TRANSTORNOS ALIMENTARES BULIMIA E ANOREXIA ROSILEIDE RIBEIRO RODRIGUES
Alimentação do Adolescente <ul><li>A alimentação é um aspecto tão importante na adolescência quanto na infância , pois dev...
<ul><li>As mudanças dos hábitos alimentares podem ter influências emocionais, sociais, econômicas, etc. </li></ul><ul><li>...
<ul><li>Isso pode acarretar carências nutricionais.  Nutrientes importantes acabam sendo consumidos abaixo das necessidade...
Transtornos Alimentares <ul><li>Os transtornos relacionados à alimentação, como os vômitos e a falta de apetite, freqüente...
Anorexia Nervosa <ul><li>Anorexia nervosa é um transtorno alimentar no qual a busca implacável por magreza leva a pessoa a...
Complicações médicas <ul><li>Desnutrição e desidratação. </li></ul><ul><li>Hipotensão (diminuição da pressão arterial). </...
Como se trata?  <ul><li>O tratamento deve ser realizado por uma equipe multidisciplinar formada por psiquiatra, psicólogo,...
Anorexia Nervosa <ul><li>É mais freqüente nas adolescentes do sexo feminino, iniciando-se tipicamente aos 13 anos e culmin...
<ul><li>O comportamento dirigido à perda de peso ocorre em segredo, os pacientes recusam-se a comer com suas famílias ou e...
O que se sente?  <ul><li>Perda de peso em um curto espaço de tempo. </li></ul><ul><li>Alimentação e preocupação com peso c...
Explicações psicodinâmicas para o fenômeno encontrado na anorexia da adolescente <ul><li>Tensões sexuais geradas pelas pró...
Três tipos de anorexias <ul><li>Aquela relacionada com uma complicada relação mãe-filho, em um contexto familiar bastante ...
Bulimia nervosa <ul><li>A bulimia nervosa é caracterizada por repetidos ataques de  hiperfagia  e uma preocupação excessiv...
<ul><li>A anoréxica, ao começar a melhorar, ganhar peso, retornar sua menstruação, entra em um padrão pernicioso de  hiper...
Hiperfagia <ul><li>É um episódio em que o indivíduo com bulimia tem ataques de excesso alimentar, incluindo na maioria das...
<ul><li>Tetania  é também a palavra usada para descrever espasmos musculares (contrações involuntárias dos músculos), quan...
<ul><li>Uma alimentação, quando adequada e variada, previne deficiências nutricionais, e protege contra doenças infecciosa...
<ul><li>Realizar de cinco a seis refeições diárias, sendo três refeições principais e   dois a três lanches, evitando fica...
<ul><li>Escolher embalagens individuais, em vez de embalagens &quot;tamanho-família&quot;;   por exemplo, preferir os choc...
Nova pirâmide alimentar
Atividade Física  <ul><li>É muito importante a prática de exercícios físicos regularmente, aliada a uma alimentação saudáv...
Cálculo do IMC <ul><li>Índice de Massa Corporal (IMC) é usado para avaliar o seu peso (kg) em relação à sua estatura (m). ...
TABELA DE CLASSIFICAÇÃO DO IMC Acima de 40,0 Obesidade Grau III   35,0 – 39,9 Obesidade Grau II  30,0 – 34,9   Obesidade G...
<ul><li>Um homem pesa  96,4  kg e mede  1,75  m de estatura.  Calculando o IMC : </li></ul><ul><li>IMC =  96,4  (kg) divid...
<ul><li>Se o seu IMC não estiver indicando um peso normal (IMC entre 18,5 e 24,9) procure a orientação de um médico e de u...
REFERÊNCIAS <ul><li>Tocantins, Proposta Curricular do Ensino Médio do Estado do. </li></ul><ul><li>Tocantins, Referencial ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Transtornos alimentares

138,011 views

Published on

Materiais pedagógicos sobre alimentação saudável, bulimia e anorexia para alunos das séries finais do Ensino Fundamental e alunos Ensino Médio.

