Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubro de 2016

133 views

Published on

Edição de Outubro de 2016 do Jornal Folha de São Pedro, o Jornal da Paróquia de São Pedro.

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubro de 2016

  1. 1. “Quando saiu da barca, Jesus viu uma grande multidão e teve compai- xão, porque estavam como ovelhas sempastor...”(Mc 6, 34). Eis uma das passagens evangéli- cas em que Jesus se mostra mais com- passivo e sensível às carências huma- nas. Com o coração de Bom Pastor que deu a vida pelas ovelhas, Ele ava- lia a situação daquelas que não têm quem as ame, proteja e guie. Entre os animais, a ovelha é a imagem do ser frágil e indefeso. Se lhe falta o pastor, certamente elaserároubadaemaltratadapor- que mãos mercenárias se apos- sam dela. Assim termina a cita- ção acima: “...Então começou a ensinar muitas coisas para eles.” (Mc 6, 34). É interessante notar- mos a atitude de Jesus diante da constatação que fez. Não criti- cou ninguém, não buscou uma razão política, social ou religiosa para o fato. Tratou logo de agir e iniciou por aquilo que lhe pare- cia mais urgente: ensinar muitas coisas. Como as do tempo de Jesus, mui- tas das nossas ovelhas ainda vivem sem pastor. São imaturas, fracas e pre- cisam de quem as tome pelas mãos, dê-lhes comida e oriente a trilha da peregrinação pela terra. Entre elas, sobretudo, estão aquelas dos estratos sociais mais carentes, que crescem crucificadas pela fome, desprepara- das para o futuro pela falta de educa- ção, doentes, sem divertimentos, num cotidiano cruel. Essa madrugada lamentável prepara uma manhã e tarde de nuvens pesadas e sombrias. Que poderão elas construir? Uma geração de adolescentes e jovens per- didos na massificação, angustiados por pesadelos porque a realidade ingrata não lhes oferece a realização dos sonhos. Coloca-as frente ao hori- zontenegrodaruínasocial. Ovelhas sem pastor são os adultos que, por conta da dureza dos primei- ros anos, desconhecem atalhos para a felicidade pessoal e para uma partici- pação fecunda em algo que os faça mais gente, filhos de Deus e irmãos de todos. Uma face jovem e que não sor- ri, muitas vezes envelhecida pelas rugas dos erros, são a janela que mostra um interior já desencantado, sem ideais e motivações para costurar avidano amor. Ovelhas sem pastor são adultos sem fé que perambulam pelas vielas da descrença e da falta de esperança. Esses certamente nunca encontraram um coração aberto que se dispusesse a perder tempo com eles, para que o tempodelesfosse iluminadopelacon- vivência amorosa de um Deus Pai. Todos gritam por um mundo de mais valores humanos e paz. Apressemos essa era,seguindoa metodologia de Jesus depois que notou a falta de pastor para as ovelhas desgarradas. E, nessa proposta, há um recado especial para o Brasil tão deficiente na educação dos brasileiros. Dos primeiros ensinamentos às tan- tas pós-graduações, sucedem-se inumeráveis lacunas que dei- xam seus sinais numa população descomprometida com o pro- gresso material e com o desen- volvimentoespiritual. Paroquianos e leitores do Folha, pessoas que frequentam nossas comu- nidades, lembrem-se da tristeza de Jesus manifestada nessas palavras pungentes: “São como ovelhas sem pastor”,apressem-seacuidardelas. Um mês do Rosário de especial culto a Maria e um abraço que nos una no mesmoidealdo Reinomessiânico. Padre Aderbal Galvão de Sousa Em seu artigo na página 7, Yvette Amaral sugere o melhor presente para o dia das crianças Dr. Getúlio Machado dá orientações para prevenir dores na coluna vertebral. Página 7 O Papa Francisco convida homens, mulheres e famílias a realizarem sua vocação missionária. Página 8
  2. 2. Neste mês de outubro, a Igreja se volta de modo incisivo para a Missão, para o mandato que Jesus confiou aos após- tolos quando disse: “Ide, fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espí- rito Santo, ensinando-os a observar tudo quanto vos man- dei.”