A origem e evolução da Internet

111,243 views

Published on

A origem e evolução da Internet.
Em Português

Published in: Technology
0 Comments
13 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
111,243
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
518
Actions
Shares
0
Downloads
1,493
Comments
0
Likes
13
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A origem e evolução da Internet

  1. 1. A origem Internet e evolução da
  2. 2. <ul><li>… o que é a Internet ? </li></ul><ul><li>… A Internet é nada mais nada menos do que um mecanismo de disseminação da informação e divulgação mundial e um meio para colaboração e interacção entre indivíduos e os seus computadores, independentemente das suas localizações geográficas… </li></ul><ul><li>… A Internet tem revolucionado o mundo dos computadores e das comunicações como até então nenhuma outra invenção foi capaz de o fazer… </li></ul>Introdução
  3. 3. <ul><li>A Internet surgiu a partir de um projecto da agência norte-americana Advanced Research and Projects Agency (ARPA) com o objectivo de conectar os computadores dos seus departamentos de pesquisa. A Internet nasceu a partir da ARPANET , que interligava quatro instituições: Universidade da Califórnia , LA e Santa Bárbara ; Instituto de Pesquisa de Stanford e Universidade de Utah , tendo início em 1969 . </li></ul><ul><li>Os pesquisadores e estudantes do assunto receberam o projecto à disposição, para trabalhar. Deste estudo que perdurou na década de 70, nasceu o TCP/IP (Transmission Control Protocol / Internet Protocol) , grupo de protocolos que é a base da Internet desde aqueles tempos até hoje. </li></ul>A origem da Internet
  4. 4. <ul><li>A Universidade da Califórnia de Berkley implantou os protocolos TCP/IP no Sistema Operativo UNIX , possibilitando a integração de várias universidades à ARPANET . </li></ul><ul><li>Nesta época, início da década de 80 , redes de computadores de outros centros de pesquisa foram integrados à rede da ARPA . Em 1985 , a entidade americana National Science Foundation (NSF) interligou os supercomputadores do seu centro de pesquisa, a NSFNET , que no ano seguinte entrou para a ARPANET . A ARPANET e a NSFNET passaram a ser as duas espinhas dorsais (backbone) de uma nova rede que junto com os demais computadores ligados a elas, era então a INTERNET . </li></ul><ul><li>Dois anos depois, em 1988 , a NSFNET passou a ser mantida com apoio das organizações IBM, MCI (empresas de telecomunicações) e MERIT (instituição responsável pela rede de computadores de instituições educacionais de Michigan), que formaram uma associação conhecida como Advanced Network and Services (ANS). </li></ul>A origem da Internet
  5. 5. <ul><li>Em 1990 o backbone ARPANET foi desactivado, criando-se em seu lugar o backbone Defense Research Internet (DRI); em 1991/1992 a ANSNET , que passou a ser o backbone principal da Internet ; nessa mesma época iniciou-se o desenvolvimento de um backbone europeu (EBONE), interligando alguns países da Europa à Internet . </li></ul><ul><li>A partir de 1993 a Internet deixou de ser uma instituição de natureza apenas académica e passou a ser explorada comercialmente, tanto para a construção de novos backbones por empresas privadas (PSI, UUnet, Sprint,...) como para fornecimento de serviços diversos, abertura essa a nível mundial. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Não há nenhuma gestão centralizada para a Internet. </li></ul><ul><li>A Internet é uma organização livre, nenhum grupo a controla ou a mantém economicamente. Muitas organizações privadas, universidades e agências governamentais sustentam ou controlam parte dela. Todos trabalham juntos, numa aliança organizada, livre e democrática. Organizações privadas, variando desde redes domésticas até serviços comerciais e provedores privados da Internet que vendem acesso à Internet. </li></ul><ul><li>Cada utilizador administra e controla sua própria rede. </li></ul><ul><li>Todas as redes colaboram entre si para dirigir o tráfego da Internet, de modo a que as informações possam percorrê-las. </li></ul><ul><li>Todas essas redes e organizações formam o mundo conectado da Internet. Para que redes e computadores cooperem desse modo, entretanto, é necessário que haja um acordo geral sobre alguns itens como procedimentos na Internet e padrões para protocolos. </li></ul><ul><li>Esses procedimentos e padrões encontram-se em RFC s (requests for comment) sobre os quais os utilizador e organizações estão de acordo. </li></ul>Como funciona a Internet? Como é gerida?
