Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Sobre o que fala o RAP nacional hoje?

382 views

Published on

Uma análise do discurso dos principais álbuns de 2017, de acordo com a lista e enquete, pública, colaborativa e sem distinção de gênero musical, feita pela Red Bull Brasil.

Disponível em: https://win.gs/2xwpo9m

Análise do relatório rendeu um artigo em colaboração com o @luigimadormo no Medium.

Published in: Data & Analytics
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Sobre o que fala o RAP nacional hoje?

  1. 1. ANÁLISE DE DADOS – RAP NACIONAL - 2017
  2. 2. O PROJETO CONTEXTO, PROBLEMA, MÉTODOS E MATERIAIS
  3. 3. RED BULL E OS MELHORES ÁLBUNS NACIONAIS DE 2017  Construção da lista de lançamentos de álbuns nacionais do ano  Co-criação entre redação e público (link aberto para indicações)  Listagem de indicados sem descrição por gênero  Votação popular:  +100K de interações total  +50K de interações com o gênero RAP  Votação promocionada (ou não) pelos próprios artistas em suas mídias sociais  Recorte dos 10 álbuns de RAP mais relevantes (todos dentre o TOP20 geral):  i)demonstra relevância do gênero;  ii) aponta engajamento digital dos artistas do gênero com suas audiências
  4. 4. AMOSTRA DE ÁLBUNS OBSERVADOS
  5. 5. O QUE FOI DITO EM 2017? QUAIS AS PALAVRAS DE 2018? A partir do contexto e recorte determinado, foram desenhados os seguintes problemas de pesquisa: Medir a produção textual dos artistas em suas obras dentro do gênero Contar e Comparar números gerais dessas obras e sua linguística Conhecer padrões e diferenças na produção escrita dessas obras Desafio: Identificar e levantar hipóteses de comportamento para o ano de 2018 OBJETIVOS
  6. 6. COMO FIZEMOS? Coleta de base de dados com as produções escritas de todos os 10 álbuns estudados (obrigado Genius Brasil) Organização e limpeza da base de dados em duas etapas: 1. Extração de termos estruturais das letras: “refrão” “verso1,2..” “intro”, etc 2. Utilização de lista de stopwords com até 200 palavras mais comuns da língua portuguesa Processamento da base de dados em ferramentas de análise textual open- source: Voyant Tools Jason Davies Data Vizualization
  7. 7. NÚMEROS GERAIS PERCEPÇÕES E ANÁLISES
  8. 8. 10 ÁLBUNS E NENHUM SEGREDO 10 álbuns  8 álbuns solo:  7 artistas homens, 1 artista mulher  2 álbuns coletivos:  1 coletivo misto e 1 feminino  106 faixas (+1 faixa bônus)  39. 695 total de palavras  6.309 palavras únicas  Densidade média do vocabulário: 0.158 Nuvem1: Palavras mais mencionadas (c/ stopword list: 25 palavras)
  9. 9. ANÁLISE DE CORRELAÇÃO: PRIMEIROS PASSOS Primeiro, se buscou analisar estatisticamente a existência ou não, e sua respectiva força de relação, entre cada uma das variáveis descritivas dos álbuns. Esses índices permite afirmar com maior assertividade a possibilidade de dados serem cruzados Sabemos assim que:  Palavras únicas está mais relacionado a total de palavras  Total de Palavras está relacionado a número de Faixas  Densidade não tem relação direta com número de faixas Faixas Total Palavras Palavras únicas Densidade Média palavras x sentença Faixas 0.59 0.20 -0.51 -0.17 Total Palavras 0.59 0.68 -0.38 -0.10 Palavras únicas 0.20 0.68 0.41 -0.21 Densidade -0.51 -0.38 0.41 -0.18 Média palavras x sentença -0.17 -0.10 -0.21 -0.18 VERDE = RELAÇÃO +FORTE VERMELHO = RELAÇÃO +FRACA
  10. 10. Exceções a (nenhuma)regra: Regina, Fa7her, Heresia e NDDN. Questionamento: Álbuns coletivos estão entre os com menos faixas e menos palavras. Por que? Dificuldade de coincidir produções e agenda ou existe necessidade maior do artista solo se posicionar? 7 9 10 10 10 11 11 12 13 14 2846 3845 4490 4161 4019 5080 3673 4075 5405 4017 0 1000 2000 3000 4000 5000 6000 0 2 4 6 8 10 12 14 16 Faixas Faixas Total Palavras Ttotal de faixas dos álbuns indicam, mas não garantem, que quanto maior, maior também será o total de palavras de cada obra:
