Segurança,Segurança,Segurança,Segurança,
Meio Ambiente eMeio Ambiente eMeio Ambiente eMeio Ambiente e
Saúde OcupacionalSaú...
OBJETIVOOBJETIVOOBJETIVOOBJETIVO
DASDASDASDAS
ORGANIZAÇÕESORGANIZAÇÕESORGANIZAÇÕESORGANIZAÇÕES
Projeto
Perfeito
Fabricação...
O CO CO CO CO CO CO CO CENÁRIOENÁRIOENÁRIOENÁRIOENÁRIOENÁRIOENÁRIOENÁRIO VVVVVVVVIGENTEIGENTEIGENTEIGENTEIGENTEIGENTEIGENT...
SMSSMSSMSSMSSMSSMSSMSSMS
AsAsAsAsAsAsAsAs ccccccccomponentes doomponentes doomponentes doomponentes doomponentes doomponen...
Objetivos de uma Gestão deObjetivos de uma Gestão deObjetivos de uma Gestão deObjetivos de uma Gestão de SMSSMSSMSSMS
PERD...
Perdas VisíveisPerdas VisíveisPerdas VisíveisPerdas Visíveis
Perdas InvisíveisPerdas InvisíveisPerdas InvisíveisPerdas Inv...
Impactos:Impactos:Impactos:Impactos:
A flora, a fauna, aA flora, a fauna, aA flora, a fauna, aA flora, a fauna, a
áááágua,...
3 Vidasperdidas por minuto, ou
5 mil Vidas perdidas ao dia, ou
2 milhões de Mortes ao ano.
Acidentes de TrabalhoAcidentes ...
Doenças OcupacionaisDoenças OcupacionaisDoenças OcupacionaisDoenças Ocupacionais
160 milhões de pessoas adoecem
no mundo d...
O custo econômico dessas tristes
estatísticas chega a
4 % do Produto Bruto Mundial.
Acidentes de Trabalho eAcidentes de Tr...
Alasca
México
Brasil
Ucrânia
Índia
Outros
Espanha
Grandes Acidentes Industriais Causadores de PerdasGrandes Acidentes Indu...
O que aconteceu após os GrandesO que aconteceu após os GrandesO que aconteceu após os GrandesO que aconteceu após os Grand...
• Adoção de responsabilidade sócio
ambiental adotadas por algumas
organizações;
• Criação de normas e modelos de gestão
de...
Estudos CientEstudos CientEstudos CientEstudos Cientííííficos da Proporficos da Proporficos da Proporficos da Proporçãçãçã...
Estudos CientEstudos CientEstudos CientEstudos Cientííííficos da Proporficos da Proporficos da Proporficos da Proporçãçãçã...
Decisões Falíveis
Decisões no topo da
organização
Incertezas
dos Sistemas
Complexos
Deficiência dos Sistemas de Gestão
Fal...
O Caminho para SMSO Caminho para SMSO Caminho para SMSO Caminho para SMS Quem conduzQuem conduzQuem conduzQuem conduz
A Di...
CritCritCritCritéééérios para Gerenciamento da SMSrios para Gerenciamento da SMSrios para Gerenciamento da SMSrios para Ge...
Indicadores de Desempenho de SMSIndicadores de Desempenho de SMSIndicadores de Desempenho de SMSIndicadores de Desempenho ...
• Inglaterra;
• França;
• Alemanha;
• Itália;
• Espanha;
• etc.
• Japão;
• Tailândia;
• China;
• etc.
• Brasil;
• Chile;
•...
Tempo
A
c
i
d
e
n
t
e
s
Etapa 1 Etapa 2
Planejamento para chegar ao
Nível de Excelência
Etapa 3
Excelência
Sistemas de Ges...
Exemplo de um modeloExemplo de um modeloExemplo de um modeloExemplo de um modelo
de Gestão de SMS quede Gestão de SMS qued...
MetodologiaMetodologiaMetodologiaMetodologia
SG-SMS
Sistemas de
Gestões de MSS
bem sucedidos
CP/
DNV
DUPONT
AT
Normas técn...
MANUTENÇÃO
NÍVEL 1
NÍVEL 2
NÍVEL 3
NÍVEL 4
NÍVEL 5 M
E
L
H
O
R
I
A
Sistema de Gestão de Segurança, Meio Ambiente e Saúde n...