  7. 7. <ul><li>Diversos grupos orientam o crescimento da Internet ajudando a estabelecer padrões e orientando as pessoas sobre a maneira adequada de usar a Internet. </li></ul><ul><li>Internet Society: é um grupo privado sem fins lucrativos. Suporta o trabalho da Internet Activities Board (IAB), a qual controla muitas das emissões por trás das cenas e arquitetura da Internet. </li></ul><ul><li>Internet Engineering Task Force da IAB: É responsável pela supervisão do envolvimento dos protocolos TCP/IP da Internet. Trabalha na tecnologia da rede. A IAB também é responsável pela designação de endereços IP da rede através de Internet Assigned Numbers Authority . Além disso, dirige a Internet Registry (Central de Registros da Internet), que controla o Domain Name System (Sistema de Nomes de Domínio) e trata da associação de nomes de referência a endereços IP World Wide Web Consortium (W3 Consortium, Consórcio da Teia Mundial) desenvolve padrões para a evolução da parte de crescimento mais rápido da Internet, a Teia Mundial (World Wide Web). </li></ul><ul><li>Laboratory for Computer Science: controla um consórcio da indústria no Massachusetts Institute of Technology . Colabora com organizações por todo o mundo, como o CERN , os originadores da Teia. Ele serve como um depósito de informações sobre a Teia para desenvolvedores e utilizador; implementa padrões da Teia e realiza protótipos, e usa aplicações exemplo para demonstrar nova tecnologia. </li></ul>Como funciona a Internet? Como é gerida?
  8. 8. <ul><li>As redes são conectadas de vários modos. Para fins de eficiência, as redes locais unem-se em consórcios conhecidos como redes regionais. Uma variedades de linhas arrendadas conectam redes regionais e locais. </li></ul><ul><li>As redes regionais fornecem e mantêm acesso dentro de uma área geográfica. Podem consistir de pequenas redes e organizações dentro da área que se uniram para oferecer um serviço melhor. </li></ul><ul><li>As linhas arrendadas que conectam redes podem ser tão simples como uma única linha telefónica ou tão complexas com um cabo de fibra óptica com enlaces de microondas e transmissões de satélite. </li></ul><ul><li>Backbones (alicerces) - linhas de capacidade extremamente alta - transportam grandes quantidades tráfego da Internet. Esses backbones são sustentados por agências governamentais e por corporações privadas. Alguns backbones são mantidos pela National Science Foundation . </li></ul>Como funciona a Internet? Como é gerida?
  9. 9. <ul><li>Correio electrónico: permite-nos enviar e receber e-mails, </li></ul><ul><li>partilhar ficheiros, informações, entre outros… </li></ul><ul><li>I RC: Estabelecer contacto com outros utilizadores </li></ul><ul><li>através de salas de chat, mirc, msn, etc… </li></ul><ul><li>Download e Upload : partilha de músicas, fotos, vídeos, jogos, etc.. </li></ul><ul><li>Lazer: Jogar on-line com outros cibernautas… </li></ul><ul><li>E-Commerce / Business-to-Business / E-Business: </li></ul><ul><li>Comprar/Vender produtos em lojas e a outros utilizadores pela internet… </li></ul><ul><li>Pesquisa de informação: Recolher informações, </li></ul><ul><li>documentários, através de motores de pesquisa, etc.… </li></ul><ul><li>Newsgroups: Participar em fóruns, publicar anúncios, etc.… </li></ul>Quais são os serviços da Internet?
