Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Florbela Espanca

1,767 views

Published on

poems of a portuguese female poet

Published in: Automotive, Education, Business
  • Be the first to comment

Florbela Espanca

  1. 1. Horas mortas...Curvada aos pés do Monte A planície é um brasido....e, torturadas, As árvores sangrentas, revoltadas, Gritam a Deus a benção duma fonte! "ÁRVORES DO ALENTEJO" Florbela Espanca
  2. 2. E quando, manhã alta, o sol posponte A oiro a giesta, a arder, pelas estradas, Enfíngicas, recortam desgrenhadas Os trágicos perfis no horizonte!
  3. 3. Árvores! Corações, almas que choram, Almas iguais à minha, almas que imploram Em vão remédio para tanta mágoa!
  4. 4. Árvores! Não choreis! Olhai e vede: - Também ando a gritar, morta de sede, Pedindo a Deus a minha gota de água!
  5. 5. "ÉVORA" FLORBELA ESPANCA
  6. 6. Évora! Ruas ermas sob os céus Cor de violetas roxas... Ruas frades Pedindo em triste penitência a Deus Que nos perdoe as míseras vaidades!
  7. 7. Tenho corrido em vão tantas cidades! E só aqui recordo os beijos teus, E só aqui eu sinto que são meus Os sonhos que sonhei noutras idades!
  8. 8. Évora!... O teu olhar... o teu perfil... Tua boca sinuosa, um mês de Abril, Que o coração no peito me alvoroça!
  9. 9. ...Em cada viela o vulto dum fantasma... E a minh'alma soturna escuta e pasma... E sente-se passar menina e moça...
  10. 10. FOTOS: OLHARES.COM Formatação: Gina SF
  11. 11. Florbela Espanca (1894-1930)

×