Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
“Insert” then choose “Picture” – select your picture. Right click your picture and “Send to back”. 
The world’s leading su...
2 
•Sobre a ERM 
•Análise de Ciclo de Vida 
•Estudo de Caso 
Conteúdo
3
4 
Quem somos?
5 
Quem somos?
6 
Alguns dos nossos clientes
7
8 
The Life Cycle Thinking 
Matérias Primas 
Transporte 
Produção 
Fase de Uso 
Disposição 
Final 
Berço 
Túmulo 
A cada e...
9 
 ISO 14040:2009: ACV - Princípios e estrutura 
 ISO 14044:2009: ACV - Requisitos e orientações 
A definição de OBJETI...
10 
Planejamento Estratégico: nível de informação dos tomadores de decisão 
Identificação de oportunidades para melhoria d...
11 
Fonte: World Economic Forum, Global Risks 2011 
Por que realizar ACV?
12 
ACV no Brasil 
Iniciativas acadêmicas e governamentais 
Iniciativas corporativas: empresas realizando ACV para atend...
13 
Tendências em Sustentabilidade de Produtos 
Crescente pressão sobre a transparência da cadeia de suprimentos; 
Segur...
14
15 
Criação de um modelo de triagem para avaliar os impactos ambientais dos produtos e referencial, com base em dados pri...
16 
Case Study – Tesco
17 
Case Study – Tesco
18 
Case Study – Tesco
19 
Case Study – Tesco
20 
Case Study – Tesco
21 
Fernanda Michalischen 
fernanda.michalischen@erm.com 
Braulio Pikman 
braulio.pikman@erm.com 
ERM Brasil 
Sustentabili...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Lyfe Cycle Analyses: Concepts and Case Study - ERM

505 views

Published on

Lyfe Cycle Analyses: Concepts and Case Study

Published in: Business
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Lyfe Cycle Analyses: Concepts and Case Study - ERM

  1. 1. “Insert” then choose “Picture” – select your picture. Right click your picture and “Send to back”. The world’s leading sustainability consultancy Life Cycle Assessment – Concepts & Cases Fernanda Michalischen & Braulio Pikman
  2. 2. 2 •Sobre a ERM •Análise de Ciclo de Vida •Estudo de Caso Conteúdo
  3. 3. 3
  4. 4. 4 Quem somos?
  5. 5. 5 Quem somos?
  6. 6. 6 Alguns dos nossos clientes
  7. 7. 7
  8. 8. 8 The Life Cycle Thinking Matérias Primas Transporte Produção Fase de Uso Disposição Final Berço Túmulo A cada estágio, os recursos naturais são consumidos e emissões e resíduos são liberados ao meio ambiente Portão Abordagem do Berço ao Túmulo (Cradle-to-Grave) Abordagem do Berço ao Portão (Cradle-to-Gate) Conceito: Análise de Ciclo de Vida (ACV)
  9. 9. 9  ISO 14040:2009: ACV - Princípios e estrutura  ISO 14044:2009: ACV - Requisitos e orientações A definição de OBJETIVO e ESCOPO da ACV A fase de análise de Inventário do Ciclo de Vida (ICV) A fase de Avaliação de Impacto do Ciclo de Vida (AICV) A fase de interpretação do ciclo de vida A comunicação e a revisão crítica da ACV As limitações da ACV A relação entre as fases da ACV Condições para o uso, escolha de valores e de elementos opcionais Introdução ACV – ISO 14040 e 14044
  10. 10. 10 Planejamento Estratégico: nível de informação dos tomadores de decisão Identificação de oportunidades para melhoria do desempenho ambiental e aperfeiçoamento de produtos em diversos pontos de seu ciclo de vida Marketing (rotulagem e declaração ambiental) A seleção de indicadores de desempenho ambiental relevantes (incluindo técnicas de medição) Por que realizar ACV?
  11. 11. 11 Fonte: World Economic Forum, Global Risks 2011 Por que realizar ACV?
  12. 12. 12 ACV no Brasil Iniciativas acadêmicas e governamentais Iniciativas corporativas: empresas realizando ACV para atender a demandas de clientes globais; pressão pela realização de inventários nacionais e disponibilização em bancos de dados
  13. 13. 13 Tendências em Sustentabilidade de Produtos Crescente pressão sobre a transparência da cadeia de suprimentos; Segurança dos produtos e requisitos regulatórios estão se expandindo rapidamente e se tornando globalmente mais complexos; Programas de gestão de ciclo de vida estão sendo implementadas para identificar economias de custos e oportunidades de diferenciação dos mercados; Aumentar o foco na captação e utilização de informações sobre o produto para melhorar os processos de negócios, reduzir custos e gerenciar riscos; Realização do valor através da incorporação de programas de sustentabilidade de produtos dentro das organizações e gestão programada de riscos e oportunidades. PRODUCT LIFECYCLEDisposal
  14. 14. 14
  15. 15. 15 Criação de um modelo de triagem para avaliar os impactos ambientais dos produtos e referencial, com base em dados primários e dados de pesquisa / publicamente disponível, para permitir uma fácil comparação entre produtos. Trabalho com fornecedor de produtos para auxiliar a identificação de projetos que minimizem impactos ambientais dentro do escopo de produtos propostos. Identificação de incerteza e potencial trade-offs entre diferentes impactos ambientais (por exemplo, o aumento do uso da água vs menor emissão de carbono). Programa de gestão de ciclo de vida para identificar economias de custos e oportunidades de diferenciação nos mercados; Os produtos lançados com mensagens sobre pacote. Para maiores detalhes: http://www.naturally-powered.com/ Case Study – Tesco
  16. 16. 16 Case Study – Tesco
  17. 17. 17 Case Study – Tesco
  18. 18. 18 Case Study – Tesco
  19. 19. 19 Case Study – Tesco
  20. 20. 20 Case Study – Tesco
  21. 21. 21 Fernanda Michalischen fernanda.michalischen@erm.com Braulio Pikman braulio.pikman@erm.com ERM Brasil Sustentabilidade, Energia & Mudança Climática T: +55 11 5095 7900 www.erm.com

×