Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Setembro de 2016

93 views

Published on

Edição de Setembro de 2016 do Jornal Folha de São Pedro, o Jornal da Paróquia de São Pedro.

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Setembro de 2016

  1. 1. O Brasil vai mal: fome, desempre- go, falta de assistência à saúde, educa- ção ruim, corrupção, marginalidade, menores delinquentes e a violência cada dia mais cruel. Seria bom uma aná- lise sociológica que constatasse fatos e apresentasse estatísticas, mostrando que a realidade pede providências e soluções urgentes. Mas deixemos isso para os especialistas e olhemos o cená- rio pela ótica da fé. Como vemos a crise do momento e as consequências doloro- sas que penalizam tanta gente? Sem dúvida o desencanto e o pessimismo já geraram cidadãos que não acreditam em melhora, que lutaram e não viram o produto da sua participação. A Igreja, por sua parte, adverte sobre a gravidade da situação, mas sempre inoculando esperança no coração do homem, se ele se aproximar mais de Deus e viver con- forme o projeto do Pai. Por isso o mundo precisa de santos que iluminem a terra com a fé e mantenham vivo o fogo do amor. Precisa de cristãos cons- cientes da gravidade da hora, convictos da sua missão e motivados pela espe- rança. Entretanto, eles também necessi- tam de discernimento para encontrar o caminho certo para o advento de um novo mundo.AIgrejaconhecesuas difi- culdades e lhes oferece o instrumento infalível da Palavra de Deus, porque, sem o seu conhecimento, é impossível alguém contrabalançar as limitações humanas e santificar-se entre os erros e os equívocos da sociedade em que vive- mos. Talvez alguém questione: Como pode a Bíblia, escrita há milênios atrás, numa cultura tão diferente da nossa, por pessoas que viveram experiências diversas, servir como roteiro para o homem do século XXI? Exatamente nisso se encontra o milagre: ela é uma palavra eterna e moderna, serviu para um passado muito remoto e hoje ainda é uma palavra de vida. Só uma intimidade muito profunda com os Livros Sagra- dos mantém o cristão na trilha da santi- dade porque ela é uma fonte inesgotável que mata a sede da verdade e renova o projetodesantificação. Entretanto, não podemos ler a Bíblia como um simples livro de lazer, nem mesmo como um tratado científico. Ela nos conta a história de um Deus que criou o homem, fez uma aliança com ele, deu-lhe todas as provas do seu amor, mas foi traído e trocado por ído- los. Mesmo assim não desiste, refaz a aliança e promete estar com ele até o fim do tempo e por toda eternidade. Esse livro, portanto, merece outro trata- mento, um método de leitura todo espe- cial para ser um celeiro de santos. Não sabemos, aliás, se é certo falar-se em ler a Bíblia, talvez seja mais apropriado dizer-se rezar a Bíblia, porque ela é uma perfeita oração. É uma comunica- ção com Deus que, através dela, revela seu mistério e conta seus segredos de amor. Uma leitura corrida, superficial não é suficiente. Ela precisa, antes de tudo, ser contextualizada, isso é, colo- cada dentro da nossa realidade para que o milagre aconteça. Ele pede degustação, interiorização para provo- car a conversão indispensável ao pro- cesso dasantidade. A Igreja dedicou à Bíblia o mês de setembro. Que o povo de Deus desta paróquia corresponda a tal intenção, incentivando o gosto pela Bíblia Sagrada e fazendo dela um alimento preferido, capaz de multiplicar santos nesse mundo tão impermeável aos ape- los divinos. Desejo que todos sejam apóstolos da Palavra de Deus, anunci- ando-a com sua palavra humana e prin- cipalmente com seu testemunho de vida. O meu abraço de irmão e a minha bênçãodepároco. Padre Aderbal Galvão de Sousa Zélia Vianna ressalta que eleger candidatos honestos e com maturidade é dever cristão. Página 2 A sociedade moderna carece de profetas, afirma Yvette Amaral em seu artigo na página 7 No Mês da Bíblia, aprofunde-se no estudo do livro do profeta Miqueias. Página 8
