Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Requalificação dos mercados da Cobal Humaitá e Leblon

38 views

Published on

O projeto de restauração e adequação dos mercados da Cobal Humaitá e Leblon é fruto da iniciativa do escritório AAA, em parceria com diversas organizações da sociedade civil (AMAHU_Associação de Moradores e Amigos do Humaitá; AMAB_Associação de Moradores e Amigos de Botafogo; AMAL_Associação de Moradores e Amigos do Leblon; Associação dos Comerciantes da Cobal Humaitá; Associação dos Comerciantes da Cobal Leblon) e tem por objetivo qualificar e consolidar os mercados como centros de bairro, ampliando as áreas de lazer públicas, arrecadação de receita, geração de emprego e renda além de ordenar o território com nova área para estacionamento e carga e descarga. A proposta visa a manutenção e inserção de novos usos, com foco na venda de produtos orgânicos produzidos no interior do Estado do Rio de Janeiro (pequenos produtores), alavancando desenvolvimento econômico para além dos bairros em que se inserem.

preservando a volumetria e os elementos tombados (cobertura e sua estrutura)

Published in: Business
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Requalificação dos mercados da Cobal Humaitá e Leblon

  1. 1. COBAL_Humaitá+Leblon Requalificação & Novos Usos RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE ARQUITETURA www.aaa.com.br / contact@aaa.com.br Um projeto em parceria com: - AMAHU_Associação de Moradores e Amigos do Humaitá - AMAB_Associação de Moradores e Amigos de Botafogo - AMAL_Associação de Moradores e Amigos do Leblon - Associação dos Comerciantes da Cobal Humaitá - Associação dos Comerciantes da Cobal Leblon Cobal Humaitá Cobal Leblon
  2. 2. ÍNDICE 01 Informação Empresa 02 Qualificação Profissional da Equipe 03 Proposta para Cobal Humaitá 04 Proposta para Cobal Leblon Mercado Ver-o-Peso, Belém do Pará, PA
  3. 3. 01 Informação AAA Agência especializada em articular diferentes atores, interesses, culturas, contextos e escalas para materializar a melhor estratégia urbana. Mercado Popular da Rocinha, Rio de Janeiro
  4. 4. Rodrigo Azevedo / AAA_Azevedo Agência de Arquitetura O escritório AAA foi fundado em 2002 pelo arquiteto Rodrigo Azevedo, após três anos a frente dos escritórios AZRV e Container. Ao longo dos últimos 17 anos, o escritório desenvolveu projetos junto a iniciativa pública, privada e sociedade civil, em programas como masterplan, complexos comer- ciais e culturais, patrimônio histórico, residencial e educacional. Na esfera pública, AAA busca projetos de relevância que tragam benefícios para as cidades e seus usuários. Participamos de importantes iniciativas de qualificação urbana e arquitetônica no Brasil como, por exemplo, o pro- jeto para o Mercado Ver-o-Peso (Belém do Pará), o projeto urbano Nova Luz (São Paulo), o novo Mercado Popular da Rocinha (Rio de Janeiro), a restau- ração e readequação do Palácio Laranjeiras (residencia oficial do governa- dor, Rio de Janeiro), o masterplan e projeto de restauração para Estação Ferroviária Barão de Mauá (Rio de Janeiro), o desenho urbano para Ilha de Paquetá (Rio de Janeiro), além da experiência do arquiteto Rodrigo Azevedo à frente da Secretaria de Projeto Urbano da Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu (2005 a 2007) e como professor nos cursos de ar- quitetura das universidades UFRJ e UNESA. No mercado privado, AAA desenvolve projetos para clientes grandes e peque- nos, abordando desde a conceituação e definição do programa de usos até o detalhamento final do projeto. Assim tem sido em iniciativas como o mas- terplan para a Fábrica da Bhering (Porto, Rio de Janeiro), o conjunto de três torres de escritórios (contíguas) no Porto do Rio de Janeiro, o Museu Casa do Pontal nos Galpões da Gamboa (Porto, Rio de Janeiro), o masterplan para o empreendimento Cidade da Copa (Recife) e bairro Teresina (Teresi- na), além de diversos projetos de arquitetura, de menor escala, em áreas sensíveis (sítios históricos e favelas). Soma-se a isso, a experiência adquirida no mestrado em Housing and Urbanism (MA) na AA_Architectural As- sociation School of Architecture e o PhD (em curso) na Bartlett School of PLanning (UCL), ambos em Londres, UK. Junto à sociedade civil, AAA desenvolve o programa filantrópico “Bair- ros do Rio”, que consiste no desenvolvimento de projetos urbanos e ar- quitetônicos para organizações da sociedade civil (Rio de Janeiro), obje- tivando qualificar seus espaços públicos. Já foram desenvolvidos projetos nos seguintes bairros: Glória, Cosme Velho, Humaitá e a comunidade Pavão- Palácio Laranjeiras, Parque Guinle, Rio de Janeiro
