Mdb

555 views

Published on

Monitor-Decoficador Braile

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
555
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mdb

  1. 1. CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA GERÊNCIA EDUCACIONAL DE ELETRÔNICA CURSO TECNOLOGIA EM SISTEMAS DIGITAIS Projeto – Monitor- Decodificador Braille Reginaldo José Cardoso Florianópolis Julho / 2006
  2. 2. Sumário 1.INTRODUÇÃO...................................................................................................................4 2. Justificativa .......................................................................................................................5 Objetivos Gerais......................................................................................................................5 Objetivos específicos..............................................................................................................5 Máquina Monitor-Decodificador Braille............................................................................6 Programa de controle Monitor-Decodificador Braille............................................................7 Metodologia............................................................................................................................7 Cronograma.............................................................................................................................8 Recursos..................................................................................................................................8 Ampliações..............................................................................................................................9 CONCLUSÃO......................................................................................................................10REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS......................................................................................11
  3. 3. 41. INTRODUÇÃO Este trabalho vem sugerir a construção de uma máquina que facilite um pouco mais acomunicação através do sistema braille, sistema bastante comum entre os deficientesvisuais, contribuindo assim com o processo de inclusão desta parcela da população àeducação.
  4. 4. 52. Justificativa Os deficientes visuais sofrem uma grande carência de produtos nacionais quepermitam a leitura em braille. Muitas vezes o acesso a esses materiais é inviáveldevido ao custo desses produtos, que são na sua maioria importados. É de nosso conhecimento que existem hoje equipamentos comosintetizadores de voz, impressora braille e outros que permitem que os deficientesvisuais possam ter acesso a textos escritos em português ou em outros idiomas. OMonitor Decodificador Braille (M.D.B) seria mais um equipamento que integraria oquadro de tecnologia assistiva voltada para a deficiência visual, porém, com avantagem de ser um projeto nacional, o que significaria redução acentuada de custopara o usuário. Outro ponto muito favorável ao M.D.B é que ele deverá permitir que odeficiente visual leia os textos sem que estes precisem ser impressos, para isto ostextos em braille deveram estar previamente armazenados num CD, assim serápossível que o usuário acesse diversos textos, livros, etc, com economia, pois, nãoterá que gastar com papel. Além disso, sabe-se que os textos impressos em brailleocupam um espaço bastante volumoso, com esta máquina num pequeno espaço,como, por exemplo, numa gaveta, seria possível se ter uma biblioteca com algumascentenas de livros escritos no sistema braile. Com tudo o que foi exposto, fica claro que o M.D.B amenizaria um pouco acarência deste tipo de publicações, talvez, até estimularia publicações, pois, osescritores e tradutores braille poderiam disponibilizar seus textos apenas em CD,permitindo que o acesso aos textos ocorresse mais rapidamente. Acrescentamos também o fato de que até o momento não obtivemosconhecimento de uma máquina similar a esta. Objetivos O que motiva o desenvolvimento deste projeto é beneficiar os deficientesvisuais e por em ação conhecimentos que serão adquiridos ao longo do cursosuperior de tecnologia - Sistemas Digitais.Objetivos Gerais Construir uma máquina que possibilite a leitura de textos escritos nossistema braile sem que seja preciso imprimir os textos.Objetivos específicos O projeto se dividirá em duas partes básicas de desenvolvimento, nas quaisdeveremos: a) Desenvolver a Máquina (hardware) Monitor-Decodificador Braille; b) Desenvolver sistema de controle (software) Monitor-Decodificador Braille; A máquina será ligada a um computador por meio de um cabo de padrãoainda indefinido e a rede elétrica por meio de uma tomada comum. Este computadordeverá conter um leitor de CD e também o programa Monitor-Decodificador Brailledevidamente instalado. Desta forma bastará introduzir o CD no leitor do computador,
