Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)

56,465 views

Published on

Published in: Education
3 Comments
33 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
56,465
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
263
Actions
Shares
0
Downloads
1,837
Comments
3
Likes
33
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)

  1. 1. ESCOLA DE ENFERMAGEM SANTA JULIANA Curso: Técnico de Enfermagem NOÇÕES DEFARMACOLOGIA Profª. Esp. Ana Patrícia F. Barboza – 2011 Farmacêutica e Bióloga
  2. 2. 1 História da Farmacologia Do grego “pharmakon” = estudo das substâncias que interagem com os sistemas vivos por meio de processos químicos. 3.1 Pré - história O homem conhecia os efeitos benéficos ou tóxicos de origem animal e vegetal Porém pouco de sabia que boa parte dos remédios eram inúteis ou até prejudiciais.
  3. 3. 1 História da Farmacologia As tentativas eram em torno da Biologia e das doenças, não se recorria à experimentação. A imaginação de épocas passadas baseava-se em idéias bizarras, c/ o excesso da bile ou sangue causava doença (aplicava-se ungüento à arma que causou o ferimento. Somente no final do séc. XVII, houve o desenvolvimento da FARMACOLOGIA
  4. 4. 2 Farmacologia Compreende o conhecimento da história, origem, propriedades físicas e químicas, composição, efeitos bioquímicos e fisiológicos, mecanismo de ação, absorção e distribuição, biotransformação e eliminação dos fármacos. (Goodman e Gilman, 2003). Além das propriedades terapêuticas e empregos dos medicamentos.
  5. 5. 2.1 Farmacologia Médica Finalidade Fornecer substrato daterapêutica medicamentosa
  6. 6. 3 A Natureza da Droga Substância Química (DROGAS) + Sistema Biológico Efeito benéfico Efeito adverso Fármaco Agente tóxico FARMACOLOGIA TOXICOLOGIA
  7. 7. 4 Alguns Conceitos Terapêutica Ciência que trata o doente alivia o seusofrimento, quando possível cura e sempreconforta. Farmacoterapia É o uso da terapêutica associadoa medicamentos.
  8. 8. 4 Alguns Conceitos Farmacocinética e Farmacodinâmica Farmacocinética: São definidos como aquilo que o organismo faz com a droga (movimento da droga no organismo). Farmacodinâmica: O que a droga faz ao organismo (mecanismo de ação).
  9. 9. Farmacocinética Aborda a absorção, adistribuição e a excreção dos fármacos.
  10. 10. Farmacodinâmica MODELO CHAVE- Estuda os efeitos FECHADURA bioquímicos e fisiológicos dos fármacos e seu Evento bioquímicomecanismo de ação.
  11. 11. ToxicologiaParte da farmacologia queaborda os efeitos nocivos dos fármacos, os quaispodem ser responsáveis pela intoxicação aos organismos.
  12. 12. 4 Alguns conceitos Quantidade a ser administrada Dose de uma vez afim de produzir efeitos terapêuticos. Dose Leva o organismo a falência Letal (morte) generalizada. Dose Maior quantidade de uma droga capaz de produzir efeitos Máxima terapêuticos.
  13. 13. 4 Alguns conceitos Menor quantidade de uma droga Dose capaz de produzir efeitos Mínima terapêuticos. Dose Maior quantidade de uma droga Tóxica que causa efeitos adversos. Dose necessária p/ manter os Dose de níveis desejáveis de Manutenção medicamento na corrente sangüínea e tecidos.
  14. 14. 4 Alguns conceitos É o estudo das doses. O modo em Posologia que vão ser administradas. Qualquer substância que adm no Droga organismo vivo, pode produzir alterações funcionais. Qualquer agente químico que adm Medicamento no organismo vivo, produz efeitos benéficos (curativos ou preventivos).
  15. 15. 5 Princípios da farmacologia Para entender as ações de uma droga, é necessário considerar os efeitos produzidos no sistema biológicos vários níveis. PROPRIEDADES FÍSICO QUÍMICAS x ATIVIDADE BIOLÓGICA PROCESSOS QUÍMICOS (FARMACOCINÉTICA) Absorção Via de administração Distribuição Biotransformação Excreção
  16. 16. Diretrizes para adm segura deMedicamentos Os técnicos e auxiliares de enfermagem são os profissionais diretamente envolvidos no preparo e adm de medicamentos.1. Conhecer as normas do estabelecimento;2. Administrar somente medicamentos que constem naprescrição médica devidamente assinada (c/ exceção deemergência);3. Consultar o enfermeiro sempre que houver dúvida oudificuldade p/ decifrar o nome e a fração de ummedicamento;
  17. 17. Diretrizes para adm segura deMedicamentos4. Certificar-se que o medicamento (se for substituído) tem omesmo princípio ativo.;5. Manter os medicamentos de horário longe de grandecirculação;6. Não oferecer a chave de armários de medicamentos apessoas não autorizadas;7. Considerar: paciente certo; hora certa; dose certa, diluiçãocerta; tempo certo de infusão.
  18. 18. Diretrizes para adm segura deMedicamentos 1. Paciente certo 2. Dose certa 3. Remédio certo 4. Via certa 5. Hora certa
  19. 19. Até a Próxima Aula !!!

×