  2. 2. Dando seguimento à reflexão sobre oAcróstico de Fran- cisco sobre a MisericÓrdia, chegamos à letra O: Honestida- de (em italiano, onestà) e Maturidade. Por Honestidade entendemos a retidão de caráter que consiste em agir sem subterfúgios, com sinceridade e coerência consigo mesmo e com Deus. O homem honesto é transparente, nunca engana quem nele confia e por isso não teme CPI, nem Impeachment, nem ser apanhado de surpresa.AMatu- ridade é o esforço para harmonizar as capacidades físicas, psíquicas e espirituais, escreve textualmente Francisco. Mas a maturidade não depende da idade. Há muito adulto que nuncaconseguiusairdainfânciaedaadolescência... Recentemente, o Papa Francisco pronunciou em alto e bom tom: “Envolver-se na política é uma obrigação para o cristão”.Elegercandidatoshonestos ecommaturidade,capa- zes de colocarem a vida humana e o bem comum acima de quaisquer outros interesses, é um dever cristão. Para nos aju- darnessa escolha,comapalavra,aCNBB: “Neste ano de eleições municipais e também de profunda crise pela qual passa o Brasil, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil–CNBB dirigeaopovo brasileiroumamen- sagem de esperança, ânimo e coragem. Sonhamos com um país próspero, democrático, sem corrupção, socialmente igualitário, economicamente justo, ecologicamente susten- tável, sem violência, discriminação e mentiras e com oportu- nidades iguais para todos. Mas só com a participação de todos os brasileiros é possível a realização desse sonho. Essa participação democrática começa no município. Se quiser- mos transformar o Brasil, comecemos por transformar os municípios, e as eleições do próximo mês de outubro são um dos caminhosparaatingirmosessa meta.” Apolítica, do ponto de vista ético, “é o conjunto de ações pelas quais os homens buscam uma forma de convivência entre indivíduos, grupos e nações que ofereçam condições para a realização do bem comum”. Já do ponto de vista da organização, a política é o exercício do poder e o esforço por conquistá-lo, a fim de que seja exercido na perspectiva do serviço. Os cristãos leigos e leigas não podem “abdicar da partici- pação na política” porque a eles cabe a missão de construir o bem comum na perspectiva do Reino de Deus, participando conscientemente do processo eleitoral, e votando em candi- datos honestos e competentes e, após as eleições, acompa- nhando o mandato dos eleitos. Se por um lado as eleições municipais despertam grande interesse em razão da proxi- midade entre candidatos e eleitores, por outro lado essa pro- ximidade facilita muito a compra e venda de votos e pode levaradivisõesnafamília. Para votar bem é importante conhecer o programa dos partidos, e, para discernir se o candidato é apto para a função para a qual pretende se eleger, é importante entender o papel específico do prefeito e do vereador. É fundamental saber se o candidato já exerceu algum cargo político e, no caso, qual sua atuação na votação de matérias e leis a favor do bem comum. Um dos maiores instrumentos para essa escolha é a leideFichaLimpa. Além dos programas dos partidos, é imprescindível conhecer a proposta de trabalho do candidato, seu passado, sua conduta moral e ética, sua opinião acerca de temas importantes, como, por exemplo, a defesa do direito das cri- anças e adolescentes... Estar atento aos custos das campa- nhas e à fonte de arrecadação dos candidatos é outro ponto importante, vez que o gasto exorbitante sugere compromis- sos com grupos específicos e não com o bem comum. Uma boa maneira de conhecer os candidatos e suas propostas é promoverdebatescomos concorrentes. AIgreja Católica não assume nenhuma candidatura, mas incentiva os cristãos leigos e leigas que têm vocação para a militância político-partidária a se lançarem candidatos. No discernimento dos melhores candidatos, tenha-se em conta seu compromissocoma vida,coma justiça,coma ética,com a transparência, com o fim da corrupção, além de seu teste- munhonacomunidadedefé. Após aseleições,paraacompanharmaisdepertoos man- datos dos eleitos, os cristãos leigos devem organizar-se, inclusive para acompanhar as reuniões na Câmara Munici- pal,queéondese votamprojetoseleisparaomunicípio. É interessante a promoção de novas candidaturas, pondo fim ao carreirismo político. Por isso, exortamos as comuni- dades a aprofundarem seu conhecimento sobre a vida políti- ca de seu município e do país, fazendo sempre a opção por aqueles que se proponham a governar a partir dos pobres, não se rendendo à lógica da economia de mercado, cujo cen- troéolucroenãoapessoa. Estejam atentos à elaboração e implementação de políti- cas públicas que atendam especialmente às populações mais vulneráveis como crianças, jovens, idosos, migrantes, indí- genas,quilombolaseos pobres. Confiamos que nossas comunidades saberão organizar- se para tornar as eleições municipais ocasião de fortaleci- mento da democracia, que deve ser cada vez mais participa- tiva. E que nosso horizonte seja sempre a construção do bem comum. zelia.vianna@yahoo.com.br Zélia Vianna
