Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
 Com  este trabalho temos o
 objectivo de mostrar alguns
 distúrbios alimentares, assim
 como, as suas
 causas, consequên...
Anorexia


Bulimia


Obesidade
É uma perturbação psicológica e com

    implicações físicas emocionais graves.

    Afecta predominantemente as
    adol...
Caracteriza-se essencialmente por um medo

    intenso de engordar mesmo quando muito
    magra.

    A pessoa que sofre ...
Esfera alimentar:

    Recusa em ingerir alimentos ricos em hidratos de carbono e

    gorduras;
    Medo intenso e inexp...
Desenvolvimento de comportamentos

    ritualizados à refeição (ex. cortar a comida
    aos bocadinhos);

    Não assumir...
Emagrecimento rápido sem causa

    aparente

    Cabelos finos e quebradiços



  Interrupção do ciclo menstrual nas

...
Desnutrição:
 Perda de tecido adiposo
 Perda da massa muscular
 Fraqueza, fadiga


Cardiovasculares:
 Perda de músculo...
Dermatológicas:
 Pele e cabelos secos
 Queda de cabelo
 Edema


Hematológicas:
 Anemia


Neurológicas:
 Depressão
 A...
Psiquiatra


Psicólogo                Nutricionista




            Tratamento
1. Restauração de peso normal/razoável

- menstruação e ovulação normais (mulheres)
 - função sexual e níveis hormonais n...
4. Corrigir sequelas biológicas e

    psicológicas da desnutrição;

    5. Tratamento de condições

    psiquiátricas a...
Níveis de tratamento:

 Hospitalização (4-10 semanas)
 Hospitalização parcial
 Programas residenciais
 Paciente exter...
A bulimia nervosa pode ser considerada

    uma consequência da anorexia. Uma
    pessoa com bulimia (bulímica) ingere
  ...
Factores psicológicos

 Factores físicos
                          Reduzem a auto-estima
 Factores académicos
         ...
Momentos de voracidade alimentar com frequência

    de pelo menos 2 vezes por semana em 3 meses
    consecutivos;

    E...
Físicos:

    Grandes oscilações de peso

    Perda de potássio e desidratação

    Rosto inchado – indução sistemática ...
Psicológicos:

    Emotividade e depressão

    Alterações de humor

    Obsessão por dietas

    Dificuldade de contro...
Comportamentais :

    Obsessão por comida

    Indisposição depois das refeições

    Comer às escondida

    Uso de c...
Episódios de ingestão compulsiva de uma quantidade de

    alimentos muito superior à maioria das pessoas:

  A nível ace...
Fadiga e perda de energia

  Menstruação irregular ou inexistente

  Desidratação

  Obstipação

  Diarreia

  Lesão ...
Inchaço e dores de estômago

    Enfraquecimento da estrutura óssea

    Perda do esmalte dentário

    Irritação cróni...
O tratamento deve ser conduzido por uma equipa

    composta de:

        - Psiquiatra

         - Psicólogo

         ...
Objectivos clarificados e etapas bem

    definidas sobre a terapia a adoptar pelo
    doente.

    Um tratamento adequad...
Objectivo: - analisar e modificar os

    pensamentos, crenças e
    sentimentos que desencadeiam e perpetuam

    o cic...
Fundamental para aqueles que mantêm

    uma forte dependência emocional das
    famílias.

    Objectivo: - modificação ...
Partilha de experiências individuais: o

  doente apercebe-se que não está sozinho
  e que a recuperação é possível.
 Di...
Antidepressivos  o seu uso deriva da

    associação frequente desta doença
    com a doença depressiva.

    Funciona co...
Essencial para que o doente saiba exactamente aquilo

    que deverá comer consoante o distúrbio alimentar de que
    pad...
Só ocorre quando existem complicações

    clínicas, risco de suicídio, ou quando houver
    fracasso do tratamento no am...
Bulimia                          Anorexia
                                
    – Idade atingida: 18-40          – Idade ...
A obesidade pode definir-se como um

    aumento da quantidade de energia
    armazenada como gordura.