Sistemas deSistemas deSistemas deSistemas de
CertificaçãoCertificaçãoCertificaçãoCertificação
Qualidade
Meio
Ambiente
Resp...
Segunda EtapaSegunda EtapaSegunda EtapaSegunda Etapa
Visão Específica Aplicada áVisão Específica Aplicada áVisão Específic...
Implantação de Segurança e SaúdeImplantação de Segurança e SaúdeImplantação de Segurança e SaúdeImplantação de Segurança e...
PERIGO
É uma situação ou condição que
introduz um certo potencial para
provocar perdas
RISCO
É a avaliação do perigo,associando-se a
probabilidade da ocorrência de um evento
adverso e a gravidade das suas cons...
Acidente
É o evento indesejável que causa perdas, ou
seja, danos pessoais, danos materiais, danos ao
meio ambiente, perdas...
Incidente
(Quase acidente)
É o evento indesejável que poderia
causar uma perda
Anomalia
É a situação anormal
entre o observado e
o esperado.
Esta situação
conjugada
a um outro fato pode
conduzir a um
a...
Leis de Murphy
Lei Básica :
“Se alguma coisa pode dar errado para agravar
determinada situação, dará.”
Corolário :
“ Se vá...
Grupo 1
Riscos
Físicos
Grupo 2
Riscos
Químicos
Grupo 3
Riscos
Biológicos
Grupo 4
Riscos
Ergonômicos
Grupo 5
Riscos de
Acid...
Inspeções Planejadas.
Reuniões de Grupo.
Investigação e Analise de
Acidentes/Incidentes.
Pesquisa com funcionários.
Etc.
I...
Classificar as atividades
de trabalho
Identificar os perigos
Determinar os riscos
Decidir se o risco é
tolerável
Preparar ...
Probabilidade
Os riscos identificados devem ter sua probabilidade de ocorrência
definida de acordo com as classes abaixo:
...
Potencial de Gravidade
Descrição Gravidade Código
Risco de acidente com dano pessoal temporário sem
resultar em afastament...
Riscos de acidentes com
dano pessoal temporário
sem resultar em
afastamento
Riscos de acidentes com
dano pessoal causando
...
Matriz de Controle dos Riscos
CLASSE NÍVEL DE
RISCO
OBSERVAÇÕES
1 PEQUENO Não é necessário nenhuma ação.
2 e 3 TOLERÁVEL
N...
ANEXO I – Lista de Referência de Perigos do Trabalho
1.Sistemas elétricos energizados
2.Sistema mecânicos em movimento
3.E...
21.Manuseio de materiais cortantes, perfurantes e escoriantes
22.Superfícies aquecidas
23.Superfícies rotativas
24.Superfí...
Subsídios á Implantação
de Segurança e Saúde
no Trabalho na Indústria
da Construção Civil
• Introdução: Gestão da SST na Obra.
• Documentações Exigidas Antes da Mobilização:
2.1. Ministério do Trabalho:
- PCMAT;
...
2.2. CREA:
• Art’s (Anotação de Responsabilidade Técnica).
3. Documentos de Funcionários
3.1. Procedimentos Iniciais
- Com...
5. Cintos de Segurança.
6. Uniformes e Equipamentos de Segurança.
7. Utilizações de Capacete de Proteção e Calçado
de Segu...
12. Simplificação da NR – 18
Detalhamento
18.1. Objetivo e Campo de Aplicação
18.2. Comunicação prévia;
18.3. PCMAT
18.4. ...
18.7. Carpintaria;
18.8. Armações de Aço;
18.9. Estruturas de Concreto;
18.10. Estruturas Metálicas;
18.11. Operações de S...
18.14. Movimentação e Transporte de Materiais e
Pessoas;
18.15. Andaimes;
18.16. Cabos de Aço e Cabos de Fibra Sintética;
...
18.21. Instalações Elétricas;
18.22. Máquinas, Equipamentos e Ferramentas
Diversas;
18.23. Equipamentos de Proteção Indivi...
18.28. Treinamento;
18.29. Ordem e Limpeza;
18.30. Tapumes e Galerias;
18.31. Acidente Fatal;
18.32. Dados Estatísticos;
1...