Published in: Education, Health & Medicine
  • Be the first to comment

Transtornos alimentares

  1. 1. TRANSTORNOS ALIMENTARES BULIMIA E ANOREXIA ROSILEIDE RIBEIRO RODRIGUES
  2. 2. Alimentação do Adolescente <ul><li>A alimentação é um aspecto tão importante na adolescência quanto na infância , pois deverá contribuir para criar e manter bons hábitos alimentares para toda a vida, além de satisfazer as necessidades nutricionais, propiciando peso e desenvolvimento adequados de massa óssea e muscular, intensos nesse período. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>As mudanças dos hábitos alimentares podem ter influências emocionais, sociais, econômicas, etc. </li></ul><ul><li>O adolescente pode mudar seus hábitos alimentares devido à influência dos amigos , para contrariar os pais, pelo aumento do poder de compra, pela influência da mídia, etc. </li></ul><ul><li>Um comportamento preocupante é a “mania” de fazer “regimes” de restrição alimentar, existente especialmente entre as adolescentes do sexo feminino. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Isso pode acarretar carências nutricionais. Nutrientes importantes acabam sendo consumidos abaixo das necessidades, entre eles o ferro, cálcio, vitaminas, e até o consumo energético pode ficar comprometido, prejudicando o desenvolvimento. Além disso, essas “manias” de “regimes” de restrição alimentar podem ser o início de problemas mais graves, devidos à baixa auto-aceitação do adolescente, como anorexia e bulimia nervosa. </li></ul>
  5. 5. Transtornos Alimentares <ul><li>Os transtornos relacionados à alimentação, como os vômitos e a falta de apetite, freqüentes na adolescência, podem levar a um quadro de desidratação importante, e até à necessidade de internação. A partir da década de 70, a anorexia e a bulimia nervosa tornaram-se os principais transtornos alimentares da adolescência. </li></ul><ul><li>Os adolescentes que têm transtornos alimentares experimentam uma variedade de complicações metabólicas e sequelas psicossociais, incluindo a co-morbidade com os transtornos afetivos (depressão) e de ansiedade. Além disso, podem apresentar isolamento social decorrente de freqüentes intercorrências médicas. </li></ul>
  6. 6. Anorexia Nervosa <ul><li>Anorexia nervosa é um transtorno alimentar no qual a busca implacável por magreza leva a pessoa a recorrer a estratégias para perda de peso, ocasionando importante emagrecimento. </li></ul><ul><li>As pessoas anoréxicas apresentam um medo intenso de engordar mesmo estando extremamente magras. </li></ul><ul><li>Em 90% dos casos, acomete mulheres adolescentes e adultas jovens, na faixa de 12 a 20 anos. </li></ul>
  7. 7. Complicações médicas <ul><li>Desnutrição e desidratação. </li></ul><ul><li>Hipotensão (diminuição da pressão arterial). </li></ul><ul><li>Anemia. </li></ul><ul><li>Redução da massa muscular. </li></ul><ul><li>Intolerância ao frio. </li></ul><ul><li>Motilidade gástrica diminuída. </li></ul><ul><li>Amenorréia (parada do ciclo menstrual). </li></ul><ul><li>Osteoporose (rarefação e fraqueza óssea). </li></ul><ul><li>Infertilidade em casos crônicos. </li></ul>
  8. 8. Como se trata? <ul><li>O tratamento deve ser realizado por uma equipe multidisciplinar formada por psiquiatra, psicólogo, pediatra, clínico e nutricionista, em função da complexa interação de problemas emocionais e fisiológicos nos transtornos alimentares. </li></ul>
  9. 9. Anorexia Nervosa <ul><li>É mais freqüente nas adolescentes do sexo feminino, iniciando-se tipicamente aos 13 anos e culminando aos 17-18 anos. </li></ul><ul><li>É causada por uma interação de fatores socioculturais, biológicos e psíquicos, considerando-se a vulnerabilidade daquela adolescente em particular. </li></ul><ul><li>Diagnóstico: perda ponderal de pelo menos 15% do peso original e a ausência de doença física conhecida, que responda pela perda de peso, o que requer uma série de exames clínicos e laboratoriais. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>O comportamento dirigido à perda de peso ocorre em segredo, os pacientes recusam-se a comer com suas famílias ou em lugares públicos. </li></ul><ul><li>Eles diminuem drasticamente a ingestão de alimentos, principalmente os que são ricos em carboidratos e lipídios. </li></ul><ul><li>Alguns pacientes oscilam entre a restrição e a orgia alimentar, geralmente à noite, seguindo-se ao ritual de indução ao vômito ou uso de laxantes e diuréticos. </li></ul>
