Abralin 2013

347 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
347
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Abralin 2013

  1. 1. Lucilene FonsecaABRALINJan, 2013
  2. 2. O objetivo deste estudo é apresentar umaexperiência vivida junto aos alunos do cursode Letras da Faculdade Eça de Queiroz -FACEQ, Jandira – São Paulo.
  3. 3. Fundada em 2006, a Faculdade Eça deQueirós está localizada no município deJandira/SP. É a primeira faculdade destemunicípio, busca atender sua população esuprir a carência em ensino superior daregião. É a única Instituição de EnsinoSuperior da cidade. A população é carentede ensino superior.
  4. 4. A instalação da Faculdade Eça de Queiros (FACEQ)favoreceu o desenvolvimento do potencial dapopulação local que, de acordo com o InstitutoBrasileiro de Geografia e Estatística, responsável peloCenso Demográfico, houve crescimento:-2000 -> 91.807 habitantes-2010 -> 103.784 habitantes. microrregião de Osasco, Estado de São Paulo, Jandirapertence à região Metropolitana da Grande São Paulo,possui limites com os municípios de Itapevi e Barueri.Itapevi é uma cidade com aproximadamente 205 milhabitantes e Barueri com 270 mil habitantes. Somadas, ascidades de Jandira e Itapevi, possuem aproximadamente317 mil habitantes.
  5. 5.  IMPLANTAÇÃO PARA USO DOS PROFESSORES EALUNOS DE TODOS OS CURSOS
  6. 6. Pratica de Ensino da LE, curso deLetras com uso de recursosmidiáticos:AVA/MoodleFacebook
  7. 7. Para Almeida (2003), o computador é uminstrumento de cultura e pode ser usadocomo tal, já que auxilia o professor apromover o desenvolvimento da autonomia,da criatividade, da criticidade e daautoestima positiva do aluno. Por intermédiodesse recurso, [...] propicia-se o ‘pensar-com’ e o ‘pensar-sobre-o-pensar’”
  8. 8. Nos estudos vygotskyanos, a questão centralé a produção de conhecimentos pelainteração com o outro, em que mediadopela linguagem, o sujeito (re)cria e(re)interpreta informações, conceitos esignificações, pensando, falando e usando alinguagem socialmente.
  9. 9. O estudo está inserido na Linguística Aplicadae na Linha de Pesquisa de Linguagem eEducação, em que a organização dalinguagem tem um papel chave na produçãode conhecimento.A pesquisa está amparada em um paradigmacrítico, em que é central a criação decontextos de diálogo entre os participantes,para compreender e transformar condiçõessócio educacionais.
  10. 10. Esta baseada teoricamente na Teoria da Atividade Sócio-Histórico-Cultural (Vygotsky, 1930/2004, 1934/1998;Leontiev, 1978; Engeström, 2001), com foco nos conceitosde ensino-aprendizagem e desenvolvimento, mediação eZPD como espaço sócio-histórico-cultural de vir-a-ser, emque a linguagem organiza a relação colaborativo-críticaentre os participantes. Central nesse quadro é o movimentodialógico e dialético constitutivo da linguagem quepossibilita a produção colaborativa de novosconhecimentos.
  11. 11. Trabalhar com alunos no curso de licenciatura acompreensão de novos modos de ensinar LE, emescolas e, portanto a formação de professorespré-serviço em contexto escolar universitário,com foco no uso de novas mídias;ecompreender de forma crítica o espaço deformação como atividade em que professora ealunos interagem de forma colaborativo-críticana produção do objeto da atividade –planejamento e organização das aulas a seremministradas, reflexão crítica sobre a aulaministrada e replanejamento.
