[HAVC] Expressionismo: Edvard Munch

4,888 views

Published on

Trabalho sobre o Expressionista Edvard Munch para História das Artes Visuais e Contemporâneas do professor Pedro Colaço. Ricardo Sousa, Comunicação & Multimédia, UTAD © 2013.

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,888
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
268
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

[HAVC] Expressionismo: Edvard Munch

  1. 1. EXPRESSIONISMO Edvard Munch "O Grito“, 1910
  2. 2. O QUE É O EXPRESSIONISMO? O Expressionismo é uma corrente artística que surgiu no início do século XX, na Alemanha, como uma resposta direta ao Impressionismo, uma vez que valorizava a subjetividade das expressões e das emoções. Os artistas procuravam manifestar-se através das emoções, materializando o sentimento a respeito de algo vivenciado, sem a preocupação de embelezar a obra. Para eles, a arte liga-se à ação, muitas vezes violenta, através da qual a imagem é criada, com o auxílio de cores fortes e formas distorcidas. Foi Van Gogh que melhor traduziu este movimento nas artes plásticas, ficando mundialmente conhecido através dos seus quadros e por ter mutilado a orelha. As suas pinturas foram as precursoras deste movimento. O seu uso peculiar de cores foi uma fonte de inspiração a vários pintores expressionistas alemães e austríacos, e a artistas do século XX, como Jackson Pollock. O declínio desta estética, mais fundamentada na pintura, ocorre a partir de 1933 com a ascensão de Hitler na Alemanha. Desde então, a arte passa a seguir a tendência da “arte pura” em paralelo com a ideologia da busca da “raça pura” instituída por Hitler ao povo Alemão. “A Noite Estrelada” Vincent Van Gogh, 1889 2
  3. 3. CARACTERÍSTICAS  Cores vibrantes e resplandecentes.  Pesquisas sobre questões da subjetividade humana.  Técnica “violenta”, mostrando o processo de interação do pintor com a tela.  Preferência em retratar aquilo que é sombrio, esquecido, patético e trágico.  Distanciamento da figuração.  Imitação das artes primitivas. “Outono na Baviera” Kandinsky, 1908 3
  4. 4. EDVARD MUNCH 1863 - 1944
  5. 5. BIOGRAFIA Edvard Munch nasceu em Löten, na Noruega, a 12 de dezembro de 1863, frequentou a Escola de Artes e Ofícios de Oslo, adquirindo influências de Courbet e Manet. A sua mãe faleceu quando ele tinha 5 anos, a irmã mais velha aos 15 anos, a irmã mais nova era vitima de uma doença mental e uma outra irmã morreu meses depois de casar, o próprio Munch, estava sistematicamente doente. Tudo isto o afetou drasticamente, atribuindo-lhe uma visão bastante singular do que é a vida. Henrik Ibsen e Bjornson marcaram o seu percurso inicial. Nessa altura, a arte era considerada uma arma destinada a lutar contra a sociedade. Os temas sociais estão assim presentes em “O Dia Seguinte” e “Puberdade”. Com ”A Rapariga Doente” (1885) inicia uma temática que surgiria como uma linha de força em todo o seu trabalho artístico. Fez inúmeras variações deste último trabalho e os seus sentimentos sobre a doença e a morte, que tinham marcado a sua infância, assumem um significado mais vasto, transformados em significados mais vastos que deixavam transparecer a fragilidade e a fugacidade da vida. “Puberdade”, 1894 “O dia Seguinte”, 1895 5
  6. 6. BIOGRAFIA continuação O seu estilo altera-se bastante, quando descobre em Paris a obra de Van Gogh e Gauguin. Em 1892, recebe um convite para uma exposição em Berlim, que se converte num momento crucial da sua carreira e da história da arte alemã. Aos 30 anos Edvard Munch pinta “O Grito”, que se transformou na sua obra máxima, retratando a angústia e o desespero inspirado nas suas deceções, tanto no amor como na amizade. Inicia um projeto que intitula “O Friso da Vida”, uma série de pinturas adjacentes e livres, que retratam de uma forma geral a vida e da situação do homem moderno. De 1892 a 1908 volta regularmente à Noruega e absorve o pensamento simbólico de Strindberg, tentando depois exprimir os seus sentimentos e as suas experiências sobre o amor. Em 1896, em Paris, interessa-se pela gravura, fazendo inovações nesta técnica. Os trabalhos deste período revelam uma segurança notável. Em 1914 inicia a execução do projeto para a decoração da Universidade de Oslo, usando uma linguagem simples, com motivos da tradição popular. “O Grito”, 1893 “Dança da Vida”, 1900 As últimas obras pretendem ser um resumo das preocupações da sua existência: Entre o Relógio e a Cama, “Autorretrato”. Toda a obra está impregnada pelas suas obsessões: a morte, a solidão, a melancolia, o terror das forças da natureza. 6
  7. 7. PORTFÓLIO “Auto retrato”, 1882 “Na mesa do café”, 1883 7
  8. 8. PORTFÓLIO “Tia Karen na cadeira de balanço”, 1883 “Primavera”, 1889 8
  9. 9. PORTFÓLIO “Noite de Verão (Inger na Ponte)”, 1889 “Retrato de Inger Munch”, 1892 9
  10. 10. PORTFÓLIO “No leito de morte (Febre)”, 1893 “Desespero”, 1892 10
  11. 11. PORTFÓLIO “Mulher na Ponte”, 1902 “As senhoras na Ponte”, 1903 11
  12. 12. PORTFÓLIO “História”, 1916 “Adão e Eva”, 1919 12
  13. 13. WEBGRAFIA O Expressionismo e as suas Características:  http://6cexpressionismo.blogspot.pt/2008/10/definio-e-histrico.html  http://www.fontedosaber.com/artes/expressionismo-historia-conceito-e-caracteristicas.html  http://www.mundoeducacao.com/literatura/expressionismo.htm  http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=termos_texto&cd_verbete=3784 Pinturas:  http://uploads2.wikipaintings.org/images/vincent-van-gogh/the-starry-night-1889(1).jpg  http://uploads1.wikipaintings.org/images/wassily-kandinsky/autumn-in-bavaria-1908.jpg Edvard Munch: Biografia e Portfólio:  http://pt.wikipedia.org/wiki/Edvard_Munch  http://www.pitoresco.com/universal/munch/munch.htm  http://www.e-biografias.net/edvard_munch/  http://arteehistoriaepci.blogspot.pt/2009/03/edvard-munch-m9.html Obras:  http://www.wikipaintings.org/en/search/edvard%20munch/2 13
  14. 14. HISTÓRIA DAS ARTES VISUAIS E CONTEMPORÂNEAS Prof. Pedro Colaço ECT/UTAD Ricardo Sousa nº58330 2013 "O Sena em Saint-Cloud“, 1890

×