  5. 5. Pavãozinho (Copacabana), mobilizando um total de cerca de 250 mil pessoas. A partir de 2019, esta iniciativa foi levada para o es- critório modelo Observatório da Cidade (UNESA), coordenado por Rod- rigo Azevedo, e até o momento quatro organizações foram beneficia- das pelo projeto, além do convênio recém estabelecido com a CET-Rio (Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro). Atualmente o escritório se localiza no bairro histórico da Glória, no mesmo morro da Igreja Nossa Senhora da Glória do Outeiro: Rua Barão de Guaratiba, 178, em um imóvel do século XIX com uma bela vista para o Cristo Redentor. Rio de Janeiro, 2019. Rodrigo Azevedo CAU: 124475-2 AAA_Azevedo Agência de Arquitetura CAU: 7039-4 / CNPJ 00670945/0001-10 Restauração da Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro, Rio de Janeiro
  6. 6. Principais Projetos www.aaa.com.br Complexos Comerciais Mercado Ver-o-Peso (tombamento: IPHAN*) Requalificação urbana, com uso de lonas tensionadas, da maior feira livre do Brasil. Restauração e intervenção interna em quatro edificações. Executado. Área: 40.000m2 (Belém do Pará, PA-1999-2002); Mercado Popular da Rocinha Novo mercado em lona tensionada. Área: 1.300m2. Executado (Favela da Rocinha, Rio de Janeiro – 2004); Fábrica da Bhering (tombamento: IRPH*) Projeto de restauro e adequação da Fábrica para inserção de novos usos, mantendo os já existentes (produção de arte), transformando o espaço em um centro de bairro para o Porto do Rio. Elaboração de business plan em conjunto com o projeto. Área: 20.000m2. Em desenvolvimento (Área por- tuária, Rio de Janeiro – 2013). Master Plan Projeto de Estruturação Urbana da Cidade de Nova Iguaçu, RJ (financia- mento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), 2007). Projeto para os centros de bairro da cidade, contemplando infraestrutura urbana, equipamentos públicos e mobilidade; Masterplan para o bairro do Cosme Velho (Rio de Janeiro-2012), contemp- lando novas calçadas, praça e um novo equipamento urbano com estaciona- mento para ônibus e carros além de uma praça suspensa pública (4 hec). Masterplan para a cidade de Santana de Parnaíba (SP-2005), contemplando residência, comércio, cultura e parque público (100 hec); Mercado Ver-o-Peso (tombamento: IPHAN*) Requalificação urbana em área de 4hec. (Belém do Pará, PA-1999-2002); Projeto Nova Luz (Área de Proteção Urbana CONDEPHAAT/COMPRESP/IPHAN) Regeneração urbana do centro de São Paulo, compreendendo uma área de 50 hec. (São Paulo, SP-2011). Em parceria com AECOM (http://www.novaluzsp. com.br/) Mercado Popular Blumenau, Santa Catarina Projeto de arquitetura para nova sede do Circo Crescer e Viver (3000m2), na Praça XI, Rio de Janeiro (2014). SELECIONADO PARA BIENAL DE ARQUITETURA DE VENEZA 2016
  7. 7. Projeto Cidade da Copa Projeto de um novo bairro aos arredores da nova Arena Pernambuco (estádio para Copa do Mundo de 2014), compreendendo 250 hec. (Recife, PE - 2011). Em parceria com AECOM (http://arenapernambuco.cloudapp.net/); Projeto Teresina Projeto de um novo bairro nas margens do Rio Poti, contemplando residen- cias, escritórios e comércio, com área total de 60hec. (Teresina, PI - 2012). Em parceria com AECOM. Restauração Palácio Laranjeiras, Parque Guinle (Residência oficial do Governador) (tombamento: IPHAN) Restauração interna e externa, além de adequacão dos espaços da ala resi- dencial. Gerenciamento dos projetos complementares. Área: 3.000m2. Em desenvolvimento (Rio de Janeiro – 2008-2012); Cine Palácio (tombamento: IRPH) Restauração e intervenção interna para inserção de novos usos, como sala de cinema digital, restaurante e livraria. Executado. Área: 800m2 (Rio de Janeiro – 2004); Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro (tombamento: IPHAN) Restauração interna e externa da igreja e nova iluminação monumental. Área: 1.200m2. Executado (Glória, Rio de Janeiro – 2006-2007). Cultra Distrito Cultural da Lapa (tombamento: DGPC/INEPAC) Restauração e intervenção em 09 edificações no bairro, contemplando salas de cinema e video, espaço para shows e exposição, biblioteca e restau- rantes. Parcialmente executado. Área: 10.000m2 (Rio de Janeiro. 