Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Erradicação da rã-de-unhas-africana em Portugal

199 views

Published on

Apresentação por Rui Rebelo do cE3c /FCUL, no Workshop MONTIS - NATIVA "Gestão de espécies invasoras em Portugal: onde estamos e para onde queremos ir?" realizado em Coimbra, na Escola Superior Agrária no dia 11 de Julho de 2017.

Mais informação em: http://invasoras.pt/workshop_montis_nativa/

Siga invasoras.pt e https://www.facebook.com/InvasorasPt/

Published in: Environment
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Erradicação da rã-de-unhas-africana em Portugal

  1. 1. Erradicação da rã-de-unhas-africana em Portugal Rui Rebelo Francisco D. Moreira Raquel Marques Ângela Maurício Mónica Sousa
  2. 2. Xenopus laevis A espécie - adultos
  3. 3. A espécie - girinos
  4. 4. Descoberta - 2006
  5. 5. A campanha de 2007 – ribeira da Laje 2 Research Institutes
  6. 6. 2008 – a nova descoberta - Barcarena 2008
  7. 7. 2017 – Distribuição conhecida Lóticos e lênticos Limite a montante na Laje
  8. 8. Em 2010 - Erradicação – vale a pena tentar? Confinada a 2 bacias pequenas População pequena Já foi conseguido noutros locais! Um caso ideal para uma “resposta rápida”
  9. 9. Como? Método 2: Impedir a reprodução mas manter os adultos, que são frequentemente canibais dos próprios girinos Método 1: Remover os adultos maiores (principalmente fêmeas) - porque a fecundidade aumenta exponencialmente com o tamanho
  10. 10. 2010 – Plano de controle e erradicação/ Ano I
  11. 11. Métodos Armadilhas iscadas para detectar presença Método “1” – direccionado para adultos Pesca eléctrica (girinos removidos com camaroeiros) 4 a 5 pessoas 5 semanas (25 dias) por ano
  12. 12. 0 2 4 6 8 10 12 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 N/hora Laje - Abundância Sct 2 Sct 3 Sct 4 Sct 5 Resultados / Laje
  13. 13. Lições: Controle (e erradicação?) possíveis, mas População pequena à partida, Dificuldades na reprodução? Invasor?? Resultados / Laje
  14. 14. Adultos removidos : Até 2012 - 348 2013 – 845 2014 – 4386 Resultados/ Barcarena 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 2010 2011 2012 2013 2014 N/hora Barcarena - Abundância Sect 1 Sect 2 Sect 3 Sect 4 Sect 5 Sect 6 Sect 7 Sect 8 Sect 9 Sect 10
  15. 15. Barcarena – a invasão de 2014 Kg/ 100 m
  16. 16. A invasão de 2014 / pistas AZUL Proporção de juvenis < 1 ano 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% 55-75mm 35-55mm
  17. 17. A invasão de 2014 / pistas para locais de reprodução Lóticos Lênticos
  18. 18. Adaptação do método 2015 – Ambos os métodos “1” e “2”: Capturar adultos e impedir a reprodução drift-fences Pesca de girinos
  19. 19. Resultados / Barcarena 2016 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 2010 2011 2012 2013 2014 N/hour Barcarena - Abundance Sect 1 Sect 2 Sect 3 Sect 4 Sect 5 Sect 6 Sect 7 Sect 8 Sect 9 Sect 10 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 N/hora Barcarena - Abundância Sect 1 Sect 2 Sect 3 Sect 4 Sect 5 Sect 6 Sect 7 Sect 8 Sect 9 Sect 10
  20. 20. Resultados no fim de 2016
  21. 21. Lições X. laevis é uma espécie principalmente lêntica, que pode sobreviver em sistemas lóticos É possível controlar as populações se a reprodução for impedida nos locais muito favoráveis É melhor uma combinação de métodos de erradicação É importante aumentar o conhecimento sobre os indivíduos dispersores/ colonizadores e manter a monitorização dos habitats potenciais de reprodução
  22. 22. Utilização de ADN ambiental para detecção/ confirmação da erradicação local Modelação das capacidades de dispersão/ elaboração de mapas de risco (Portugal e outros países) Futuro
  23. 23. INVAXEN BIODIVERSA Evaluation of Impacts
  24. 24. Agradecimentos Patrícia Amaral, Marta Bernardes, Domingos Leitão, Nicolau Ser, Bruno Carreira, Priscila do Vale, Ana Luísa Nunes, Anxo Conde Lago, Ricardo Rodrigues, Ana Ferreira, e todos os voluntários.

×