Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Setembro de 2017

70 views

Published on

Edição de Setembro de 2017 do Jornal Folha de São Pedro, o Jornal da Paróquia de São Pedro

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Setembro de 2017

  1. 1. NãopodemospermitirqueaPala- vra de Deus – que é viva e eficaz – seja recebida por nós e não realize nenhuma mudança, nenhuma trans- formação; que a sua leitura seja cada dia mais mecânica, carente de signi- ficado ou sentido para a vida atual, porque isso significaria contradizer o que ela nos indica, o que nos recor- daapassagembíblicano livrodo pro- fetaIsaías,quandonos dizqueaPala- vra de Deus não passa sem deixar umsinaldemudança(Is 55, 10-11). A Palavra de Deus passa surpre- endentemente pelas nossas vidas e gera em cada pessoa um questiona- mento sobre os projetos que possuí- mos e sobre tudo o que planejamos. Na Bíblia, é o próprio Deus quem nos fala para nos motivar, para nos despertar, para nos levar à ação, des- pertar aquele soldado que há em cada um, disposto e pronto para a batalha. No entanto, é todo um desa- fio afastar-nos do barulho, do ruído domundo,paraescutaronosso Cria- dor. Este é o convite que a Palavra de Deus nos faz, um momento em que Deus nos ama e nos deixamos amar por Ele. Não há nada que não possa encontrar resposta na Palavra de Deus. Nela encontramos a potência transformadora que tem a capacida- de de mudar nossas vidas. A Palavra de Deus é o alimento essencial e ver- dadeiro que, ao saborearmos, deixa- nos apaixonadospelavida,pelafamí- lia, pelas pessoas e pelo próprio Deus. A força da Palavra de Deus em nossa vida pode mudar nossa histó- ria e nos impelir para transformar- mos este mundo que é fortemente marcado pelo pecado. Com a força dessa Palavra podemos recapitular aquilo que o pecado destruiu e cons- truirumnovo céu,umnovomundo! APalavra de Deus tem importân- cia fundamental também na família. Os pais, que, desde muito cedo ensi- nam aos seus filhos os mandamentos de Deus, é certo que um dia colherão os frutos da eficácia de seus ensina- mentos quando forem inseridos na sociedade. É no lar cristão que os filhos recebem o primeiro anúncio da fé.Aleitura e o estudo da Sagrada Escritura são alimento que fortalece paraumavidacristãsólida. Em 2008, no 12.º Sínodo dos Bis- pos no Vaticano, foi lançado o docu- mento: “APalavra de Deus na vida e na missão da Igreja”. O documento fala que “a Igreja, como comunidade dos crentes, é convocada pela Pala- vra de Deus. Ela é o âmbito privile- giado em que seus membros encon- tram Deus que continua a falar na liturgia,naoração,noserviçodacari- dade. Por meio da Palavra celebra- da, de modo especial na Eucaristia, os fiéis se inserem cada vez mais na Igreja comunhão, que tem a sua ori- gem na Trindade, mistério da comu- nhãoinfinita”. Para este ano, a CNBB escolheu para estudo do Mês da Bíblia a Pri- meira Carta de São Paulo aos Tessa- lonicenses, com o tema: “Anunciar o Evangelho e doar a própria vida” e como lema: “Para que n'Ele nossos povos tenhamvida”. Convoco você, paroquiano, lei- tor do Folha de São Pedro, que parti- cipe ativamente desse estudo na comunidade. Meu abraço de pároco, desejando-lhe um frutuoso mês da Bíblia. Padre Aderbal Galvão de Sousa No Mês da Bíblia, aprofunde sua fé refletindo sobre a Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses. Páginas 4 e 5 Yvette Amaral adverte que, com nossos pecados, estamos dilapidando o mundo, a preciosa herança que Deus nos deixou. Na página 8, continue relembrando fatos importantes registrados pelo Folha de São Pedro nos seus 25 anos de trajetória
