12.2.9. #1 cassio rolim

157 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
157
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

12.2.9. #1 cassio rolim

  1. 1. Cássio Rolim Universidade Federal do Paraná Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Econômico Artur da Rosa Pires Universidade de Aveiro POLÍTICA REGIONAL DA UE E A RELAÇÃO ENTRE UNIVERSIDADES, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: SIMILARIDADES ENTRE A UNIÃO EUROPEIA E O BRASIL CONFERÊNCIA INTERNACIONAL EUROPA 2020- AVEIRO, JULHO 2013
  2. 2. OBJETIVOS • Estruturar um quadro analítico e desenvolver um primeiro esboço de interpretação: • Como o debate da relação entre universidades, inovação e desenvolvimento regional foi incorporado nas políticas da União Europeia, • Ênfase às políticas regional e de inovação da UE, • Ao mesmo tempo, pretende-se elaborar uma análise comparativa com a situação no Brasil também enfatizando a politica regional e de inovação. CONFERÊNCIA INTERNACIONAL EUROPA 2020- AVEIRO, JULHO 2013
  3. 3. INOVAÇÃO, CIENCIA E EDUCAÇÃO Inovação e Desenvolvi- mento • (Schumpeter, 1934) Importância da Ciência e da Educação para as Inovações • (Neelson & Phelps 1966; • Romer, 1990; • Lundvall, 1992) Contexto Territorial p/ Inovação, Ciência e Educação • (Cooke et ali , 1998). CONFERÊNCIA INTERNACIONAL EUROPA 2020- AVEIRO, JULHO 2013
  4. 4. 4 UNIVERSIDADES E REGIÃO: Enquadramento da Questão SNI REGIONALISMO SISTEMA REGIONAL DE INOVAÇÃO FINANCEIRO APRENDIZADO AMBIENTE INOVADOR SUBSISTEMAS CONFERÊNCIA INTERNACIONAL EUROPA 2020- AVEIRO, JULHO 2013
  5. 5. POLITICAS REGIONAL E DE INOVAÇÃO E AS UNIVERSIDADES CONFERÊNCIA INTERNACIONAL EUROPA 2020- AVEIRO, JULHO 2013 ?
  6. 6. CONTRIBUIÇÃO DAS UNIVERSIDADES AO DESENVOLVIMENTO REGIONAL • Pesquisas • Qualidade dos Formandos que vão ao Mercado de Trabalho • Modelos que consideram papel da universidade como uma “caixa preta” • Contribuição não é auto evidente - Mero enclave na região • Mesmo que não cumpra o esperado as universidades são elementos chave na região • sendo inovação um processo coletivo, as pesquisas, o estoque de conhecimento acumulado e o melhor dos potenciais inovadores que estão dentro das empresas, fazendas e escritórios, são fruto das universidades. • Qualquer politica que dependa delas deve explicitar o que espera e dar condições de efetividade CONFERÊNCIA INTERNACIONAL EUROPA 2020- AVEIRO, JULHO 2013
  7. 7. ENFOQUE ANALÍTICO I • Modelos de análise de politicas públicas • (institucional; de processo; racional; incremental; de grupos; da elite; das escolhas públicas; da teoria dos jogos) • Três grandes conjuntos de conhecimento podem ser apreendidos com a análise: a descrição, as causas e as consequências da política pública. (Dye, 2011) • Um modelo operacional o enfoque da Poverty and Social Impact Analysis (PSIA). • Sete questões críticas: o que será analisado; qual a medida de bem estar avaliada; o bem estar de quem será analisado; quais os canais de propagação desse impacto; como as instituições afetam o resultado da política; quando esses impactos se materializam; quais os riscos associados à politica. CONFERÊNCIA INTERNACIONAL EUROPA 2020- AVEIRO, JULHO 2013