(Mt 28, 19-20). Para o nonagésimo Dia Mundial das Missões, que será celebrado neste ano no terceiro domingo de outubro (16), o Papaenviouumamensagematodos os batizadoscomotítu- lo “IgrejaMissionária,testemunhadaMisericórdia”. Inicialmente, Francisco recorda-nos que estamos viven- do o Jubileu Extraordinário da Misericórdia e convida-nos a olhar a missão ad gentes (todas as nações) como uma imen- sa obra de misericórdia espiritual e material a ser assumida por toda a Igreja. Em seguida, ele pede que nós, batizados e herdeiros do mandato conferido aos primeiros apóstolos, “saiamos” de nós mesmos, dos casulos que nos mantêm pri- sioneiros de uma religião intimista e individualista, escan- caremos as portas de nossas sacristias e, “usando nossos talentos, nossa criatividade, tempo, sabedoria e experiên- cia, caminhemos ao encontro da família humana para levar amensagemdeternuraecompaixãodeDeus”. Essa mensagem tem um nome e esse nome é Jesus Cris- to. Nele, no Verbo Encarnado, “a misericórdia divina encontra sua manifestação mais alta e perfeita”. “Jesus” – escreve o Papa – “não apenas fala dessa misericórdia e a explica através de comparações e parábolas, como ele pró- prioéapersonificaçãodesse Deus ricoemmisericórdia”. Na mensagem, o Papa lembra que, tal como nos primei- ros tempos do cristianismo, quando, seguindo o exemplo do Mestre que, antes de iniciar sua missão, formou uma comu- nidade de Doze, os primeiros cristãos se organizaram em comunidades e “eram perseverantes em ouvir o ensinamen- to dos apóstolos, na comunhão fraterna, no partir do pão e nas orações” (Atos 2,42). Jesus Ressuscitado era o eixo em redor do qual aqueles homens e mulheres de todas as idades e condições sociais se reuniam. E embora a ressurreição de Jesus não tivesse qualquer testemunha ocular, o jeito de ser e de viver dos primeiros cristãos, a abertura daquelas comu- nidades para a universalidade do testemunho da Boa Nova era um sinal convincente da ressurreição de Jesus e da mise- ricórdia de Deus. Vivendo conforme os ensinamentos do Mestre, eles atraíam cada vez mais pessoas à fé cristã, fer- mentavam o mundo com o espírito do Evangelho, edifica- vamaIgrejaeapressavamavindado ReinodeDeus. Ontem como hoje a Igreja existe para evangelizar. Sem esse trabalho ela poderia ser um “clube de amigos” ou uma ONG piedosa, mas não seria a Igreja de Jesus Cristo. Hoje, lembra Francisco, quando, além da presença masculina, é expressiva a presença feminina na Igreja, todos, famílias, homens e mulheres leigas ou consagradas têm um campo enorme para o exercício de sua vocação missionária. É fun- damental que entendamos que “cada povo e cultura tem o direito de receber a mensagem de salvação que é dom de Deus para todos” e que cabe à comunidade eclesial assumir a preparação de pessoas capazes de fazer chegar o evange- lhoatodos os cantospossíveis daterra. Já vai longe o tempo em que os batizados reduziam sua pertença eclesial à participação nas missas, novenas, nos momentos rituais e de festa. Se todos somos e formamos a igreja, cabe a todos, sem exceção de um sequer, anunciar “o evangelho do perdão e da misericórdia porque só ele é por- tador da verdadeira alegria, reconciliação, justiça e paz”. Preservar a dignidade do outro e comprometer-se com a jus- tiça são atitudes imprescindíveis no processo de evangeli- zação. No acróstico sobre Misericórdia, Francisco ressalta duas virtudes indispensáveis ao missionário: Respeito e Humildade. Respeito que não é medo ou temor, mas que tem origem no latim e quer dizer “olhar outra vez”. Isso sig- nifica que se algo merece um segundo olhar é porque tem qualidades que levam a uma atitude de reverência e apreço. E o motivo dessa consideração se apoia na certeza de que todos fomos criados à imagem e semelhança de Deus. Humildade vem da palavra Humus (terra) e sugere alguém que tem os pés no chão, isso é, que tem consciência de suas deficiências,mastambémdesuas potencialidades;quereco- nhece o outro como filho de Deus e por isso não o reduz a objeto, nem o manipula, mas o respeita e trata-o como irmão. Francisco encerra a mensagem solicitando que “cada diocese,paróquia,comunidadereligiosa,associaçãoemovi- mentoprocure“recolher, noDiaMundialdas Missões, ofer- tas para socorrer as comunidades cristãs necessitadas de ajuda para o anúncio do evangelho”. Por fim ele pede a Nossa Senhora, a primeira cristã e modelo de missionária, que “nos ensine a gerar e guardar a presença viva e misterio- sa do Senhor Ressuscitado, que renova e enche de jubilosa misericórdia as relações entre as pessoas, as culturas e os povos”. zelia.vianna@yahoo.com.br Zélia Vianna