  2. 2. O nascimento de Maria é uma festa litúrgica antiga que teve origem no Oriente, em Jerusalém, por volta do século V. A partir do Concílio de Trento (século XVI), passou a ser celebrada pelos cristãos católicos no dia 8 de setembro. Segundo a tradição, seu nasci- mento foi uma resposta de Deus às preces de seus pais Joaquim eAna, que eram estéreis e velhos quando ela nasceu. De seus pais Maria recebeu o nome de Miriam, que em hebraico significa Senhora da Luz. Essa sua relação com a luz é ressaltada na liturgia do dia 8 de setembro: Se Jesus é o 'Sol da Justiça' e a 'Luz do Mundo', ela, a mãe do Deus humanado, é, com todarazão,aaurora,aestrelaqueprecede. É conhecida de todos nós a invocação 'Imaculada Conceição'. Essa expressão, referente unicamente a Maria, significa que ela nasceu sem o Pecado Origi- nal. Mas o que é mesmo o Pecado Original? Ele é assim chamado por- que está na origem do gênero humano. Nos- sos primeiros pais, representados pelo casal Adão e Eva, foram criados sem pecado. Dotados, porém, de inteligên- cia, vontade e liberda- de, usaram os dons recebidos do Criador para, numa atitude de orgulho, insubmissão e autossuficiência, dizerem não a Deus e se afastarem d'Aquele que os criou como filhos, à sua imagem e semelhança. Esse pecado contaminou e manchou toda a raça humana de modo que todos nós, sem exceção, o herdamos. Que fique bem claro que não herdamos a condenação merecidapor nossos primeirospais.Herdamosopeca- do cometido por eles, pecado esse que pode ser defi- nido como “a tendência para o mal, para a inimizade como Deus”. É nesse sentido que São Paulo afirma que“todostemospecado”.(Rm5,19). Mesmo pecadores, o Pai bondoso e misericordio- so continua amando-nos e não nos quer como inimi- gos, mas como filhos. Para reatar definitivamente a aliança da humanidade com Deus, Seu Filho e Segun- da Pessoa da SantíssimaTrindade assumiu a condição humana, fez-se um de nós e oferece-nos através de sua Igreja o Sacramento do Batismo: “Ide pelo mundo e batizai todas as criaturas em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. No batismo, pelos méritos do sacrifício redentor de Cristo Jesus, nós somos libertados do pecado original, configurados a Jesus Cristo, e nos tornamos propriedade de Deus e seus filhosporadoção. Assim como qualquer um de nós, Maria também precisou ser libertada do pecado original. Diferente- mente,porém,detodoser humanoqueprecisaser bati- zado para ser resgatado, ela foi preservada do pecado original, por antecipação, já no instante da concep- ção. E não poderia ser diferente. Se Deus foi tão cui- dadoso e detalhista na construção da Arca da Aliança queguardavaasTábuasdepedradaLeidoAntigoTes- tamento (Cf. Dt 10,1-2), ordenando fazer a Arca de madeira de acácia e ouro (materiais mais caros e nobres da época), mais cuidadoso com certeza seria Elenaescolhadaquelaque,conformeseu planodesal- vação para a humanidade, abrigaria no ventre o Filho de Deus, Lhe daria o sangue e a carne e O amamenta- riacomseu leite. Não são poucos os que hoje ainda pergun- tam:Por queDeus esco- lheu Maria e não outra mulher? A resposta é a própria Maria que nos dá no Magnificat: “Ele olhou para a humildade desua serva”.Peçoaten- çãoparaessas duas pala- vras: humildade e ser- va. A palavra humilda- de vem de húmus e sig- nifica 'filhos da terra'. Humilde não é sinônimo de pobreza material nem de baixa autoestima. Humilde é quem tem os pés no chão, quem é capaz de reconhecer sua condição de criatura, quem não esconde seus talentos, mas é nobre o suficiente para renunciar aos seus sonhos em favor do próximo. Serva, segundo o 'Aurélio', é a pessoa que aceita ser completamente submissa e dependente de outrem.Assim era a jovenzinha de Nazaré, a meni- na que era toda de Deus e por isso foi escolhida para mãe de Seu Filho. Ao contrário de nossos primeiros pais que também foram criados sem pecado, mas na sua liberdade disseram não a Deus, Maria colocou-se inteiramente à Sua disposição: “Eis aqui a serva do Senhor, faça-seemmimsegundo asua vontade”. Como, pois, não cantar louvores à mãe de Deus e nossa no dia do seu aniversário? Como não celebrar com alegria o nascimento de Nossa Senhora se depois do nascimento de Jesus nenhum outro foi mais impor- tante e determinante para a felicidade da raça humana queo nascimentodela? Zélia Vianna zelia.vianna@yahoo.com.br