13. Normas Regulamentadoras aplicada a
Construção Civil (Resumo)
- NRs 1 à 5
- NR 6 – Equipamentos de Proteção Individual
...
14. Ordens de Serviços Aplicadas a Construção
Civil
15. Equipamentos Específicos de Obra Civil;
16. Permissão para Trabalh...
Segurança,Segurança,Segurança,Segurança,
Meio AmbienteMeio AmbienteMeio AmbienteMeio Ambiente
e Saúde (SMS)e Saúde (SMS)e ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Visao geral sms

948 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
948
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
41
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Visao geral sms

  1. 1. Segurança,Segurança,Segurança,Segurança, Meio Ambiente eMeio Ambiente eMeio Ambiente eMeio Ambiente e Saúde OcupacionalSaúde OcupacionalSaúde OcupacionalSaúde Ocupacional
  2. 2. OBJETIVOOBJETIVOOBJETIVOOBJETIVO DASDASDASDAS ORGANIZAÇÕESORGANIZAÇÕESORGANIZAÇÕESORGANIZAÇÕES Projeto Perfeito Fabricação Perfeita Segurança do Cliente Assistência Perfeita Entrega no Prazo Custo Baixo Segurança, Meio Ambiente, Saúde, Higiene e Ergonomia Outros COMPETITIVIDADE SOBREVIVÊNCIA PRODUTIVIDADE QUALIDADE TOTAL
  3. 3. O CO CO CO CO CO CO CO CENÁRIOENÁRIOENÁRIOENÁRIOENÁRIOENÁRIOENÁRIOENÁRIO VVVVVVVVIGENTEIGENTEIGENTEIGENTEIGENTEIGENTEIGENTEIGENTE SSSSSSSSOBREVIVÊNCIA EOBREVIVÊNCIA EOBREVIVÊNCIA EOBREVIVÊNCIA EOBREVIVÊNCIA EOBREVIVÊNCIA EOBREVIVÊNCIA EOBREVIVÊNCIA E CCCCCCCCOMPETITIVIDADEOMPETITIVIDADEOMPETITIVIDADEOMPETITIVIDADEOMPETITIVIDADEOMPETITIVIDADEOMPETITIVIDADEOMPETITIVIDADE Sindicatos Mídia ONGs Fornecedores Clientes Consumidores Acionistas Seguradores Comunidade Ag. Financiamento Organismos Certificadores
  4. 4. SMSSMSSMSSMSSMSSMSSMSSMS AsAsAsAsAsAsAsAs ccccccccomponentes doomponentes doomponentes doomponentes doomponentes doomponentes doomponentes doomponentes do NNNNNNNNegócioegócioegócioegócioegócioegócioegócioegócio Segurança Qualidade Gestão do Negócio SaúdeMeio Ambiente R E S P O N S A B I L I D A D E S O C I A L
  5. 5. Objetivos de uma Gestão deObjetivos de uma Gestão deObjetivos de uma Gestão deObjetivos de uma Gestão de SMSSMSSMSSMS PERDASPERDASPERDASPERDAS ResultadoResultadoResultadoResultado dededede AcidentesAcidentesAcidentesAcidentes Eliminação e/ ou Controle de PerdasEliminação e/ ou Controle de PerdasEliminação e/ ou Controle de PerdasEliminação e/ ou Controle de Perdas
  6. 6. Perdas VisíveisPerdas VisíveisPerdas VisíveisPerdas Visíveis Perdas InvisíveisPerdas InvisíveisPerdas InvisíveisPerdas Invisíveis
  7. 7. Impactos:Impactos:Impactos:Impactos: A flora, a fauna, aA flora, a fauna, aA flora, a fauna, aA flora, a fauna, a áááágua, ao solo e ao ar.gua, ao solo e ao ar.gua, ao solo e ao ar.gua, ao solo e ao ar. Ao Meio AmbienteAo Meio AmbienteAo Meio AmbienteAo Meio Ambiente Leve, importante ouLeve, importante ouLeve, importante ouLeve, importante ou ssssééééria e/ou doenria e/ou doenria e/ou doenria e/ou doenççççaaaa ocupacionalocupacionalocupacionalocupacional LesLesLesLesãããão:o:o:o: HumanasHumanasHumanasHumanas Danos ou PrejuDanos ou PrejuDanos ou PrejuDanos ou Prejuíííízos:zos:zos:zos: Menor, importante, sMenor, importante, sMenor, importante, sMenor, importante, séééériorioriorio ou catastrou catastrou catastrou catastróóóóficoficoficoficoAo PatrimAo PatrimAo PatrimAo Patrimôôôônionionionio A não existência de um SGSMS acarretam:A não existência de um SGSMS acarretam:A não existência de um SGSMS acarretam:A não existência de um SGSMS acarretam: PERDASPERDASPERDASPERDAS
  8. 8. 3 Vidasperdidas por minuto, ou 5 mil Vidas perdidas ao dia, ou 2 milhões de Mortes ao ano. Acidentes de TrabalhoAcidentes de TrabalhoAcidentes de TrabalhoAcidentes de Trabalho
  9. 9. Doenças OcupacionaisDoenças OcupacionaisDoenças OcupacionaisDoenças Ocupacionais 160 milhões de pessoas adoecem no mundo decorrentes das atividade produtivas.