  3. 3. SEMANADAPÁTRIA: de1.º a7 desetembro. ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO: 1.º de setembro, às 11h, na Igreja de São Raimundo, sob a responsabilidadedaParóquiadeSão Pedro. HORA SANTA E MISSA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS: 2 de setembro. Hora Santa às 9h; e Missa às 10h, na IgrejadeSão Pedro. UNÇÃO DOS ENFERMOS: 3 de setembro, na missa das 15h, na Igreja de São Pedro. Inscrições com antecedência na secretariaparoquial. PREPARAÇÃO DE PAIS E PADRINHOS PARA O BATISMO DE CRIANÇAS: 3 e 17 de setembro, das 14h às 18h, naIgrejaNossa SenhoradaConceiçãodaLapa. BATISMO DE CRIANÇAS: 4 e 18 de setembro, às 8h30, na IgrejadeSão Pedro. DIA DA PÁTRIA: 7 de setembro – Feriado – As igrejas de São Pedro, Nossa Senhora da Conceição da Lapa, Nossa Senhora do Rosário e Senhor Bom Jesus dos Aflitos estarão fechadas. FESTADE MARIAMENINA: 8 desetembro. R E U N I Ã O D A E Q U I P E D E R E C E P Ç Ã O E ATENDIMENTO: 10 de setembro, às 9h, na Igreja Nossa SenhoradoRosário. ANIVERSÁRIO DE NASCIMENTO DE DOM GILSON ANDRADE: 11desetembro. VISITA DA IMAGEM PEREGRINA DE NOSSA SENHORAAPARECIDAÀ NOSSAARQUIDIOCESE: 11 desetembro,apartirdas 13h, naArenaFonteNova. REUNIÃO DA PASTORAL DA VISITAÇÃO AOS DOENTES E IDOSOS: 13 de setembro, às 16h, na Igreja Nossa SenhoradaConceiçãodaLapa. FESTA DA EXALTAÇÃO DA SANTA CRUZ: 14 de setembro. GRUPO DE ORAÇÃO NOSSA SENHORA DO CENÁCULO: 14, 21 e 28 de setembro, às 8h, na Igreja Nossa SenhoradaConceiçãodaLapa. FESTA DE NOSSA SENHORA DAS DORES: 15 de setembro. FORMAÇÃO MISSIONÁRIA: 17 de setembro, das 14h às 17h, naIgrejaNossa SenhoradaConceiçãodaLapa. MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS PELOS DOADORES DO BAZAR DA SOLIDARIEDADE DA PARÓQUIA: 18 desetembro,às 7h30, 9h30 e11h30, naIgrejadeSão Pedro. ANIVERSÁRIO DE NASCIMENTO DO ARCEBISPO PRIMAZ DOM MURILO KRIGER:19desetembro. REUNIÃO DOS MONITORES DAS COMUNIDADES BÍBLICAS: 20 de setembro, às 17h30, na Igreja de São Pedro. INÍCIO DA NOVENA A SANTA TERESINHA DO MENINO JESUS: 22 de setembro, às 11h, na Igreja de São Pedro. REUNIÃO DO APOSTOLADO DA ORAÇÃO: 23 de setembro, às 14h30, na Igreja Nossa Senhora da Conceição daLapa. ANIVERSÁRIO DE ORDENAÇÃO EPISCOPAL DE DOM GILSONANDRADE: 24 desetembro. FESTA DE NOSSA SENHORA DAS MERCÊS: 24 de setembro. SERESTA DA PRIMAVERA: 24 de setembro, das 17h30 às 19h30, no Espaço Cultural da Igreja Nossa Senhora da ConceiçãodaLapa. MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS PELOS DIZIMISTAS: 25 de setembro, missa às 7h30, 9h30 e 11h30, na Igreja de São Pedro. DIA DO BEM-AVENTURADO PAULO VI: 26 de setembro. REUNIÃO DOS ANUNCIADORES DA PALAVRA: 27 desetembro,às 15h30, naIgrejadeSão Pedro. DIA DOS ARCANJOS MIGUEL, RAFAEL E GABRIEL: 29desetembro. DIA DE SÃO JERÔNIMO, DIA DA BÍBLIA: 30 de setembro. ANIVERSÁRIO DE NASCIMENTO DE PADRE ADERBAL: 30 de setembro, missa às 8h, na Igreja de São Pedro, eàs 9h, naIgrejaNossa SenhoradoRosário. 01: Festa de Santa Teresinha do Menino Jesus e dia Internacional dos Idosos; 01: Unção dos enfermos; 01 e 15: Preparação de pais e padrinhos para o batismo de crianças; 02 e 16: Batismo de crianças; 02: Eleições – 1.º turno; 03 a 11: Novena a Nossa Senhora Aparecida; 04: Festa de São Francisco de Assis; 05, 19 e 26: Grupo de Oração Nossa Senhora do Cenáculo; 06: Adoração ao Santíssimo Sacramento na Igreja de São Raimundo sob a responsabilidade da Paróquia de São Pedro; 07: Festa de Nossa Senhora do Rosário; 07: Hora Santa e Missa do Sagrado Coração de Jesus; 08: Reunião da Equipe de Recepção e Atendimento; 11: Reunião da Pastoral da Visitação a Doentes e Idosos; 12: Festa de Nossa Senhora Aparecida e dia das Crianças; 15: Dia de Santa Teresa d'Ávila e dia dos Professores; 16: Dia de Santa Edvirges e de Santa Margarida Maria Alacoque; 16: Missa em Ação de Graças pelos doadores do Bazar da Solidariedade; 17: Aniversário de Ordenação de padre Fernando; 18: Reunião dos Monitores das Comunidades Bíblicas; 18: Dia de São Lucas Evangelista e dia dos Médicos; 22: Dia de São João Paulo II; 23: Aniversário de Ordenação do diácono Lourival; 25: Dia de Santo Antônio de Sant'Anna Galvão e dia dos Dentistas; 25: Reunião dos Anunciadores da Palavra; 28: Reunião do Apostolado da Oração; 29: Assembleia Pastoral Paroquial; 30: Eleições – 2.º turno; 30: Missa em Ação de Graças pelos Dizimistas.