  3. 3. SEMANA DA PÁTRIA De 1.º a 7 de setembro, acontece a Semana da Pátria. A CNBB convoca todas as comunidades, paróquias e dioceses para que realizem, nessa semana, uma Jornada de Oração pelo Brasil, e que o dia 7, dia da Pátria, seja um diadejejumeoraçãopelonosso País. RETIRO BÍBLICO No dia 2 de setembro, será realizado o Retiro Bíblico da nossa comunidade, das 8h30 às 11h30, na Igreja Nossa SenhoradaConceiçãodaLapa. FERIADO DO DIA DA PÁTRIA No feriado do dia da Pátria, 7 de setembro, as igrejas de São Pedro, Senhor Bom Jesus dosAflitos, Nossa Senhora do Rosário e Nossa Senhora da Conceição da Lapa estarão fechadas. DIA DE MARIA MENINA Dia 8 de setembro, festa da Natividade de Nossa Senhora, missa às 7h, 8h, 10h, 12h, 15h, 17h e 18h, na Igreja de São Pedro. PARABÉNS A DOM GILSON Dia 11 de setembro, aniversário de nascimento, e no dia 24 de setembro, aniversário de ordenação episcopal do Bispo Auxiliar da nossa Arquidiocese, Dom Gilson Andrade. FESTA DA EXALTAÇÃO DA SANTA CRUZ Dia 14 de setembro, missa às 7h, 8h, 10h, 12h, 15h, 17h e 18h,naIgrejadeSãoPedro. FESTA DE NOSSA SENHORA DAS DORES Dia 15 de setembro, missa às 7h, 8h, 10h, 12h, 15h, 17h e 18h,naIgrejadeSãoPedro. PREPARAÇÃO PARA O BATISMO DE CRIANÇAS Dia 16 de setembro, acontece a preparação de pais e padrinhos para o batismo de crianças, das 14h às 18h, na IgrejaNossa SenhoradaConceiçãodaLapa. BATISMO DE CRIANÇAS Dias 3 e 17 de setembro, batismo de crianças às 8h30, na IgrejadeSão Pedro. MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS PELOS DOADORES DO BAZAR Dia 17 de setembro, missa às 7h30, 9h30 e 11h30, na IgrejadeSão Pedro. PARABÉNS A DOM MURILO Dia 19 de setembro, aniversário de nascimento do nosso Arcebispo,DomMuriloKrieger. NOVENA DE SANTA TERESINHA De 22 a 30 de setembro, acontece a novena de Santa Teresinha do Menino Jesus da Sagrada Face, às 11h e às 16h,naIgrejadeSãoPedro. MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS PELOS DIZIMISTAS DA PARÓQUIA Dia 24 de setembro, missa às 7h30, 9h30 e 11h30, na IgrejadeSão Pedro. DIA DO BEM-AVENTURADO PAULO VI Dia 26 de setembro, missa às 7h, 8h, 10h, 12h, 15h, 17h e 18h,naIgrejadeSãoPedro. DIA DOS ARCANJOS SÃO MIGUEL, SÃO RAFAEL E SÃO GABRIEL Dia 29 de setembro, missa às 7h, 8h, 10h, 12h, 15h, 17h e 18h,naIgrejadeSãoPedro. PARABÉNS A PADRE ADERBAL Dia 30 de setembro, aniversário de nascimento do nosso pároco, padreAderbal Galvão de Sousa. Missa em ação de graças às 17h, na Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa. DIA DE SÃO JERÔNIMO E DIA DA BÍBLIA Dia 30 de setembro, missa às 8h, 10h, 12h, 15h e 17h, na IgrejadeSão Pedro. FESTA DE SANTA TERESINHA Dia 1.º de outubro, missa às 7h30, 9h30 e 11h30, na Igreja deSão Pedro. ESCOLA DE MARIA Todos os sábados, das 9h às 11h, na Igreja Nossa Senhora daConceiçãodaLapa.
  4. 4. INTRODUÇÃO Conforme acontece desde 1971, a Conferência Nacio- nal dos Bispos do Brasil (CNBB) indica para o mês da Bíblia um livro ou tema bíblico para estudo e aprofunda- mento da fé. Para este ano, a CNBB, unida a outras insti- tuiçõesbíblicaseàluzdoDocumentodeAparecida,esco- lheu a 'Primeira Carta aos Tessalonicenses', tendo como tema 'Para que n'Ele nossos povos tenham vida' e lema 'Anunciaro Evangelhoedoaraprópriavida'(cf.1Ts 2,8). Os primeiros cristãos continuaram frequentando o templo, seguindo os ritos religiosos, principalmente a circuncisão, e considerando-se herdeiros das promessas do Deus de Abraão, Isaac e Jacó. Para Paulo, contudo, eles eram traidores do judaísmo (da Lei de Moisés e da Pátria) e por isso precisavam ser dizimados. Pede, então, ao sumo-sacerdote autorização para as sinagogas de Damasco a fim de levar presos para