  10. 10. O custo econômico dessas tristes estatísticas chega a 4 % do Produto Bruto Mundial. Acidentes de Trabalho eAcidentes de Trabalho eAcidentes de Trabalho eAcidentes de Trabalho e Doenças OcupacionaisDoenças OcupacionaisDoenças OcupacionaisDoenças Ocupacionais
  11. 11. Alasca México Brasil Ucrânia Índia Outros Espanha Grandes Acidentes Industriais Causadores de PerdasGrandes Acidentes Industriais Causadores de PerdasGrandes Acidentes Industriais Causadores de PerdasGrandes Acidentes Industriais Causadores de Perdas
  12. 12. O que aconteceu após os GrandesO que aconteceu após os GrandesO que aconteceu após os GrandesO que aconteceu após os Grandes Acidentes Industriais ???Acidentes Industriais ???Acidentes Industriais ???Acidentes Industriais ??? • As legislações ficaram mais rigorosas; • Aumento dos custos das organizações decorrentes das falhas no controle dos riscos;
  13. 13. • Adoção de responsabilidade sócio ambiental adotadas por algumas organizações; • Criação de normas e modelos de gestão de SMS para melhorar o Gerenciamento dos riscos. O que aconteceu após os GrandesO que aconteceu após os GrandesO que aconteceu após os GrandesO que aconteceu após os Grandes Acidentes Industriais ???Acidentes Industriais ???Acidentes Industriais ???Acidentes Industriais ???
  14. 14. Estudos CientEstudos CientEstudos CientEstudos Cientííííficos da Proporficos da Proporficos da Proporficos da Proporçãçãçãção de Acidenteso de Acidenteso de Acidenteso de Acidentes 600 30 10 1 Lesão séria ou importante Lesões menores Acidentes com danos à propriedade Incidentes sem danos ou lesões visíveis (quase - acidente) Bird & Loftus (1976) 1.753.498 Acidentes – 297 Organização – 21 Tipos Diferentes de Empresas 1.750.000 Empregados Envolvidos – 3 Bilhões de Homens – Hora ( Insurance Company of North América - 1969 )
  15. 15. Estudos CientEstudos CientEstudos CientEstudos Cientííííficos da Proporficos da Proporficos da Proporficos da Proporçãçãçãção de Acidenteso de Acidenteso de Acidenteso de Acidentes 30.000 3.000 300 30 1 Desvios Empresa - Dupont Safety Resources Perda Pequena Perda Média Incidentes Perda Grave
  16. 16. Decisões Falíveis Decisões no topo da organização Incertezas dos Sistemas Complexos Deficiência dos Sistemas de Gestão Falhas Latentes Gerencia geral: Projeto, planejamento, etc. Pré - Condições Gerencia de linha Atos Inseguros Operadores, equipes de manutenção, motoristas etc. Defesa do Sistema Disparadores locais, falhas técnicas, condições atípicas, condições ambientais, etc. Legislação deficiente Procedimentos Inadequados Formação inadequada/ Falta de Treinamento Informações Imprecisas Falta de Manutenção Modelo das Mdas Mdas Mdas Múúúúltiplas Causasltiplas Causasltiplas Causasltiplas Causas (James Reason) Evento Iniciador Acidente SGSMS
  17. 17. O Caminho para SMSO Caminho para SMSO Caminho para SMSO Caminho para SMS Quem conduzQuem conduzQuem conduzQuem conduz A Direção, osA Direção, osA Direção, osA Direção, os Gerentes/ Chefes e aGerentes/ Chefes e aGerentes/ Chefes e aGerentes/ Chefes e a LiderançaLiderançaLiderançaLiderança Para Deming: • 85 % dos problemas de uma empresa são resolvidos pelos seus gerentes; • apenas 15 % destes problemas podem ser resolvidos pelos seus empregados. • Um Sistema de Gestão eficaz podem em muito auxiliar estes gerentes.
