El ciclo Krabs

1,036 views

Published on

Published in: Career
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,036
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

El ciclo Krabs

  1. 1. Relato de uma experiência com o uso do Diagrama Metabólico Dinâmico Virtual do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras sobre Novas Tecnologias na Educação CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS Março de 2004
  2. 2. Ana Maria Ponzio de Azevedo [email_address] Gustavo Brandalise Lazzarotto [email_address] Maria Isabel Timm [email_address] Milton Antônio Zaro zaro@ufrgs.br Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004
  3. 3. <ul><li>um ambiente virtual de ensino e aprendizagem, que usa recursos de hipermídia , como estratégia para representar as reações do metabolismo celular, direcionado para estudantes do ensino superior das áreas biomédicas. </li></ul>Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 Diagrama Metabólico Dinâmico Virtual (DMDV) - do Ciclo de Krebs
  4. 4. Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 Diagrama Metabólico Dinâmico Virtual (DMDV) - do Ciclo de Krebs - resolução de questões dissertativas e de escolha múltipla. <ul><li>um software que permite ao usuário aprender, estudar e revisar conteúdos referentes ao metabolismo energético na forma de: </li></ul>- jogos interativos com a seqüência de substratos e enzimas das rotas metabólicas, seu controle, inibição, papel de vitaminas para seu correto funcionamento e sua relação com outros sistemas. - leitura de textos sobre as funções e características do Ciclo de Krebs, assim como marcos históricos em seu desenvolvimento
  5. 5. Diagrama Metabólico Dinâmico Virtual (DMDV) - do Ciclo de Krebs <ul><li>Ensino da Bioquímica </li></ul>Execução abrangeu as áreas de conhecimento: <ul><li>Educação (teorias e modelos pedagógicos) </li></ul><ul><li>Comunicação (área de programação e design ) </li></ul><ul><li>Informática (tecnologias utilizadas e programação </li></ul><ul><li>do ambiente) </li></ul>Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004
  6. 6. Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 <ul><li>A construção da interface gráfica, assim como a estrutura dos jogos, é feita mediante arquivos do tipo hipertexto. </li></ul><ul><li>A estrutura atual do gerenciador também inclui um esquema para autenticação e gerenciamento de usuários através da Internet. </li></ul><ul><li>Atualmente, o esquema de armazenamento local é disponibilizado. </li></ul><ul><li>Pode ser instalado em máquinas com a </li></ul><ul><li>plataforma Windows e GNU/Linux. </li></ul>Diagrama Metabólico Dinâmico Virtual (DMDV) - do Ciclo de Krebs
  7. 7. Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS <ul><li>O projeto é dividido em 4 fases: </li></ul><ul><li>o modelo conceitual (análise); </li></ul><ul><li>o desenvolvimento do software gerenciador da interface (telas); </li></ul><ul><li>o servidor para o gerenciamento de usuários (controle); </li></ul><ul><li>a construção e implantação do jogo DMDV </li></ul><ul><li>A partir da modelagem, o desenvolvimento do software gerenciador está sendo feito na linguagem orientada a objetos C++. </li></ul>Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 Diagrama Metabólico Dinâmico Virtual (DMDV) - do Ciclo de Krebs
  8. 8. O software pode ser utilizado: <ul><li>por um ou mais usuários, propiciando um ensino individualizado, o qual respeita o estilo de aprendizagem de cada aluno </li></ul><ul><li>um estudo em grupo no qual é possível a </li></ul><ul><li>colaboração e a cooperação entre os usuários </li></ul>Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 Diagrama Metabólico Dinâmico Virtual (DMDV) - do Ciclo de Krebs
  9. 9. Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Ensino de Bioquímica Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 <ul><li>Conteúdo teórico extenso </li></ul><ul><li>Necessita conhecimento prévio </li></ul><ul><li>Abstrações e Imaginação por parte do estudante </li></ul><ul><li>Dificuldade de visualização das reações </li></ul><ul><li>Motivação em relação a importância no ensino médico </li></ul>- exemplo reação de identificação da glicose
  10. 10. <ul><li>constitui um meio eficaz de apoio para a aprendizagem </li></ul>Hipermídia como facilitadora do aprendizado Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 <ul><li>com os recursos da hipermídia é possível facilitar a compreensão do aluno, permitindo, por exemplo, uma visão mais próxima do que ocorre nas transformações sofridas pelas substâncias no organismo vivo. </li></ul><ul><li>ferramenta de apoio para desenvolver o conteúdo de disciplinas convencionais. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>o ambiente virtual promove a construção permanente do conhecimento, através de ações práticas e efetivas sobre o conteúdo que está sendo disponibilizado, por exemplo na resolução dos desafios lançados pelo ambiente. </li></ul><ul><li>recursos computacionais facilitam a interatividade do aluno com um conteúdo, a inter-relação com os </li></ul><ul><li>colegas. </li></ul>Hipermídia como facilitadora do aprendizado Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004