2002); Casa Museu do Pontal - Galpões da Gamboa (tombamento: IRPH/INEPAC) Projeto para instalação do Museu do Pontal (maior acervo de arte popular da America Latina) nos Galpões da Gamboa. Em andamento. Área: 8.000m2 (Área Portuária, Centro, Rio de Janeiro. 2012); Centro Cultural OAB-RJ Projeto para o centro cultural da OAB-RJ com biblioteca, cinema, telecen- tro, escritórios de atendimento para OAB e parque urbano. Áreas: 4.000m2 (terreno)/2.500m2 (prédio). Suspenso (Campinho,Rio de Janeiro. 2008). Master plan Cidade da Copa, Recife
  8. 8. Parque Lage (tombamento: IPHAN / INEPAC) Restauração e adequação das edificações para uso da Escola de Artes Visu- ais do Parque Lage e elaboração do masterplan para toda a area. Área: 3.000m2. Em detalhamento (Jardim Botânico, Rio de Janeiro. 2008-2009); Estação Ferroviária Barão de Mauá (tombamento: INEPAC) Master Plan para o terreno (contemplando residência, comércio, cultura e áreas públicas (10hec)), restauração e intervenção interna além de um novo prédio anexo (escritórios+entretenimento). Área: 10.700m2 (Rio de Janeiro - 2006); Praça Cultural Sérgio Porto Projeto de um Centro de Bairro, em conjunto com as associações de bairro, contemplando: dua salas de teatro (330 e 150 lugares), sala multiuso, biblioteca/midiateca, bar e restaurante, galeria de arte e livraria. Área: 4.600m2. Em andamento (bairro do Humaitá, Rio de Janeiro. 2013). Educação Escola Municipal Capitão Silvino Escola para 400 estudantes, com terraço de gramado, captação de água plu- vial e bio-digestor. Área: 750m2 (Nova Iguaçu, RJ. 2006); Escola Municipal França Carvalho Escola pra 1200 estudantes com terraço gramado, captação de água pluvial e bio-digestor. Área: 1400m2 (Nova Iguaçu, RJ. 2006); Centro de Educação e Cultura de Campinho (tomabamento DGPC) Complexo educacional para a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, con- tenmplando escola primária, creche, biblioteca e área de lazer. Área: 16.000m2. Suapenso (Campinho, Madureira, Rio de Janeiro. 2008-2009); Centro de Inovação e Cultura do Pavão-Pavãozinho Complexo educacional e cultural para a comunidade do Pavão e Pavãozinho, contendomplando espaços para cultura, ensino, gastronomia, atividades comerciais e associação de moradores. Área: 900m2. Cliente: BNDES. Em de- senvolvimento (Ipanema, Rio de Janeiro. 2013). Prédios Prédio comercial Porto do Rio Projeto de um conjunto de edificações comerciais (escritórios) com 30.000m2 – duas torres com 15 pavimentos cada e mais embasamento comer- Projeto Urbano Nova Luz, Centro, São Paulo
  9. 9. cial, para OAS (Rio de Janeiro. 2012-2013). Residencial Recife Projeto de edificação residencial multifamiliar com 80.000m2 – duas torres com 30 pavimentos cada e mais embasamento comercial (Centro, Re- cife, PE), para Odebrecht Realizações Imobiliárias (2012). Em parceria com AECOM. Santana 119 Projeto de edificação residencial multifamiliar com 1000m2 – térreo mais três pavimentos (Centro, Rio de Janeiro), para a Secretaria Municipal de Habitação do Rio de Janeiro (1999). Executado. *Significado Siglas: IRPH – Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro) – BTM (Bem Tombado Municipal) INEPAC – Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Governo do estado do Rio de Janeiro) – BTE (Bem Tombado Estadual) IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Governo Federal) – BTN (Bem Tombado Nacional) COMPRESP - Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo CONDEPHAAT - Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico de São Paulo Master plan Teresina, Piauí
  10. 10. Prédio Comercial, Área Portuária, Rio de Janeiro Escola Municipal Capitão Silvino, Nova Iguaçu, RJ
  11. 11. Fábrica Bhering: Master plan e business model. Área Portuária, Rio de Janeiro 02 Qualificação Profissional da Equipe Agência constituída por profissionais com conheci- mento e experiência abrangente: no campo da ar- quitetura, desenho urbano, cidade, academia, além de atuar junto à sociedade civil, instituições públicas e privadas, tanto no Brasil como no exterior.