  18. 18. CritCritCritCritéééérios para Gerenciamento da SMSrios para Gerenciamento da SMSrios para Gerenciamento da SMSrios para Gerenciamento da SMS (Medi(Medi(Medi(Mediçãçãçãção e Controle)o e Controle)o e Controle)o e Controle) • NNNNãããão se mede o que no se mede o que no se mede o que no se mede o que nãããão se define;o se define;o se define;o se define; • NNNNãããão se define o que no se define o que no se define o que no se define o que nãããão se entende;o se entende;o se entende;o se entende; • NNNNãããão se entende o que no se entende o que no se entende o que no se entende o que nãããão se gerencia;o se gerencia;o se gerencia;o se gerencia; • O sucessoO sucessoO sucessoO sucesso éééé funfunfunfunçãçãçãção do seu gerenciamento.o do seu gerenciamento.o do seu gerenciamento.o do seu gerenciamento.
  19. 19. Indicadores de Desempenho de SMSIndicadores de Desempenho de SMSIndicadores de Desempenho de SMSIndicadores de Desempenho de SMS Reativos Pró-Ativos Medições das conseqüências Perdas reais e Perdas potenciais • N. Acidentes, TF, TF2, TG, doenças ocupacionais, impactos ambientais, etc. Medições de Controle Controle dos padrões para evitar perdas • TP, PSA, PSORE, OPS, formações, auditores, etc.
  20. 20. • Inglaterra; • França; • Alemanha; • Itália; • Espanha; • etc. • Japão; • Tailândia; • China; • etc. • Brasil; • Chile; • Colômbia; • etc. • USA; • Canadá; • Porto Rico; • etc. VisãoVisãoVisãoVisão GlobalizadaGlobalizadaGlobalizadaGlobalizada O que esta sendo feitoO que esta sendo feitoO que esta sendo feitoO que esta sendo feito pelo Mundo aforapelo Mundo aforapelo Mundo aforapelo Mundo afora
  21. 21. Tempo A c i d e n t e s Etapa 1 Etapa 2 Planejamento para chegar ao Nível de Excelência Etapa 3 Excelência Sistemas de Gestão SMS Comunicação - Motivação Organização Cultura Limite da Perenidade Ação 1 Ação 3 Ação n Ação 7
  22. 22. Exemplo de um modeloExemplo de um modeloExemplo de um modeloExemplo de um modelo de Gestão de SMS quede Gestão de SMS quede Gestão de SMS quede Gestão de SMS que consolida diversosconsolida diversosconsolida diversosconsolida diversos Programas/ Sistemas eProgramas/ Sistemas eProgramas/ Sistemas eProgramas/ Sistemas e NormasNormasNormasNormas
  23. 23. MetodologiaMetodologiaMetodologiaMetodologia SG-SMS Sistemas de Gestões de MSS bem sucedidos CP/ DNV DUPONT AT Normas técnicas (Nacionais e Internacionais) API BS OHSMS OIT A-NZ PSM OHSAS18001 ISM ISO14001 Livros, revistas, artigos, teses, dissertações, etc...