  12. 12. <ul><li>A utilização do computador de maneira inteligente não é um atributo inerente ao mesmo, mas está vinculada à maneira como se concebe a tarefa na qual ele será utilizado. </li></ul>Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Aspectos pedagógicos do DMDV Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 Valente, 1993 <ul><li>É preciso definir com clareza e competência o que é preciso ensinar para capacitar o aluno, dando-lhe condições para aprofundar seus conhecimentos e desenvolver as aprendizagens importantes para que ele consiga lidar com sua realidade. </li></ul>Botomé , 1994 1- 4
  13. 13. <ul><li>Referência à prática pedagógica interacionista </li></ul><ul><li>Idéias de Jean Piaget, relacionadas à epistemologia </li></ul><ul><li>genética e ao construtivismo, que compreende a origem da produção individual do conhecimento na interação do sujeito com o objeto. </li></ul>Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Aspectos pedagógicos do DMDV 2- 4 Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 <ul><li>Jogos, como estratégia de ensino, permitem a interação, envolvem e capturam, de maneira lúdica e prazerosa, a atenção por maior intervalo de tempo. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Uma das características fundamentais de um ambiente de aprendizagem é a possibilidade da criação de situações de desequilíbrio, que incentivem os alunos na busca do conhecimento. </li></ul><ul><li>Piaget ressaltou a importância da necessidade da busca de novas informação para estimular a ação de construção do conhecimento. </li></ul>O DMDV motiva o aluno a buscar novas informações e aprofundar o conteúdo. Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Aspectos pedagógicos do DMDV 3 - 4 Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004
  15. 15. <ul><li>Os jogos, como ferramentas de apoio ao ensino, podem motivar o aprendizado devido à fantasia e à curiosidade. Em uma forma divertida os jogos podem ser desenvolvidos de maneira a proporcionar oportunidades de se aprender não só conceitos e conteúdos tradicionais, mas também de desenvolver o pensamento lógico. </li></ul>Borges e Oliveira, 2000 Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS 4 - 4 Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 Aspectos pedagógicos do DMDV <ul><li>O jogo se apresenta na forma de uma ampliação da função de assimilação, para além dos limites da adaptação. O jogo de regras marca o enfraquecimento do jogo infantil e a passagem ao jogo adulto, que é a atividade lúdica do ser socializado. O jogo é uma atividade que apresenta uma assimilação do real ao eu, que equilibra o processo assimilador com uma acomodação aos outros e às coisas. </li></ul>Piaget, 1971
  16. 16. <ul><li>Identifica o caráter antecipador da esquematização na construção do conhecimento e, de forma cooperativa e colaborativa, utiliza modelos situacionais que provocam uma tomada de decisão por parte do aluno. </li></ul><ul><li>Ao jogar ocorre a situação de conflito, sem caráter competitivo, em que todos ganham, reduzindo a complexidade do assunto tratado. </li></ul><ul><li>Primeiramente é trabalhado o conhecimento declarativo, depois os alunos começam a fazer relações de funcionalidade e o aprofundamento dos conceitos, as relações mais complexas conduzem ao conhecimento procedimental. </li></ul>Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Estratégia de Aprendizagem do DMDV Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004
  17. 17. Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Apresentação do DMDV Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004
  18. 18. Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Aplicação do DMDV Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004
  19. 19. Experiência com DMDV <ul><li>47 alunos da Disciplina de Bioquímica FFFCMPA divididos em dois grupos: </li></ul><ul><li>Grupo de 11 monitores com conhecimento básico de Bioquímica. Avaliação do ambiente </li></ul>1º estudo com o DMDV na sala de aula informatizada, durante 2 horas 2º estudo em grupo com o DMD, auxiliados pelo monitor da Disciplina, durante 2 horas Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004