     Este aumen...
Aumento do índice de massa corporal;



    Aumento da percentagem de gordura

    subcutânea a partir da prega subcutân...
Aumento de peso;



    Maior gordura acumulada;



    Maior risco de desenvolver doenças

    como a
    hipertensão,...
Consumo excessivo de alimentos

    empacotados (gomas, bolos,…);

    Consumo de alimentos hiper-calóricos (fast-

    ...
O tratamento da obesidade baseia-se

    num plano dietético e de exercício para
    reduzir o peso e obter um cresciment...
Os distúrbios alimentares são doenças psiquiátricas

    estando na sua origem a interacção de factores
    psicológicos,...
Sara Santos nº20 12ºC

Distúrbios Alimentares
Distúrbios Alimentares
Distúrbios Alimentares
Distúrbios Alimentares
Distúrbios Alimentares
Distúrbios Alimentares
Distúrbios Alimentares
Distúrbios Alimentares
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×
Upcoming SlideShare
What to Upload to SlideShare
Next
Download to read offline and view in fullscreen.

34

Share

Download to read offline

Distúrbios Alimentares

Download to read offline

Related Audiobooks

Free with a 30 day trial from Scribd

See all

Distúrbios Alimentares

  1. 1.  Com este trabalho temos o objectivo de mostrar alguns distúrbios alimentares, assim como, as suas causas, consequências e tratamentos.
  2. 2. Anorexia Bulimia Obesidade
  3. 3. É uma perturbação psicológica e com  implicações físicas emocionais graves. Afecta predominantemente as adolescentes com maior risco de incidência entre os 14-18 anos, podendo iniciar-se mais cedo. Embora seja predominante no sexo feminino, surge também no sexo masculino.
  4. 4. Caracteriza-se essencialmente por um medo  intenso de engordar mesmo quando muito magra. A pessoa que sofre de anorexia por mais  magra que seja, sempre que se olha ao espelho, vê -se como uma pessoa extremamente gorda algo que não corresponde ao seu aspecto físico real, bem pelo contrário. Trata-se de um transtorno da alimentação  ao qual se dá actualmente muito mais importância do que no passado.
  5. 5. Esfera alimentar: Recusa em ingerir alimentos ricos em hidratos de carbono e  gorduras; Medo intenso e inexplicável de engordar  Tem dificuldade em comer em locais públicos  Outras áreas do comportamento além da alimentar: Interesse especial pelo valor nutritivo da cada alimento  Por vezes são exímias cozinheiras  Passam grande parte do tempo a melhorar as condições  nutricionais dos seus familiares Submetem-se a exercícios físicos excessivos  Diminuem as horas de sono  Isolamento social e dificuldade para namoros e vida sexual 
  6. 6. Desenvolvimento de comportamentos  ritualizados à refeição (ex. cortar a comida aos bocadinhos); Não assumir a fome;  Isolamento social;  Atitude extremamente critica em relação  à imagem e forma corporal; Grandes oscilações de peso; 
  7. 7. Emagrecimento rápido sem causa  aparente Cabelos finos e quebradiços  Interrupção do ciclo menstrual nas  raparigas - amenorreia  Vómito Perda de erecção nos rapazes 
  8. 8. Desnutrição:  Perda de tecido adiposo  Perda da massa muscular  Fraqueza, fadiga Cardiovasculares:  Perda de músculo cardíaco  Bradicardia  Arritmias Gastro – intestinais:  Dor abdominal  Obstipação
  9. 9. Dermatológicas:  Pele e cabelos secos  Queda de cabelo  Edema Hematológicas:  Anemia Neurológicas:  Depressão  Atrofias irreversíveis do cérebro
  10. 10. Psiquiatra Psicólogo Nutricionista Tratamento
  11. 11. 1. Restauração de peso normal/razoável  - menstruação e ovulação normais (mulheres) - função sexual e níveis hormonais normais (homem) - desenvolvimento físico e sexual normal nas crianças e adolescentes 2. Motivação do paciente para recuperar  hábitos e comportamentos alimentares saudáveis e participar no tratamento; 3. Corrigir pensamentos, sentimentos e atitudes  disfuncionais relacionadas com a desordem;
  12. 12. 4. Corrigir sequelas biológicas e  psicológicas da desnutrição; 5. Tratamento de condições  psiquiátricas associadas; 6. Garantir suporte e aconselhamento  familiar; 7.Prevenir recaídas; 
  13. 13. Níveis de tratamento:   Hospitalização (4-10 semanas)  Hospitalização parcial  Programas residenciais  Paciente externo Escolha do nível de tratamento:  Parâmetros físicos + parâmetros comportamentais
  14. 14. A bulimia nervosa pode ser considerada  uma consequência da anorexia. Uma pessoa com bulimia (bulímica) ingere grandes quantidades de alimentos para em seguida livrar-se deles, vomitando- os.
  15. 15. Factores psicológicos   Factores físicos Reduzem a auto-estima  Factores académicos e o auto-controlo  Factores sociais  Factores genéticos Crises de desenvolvimento e angústia e emocional
  16. 16. Momentos de voracidade alimentar com frequência  de pelo menos 2 vezes por semana em 3 meses consecutivos; Exageradas restrições alimentares;  Provocam o vómito;  Usam processos químicos de emagrecimento;  Exercício físico exagerado;  Sinais de automutilação e flagelação; 
  17. 17. Físicos: Grandes oscilações de peso  Perda de potássio e desidratação  Rosto inchado – indução sistemática do vómito  Garganta irritada e glândulas aumentadas  Irritações graves do esófago – acidez gástrica  Fadiga  Dificuldade em dormir  Irregularidade menstrual  Fraqueza muscular  Rebentamento dos vasos  Problemas dentários 
  18. 18. Psicológicos: Emotividade e depressão  Alterações de humor  Obsessão por dietas  Dificuldade de controlo  Auto-criticismo severo  Auto-estima determinada pelo peso  Medo de não conseguir parar de comer  voluntariamente Necessidade de aprovação dos outros 
  19. 19. Comportamentais : Obsessão por comida  Indisposição depois das refeições  Comer às escondida  Uso de clisteres  Provocação do vómito  Isolamento social  Exercício físico em excesso  Jejuns prolongados e frequentes  Fuga a restaurantes e refeições planeadas 