  11. 11. 2846 3673 3845 4017 4019 4075 4161 4490 5080 5405 1190 1066 1123 1273 1042 926 1503 1451 1500 1650 RIMAS & MELODIAS FA7HER RPA VOL.3 REGINA ESÚ ELETROCARDIOGRAMA LÍNGUA FRANCA HERESIA NDDN GALANGA LIVRE TOTAL PALAVRAS PALAVRAS ÚNICAS Rincon e Coruja são os que mais canetaram. Nill é o álbum com mais faixas, 14 (Rincon 13, Coruja 11) Djonga em números absolutos: terceiro que mais escreveu e o terceiro com mais palavras únicas. Rimas & Melodias com menos palavras e menos faixas que todos. Entretanto é que tem maior proporção de palavras únicas por total de palavras (densidade). Língua Franca com segunda maior densidade: linguagem luso-brasileira. 31% 30% 32% 36% 23% 26% 32% 29% 29% 42% Densidade PILARES: PRODUÇÃO ESCRITA E VOCABULÁRIO
  12. 12. 0.227 0.259 0.290 0.292 0.295 0.305 0.316 0.323 0.361 0.418 Densidade do Vocabulário Ao cruzar a proporção de palavras únicas é possível medir a riqueza do vocabulário em cada obra. Com os maiores índices, os álbuns coletivos se apresentam como aqueles mais densos. Ainda que o excesso de palavras (ou refrãos) possa influenciar na repetição de palavras, isso não se comprova: NDDN, Galanga Livre e depois Regina e Heresia, combinaram com mais equilíbrio quantidade de palavras e sua repetição. Aqui o que se demonstra é como a quantidade de escritores agem diretamente na diversidade das construções de texto.
  13. 13. RPA vol3 Rimas & Melodias Regina NDDN Lingua Franca Heresia Galanga Livre Fa7her Esu Eletroca rdiogra ma Principais paiavras mexe (29) paradoxo (4) high (16), dinamite (14) tensão (25), gustavo (10) pobreza (31) fa7her (19), tranca (65) miami (52) off (10) noiz (5), stay (15), teu (40) jogou (16) andam (13) mole (20), tov (12) desgraça (26) ame (48) line (10) uô (3) traga (12), skeeter (12), ideal (13), dizendo (16) fujão (13) mazel (12) exu (23), mentir (19) ferramentas (10) quantas (3) sugestões (8) , number (12), oi (16) capeta (6), po (12), inshalá (12) livres (18), you (20) câmera (14) -- opiniões (8). hit (14). és (11). jab (5) ahn (16). sprite (11) julgam (15) i (24) . Primeiras análises Contemporân eo ao digital (possível posicionamen to: distópico e/ou crítico) Mulheres unidas, são mulheres agindo em conjunto. Com contundência, questionando Refrões e refrões (stay high podem ser no caso, tanto as sugestões como as opiniões) Se é falado de abalar as estruturas, se faz necessário ter dinamite. Se a fala é de virar o jogo, precisa ter hit Diferenças entre países e pessoas pode se apresentar de início, em forma de tensão. Mas temos um ideal, gajo. Artista , indivíduo e sua Obra. Andam dizendo por que agora é minha hora de falar. História com (histórica e estória) envolve pobreza. Liberdade para uns fuga para outros A celebração “familiar”, sempre com a presença de marcas. Novamente a liberdade (étnica e religiosa) e consequentem ente também a exposição da visão geral do opressor. Além da mais apaixonada é a mais internaciona l PALAVRAS FREQUENTES: AS MAIS DISTINTAS DE CADA ÁLBUM
  14. 14. NUVEM GERAL DE PALAVRAS (com lista de stopwords completa) O que é falado?  Nomes: Amor, Dinheiro e Vida  Riqueza: Dinheiro, Grana, Ouro  Pronomes: Onde, Mim, Aquí e Lá  Adjetivos: Preta, Foda (?)  Ações: “Querer” “Ir” “Fazer”  Antíteses: Tudo e Nada; Sempre e Nunca; Vida e Morte