  5. 5. 6ligar a máquina M.D.B e iniciar o programa de controle M.D.B para que o usuáriopossa ler os textos.Máquina Monitor-Decodificador Braille A máquina será tipo uma matriz, aliás, a idéia surgiu com a lembrança dofuncionamento básico das antigas impressoras matriciais. Na máquina ficarãocontidas diversas hastes que quando receberem um determinado comando paraleitura de um texto braille qualquer contido no CD, formaram o relevocorrespondente a esse texto. A máquina dever ter sua superfície dividida em linhascomo se fosse um caderno, essas linhas terão uma base de apoio para as mãos eterão também pontos que possibilitem uma fácil localização das mãos sobre amáquina. M.D.B
  6. 6. 7 Alfabeto braillePrograma de controle Monitor-Decodificador Braille O programa de controle Monitor-Decodificador Braille será o sistema deinformação que fará a comunicação do usuário com a máquina através de umcomputador. Com este programa o usuário conseguirá gerenciar a máquina. Esteprograma deverá ter uma interface gráfica para que os não deficientes visuaispossam também usar o sistema (isso possibilitará entre outras coisas uma facilidadepara teste do sistema, melhoramento e treinamento do deficiente), e deverá tertambém uma interface com sistema de voz, essa implementada exclusivamente parao deficiente.Metodologia Estamos fazendo pesquisas sobre os conhecimentos relacionados com o assunto, cujas áreas técnicas envolvidas mais diretamente são: a) Eletrônica b) Sistema de informações c) Automação d) Sistema braille Quanto a necessidade do usuário em relação ao sistema braille estão programadas entrevistas em instituições especializadas. Quanto à máquina em si, já há noção de como deve ser o desenho, porém faltam ainda muitos conhecimentos técnicos, uma vez que estamos apenas no
  7. 7. 8 início do curso, mas, um caminho possível é o estudo do funcionamento das impressoras matriciais ou impressoras braille, uma adaptação diminuiria as dificuldades, pois não sairíamos do zero. Quanto ao sistema controlador, pode-se dizer que este só deve iniciar depois da máquina pronta e sua dificuldade maior a princípio reside nos códigos específicos para as funções básicas como a leitura do texto pela máquina.CronogramaQUADRO 1 – CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES A SEREM EXECUTADAS Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6Analisar asentrevistas.Analisar osprocessos X X X Xmecânicos eeletrônicos.Concluir osistemainterno do X X X X X X X Xequipamento.Concluir odesenhoseguindo X X Xnormas deergonomiaConcluir aprogramação X X X X X X X X X X X Xde máquinaConcluir oprogramacontrolador X X X X X X X(interface como usuário).Teste geral XPeríodo parasanar erros e X X Xaperfeiçoar.Apresentaçãode um XprotótipoRecursos Usando softwares originais serão gastos cerca de 4000,00 R$. As instalações com equipamentos mais o material necessário custarão aproximadamente 5000,00 R$. A equipe formada por dois técnicos com especialidades em eletrônica e informática trabalhando quatro horas por dia custará cerca de 19200,00 R$. No total serão necessários 28200,00 R$.
  8. 8. 9Ampliações A idéia inicial previa mais funções para o M.D.B, como, por exemplo, integraravanços já existentes e conhecidos como sintetizadores de voz e um sistema comscanner para “traduzir” textos do português para o Braille. E previa também que oM.D.B deveria ser leve, portátil e ter todo o processamento e interface com o usuárioindependente de microcomputadores, facilitando a locomoção da máquina, ainteração máquina-usuário e a leitura de material não escrito em Braille, porém natentativa de tornar o projeto viável foram feitas diversas restrições a esses e outrospontos que talvez possam ser implementados futuramente.
  9. 9. 10CONCLUSÃO Queremos com esse projeto contribuir para o avanço da tecnologia assistivanacional e ao mesmo tempo ter a oportunidade de empregar as qualidadesadquiridas ao longo do curso, demonstrando a importância que devem ter osinvestimentos na educação de base tecnológica para a sociedade brasileira.
  10. 10. 11REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASChinelato Filho, João. O e M Integrado a Informática Comportamento SistemasMétodos Mecanização. Quinta Edição. Rio de Janeiro, RJ. Editora LCT: 1991GONÇALVES, Eliane S. Bareta; BIAVA, Lurdete Cadorin. Manual para elaboraçãodo relatório curricular. 5. ed. rev. atual. amp. Florianópolis: ETFSC, 2002.Monteiro, Mário A. Introdução à Organização de Computadores. Terceira Edição.Rio de Janeiro, RJ. Editora LCT: 1996Alfabeto braille. Disponível em:<http://www.senai.br/psai/braille_apresentacao.asp>Acesso em 18/07/2006Curso de braille. Disponível em:<http://www.braillevirtual.fe.usp.br/ >Acesso em 18/07/2006Equipamentos braille. Disponível em:<http://www.bengalabranca.com.br>Acesso em 10/07/2006Bichara, Mônica.Mercado enxerga potencial do deficiente visual. Jornal Correio daBahia. Disponível em:<http://www.correiodabahia.com.br/2006/05/01/noticia.asp?link=not000132757.xml>Acesso em 18/07/2006

×