Jerusalém todos os judeus – homens, mulheres e crianças – seguidores de Jesus. Mas o encontro com Jesus mudou inteiramente sua vida. Após a conversão, Paulo não foi para Jerusalém onde estavam os apóstolos. Ele foi para a Arábia e lá passou cerca de três anos, “fazendo um seminário intensivo com o próprio Jesus” (Gl 1, 11-12), como ele escreve na carta aos gálatas. Na Arábia estuda cuidadosamente o Antigo Testamento e descobre que Jesus é, de fato, o Messias prometido. Volta para Damasco, vai para Jerusalém onde é rejeitado, é levado para Cesareia e de lá vai para Tarso. Ficou muitos anos em Tarso, no anonimato, até que Bar- nabévaibuscá-loparalevá-locomeleparaAntioquia. AUTOR DA CARTA O autor da carta é Paulo, servo e apóstolo de Jesus Cristo (Rm 1,1). Ele se apresenta como hebreu, filho de hebreus, da raça de Israel, da tribo de Benjamim, circun- cidado ao oitavo dia e fariseu (Fl 3,5). Paulo nasceu em Tarso, porém estudou em Jerusalém, na escola do ilustre rabino Gamaliel. Era um homem culto, falava vários idio- mas e era um profundo conhecedor da Torá. Era um ferre- nhodefensordaLeideMoisés. MOTIVAÇÃO Foi nasegundaviagemmissionária,por voltados anos 49-50, que Paulo, acompanhado de Silas, chegou aTessa- lônica, na Grécia, uma cidade portuária desenvolvida e próspera.APrimeira Carta aos tessalonicenses foi escrita em Corinto, entre os anos 50 e 51, em grego popular. O objetivo da carta era organizar a comunidade para ela poder enfrentar as dificuldades que eram muitas: perse- guições dos que não aceitavam a pregação de Paulo e atrapalhavamaevangelização,discursos filosóficosbase- ados apenas na racionalidade, ambiente hostil permeado de teorias apocalípticas, mitos e falsas ideias de felicida- de. Era desejo de Paulo visitar novamente a comunidade, mas, não sendo possível, enviou Timóteo em seu lugar.A pregação encontrou dificuldades, mas foi produtiva, comoinformouTimóteo. PRINCIPAL FINALIDADE DA CARTA Os cristãos convertidos de Tessalônica eram de ori- gem judaica, grega, profissionais itinerantes (viajantes) e comerciantes vindos da Itália e da Ásia Menor. Era uma cidade cosmopolita, politeísta, marcada pela mitologia de outrospovos epelasoposiçõesdos judeus. A principal finalidade era confirmar e exortar os cris- tãos a respeito da fé (1Ts 3,2): fé operosa, caridade labori- osa e esperança constante. Virtudes teologais recebidas de Deus no Batismo: Fé, Esperança e Caridade. Pela Fé, nós aderimos a Deus e a tudo que Ele revelou. Pela Espe- rança, nós jamais desanimamos. Pela Caridade, nós ama- mosaDeus no irmão.
  5. 5. ESTRUTURA DA PRIMEIRA CARTA ACarta tem cinco capítulos e pode ser subdividida em quatropartes: Primeira parte: cabeçalho, saudação e ação de gra- çaspelacomunidadedeTessalônica(1,1-10). A ação de graças (1,2-10) que Paulo eleva a Deus é motivada pelas obras que os tessalonicenses estão reali- zando na fé, pelo trabalho que é fruto da caridade e pela constância que os faz viver na esperança de Jesus Cristo, oSenhordaIgreja. Segunda parte: encorajamento diante das dificulda- desinerentesàvidacristã(2,1-4,12). Depois de falar sobre as dificuldades que ele mesmo enfrentou, Paulo diz aos tessalonicenses que a grandeza do verdadeiro apóstolo está na doação motivada pelo amor àqueles que “pode gerar e alimentar como uma mãe faz com seus filhinhos”. Paulo recorda o seu trabalho e a luta que enfrentou para cultivar a fé dos fiéis de Tessalô- nica, e fala do amor que está pronto a dar a própria vida pelosamados. Terceira parte: Instruções sobre a vinda gloriosa de Jesus Cristo(parusia)eodestinodos mortos(4,13-5,11). Paulo insiste naquilo que foi assunto da sua catequese: a parusia. Ele aponta para a importância de permanecer vigilante e esperar Jesus Cristo que virá como juiz. Lem- bra aos tessalonicenses a importância de “caminhar de maneira digna diante de Deus que o chamou ao seu Reino e à sua