Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Alerta da sífilis congênita

96 views

Published on

Apresentação realizada sobre alerta da sífilis congênita

Published in: Health & Medicine
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Alerta da sífilis congênita

  1. 1. Carmen Silvia Bruniera Domingues Coordenação das Ações para Eliminação da TV do HIV e sífilis congênita Programa Estadual IST/AIDS de São Paulo CRT – DST/AIDS - CCD – SES - SP 14 de Julho de 2020 ALERTA DA SÍFILIS CONGÊNITA
  2. 2. 6,6 9,3 13,0 17,6 26,0 34,9 45,1 54,9 60,6 68,7 85,4 84,6 1,8 2,3 2,8 3,5 5,2 6,2 8,2 10,0 11,3 15,0 18,0 20,9 1,3 1,4 1,3 2,0 2,5 3,1 3,9 4,8 5,4 6,3 6,7 6,6 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 Taxa Anodiagnóstico Taxa de detecção de sífilis adquirida por 100.000 Taxa de detecção de sífilis em gestante por 1000 nascidos vivos Taxa de incidênciade sífilis congênita por 1000 nascidos vivos Fonte: SINAN -Vigilância Epidemiológica - Programa EstadualIST/AIDS-SP(VE-PEIST/AIDS-SP) Nota: *Dados preliminares até 30/06/2019sujeitos a revisão mensal. Taxa de detecção de sífilis adquirida (por 100.000 habitantes), taxa de detecção de sífilis em gestantes e taxa de incidência de sífilis congênita (por mil nascidos vivos), segundo ano de diagnóstico. Estado de São Paulo, 2007 a 2018*.  20%  16%  6,3% estável 17% 2007 a 2019 - Perdas fetais = 2.745 (9,3%) 2017 e 2018 22% = de 384 para 468 2007 a 2019 (30/06) = 68.827 SG 1986 a 2019 (30/06) = 39.689 SC
  3. 3. 58,2 27,1 25,6 29,3 27,9 24,7 27,4 24,8 22,3 22,0 19,4 18,0 17,6 12,9 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 70,0 80,0 90,0 100,0 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 Percentual Ano de diagnóstico 1º trimestre 2º trimestre 3º trimestre Ign/BrancoFonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa EstadualIST/AIDS-SP(VE-PEIST/AIDS-SP) *Dados preliminares até 30/06/2019 sujeitos a revisão mensal. Percentual de casos de sífilis em gestantes com pré-natal, segundo trimestre gestacional de diagnóstico e ano de diagnóstico. Estado de São Paulo, 2007 a 2018*
  4. 4. 92,2 90,4 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 70,0 80,0 90,0 100,0 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018** Percentual Ano de diagnóstico Teste não treponêmico (VDRL) Teste treponêmico Fonte: SINAN -Vigilância Epidemiológica -Programa EstadualIST/AIDS-SP(VE-PEIST/AIDS-SP) *Dados preliminares até 30/06/2019 sujeitos a revisão mensal. **Não foram incluídas gestantes diagnosticadas e notificadas no parto: 1.372gestantes em 2018 . Distribuição percentual de sífilis em gestantes com realização de teste não treponêmico (VDRL) e teste treponêmico, durante o pré-natal, segundo ano de diagnóstico. Estado de São Paulo, 2007 a 2018*. 86,0 96,4
  5. 5. 95,0 90,0 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 70,0 80,0 90,0 100,0 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018** Percentual Ano de diagnóstico Prescrição de penicilina Prescrição conforme classificação clínicaFonte: SINAN -Vigilância Epidemiológica -Programa EstadualIST/AIDS-SP(VE-PEIST/AIDS-SP) *Dados preliminares até 30/06/2019 sujeitos a revisão mensal. **Não foram incluídas gestantes diagnosticadas e notificadas no parto: 1.372gestantes em 2018 . Distribuição percentual de sífilis em gestantes com tratamento prescrito com penicilina (ao menos uma dose) e prescrito conforme classificação clínica da doença, durante o pré-natal, segundo ano de diagnóstico. Estado de São Paulo, 2007 a 2018*
