácito Tácito > Explícito As práticas de GC devem cobrir as Socialização Externalização diversas formas de Prática Base conversão do conceitual conhecimento Interações sociais e Imagens e técnicas documentos Representações Simulação mais complexas e Experimentação aplicação do Aplicação conhecimento Internalização Combinação Explícito > Tácito Explícito > Explícito Fonte: Nonaka e Takeuchi (1997) Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  39. 39. Fluxo do Conhecimento Organizacional Explícito Criação do conhecimento Dimensões Tácito Indivíduo Grupo Organização Interorganização Níveis Fonte: Nonaka e Takeuchi (1997) Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  40. 40. Ambientes de Interação e Oportunidades de Aprendizagem As práticas de GC devem •Interação com colegas cobrir criar oportunidades •Acesso a informações, artigos e de compartilhamento nos documentos •Experiências diversos contextos de •Casos aprendizagem Atividades Profissionais•Consultas •Reuniões•Contribuições •Seminários•Publicação de documentos •Convenções•Quem somos •Cursos © TerraForum Consultores•Fóruns •Chats•Chats Ambientes Eventos Virtuais Especiais Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  41. 41. Soluções e Práticas de Gestão do Conhecimento Entre as práticas já adotadas em sua organização, que modalidades predominam? O que poderia ser reforçado? Socialização, Externalização, Combinação, Internalização? Trocas nas atividades profissionais, eventos especiais ou ambientes virtuais? Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  42. 42. “Topologia” do trabalho Entender os tipos de atuação contribui para adequar as práticas de GC à realidade das equipes... Expert Broker (centrado no (centrado na conhecimento) informação)Complexidade (centrado em (centrado em procedimentos) processos) Transacional Integrado Incerteza Fonte: S. Conway (2007) Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  43. 43. Soluções e Práticas de Gestão do Conhecimento Tácito • Mestre-aprendiz Compartilhamento • Mentoria facilitado um-a-um • Coaching Natureza do Conhecimento • Comunidades Compartilhamento • Eventos baseado em redes • Times de projeto Compartilhamento • Lições aprendidas baseado em • After action reviews processos • Checking points • Boas práticas Compartilhamento • Portais ...e adequar as baseado em • Fóruns ferramentas de GC às conteúdos • Páginas amarelas necessidades reais • Bases de conhecimentosExplícito menor Interação Humana maior Adaptado de Vestal (2005) Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  44. 44. Gestão do Conhecimento como processo Autores Processo Davenpport & Pruzak, 1998 Criar Codificar Distribuir Usar Bukovitz & Williams, 1999 Obter Usar Aprender Avaliar Sustentar Descartar Terra, 2000 Capturar Organizar Compartilhar Disseminar Proteger InovarSidanmaanlakka, 2002 Criar Capturar Armazenar Compartilhar Aplicar Reutilizar Salim, 2002 Mapear Gerar Disseminar Usar Manter Sabbag, 2007 Criar Esquematizar Validar Aprender Adaptado de Sabbag, 2007 O ciclo de GC foi abordado por diversos autores... Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  45. 45. GC como processo: ciclo simplificado para esta oficina ...e aqui, para facilitar, adotamos um ciclo que sintetiza diversas abordagens Inovação Captura Aplicação Mobilização Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  46. 46. Soluções e Práticas de Gestão do Conhecimento As práticas já adotadas em sua organização atendem a que etapas do ciclo de gestão do conhecimento? Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  47. 47. Soluções e Práticas de GC Captura Mobilização Inovação Crowdsourcing Inovação AbertaExt © TerraForum Consultores Mídias Sociais Eventos / Painéis / Cursos Parcerias em P&D Consultoria / Assessoria Pesquisas Programas de Ideias Storytelling Portais / Intranets / Ambients Colaborativos / Blogs e Wikis Programa de Lições Aprendidas / Boas Práticas Grupos de Inovação Comunidades de PráticaInt After Action Review Brainstorming Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  48. 48. Coordenação das iniciativas de GCMecanismos de Desenho Processos decoordenação organizacional conhecimento Facilitação dos fluxos de conhecimento Mecanismos Coordenação Mecanismos Construção de Explicitação do ligados às organizacional sociais capital social conhecimento atividades de GC profissionais Amplificação do conhecimento Tecnologia Adaptado de Kotlarsky, Oshri e Fenema (2008) Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  49. 49. Coordenação das iniciativas de GC Coordenação via desenho Coordenação baseada nas atividades organizacional profissionais • Times de projeto • Aprendizagem on-the-job • Processos • Comunidades técnicas • Governança • Consultores e multiplicadores internos Coordenação via tecnologia Coordenação via mecanismos sociais • Diretório de especialistas • Eventos internos • Ferramentas de interação • Team-building (blog, fórum) • Mídias sociais • Ferramentas de colaboração • Comunidades de interesse (wiki, bases compartilhadas, mídias sociais) Adaptado de Kotlarsky, Oshri e Fenema (2008) Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  50. 