Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Novembro de 2016

88 views

Published on

Edição de Novembro de 2016 do Jornal Folha de São Pedro, o Jornal da Paróquia de São Pedro.

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Novembro de 2016

  1. 1. A nossa Igreja é divina e humana. Por isso tem uma face de fraqueza e limitação próprias do ser humano. No rol dos seus pecados, está o triunfalis- mo contrário ao espírito evangélico de pobrezaesimplicidade. O Papa Francisco tangencia o assunto no seu excelente livro 'A Ver- dadeéumEncontro',afirmando:“O tri- unfalismo não é do Senhor. O Senhor entrou nesta terra humildemente, viveu trinta anos, cresceu como um menino normal, fez a experiência do trabalho, também a prova da cruz. Depois, no final, ressuscitou.” (pág. 80). Mais adiante insiste: “Avida cris- tã é feita de uma normalidade vivida, porémcomCristocadadia”. Não é de se estranhar essa fraqueza porque o cristianismo é construído por pessoas falíveis. Em verdade, Jesus nasceu numa periferia, numa socieda- de de classes que imaginava um Mes- sias-Rei, cercado por uma corte espe- cial.Asua morte na cruz foi um choque para a perspectiva de seus contempo- râneos. No esforço empreendido pelo cato- licismo pós-conciliar para retornar às fontes cristãs, o triunfalismo é destaca- donasuafeiçãoantievangélica.AIgre- ja do Bom Pastor não é composta de súditos, mas de ovelhas, animal identi- ficado pela fragilidade e mansidão; não mora nos sofisticados jardins pala- cianos, mas se delicia “nas verdes pas- tagens” para onde o Pastor-Pai as con- duz. Na Igreja de Jesus só o despoja- mento e a simplicidade caem bem, desde o estilo dos santuários até os cânoneslitúrgicoseapráticapastoral. Acontece que o nosso Cristo Rei é diferente dos grandes da terra. Para Ele a melhor oferta são os nossos atos de desapego aos bens temporais e de par- tilha entre nossos irmãos, filhos tam- bém do Rei peregrino que “não tem onderepousaracabeça”. A mentalidade das pessoas do nosso tempo mudou nos seus referen- ciais.Elasraciocinamcomoutrospara- digmas. Sem negar a sua identidade nemos valoresinerentesàorigemdivi- na, a Igreja precisa caminhar por outras vias e revestir-se de nova roupa- gem. É indispensável abandonar enfei- tes supérfluos, porque ela não precisa de exterioridades. O seu valor está nela mesma, sacramento do Senhor, que não é simbolizado com pedras precio- sas, mas com a autenticidade dos seus seguidores. Em 20 de novembro próximo, cele- braremos o final de mais um ano litúr- gico com a solenidade de Cristo, Rei do Universo. O brilho dessa festa não está somente nas luzes do evento, nos cantos entoados, nem mesmo numa igreja superlotada de fiéis. Está na coe- rência dos humildes e anônimos segui- dores da Boa Nova que trabalharam pelo avanço do Reino. Para que seja- mos um deles, rezemos com o Papa Francisco: “Que o Senhor nos salve das fantasias triunfalistas. O triunfalis- monãoécristão,nãoédo Senhor”. Padre Aderbal Galvão de Sousa No acróstico do Papa Francisco, Zélia Vianna fala sobre a virtude da generosidade. Página 2 As famílias merecem cuidados porque são os primeiros e mais importantes educadores do homem, diz Yvette Amaral no seu artigo. Página 7 Informe-se mais sobre o Ano Nacional Mariano e participe dos Grupos Marianos da nossa Paróquia. Página 8
  2. 2. Dadivoso e atento são duas virtudes que o Papa Francisco aponta como indispensáveis para compor o perfil de quem assume a missão de semear o Evange- lho.ABíbliafalamuitodos atributosdeDeus, eaGene- rosidade, cujo princípio está baseado na ideia de dar e não de ter e reter, é um desses atributos, é uma das características de Deus. Não se trata de doar por filan- tropia, nem de dar somente para cumprir a justiça humana, porque filantropia sem generosidade não tem valor, e a generosidade bíblica vai muito além do cum- primentodaletradalei,isso é,deofereceraooutroape- nas aquilo que lhe é devido. Ser generoso é uma forma dedemonstraroamordeDeus. Os dicionários definem dadivoso ou generoso como a “virtude que se dispõe a sacrificar os próprios interesses em benefício de outrem”. Somente uma generosidade sem limites, capaz de ultrapassar qual- quer senso de justiça, explica a encarnação do Filho de Deus, enviado pelo Pai para salvar o mundo e abrir para a humanidade mergulhada no pecado as portas do paraíso perdido: “Ele tinha a condição divina, mas não se apegou a sua igualdade com Deus. Pelo contrário, esvaziou-se a si mesmo, assumindo a condição de servo e tornando-se semelhante aos homens” (Fl 2, 6- 7). AGenerosidade faz parte do ser de Deus, e se n'Ele temos nossas raízes, vez que fomos criados à Sua ima- gem e semelhança, se quisermos ser gente por inteiro e não homens e mulheres pela metade, precisamos reco- nhecer