  12. 12. Rodrigo Azevedo Sócio-Fundador Rodrigo Azevedo é arquiteto e urban designer com 15 anos de experiên- cia em projetos de média e grande escala no Brasil e, desde 2002, está a frente do AAA. Sua experiência inclui regeneração urbana (portos e centros históricos), restaurações e novas edificações junto à bens tom- bados, edificações comerciais e residenciais e programas arquitetônicos com ênfase cultural e educacional nos estados de São Paulo, Rio de Ja- neiro, Pernambuco, Pará, Minas Gerais e Espirito Santo. De 2004 a 2006, Rodrigo foi professor de Projeto na Faculdade de Arquitetura da UFRJ e, atualmente, leciona na Universidade Estácio de Sá (desde 2014), onde está a frente do escritório modelo Observatório da Cidade, responsável por projetos urbanos para organizações da sociedade civil e governos: em 2019 celebrou convênio com a CET_Rio para projetos de urbanismo e mobilidade. Em 2005, foi indicado pelo Prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias, como Secretário de Projeto Urbano, onde ficou até 2007. Em 2008, recebeu bolsa de estudos pelo Foreign Commonwealth Office and British Council (Cheven- ing Scholarship) para mestrado em Housing and Urbanism (MA) na AA_Archi- tectural Association School of Architecture em Londres (UK), desenvolv- endo projetos urbanos em Londres e Hanoi (Vietnan). De 2010 a 2012, Rodrigo foi consultor para AECOM em projetos de urbanismo e arquitetura nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Ter- esina, a frente dos seguintes trabalhos: Nova Luz (SP), Cidade da Copa (PE) e Bairro Teresina (PI). Em 2012, Rodrigo inicia seu projeto filant- rópico “Bairros do Rio”, auxiliando diversas organizações da sociedade civil na qualificação dos espaços públicos através de projetos urbanos e arquitetônicos. Rodrigo tem seu trabalho publicado nos jornais e revistas especializadas no Brasil e no exterior. Proficiente em inglês e espanhol. A partir de 2020, doutorando na Bartlett School of Planning, UCL (Lon- dres, UK). Restauração e Adequação da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro
  13. 13. Clarissa Moreira Consultora Urbana Praça Cultural Sergio Porto, Rio de Janeiro Em 2002, Clarissa concluiu Mestrado em Urbanismo – PROURB-UFRJ (Programa de Mestrado em Urbanismo da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo) com bolsa CNPQ apresentando a dissertação: ¨A cidade contemporânea entre a tábula rasa e a preservação: o caso do Porto do Rio¨ e obteve prêmio de melhor dissertação de mestrado pela Anpur (2002). De 1997 a 2002, foi Gerente do Programa Novas Alternativas, Secretaria Municipal de Habitação, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Em 2003 foi consultora do Programa de Revitalização de Sítios Históricos da Caixa Econômica Federal (CEF), avaliando as experiências de promoção do uso habitacional em áreas centrais no Recife, São Luís e Belém. De 2003 a 2006 foi consultora em projetos de reabilitação urbana (Rio de Janei- ro, Cuiabá e Fortaleza) do Programa Cidade Brasil – Cooperação técnica entre CEF e Governo Francês. Em 2007 concluiu doutorado na École Doctorale de Philosophie - Universidade Paris I – Sorbonne, com bolsa Capes e teve a tese publicada em 2009 pela editora L’Harmattan, Paris. Em 2010-2011 desenvolve consultoria para a Agência Francesa de Desenvolvi- mento e para o Governo do Estado de São Paulo sobre habitação e sustentabilidade. Neste mesmo ano Clarissa recebe bolsa da FAPERJ para Pós-Doutorado no Programa de Pós-Graduação em urban- ismo da UFRJ com a pesquisa “Um olhar sobre o Rio de Janeiro: novo ou velho destino para a metrópole”. Desde 2011, Professora Assistente na Universidade Federal Fluminense (RJ).Proficiente em francês e inglês.
  14. 14. Estação Barão de Mauá (Leopoldina): Restauração e Masterplan para o terreno, Rio de Janeiro
  15. 15. CeCIC_Centro de Convivência Inovação e Cultura, Pavão-Pavãozinho, Rio de Janeiro
  16. 16. Uma idéia para quem trabalha, para quem disfruta, para quem gosta da Cobal. Uma idéia para o bairro do Humaitá e de Botafogo. Uma idéia para a Cidade. Desenho de Zeroglotte (http://zeroglotte.blogspot.com.br) 03 Proposta para Cobal Humaitá
  17. 17. Nova Cobal Humaitá A Cobal do Humaitá foi um projeto premiado pelo IAB na década de 70, desenhado para abrigar uma central de abastecimento onde o produto chegaria direto do produ- tor para o consumidor, sem atravessadores. Assim funcionou durante um período, mas de lá para cá muita coisa mudou. Mudaram os hábitos de consumo, o perfil sócio- econômico do bairro, a densidade da região aumentou junto com o número de novas edificações, público flutuante, automóveis e a demanda por estacionamento. Atualmente, o bairro de Botafogo se afirma como um pólo de serviços dinâmico para a região da Zona Sul, um local de permanência mas também de intensa passagem em direção ao Centro da Cidade. Escolas, escritórios, restaurantes, cinemas, além de um alto número de residências compõe a diversidade de usos da região. A Cobal tam- bém acompanhou estas mudanças, deixando de ser estritamente uma central de abas- tecimento para se tornar um mix de atividades comerciais ligadas a gastronomia. Estas alterações aconteceram sem um planejamento, foram se acomodando dentro da estrutura existente e recentemente, começaram a se expandir para as áreas exter- nas, se misturando ao estacionamento. Hoje a Cobal não é mais a mesma de quando inaugurada. A demanda por seus serviços é muito maior que sua capacidade de absorção, o que causa transtornos para o en- torno imediato (carga e descarga, estacionamento, barulho) e para a própria Cobal, por não ter capacidade de abrigar todos com conforto. Com o tombamento municipal da Cobal em 2008, abriu-se caminho para uma requalifi- cação do mercado, sem mudança ou sua demolição, adequando sua espacialidade inter- na e externa as demandas atuais – mais vagas, mais áreas de lazer e mais espaços comerciais. Neste sentido, abre-se real possibilidade para a Cobal se inserir no processo de atualização urbana que a região de Botafogo e Humaitá vem passando ao longo da última década, buscando uma maior sinergia entre os usuários do bairros e sua estrutura urbana. Neste estudo, os usos atuais serão mantidos, entretanto, com novo lay-out e dimen- sões. Serão adicionadas novas áreas comerciais em seu perímetro, consequência da transferência da área de carga e descarga para o subsolo junto com os estaciona- mentos na superficie.