  4. 4. AVIVAMENTO PAROQUIAL Durante quatro sábados, com início em 30 de julho passado, o Grupo da Renovação Carismática Católica da nossa Paróquia, “Nossa Senhora do Cenáculo”, promo- veu momentos de reflexão e oração sobre o querigma (anúncio), na Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa.Houve grandeparticipaçãodos membrosdacomu- nidadeparoquial. FESTA DO SENHOR BOM JESUS DOS AFLITOS De 2 a 5 de agosto ultimo, foi celebrada a Festa do Senhor Bom Jesus dos Aflitos, na igreja do mesmo nome, na nossa Paróquia, com o tema: “Bom Jesus dos Aflitos, o rosto da misericórdia do Pai”. Nos dias 2, 3 e 4, às 15h, foi realizado o tríduo preparatório, dirigido pelo diácono Lourival Almeida; e, no dia 5, ocorreu a missa festiva, também às 15h, presidida pelo nosso pároco, padre Aderbal Galvão de Sousa, com grande participa- çãodefiéis. FESTA DE SÃO DOMINGOS Em 8 de agosto último, a comunidade paroquial cele- brou a Festa de São Domingos de Gusmão, na Igreja Nossa Senhora do Rosário, que possui um altar, do sécu- lo XVIII, com a imagem do santo. A missa foi presidida pelopadreÁureoJosé Sampaio. REUNIÃO DO CONSELHO PASTORAL PAROQUIAL Em 13 de agosto passado, houve a terceira reunião deste ano do Conselho Pastoral Paroquial. A reunião contou com a presença do nosso pároco, padre Aderbal Galvão de Sousa, do diácono Lourival Almeida e 24 membros do Conselho. Na oportunidade, foi feita uma releitura das sugestões da reunião anterior e das priorida- des elencadas pela CNBB/Arquidiocese de Salvador para o período 2016/2019. Com o objetivo de integrar ministérios, pastorais e movimentos, despertar e prepa- rar a Paróquia para um “estado permanente de missão”, a assembleia decidiu, à luz das sugestões e prioridades apresentadas, implementar a Comissão Missionária Pastoral – Comipa –, que ficará encarregada de organizar três encontros ainda este ano, nas seguintes datas: 17 de setembro, 22 de outubro e 19 de novembro. Ficou tam- bém decidido que a Assembleia Pastoral da nossa Paró- quiaserealizaráem29deoutubropróximo. DIA DOS PAIS No segundo domingo de agosto (dia 14), quando é celebrado o Dia dos Pais, aconteceram três missas na Igreja Matriz de São Pedro. Nosso pároco, padre Ader- bal, presidiu as celebrações das 7h30 e 11h30, e, no final da missa, reuniu os pais ao redor do altar enquanto a comunidadecantouos parabéns.
  5. 5. FESTA DE NOSSA SENHORA DAASSUNÇÃO Em 21 de agosto último, a Igreja universalmente cele- brou a Festa de Nossa Senhora da Assunção. Na Igreja Matriz de São Pedro, houve três missas e um belo altar com a imagem de Nossa SenhoraAssunta ao Céu foi colo- cado em destaque no altar-mor. Nossa Senhora daAssun- ção, entre outros títulos, é também venerada sob os nomes de Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora Rai- nha dos Anjos, Nossa Senhora da Vitória, Nossa Senhora da Esperança, Nossa Senhora do Livramento, Nossa Senhora da Boa Morte. Embora desde o começo do cristi- anismoo povo jáacreditassequeaVirgemtinhasido leva- da ao céu em corpo e alma, a festa da elevação de Maria ao céu só começou a ser celebrada no Oriente no século VII. A festa foi introduzida em Roma pelo Papa Sérgio I, por volta dos anos 687 a 701, e tinha inicialmente o nome de FestadaDormição. A nossa Paróquia mantém três espaços com o Bazar da Solidariedade, que são frutos de doações de roupas, sapatos, objetos de decoração, móveis e utensílios domésticos em bom uso que são postos à venda com o objetivo de ajudar no trabalho social que a paróquia desenvolve. No terceiro fim de semana de cada mês, são celebradas missas na intenção dos doadores do Bazar, na Igreja Matriz de São Pedro, no sábado, às 12h, 15h e 17h; e no domingo, às 7h30, às 9h30 e às 11h30. Final de ano está chegando! Faça uma arrumação na sua casa, no seu guarda-roupa! Doe o que você não precisa mais para o nosso Bazar! Visite os espaços do nosso Bazar da Solidariedade, onde também podem ser feitas as doações. Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa – Av. Joana Angélica, 41, Lapa. Fone: (71) 3326-4676 – Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30; aos sábados, das 8h30 às 12h. Igreja Nossa Senhora do Rosário – Av. Sete de Setembro, 819, Rosário. Fone: (71) 2137-8666 – Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h; aos sábados, das 8h30 às 12h. Igreja Senhor Bom Jesus dos Aflitos – Largo dos Aflitos, s/n, Dois de Julho. Fone: (71) 2137-9677 – Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h. As doações podem ser feitas também na Igreja Matriz de São Pedro, na Praça da Piedade, 11, de segunda-feira a sábado, das 7h às 18h; aos domingos, das 7h às 12h. Fone: (71) 3329-3280