  3. 3. FESTA DE SANTA TERESINHA DO MENINO JESUS: 1.º de outubro, missa às 8h, 10h, 12h, 15h e 17h, na Igreja de São Pedro. DIAINTERNACIONALDOS IDOSOS: 1.º deoutubro. UNÇÃO DOS ENFERMOS: 1.º de outubro, na missa das 15h, na Igreja de São Pedro. Inscrições com antecedência na secretariaparoquial. PREPARAÇÃO DE PAIS E PADRINHOS PARA O BATISMO DE CRIANÇAS: 1.º e 15 de outubro, das 14h às 18h, naIgrejaNossa SenhoradaConceiçãodaLapa. BATISMO DE CRIANÇAS: 2 e 16 de outubro, às 8h30, na IgrejadeSão Pedro. NOVENADE NOSSASENHORAAPARECIDA: de 3 a 11 deoutubro,às 11h, naIgrejadeSão Pedro. DIADE SÃO FRANCISCO DEASSIS: 4 deoutubro. GRUPO DE ORAÇÃO NOSSA SENHORA DO CENÁCULO: 5, 19 e 26 de outubro, às 8h, na Igreja Nossa SenhoradaConceiçãodaLapa. ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO: 6 de outubro, às 11h, na Igreja de São Raimundo, sob a responsabilidadedaParóquiadeSão Pedro. FESTA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO: 7 de outubro,missaàs 9h, naIgrejaNossa Senhorado Rosário. HORA SANTA E MISSA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS: 7 de outubro. Hora Santa, às 9h; e Missa às 10h, na IgrejadeSão Pedro. JORNADA TEOLÓGICA DA FORANIA 1: 8 de outubro, das 8hàs12h, naParóquiaNossa SenhoradeLourdes. R E U N I Ã O D A E Q U I P E D E R E C E P Ç Ã O E ATENDIMENTO: 8 de outubro, às 9h, na Igreja Nossa SenhoradoRosário. DIADE SÃO JOÃO XXIII: 11deoutubro. REUNIÃO DA PASTORAL DA VISITAÇÃO AOS DOENTES E IDOSOS: 11 de outubro, às 16h, na Igreja Nossa SenhoradaConceiçãodaLapa. FESTA DE NOSSA SENHORAAPARECIDA E DIA DAS CRIANÇAS: 12 de outubro, missa às 7h30, 9h30 e 11h30, naIgrejadeSão Pedro. DIA DE SANTA TERESA D'ÁVILA E DOS PROFESSORES: 15deoutubro. ENCONTRO DOS DIZIMISTAS DA PARÓQUIA: 15 de outubro, das 8h30 às 11h, na Igreja Nossa da Conceição da Lapa. DIA DE SANTA EDVIRGES E SANTA MARGARIDA MARIA: 16 deoutubro. MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS PELOS DOADORES DO BAZAR DA SOLIDARIEDADE DA PARÓQUIA: 16 deoutubro,às 7h30, 9h30 e11h30, naIgrejadeSão Pedro. ANIVERSÁRIO DE ORDENAÇÃO SACERDOTAL DE PADRE FERNANDO: 17 deoutubro. REUNIÃO DOS MONITORES DAS COMUNIDADES BÍBLICAS: 18 de outubro, às 17h30, na Igreja de São Pedro. DIA DE SÃO LUCAS EVANGELISTA E DIA DOS MÉDICOS: 18 deoutubro. DIADE SÃO JOÃO PAULO II:22deoutubro. FORMAÇÃO MISSIONÁRIA: 22 de outubro, das 14h às 17h, naIgrejaNossa SenhoradaConceiçãodaLapa. ANIVERSÁRIO DE ORDENAÇÃO DO DIÁCONO LOURIVAL:23 deoutubro. MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS PELOS DIZIMISTAS: 23 de outubro, missa às 7h30, 9h30 e 11h30, na Igreja de São Pedro. DIA DE SANTO ANTÔNIO DE SANT'ANNA GALVÃO EDIADOS DENTISTAS: 25 deoutubro. REUNIÃO DOS ANUNCIADORES DA PALAVRA: 25 deoutubro,às 15h30, naIgrejadeSão Pedro. REUNIÃO DO APOSTOLADO DA ORAÇÃO: 28 de outubro, às 14h30, na Igreja Nossa Senhora da Conceição daLapa. ASSEMBLEIAPASTORALPAROQUIAL: 29 de outubro, das 8h30 às 12h, na Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa. 02: Finados; 03: Adoração ao Santíssimo Sacramento na Igreja de São Raimundo sob a responsabilidade da Paróquia de São Pedro; 04: Hora Santa e Missa do Sagrado Coração de Jesus; 05: Unção dos enfermos; 05: Reunião dos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão; 05 e 19: Preparação de pais e padrinhos para o batismo de crianças; 06 e 20: Batismo de crianças; 06: Festa de Todos os Santos; 06: Encontrão do Clube Excelsior na Colina Sagrada; 08: Reunião da Pastoral da Visitação aos Doentes e Idosos; 09, 16, 23 e 30: Grupo de Oração Nossa Senhora do Cenáculo; 12: Reunião da Equipe de Recepção e Atendimento; 12: Reunião do Conselho Pastoral Paroquial; 13: Festa do Senhor Bom Jesus da Paciência; 13: Fechamento da Porta Santa na Basílica do Senhor do Bonfim; 15: Feriado da Proclamação da República – As igrejas de São Pedro, Senhor Bom Jesus dos Aflitos, Nossa Senhora do Rosário e Nossa Senhora da Conceição da Lapa estarão fechadas; 19: Dia da Bandeira Nacional; 19: Formação Missionária; 20: Solenidade de Cristo, Rei do Universo; 20: Missa em Ação de Graças pelos doadores do Bazar da Solidariedade; 20: Encerramento do Ano Santo da Misericórdia – Vaticano; 22: Reunião dos Monitores das Comunidades Bíblicas; 24: Festa de Nossa Senhora Consoladora dos Aflitos; 25: Reunião do Apostolado da Oração; 26: Retiro em preparação para o Advento; 27: Missa em Ação de Graças pelos Dizimistas; 27: 1.º Domingo do Advento; 27: Dia de Nossa Senhora das Graças – Salette; 29: Reunião dos Anunciadores da Palavra.