50. Soluções e Práticas de GC: planejamento e coordenaçãoalgumas questões-chavepara as iniciativas de GC• Que práticas de captura, compartilhamento e inovação já existem na organização?• Que práticas devem ser criadas?• Como organizar as práticas (existentes e novas) em torno de uma estratégia única?• Como essas práticas devem contribuir para a articulação de conexões e redes?• Como aproveitar sinergias e evitar a fragmentação / dispersão?• Como garantir um ciclo continuado de evolução dos conhecimentos críticos? Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  51. 51. Programa1. Geração de Valor na Economia do Conhecimento: GC como Processo de Geração de Valor2. Diagnóstico e Orientação estratégica da Gestão do Conhecimento3. Soluções e Práticas de Gestão do Conhecimento4. Inserção da Gestão do Conhecimento no Contexto Organizacional: indicadores, governança, gestão de mudanças5. Desafios, práticas e perspectivas em Gestão do Conhecimento Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  52. 52. Desenvolvimento de um Modelo de GC Desafios Portfólio de Estratégicos Iniciativas Plano deContexto do Diretrizes Processos Conhecimentos ImplementaçãoNegócio e da Estratégicas de GC Críticos e SustentaçãoOrganização de GC Organizacional de GC © TerraForum Consultores Governança e Fluxos de Indicadores conhecimento de GC Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  53. 53. Inserção da GC no Contexto OrganizacionalQuestões-chave:• Quais devem ser as métricas e os parâmetros de sucesso?• É melhor começar com um pequeno piloto ou um grande programa?• Qual deve ser o ritmo de implementação?• Quais os mecanismos para garantir a devida atenção e recursos da organização de forma continuada?• Como a GC deve se incorporar à estrutura e processos da organização? Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  54. 54. Inserção da GC no contexto organizacional Quais os obstáculos para a adoção de um modelo efetivo de gestão do conhecimento? Onde a GC pode realmente fazer a diferença? Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  55. 55. Inserção da GC no Contexto Organizacional:processos Processos Estratégicos e de Governança Processos de Gestão das Iniciativas e Fluxos de Conhecimento Processos de Gestão da Infraestrutura e Ferramentas de GC Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  56. 56. Inserção da GC no Contexto Organizacional:governança Estrutura Hierárquica Instâncias Paralelas Estratégico Conteúdos, Propostas, indicadores Diretoria Comitê Estratégico de GC Diretrizes e decisões Tático Gestores Grupo Gestor de GC Operacional Grupo de Grupo de Grupo de Equipes Trabalho A Trabalho B Trabalho C Programas e Iniciativas de GC Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  57. 57. Governança e processos de GC: planejamento ecoordenaçãoalgumas questões-chavequanto a governança e processos de GC• Como os processos de GC se conectam aos demais processos da organização?• Quais os processos decisórios específicos de GC?• Qual o nível de participação e representatividade desejáveis nas decisões de GC?• Como as decisões de GC devem ser oficializadas perante os demais mecanismos de governança / decisão da organização?• Como transformar os processos e a governança de GC em mecanismos efetivos e perenes da organização? Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  58. 58. Inserção da GC no Contexto Organizacional:indicadores Indicadores de evolução estratégica Indicadores relacionados a processos e práticas Indicadores de eficiência e efetividade Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  59. 59. Inserção da GC no Contexto Organizacional:indicadores Existem formas qualitativas e quantitativas de medir o impacto das iniciativas de conhecimento Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  60. 60. Inserção da GC no Contexto Organizacional:indicadoresCompetência Estrutura Interna Estrutura Externa(capital humano) (processos e conexões) (conexões, relacionamentos, reputação)• Indicadores de • Indicadores de • Indicadores de crescimento / crescimento / crescimento / renovação renovação renovação• Indicadores de • Indicadores de • Indicadores de eficiência eficiência eficiência• Indicadores de • Indicadores de • Indicadores de estabilidade estabilidade estabilidade Adaptado de Sveiby (2000) Exemplo de indicadores tático-operacionais de GC Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  61. 