  6. 6. 01-ALÍRIO CONCEIÇÃO SANTOS 01-ANDRÉA NASCIMENTO DA SILVA 01-CÉLIA PEREIRA GONÇALVES 01-EDVALDO GOMES ANDRADE 01-M.ª ALCINA CORREIA PIPOLO 02-CACILDA MOURA BARBOSA 02-EULINA DE CARVALHO 02-GRAÇA MARIA KELER GESTEIRA 02-HELENA MARINHO DA COSTA 02-SÔNIA MARIA NEGREIROS PEDRÃO 03-DARCI BARRETO DE FARIAS 03-FERNANDA MOTA DE OLIVEIRA 03-IVANA LOPES DA SILVA 03-JURACY PACHECO GUERREIRO 03-LUSHANHYA COUTINHO 03-M.ª AURISTELA SANTIAGO LIMA 04-RAIMUNDO ARAÚJO DA SILVA 05-ANTÔNIO ANTONEI DE CASTRO 05-ITAIR MELO DE OLIVEIRA 06-MAGDA CRUZ FRANÇA 07-ANA CARLA OLIVEIRA RIBEIRO 07-FRANCISCO LUIZ M. BARRETO PEREIRA 07-M.ª TRINDADE DAS MERCÊS SODRÉ 07-MIRTES Mª NASCIMENTO DE OLIVEIRA 07-WELTON LEFFUNDES TOMÉ 08-DIVA PINHEIRO IGLESIAS 08-Mª APARECIDA PADRE BORGES 08-NILZA BATISTA DOS SANTOS 08-ROSILDAALVES SANTOS 08-VIVIANE PINTO CALDAS 08-ZILDA PEREIRA DOS SANTOS 09-CÉLIA MARIA PEDREIRA 09-DJALMIRA MARIA DOS SANTOS 09-IRACEMAAZEVEDO DOS SANTOS 09-RAIMUNDO COSTAANDRADE 10-ANA MARIAAMARAL LIMA 10-ANA MARIA DE SÁ OLIVEIRA SOUZA 10-EDNA LIMA DA HORA 10-ELIEZER JOSÉ VICENTE FILHO 10-M.ª AFRA SAMPAIO DOS SANTOS 10-NADIR OLIVEIRA KELLER 11-ALAN SANTOS FREIRE 12-EULINA SILVA DE MATOS 12-IGOR FERREIRA DA SILVA 12-LUIZA BORGES DOS SANTOS 13-ANTÔNIO DE SOUZA JÚNIOR 13-EDITE BRAGA OLIVEIRA 13-FRANCISCA Mª DE SANTANA FERREIRA 13-MARIA CLARA S. DA CONCEIÇÃO 13-MARLENE ALVES DE ANDRADE 13-VÊDA MARIA DE CARVALHO 14-ADRIANAAMARAL MUNIZ 14-ÉDILAALMEIDA FERNANDEZ 14-MANOEL DA C. SANTANA MENEZES 14-VANUZA DOS SANTOS BARBOSA 14-ZILDA SACERDOTE DA CONCEIÇÃO 15-ALICE FERREIRA SANTOS E OLIVEIRA 15-ELY CIDREIRA PEIXOTO 15-JANDNIR DA ROCHA CAMPOS 15-MIRACI ARIANA BRITO 15-VANDA SANTOS VIEIRA 16-EDITE FERREIRA DOS SANTOS 16-EDITE MOURA SANTOS 16-TÂNIA MARIA DOS SANTOS 16-WILSON RABELLO CAMPOS 17-ANTÔNIO FERREIRA QUEIROZ 17-MARLENE COUTINHO DOS REIS 18-ANTÔNIO JORGE OGANDO 18-GUSTAVO SILVA DE ALMEIDA 18-INÊS DENISE MOURA FREIRE 18-Mª EDUARDA DE JESUS SANTOS 18-NEIZA DE CARVALHO PRATA 18-RITA DE CÁSSIA COSTAARAGÃO 18-WITOR FERNANDES URRUTIGARAY 19-AILTON SANTANA FERREIRA 19-DOMINGAS BARBOSA DOS SANTOS 19-ELENILDES NUNES BADARÓ 19-JOSÉ NUNES BRITO 19-VANDA BASTOS DOS SANTOS 20-DINALVA OLIVEIRA DE SOUZA 20-EDILZA MARIA NERIS DOS SANTOS 20-EVILÁSIAALVES DE JESUS 20-LEILA FERNANDA SANTANA SILVA 21-ANTONIO DO NASCIMENTO LIMA 21-DINALVA DE JESUS SOUZA 21-NARARA PEREIRA LIMA 22-ADEMILTON ALVES DE SOUZA 22-DILMA SIRLEI DE ALMEIDA VIEIRA 22-FARAILDES CÂNDIDA DE SANTANA 22-MARCELO MEIRELES LIGUORI 22-TERESA DANTAS SOUZA 23-ANAAMÉLIA FERREIRA DE SOUZA 23-CÉLIA MARIA PEREIRA DOS SANTOS 23-DEJAVAN CRISPIM DAS M. SODRÉ 23-KÁTIA REGINA LOPES DE MORAES 23-M.ª THEREZA SOUTO MAIA SANTOS 24-EDMILSON AMORIM DE JESUS 24-EUDETH MELO DOS SANTOS 24-MARGARIDA MACHADO CARDOSO 24-MERCÊS TEIXEIRA DE CARVALHO 24-SULAMITA M. BARRETO PEREIRA 25-AMARILDA F.MARTINS DE OLIVEIRA 25-FLORISVALDA R. DO SACRAMENTO 25-JUDITH GONÇALINHO P. FONSECA 25-LÍCIA MARIA DE OLIVEIRA BAHIA 25-LUIZA SILVA DA COSTA 25-PEDRO PINHEIRO DE SOUZA 26-ADMILDE FONSECA BRAGA 26-CAMEN ADELAIDE FERREIRA SILVA 26-CARLINDA PURIFICAÇÃO DOS SANTOS 26-EDVALDO JOSÉ OLIVEIRA 26-ITANA KELLY BATISTA DA CRUZ 26-JACIRA DO NASCIMENTO GOMES 26-JOACE FELISMINA EÇA VIDAL 26-LOURDES VIEIRA PASSINHO 26-NEY MENEZES DE OLIVEIRA 27-ALBERTO COSME DE SOUZA 27-AURELINAALVES DE OLIVEIRA 27-CARMÉLIA REGINA DE MATTOS 27-COSME JOSÉ BISPO DE MENEZES 28-ANA MARIA PIRES BOAVENTURA 28-JOSÉ SOUZA IGLESIAS 28-JOSEFA MARIA SANTOS MARQUES 29-AMENAIDE DIAS REBELO 29-EDNA DA SILVA MAURÍCIO 29-KAROLINE SANTANA TAVARES 29-MIGUEL DOS SANTOS 29-VANDA OLIVEIRA SANTOS 30-PADRE ADERBAL GALVÃO DE SOUSA 30-DINALVAALICE DOS SANTOS 30-JÚLIO ANDRÉ F. BARBOSA DE SOUZA 30-M.