Apresentação geral sobre o tema: telemedicina e telessaúde

4,599 views

Published on

Apresentar uma introdução ao tema e o cenário dos grandes projetos nacionais.
Um visão sistemática da Telemedicina do ponto de visa do Desenvolvedor que seja Escalável, Seguro, de Qualidade e Sustentável.
Para mais informações sugerimos acessar o site do Setor de Telemedicina com material complementar: http://www.unifesp.br/set

Published in: Health & Medicine
0 Comments
8 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,599
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,164
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
8
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • By offering a portfolio of telehealth services to deal with the adversities, numerous types of treatment record is being produced, so it is necessary to define a strategy of how to integrate these attendance records into the patient's chart, and eventually into a national health record.By the way, it's a good time to talk about this, since Brazil recently resumed the discussion to implementation of a national RES.
  • Apresentação geral sobre o tema: telemedicina e telessaúde

    1. 1. Departamento de Informática em SaúdeUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Telemedicina e Telessaúde Eng. Paulo Lopes plopes@hospitalsaopaulo.org.br Departamento de Informática em Saúde (DIS) Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP/EPM) Hospital Universitário – Hospital São Paulo (HU-HSP)
    2. 2. Departamento de Informática em SaúdeUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Paulo Roberto de Lima Lopes Engenheiro Eletrônico (FEI) Mestre em Engenharia Nuclear (IPEN-USP) Doutorando em Informática em Saúde (UNIFESP) Coordenador do Setor de Telemedicina (UNIFESP) plopes@hospitalsaopaulo.org.br http://www.unifesp.br/set
    3. 3. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Resumo • Apresentar uma introdução ao tema e o cenário dos grandes projetos nacionais. • Um visão sistemática da Telemedicina do ponto de visa do Desenvolvedor que seja Escalável, Seguro, de Qualidade e Sustentável • Para mais informações sugerimos acessar o site do Setor de Telemedicina com material complementar: http://www.unifesp.br/setPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 3
    4. 4. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Declaração de Conflitos • Eu NÃO tenho nenhum interesse ou planos ou filiação com qualquer organização relacionada a produtos ou serviços comerciais discutidos nesta apresentação.Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 4
    5. 5. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Sociedade da Informação e do Conhecimento “A tecnologia digital influência o modo como nos comunicamos, percebemos, pensamos e interagimos com o mundo”. Profa. Dra. Mônica Parente Ramos “Economia do Conhecimento” PNBL - Plano Nacional de Banda Larga 5Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br
    6. 6. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Sociedade da Informação e do Conhecimento • Sociedade de Star Trek http://www.unifesp.br/set/comunicacao/noticias-gerais/future-of-health-medicinePaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 6
    7. 7. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Prática Digital da Saúde Fonte: Prof. Dr. Daniel Sigulem, MD (UNIFESP)Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 7
    8. 8. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Prática Digital da Saúde Comunicação Telessaúde SAD Convergência PráticaA Prática Digital da Saúde Médica Digital Registro Eletrônico de Saúde Pessoal Informação digital Guidelines Educação Pesquisa Translacional, Biotecnologia, Neur ociência, Nanotecnologia, ...Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 8
    9. 9. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Sumário • Introdução – Conceito – Perspectiva histórica – Exemplos • Tópicos – Aspectos técnicos – Problemas e soluções – Cenário nacional • Conclusões – DesafiosPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 9
    10. 10. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Um cenário típico de telessaúde • Práticas de saúde "a distância” (transmissão espaço – tempo) Ponto local Ponto remoto Outro Paciente profissional de sendo saúde examinado acompanhando por um ou analisando os profissional dados de saúde remotamente, e (Solicitante) discutindo o caso (Consultor) Equipamentos de ComunicaçãoPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 10
    11. 11. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Definição • Oferta de serviços ligados aos cuidados com a saúde, nos casos em que a distância e o tempo é um fator crítico • Ampliando a assistência e também a cobertura • Oferecidos por profissionais da área da saúde • Utilizando tecnologias de informação e de comunicação para o intercâmbio de informações válidas • Para: – promoção, proteção, redução do risco da doença e outros agravos e recuperação – educação continuada em saúde de profissionais, cuidadores e pessoas – facilitar pesquisas e avaliações em saúde. • Sempre no interesse de melhorar a saúde das pessoas e de suas comunidades. Adaptado da Organização Mundial de Saúde – OMS (1997) http://www.who.orgPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 11