  4. 4. XVII CONGRESSO EUCARÍSTICO NACIONAL De 15 a 21 de agosto passado, a cidade de Belém do Pará acolheu o XVII Congresso Eucarístico Nacional. Belém se tornou a cidade Eucarística, onde os fiéis cató- licos de todo o Brasil, unidos a muitos bispos, padres e religiosos, participaram como um só povo das palestras, simpósios, missas e exposições, celebrando e vivencian- doativamenteoperíodocomalegria,devoçãoefé. Na programação de encerramento do domingo, 21 de agosto, houve a Santa Missa na Praça Santuário, por volta das 16 horas, presidida por Dom Cláudio Hummes, Legado Pontifício, e concelebrada por Dom Alberto Taveira,Arcebispo Metropolitano de Belém, e por deze- nas de bispos e padres presentes na cerimônia que tam- bém contou com milhares de pessoas, entre religiosos e leigos, que lotaram a praça. Após a missa, foi realizada uma procissão eucarística num trajeto de aproximada- mente quatro quilômetros, da Basílica de Nossa Senhora de Nazaré até a Catedral Metropolitana, o mesmo trajeto que é feita a cerimônia da transladação durante o Círio de Nazaré. A nossa Paróquia marcou presença com a participa- ção de diversos paroquianos, inclusive nosso pároco, padreAderbalGalvãodeSousa. RETIRO BÍBLICO Em 27 de agosto passado, aconteceu o Retiro em preparação para o Mês da Bíblia com os paroquianos de São Pedro. O Retiro teve lugar na Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa e contou com a participação de muitas pessoas. A motivação foi o estudo do livro do profeta Miqueias, acolhendo a proposta da CNBB para o aprofundamentobíblicoesteano. SEMANA DA PÁTRIA De 1.º a 6 de setembro, em todas as celebrações na nossa Paróquia, foram colocadas intenções pelo nosso Brasil.ABandeira Nacional foi colocada em destaque ao lado do altar e um cartaz com a Oração pela Pátria foi fixado na entrada da Igreja Matriz de São Pedro. A ora- ção foi lida nas missas. No dia 7, por ser feriado, as igre- jasestiveramfechadas. FESTA DE MARIA MENINA Em 8 de setembro último, a Igreja celebrou a Festa da Natividade de Nossa Senhora, considerada também a Festa de Maria Menina. Nesse dia, uma missa festiva foi realizada às 8h, presidida pelo nosso pároco, padreAder- bal, na Igreja de São Pedro, e contou com a presença das religiosas da Congregação das Escravas da Imaculada Menina,quetêmresidênciananossa Paróquia. IMAGEM PEREGRINA DE NOSSA SENHORA APARECIDA No último dia 10 de setembro, a nossa Arquidiocese acolheu a imagem peregrina de Nossa Senhora Apareci- da, para celebrar os 300 anos do encontro da imagem por três pescadores no Rio Paraíba, em São Paulo. Com o crescimento da devoção, Nossa Senhora, sob o título de Conceição Aparecida, tornou-se padroeira do Brasil. Após a chegada da imagem no aeroporto, às 17h30, foi realizadaumacarreataatéaigrejamatrizdaParóquia
  5. 5. Nossa Senhora Aparecida, no bairro do Imbuí, onde uma grande multidão acolheu a imagem trazida pelas mãos do nosso Arcebispo e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger. Em seguida, foi realizada uma missa presidida pelo bispo auxiliar da nossa Arquidiocese, Dom Estevam dos Santos Silva Filho. O povo permane- ceu em vigília durante toda a noite e, no dia seguinte, foram realizadas três missas pela manhã na igreja matriz. Às 13h, a imagem seguiu conduzida em carreata até o estádio da Arena Fonte Nova, onde houve uma celebração litúrgica, às 16h, presidida por Dom Murilo, que contou com a presença de mais de 30 mil fiéis. Diversos paroquianos de São Pedro participaram desse importante momento. F E S T A D E NOSSA SENHORA DAS DORES Em 15 de setembro passado, foi celebrada a Festa de Nossa Senhora das Dores, em todas as missas na Igre- ja de São Pedro. Foi colocada em destaque no altar a imagem que é venerada secularmente nesta igreja. A Festa de Nossa Senhora das Dores está ligada a uma antiga tradição cristã e quer ressaltar a paciên- cia e a fortaleza com que Maria suportou os sofrimentos por oca- sião da paixão de seu divino Filho, como também as sete dores sofridas por Maria, segundo a tradi- A nossa Paróquia mantém três espaços com o Bazar da Solidariedade, que são frutos de doações de roupas, sapatos, objetos de decoração, móveis e utensílios domésticos em bom uso que são postos à venda com o objetivo de ajudar no trabalho social que a paróquia desenvolve. Final de ano está chegando! Faça uma arrumação na sua casa, no seu guarda-roupa! Doe o que você não precisa mais para o nosso Bazar! Visite os espaços do nosso Bazar da Solidariedade, onde também podem ser feitas as doações. Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa – Av. Joana Angélica, 41, Lapa. Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30; aos sábados, das 8h30 às 12h. Fone: (71) 3326-4676 Igreja Nossa Senhora do Rosário – Av. Sete de Setembro, 819, Rosário. Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h; aos sábados, das 8h30 às 12h. Fone: (71) 2137-8666 Igreja Senhor Bom Jesus dos Aflitos – Largo dos Aflitos, s/n, Dois de Julho. Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h. Fone: (71) 2137-9677 As doações podem ser feitas também na Igreja Matriz de São Pedro, na Praça da Piedade, 11, das 7h às 18h. Fone: (71) 3329-3280 ENCONTRO COM OS DIZIMISTAS Para fortalecer os laços da nossa família dizimista e celebrar a sua participação no dízimo na nossa Paróquia, convidamos você e seus familiares para participar conosco de um momento de oração e louvor, no próximo dia 15 de outubro, sábado, das 8h30 às 11h, na Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Lapa, quando contaremos também com a presença de Salete Ferreira, missionária da Comunidade Canção Nova. Venha debruçar suas aflições e necessidades aos pés do Santíssimo Sacramento.