  12. 12. Analisar a linguagem nas atividadesdesenvolvidas e armazenadas online,que está no arcabouço da LinguísticaAplicada Crítica por produzirconhecimento, transformar essecontexto sócio-histórico-escolar em que,pela e na linguagem em atividades, osalunos-professores passam a questionar,buscar entender, saber os porquês etc.,tornam-se críticos ao interagirem demaneira crítico-colaborativa no contextovirtual.
  13. 13. A investigação esta centrada empesquisadores como Magalhães(2007) e Almeida (2003) nocontexto a distância e pretenderesponder:-Como alunos-professores podem serpreparados por meio de recursos virtuais?-Como usar recursos virtuais, tais como oMoodle e o Facebook, como um detonadorda interatividade no ensino de jovens eadultos?
  14. 14. Jessica Almeida dosSantos– Curso LetrasPortuguês/Espanhol- Contexto da aula ministrada:- Escola Municipal Dimarães – 5o ano
  15. 15. Para a análise linguística e discussão dosdados serão considerados o contexto deprodução e o conteúdo temático a partir dasescolhas lexicais. Dessa forma, será possívelcompreender os sentidos e os significados(VYGOTSKY) sobre os conteúdos construídospelos participantes.
  16. 16. A organização de uma atividade virtual, online,cria contextos para que os alunos-professoresinterajam e se desenvolvam crítico-colaborativamente.
  17. 17. Há necessidade da busca de alternativas, novasestratégias que envolvam os alunos, contribuampara a formação de profissionais engajados, compostura crítico-reflexiva, particularmente, osfrequentadores dos cursos de licenciatura. Oliveira(2009, 2012) indica que as novas mídias e práticaspedagógicas fornecem recursos mais eficazes paraatender e motivar as comunidades inseridas em seusrespectivos contextos escolares. O uso dos recursosmidiáticos precisam de atualização constante eadequação ao contexto social à “vida que se vive”(Marx).
  18. 18.  Há resistência por parte dos professores em serviço É fundamental se rever a prática, tanto do professor em pré-serviço como o que já esta em sala de aula. A partir da busca de alternativas que repensem o ensino-aprendizagem da LE, valoriza-se a articulação entre novasformas de produção de conhecimentos por meio dalinguagem midiática, que mobilizam pensamentos criativos,sentimentos e representações, contribuindo para acomunicação, a interação entre pessoas e objetos deconhecimento, a aprendizagem e o desenvolvimento deproduções.
  19. 19. •ENGESTRÖM, Y. Activity theory and individual and social transformation. InEngestrom, Y.; 1999.•____________, Y.; Miettinen, R.; Punamäki, R-L Perspectives on ActivityTheory. Cambridge Universsity Press, 1999.•LEONTIEV, A.N. 1978 Activity, Consciousness, and Personality. (Acesso emeprints.cddc.vt.edu/marxists/portugues/leontiev)_______D (2005) Aproximacióna la teoria de la actividad: Vygostky em el presente. Eclecta.Liberalli, F.C. (noprelo - 2006) A formação crítica do educador na perspectiva da LinguísticaAplicada. In: Lucia Rottava (org.) Ensino/aprendizagem de Línguas: línguaestrangeira. IJUI: Editora da UNIJUI.•MAGALHÃES M. C. C.; LIBERALI. F. C. O Interacionismo Sócio–Discursivo emPesquisas com Formação de Educadores: In: FIDALGO, S. S.; SHIMOURA, A.(Orgs.). Pesquisa Crítica de Colaboração: Um Percurso na Formação Docente.São Paulo: Ductor, 2007.•OLIVEIRA, W. A colaboração crítica no desenvolvimento de uma atividade deformação de professores a distância. 2009. Tese (Doutorado em LinguísticaAplicada e Estudos da Linguagem) - Pontifícia Universidade Católica de SãoPaulo, São Paulo, 2009..PENNYCOOK, A. Uma linguística aplicada transgressiva. In: MOITA LOPES, L.P.(org.). Por uma Linguística Aplicada INdisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006,pp.67-84.•VYGOTSKY, L.S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1934-1998.

×