Glória”. Falando sobre a tristeza causada pela morte dos irmãos, ele também recorda que ressuscitare- mos como Jesus ressuscitou e por isso devemos encarar a mortecomesperança. Quartaparte:Exortaçõesebênçãofinal(5,12-18). Paulo exorta a obediência às pessoas que exercem a missão de comandar, pois é em nome do Senhor que o fazem. Pede que animem os mais fracos, que pratiquem a correção fraterna e nunca retribuam o mal com o mal. O apóstolo termina proclamando que vive a vida cristã em plenitude aquele que está em união com aTrindade Santa. Afirma que o Deus que nos chamou é um Deus fiel e cum- pre tudo o que promete. Paulo considera tão importante a sua carta que suplica, em nome do Senhor, que seja lida na AssembleiaLitúrgica. ASPECTOS TEOLÓGICOS DEUS PAI – Deus que é Pai, que é Deus vivo e verda- deiro, que é fonte de ação de graças, que é digno de confi- ança, que vê, sonda e conhece o coração humano, não nos destinou ao castigo, mas à salvação. Por isso Ele tem um plano de salvação para a humanidade. Esse plano passa pelo caminho da santidade e convoca a comunidade para, a partir da fé em Jesus Cristo e ajuda do Espírito Santo, participardeSeuReinoedeSuaGlória. JESUS CRISTO – A carta tem como centro a pessoa de Jesus Cristo. O primeiro querigma, isso é, o primeiro anúncio escrito sobre Jesus Cristo, é feito por Paulo nessa carta, vez que ela é o primeiro documento escrito do NovoTestamento. ESPÍRITO SANTO – Para Paulo, o Espírito Santo é dom de Deus, fonte de alegria para os cristãos, revelador da Palavra salvífica e libertadora. É o Espírito Santo que ajuda na prática da caridade e congrega os irmãos na comunidade. COMUNIDADE CRISTÃ – Entre aflições e dificul- dades, os tessalonicenses acolheram a Palavra e seguiram os exemplosdePaulo.Acomunidadetornou-seummode- lo para outros cristãos com seu testemunho de amor e de fé, procurando cultivar a santidade do corpo, o bem comum, o conforto aos desanimados, o cuidado com os fracos, a paciência com todos, vivendo do próprio traba- lho e corrigindo os indisciplinados, Por ter como núcleo central a pessoa de Jesus Cristo, essa carta é considerada um autêntico Evangelho, ou seja, uma carta que anuncia a única e verdadeira boa nova: Jesus Crucificado é o Messi- aseoSenhorRessuscitado. BAZAR DA SOLIDARIEDADE A nossa Paróquia mantém três espaços com o Bazar da Solidariedade, que são frutos de doações de roupas, sapatos, objetos de decoração, móveis e utensílios domésticos em bom uso que são postos à venda com o objetivo de ajudar no trabalho social que a paróquia desenvolve. Faça uma arrumação na sua casa, no seu guarda-roupa! Doe o que você não precisa mais para o nosso Bazar! Visite os espaços do Bazar da Solidariedade, onde também podem ser feitas as doações. Informações pelo telefone: 2137-8666
  6. 6. 01-ALÍRIO CONCEIÇÃO SANTOS 01-ANDRÉA NASCIMENTO DA SILVA 01-CÉLIA PEREIRA GONÇALVES 01-EDVALDO GOMES ANDRADE 01-M.ª ALCINA CORREIA PIPOLO 02-CACILDA MOURA BARBOSA 02-EULINA DE CARVALHO 02-SÔNIA MARIA NEGREIROS PEDRÃO 03-DARCI BARRETO DE FARIAS 03-FERNANDA MOTA DE OLIVEIRA 03-IVANA LOPES DA SILVA 03-JURACY PACHECO GUERREIRO 03-LUSHANHYA COUTINHO 03-M.ª AURISTELA SANTIAGO LIMA 05-ANTÔNIO ANTONEI DE CASTRO 05-ITAIR MELO DE OLIVEIRA 05-LEILA TATIANA BATISTA FREITAS 07-ANA CARLA OLIVEIRA RIBEIRO 07-FRANCISCO LUIZ M. BARRETO PEREIRA 07-M.ª DO CARMO ABBUD 07-M.ª TRINDADE DAS MERCÊS SODRÉ 07-WELTON LEFFUNDES TOMÉ 08-DIVA PINHEIRO IGLESIAS 08-LEILA NATIVIDADE SOUZA OLIVEIRA 08-Mª APARECIDA PADRE BORGES 08-NILZA BATISTA DOS SANTOS 08-ROSILDAALVES SANTOS 08-VIVIANE PINTO CALDAS 08-ZILDA PEREIRA DOS SANTOS 09-CÉLIA MARIA PEDREIRA 09-DJALMIRA MARIA DOS SANTOS 09-GABRIELA MARIA DOS SANTOS 09-IRACEMAAZEVEDO DOS SANTOS 09-NÉLIA PIRES FREITAS 10-ANA MARIA DE SÁ OLIVEIRA SOUZA 10-EDNA LIMA DA HORA 10-M.ª AFRA SAMPAIO DOS SANTOS 10-NADIR OLIVEIRA KELLER 12-EULINA SILVA DE MATOS 12-IGOR FERREIRA DA SILVA 12-LUIZA BORGES DOS SANTOS 13-ANTONINA M.