    12. 12. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Global Health Global e-Health e-commerce e-Health e-learning Telehealth Health Informátics Telmedicine Electronic Records DSS Home e-health Tele-rehab EHR PHR Teleradiology Tele-social Work Telepathology Telepastoral Care Adaptado: Scott RE - @004, 2006, 2009, 2011Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 12
    13. 13. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Telemedicina + 8ª. maravilha ? http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u310254.shtmlPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 13
    14. 14. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Uma nova oportunidade! 04/03/2013Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 14
    15. 15. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP O que a telemedicina NÃO é ? • Uma tecnologia • Uma nova ou separada área da medicina • Um remédio (panaceia) que irá curar todos os problemas com cuidados em saúde no mundo • A substituição do trabalho dos profissionais de saúde. • Território só de “nerds de computador” ou “tecnófilos”Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 15
    16. 16. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP História • Invenção do Estetoscópio em 1816 – Rene Theophile Hyacinthe Laënnec (1781–1826) Ariel Roguin. Rene Theophile Hyacinthe Laënnec (1781–1826): The Man Behind the Stethoscope http://www.clinmedres.org/cgi/content/full/4/3/230Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 16
    17. 17. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP História • Era Pré-eletrônica • Anos 90 - Ressurgimento – Serviço postal – Tecnologia da Informação • Convergência: Computação e • Era Eletrônica Telecomunicação – Telegrafia (cirurgias) • Aumento do Armazenamento, – Telefonia (voz, fax) Processamento e Transmissão – Rádio (terra-mar, terra-ar) • Baixo custo de Computação e Telecomunicação = – Televisão (circuitos-fechados) Baixo Custo para Inovação – Satélite – Internet (WEB) • Versátil, Acessível, Disponível • Coletivo: Ambiente Colaborativo Modelo Geral de Comunicação: Um-para-Um Modelo Geral de Comunicação: Muitos-para-Muitos (Forma, origem e destinos múltiplos) An Editor´s view of Telemedicine (JTT/2004) Telemedicine: past, present, future: January 1966 through March 1995 Prepared by NLM 1634 citaçõesPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 17
    18. 18. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Telemedicina na Telinha... HOUSE Congelada Episódio 11, temporada 1 O doutor House e sua equipe têm que diagnosticar um caso à distância quando uma pesquisadora, abrigada numa base no Polo Sul, adoece.Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 18
    19. 19. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Teleassistência (Serviços Clínicos) • Telemonitorização de pacientes (sinais vitais) • Acesso remoto ao Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) • Segunda opinião em saúde – Referência para especialistas, apoio ao diagnóstico, tratamentos, etc. • Telediagnóstico – Laudos a distânciaPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 19
    20. 20. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Tele-educação • Educação a distância (formação e atualização profissional) • Pesquisa clínica, orientação de trabalhos científicos • Bibliotecas virtuais • Reuniões clínicas (discussão de casos clínicos)Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 20
    21. 21. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Telegestão • Reuniões entre gestores • Reuniões para controle e avaliação • Salas de situação (Indicadores)Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 21
    22. 22. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Aplicações da Telemedicina • Educação Médica Continuada – Revalidação da Especialidade • Educação em Saúde – Profissionalização • Educação de Pacientes – Instruções e educação para melhoria da qualidade de vida – Pacientes crônicos – População de Idosos • Grand Rounds – Discussão de Casos • Painel de Especialistas – Avaliação e Planejamento – Oncologia, Cardiologia, OB-GINECO • Pesquisa Clínica – Investigação multicêntrica • Assistência Clínica – Serviços consultivos e de segunda opinião • Técnicas Avançadas – Compartilhamento de técnicas e conhecimentos – Telecirurgia (Supervisão, Robótica)Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 22
    23. 23. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Grupos de Aplicações em Telemedicina Grupo III: Telecirurgia, Telepediatria, Grupo II: Telemergência Grupo IV: Telepsiquiatria, Teled Doenças Raras e ermatologia, Telecardi Assistência em ologia, Teleoftalmolog Saúde Domiciliar ia Grupo I: Maturidade Grupo V: Telerradiologia e vs. Aplicações Telepatologia Especiais DesempenhoPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 23
