Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo Tomaz Tadeu da Silva
Pedagogia do Oprimido X Pedagogia dos Conteúdos
->  O que Paulo Freire  escrevia ? <ul><li>Paulo Freire não desenvolveu uma teorização específica sobre currículo.  Seu es...
->  Escola Tradicional <ul><li>Educador: papel ativo; Educando: recepção passiva </li></ul><ul><ul><ul><li>Por exemplo: o ...
<ul><li>Assim, a educação se torna um ato de depositar, em que os educandos são os depositários e o educador o depositante...
->  Opressor e Oprimido <ul><li>Quem é o opressor? (homem) </li></ul><ul><li>Quem é o oprimido? (“coisa”) </li></ul><ul><l...
->  Pedagogia do Oprimido <ul><li>Há uma interação entre professor/aluno. </li></ul><ul><li>“ Educação problematizadora”: ...
<ul><li>Para Freire, a própria experiência dos educandos se torna a fonte primária de busca dos “temas significativos/tema...
->  A Libertação <ul><li>Por que é tão difícil se libertar?  </li></ul><ul><ul><ul><li>Se libertar significa ser responsáv...
->  Referências bibliográficas: <ul><li>SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do curr...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Trabalho

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Trabalho

  1. 1. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo Tomaz Tadeu da Silva
  2. 2. Pedagogia do Oprimido X Pedagogia dos Conteúdos
  3. 3. -> O que Paulo Freire escrevia ? <ul><li>Paulo Freire não desenvolveu uma teorização específica sobre currículo. Seu esforço de teorização consiste, ao menos em parte, em responder à questão curricular fundamental: “o que ensinar?” </li></ul><ul><li>Em sua preocupação a questão epistemológica fundamental “o que significa conhecer”?, Freire desenvolveu uma obra que tem implicações importantes para a teorização sobre currículo. </li></ul>
  4. 4. -> Escola Tradicional <ul><li>Educador: papel ativo; Educando: recepção passiva </li></ul><ul><ul><ul><li>Por exemplo: o educador é o que disciplina; os educandos, os disciplinados; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O educador é o que diz a palavra; os educandos, os que a escutam docilmente; </li></ul></ul></ul><ul><li>A crítica de Freire ao currículo está sintetizada no conceito de “educação bancária” </li></ul><ul><li>Para Freire, a educação bancária é o conhecimento constituído de informações e fatos a serem simplesmente transferidos do professor para o aluno. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Assim, a educação se torna um ato de depositar, em que os educandos são os depositários e o educador o depositante. </li></ul><ul><li>Educação para oprimir </li></ul><ul><ul><ul><li>Ivo viu a uva </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ada deu o dedo ao urubu </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ada deu o dedo à arara </li></ul></ul></ul>
  6. 6. -> Opressor e Oprimido <ul><li>Quem é o opressor? (homem) </li></ul><ul><li>Quem é o oprimido? (“coisa”) </li></ul><ul><li>Quem fará a revolução? </li></ul><ul><ul><ul><li>A revolução será feita pelos oprimidos, que devem lutar para tirar o poder do opressor. O opressor nunca fará a revolução porque ele não quer perder o seu status. </li></ul></ul></ul>
  7. 7. -> Pedagogia do Oprimido <ul><li>Há uma interação entre professor/aluno. </li></ul><ul><li>“ Educação problematizadora”: uma alternativa à concepção bancária. </li></ul><ul><li>A “educação problematizadora” é uma compreensão diferente do que significa “conhecer”. </li></ul><ul><li>Conhecer envolve intercomunicação, intersubjetividade. </li></ul><ul><li>Através dessa intercomunicação que os homens mutuamente se educam. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Para Freire, a própria experiência dos educandos se torna a fonte primária de busca dos “temas significativos/temas geradores” que vão constituir o “conteúdo programático” do currículo. </li></ul><ul><li>Pedagogia feita com o aluno: a pedagogia do oprimido deve ser feita com o aluno. É por meio do diálogo que professor e aluno vão construindo esta pedagogia. </li></ul><ul><li>Quem liberta o oprimido? </li></ul><ul><ul><ul><li>O oprimido não se liberta sozinho. Ninguém liberta o oprimido. Os homens se libertam juntos através da conscientização. </li></ul></ul></ul>
  9. 9. -> A Libertação <ul><li>Por que é tão difícil se libertar? </li></ul><ul><ul><ul><li>Se libertar significa ser responsável pelos seus atos, ser autônomo. Muitas pessoas preferem ficar acomodadas, pois se libertar requer agir. </li></ul></ul></ul><ul><li>Oprimido deve virar opressor? </li></ul><ul><ul><ul><li>O oprimido não deve virar opressor ao se libertar, mas deve impedir que a minoria (opressor) comande a maioria (oprimido). </li></ul></ul></ul>
  10. 10. -> Referências bibliográficas: <ul><li>SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2002. </li></ul><ul><li>FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 18 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988. </li></ul>

    Be the first to comment

    Login to see the comments

Views

Total views

3,229

On Slideshare

0

From embeds

0

Number of embeds

5

Actions

Downloads

32

Shares

0

Comments

0

Likes

0

×