ª AMARO DOS SANTOS 13-CELITA ROCHA DA SILVA 13-EDITE BRAGA OLIVEIRA 13-FRANCISCA M.ª DE S. FERREIRA 13-MARIA CLARA S. DA CONCEIÇÃO 13-MARLENE ALVES DE ANDRADE 13-PAULO ANTÔNIO OLIVEIRA SILVA 13-VÊDA MARIA DE CARVALHO 15-ELY CIDREIRA PEIXOTO 15-JANDNIR DA ROCHA CAMPOS 15-MIRACI ARIANA BRITO 16-EDITE FERREIRA DOS SANTOS 16-EDITE MOURA SANTOS 16-TÂNIA MARIA DOS SANTOS 16-WILSON RABELLO CAMPOS 17-ANTÔNIO FERREIRA QUEIROZ 17-MARLENE COUTINHO DOS REIS 17-VERA LÚCIA SANTOS PIMENTEL 18-GUSTAVO SILVA DE ALMEIDA 18-INÊS DENISE MOURA FREIRE 18-Mª EDUARDA DE JESUS SANTOS 18-WITOR FERNANDES URRUTIGARAY 19-AILTON SANTANA FERREIRA 19-DOMINGAS BARBOSA DOS SANTOS 19-ELENILDES NUNES BADARÓ 19-JOSÉ NUNES BRITO 19-VANDA BASTOS DOS SANTOS 20-DILMA REIS SOUZA MELLO 20-DINALVA OLIVEIRA DE SOUZA 20-EDILZA MARIA NERIS DOS SANTOS 20-LEILA FERNANDA SANTANA SILVA 21-ANTONIO DO NASCIMENTO LIMA 21-DINALVA DE JESUS SOUZA 22-ADEMILTON ALVES DE SOUZA 22-FARAILDES CÂNDIDA DE SANTANA 22-LAÍS LIMA LEITE GUERREIRO 22-MARCELO MEIRELES LIGUORI 22-TERESA DANTAS SOUZA 22-YVONISE MARTINS DA HORA 23-ANAAMÉLIA FERREIRA DE SOUZA 23-DEJAVAN CRISPIM DAS M. SODRÉ 23-KÁTIA REGINA LOPES DE MORAES 23-M.ª THEREZA SOUTO MAIA SANTOS 24-EDMILSON AMORIM DE JESUS 24-EUDETH MELO DOS SANTOS 24-MARGARIDA MACHADO CARDOSO 24-MERCÊS TEIXEIRA DE CARVALHO 24-SULAMITA M. BARRETO PEREIRA 25-AMARILDA F.MARTINS DE OLIVEIRA 25-FLORISVALDA R. DO SACRAMENTO 25-JUDITH GONÇALINHO P. FONSECA 25-LÍCIA MARIA DE OLIVEIRA BAHIA 25-PEDRO PINHEIRO DE SOUZA 26-ADMILDE FONSECA BRAGA 26-CAMEN ADELAIDE FERREIRA SILVA 26-CARLINDA PURIFICAÇÃO DOS SANTOS 26-JACIRA DO NASCIMENTO GOMES 26-JOACE FELISMINA EÇA VIDAL 26-LOURDES VIEIRA PASSINHO 26-NEY MENEZES DE OLIVEIRA 27-ALBERTO COSME DE SOUZA 27-CARMÉLIA REGINA DE MATTOS 27-COSME JOSÉ BISPO DE MENEZES 27-MANELICE REIS DOS SANTOS 28-ANA MARIA PIRES BOAVENTURA 28-JOSÉ SOUZA IGLESIAS 28-JOSEFA MARIA SANTOS MARQUES 29-ALANA RIBEIRO REIS 29-AMENAIDE DIAS REBELO 29-EDNA DA SILVA MAURÍCIO 29-VANDA OLIVEIRA SANTOS 30-DINALVAALICE DOS SANTOS 30-JÚLIO ANDRÉ F. BARBOSA DE SOUZA 30-M.ª LEIDE BRITO SILVA 30-PE. ADERBAL GALVÃO DE SOUSA 30-ROBERVAL JOSÉ DA SILVA 30-TEREZINHA MAGALHÃES SANTANA 30-VALDELICE DO AMOR DIVINO SOUTO A você, meu irmão, minha irmã, que assume esta Paróquia como dizimista e se compromete com o trabalho pastoral, parabéns! Como presente do seu aniversário, a comunidade paroquial estará unida a você, seus amigos e familiares, nesse dia tão especial, para celebrar esta data. Venha participar, nesse dia, da Santa Missa, às 8h, na Igreja de São Pedro. Caso a data seja no Domingo ou Dia Santo, a missa começa às 7h30. PARÓQUIA DE SÃO PEDRO MOVIMENTO FINANCEIRO JULHO/2017 RECEITAS Espórtulas de missas ............................... 7.059,00 Espórtulas de batizados .............................. 440,00 Espórtulas de matrimônios .......................... 415,00 Dízimos .................................................. 42.177,70 Coletas ordinárias .................................. 8.224,88 Òbulo de São Pedro ................................ 1.195,00 Taxas de certidões ...................................... 245,00 Donativos ............................................... 1.000,00 Rendimento do bazar ............................. 7.292,00 Rendimento do restaurante .................... 7.136,66 Aluguéis ................................................ 1.200,00 Rendimento de aplicações bancárias ..... 893,42 TOTAL ............................................... 77.778,66 DESPESAS Manutenção e conservação .................. 9.453,02 Material litúrgico ...................................... 989,30 Promoção humana/formação ...................1.530,00 Ajuda pastoral a moradores de rua .......... 1.000,00 Ajuda pastoral a mulheres marginalizadas 937,00 Ajuda social ............................................. 