ª LEIDE BRITO SILVA 30-ROBERVAL JOSÉ DA SILVA 30-TEREZINHA MAGALHÃES SANTANA 30-VALDELICE DO AMOR DIVINO SOUTO 30-WALMIR PORTELA DOS SANTOS A você, meu irmão, minha irmã, que assume esta Paróquia como dizimista e se compromete com o trabalho pastoral, parabéns! Como presente do seu aniversário, a comunidade paroquial estará unida a você, seus amigos e familiares, nesse dia tão especial, para celebrar esta data. Venha participar, nesse dia, da Santa Missa, às 8h, na Igreja de São Pedro. PARÓQUIA DE SÃO PEDRO MOVIMENTO FINANCEIRO JULHO/2016 RECEITAS Espórtulas de missas ............................ 4.991,00 Espórtulas de batizados ............................ 280,00 Espórtulas de matrimônios ........................ 730,00 Dízimos .............................................. 37.396,50 Coletas ordinárias ................................... 8.337,80 Taxas de certidões ......................................140,00 Donativos ............................................... 2.575,00 Rendimento do bazar ............................. 7.294,00 Rendimento do restaurante .................... 7.065,58 Aluguéis ................................................1.200,00 Rendimento de aplicações bancárias ..... 1.077,76 TOTAL ............................................... 71.087,64 DESPESAS Manutenção e conservação .................. 3.815,61 Material litúrgico ...................................... 2.916,60 Promoção humana/formação ...................3.880,00 Ajuda pastoral a moradores de rua ..........1.000,00 Ajuda pastoral a mulheres marginalizadas .880,00 Ajuda social ............................................. 1.400,00 Salários ................................................. 18.509,72 Vale refeição ......................................... 8.261,60 Vale transporte ......................................... 2.164,80 Encargos sociais .................................... 11.310,80 Côngrua ao pároco ................................. 2.800,00 Material de expediente ............................ 217,01 Material de informática ............................ 100,00 Correios .................................................. 1.023,75 Água, energia e telefonia ......................... 2.903,92 Serviços contábeis ......................................775,78 Tarifa bancária ...............................................71,30 Taxa do programa SGCP ....................... 97,50 Repasse de taxa à Cúria ........................ 4.339,75 Doação p/ evento N. S. Aparecida.......... 4.000,00 TOTAL ............................................. 70.468,14 SALDO DO MÊS 619,50 O dízimo é um compromisso de fidelidade com Deus, com a Igreja e com os irmãos. Ser dizimista é colaborar na expansão do Reino de Deus. SEJA DIZIMISTA INSCREVA-SE NA SECRETARIA PAROQUIAL
  7. 7. Emlinguagemcristã,profetanãoéadivinho.Eisadefi- nição que a Bíblia Sagrada – Edição Pastoral – p. 946 lhe dá: “O verdadeiro profeta é aquele que preserva a tradição autêntica do seu povo, perdida ou deformada em meio a tantas 'tradições' criadas para defender interesses, legiti- mar poderes e sustentar sistemas. O núcleo central é a fé exodal, ou seja, o reencontro com o verdadeiro Deus reve- lado a Moisés”. Mais adiante: “...Portanto, é aquele que se inspira na ação libertadora do Deus do êxodo e, a partir daí, analisa a situação presente e mostra o projeto de Deus paraofuturodoseupovo”. O profetismofoiumfenômenoreligiosomuitopresen- te na história de Israel, teve continuidade no Cristianismo primitivo e atualmente ainda é indispensável. Vivemos uma história de situações conflitantes generalizadas pela globalização e que pedem advertências e propostas. É o profeta o homem indicado para essa missão, seja ele reli- gioso ou leigo, chefe de Estado ou pároco de uma comuni- dade. A sociedade moderna está carecendo deles, embora alguns nomes ainda ilustrem essa categoria indispensável na construção do Reino Messiânico. Ainda podemos citar profetas de um passado recente: Dom Hélder Câmara, Dom Oscar Romero, Martin Luther King, etc. No momen- to, uma figura engloba todos que ainda exercem o profetis- mo: o Papa Francisco.Apesar de a Igreja ainda contar com eles, parece haver uma certa timidez, ou quem sabe até receiode“pôrfogo nafogueira”. O profeta é um homem audacioso, apaixonado pelo seu povo, preocupado com a sua libertação, por isso declara os erros e condena tudo que se opõe ao bem da comunidade e à paz entre os homens; denuncia sistemas, desmonta