  6. 6. 01-M.ª DAS GRAÇAS GONÇALVES ZUZA 02-LUZINETE NUNES DO N. FONSECA 02-M.ª NILA DOS SANTOS OLIVEIRA 03-ALEX BISPO CAMPOS 03-ANA LÚCIA SILVA SANTOS 03-IRENE MARTINS MAGALHÃES 03-ISABELA CRISTINA DOS SANTOS 03-JANDIARA BITENCOURT DE SOUZA 03-TELMA DE CÁSSIA MOURA DE SENA 04-FRANCISCA SILVA REGO 04-IVE LIMA PALMA DE CARVALHO 04-LUAN FRANCISCO MACHADO DA SILVA 04-TEREZINHA PEREIRA DE SÁ CANÁRIO 05-ELCY COELHO MENDES DOS SANTOS 05-JOÃO PAULO DE FRANÇA 05-PERPÉTUA MARIA SALES FERREIRA 06-ANTÔNIO INÁCIO DE MATOS 06-M.ª DO CARMO VARJÃO VIANA 06-M.ª BERNADETE DE JESUS DOS SANTOS 07-FRANCISCO CHAVES DE ALMEIDA 07-JANICE GONÇALVES DE OLIVEIRA 07-LÍCIA MARGARIDA DE SANTANA 07-M.ª DAS GRAÇAS RIBEIRO DOS SANTOS 07-M.ª DE LOURDES SILVA ORRICO 07-MARIZETE SANTOS PAIVA 07-PAULO ROBERTO DAMASC. BRANDÃO 07-VALDECIO FERREIRA DA SILVA 07-VALQUÍRIA SANTOS BOTTAS 08-ÂNGELA MARIA DOS SANTOS 08-M.ª SOCORRO GONÇALVES CARVALHO 08-MARLI ANDRADE 09-LORENA LIMA E CIMA 09-M.ª JÚLIA PASSOS ROCHA SANTOS 09-M.ª CRISTINA M. CERQUEIRA 10-M.ª ZIZA DE CARVALHO MATOS 10-PEDRO PAULO S. SANTANA FERREIRA 11-GILMAR ALMEIDA DA SILVA JÚNIOR 11-M.ª DE LOURDES DE SOUZA 11-MARINALVA MÜLLER GÓES 11-MERCEDES RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA 11-ODEÔNCIO CÉSAR VIEIRA DOS SANTOS 12-ANA LÚCIAA. NASCIMENTO BAHIA 12-ELIZABETH ARAÚJO LIMA 12-LÍZIA GONÇALVES TAVARES 12-RAILDA FERREIRA RAMOS 12-SORAYA GOMES DA SILVA 13-ADEMIR DIAS RODRIGUES 13-ANDRÉ LUIZ BONFIM DOS SANTOS 13-HAMILTON FONSECA MATOS JÚNIOR 13-M.ª LÚCIA CABRAL 13-NILSON JORGE COSTA GUIMARÃES 14-MARCELO RIBEIRO DE SOUSA 14-REGINA LÍCIA BARBOSA DA SILVA 14-VALDECY MENEZES FREITAS 15-ANA CRISTINA FONTES DE ALMEIDA 15-CLÉIA PEREIRA GEAMBASTIANI 15-EDNAALVES DA SILVA SANTOS COSTA 15-LUCIANO JOSÉ N. DE MENDONÇA 15-M.ª DAS GRAÇAS NEVES DE SOUZA 16-ADEMILSON DE OLIVEIRA 16-ANTÔNIA MARIA PEREIRA SOUSA 16-FLÁVIO RODRIGUES DE FREITAS 16-IANA NASCIMENTO DA SILVA 16-JOEL RIBEIRO DA SILVA 16-JOSÉ ADEILSON DA SILVA 16-M.ª FERNANDA O. SENA MOREIRA 16-VALDENI FERREIRA DA SILVA 17-ELENITA GUIMARÃES DOS SANTOS 17-NEY MENEZES DE OLIVEIRA FILHO 17-RAIMUNDA M.ª CIRQUEIRA BONFIM 17-SARA FERREIRA BARBARINO 18-IOLANDA RIBEIRO FERREIRA 18-LUCILENE FERREIRA DIAS 18-MARGARIDA LUCAS SANTOS 19-MARGARIDA DE ANDRADE FERREIRA 19-OZENIR LIMA FIGUEIREDO 19-PEDRO PAULO S. ALCÂNTARA SANTOS 20-AUGUSTO DE SENA ROCHA JUNIOR 20-AYDALVA DE ASSIS COSTA 21-M.ª JOSÉ GOMES DA SILVA 21-M.ª URSULINA DE JESUS LIMA 21-ODETE DOS SANTOS 22-AILEMA MARQUES DA CRUZ 22-CECÍLIA SOUZA DOS SANTOS 22-JORGE KHOURY HITTI 22-M.ª MADALENA SIQUEIRA DE ARAÚJO 22-MARYELMA QUEIROZ DÓREA 22-SUELI COSTA GUIMARÃES 22-VERA NILZA GUEDES 23-HÉLIO SOUSA MAGALHÃES 23-LAERTE APARECIDO ARRUDA 23-M.ª JOSÉ DE SOUZA 23-NOYR SANTOS PRADO 24-ANANÍSIA DA ROCHA MEIRELES LIMA 24-ELZA DE JESUS PINHO 24-M.ª GUIONOLIA VIEIRA DOS ANJOS 25-ALMERITA CARNEIRO ANDRADE 25-CLÁUDIA PEREIRA DA SILVA 25-M.ª DE FÁTIMA SANDES NASCIMENTO 25-M.ª CRISPINA DOS SANTOS SOUSA 25-MARTA REGINA DOS ANJOS BONFIM 26-ANA M.ª L. PEREGRINO DE CARVALHO 26-DANILO DE JESUS SANTANA 26-LEONARDO ANTÔNIO F. DE SOUZA 26-M.ª ALICE FERREIRAARAÚJO 26-MARINALVA PIRES DE SOUSA 26-RAIMUNDA MENEZES GÓES 27-ANAMARY SOCORRO R. M . MARTINS 27-FLÁVIA P. DOS SANTOS NUNES 27-M.ª APARECIDA DE JESUS SILVA 27-M.ª DAS GRAÇAS DE S. SACRAMENTO 28-VALDILENE DE MOURA FONSECA 29-ANA PAULA DE OLIVEIRA FERREIRA 29-ELIETE VIEIRA DA SILVA 30-FLORIZETTE SOUZA DE CERQUEIRA 30-JAIME DOS SANTOS TEIXEIRA 30-MANUEL DE JESUS DA SILVA 31-LIZETE GONSALVES GRAÇA 31-RAYLSA DE ANDRADE GIRON 31-WALTER RAUL ARENAS DELGADO A você, meu irmão, minha irmã, que assume esta Paróquia como dizimista e se compromete com o trabalho pastoral, parabéns! Como presente do seu aniversário, a comunidade paroquial estará unida a você, seus amigos e familiares, nesse dia tão especial, para celebrar esta data. Venha participar, nesse dia, da Santa Missa, às 8h, na Igreja de São Pedro. PARÓQUIA DE SÃO PEDRO MOVIMENTO FINANCEIRO AGOSTO/2016 RECEITAS Espórtulas de missas ................................4.126,00 Espórtulas de batizados ...............................520,00 Espórtulas de matrimônios ...........................635,00 Dízimos .................................................. 