    24. 24. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Tecnologias móveis - mhealth • Uso dos dispositivos móveis para coleta e transmissão de dados dos pacientesPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 24
    25. 25. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Monitorização Pessoal para Saúde e Bem-estar • “Baby Boom”: Monitoração dos Pais • Corporações Empregadoras e Seguradoras: Programa de Gerenciamento de Doenças • No mundo: – 1 bilhões de adultos com soprepeso – 860 milhões de pacientes com doenças crônicas – 600 milhões de idosos acima de 60 anos – 75-85% de gastos na saúde no gerenciamento de doenças crônicas • Continua Health Alliance: – Padrões bem desenvolvidos para informação de dados e Tecnologias de Eletrônicos de Consumo • Bluetooth Medical Device Profile Specification • USB Personal Health Device Specification • ISO/IEEE 11073 Personal Health Device Specification • HL7 • Chips • Sensores/Rede • TV/Telefones CelularesPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 25
    26. 26. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Monitorização Pessoal para Saúde e Bem-estar • Órgãos Governamentais • Seguradoras de Saúde • Hospital de Referência • Hospitais Escola • Hospital Regionais • Hospital Comunitário • Unidades Básicas de Saúde • Unidades Mistas • Policlínicas • Posto de Saúde • Consultórios • Farmácias • Comunidades • Escolas • Ambiente de Trabalho • Lar BIG DATAPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 26
    27. 27. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Componentes Recursos Humanos Serviço Processos Padrões Aplicação Equipamentos Computação Comunicação Negócios Articulação Política e Cultural “A Telemedicina não é simplesmente Tecnologia e novos equipamentos. Ela é um processo sucessivo de exploração que requer mudanças organizacionais nos serviços de saúde” Richard WoottonPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 27
    28. 28. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP A essência da Telemedicina • Telemedicina é inovação tecnológica? • A tecnologia – por si só não garante inovação nenhuma • A tecnologia – apenas muda as formas de estabelecer as relações – traz novos meios para atacar velhos problemas • Exemplo: colaboração pessoal – Modelo 3C* Comunicação Cooperação Coordenação *ELLIS, C.A., GIBBS, S.J., AND REIN, G.L. 1991. Groupware - Some Issues and Experiences. Communications of the ACM 34, (1), 38-58.Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 28
    29. 29. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Tipos e Ferramentas de Comunicação • Assíncrono: • Síncrono: Pré-armazenado Tempo-Real (Store-and-Forward) – Paradigma do e-mail (Real Time) – Audioconferência – Formulário Eletrônicos – Videoconferência – WEB – Webconferência – Teleconferência Store-and-Forward Real Time Possibilidade de exame virtual Não Sim Interatividade com o paciente Não Sim Tempo de resposta Retardado Imediato Qualidade da Imagem Alto Baixo Largura de banda requerida Baixo Alto Custo Baixo Alto Necessidade de agendamento Baixo Alto Necessidade de tempo Baixo Alto Conveniência Alto Baixo Treinamento Baixo AltoPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 29
    30. 30. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Tipos de Cooperação (Declaração de Tel Aviv – WMA - 1999) Assistência de Emergência D Monitorização Referência/Teleconsultoria (Segunda Opinião, Conselho, Interconsulta) Atendimento/Teleconsulta Requerente (Consulta) ConsultorPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 30
    31. 31. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Como fazer uma Teleconsultoria? • Concordância sobre o propósito • Concordância sobre o processo • Delegação de responsabilidades • Concordância sobre a documentaçãoPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 31
    32. 32. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Concordância sobre o processo • Processo da Teleconsulta : – Explicar ao paciente o que vai acontecer – Estabelecer o contato com o especialista – Fazer as apresentações – Resumir o problema – Rever a história – Executar o exame físico: • Palpação • Percussão • Auscultação – Rever os testes de diagnóstico – Discutir o diagnóstico – Discutir a conduta – Discutir as dúvidas do pacientePaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 32
    33. 33. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Problemas em Telemedicina • Tecnológicos – Redes – Sistemas – Equipamentos • Clínicos – Novas Técnicas Diagnósticas/Terapêuticas • Recursos Humanos – Introdução de novas tecnologias e alteração do processo de saúde • Outros problemas – Sociais – Econômicos – Culturais (linguagem) – Geográficos (fuso horário) – Éticos e RegulatóriosPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 33
    34. 34. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Sustentabilidade em Telemedicina • Inovação e Gestão • Fatores: – Financeira • Fontes de financiamento, Avaliação econômica, etc – Social • Bem-estar, Compromisso, monitorização, etc. – Ambiental – Institucional • Compromisso – Funcional • Competência – Técnico-Científica • Produção – Renovação • Política de renovação – Relacional • Motivação, Comunicação, etc. Rosângela Simões Gundim DOI: 10.1258/jtt.2009.003017Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 34