insti- tuições, empenha-se na mudança de paradigmas, enfim o seu grande objetivo é fermentar o mundo com a força do evangelho,ésubstituirasestruturasdo anti-Reinopelapro- postadoCristoRedentor. Em Jr 1, 10, Javé se mostra rigoroso e até subversivo, dirigindo-se ao profeta: “Hoje eu estabeleço você sobre as nações e reinos para arrancar e arrasar, para demolir e des- truir, para construir e plantar”. Nesse versículo bíblico, está o perfeito agir do profeta. Demolir e destruir tudo que os homens, ainda cegos às verdades evangélicas e talvez à única Verdade – Jesus Cristo –, estabeleceram como nor- mas da vida moderna. Diante de projetos que envelhecem, ele propõe modelos que resgatam a justiça e a fraternida- de. Yvette Amaral yvettealemosmaral@gmail.com Dificuldade em deglutir e dor torácica são os sintomas mais característicos dos distúrbios da motilidade do esô- fago. Tais sintomas são relatados por até 46% dos indiví- duos aparentemente saudáveis, com pico de incidência na meia-idade. A dificuldade em deglutir é sintoma comum com diferentes formas de apresentação quanto à gravida- de e frequência, podendo levar os pacientes à perda de pesoedesnutrição. A prevalência de dor funcional de origem provável do esôfago não é conhecida. No entanto, a dor torácica de origem não cardíaca acomete 1/3 da população geral, não tendo predileção quanto ao sexo masculino ou feminino, e mais da metade desse 1/3 são portadores de distúrbios motoresdoesôfago. Os distúrbios motores do esôfago são definidos por distúrbio do esfíncter inferior do esôfago, obstrução ao esvaziamento da transição esofagogástrica, espasmo difuso do esôfagoeausênciademovimentosdo esôfago. Os distúrbios de motilidade do esôfago podem ser primários ou consequência de alguma doença sistêmica como diabetes mellitus, pseudo-obstrução crônica sem causa definida, esclerodermia, doença mista do tecido conjuntivo, artrite reumatoide, lúpus eritematoso sistêmi- co, alcoolismo, amiloidose, mixedema, esclerose múlti- pla e doença de Chagas, esta última ainda muito frequente emnosso meio. O diagnóstico é feito através da história clínica quando o paciente apresenta sintomas de azia, regurgitação, dor torácica, dificuldade de esvaziamento do esôfago, tosse noturna. Exames complementares endoscópicos e de imagem podem ajudar no diagnóstico. Na ausência de uma causa evidente, podem ser feitos estudos de medição da pressão interna do órgão, avaliando-se as contrações da muscula- tura circular e longitudinal do esôfago. É necessário um acompanhamentopelomédicoassistente. DISTÚRBIOS DA MOTILIDADE DO ESÔFAGO Dr. Getúlio Tanajura Machado gemachado@bol.com.br - tel. 71-3328-5633
  8. 8. Informativo da Paróquia de São Pedro Praça da Piedade, 11 - São Pedro - CEP: 40.060-300 - Salvador - Bahia - Brasil - Fone: (55)(0*71) 3329-3280 Site: www.paroquiadesaopedro.org - E-mail: padreaderbal@bol.com.br Direção e Coordenação: Padre Aderbal Galvão de Sousa Diagramação e Revisão: Equipe da Pastoral da Comunicação Colaboração: Getúlio Machado, Yvette Amaral e Zélia Vianna Ilustrações: Getúlio Machado, Rivelino Silva e internet Impressão: Pubgraf - E-mail: atendimentopubgraf@gmail.com Expediente: Jornalista responsável: Maria Alcina Pipolo - MTb/DRT/BA 915 Tiragem: 10 mil exemplares Distribuição Gratuita Arquidiocese de São Salvador da Bahia - Brasil Com o tema: “Para que n´Ele nossos povos tenham vida” e o lema: “Praticar a justiça, amar a misericórdia e caminhar com Deus”, o Mês da Bíblia 2016 traz como proposta de estudo o livro do pro- fetaMiqueias. Miqueias era camponês natural de Morasti-Gat, vila situada na fronteira do Reino de Judá com a Filisteia. Profetizou durante os reinados de Joatão (740-736 a.C.)eAcaz. O termo profeta se refere a alguém que tem a missão de anunciar, denunciar, exortar, comunicar, tornar conhecida publicamente alguma notícia ou situa- ção sobre a realidade humana, seja ela do passado, do presente, ou com perspecti- vadefuturo. Na compreensão hebraica, consiste em dar testemunho de Deus no meio do seu povo, sendo mensageiro e intérprete da Palavra de Deus. Designado também como o homem ou mulher de Deus, inseridos na história do seu tempo, no seu contextoenãono “mundodalua”. O livro de Miqueias é composto por sete capítulos. A obra foi escrita dentro