  24. 24. MANUTENÇÃO NÍVEL 1 NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5 M E L H O R I A Sistema de Gestão de Segurança, Meio Ambiente e Saúde no Trabalho Padrões de: Utilização dos Equipamentos de Proteção Individual Padrões de: Documentação Padrões de: Entrevistas com Pessoas Padrões de: Condições Físicas das Instalações Controlar D A C P Planejar Desenvolver Atuar ISO 14001 e OHSAS 18001
  25. 25. Sistemas deSistemas deSistemas deSistemas de CertificaçãoCertificaçãoCertificaçãoCertificação Qualidade Meio Ambiente Responsabilidade Social Segurança e Saúde ATUAÇÃOATUAÇÃOATUAÇÃOATUAÇÃO RESPONSÁVELRESPONSÁVELRESPONSÁVELRESPONSÁVEL ISO - 9001/ 2008 ISO - 14001/ 2004 BS - 8800/ 1996 e OHSAS - 18001 / 2007 SGI SA - 8000/ 2000
  26. 26. Segunda EtapaSegunda EtapaSegunda EtapaSegunda Etapa Visão Específica Aplicada áVisão Específica Aplicada áVisão Específica Aplicada áVisão Específica Aplicada á Construção CivilConstrução CivilConstrução CivilConstrução Civil
  27. 27. Implantação de Segurança e SaúdeImplantação de Segurança e SaúdeImplantação de Segurança e SaúdeImplantação de Segurança e Saúde no Trabalho na Construção Civilno Trabalho na Construção Civilno Trabalho na Construção Civilno Trabalho na Construção Civil Definições ImportantesDefinições ImportantesDefinições ImportantesDefinições Importantes
  28. 28. PERIGO É uma situação ou condição que introduz um certo potencial para provocar perdas
  29. 29. RISCO É a avaliação do perigo,associando-se a probabilidade da ocorrência de um evento adverso e a gravidade das suas conseqüências
  30. 30. Acidente É o evento indesejável que causa perdas, ou seja, danos pessoais, danos materiais, danos ao meio ambiente, perdas no processo, perdas de produtos, etc.
  31. 31. Incidente (Quase acidente) É o evento indesejável que poderia causar uma perda
  32. 32. Anomalia É a situação anormal entre o observado e o esperado. Esta situação conjugada a um outro fato pode conduzir a um acidente ou incidente
  33. 33. Leis de Murphy Lei Básica : “Se alguma coisa pode dar errado para agravar determinada situação, dará.” Corolário : “ Se várias coisas devem dar errado para agravar um determinado contexto, considere seriamente esta hipótese”. « “ Deixadas a sua sorte, a tendência das coisas é piorar ”. « “ Toda solução cria novos problemas ”. « “ É impossível elaborar um procedimento a prova de erros. Os tolos são extremamente inventivos ”.
  34. 34. Grupo 1 Riscos Físicos Grupo 2 Riscos Químicos Grupo 3 Riscos Biológicos Grupo 4 Riscos Ergonômicos Grupo 5 Riscos de Acidentes Ruídos Vibrações Radiações Ionizantes Radiações Não Ionizantes Frio Calor Pressões Anormais Umidade Poeiras Fumos Névoas Neblinas Gases Vapores Substâncias, compostos ou produtos químicos em geral Vírus Bactérias Protozoários Fungos Parasitas Bacilos Esforço físico intenso Levantamento e transporte manual de peso exigência de postura inadequada Controle rígido de produtividade Imposição de ritmos excessivo trabalho em turno e noturno jornada de trabalho prolongada Monotonia e repetitividade Outras situações de “estress” físico e/ ou psíquico Arranjo físico Máquinas e equipamentos sem proteção Ferramentas inadequadas ou defeituosas Iluminação inadequada Eletricidade Probabilidade de incêndio ou explosão Armazenamento Inadequado Animais peçonhentos Outras situações de risco que poderão contribuir para ocorrência de acidentes Classificação dos Riscos Ocupacionais
  35. 35. Inspeções Planejadas. Reuniões de Grupo. Investigação e Analise de Acidentes/Incidentes. Pesquisa com funcionários. Etc. Identificar todas as fontes com potenciais de exposição a perdas Avaliar o risco Probabilidade da Ocorrência. Potencial da gravidade. Definir Padrões. Formar/ Treinar os Funcionários. Colocar em Operação. Medir o Desempenho. Avaliar o Progresso. Rever e Revisar. Desenvolver um plano Eliminar a exposição Terminar Tratar Atividade de controle de perdas/ segurança e saúde Tolerar Nível aceitável de risco Transferir Com seguro e sem seguro Implementar o plano Monitorar o plano Os objetivos de um sistema de gestão de controle de perdas com o enfoque em Segurança e Saúde no Trabalho
  36. 36. Classificar as atividades de trabalho Identificar os perigos Determinar os riscos Decidir se o risco é tolerável Preparar plano de ação para o controle dos riscos (se necessário) Analisar criticamente a adequação do plano de ação Passos básicos na Avaliação de Riscos Segurança e Saúde no Trabalho