  10. 10. <ul><li>Uma equipa de pesquisadores orientada pelo coordenador Chip Elliott , está trabalhando num projecto de desenvolvimento da Internet que poderá finalmente permitir que os pesquisadores e visionários em geral testem suas ideias num ambiente praticamente equivalente ao ambiente real da Internet. O projecto foi baptizado de GENI - &quot; Global Environment for Network Innovations &quot;, (Ambiente Global para Inovações de Rede) - e permitirá o desenvolvimento e teste de projectos, conceitos e programas que deverão, no mínimo, influenciar como será a Internet no decorrer do século XXI. </li></ul><ul><li>O “Laboratório de pesquisas&quot; será formado por um link óptico, sistemas de transmissão, armazenamento, clusters de processadores e subredes sem fios, tudo espalhado por vários pontos nos Estados Unidos. </li></ul><ul><li>Os pesquisadores poderão testar conceitos radicalmente novos, sem nenhum compromisso com a actual estrutura da Internet, nem mesmo quanto a protocolos de comunicação. </li></ul>Futuro da Internet
  11. 11. <ul><li>Fala-se também de uma evolução da Internet denominada em AJAX . </li></ul><ul><li>Essa nova tecnologia, trata-se de um conjunto de mecanismos baseados em JavaScript e XML, que quando executados permitem uma navegabilidade de sites mais atractiva e rápida, possibilitando o acesso e uso de ferramentas e programas que antes só eram viáveis utilizando o desktop, e tendo como base, o nosso micro computador. </li></ul><ul><li>A grande novidade desta tecnologia, será permitir ao utilizador exercer funções e realizar operações sem que essas sejam recarregadas cada vez que for accionado um recurso. Ou seja, isso evitará o tal &quot;Clica, carrega, clica de novo, carrega de novo”. Quando o site acedido tiver essa combinação na sua base, as grandes empresas que precisam de sistemas com grande capacidade de armazenamento, agilidade e números de acesso, não precisaram de ter instalado em cada computador uma cópia daquele sistema, bastará aceder á Internet e carregar o software ou programa directamente da Internet, sem esperas nem bloqueios. </li></ul><ul><li>Assim sendo, dentro de alguns anos, todos os programas que utilizamos no dia-a-dia como: Word, Excel, Media Player, jogos, etc., não precisam mais dos nossos computadores para funcionarem, uma vez que o suporte da aplicação estará assim na Internet, possibilitando então o acesso a todos os programas, aplicações e sistemas através dos telemóveis, da televisão ou mesmo dos notebooks, onde quer que estejamos, como se estivéssemos perante nosso monitor do computador. </li></ul>Futuro da Internet
  12. 12. <ul><li>Hoje em dia, o endereçamento IP actual, usa 4 octetos (IPV4). </li></ul><ul><li>Devido á quantidade de utilizadores espalhados por todo mundo, os endereços IP começam a esgotar-se. Assim sendo corremos o risco de a qualquer momento estarmos usando um IP que nos foi endereçado que já pertence a outro utilizador, e vice-versa. </li></ul><ul><li>Assim sendo, é portanto indispensável que o endereçamento IP seja alargado e como tal , fala-se já de um endereçamento IP do futuro que usa assim, não 4, mas 6 octetos (IPV6). </li></ul>Futuro da Internet
  13. 13. <ul><li>Http: (Hyper Text Transfer Protocol) Protocolo de Transferência de Hipertexto </li></ul><ul><li>Www: (World Wide Web) Serviço integrador de outros serviços da internet </li></ul><ul><li>Telnet: Trabalho á distância através da internet </li></ul><ul><li>Ftp: (File Transfer Protocol) Protocolo de transferência de ficheiros </li></ul><ul><li>Newsgroups: Fóruns ou espaços noticiários </li></ul>Glossário da Internet
  14. 14. <ul><li>Intranet: (private network) Serviço de internet privada </li></ul><ul><li>Browser: Software que permite navegar na internet </li></ul><ul><li>URL: (Universal Resource Locator) Endereço na internet </li></ul><ul><li>Wireless: Acesso á internet sem fios, por captação de micro-ondas </li></ul>Glossário da Internet
  15. 15. Até ao próximo episódio Pedro Rocha 10ºC Nrº5

×