  15. 15. TENDÊNCIA DE PALAVRAS POR ÁLBUM A partir de uma lista de stopwords*, definiu-se a tendência dos termos mais utilizados em cada obra e sua implicação na construção escrita:  Flora Matos e “vou” >> remete a decisão de atitude futura (promessa)  Nill e “vai”>> coisas irão acontecer (não necessariamente ele será o responsável)  Baco e “mim” >> prioridades pessoais  Djonga e “tipo” >> figura de linguagem de comparação  Don L e Flora e “quero” >> ambição pelo futuro Lista de stopwords completa disponível em: https://gist.github.com/alopes/5358189
  16. 16. DISCUSSÃO PARÂMETROS E PARTICULARIDADES
  17. 17. QUEM QUER DINHEIRO?  Djonga, Nill e Akira Presidente, são os que mais mencionam o “querer” com um todo.  Akira, Baco e Djonga como os que mais falam de/do “dinheiro”.  Baco e Nill como os que mais falaram em “querer” e “dinheiro”, mas não em conjunto.  Djonga e Akira como os que falaram querer e dinheiro em proporções bem semelhantes
  18. 18. PRETXS E NEGRXS  Lugar de fala é determinante para a utilização dos nomes negra/s e negro/s.  O nome em sua construção feminina é mais frequente em oito dos dez álbuns. O nome utilizado na forma masculina é mais escrito por Baco (Esú), seguido de Djonga (Heresia).  Na forma feminina, é primeiramente mais mencionado por Rincón (Galanga Livre) e depois por Rimas & Melodias. Na sequência, niLL (Regina) e Akira Presidente (Fa7her). Os “ * ” representam as variações de terminação que uma palavra pode ter. Ex.: negr* inclui negra/s e negro/s. Se separou as variações por gênero para análise mais aprofundada.
  19. 19. LÍNGUA FRANCA & A ÁFRICA: A INTEGRAÇÃO LUSO-BRASILEIRA A desconstrução do todo ao indivíduo (“ninguém” – “ego”): é o “mundo” (sempre frequente) e a utopia do “ideal”. “O tema “Ela”, por exemplo, é uma música que fala sobre a música, onde cada um de nós fala sobre a sua vivência, sobre a relação que tem com a música e sobre como a música salvou a nossa vida de formas diferentes. Tens quatro MCs a cantar sobre o mesmo tema de formas diferentes, com sotaques diferentes, com palavras diferentes dentro da nossa mesma língua franca, e aquilo faz sentido. Somos quatro naipes do mesmo baralho [risos]. (CAPICUA) “Entender que a lingua portuguesa como um grande patrimônio, que é de propriedade de todos nós da lusofonia.” (EMICIDA) “Bela com som ou a capella, zuca como novela Tuga como a minha terra ou afro como o Fela” (Ela – Língua Franca)
  20. 20. DJONGA: O HOMEM-COMPARAÇÃO  Palavra “tipo” utilizada 50 vezes em Heresia:  Recurso rico quando explorado em repetição: didatiza a associação de dois temas distintos  Figura de Linguagem de Comparação é quantitativamente mais simples de ser identificada que a Metáfora.
  21. 21. BACO E SUAS DIVINDADES • Exu antes de Deus: em números absolutos aparecem na mesma frequência (23x cada). • Em construção, Deus é repetitivo e Exu mais criativo • Coruja BC1 (NDDN) como segundo que mais menciona <<DEUS>>
  22. 22. TEMAS E PROJEÇÕES ASSUNTOS DE 2017 vs O QUE ESPERAR DE 2018
  23. 23.  Heresia: "Como todo preto desse país, como toda preta desse país, tentaram tirar minha auto estima, eu e meus irmãos e minhas irmãs, fomos atrás dela e ela nunca esteve tão elevada", Djonga em texto no Facebook  Esú: "O disco é mais sobre o quão conturbado a vida é; o quanto em algum momento você está no alto, no outro você está no baixo. E você tem que aprender a viver nesses dois instantes", Baco Exu do Blues em comentário publicado no Genius.  