    35. 35. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Aspectos Éticos e Legais em Telemedicina • Ética do Profissional de Saúde • Qualificações, Licenciamento e Credenciamento • Proteção aos direitos do paciente • Segurança: Privacidade e Confidencialidade • Cobertura de Seguro Saúde • Reembolso • Impostos • Mal-prática • Biomedicina Computação Consentimentos • Registros de Saúde • Registro de Incidentes • Lei contratual • Terminologia de contratos • Propriedade Intelectual Ética Legislação • InternacionalizaçãoPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 35
    36. 36. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Aspectos Éticos e Regulatórios RESOLUÇÃO CFM nº 1.643/2002 (07/08/2002) • Define e disciplina a prestação de serviços através da Telemedicina • Art. 1º - Definir a Telemedicina como o exercício da Medicina através da utilização de metodologias interativas de comunicação audiovisual e de dados, com o objetivo de assistência, educação e pesquisa em Saúde. • Art. 2º - Os serviços prestados através da Telemedicina deverão ter a infra-estrutura tecnológica apropriada, pertinentes e obedecer as normas técnicas do CFM pertinentes à guarda, manuseio, transmissão de dados, confidencialidade, privacidade e garantia do sigilo profissional. • Art. 3º - Em caso de emergência, ou quando solicitado pelo médico responsável, o médico que emitir o laudo a distância poderá prestar o devido suporte diagnóstico e terapêutico. • Art. 4º - A responsabilidade profissional do atendimento cabe ao médico assistente do paciente. Os demais envolvidos responderão solidariamente na proporção em que contribuírem por eventual dano ao mesmo.Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 36
    37. 37. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Planejamento • Recursos – Humanos – Financeiro – Organizacional – Comunidade • Atividades (o que fazer com os recursos) – Processos – Ferramentas – Eventos – Tecnologia – Ações • Plano de Trabalho – Descreve quais os recursos necessários para implantar o programa e quais são os objetivosPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 37
    38. 38. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Avaliação • Avaliação implica em responder uma ou várias questões. • É a pesquisa em que os resultados contribuem para a tomada de decisão – Seguridade Sistema (Desenvolvimento) (Qualidade) – Praticidade Serviço (Homologação) (Acesso) – Utilidade Processo de Saúde (Produção) (Aceitação) • É o estudo dos efeitos positivos e negativos que a Telemedicina vai introduzir sobre os pacientes e sobre o sistema de saúdePaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 38
    39. 39. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Exemplo - Dermatologia • Os equipamentos tem qualidade de imagem suficiente? • Qual a câmera? Seguridade • Qual a resolução, profundidade, compressão? • Quais as fotos necessárias? • Qual a largura de banda de comunicação? • Qual o treinamento para a operação? • Como organizar o serviço? Praticidade • Existe disponibilidade dos equipamentos? • Existem pessoas com competência para operação? • Qual o financiamento necessário? • Quais os aspectos legais? Utilidade • O serviço melhorou a qualidade de saúde dos pacientes? • Melhorou o bem-estar da população? • Qual o custo-efetividade?Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 39
    40. 40. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Khoja–Durrani–Scott Framework para Avaliação de e-Health Shariq Khoja, Hammad Durrani, Richard E. Scott, Afroz Sajwani, and Usha Piryani. Conceptual Framework for Development of Comprehensive e-Health Evaluation Tool. Telemedicine and e-Health. January 2013, 19(1): 48-53.Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 40
    41. 41. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Iniciativas Brasileiras em Telessaúde • Programa Telessaúde Brasil Redes (SGETS/DAB/MS) – O objetivo é contribuir com a qualidade do serviço de saúde do SUS, capacitando e integrando os trabalhadores e profissionais de saúde por meio do uso de tecnologias e infraestrutura de informática e telecomunicação para promover a Teleassistência/Segunda Opinião Formativa, Telediagnóstico e a Tele-educação. • UNA-SUS – Universidade Aberta do SUS (MS) – Foi criada com a finalidade de atender às necessidades de capacitação e educação permanente dos trabalhadores do Sistema Único de Saúde - SUS, por meio da oferta de cursos de extensão e especialização, na modalidade a distância, na área da saúde. • RUTE - Rede Universitária de Telemedicina (RNP/MCT) – É uma iniciativa que visa apoiar o aprimoramento da infraestrutura para telemedicina já existente nos hospitais universitários, bem como promover a integração de projetos entre as instituições participantes. • RHEMO - Hemorrede Virtual (SAS/MS) – Implantou uma rede de colaboração virtual por meio de um sistema interativo de comunicação - videoconferência - para os serviços públicos de hemoterapia e hematologia do país para ampliar a capacidade de colaboração e troca de experiências entre os serviços da Hemorrede e seus parceiros.Paulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 41