35.227,15 Coletas ordinárias ................................... 8.811,80 Óbulo de São Pedro ................................ 948,55 Taxas de certidões ...................................... 210,00 Donativos ............................................... 2.544,00 Rendimento do bazar ............................. 7.127,00 Rendimento do restaurante .................... 7.496,26 Aluguéis ................................................ 1.200,00 Rendimento de aplicações bancárias ..... 1.312,56 TOTAL ............................................... 70.158,32 DESPESAS Manutenção e conservação .................. 4.144,52 Material litúrgico ...................................... 364,30 Promoção humana/formação ...................5.800,00 Ajuda pastoral a moradores de rua ..........1.000,00 Ajuda pastoral a mulheres marginalizadas .880,00 Ajuda social ............................................. 1.500,00 Salários ................................................. 19.644,95 Vale refeição ......................................... 7.774,32 Vale transporte ......................................... 1.979,60 Encargos sociais .................................... 10.981,31 Côngrua ao pároco .............................. 2.800,00 Material de expediente ............................ 170,00 Material de informática ............................ 800,00 Correios .................................................. 1.368,70 Água, energia e telefonia ......................... 2.895,05 Serviços contábeis .................................... 875,78 Tarifa bancária ............................................... 64,80 Taxa do programa SGCP ....................... 97,50 Repasse de taxa à Cúria ........................ 4.050,82 Repasse do Óbulo de S. Pedro à Curia ..... 948,55 Doações ............................................... 1.500,00 Outras despesas ................................ 30,00 TOTAL ............................................. 69.670,20 SALDO DO MÊS 488,12 Ser dizimista é ser corresponsável pela Igreja, é um dom, um compromisso, uma expressão de amor, uma atitude do coração, uma manifestação de fé. SEJA DIZIMISTA INSCREVA-SE NA SECRETARIA PAROQUIAL
  7. 7. Era adolescente quando assisti a um filme – Pobre Menina Rica –, tendo como artista principal a garota genial Shirley Temple. Não pretendo comentá-lo sob o aspecto fílmico, apenas tangenciar o conteúdo resumido notítulo:éumagarotaquetemtudo,masnãoéfeliz. Vivemosnumasociedadeondeos bens materiais,ocon- forto e a aparência estão no topo dos valores temporais. Como no filme, até hoje existem os pobres meninos ricos nas faixas da sociedade de maior poder aquisitivo. As transformaçõessociaisdos últimos100anos geraramideo- logias que alteraram o modo de viver do homem. Como o jovem e o adulto, a criança também sofre os condiciona- mentos históricos, o seu natural desenvolvimento é apres- sadoemaiscedoassimilaos sinaisdos tempos. No momento em que os homens se materializam mais, perdemogosto das coisassimplesesãovencidospelocon- sumismo, eles se distanciam dos deleites espirituais, con- centrando no ter suas aspirações. Será que a felicidade está morandono seucoração? Com a criança está acontecendo o mesmo. Os pais, por exigência do momento, são forçados a colocar os filhos muito cedo na escola, quando ainda deveriam sentir-se livres dentro de casa. Embora na “escolinha” apenas se brinque, a criança faz o que a “tia” manda. Não brinca com o que quer, mas sob a supervisão de um adulto. Corridas, bicicleta, bola eram outrora opções lúdicas próprias da infância,hojeincompatíveiscomamoradaemapartamen- tos “apertamentos”, infelizmente nocivos para quem pre- cisa movimentar-se, correr e consumir energias. Sem pre- tender, os adultos castram os menores em necessidades vitaise,seelessemanifestaminquietosenervosos, afamí- lia oferece o “lexotan” daTV, do celular e dos jogos eletrô- nicos, pensando que assim compensam as repressões por elessofridas. Um quarto de criança atualmente parece mais gabinete de um cientista ou oficina de um técnico do que aquele espaço que ela bagunçava com os bloquinhos do “arquite- to moderno”, as bonecas e as panelinhas; aquele chão que sujava com as tintas dos desenhos ou a massa de modelar. No fim do dia estavam com as unhas encardidas, as roupas manchadas, porém corriam felizes para os pais, mostrando o produto da sua criatividade. Porque a criança é muito fechada na sua intimidade, ela não se queixa, mas os trau- mas existem, vão aumentando, e o gás comprimido explo- de em rebeldia no presente, em revoltas, complexos e inse- gurança no futuro. Na Semana da Criança,quando se dese- ja homenageá-la com presentes e festas, vamos pensar na maneira de suavizar seus estresses, proporcionando um jeito de viver mais adequado ao seu perfil infantil. Desse modo, o pobre menino rico desaparece dos lares e da sociedade, surgindo em seu lugar o garoto mais livre, mais criança e menos manipulado pelos grilhões da pós- modernidade. Esseseráomelhorpresenteparaacriançanoseu dia. Yvette Amaral yvettealemosmaral@gmail.com A coluna vertebral é um grande exemplo de engenho- sidade no corpo humano, que pode ser comparada a uma viga mestra de um edifício. Ela tem as funções de susten- tar e suportar o peso de todo o corpo, permitir movimentos imprescindíveis à vida diária e, como se isso não bastasse, é por dentro dessa estrutura óssea que passa a medula espinhal, o grande tronco nervoso do corpo humano, de onde partem os nervos que levam e trazem as mensagens entre o cérebro e o restante do organismo. Vértebras, dis- cos intervertebrais, ligamentos, tendões, músculos, canal medular, artérias e veias fazem parte desse complexo elemento. Diversas são as causas de dores na coluna vertebral, que, didaticamente, é dividida em coluna cervical, dorsal e lombar: dor mecânica e postural, devido a vícios de pos- tura, gravidez, esforços repetitivos; dor traumática, por contusão, esmagamento ou compressão; hérnia de disco, quando o disco intervertebral se rompe e sai dos limites; fraturas; dores inflamatórias, causas degenerativas, osteoporoseecausastumorais. Algumas orientações podem ajudar a prevenir dores nacolunavertebral,taiscomo: - Valorizar a boa postura – quando de pé, mantenha as costas retas e posicione um pé em frente ao outro, e não em paralelo, com os joelhos levemente fletidos, aliviando o peso na coluna lombar. Evite rotação ou torção da colu- na sempre que possível; não dobre a coluna para frente sentado ou em pé. Essa posição aumenta a pressão sobre o discovertebral. - Levantar peso adequadamente – quando for levantar pesos, deixe-o próximo ao seu corpo para diminuir a sobrecarga. Quando possível, divida o peso em partes iguais. Um erro comum é arrastar o peso torcendo a colu- na. Sempre que possível usar as duas mãos e não encurvar acoluna. - No ambiente de trabalho, procure realizar exercícios de alongamento, manter uma postura adequada no uso de máquinas, mesas e cadeiras. Em trabalho sentado prolon- gado, procure andar de vez em quando. Não inclinar o pescoço, prendendo o aparelho, quando atender ao telefo- ne. Em caso de dores persistentes, procure seu médico assistenteparaorientaçõesnecessárias. DORES NA COLUNA VERTEBRAL Dr. Getúlio Tanajura Machado gemachado@bol.com.br - tel. 71-3328-5633
