Tálamo, subtálamo e epitálamo

15,410 views

Published on

Tálamo, subtálamo e epitálamo.

1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
15,410
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
88
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tálamo, subtálamo e epitálamo

  1. 1. Tálamo, Subtálamo e Epitálamo Prof. Carlos Frederico Rodrigues Neuroanatomia
  2. 2.  Situa-se acima do hipotálamo e identificado em um corte sagital mediano. Forma parte da parede do III ventrículo. Possui vários núcleos, agrupados em 3 grandes grupos: anterior, medial e lateral. A divisão se dá por uma lâmina interna em forma de Y – lâmina medular interna, situada em sentido ântero-posterior. Essa lâmina possui núcleos próprios: intralaminares. Existe ainda o núcleo reticular do tálamo, fora da massa principal do tálamo. Tálamo: estrutura e divisões
  3. 3. Fig 11.1
  4. 4.  Grupo anterior. Recebe fibras do hipotálamo (corpo mamilar) e envia fibras para o córtex do giro do cíngulo. Circuito do sistema límbico. Grupo medial. O principal núcleo desse grupo é chamado núcleo dorsomedial, recebe fibras do sistema límbico e do córtex pré-frontal. Envia fibras para as áreas mais anteriores do córtex frontal. Grupo lateral. Vários núcleos, incluindo o pulvinar e os corpos geniculados lateral e medial. Possui ainda o subgrupo ventral anterior, lateral e posterior.Grupos nucleares talâmicos e suas conexões.
  5. 5.  Os núcleos ventral anterior e lateral recebem fibras vindas do globo pálido e do cerebelo. Seus neurônios se conectam com áreas motoras do córtex cerebral. O núcleo ventral posterior é subdividido em dois núcleos: ventral póstero-lateral e ventral póstero-medial. O primeiro recebe fibras do leminisco medial e do trato espinotalâmico. O segundo recebe as do leminisco trigeminal. Ambos enviam projeções para a área somestésica do córtex – giro pós-central.Grupos nucleares talâmicos e suas conexões.
  6. 6.  Corpo geniculado medial – recebe o leminisco lateral e se conecta com o córtex auditivo, enquanto que o corpo geniculado lateral recebe o trato óptico e se conecta com o córtex visual. Núcleo reticular e núcleos intralaminares – recebem fibras do córtex cerebral e de outros núcleos talâmicos. Projeta-se para a formação reticular mesencefálica e outros núcleos talâmicos.Grupos nucleares talâmicos e suas conexões.
  7. 7.  É uma região onde ocorrem sinapses das vias que se dirigem a diferentes regiões do córtex. A maioria dos núcleos talâmicos envia fibras ao córtes e essas conexões são recíprocas. Sabe-se que é importante para o processo sensorial. Todas as vias sensitivas passam pelo tálamo antes de atingirem córtex cerebral (exceção das vias olfatórias). O tálamo modifica o impulso sensorial, modificando-o e tornando-o “acessível” para o córtex.Considerações funcionais sobre o tálamo
  8. 8.  O tálamo participa também do controle motor. O complexo Va-Vl, recebe informações vindas do corpo estriado e do neocerebelo e as repassa ao córtex motor. Núcleo dorsomedial e anterior do tálamo estão envovidos em circuitos de memória e processos motivacionais.Considerações funcionais sobre o tálamo.
  9. 9.  Ocupa um território intermediário entre o hipotálamo e o mesencéfalo. Não pode ser vista em cortes sagitais medianos do encéfalo. Compreende grupamentos neuronais e feixes de fibras – o principal núcleo é o subtalâmico. Mantém conexões com o corpo estriado. Subtálamo
  10. 10.  Onde encontramo os núcleos habenulares e o corpo pineal. Os núcleos habenulares estão situados de cada lado do corpo pineal. São parte do sistema límbico, sem ter sua função totalmente esclarecida. Epitálamo
  11. 11.  O corpo pineal é um órgão de natureza endócrina, responsável pela secração da melatonina. A glândula pineal ainda é pouco conhecida e compreendida em seus aspectos funcionais. Sabe-se que pode ter um controle inibitório sobre as gônadas. Pensa-se que melatonina poderia atuar como transdutor químico das informações que chegam ao núcleo supra-quiasmático, participando da regulação dos ritmos circadianos. Epitálamo

×