Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
ARTE E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO:   UM CAMINHO PARA A INCLUSÃO Alunos: Alexandre Thallinger,  Lucilene Fonseca e Yo Tanaka....
RESUMO <ul><li>Alunos portadores de mais de uma necessidade especial. </li></ul><ul><li>Interdisciplinaridade: articula Ar...
OBJETO DA PESQUISA <ul><li>Escola Municipal Helen Keller, São Paulo-SP. </li></ul><ul><li>Classes trabalhadas:  </li></ul>...
HIPÓTESE DA PESQUISA <ul><li>Como estimular a inclusão/interação entre alunos portadores de mais de uma deficiência por me...
OBJETIVOS DA PESQUISA <ul><li>OBJETIVO GERAL: </li></ul><ul><li>Desenvolver o projeto de inclusão dos alunos portadores de...
OBJETIVOS ESPECIFICOS <ul><li>Identificar e vivenciar: história da arte e hábitos alimentares.  </li></ul><ul><li>Mudar de...
METODOLOGIA <ul><li>QUALITATIVA </li></ul><ul><li>Possui como características: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Descrever,  <...
METODOLOGIA <ul><li>ESTUDO DE CASO:   </li></ul><ul><li>E studa o “ponto de vista, uma interação delimitada em local e tem...
METODOLOGIA <ul><li>IDEOGRÁFICA DINÂMICA: </li></ul><ul><li>É  a  linguagem  reclamada pelos suportes técnicos contemporân...
A APLICAÇÃO <ul><li>Concepção de Arte-Educação, voltada à construção de conhecimento, denominada Proposta Triangular do En...
<ul><li>aulas de história da arte, num relacionamento que promoveu uma pesquisa e que utilizou com os alunos as três ações...
PANORAMA: HISTÓRIA DA ARTE
AULA AUTO-RETRATO
AUTO-RETRATO
ARTE-TECNOLOGIA
ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL
MERCADO MUNICIPAL
 
DESENHOS FINAIS
AMIGO SECRETO
AMIGO SECRETO
CONCLUSÃO <ul><ul><li>Acreditamos ser possível evoluir na área da educação presencial e a distância, buscar a inclusão soc...
REFERÊNCIAS <ul><li>BARBOSA, Ana Mae.  A Imagem no Ensino da Arte: anos 80 e novos tempos . São Paulo: Perspectiva, 1991. ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