  20. 20. Ficha de Avaliação do Ambiente do DMDV Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS 1 - 2 Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 Notas valor mínimo 1 e máximo 5 - Média O programa faz consistência dos dados de entrada O tamanho de cada seção é apropriado O programa é capaz de processar rapidamente os dados O programa oferece diferentes caminhos, igualmente seguros, ao usuário? As opções de menu são acessíveis de qualquer tela do programa O esquema de cores é agradável O volume de informações por tela é adequada O programa permite reverter as ações O tamanho de cada seção é apropriado O formato de exibição na tela é adequado 4,9 4,3 4,8 4,2 4,4 4,4 4,2 4,3 4,6 4,3
  21. 21. Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Ficha de Avaliação do Ambiente do DMDV 2 - 2 Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 O programa pode ser operado por usuários sem o conhecimento prévio de implementação de sistemas de computação 4,3 O sistema utiliza um número adequado de mensagens As mensagens do sistema utilizam um vocabulário simples e adequado ao usuário As mensagens do sistema são objetivas e adequadas As mensagens do sistema estão escritas segundo normas ortográficas da língua portuguesa 4,4 4,6 4,6 As orientações ao usuário é de boa qualidade, abrangente, acessível na leitura e dá suporte suficiente e necessário para o uso do sistema O programa pode oferecer diferentes tipos de auxílio ao usuário 4,3 4,3 4,2
  22. 22. 1 - 3 Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 Avaliação da Aprendizagem <ul><li>Mapas Conceituais: </li></ul>1º inicial - avaliação do conhecimento prévio do alunos 2º logo após o estudo - influência do método 3º dois meses após o estudo - consolidação do conhecimento adquirido <ul><li>Provas escritas: </li></ul>1ª após o estudo - parte da avaliação bimestral 2ª após dois meses - realizado sem aviso prévio aos alunos
  23. 23. 2 - 3 Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 Avaliação da Aprendizagem <ul><li>Observações Gerais da análise dos Mapas Conceituais: </li></ul>1ª - os mapas iniciais indicaram que todos os alunos, de ambos os grupos, possuíam conhecimento prévio do conceito proposto; 2ª - observação puramente visual comparativa entre os três mapas conceituais de cada participante mostra uma agregação de novos elementos; 3ª - em todos os mapas conceituais evidencia-se a predominância do caráter associativo em relação ao caráter classificatório;
  24. 24. Avaliação da Aprendizagem com uso do DMDV <ul><li>Observações Gerais da análise dos Mapas Conceituais: </li></ul>3 - 3 4ª - em todos os mapas conceituais apareceram conceitos relacionados com função, localização e características do ciclo metabólico. No segundo mapa, além desses apareceram nomes de substratos e enzimas do ciclo sugerindo favorecimento da memorização 5ª - os terceiros mapas conceituais apresentaram mais conceitos gerais e inter-relações com outras rotas, indicando uma inserção do conceito em um conjunto contextualizado. Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004
  25. 25. 1 - 3 Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 Avaliação da Aprendizagem <ul><li>Tentativa de quantificar os resultados com os mapas conceituais: </li></ul>-1 -1 Conceitos Errados 1 1 Reações Redox 1 1 Substratos/Enzimas 5 1 Relações 5 1 ViaAnfibólica 5 1 Generalidades 5 1 Função 1 1 Localização Valor/unid Método 2 Valor/unid Método 1 Conceito
  26. 26. Avaliação da Aprendizagem Mapas Conceituais Método 1 Método 2 Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 2 - 3 11,53  12,83 44,78  12,69 25,48  8,44 12,78  4,36 16,87  5,33 9,00  2,81 B DMD n= 23 31,67  11,53 38,67  11,05 24,83  7,69 12,63  4,38 15,92  4,36 8,63  3 ,79 A DMDV n= 24 3º Mapa Média  DP 2º Mapa Média  DP 1º Mapa Média  DP 3º Mapa Média  DP 2º Mapa Média  DP 1º Mapa Média  DP Grupos
  27. 27. Avaliação da Aprendizagem Prova Escrita Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 3 - 3 7,58  2,19 7,81  1,37 B DMD n=23 8,59  1,25 7,46  1,65 A DMDV n= 24 2ª Prova Média  DP 1ª Prova Média  DP Grupos
  28. 28. Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 Conclusões Os resultados preliminares, ainda não permitem uma análise definitiva, mas sugerem que o método do DMDV é equivalente ao método do DMD, cuja aplicabilidade já tem sido comprovada ao longo de mais de 10 anos. <ul><li>A média das notas das provas dos alunos que utilizaram o jogo no formato de tabuleiro convencional e daqueles que usaram o software DMDV não apresentou diferença significativa </li></ul><ul><li>A comparação entre os mapas conceituais dos alunos dos grupos A e B não mostrou diferença significativa. </li></ul>
  29. 29. Ana Maria Ponzio de Azevedo FFFCMPA - PGIE- UFRGS Relato de uma experiência com o uso do DMDV do Ciclo de Krebs III Ciclo de Palestras CINTED - UFRGS Porto Alegre/RS - Março de 2004 Obrigada pela atenção! Ana Maria Ponzio de Azevedo [email_address] Gustavo Brandalise Lazzarotto [email_address] Maria Isabel Timm [email_address] Milton Antônio Zaro [email_address]

×