61. Inserção da GC no Contexto Organizacional:indicadores educação ROI – Relação financeira de custo X benefício Avaliação Nível 5 Indicadores tático- operacionais Impacto no Negócio – Reflexos nos utilizados em Avaliação Nível 4 indicadores de produtividade / rentabilidade (quantitativos e qualitativos) educação corporativa Aplicação do Conhecimento – Impacto nas Avaliação Nível 3 práticas do trabalho Aprendizagem – Apreensão e articulação do Avaliação Nível 2 conteúdo Reação – Nível de satisfação do público com Avaliação Nível 1 a iniciativa (ex: satisfação, importância, utilidade) Básica - Inputs para iniciativas de educação Avaliação Nível 0 (ex: %presença, nível de participação, horas, acessos) Fontes: Kirkpatrick; Philips Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  62. 62. Caso Gerdau: soluções e indicadores Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  63. 63. Philips, Tecnisa, Whirlpool...: Battle of Concepts  Plataforma de inovação aberta que integra empresas, estudantes e universidades em “desafios de conceitos”  Empresas colocam desafios para os estudantes, que apresentam idéias e conceitos  Empresa capta conceitos e identifica talentos  Estudantes exercitam conceitos no mercado real e ganham visibilidade e prêmios Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  64. 64. Caso TecnisaDesafio“Conceitos para melhoria e diferenciação dainfraestrutura de tecnologia, lazer e/ouserviços nas unidades residenciais econdomínios desenvolvidos pela Tecnisa”Resultado 849 downloads da Batalha 57 conceitos enviados 3 conceitos enviados em grupo Grupo ganhador da Poli/USP “Contratar uma consultoria para chegar a uma solução semelhante custaria pelo menos 40 vezes mais" afirma Romeo Busarello, diretor de inovação da Tecnisa (Revista Exame – 19/05/2010) Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  65. 65. Caso PhilipsDesafio“Desenvolver uma forma simples, interativa eintuitiva de configuraros manuais de uso dos nossos produtos”Resultado . 2.300 visitas ao desafio 814 downloads do desafio 34 conceitos recebidos Média de 5h de trabalho por cada participante Total de 1.700 horas de pensamento intensivo para a Philips Aproximação do participante com a empresa Ganhador da Física/USP Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  66. 66. Casos de Comunidades de Prática Empresa Objetivos / Projeto Resultados Reportados Seis Sigma, usando Comunidades de Ex: Redução de US$10 milhões em BHP Prática envolvendo fornecedores, Padrões, custo de transferência de pneus fora- Billiton Site de replicação de Melhores Práticas de-estrada entre plantas Alcoa Comunidades de prática 80 comunidades, US$10 milhões de World valor agregado por ano Alumina Comunidades de Prática com patrocínio da 42 comunidades, mais de 20 mil alta gestão e incorporadas à cultura e à usuários geograficamente rotina da empresa. dispersos Fluor Resultados coletados por meio de relatos incluem redução de custos, novos contratos com clientes satisfeitos, inovações e até uma vida salva. Melhores Práticas disseminadas por meio Redução no tempo de de portal, comunidades envolvendo desenvolvimento das missões, fornecedores conhecimento crítico retido e NASA disseminado (“Failure is not an option”)Fontes: Knowledge Retention and Transfer Consortium Benchmarking Study - APQC – American Productivity Quality Center – 2007 /12th Annual Knowledge Management and Innovation Conference – APQC - 2007 Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  67. 67. Casos de Comunidades de Prática Empresa Objetivos / Projeto Resultados Reportados Comunidades de Prática com intuito de Conhecimento crítico retido eAerospace manter o conhecimento nas tecnologias disseminado desenvolvidas KM bem estruturado, com várias Conhecimento crítico retido e disciplinas e ferramentas – ex: disseminado Comunidades de interesse, Comunidades de Prática, Centros de Excelência, portais, Michelin repositórios de documentos, equipes virtuais, revisões pós-projetos, coaching, treinamentos, mentoring, collège Métiers (áreas de conhecimento), etc KAMP (Knowledge Acquisition and Conhecimento crítico retido e Rolls- Mapping Process) e demais disciplinas de disseminado, redução do tempo Royce KM – KM bem estruturado na empresa para competência, aumento de produtividade Canal aberto dos principais executivos com Um case de referência de blogs o público para: corporativos •Falar sobre os produtos atuais A maioria dos posts chegam a ter GM mais de 50 comentários espontâneos. •Discutir novas idéias e conceitos •Colocar suas opiniões sobre assuntos Conhecimento crítico retido e relevantes para a GM disseminadoFontes: Knowledge Retention and Transfer Consortium Benchmarking Study - APQC – American Productivity Quality Center – 2007 /12th Annual Knowledge Management and Innovation Conference – APQC - 2007Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados
  68. 68. Inserção da GC no contexto organizacional Gestão do Conhecimento: Por onde começar? Como evoluir? Beto do Valle :: GC&I: Da Estratégia Aos Resultados

×