    42. 42. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Programa Telessaúde Brasil • PORTARIA Nº 402, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2010 • Institui, em âmbito nacional, o Programa Telessaúde Brasil para apoio à Estratégia de Saúde da Família no Sistema Único de Saúde • Institui o Programa Nacional de Bolsas do Telessaúde Brasil • Objetivo: – Qualificar – Ampliar a resolutividade Fortalecer a estratégia PSF – Ações educacionais – “Segunda Opinião Formativa” • Resposta estruturada e sistematizada às perguntasPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 42
    43. 43. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Rede Universitária de Telemedicina • RNP/FINEP – Conectividade – Infraestrutura para Colaboração • RUTE I (19 HUs) • RUTE II (35 HUs) • RUTE III (75 HE) – http://rute.rnp.br – 54 un. operacionais (nov/2010) – 47 SIG´s • Acordos – I2 – FCC/USA – CLARA - ALPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 43
    44. 44. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Problema: Interoperabilidade • Diversos serviços utilizando diferentes sistemas:  Teleconsultoria síncrona  Teleconsultoria assíncrona  Telediagnóstico  Tele-educação • Dados replicados nos diferentes sistemas  Pacientes, Profissionais, Instituições, Informações clínicas, etc. • Cada sistema prove um conjunto específico de dados e indicadores  Registro Eletrônico de TelessaúdePaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 44
    45. 45. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP ABNT – CEE Informática em Saúde • Associação Brasileira de Normas Técnicas • Padrões Tecnológicos para a Informática em Saúde e Telemedicina • Grupos de Trabalho: – GT 1 – Arquitetura – GT 3 – Conteúdo Semântico – GT 2 – Interoperabilidade de Sistema e Dispositivos – GT 4 – Segurança, Privacidade, Segurança do Paciente • Espelho da ISO/TC215 – CEN, HL7, ITU, DICOM, OMS, etc... – HarmonizaçãoPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 45
    46. 46. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP e-Health Enterprise ArchitecturePaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 46
    47. 47. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Proyecto BID - Protocolos Regionales de Políticas Públicas en Telesalud • Banco Interamericano de Desarrollo (BID) • Brasil, Colombia, Ecuador, El Salvador, Uruguay y México • Componentes: 1. Estándar regional de requisitos mínimos para la transmisión de datos e infraestructura 2. Estrategia para la promoción, prevención y oferta de servicios a través de telesalud 3. Directrices regionales para la gestión de telesalud 4. Estrategia para la creación de una red de investigación en temas de telesalud 5. Modelo de capacitación y certificación en telesalud 6. Innovación en telesalud: aspectos principalesPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 47
    48. 48. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP SET/DIS/HU-HSP/UNIFESP • Núcleo de excelência da UNIFESP na condução da P&D, ensino e extensão de tecnologias da informação para assistência e colaboração remota em saúde http://www.unifesp.br/set • Ambiente de Colaboração Audiovisual – LAT (1ª sala homologada na RUTE / Referência) • Domínio sobre Video/Web/Teleconferência (streaming) – 1ª Sala de Telepresença na RNP em SP • Participante ativo na RUTE (desde a formatação do projeto) – Membro ativo no Comitê Assessor (CA) – Indução de novos SIG´s: 14 SIG´s aprovados pelo CA (setembro/2012) • SIG´s de Gestão: HU´s e Serviços de enfermagem • SIG´s de Residência: Multiprofissional e Médica – Estímulo à participação da Unifesp: 22 SIG´s (setembro/2012) – SIG Técnico Operacional • Capacitação de RH na utilização, operação e PD&I em Telessaúde • Desenvolvimento de normas técnicas em Informática em Saúde e Telessaúde – SIG Padrões – ABNT/CEE-78 Informática em saúde – Projeto BID/Bens Públicos – Componente 1: Normalização – Projeto FINEP: Apoio à normalização nacional • Pesquisa e Desenvolvimento vs AvaliaçãoPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 48
    49. 49. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Comentários Finais • Telemedicina envolve um processo, não um produto • Cuidado com o entusiasmo e selecione domínios apropriados • Questione: O processo é adequado para telemedicina? O processo utilizando telemedicina é efetivo? O serviço de telemedicina tem custo-efetividade? • Analise os requisitos e especifique as necessidades • Utilize tecnologia apropriada, baseada em padrões abertos • Simplicidade minimiza os requisitos de treinamento e amplia a sua utilização • Avalie e re-inicie o cicloPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 49
    50. 50. Hospital Universitário – Hospital São Paulo UNIFESPUniversidade Federal de São Paulo – UNIFESP Questões ? plopes@hospitalsaopaulo.org.br http://www.unifesp.br/setPaulo Lopes - plopes@hospitalsaopaulo.org.br 50

    ×