  11. 11. O que se sente? <ul><li>Perda de peso em um curto espaço de tempo. </li></ul><ul><li>Alimentação e preocupação com peso corporal tornam-se obsessões. </li></ul><ul><li>Crença de que se está gordo, mesmo estando excessivamente magro. </li></ul><ul><li>Parada do ciclo menstrual (amenorréia). </li></ul><ul><li>Interesse exagerado por alimentos. </li></ul><ul><li>Comer em segredo e mentir a respeito de comida. </li></ul><ul><li>Depressão, ansiedade e irritabilidade. </li></ul><ul><li>Exercícios físicos em excesso. </li></ul><ul><li>Progressivo isolamento da família e amigos. </li></ul>
  12. 12. Explicações psicodinâmicas para o fenômeno encontrado na anorexia da adolescente <ul><li>Tensões sexuais geradas pelas próprias alterações físicas, relacionadas à puberdade. A desnutrição leva à diminuição do interesse sexual, o que pode proteger a jovem contra a sua própria sexualidade. </li></ul><ul><li>Uma relação sedutora e dependente com o pai, culpando-se pela agressividade em relação à mãe: o ódio contra a mãe, que ao mesmo tempo a protege do pai. </li></ul><ul><li>A perturbação da auto-percepção (imagem corporal), implica na negação do corpo, através da fadiga, fraqueza e fome e poderá incidir tanto em uma estrutura neurótica quanto psicótica. </li></ul>
  13. 13. Três tipos de anorexias <ul><li>Aquela relacionada com uma complicada relação mãe-filho, em um contexto familiar bastante perturbado; </li></ul><ul><li>A relacionada com práticas culturais de culto ao “corpo perfeito”, em que temos tanto a presença de anorexia quanto a de bulimia, e </li></ul><ul><li>Uma forma, provavelmente, ligada a causas genéticas, que levará o paciente à morte, independente do tratamento. </li></ul>
  14. 14. Bulimia nervosa <ul><li>A bulimia nervosa é caracterizada por repetidos ataques de hiperfagia e uma preocupação excessiva com o controle do peso corporal, levando o paciente a adotar medidas extremas, a fim de mitigar os efeitos “de engordar”. </li></ul><ul><li>A distribuição etária e por sexo é similar àquela encontrada na anorexia, porém a idade de apresentação tende a ser ligeiramente mais tardia. O transtorno pode ser visto como uma seqüela da anorexia persistente, embora a seqüência inversa também possa ocorrer. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>A anoréxica, ao começar a melhorar, ganhar peso, retornar sua menstruação, entra em um padrão pernicioso de hiperfagia e vômitos, o que lhe causa novamente alterações eletrolíticas e complicações físicas ( tetania , crises epiléticas, arritimias cardíacas e fraqueza muscular) retomando à perda de peso e à sintomatologia anterior. </li></ul><ul><li>Freqüentemente encontramos quadros de bulimia associados à depressão, o que requer a prescrição de anti-depressivos e inibidores do apetite. </li></ul><ul><li>O tratamento segue as linhas gerais daquele empregado para a anorexia nervosa. </li></ul>
  16. 16. Hiperfagia <ul><li>É um episódio em que o indivíduo com bulimia tem ataques de excesso alimentar, incluindo na maioria das vezes doces e alimentos com alto teor calórico, tais como sorvetes ou bolos. A hiperfagia não é uma resposta de uma fome exagerada, mas de depressão, estresse e assuntos relacionados a auto-estima. Durante esse episódio o indivíduo experimenta uma perda de controle muito grande seguida de uma calma rápida. Essa calma é sempre seguida de raiva de si mesmo. </li></ul><ul><li>http://www.educacaofisica.com.br/glossario_mostrar.asp?id=862 , em 23/5/2010 11:02:42 </li></ul>
  17. 17. <ul><li>Tetania é também a palavra usada para descrever espasmos musculares (contrações involuntárias dos músculos), quando eles não são causados pelo tétano . </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Tetania_(sinal_m%C3%A9dico ), em 23/5/2010 11:05:19 . </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Uma alimentação, quando adequada e variada, previne deficiências nutricionais, e protege contra doenças infecciosas, porque é rica em nutrientes que podem melhorar as defesas do organismo. </li></ul><ul><li>Nutrientes são compostos químicos encontrados nos alimentos que têm funções específicas e se dividem em: macronutrientes: carboidratos, proteínas e lipídeos; micronutrientes: vitaminas e sais minerais. </li></ul>Algumas dicas para hábitos alimentares saudáveis