  18. 18. Decreto de Tombamento DECRETO n.° 29.596, de 17 de julho de 2008 Determina o tombamento provisorio dos bens que menciona. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e, CONSIDERANDO o valor cultural das edificações e a importancia de se preservar marcos culturais e arquitetonicos na paisagem dos bairros da Cidade do Rio de Janeiro; CONSIDERANDO que o projeto de arquitetura para abrigar estes hortomercados construidos no inicio dos anos 1970 foi premiado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil-IAB; e, CONSIDERANDO a necessidade de medidas cautelares para a proteção dos referidos imoveis; DECRETA: Art. 1.° Ficam tombados provisoriamente, nos termos do Art. 5.° da Lei 166, de 27 de maio de 1980, os imoveis onde estão situados a COBAL do Leblon (Rua Gilberto Cardoso, s/n.°) e a COBAL do Hu- maita (Rua Humaitá, n.° 41 com numeração suplementar pela Rua Voluntarios da Patria, n.° 448). Art. 2.° Quaisquer intervenções fisicas a serem realizadas nos referidos imoveis deverão ser pre- viamente aprovadas pelo Conselho Municipal de Proteção do Patrimonio Cultural do Rio de Janeiro. Art. 3.° Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. Rio de Janeiro, 17 de julho de 2008 - 444.° de Fundação da Cidade CESAR MAIA D.O.RIO de 18.07.2008
  19. 19. RuaVoluntáriosdaPátria Rua Marques Rua HUmaitá Escola Municipal Joaquim Abílio Jorge Vista aérea (atual) A condição atual da Cobal contribui pouco para a qualidade dos bairros do Humaitá e Botafogo.Problemas como a carga e descarga na Rua Marques (engarrafamento, sujeira, poluição), os estacionamentos desordenados nas principais entradas da Cobal, a falta de infraestrutura apropriada para as atividades, a manutenção física da edificação, entre outros, diminuem o potencial comercial, social, cultural e ordenador urbano deste equipamento público.
  20. 20. Rua Humaitá Rua Voluntários da Pátria -3.00m 0.00m Estacionamento e Carga/descarga Cobal Calçadão Praça COBAL HUMAITÁ_CORTE ESQUEMÁTICO PROPOSTA
  21. 21. RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE ARQUITETURA PROJETO DE ARQUITETURA COBAL DA HUMAITA Planta de Cobertura: A cobertura e sua estrutura serão desmontadas, recuperadas e remontadas no mesmo local, niveladas à Rua Humaitá. Desta forma, criamos uma superficie contínua desde a Rua Humaitá até a Voluntários da Pátria, com uma grande praça se abrindo para a Escola Municipal e para a Cobal. A criação de um estacionamento sob a Cobal permitirá oferecer, na superfície, mais espaços públicos de qualidade para o bairro.
  22. 22. RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE ARQUITETURA WWW.AAA.COM.BR / CONTACT@AAA.COM.BR / T: +55 21 3173-2270 PROJETO DE ARQUITETURA COBAL DA HUMAITA Planta Estacionamento: Aproveitamos o desnível de cerca de 3m entre as ruas Humaitá e Voluntários da Pátria para “embutir” o estacionamento e a carga e descar- ga de produtos. Desta forma, este nível funciona como o embasamento da Cobal, sobre o qual se apoia as lojas e a cobertura, agora res- taurada.
  23. 23. RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE ARQUITETURA WWW.AAA.COM.BR / CONTACT@AAA.COM.BR / T: +55 21 3173-2270 PROJETO DE ARQUITETURA COBAL DA HUMAITA Planta Nível Rua Humaitá: Os novos espaços comerciais se abrem para as calçadas da Rua Voluntários da Pátria e Rua Marques - onde antes acontecia a carga e descar- ga (agora no estacionamento). Nesta nova configuração, a Cobal fica cerca de 3m acima do nivel da Rua Voluntários da Pátria, permitindo dois níveis de lojas no perímetro de todo o mercado: no térreo, abrindo para a rua e no superior (+9.4m) para dentro da Cobal.