ApresentaçãO Final G7 Sala 130707

2,083 views

Published on

Published in: Travel
  • Be the first to comment

ApresentaçãO Final G7 Sala 130707

  1. 1. ARTE E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: UM CAMINHO PARA A INCLUSÃO Alunos: Alexandre Thallinger, Lucilene Fonseca e Yo Tanaka. Orientadores: Prof. Msc. Antonio Biancho Filho e Profa. Esp. Teresa Kátia Alves de Albuquerque. ARTEDUCA – UnB, 2007.
  2. 2. RESUMO <ul><li>Alunos portadores de mais de uma necessidade especial. </li></ul><ul><li>Interdisciplinaridade: articula Artes, Ciências e Tecnologia. </li></ul><ul><li>Proposta Triângular do Ensino da Arte (Ana Mae Barbosa). </li></ul><ul><li>LIBRAS: linguagem utilizada pelos deficiente auditivos. </li></ul>
  3. 3. OBJETO DA PESQUISA <ul><li>Escola Municipal Helen Keller, São Paulo-SP. </li></ul><ul><li>Classes trabalhadas: </li></ul><ul><ul><ul><li>4ª Série do Fundamental I </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>no. de alunos: 07 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3ª Série do Fundamental I </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>no. de alunos: 08 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>(1 com paralisia cerebral e </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li> 1 com visão sub-normal) </li></ul></ul></ul>
  4. 4. HIPÓTESE DA PESQUISA <ul><li>Como estimular a inclusão/interação entre alunos portadores de mais de uma deficiência por meio da tecnologia e a interdisciplinaridade para se superar problemas de discriminação presentes nas escolas? </li></ul>
  5. 5. OBJETIVOS DA PESQUISA <ul><li>OBJETIVO GERAL: </li></ul><ul><li>Desenvolver o projeto de inclusão dos alunos portadores de mais de uma necessidade, para promover sua integração, por meio da arte, da cultura e da tecnologia, aprofundando seus conhecimentos pessoais e interpessoais. </li></ul>
  6. 6. OBJETIVOS ESPECIFICOS <ul><li>Identificar e vivenciar: história da arte e hábitos alimentares. </li></ul><ul><li>Mudar de atitude no social: ser diferente x normal? </li></ul><ul><li>Trabalhar o preconceito e questionar imagens e padrões de beleza dominantes. </li></ul><ul><li>Propiciar a pesquisa por meio da internet , o desenho, a grafia, o recorte e a colagem. </li></ul>
  7. 7. METODOLOGIA <ul><li>QUALITATIVA </li></ul><ul><li>Possui como características: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Descrever, </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>entender, </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>interpretar os fenômenos. </li></ul></ul></ul></ul>
  8. 8. METODOLOGIA <ul><li>ESTUDO DE CASO: </li></ul><ul><li>E studa o “ponto de vista, uma interação delimitada em local e tempo, ou um contexto específico social ou cultural no qual um evento se desdobra” (FLINK, 2004: 43) de um ou mais indivíduos. </li></ul>
  9. 9. METODOLOGIA <ul><li>IDEOGRÁFICA DINÂMICA: </li></ul><ul><li>É a linguagem reclamada pelos suportes técnicos contemporâneos; ” um novo tipo de interface de imagens animadas para a comunicação. Uma representação figurativa, animada por modelos mentais”. </li></ul><ul><li>Trata-se do reconhecimento das limitações do nosso “pensamento palavra” num novo cenário globalizado e imediato da cibercultura (LÉVY, 1997: 20). </li></ul>
  10. 10. A APLICAÇÃO <ul><li>Concepção de Arte-Educação, voltada à construção de conhecimento, denominada Proposta Triangular do Ensino da Arte. Nela “postula-se que a construção do conhecimento em Arte acontece quando há interseção da experimentação com a codificação e com a informação” (RIZZI, 2003: 66). </li></ul>
  11. 11. <ul><li>aulas de história da arte, num relacionamento que promoveu uma pesquisa e que utilizou com os alunos as três ações cognitivas e sensoriais, básicas, propostas por Ana Mae Barbosa: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>. contextualização histórica, </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>. fazer artístico e </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>. a leitura de objetos de fruição estética. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><li>Três vértices, considerados como ações essenciais à educação em Arte, trabalhados neste PI de forma integrada. </li></ul>NOSSO PI proporcionou...
  12. 12. PANORAMA: HISTÓRIA DA ARTE
  13. 13. AULA AUTO-RETRATO
  14. 14. AUTO-RETRATO
  15. 15. ARTE-TECNOLOGIA
  16. 16. ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL
  17. 17. MERCADO MUNICIPAL
  18. 19. DESENHOS FINAIS
  19. 20. AMIGO SECRETO
  20. 21. AMIGO SECRETO
  21. 22. CONCLUSÃO <ul><ul><li>Acreditamos ser possível evoluir na área da educação presencial e a distância, buscar a inclusão social e acompanhar o desenvolvimento do mundo globalizado. </li></ul></ul><ul><ul><li>Precisamos enfrentar barreiras para criar uma sociedade inclusiva e democrática, que utilize corretamente tanto os recursos tecnológicos, como a Arte-Educação. </li></ul></ul>
  22. 23. REFERÊNCIAS <ul><li>BARBOSA, Ana Mae. A Imagem no Ensino da Arte: anos 80 e novos tempos . São Paulo: Perspectiva, 1991. </li></ul><ul><li>________, Ana Mae. A compreensão e o prazer da Arte: além da tecnologia . São Paulo: SESC Vila Mariana, 1999. </li></ul><ul><li>FLINK, Uwe. Uma Introdução à Pesquisa Qualitativa. Porto Alegre: Bookman, 2004. </li></ul><ul><li>LÉVY, Pierre. Ideografia Dinâmica: Rumo a uma Imaginação Artificial? Instituto Piaget, 1997. </li></ul><ul><li>RIZZI, Maria Christina de Souza. Caminhos Metodológicos In: BARBOSA, Ana Mae. Inquietações e Mudanças no Ensino da Arte. São Paulo: Cortez, 2003. </li></ul>

×