  6. 6. 6,1 12,2 13,7 13,8 14,0 14,3 14,4 14,8 14,9 15,1 15,4 15,5 15,9 17,0 17,1 18,6 18,6 18,9 19,2 19,3 19,4 20,3 20,6 20,9 21,4 22,2 23,3 30,1 33,7 0,0 5,0 10,0 15,0 20,0 25,0 30,0 35,0 40,0 TDSG(por1.000NV) Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual IST/AIDS-SP(VE-PEIST/AIDS-SP) *Dados preliminares até 30/06/2019 sujeitos a revisão mensal. Taxa de detecção de sífilis em gestantes (TDSG), por mil nascidos vivos (NV), segundo Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE) de residência. Estado de São Paulo, 2018*.
  7. 7. Taxa de detecção de sífilis em gestantes (TDSG), por mil nascidos vivos (NV), segundo Região de Saúde (RS) de residência. Estado de São Paulo, 2018*. 4,4 4,9 5,8 5,8 9,3 9,5 9,8 10,0 10,0 10,2 10,4 10,7 11,3 11,5 12,0 12,6 12,6 12,7 12,7 13,3 13,7 13,9 13,9 14,0 14,1 14,6 14,9 15,1 15,4 15,7 15,8 15,8 15,9 16,2 16,6 16,9 17,0 17,1 17,2 17,4 17,5 17,6 18,0 18,4 18,6 18,6 18,9 19,2 20,0 20,0 20,3 20,9 21,4 21,5 22,4 22,5 22,8 23,0 23,2 23,3 26,5 30,1 31,6 33,7 0,0 5,0 10,0 15,0 20,0 25,0 30,0 35,0 40,0 ALTAANHANGUERA EXTREMOOESTEPAULISTA JALES TRÊSCOLINAS CIRCUITODAFÉ-VALEHISTÓRICO ALTAMOGIANA RIOPARDO TUPÃ JUNDIAÍ VOTUPORANGA BRAGANÇA ITAPETININGA LINS ADAMANTINA MANTIQUEIRA SUL-BARRETOS CENTROOESTEDODRSIII ARARAS FERNANDÓPOLIS DOSCONSÓRCIOSDODRSII VALEDORIBEIRA DOSLAGOSDODRSII BAIXAMOGIANA ALTOCAPIVARI NORTEDODRSIII PIRACICABA ALTODOTIETÊ CORAÇÃODODRSIII SOROCABA JAU VALEDOJURUMIRIM PONTALDOPARANAPANEMA CIRCUITODASÁGUAS AQUÍFEROGUARANI CATANDUVA MARÍLIA GRANDEABC FRANCODAROCHA REGMETROCAMPINAS V.PARAÍBA-REG.SERRANA VALEDASCACHOEIRAS OURINHOS CENTRALDODRSIII CENTRALDODRSII MANANCIAIS RIOCLARO LIMEIRA ROTADOSBANDEIRANTES JOSÉBONIFÁCIO ALTAPAULISTA ITAPEVA EstadodeSP ALTOVALEDOPARAÍBA POLOCUESTA SÃOJOSÉDORIOPRETO ALTASOROCABANA NORTE-BARRETOS HORIZONTEVERDE BAURU LITORALNORTE ASSIS SÃOPAULO SANTAFÉDOSUL BAIXADASANTISTA TDSG(por1.000NV) Fonte: SINAN -Vigilância Epidemiológica -Programa EstadualIST/AIDS-SP(VE-PEIST/AIDS-SP) *Dados preliminares até 30/06/2019 sujeitos a revisão mensal.
  8. 8. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 0 500 1000 1500 2000 2500 3000 3500 4000 4500 1986 1987 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 TISC(por1000NV) Nºdecasosdesífiliscongênita Anode diagnóstico Casos TISC Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa EstadualIST/AIDS-SP(VE-PEIST/AIDS-SP) ; Fundação SEADE. *Dados preliminares até 30/06/2019, sujeitos a revisão mensal. Casos e taxa de incidência de sífilis congênita (TISC), por 1.000 nascidos vivos (NV), segundo ano de diagnóstico. Estado de São Paulo, 1986 a 2018*. 2009 - 2017 5 vezes 1,3 para 6,7/1000 NV
  9. 9. Percentual de casos de sífilis congênita segundo realização de pré-natal materno e ano diagnóstico. Estado de São Paulo, 2007 a 2018*. 82,0 80,0 76,0 74,5 74,0 69,8 71,4 75,0 77,7 79,8 82,9 80,6 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 Percentualdecasos Anode diagnóstico Sim Não Ign/BrancoFonte: SINAN -Vigilância Epidemiológica -Programa EstadualIST/AIDS-SP(VE-PEIST/AIDS-SP) ; Fundação SEADE. *Dados preliminares até 30/06/2019 sujeitos a revisão mensal. 2017-2018 10% sem PN
  10. 10. 66,0 57,0 28,7 37,1 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 Percentual Anode diagnóstico Durante opré-natal Noparto/curetagem Apósoparto Nãorealizado Ign/Branco Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa EstadualIST/AIDS-SP(VE-PEIST/AIDS-SP) ; Fundação SEADE. *Dados preliminares até 30/06/2019, sujeitos a revisão mensal. Percentual de casos de sífilis congênita segundo momento do diagnóstico materno de sífilis. Estado de São Paulo, 2007 a 2018* 2017-2018  16% de casos SC – mãe com diagnóstico no PN