  37. 37. Probabilidade Os riscos identificados devem ter sua probabilidade de ocorrência definida de acordo com as classes abaixo: Tipo Probabilidade de Ocorrência Código Baixa BÉ improvável que ocorra ao longo de um ano. Moderada É provável que ocorra ao menos uma vez ao ano. M Alta É provável que ocorra ao menos uma vez durante o mês. A
  38. 38. Potencial de Gravidade Descrição Gravidade Código Risco de acidente com dano pessoal temporário sem resultar em afastamento. Ex: Ferimentos superficiais, pequenos corte e contusões, irritação nos olhos, dores de cabeça, etc. Menor ME Risco de acidente com dano pessoal causando perda de tempo por incapacidade temporária (afastamento). Ex: Queimaduras, torções, lacerações, pequenas fraturas, asmas, dermatites, perda parcial da audição, disfunção dos membros superiores relacionados com o trabalho, etc. Sério SE Risco de acidente com morte ou lesão incapacitante. Dano pessoal causando perda de tempo por incapacidade. Ex: Amputação, fraturas importantes, ferimentos múltiplos, envenenamento, câncer ocupacional, outras doenças graves que diminuam a vida, etc. Maior MA Definida de acordo com as partes do corpo do empregado que podem ser afetadas e a natureza do dano como a lesão sofrida e o afastamento do trabalho.
  39. 39. Riscos de acidentes com dano pessoal temporário sem resultar em afastamento Riscos de acidentes com dano pessoal causando perda de tempo por incapacidade temporário (afastamento) Riscos de acidente com morte ou lesão incapacitante Menor Sério Maior É improvável que ocorra ao longo de um ano É provável que ocorra apenas uma vez ao ano. Moderada Baixa É provável que ocorra ao menos uma vez durante o mês. Alta 1 3 94 7 8 5 2 6 P P G
  40. 40. Matriz de Controle dos Riscos CLASSE NÍVEL DE RISCO OBSERVAÇÕES 1 PEQUENO Não é necessário nenhuma ação. 2 e 3 TOLERÁVEL Não são necessários controles adicionais aos existentes. Se houver alternativa de redução do risco a custo/ benefício favorável, esta pode ser considerada. 4 , 5 , 6 MODERADO Esforços devem ser direcionados para reduzir o risco. Custos devem ser cuidadosamente avaliados e limitados. 7 , 8 SUBSTANCIAL Não iniciar atividades planejadas até o risco ser reduzido. Tomar ações urgentes de redução do risco para atividades em curso. 9 INTOLERÁVEL Não continuar ou iniciar as atividades até a redução do risco
  41. 41. ANEXO I – Lista de Referência de Perigos do Trabalho 1.Sistemas elétricos energizados 2.Sistema mecânicos em movimento 3.Equipamentos hidráulicos ou pneumáticos pressurizados 4.Uso de ferramentas manuais, elétricas ou mecânicas 5.Organização, ordem e limpeza do local de trabalho 6.Acessos para entrada e saída do local de trabalho 7.Espaços abertos em pisos e canaletas que permitam quedas 8.Queda de objetos de estruturas elevadas 9.Incêndios e explosões 10.Armazenamento e empilhamento de materiais 11.Transbordamentos, vazamentos e perdas de produtos 12.Operação de equipamentos e veículos 13.Máquinas e equipamentos sem proteção 14.Substâncias perigosas 15.Fontes de ruído 16.Poeira, gases, vapores e fumos 17.Radiações (ionizantes e não ionizantes) 18.Material biológico 19.Partes móveis de equipamentos 20.Manuseio de materiais com uso de empilhadeiras e guindastes
  42. 42. 21.Manuseio de materiais cortantes, perfurantes e escoriantes 22.Superfícies aquecidas 23.Superfícies rotativas 24.Superfícies de piso escorregadias 25.Atividades monótonas e repetitivas 26.Postura de trabalho inadequada 27.Levantamento e transporte manual de cargas 28.Trabalho em espaços confinados 29.Níveis de iluminação deficientes 30.Trabalhos em altura 31.Trabalhos em escavações 32.Contato com animais peçonhentos 33.Temperaturas anormais 34.Jornada de trabalho prolongada 35.Ritmos excessivos 36.Trabalhos em demolições 37.Falta de sinalização 38.Falta de treinamento 39.Serviços a céu aberto 40.Operações de soldagem e corte a quente ANEXO I – Lista de Referência de Perigos do Trabalho
  43. 43. Subsídios á Implantação de Segurança e Saúde no Trabalho na Indústria da Construção Civil
  44. 44. • Introdução: Gestão da SST na Obra. • Documentações Exigidas Antes da Mobilização: 2.1. Ministério do Trabalho: - PCMAT; - PCMSO; - Comunicação Prévia; - Livro de Inspeção do Trabalho; - CNPJ
  45. 45. 2.2. CREA: • Art’s (Anotação de Responsabilidade Técnica). 3. Documentos de Funcionários 3.1. Procedimentos Iniciais - Comunicação Prévia a DRT - Documentação - 4. Registros de Equipamentos de Segurança/ Treinamento.