  19. 19. <ul><li>Realizar de cinco a seis refeições diárias, sendo três refeições principais e   dois a três lanches, evitando ficar longos períodos sem se alimentar; </li></ul><ul><li>Variar a dieta (consulte a Pirâmide Alimentar dos Adolescentes); </li></ul><ul><li>Ingerir bastante líquido; </li></ul><ul><li>Evitar comer em frente à TV, pois isso abre caminho para excessos; </li></ul><ul><li>Evitar &quot;pular&quot; refeições, pois isso faz com a fome seja ainda maior na   próxima refeição, propiciando excessos; </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Escolher embalagens individuais, em vez de embalagens &quot;tamanho-família&quot;;   por exemplo, preferir os chocolates embalados individualmente, no lugar de   barras inteiras; </li></ul><ul><li>Quando os lanches substituem as principais refeições, é importante  assegurar que eles sejam nutritivos e contribuam para uma dieta equilibrada; </li></ul><ul><li>Praticar exercícios físicos regularmente; </li></ul><ul><li>Caso haja necessidade de redução de peso, procurar sempre a orientação   de um profissional da área. </li></ul>
  21. 21. Nova pirâmide alimentar
  22. 22. Atividade Física <ul><li>É muito importante a prática de exercícios físicos regularmente, aliada a uma alimentação saudável, o que previne o sobrepeso e a obesidade, além de trazer benefícios para saúde mental e emocional. </li></ul><ul><li>As pessoas fisicamente ativas são profissionalmente mais produtivas, e desenvolvem maior resistência a doenças. </li></ul><ul><li>Para ter uma vida saudável, associe sempre uma alimentação equilibrada, com o consumo de água e a prática de atividades físicas regularmente. </li></ul>
  23. 23. Cálculo do IMC <ul><li>Índice de Massa Corporal (IMC) é usado para avaliar o seu peso (kg) em relação à sua estatura (m). IMC = peso atual (kg) dividido por altura² (m) </li></ul><ul><li>IMC = 79 / 1,60² </li></ul>
  24. 24. TABELA DE CLASSIFICAÇÃO DO IMC Acima de 40,0 Obesidade Grau III   35,0 – 39,9 Obesidade Grau II  30,0 – 34,9   Obesidade Grau I 25,0 – 29,9 Pré Obesidade 18,5 – 24,9   Peso Normal  Menor que 18,5 Abaixo do peso Classificação IMC
  25. 25. <ul><li>Um homem pesa 96,4 kg e mede 1,75 m de estatura. Calculando o IMC : </li></ul><ul><li>IMC = 96,4 (kg) dividido por ( 1,75 m² = 3,0625) IMC = 96,4 dividido por 3,0625 = 31,5 kg/m² Este homem é um obeso Grau I . </li></ul><ul><li>A obesidade é fator de risco para doenças cardíacas, diabetes, problemas ortopédicos, etc. Para atletas, o peso acima do considerado normal pode ser devido ao aumento de massa muscular. </li></ul><ul><li>Esta tabela é válida para adultos. </li></ul>
  26. 26. <ul><li>Se o seu IMC não estiver indicando um peso normal (IMC entre 18,5 e 24,9) procure a orientação de um médico e de um nutricionista. </li></ul><ul><li>Para crianças, adolescentes e idosos, existem tabelas específicas. </li></ul>
  27. 27. REFERÊNCIAS <ul><li>Tocantins, Proposta Curricular do Ensino Médio do Estado do. </li></ul><ul><li>Tocantins, Referencial Curricular do Ensino Fundamental do Estado do. </li></ul><ul><li>SECRETARIA DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Governo do Tocantins. Projeto Saúde e prevenção na escola, uma abordagem humanística. </li></ul><ul><li>MÓDULO IV Ciências. Avançando na teoria e exercitando a prática. Formação Continuada - 6º ao 9º - Eixo temático: Saúde e prevenção na escola, uma abordagem humanística. </li></ul><ul><li>Sites pesquisados: </li></ul><ul><li>http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto. cfm ? idtxt =34308&janela=1 , http://www.fct.unl.pt/aluno/gapa/dificuladades-psicologicas-anorexia-e-bulimia , http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/multimedia/adolescente/textos_comp/tc_11.html , http://pt.wikipedia.org/wiki/Anorexia_nervosa </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Bulimia_nervosa </li></ul><ul><li>http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?138 </li></ul><ul><li>http://www.hu.usp.br/profissionais/nutricao.htm </li></ul><ul><li>http://comer.files.wordpress.com/2008/06/nova-piramide-alimentar5.gif , em 22 de maio de 2010. </li></ul>

×