de um processo que durou muitos anos. Primeiramente, o profeta realizou sua missão no território de Judá, profetizan- do duros oráculos contra as injustiças que permeavam a Samaria e Jerusalém. É provável que ele tenha deixado algum rascunho dos seus anúncios. Depois, seus discípulos fizeram memória dessa profecia e escreveram os acontecimen- tos mais importantes, na perspectiva da esperança, aliviando, assim, as duras palavrasdeMiqueias. O livro de Miqueias tem a finalidade de denunciar as diferentes configurações de injustiças espalhadas no Reino do Sul, centralizadasem Jerusalém; anunci- ar a promessa de libertação do povo escravizado na Babilônia; e consolá-lo no retorno do exílio com uma mensagem deesperança. A obra também apresenta como as injustiças permeiam a vida das pessoas nas instâncias social, econômica, políti- ca, religiosa e cultural. Mas a misericór- dia divina para com o ser humano está presente pelas mediações de pessoas e acontecimentoshistóricos. Miqueias apresenta um Deus miseri- cordioso, que se revela em meio ao sofri- mento, proveniente de inúmeras injusti- ças. Ele oferece às pessoas a possibilida- de de conversão, na esperança de o povo viver eticamente a justiça e o direito. Com fidelidade restaura o resto de Israel, evidenciandoaesperançamessiânica. Alguns aspectos teológicos podem serdestacadosno livrodeMiqueias: Injustiças No livro de Miqueias, aparecem várias formas de injustiça, geradas por latifundiários que roubavam as terras dos pequenos proprietários e por líderes religiosos que se haviam afastado do monoteísmo, aderindo à corrente pagã que cultuava o deus Baal no território de Israel,demodoparticularnaSamaria. A crítica profética não se dirigia apenas ao povo, mas também às autori- dades políticas e religiosas que pratica- vam o mal com o auxílio dos falsos pro- fetas. Esses pseudoprofetas eram pagos para dizer coisas incoerentes com a justi- ça, afirmando erroneamente que Deus estava do lado dos malfeitores e que compactuavacomasinjustiças. Ouvireescutar Em Miqueias, o verbo ouvir aparece sete vezes como um clamor para chamar a atenção do povo de Judá que havia pecado, afastando-se de Deus e apoian- do-se na falsa prática religiosa que opri- mia com uma fé fundamentalista e idóla- tra. Ajustiça eodireito Segundo Miqueias, as autoridades políticas e religiosas tinham a missão de zelar pelo direito e pela justiça com o objetivo de cultivar a vivência ética e a retidão de vida. Contudo, esses líderes cuidavam apenas dos seus interesses, acumulando riquezas, fruto da explora- ção do povo e da relação de barganha com Deus. Nesse sentido, a justiça e o direito se opõem frontalmente a essa situação e promovem uma relação justa com Deus, com o próximo e com os bens. Misericórdia Miqueias afirma que o Senhor é misericordioso para com o povo que sofre a tragédia do exílio na Babilônia numa vida de desgraça. Por isso Deus concede o seu perdão e oferece a sua graça, livrando-o do castigo, da punição merecida e do desaparecimento silencio- so do seupovo aolongodahistória. Oresto deIsrael Aexpressão "o resto de Israel" evoca a fidelidade do povo nos momentos difíceis, de modo particular no exílio na Babilônia e na situação do retorno a Jerusalém, no período da reconstrução dacidadeedasuapopulação. No livro de Miqueias, "o resto de Israel" aparece como um orvalho que, serenamente, vem de Deus e penetra na terra sem chamar a atenção, e também se manifesta como "um leão entre os ani- mais da floresta", o qual lidera em meio ao processo salvífico e de restauração das nações. Esperança messiânica O livro de Miqueias ressalta que de Belém-Éfrata "sairá aquele que governa- rá Israel". Num primeiro momento, esse versículo fala da esperança de um engrandecimento futuro do povo de Israel. Entretanto, a tradição cristã releu essa profecia, aplicando-a ao nascimen- todeJesus deNazaré. Buscando auxiliar às comunidades, paróquias e dioceses, a Comissão Epis- copal Pastoral para aAnimação Bíblico- Catequética da CNBB apresenta dois subsídios para essa celebração. O Texto- Base aborda, de forma explicativa, o tema e lema. Está organizado em seis capítulos. Já o roteiro de “Encontro Bíblicos” oferece cinco celebrações para a vivência em grupo, além de sugestões decantoslitúrgicos.

×