  8. 8. ENFOQUE ANALÍTICO II ADAPTAÇÃO DA PSIA 1. . Impacto do que? Das políticas de inovação e de desenvolvimento regional da EU 2. Impacto sobre o que? Sobre o aumento da competitividade e sobre a redução da desigualdade entre as regiões europeias 3. Impacto sobre quem? Sobre os usuários/beneficiários dessas politicas 4. Como esse impacto se manifesta? Através dos canais de difusão dessas políticas (sabemos quais são eles?) 5. Como esse impacto ocorre? Como as instituições condicionam o resultado do impacto dessas políticas. (sabemos quais são elas?) 6. Impacta quando? A ocorrência no tempo dos efeitos desejados ( e não desejados dessas politicas). 7. Riscos. Quais os riscos associados a essas políticas? CONFERÊNCIA INTERNACIONAL EUROPA 2020- AVEIRO, JULHO 2013
  9. 9. UM MOMENTO DIFERENTE: A POLÍTICA (REGIONAL) DE INOVAÇÃO OCUPA UM LUGAR CENTRAL NA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO E COESÃO • Uma nova perspectiva sobre o contributo da inovação para o desenvolvimento económico. • Uma nova perspectiva sobre a relação da inovação com a “geografia económica”. • (Uma perspectiva forte de) Envolvimento das Universidades na “construção” de estratégias de desenvolvimento regional • Uma nova compreensão sobre a natureza da inovação Adaptado de McCann e Ortega-Argilés, 2013
  10. 10. UMA PERSPECTIVA HISTÓRICA SOBRE POLÍTICAS DE INOVAÇÃO NA UNIÃO EUROPEIA • STRIDE (1990-93) • Planos Tecnológicos Regionais (programas-piloto, 1994) • Estratégias Regionais de Inovação (1994-1999) • Estratégias Regionais de Transferência de Tecnologia (1994-99) • Programas Regionais de Acções Inovadoras (2000-2006) • Inovação como prioridade (% do FEDER, 2007-13) • Estratégias de Investigação e Inovação para a Especialização Inteligente – uma condicionante ex-ante (2014-20)
  11. 11. UMA PERSPECTIVA HISTÓRICA SOBRE POLÍTICAS DE INOVAÇÃO NA UNIÃO EUROPEIA – RECURSOS FINANCEIROS • 1988: less than 200 Mecus devoted to R&TD... • 1989 -1993: approximately 4% for innovation(2 billion out of 50) • (L. Tsipouri, IPTS Report N°40, 2004) • Community initiatives: Science and Technology for Regional Development -STRIDE, TELEMATIQUE, ENVIREG, VALOREN… • 1994-1999: approximately 7% for innovation(7,6 billion out of 110) • (L. Tsipouri, IPTS Report N°40, 2004) • Pilot Projects: RIS, RIS+, RTTs, RISI, RISI2, IRISI, EBN, BICs • 2000-2006: approximately 11% for innovationout of 195 billion • “Regions in the new Economy”: PRAIS –Regional Programs of Innovative Actions 400 million • 2007-2013: approximately 25% for innovation(86 billion out of 345) • Article 5 of the ERDF: innovation as a priority for the “Competitiveness” objective • Regions for Economic Change Source: Landabaso, 2010
  12. 12. UNIVERSIDADES, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL • Universities need to be considered and understood in a holistic way. • Universities’ potential contribution to regional goals. • Smart Specialisation as a new opportunity for university-regional collaboration. • Obstacles to University’s involvement in regional partnerships. • Success factors: dialogue, trust and alignment of university portfolio and regional strategies. • Specific concerns about structural funds. • The triple helix approach. Fonte: Report on Joint EUA-JRC workshop: The Role of Universities in Smart Specialisation Strategies, 2013
  13. 13. . CONFERÊNCIA INTERNACIONAL EUROPA 2020- AVEIRO, JULHO 2013
  14. 14. . CONFERÊNCIA INTERNACIONAL EUROPA 2020- AVEIRO, JULHO 2013
  15. 15. . CONFERÊNCIA INTERNACIONAL EUROPA 2020- AVEIRO, JULHO 2013
  16. 16. 19TH. APDR CONGRESS - BRAGA, 20-21 JUNE 2013 Cássio Rolim PPGDE-UFPR cassio.rolim@pobox.com Artur da Rosa Pires Universidade de Aveiro arp@ua.pt OBRIGADO

×