  24. 24. RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE ARQUITETURA WWW.AAA.COM.BR / CONTACT@AAA.COM.BR / T: +55 21 3173-2270 PROJETO DE ARQUITETURA COBAL DA HUMAITA Planta nivel Sobreloja: As lojas se organizam de forma a criar uma conexão franca entre as ruas Voluntários da Pátria e Humaitá, apresentando, ao longo deste percurso, diferentes qualidades espaciais: praça, ruelas (dentro do mercado), niveis distintos permitindo novas visadas, calçadão com lojas na Rua Voluntários da Pátria.
  25. 25. COBAL HUMAITÁ_AXONOMÉTRICA ESQUEMÁTICA PROPOSTA TÍTULO: 1/500 ESCALA: PLANTA NÍVEL +13.9m RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE A WWW.AAA.COM.BR / CONTACT@AAA.COM.BR / T: + PROJETO DE ARQUITETURA COBAL DA HUMAITA
  26. 26. Cobal Humaitá + Praça Cultural Sérgio Porto: Célula de Desenvolvimento Local_Zona Sul
  27. 27. Cobal Humaitá + Praça Cultural Sérgio Porto: Intervenção Urbana Irradiadora de Qualidades
  28. 28. Cobal Humaitá + Praça Cultural Sérgio Porto: Parceria entre Estado, Município, Iniciativa Privada e Sociedade Civil
  29. 29. Cobal Humaitá + Praça Cultural Sérgio Porto: 2 Teatros (330 e 170 lugares) + Restaurante + Loja + Mediateca + Sala de Exposições Área total de 4.700m2
  30. 30. 04 Proposta para Cobal Leblon Uma idéia para quem trabalha, para quem disfruta, para quem gosta da Cobal e de mercados. Uma idéia para o bairro do Leb- lon. Uma idéia para a Cidade.
  31. 31. Nova Cobal Leblon A Cobal do Leblon, em conjunto com a Cobal do Humaitá, foi um projeto premiado pelo IAB na década de 70, desenhado para abrigar uma central de abastecimento onde o produto chegaria direto do produtor para o consumidor, sem atravessadores. Assim funcionou durante um período, mas de lá para cá muita coisa mudou. Mudaram os hábitos de consumo, o perfil sócio-econômico do bairro, aumentou a densidade da região e o número de novas edificações, automóveis e a demanda por estacionamento. Atualmente, o bairro do Leblon se afirma como um bairro residencial de alto nível e também pólo de serviços sofisticados para a região da Zona Sul e um local de permanência por excelência. Escolas, escritórios, restaurantes, cinemas, shopping centers, além de um alto número de residências compõe a diversidade de usos da região. A Cobal também acompanhou estas mudanças, deixando de ser estritamente uma central de abastecimento para se tornar um mix de atividades comerciais ligadas a gastronomia. Estas alterações aconteceram sem um planejamento, foram se acomodando dentro da estrutura existente sem, no entanto, trazer qualidades ou mesmo mais usuários para o espaço.Sua organização espacial precária e falta de infraestrutura adequada (como estacionamentos e carga e descarga), fez a Cobal perder o status de referência comercial lo- cal. Com o tombamento municipal da Cobal em 2008, abriu-se caminho para uma requalificação do mercado, sem sua demolição, adequando sua espaciali- dade interna e externa as demandas atuais – mais vagas, mais áreas de lazer e mais espaços comerciais. Neste sentido, abre-se real possibili- dade para a Cobal se afirmar como ponto de referência para o lazer e consumo no bairro do Leblon, organizando o entorno e trazendo mais in- fraestrutura para o bairro. Nesta estudo, os usos atuais são mantidos, entretanto, com novo lay-out e dimensões de acordo com a nova proposta. Serão adicionadas novas áreas comerciais em seu perímetro, consequência da mudança da área de carga e descarga, que será transferida para o subsolo junto com os novos estacionamentos. Propomos também uma nova edificação comercial (flat/hotel) em seu terreno, complementando sua arquitetura e trazendo mais dinâmica para o local, além de auxiliar na estruturação financeira do empreendimento. A praça Claudio Coutinho (na parte posterior da Cobal) será reformada e terá conexão direta com a nova Cobal Leblon.