3.537,00 Salários ....................................... 18.094,54 Vale refeição ......................................... 8.266,53 Vale transporte ......................................... 2.361,60 Encargos sociais ......................... 12.798,27 Côngrua ao pároco ....................... 3.000,00 Material de informática ............................ 100,00 Correios .................................................. 1.113,75 Água, energia e telefonia ......................... 2.599,21 Serviços contábeis ................................... 310,31 Tarifa bancária ...............................................72,90 Taxa do programa SGCP ....................... 110,50 Repasse de taxa à Cúria ........................ 5.009,17 Repasse do óbulo de S. Pedro ............. 1.195,00 TOTAL ............................................. 72.478,10 SALDO DO MÊS 5.300,56 Um coração que recebe gratuitamente dons e presentes do Criador, movido por tal desdobrar de amor do Pai, é capaz de dar aquilo que de graça recebe. SEJA DIZIMISTA INSCREVA-SE NA SECRETARIA PAROQUIAL
  7. 7. O Brasil se encontra moribundo numa UTI. “Está des- cendo a ladeira” como cantou Moraes Moreira. Metro a metro, avança no abismo onde entrou. O brasileiro está cansado,esgotadoedefinhasua esperança. Sai Dilma, entra Temer. A Lava-Jato auxiliada pelas delações dos já denunciados, descobre mais tumores no organismo fragilizado. Protestos ontem, passeatas hoje, e caminhamos para um futuro imprevisível. Uma verdade, porém, continua: não podemos retroceder. Carecemos de uma proposta política estimulada pelo horizonte da paz. De um lado, percebemos fome, precariedade dos serviços públicos, desemprego que incentiva a informalidade; do outro, a revolta contra o descalabro politico e moral das lideranças, a falta de ética nos relacionamentos humanos. Quaseno augedodesespero,muitosjágritam: “Até quando, Senhor, vamos suportar tantas dores? O pesodascruzesnãonos deixalevantaracabeça”. O Senhorrespondecomcompreensãoepaciência: –Atéquandovocêsquiserem. Aexpressão é dura, mas é verdadeira. Não é certo inter- pelar Deus pelos erros humanos. A partir do oitavo dia da Criação, somos os responsáveis por tudo que ocorre na ter- ra. Ela nos foi confiada pelo Criador para tomarmos conta dela. Seu Filho Jesus esteve 33 anos morando aqui, em nossa casa comum (CF/2017), e ensinou-nos o caminho a ser percorrido pela história. Não O acolhemos nem procu- ramos viver dentro da maquete que nos foi apresentada. O saldo da infidelidadeà nossa vocaçãoestá nesse cenáriode doresedesalentos. Dividimos mal, e com muita injustiça, os bens que nos foram dados. Não soubemos cumprir as nossas obrigações dentro das coordenadas sugeridas por Ele. Dividimos injustamenteos dons do mundoepreferimosos pecadosàs virtudes. Enchemos de rabiscos e rasuras seu mapa social e agora O interpelamos, como se fosse Ele o autor de tan- tos desvarios.Aculpa é nossa que desprezamos seus ensi- namentosenãoescutamossua Palavra. É lamentável a situação em que nos encontramos. Na verdade, dilapidamos a sua preciosa herança paterna. Deus usou de sabedoria ao criar o mundo, e nós completa- mos seu sonho de paz e amor, procurando os nossos inte- resses pessoais, sem nenhum compromisso com o irmão e a comunidade. Tudo foi bem organizado e bem distribuí- do, dentro da perspectiva da nossa felicidade. Mas fomos indóceis e não soubemos usar com discernimento a nossa liberdade. Seria bom que voltássemos à fonte, que é a Palavra de Deus. Estamos no mês da Bíblia, que nos convoca a uma reflexão mais profunda das lições que ela nos aponta e questionemos, sim, até quando resistimos à sua pedago- gia. “Só Tu tens palavras de vida eterna”, disse Pedro ao Mestre. Só vivenciando seus ensinamentos, despontará o dia da reconciliação universal e da paz que Ele deseja para todos os seus filhos