  11. 11. 6,1 12,2 13,7 13,8 14,0 14,3 14,4 14,8 14,9 15,1 15,4 15,5 15,9 17,0 17,1 18,6 18,6 18,9 19,2 19,3 19,4 20,3 20,6 20,9 21,4 22,2 23,3 30,1 33,7 2,8 2,3 6,4 4,7 3,4 13,1 3,2 6,6 8,7 3,8 3,6 3,0 4,0 6,2 7,5 7,7 7,7 8,6 4,8 13,1 2,9 2,9 9,3 6,6 6,9 4,9 6,8 7,3 12,9 0 5 10 15 20 25 30 35 40 TDSGeTISC(por1.000NV) TDSG TISC Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual IST/AIDS-SP(VE-PEIST/AIDS-SP) ; Fundação SEADE. *Dados preliminares até 30/06/2019, sujeitos a revisão mensal. Taxa de incidência de sífilis congênita (TISC) e taxa de detecção de sífilis em gestantes (TDSG), por 1.000 nascidos vivos (NV), segundo Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE) de residência. Estado de São Paulo, 2018*
  12. 12. 586 566 6.579 2.506 4.007 2.504 5.592 407 420 4.970 1.980 2.958 1.809 4.498 - 1.000 2.000 3.000 4.000 5.000 6.000 7.000 Criança Exposta a TVHIV HIV na Gestação HIV e Aids Aids (B24) HIV (Z21) Sífilis Congênita Sífilis na Gestação Nºcasos Agravos 2019 2020 Fonte:Sinan-CVE-VECRTPE-DST/Aids-SES-SP. *dadossujeitosarevisãoem15.06.2020. -30,5% -26% -25% -21% -26,2% -28% -20% Total de casos de agravos DST/Aids notificados de janeiro a maio 2019 e 2020, estado de São Paulo*
  13. 13. 0 200 400 600 800 1000 1200 1400 Jan Fev Mar Abr Mai Sífilis naGestação 2016 2017 2018 2019 2020 Casos de sífilis na gestação notificados de janeiro a maio, nos anos de 2016 a 2020, estado de São Paulo*
  14. 14. 0 100 200 300 400 500 600 Jan Fev Mar Abr Mai Sífilis Congênita 2016 2017 2018 2019 2020 Casos de sífilis congênita notificados de janeiro a maio, nos anos de 2016 a 2020, estado de São Paulo*
  15. 15. 0 20 40 60 80 100 120 140 Jan Fev Mar Abr Mai GestanteHIV 2016 2017 2018 2019 2020 Casos de gestante HIV notificados de janeiro a maio, nos anos de 2016 a 2020, estado de São Paulo*
  16. 16. 0 20 40 60 80 100 120 140 160 180 Jan Fev Mar Abr Mai criançaexposta 2016 2017 2018 2019 2020 Casos de crianças expostas ao HIV notificados de janeiro a maio, nos anos de 2016 a 2020, estado de São Paulo*
  17. 17. 0 200 400 600 800 1000 Jan Fev Mar Abr Mai Aids 2016 2017 2018 2019 2020 Casos de AIDS notificados de janeiro a maio, nos anos de 2016 a 2020, estado de São Paulo*
  18. 18. 0 200 400 600 800 1000 1200 1400 1600 Jan Fev Mar Abr Mai HIV 2016 2017 2018 2019 2020 Casos de HIV notificados de janeiro a maio, nos anos de 2016 a 2020, estado de São Paulo*
  19. 19. 0 50 100 150 200 250 Jan Fev Mar Abr Mai TBHIV 2017 2018 2019 2020 Casos de TB/HIV notificados de janeiro a maio, nos anos de 2016 a 2020, estado de São Paulo*
  20. 20. “A SÍFILIS CONGÊNITA É UM PROBLEMA DE TODOS NÓS” E “JUNTOS PODEMOS MUDAR ESTA REALIDADE” Para atingirmos a meta de redução dos casos de sífilis congênita no estado de São Paulo, o Programa Estadual de IST/Aids em parceria com o Cefor e com a Atenção Básica da Secretaria de Estado da Saúde lançou, em 29/10/2018, o “Curso básico de sífilis adquirida, gestante e congênita”. Este curso, na metodologia EAD, busca qualificar o trabalho dos profissionais da atenção básica e maternidades no manejo da sífilis adquirida, sífilis na gestação e sífilis congênita, assim como, contribui para implementar as informações das vigilância epidemiológicas municipais e regionais. Para acessar o EAD clique no link: http://eadses.saude.sp.gov.br/
  21. 21. CONSIDERAÇÕES FINAIS Em tempos de Covid-19 é importante atenção especial:  No acesso ao pré-natal – não deixar gestantes sem PN,  No seguimento das gestantes – não perder casos,  No diagnóstico - ofertar TR ou convencional (Sífilis e HIV) para todas as gestantes,  No tratamento – aplicar penicilina benzatina na Atenção Básica e completar o esquema terapêutico. Na notificação – não esquecer de preencher a FIE SG e SC e digitar no Sinan. NÃO VAMOS ESQUECER DA SÍFILIS!!! OUTUBRO 2020 "V Semana Paulista de Mobilização contra a Sífilis: "Os desafios da sífilis congênita em tempos de Covid- 19“ On line
  22. 22. OBRIGADA! CARMEN@CRT.SAUDE.SP.GOV.BR WWW.CRT.SAUDE.SP.GOV.BR

×