RPA vol.3: "Este é o primeiro disco da trilogia RPA e conta com muitas participações, entre elas Lay, Diomédes Chinaski e Terra Preta. Neste trabalho Don L expressa seu inconformismo com o mundo e reflete de certa forma o momento sócio-político caótico do Brasil", texto de Luana Dornelas  Galanga Livre: "O disco tem uma proposta de um negro engajado e globalizado, com uma pegada bélica, mas também com visão artística e geral. Da roupa, do comportamento, da raça, de tudo isso junto presente no trabalho", Mano Brown no encarte do álbum  Fa7her: "O FA7HER era o resumo de tudo que eu tava vivendo no momento, o nascimento da minha filha me influenciou muito, foi uma maneira de me resumir em uma palavra só. O momento é esse", Akira sobre o título do álbum em entrevista para a RAP TV.  Eletrocardiograma: "Esse disco é como um monólogo de uma paixão. Aquelas paixões que nos levam a pensar que não dá pra viver sem a pessoa, mas que no final nos leva a refletir sobre amor próprio e nos recuperamos com garra", Flora em declaração pra Vice  Regina: "Os beats são estranhos e é por isso que eu gosto, talvez. Parece que eles desconstruíram umas paradas fáceis, simples e pegajosas e deram uma camada tão suja e quebrada que o bagulho dá a volta e nasce uma música completamente chapada e original", comentou Ronald Rios sobre o álbum em um episódio do Rap Cru.  NDDN: "Se ele for o álbum do ano, sei que ano que vem ele vai ser o álbum do ano passado. Quero mais que isso, quero que seja o álbum da vida das pessoas que ouvirem", Coruja BC1 em entrevista pra Vice.  Rimas & Melodias: "Nosso disco de estreia, veio ao mundo à meia-noite, bem virginiano, pesando uma tonelada de muito amor, talento, resistência & luta. Vida longa!", texto postado pelo coletivo no Facebook  Língua Franca: "O álbum traz os quatro artistas em faixas em que tratam de questões que lhes são comuns independentemente do continente em que vivem, sociais ou pessoais, sob a perspectiva de que, embora sejam de países diferentes, estão unidos e conectados pela língua portuguesa", diz o release do álbum. DADOS DISPONÍVEIS (2016-2017):
  24. 24. ÁLBUM SUJEITO ASSUNTO/S POSICIONAMENTO Heresia Eu Etnia Auto-Estima Esú Eu Etnia, Religião e Região Auto-Estima e Empoderamento RPA vol.3 Eu Região, Desigualdade Agente Político Galanga Livre Ele Etnia Empoderamento Fa7her Eu Família Auto-Estima Eletrocardiograma Eu Amor Romance Regina Nós Família Auto-Estima NDDN Nós Desigualdade, Etnia Empoderamento, Igualdade Rimas & Melodias Nós Gênero, Etnia Empoderamento, Igualdade Língua Franca Nós Região, Linguagem Agente Político TEMÁTICAS ABORDADAS E ETIQUETAS
  25. 25. EU A GENTE SUJEITO ASSUNTOS PRINCIPAIS RELIGIÃO SOCIAL-ECONÔMICO ETNIA REGIÃO GÊNERO ESTRUTURA DE CLASSIFICAÇÃO AUTO-ESTIMA EMPODERAMENTO POSICIONAMENTO
  26. 26. Oque poderíamos esperar de 2018, tomando em consideração alguns dos comportamentos e padrões observados no ano de 2017? 4046 4161 10 10 10 10 10 11 11 11 11 11 11 3980 4000 4020 4040 4060 4080 4100 4120 4140 4160 4180 O QUE PODERIA SER 2018 Faixas Total Palavras 4046 4161 1231 1272 PRODUÇÃO ESCRITA Total Palavras Palavras Únicas 30% 31% Densidade ma tentativa ao erro: PREVISÕES POSSÍVEISU Considerando o estudo de álbuns relevantes de um determinado ano é possível inferir que alguns desses padrões irão influenciar a produção musical do gênero no ano seguinte. Abaixo e ao lado, possíveis projeções do total de faixas, palavras, palavras únicas e densidade do vocabulário para um álbum no ano de 2018.
  27. 27. INQUIETAÇÕES PARA 2018 QUEM FALOU EM EMPODERAR, SEGUIRÁ NA CONSCIENTIZAÇÃO? AGENTES POLÍTICOS TOMARÃO A FRENTE DE AÇÕES E PROJETOS PARALELOS? QUEM FALOU DE AUTO-ESTIMA, CONTINUARÁ FALANDO DE SI MESMO? UM ANO DE ELEIÇÕES PODE INFLUENCIAR NO SUJEITO DAS NARRATIVAS? É POSSÍVEL ESPERAR A ABORDAGEM DE NOVOS ASSUNTOS?
  28. 28. É ISSO. vira-lata s/a barreto.pedroh@gmail.com slideshare/PedroBarreto4

×