indistintamente. Resistimos ao seu plano e não temos direito de fazer tal pergunta: Até quan- do, Senhor?Atéquandonós quisermos. Yvette Amaral yvettealemosmaral@gmail.com Os anti-inflamatórios são medicamentos usados em larga escala pela população em geral e, muitas vezes, como automedicação. Eles são classificados em dois gru- pos: os anti-inflamatórios hormonais, também chamados de corticoides, e os não-hormonais, por exemplo, ibupro- feno, fenilbutazona, coxibs, ácido mefenâmico, nimesuli- da, diclofenaco, piroxicam, AAS, etc. Os dois grupos de anti-inflamatórios são usados tanto em doenças agudas comocrônicas,deacordocomavaliaçãomédica. Eles são metabolizados pelo fígado e excretados pelos rins. Muitos efeitos adversos ocorrem com o seu uso crô- nico, dentre eles: aumento da glicose no sangue, aumento da pressão arterial, inchações no corpo, anemia, lesão renal e do fígado, urticária, queda de cabelo, dor de cabe- ça. O risco de sangramento digestivo aumenta significati- vamente com o uso crônico dos anti-inflamatórios devido àlesãodamucosaquerevesteo estômagoeoduodeno. O uso de anti-inflamatórios interfere com outros medi- camentos, tais como: remédios para diabetes e hiperten- são arterial, antibióticos, anticoagulantes e anticonvulsi- vantes. Quando seu uso prolongado se fizer necessário, é recomendado que sejam dosadas as enzimas do fígado com intervalo de oito semanas, pois os sintomas de hepa- titemedicamentosararamenteaparecem. É importante lembrar que o uso de anti-inflamatórios deve ser controlado pelo médico assistente, como tam- bém o tempo de uso, pois, quanto mais prolongado for, maior o risco de produzir lesões no organismo.Apesar de esses medicamentos agirem como antitérmicos, eles não devem ser usados em primeira mão para casos febris agu- dos, como dengue, infecções na garganta, etc. Deve-se evitar a automedicação e o uso indiscriminado de anti- inflamatóriossemprescriçãomédica. USO DE ANTI-INFLAMATÓRIOS Dr. Getúlio Tanajura Machado gemachado@bol.com.br - tel. 71-3328-5633 CONVERSANDO SOBRE SAÚDE
  8. 8. Informativo da Paróquia de São Pedro Praça da Piedade, 11 - São Pedro - CEP: 40.060-300 - Salvador - Bahia - Brasil Site: www.paroquiadesaopedro.org - E-mail: padreaderbal@bol.com.br Direção e Coordenação: Padre Aderbal Galvão de Sousa Diagramação e Revisão: Equipe da Pastoral da Comunicação Colaboração: Getúlio Machado, Yvette Amaral e Zélia Vianna Ilustrações: Getúlio Machado, Rivelino Silva Jornalista responsável: Maria Alcina Pipolo - MTb/DRT/BA 915 Tiragem: 10 mil exemplares Distribuição Gratuita Arquidiocese de São Salvador da Bahia - Brasil Na edição de f e v e r e i r o d e 2001, o jornal destaca a cele- bração do Ano Jubilar pelos 450 anos de criação da Arquidiocese de São Salvador da Bahia. Zélia Vianna inicia uma série de artigos sobre o livro dos Atos dos Apóstolos e os primeiros tempos do Cris- tianismo. Em junho de 2001, além da edição mensal, houve uma especial resgatando a história da Paróquia desde o seu surgimento, em 1679, mos- t r a n d o “ o r e t r a t o d e corpo inteiro da Paróquia ao longo de 322 anos de evan- gelização”. Em julho de 2002, Yvette A m a r a l d á início à coluna “Fé e Cidada- nia”, enfocan- do temas como 'O direito e o dever do voto', 'Corruptores e corruptos', eman- tida até hoje. Em janeiro de 2003, Zélia Vianna inicia a série de artigos sobre “Saulo, o Após- tolo Paulo”. Em junho de 2003, é lançada nova edição especial, desta vez, sobre “Os Sinos de São P e d r o ” , q u e foram restaura- dos e eletrifica- dos. A edição de setembro de 2003 traz o Decreto 01103, do Arcebispo de São Salvador da Bahia, Dom Geraldo Majella Agnelo, declarando oAno Santo Jubilar da Paróquia de São Pedro, de 2 de d e z e m b r o d e 2003 a 2 de d e z e m b r o d e 2004, em come- moração aos 325 anos de criação daParóquia. Expediente: Fone: (71) 3329-3280 Maria Alcina Pipolo

×