  8. 8. Informativo da Paróquia de São Pedro Praça da Piedade, 11 - São Pedro - CEP: 40.060-300 - Salvador - Bahia - Brasil - Fone: (55)(0*71) 3329-3280 Site: www.paroquiadesaopedro.org - E-mail: padreaderbal@bol.com.br Direção e Coordenação: Padre Aderbal Galvão de Sousa Diagramação e Revisão: Equipe da Pastoral da Comunicação Colaboração: Getúlio Machado, Yvette Amaral e Zélia Vianna Ilustrações: Getúlio Machado, Rivelino Silva e internet Impressão: Pubgraf - E-mail: atendimentopubgraf@gmail.com Expediente: Jornalista responsável: Maria Alcina Pipolo - MTb/DRT/BA 915 Tiragem: 10 mil exemplares Distribuição Gratuita Arquidiocese de São Salvador da Bahia - Brasil Outubro é o Mês das Missões, um período de intensifi- cação das iniciativas de animação e cooperação missioná- rias em todo o mundo. O objetivo é sensibilizar, despertar vocações missionárias e realizar a Coleta no Dia Mundial das Missões, no penúltimo domingo de outubro (este ano, dias 22 e 23), conforme instituído pelo Papa Pio XI em 1926. Cuidar da Casa Comum é nossa missão. Este é o tema escolhido para a Campanha Missionária deste ano. O lema éextraídodolivrodoGênesiserevelaaadmiraçãodo Cria- dor pela criação. “Deus viu que tudo era muito bom” (Gn 1, 31). A temática retoma a Campanha da Fraternidade Ecu- mênica deste ano e amplia nosso horizonte para a missão em todos os continentes. O Papa Francisco adverte que “a existência humana se baseia sobre três relações intima- mente ligadas: as relações com Deus, com o próximo e com a terra” (LS 66). Em nossa Casa Comum, tudo está interligado, unido por laços invisíveis, como uma única família universal. E nós recebemos de Deus a missão de cuidar dessas relações. Isso tem a ver com a missão da Igreja. Em sua Encíclica Laudato si, sobre o cuidado da Casa Comum, o Papa Francisco lança uma pergunta: “Que tipo de mundo queremos deixar a quem nos suceder, às crianças que estão crescendo?” (LS 160). Essa questão é fundamen- tal e, segundo o Papa, “não toca apenas o meio ambiente de maneira isolada, pois a questão não pode ser colocada de forma fragmentária”.Apergunta toca, sobretudo, o sentido da existência e seus valores: “Com que finalidade passa- mos por este mundo? Para que viemos a esta vida? Para que trabalhamos e lutamos? Que necessidade tem de nós esta Terra?” (LS 160). “É bom, para a humanidade e para o mundo, que nós, crentes, conheçamos melhor os compro- missos ecológicos que brotam das nossas convicções” (LS 64). Nossa fé em Deus Criador deveria provocar transfor- mações nesse sistema de produção, consumo e especula- ção que domina e explora o mundo. Usam-se bens fósseis como o petróleo, o gás e o carvão sem levar em conta os impactos ambientais e sociais. Entre as mudanças, é urgen- te produzir energia com fontes mais limpas como o sol e o vento, recriar florestas para zerar o desmatamento, além de cultivar a terra com agroecologia diferente do agronegócio que contamina os alimentos, o solo e as águas. Na verdade, o que precisamos é uma conversão ecológica, uma mudan- ça de estilo de vida, um dinamismo capaz de pressionar poderesegovernosamudaremderumo. No Brasil, as Pontifícias Obras Missionárias (POM) têm a responsabilidade de organizar todos os anos a Cam- panha Missionária em colaboração com a CNBB e outros organismos que compõem o Conselho Missionário Nacio- nal (Comina). Consulte mais informações e subsídios no site:www.pom.org.br Cuidar da Casa Comum é nossa missão “Deus viu que tudo era muito bom” (Gn 1, 31) Oração do Mês Missionário Pai de misericórdia, que criaste o mundo e o confiaste aos seres humanos, Guie-nos com teu Espírito para que, como Igreja missionária de Jesus, cuidemos da Casa Comum com responsabilidade. Maria, Mãe Protetora, inspira-nos nessa missão. Amém.

×