  46. 46. 5. Cintos de Segurança. 6. Uniformes e Equipamentos de Segurança. 7. Utilizações de Capacete de Proteção e Calçado de Segurança. 8. Compra de Equipamento de Segurança. 9. Exames médicos Ocupacionais. 10. Bloqueios de Máquinas. 11. Consolidação das Informações.
  47. 47. 12. Simplificação da NR – 18 Detalhamento 18.1. Objetivo e Campo de Aplicação 18.2. Comunicação prévia; 18.3. PCMAT 18.4. Áreas de Vivência; 18.5. Demolição; 18.6. Escavações, Fundações e Desmonte de Rochas;
  48. 48. 18.7. Carpintaria; 18.8. Armações de Aço; 18.9. Estruturas de Concreto; 18.10. Estruturas Metálicas; 18.11. Operações de Soldagem e Corte á Quente; 18.12. Escada, Rampas e Passarelas; 18.13. Medidas de Proteção Contra Quedas de Altura;
  49. 49. 18.14. Movimentação e Transporte de Materiais e Pessoas; 18.15. Andaimes; 18.16. Cabos de Aço e Cabos de Fibra Sintética; 18.17. Alvenaria, Revestimento e Acabamentos. 18.18. Serviços em Telhados 18.19. Serviços em Flutuantes; 18.20. Locais Confinados;
  50. 50. 18.21. Instalações Elétricas; 18.22. Máquinas, Equipamentos e Ferramentas Diversas; 18.23. Equipamentos de Proteção Individual (EPI); 18.24. Armazenagem e Estocagem de Materiais; 18.25. Transporte de Trabalhadores em Veículos Automotores; 18.26. Proteção Contra Incêndio; 18.27. Sinalização de Segurança;
  51. 51. 18.28. Treinamento; 18.29. Ordem e Limpeza; 18.30. Tapumes e Galerias; 18.31. Acidente Fatal; 18.32. Dados Estatísticos; 18.33. CIPA; 18.34. Comitês Permanentes sobre Condições de Meio Ambiente do Trabalho da Construção;
  52. 52. 13. Normas Regulamentadoras aplicada a Construção Civil (Resumo) - NRs 1 à 5 - NR 6 – Equipamentos de Proteção Individual - NR 7 – Exames Médicos - NR 8 – Edificações - NR 9 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais; - NRs 10 à 14; - NR 15 – Atividades e Operações Insalubres; - NR 16 – Atividades e Operações Perigosas - NRs 17 à 22; - NR 23 – Proteção Contra Incêndios; - NRs 24 à 25; - NR 26 – Sinalização de Segurança - NRs 27 à 33.
  53. 53. 14. Ordens de Serviços Aplicadas a Construção Civil 15. Equipamentos Específicos de Obra Civil; 16. Permissão para Trabalho.
  54. 54. Segurança,Segurança,Segurança,Segurança, Meio AmbienteMeio AmbienteMeio AmbienteMeio Ambiente e Saúde (SMS)e Saúde (SMS)e Saúde (SMS)e Saúde (SMS) PLANTE ESTA SEMENTEPLANTE ESTA SEMENTEPLANTE ESTA SEMENTEPLANTE ESTA SEMENTE

×