  20. 20. Episódios de ingestão compulsiva de uma quantidade de  alimentos muito superior à maioria das pessoas: A nível acelerado e caótico  Sem qualquer selecção de alimentos  Com o desaparecimento das sensações de prazer ou da  obtenção da saciedade  Sentimento de total falta de controlo na ingestão dos alimentos Comportamentos compensatórios decorrentes para perder peso  e prevenir o seu ganho: Vómito auto-induzido  Abuso de laxantes e outros medicamentos  Jejum e exercício físico prolongados 
  21. 21. Fadiga e perda de energia  Menstruação irregular ou inexistente  Desidratação  Obstipação  Diarreia  Lesão das extremidades nervosas que  alimentam as fibras musculares do intestino  Falta de ar  Batimentos cardíacos irregulares  Depressão
  22. 22. Inchaço e dores de estômago  Enfraquecimento da estrutura óssea  Perda do esmalte dentário  Irritação crónica da garganta  Problemas de fígado e rins  Aumento da glândula parótida  Desequilíbrio hidro-electrolítico  Mãos e pés inchados  Hipotensão  Úlceras  Dilatação e ruptura gástrica  Escoriações nas mãos e nas articulações  Anemia  Paragem cardíaca e morte 
  23. 23. O tratamento deve ser conduzido por uma equipa  composta de: - Psiquiatra  - Psicólogo  - Nutricionista  - Endocrinologista  - Assistente social  O primeiro objectivo do tratamento é acabar com o  ciclo de ingestão compulsiva, seguida de manobras purgativas ou de jejum prolongado. Estabelecimento de um padrão alimentar regular e disciplinado.
  24. 24. Objectivos clarificados e etapas bem  definidas sobre a terapia a adoptar pelo doente. Um tratamento adequado da bulimia nervosa  deverá incluir: * Tratamento psicológico  * Tratamento farmacológico  * Aconselhamento nutricional  * Internamento em casos muito graves 
  25. 25. Objectivo: - analisar e modificar os  pensamentos, crenças e sentimentos que desencadeiam e perpetuam  o ciclo bulímico. O tratamento psicológico passa pelas  seguintes terapias: * Terapia cognitivo-comportamental  * Terapia familiar  * Terapia de grupo 
  26. 26. Fundamental para aqueles que mantêm  uma forte dependência emocional das famílias. Objectivo: - modificação do padrão de  comportamento alimentar, conseguida pela aliança terapêutica estabelecida com a família.
  27. 27. Partilha de experiências individuais: o  doente apercebe-se que não está sozinho e que a recuperação é possível.  Discutidas e planeadas actividades, regras do tratamento e suas modificações com a evolução do tratamento. Psicoterapia interpessoal variante psicodinâmica desta terapia, sendo a primeira com efeitos equivalentes aos da terapia cognitivo-comportamental.
  28. 28. Antidepressivos o seu uso deriva da  associação frequente desta doença com a doença depressiva. Funciona como complemento dos  métodos de reabilitação nutricional e de psicoterapia. Não é o tratamento principal, nem o  mais eficaz!
  29. 29. Essencial para que o doente saiba exactamente aquilo  que deverá comer consoante o distúrbio alimentar de que padece. Objectivos: - reconhecimento do verdadeiro valor dos  nutrientes e da sua importância na alimentação Comportamento alimentar saudável - correcção dos erros alimentares e introdução ou restabelecimento de padrões alimentares adequados. - ajuda na planificação do guia de refeições, baseada no conhecimento da história dietética do bulimico. Padrão de refeições regular e disciplinado
  30. 30. Só ocorre quando existem complicações  clínicas, risco de suicídio, ou quando houver fracasso do tratamento no ambulatório.
  31. 31. Bulimia Anorexia   – Idade atingida: 18-40 – Idade atingida: 13-14 anos; anos 16-17 anos Não há perda Perda significativa de peso – – significativa de peso Preferência pela magreza – Satisfação com um peso extrema – abaixo da média Amenorreia – Nem sempre ocorre – Faz gala do seu estado – amenorreia Facilmente diagnosticada – Guarda segredo – Internamento mais frequente – Passa facilmente – Dietas loucas – despercebida Internamento raro – Períodos de voracidade – alimentar
  32. 32. A obesidade pode definir-se como um  aumento da quantidade de energia armazenada como gordura. Este aumento de energia depende de  factores como a idade, o sexo, o estado de saúde, a herança genética e o ambiente.
  33. 33. Aumento do índice de massa corporal;  Aumento da percentagem de gordura  subcutânea a partir da prega subcutânea; Não conseguir permanecer em pé muito  tempo; Cansaço; 
  34. 34. Aumento de peso;  Maior gordura acumulada;  Maior risco de desenvolver doenças  como a hipertensão, diabetes, cancro, AVC ou lesões no esqueleto
  35. 35. Consumo excessivo de alimentos  empacotados (gomas, bolos,…); Consumo de alimentos hiper-calóricos (fast-  food); Ingestão rápida de alimentos;  Beber grande quantidade de refrigerantes  (Coca- Cola / sumos); Ter alimentação desmedida e sem regras. 
  36. 36. O tratamento da obesidade baseia-se  num plano dietético e de exercício para reduzir o peso e obter um crescimento correcto. É também necessário um forte apoio  afectivo; Entre 80% e 90% dos indivíduos voltam  ao peso anterior.
  37. 37. Os distúrbios alimentares são doenças psiquiátricas  estando na sua origem a interacção de factores psicológicos, biológicos, familiares e socioculturais. Caracterizam-se, fundamentalmente por alterações  significativas do comportamento alimentar. Ocorrem predominantemente nos países  industrializados, tendo uma incidência menor nos países pouco desenvolvidos e fora do mundo ocidental. Afectam sobretudo as mulheres jovens. Podem ser tratados na maior parte dos casos; 
  38. 38. Sara Santos nº20 12ºC 
  • GlazielaMariaBorges

