O sexo e a crise... o que está em causa na vida conjugal - Rui Grilo

503 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
503
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O sexo e a crise... o que está em causa na vida conjugal - Rui Grilo

  1. 1. O Sexo e a Crise… o que está em causana vida conjugal? O Sexo e a Crise evidenciam aspectos em constante convergência, sendo que os mesmos podem assumir considerações positivas, como também pontos de vista menos positivos. Fonte: Corpo por Lady Pain Assim, perante a crise, asrelações sexuais entre o casal podem ser uma actividade efectivamente prazerosana medida em que, nesse momento, a crise é esquecida pelo desejo do outro, pelocontacto íntimo e pelo conforto da paixão. Esta perspectiva promove umaorganização mental, tão necessária em momentos considerados preocupantes edifíceis. A relação sexual com o parceiro é considerada aqui como uma actividadede descontracção perante um dia-a-dia complicado associado, actualmente, avivências de rejeição social e baixa auto-estima (por estar desempregado, porexemplo).Inúmeros estudos feitos apontam para um aumento da natalidade nesta fase. Estaé uma situação interessante, uma vez que se fizermos uma analogia com o iníciodos anos 60 e com os dias de hoje, percebemos que anteriormente, pelainexistência de tecnologias avançadas (como a televisão, a internet e as redessociais), era potenciada a actividade sexual e consequentemente o nascimento debebés. Também nos dias de hoje isso acontece, mas devido à crise financeira que seassolou sobre nós. Acaba por ser uma estratégia para não se pensar ou reflectirsobre a crise… Porém, uma gravidez indesejada ou não planeada pode ser fonte denovas “crises” emocionais (e financeiras), pelo que se não pretende engravidar,tome as devidas precauções.
  2. 2. A actividade sexual pode então funcionar como um escape emocional uma vez que,por breves momentos, as preocupações sobre a crise se desvanecem através darelação sexual saudável.Por outro lado, a crise financeira potenciada através do desemprego, é encaradacomo um fardo actual que terá necessariamente de se suportar, reflectindo-seatravés de momentos de enorme insegurança por parte do casal, associado a umaextrema ansiedade e angústia. Como reflexo desta situação, o sexo pode serafectado através de um défice do desejo e da libido.Desta forma, ficam aqui algumas dicas importantes para que o exercício sexual sejaencarado de forma positiva, independentemente da crise que estejamos avivenciar:- As relações sexuais estimulam a produção de testosterona. Será importanterecordar que níveis baixos desta hormona são responsáveis pela fadiga, falta delibido e depressão;- O sexo diminui os níveis de stresse ao estimular a produção de endorfinas,substância que controla a ansiedade;- As relações sexuais favorecem o sistema imunitário;- O desenvolvimento de níveis de oxitocina (momentos antes do orgasmo) têm umpapel extremamente preponderante para as boas noites de sono.Assim, fiquem com a seguinte mensagem“ Não entrem em crise no SEXO…”CeFIPsi: Centro de Formação e Investigação em PsicologiaDr. Rui Grilo (Psicólogo Clínico)www.cefipsi.com; info@cefipsi.com; 21 793 23 22

×