  32. 32. RuaFadelFadel Rua Gilberto Cardoso Rua Adalberto Ferreira Clube de Regatas do Flamengo Vista aérea (atual) A condição atual da Cobal contribui pouco para a qualidade do entorno.Problemas como a carga e descarga, falta de estacionamen- to, a desorganização interna dos espaços comerciais e falta de infraestrutura ap- ropriada para as atividades, a manutenção física da edificação, entre outros, anulam o potencial comercial, social e cultural deste equipamento público. Sua localização estratégica permite, quando de sua refor- ma, ordenar todo o entorno e contribuir para a criação de um pólo comercial, cul- tural e de lazer nesta região. A incorpo- ração e qualificação da praça no projeto de requalificação da Cobal garante mais espaço público de qualidade no bairro. RuaMinistroRaulMachado Rua Conde Bernadotte Rua Juquiá Escola Municipal Sérgio Vieira de Melo
  33. 33. PASSO A PASSO DA EXECUÇÃO: A execução da nova Cobal do Leblon segue o seguinte passo a passo: 1_Desmonte da Cobal e recuperação de sua cobertura; 2_Execução do estacionamento subterrâneo (-3.00m); 3_Construção das lojas perimetrais e estacionamento no nível térreo; 4_Acima das lojas e do estacionamento (nível +3.00m), reconstrução da Nova Cobal Leblon e áreas livres; 5_Construção da edificação comercial sob pilotis (não obstruir a visão para Cobal). Estacionamento subterrâneo (-3.00m) Lojas + estacionamento + carga e descarga no nível térreo Lojas no nível térreo Embasamento nova Cobal (+3.00m) Remontar nova Cobal com novas praças nas suas laterais(+3.00m) Nova edificação lindeira à Cobal
  34. 34. Planta de Cobertura: A nova Cobal Leblon e a nova edificação comercial dividem o mesmo embasamento e se articulam através das duas praças nas extremidades. A edificação comercial tem a mesma escala e gabarito dos edificios da “Selva de Pedra”, mas com tratamento arquitetônico diferenciado. RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE ARQUITETURA PROJETO DE ARQUITETURA COBAL DO LEBLON
  35. 35. ESTACIONAMENTO DEPÓSITO ESTACION LOJA PRAÇA LOJA VESTIÁRIO LOJA RUA GILBERTO CARDOSO LOJA / BAR ESTACIONAMENTO CARGA E DESCARGA 0,0 m -3,0 m +4,2 m +7,7 m +10,5 m +41,0 m N° DA PRANCHA:DATA:TÍTULO: 0703/20151/250 ESCALA: RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE ARQUITETURA WWW.AAA.COM.BR / CONTACT@AAA.COM.BR / T: +55 21 3173-2270 PROJETO DE ARQUITETURA COBAL DO LEBLON CORTE TRANSVERSAL INDICAÇÃO DE CORTE ADMINISTRACÃO VESTIÁRIO DEPÓSITO + 7.70 m + 7.70 m LOJA 173,0 m² 136,5 m²49,4 m² 407,4 m² LOJALOJALOJA LOJA VAGAS LOJAS : 4 259,7 m² HOTEL : 6 028,8 m² (TÉRREO + 9 ANDARES) ÁREA TOTAL CONSTRUíDA EMBASAMENTO e COBAL : 17 877,0 m²ÁREA TOTAL EMPREENDIMENTO SERVIÇOS : 1 192,5 m² CIRCULAÇÃO : 5 593,1 m² ESTACIONAMENTO : 9 892,1 m² - 322 VAGAS ÁREA DO TERRENO : 6 809,4 m² ÁREA COBERTURA EXISTENTE : 3 124,1 m² ÁREA TOTAL CONSTRUíDA HOTEL : 6 028,8m² TÍTULO: PLANTA NÍVEL +7.70m 1/500 ESCALA: RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE ARQUITETU WWW.AAA.COM.BR / CONTACT@AAA.COM.BR / T: +55 21 3173-2 PROJETO DE ARQUITETURA COBAL DO LEBLON
  36. 36. Planta nNível -3.0m: Neste nível se localiza o estacionamento subterrâneo que atende parte a nova edificação e parte ao público em geral. O acesso para os estacionamentos é pela Rua Fadel Fadel e saída pela Rua Adalberto Ferreira. DEPÓSITO BANH. CAIXA DEPÓSITO ESTACIONAMENTO (228 VAGAS) ÁRVORES EXISTENTE 114,3 m² 40,3 m² 40,3 m² 96,0 m² SERVIÇOS : 290.9 m² ESTACIONAMENTO : 6 183,7 m² - 228 VAGAS ÁREA NIVÉL -3,00m LOJAS : 4 259,7 m² ÁREA TOTAL CONSTRUíDA EMBASAMENTO e COBAL : 17 877,0 m²ÁREA TOTAL EMPREENDIMENTO SERVIÇOS : 1 192,5 m² ÁREA DO TERRENO : 6 809,4 m² ÁREA TOTAL CONSTRUíDA HOTEL : 6 028,8m² COBAL DO LEBLON RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE ARQUITETURA PROJETO DE ARQUITETURA