    Apr. 12, 2021
  • danielsoncarvalho2

    Nov. 25, 2020
  • lasaletemarques

    Oct. 20, 2020
  • SlviaLagunadeSouza

    Oct. 1, 2020
  • Maikzan

    May. 7, 2020
  • AnaCarolina1390

    Feb. 27, 2020
  • adenilsonfranciscoma

    Oct. 14, 2019
  • valmirasantana1

    Sep. 6, 2019
  • Mnica6

    May. 6, 2019
  • ALEXANDREDELIRA1

    Nov. 16, 2018
  • CtiaSantos75

    Oct. 16, 2018
  • dionaracasagrande

    Sep. 4, 2018
  • SoniaMoreira13

    Jul. 20, 2018
  • karllyanesilva

    Dec. 6, 2017
  • lucidalvasantos71

    Oct. 20, 2017
  • VanessaXavier33

    Aug. 1, 2017
  • RanieriMesquita

    Jun. 5, 2017
  • andrezapedrosa5

    May. 20, 2017
  • nagilamarinho5

    Apr. 10, 2017
  • IzauraLima1

    Mar. 4, 2017

Views

Total views

43,768

On Slideshare

0

From embeds

0

Number of embeds

37

Actions

Downloads

1,826

Shares

0

Comments

0

Likes

34

×