  37. 37. Planta Nível Térreo: As novas lojas se abrem para a rua e para uma ampla calçada. Por trás das lojas se encontra o estacionamento (nível térreo) e a carga e descarga para a Cobal. 0.00 m QUISQUE 88.0 m² ÁRVORES EXISTENTE SERVIÇOS : 259,2 m² ÁREA NIVÉL 0,00m LOJAS : 2 184,3 m² LOJAS : 4 259,7 m² ÁREA TOTAL CONSTRUíDA EMBASAMENTO e COBAL : 17 877,0 m²ÁREA TOTAL EMPREENDIMENTO SERVIÇOS : 1 192,5 m² ÁREA DO TERRENO : 6 809,4 m² ÁREA TOTAL CONSTRUíDA HOTEL : 6 028,8m² RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE ARQUITETURA PROJETO DE ARQUITETURA COBAL DO LEBLON
  38. 38. Planta Nível +4.20m: Neste nível é onde se comunicam todos os espaços: Cobal, nova edificação (através de seu hall no pilotis), praças e acesso à rua. Por estar elevado em relação a calçada, este espaço se torna um agradável local de permanência e lazer. BANH. LOJA LOJA DEPÓSITO BANH. HALL/RECEPÇÃO + 4.20 m LOJA LOJA 140.6 m² LOJA 140.6 m² 170,5 m² LOJA 170,5 m²170,5 m² LOJA 170,5 m² LOJA 153,59 m² 325,2 m²226,0 m² 143,1 m² 57,6 m² 57,6 m² 157,2 m² ÁRVORE EXISTENTE LOJA SERVIÇOS : 259,2 m² ÁREA NIVÉL 0,00m LOJAS : 2 184,3 m² LOJAS : 4 259,7 m² ÁREA TOTAL CONSTRUíDA EMBASAMENTO e COBAL : 17 877,0 m²ÁREA TOTAL EMPREENDIMENTO SERVIÇOS : 1 192,5 m² ÁREA DO TERRENO : 6 809,4 m² ÁREA TOTAL CONSTRUíDA HOTEL : 6 028,8m² RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE ARQUITETURA PROJETO DE ARQUITETURA COBAL DO LEBLON
  39. 39. ADMINISTRACÃO VESTIÁRIO DEPÓSITO + 7.70 m + 7.70 m LOJA 173,0 m² 136,5 m²49,4 m² 407,4 m² LOJA LOJALOJA LOJALOJA LOJA LOJA SERVIÇOS : 259,2 m² ÁREA NIVÉL 0,00m LOJAS : 2 184,3 m² ESTACIONAMENTO : 3 708,4 m² - 94 VAGAS LOJAS : 4 259,7 m² ÁREA TOTAL CONSTRUíDA EMBASAMENTO e COBAL : 17 877,0 m²ÁREA TOTAL EMPREENDIMENTO SERVIÇOS : 1 192,5 m² ÁREA DO TERRENO : 6 809,4 m² ÁREA COBERTURA EXISTENTE : 3 124,1 m² ÁREA TOTAL CONSTRUíDA HOTEL : 6 028,8m² RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE ARQUITETURA WWW.AAA.COM.BR / CONTACT@AAA.COM.BR / T: +55 21 3173-2270 PROJETO DE ARQUITETURA COBAL DO LEBLON Planta Nível +7.70m: Neste nível encontra-se administração e serviços ligados ao funcionamento da Cobal. Neste mesmo volume, encontra-se uma grande área comercial que se abre para a Praça Claudio Coutinho.
  40. 40. PAVIMENTO TIPO HOTEL 652,4m² ÁREA PAVIMENTO TIPO (HOTEL) HOTEL : 652.4 m² (11 unidades/pav.) LOJAS : 4 259,7 m² HOTEL : 6 028,8 m² (TÉRREO + 9 ANDARES) ÁREA TOTAL CONSTRUíDA EMBASAMENTO e COBAL : 17 877,0 m²ÁREA TOTAL EMPREENDIMENTO SERVIÇOS : 1 192,5 m² ÁREA DO TERRENO : 6 809,4 m² ÁREA COBERTURA EXISTENTE : 3 124,1 m² ÁREA TOTAL CONSTRUíDA HOTEL : 6 028,8m² RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE ARQUITETURA PROJETO DE ARQUITETURA COBAL DO LEBLON Planta Edificio Comercial: O novo edificio comercial (flat/hotel) possui vista 360˚, se abrindo para a Cobal, Clube de Regatas do Flamengo e o Cristo Redentor (Lagoa). Possui nove pavimentos e altura total de 41m. O espaço sob o pilotis faz conexão direta com a Praça Claudio Coutinho e a Cobal, criando uma grande área de convivência, lazer e permanência.
  41. 41. COBAL_Humaitá+Leblon Requalificação & Novos Usos RODRIGO AZEVEDO / AAA_AZEVEDO AGÊNCIA DE ARQUITETURA www.aaa.com.br / contact@aaa.com.br T: 021 3173-2270

×