que Deus é o Senhor de tudo que existe, mas também reconhecer esse senhorio sobre todo o nosso ser,sobretudoquesomos etemos.Cadabatizadoécon- vidado a ser dadivoso não por obrigação nem para alcançar méritos diante de Deus, mas pelo privilégio de ter em si mesmo os mesmos sentimentos de Jesus Cristo e assim contribuir para a expansão do Reino de Deus e para que as comunidades cristãs produzam fru- tos e frutos em abundância, tanto em nível espiritual comosocial. Numa comunidade onde impera o individualismo e o egoísmo, a Generosidade não encontra espaço para florescer. O oposto acontece quando ela segue o exem- plodasprimitivascomunidadescristãs,que“eramper- severantes em ouvir o ensinamento dos apóstolos, na comunhão fraterna, no partir do pão e nas orações” (Atos 2,42). É tendo certamente como pano de fundo essas comunidades que Francisco, ao longo de seu Acróstico, lembra que é tal como a “palha que o vento dispersa” (Sl 1,4) a comunidade que deposita sua con- fiança na conta bancária, na poupança, nos investi- mentos financeiros. Quando, porém, depositamos nossa confiança no Deus que “abençoa seus filhos e espera que seus filhos abençoem generosamente seus irmãos na fé” (Cf. Gl 6,10), a Generosidade cria raízes, compromete-nos com os projetos locais, aquece e envolve nossos corações, fortalece os relacionamen- tos, cria vínculos duradouros, e a comunidade torna-se para o mundo um dos exemplos mais fortes da vivên- ciadeumautênticocristianismo. Repetindo o Papa Francisco, “é inútil abrir todas as Portas Santas de todas as basílicas do mundo se a porta do nosso coração está fechada ao amor, se as nossas mãos estão fechadas para dar, se as nossas casas estão fechadas para hospedar e se as nossas igrejas estão fechadasparaacolher”. Lamentavelmente, há pessoas que se melindram facilmente porque possuem uma sensibilidade muito aguçada para as observações com as quais não concor- dam, mas revelam pouca ou nenhuma sensibilidade quando se trata de perceber os membros da comunida- de que vivem, rezam e sentam-se ao seu lado no banco da igreja, sofrendo muitas vezes em silêncio porque têm dificuldade em manifestar suas preocupações, dores e necessidades. Para essas pessoas o Papa reco- menda, a todos nós que desejamos ser para os irmãos verdadeiros missionários da ternura de Deus, uma especial atenção, vez que o egoísmo tranca e enferruja o coração, enquanto a sensibilidade cuidadosa e afável abre-o, ensina-nos e ajuda-nos a desenvolver a virtude dagenerosidade. zelia.vianna@yahoo.com.br Zélia Vianna
  3. 3. DIA DE FINADOS: 2 de novembro, missa às 7h30, 8h30, 9h30, 10h30, 11h30 e12h30, naIgrejadeSão Pedro. ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO: 3 de novembro, às 11h, na Igreja de São Raimundo, sob a responsabilidadedaParóquiadeSão Pedro. HORA SANTA E MISSA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS: 4 de novembro. Hora Santa, às 9h; e Missa às 10h, naIgrejadeSão Pedro. UNÇÃO DOS ENFERMOS: 5 de novembro, na missa das 15h, na Igreja de São Pedro. Inscrições com antecedência na secretariaparoquial. REUNIÃO PARAFORMAÇÃO DO GRUPO MARIANO: 5 de novembro, às 14h30, na Igreja Nossa Senhora da ConceiçãodaLapa. PREPARAÇÃO DE PAIS E PADRINHOS PARA O BATISMO DE CRIANÇAS: 5 e 19 de novembro, das 14h às 18h, naIgrejaNossa SenhoradaConceiçãodaLapa. BATISMO DE CRIANÇAS: 6 e 20 de novembro, às 8h30, naIgrejadeSão Pedro. FESTADE TODOS OS SANTOS: 6 de novembro, missa às 7h30, 9h30 e11h30, naIgrejadeSão Pedro. ENCONTRÃO DO CLUBE EXCELSIOR: 6 de novembro, das 14h às 18h, na Colina Sagrada, em frente à Basílica do Senhor doBonfim. REUNIÃO DA PASTORAL DA VISITAÇÃO AOS DOENTES E IDOSOS: 8 de novembro, às 16h, na Igreja Nossa SenhoradaConceiçãodaLapa. GRUPO DE ORAÇÃO NOSSA SENHORA DO CENÁCULO: 9, 16, 23 e 30 de novembro, às 8h, na Igreja Nossa SenhoradaConceiçãodaLapa. R E U N I Ã O D A E Q U I P E D E R E C E P Ç Ã O E ATENDIMENTO: 12 de novembro, às 9h, na Igreja Nossa Senhorado Rosário. REUNIÃO DO CONSELHO PASTORAL PAROQUIAL: 12 de novembro, das 14h30 às 17h, na Igreja Nossa Senhora daConceiçãodaLapa. FESTA DO SENHOR BOM JESUS DA PACIÊNCIA: 13 de novembro, missa às 7h30, 9h30 e 11h30, na Igreja de São Pedro. FECHAMENTO DA PORTA SANTA NA BASÍLICA DO SENHOR DO BONFIM: 13 denovembro. FERIADO DA PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA: 15 de novembro. As igrejas de São Pedro, Senhor Bom Jesus dos Aflitos, Nossa Senhora do Rosário e Nossa Senhora da ConceiçãodaLapaestarãofechadas. DIADABANDEIRANACIONAL: 19denovembro. FORMAÇÃO MISSIONÁRIA: 19 de novembro, das 14h às 17h, naIgrejaNossa SenhoradaConceiçãodaLapa. FESTA DE CRISTO REI E MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS PELOS DOADORES DO BAZAR DA SOLIDARIEDADE DA PARÓQUIA: 20 de novembro, às 7h30, 9h30 e11h30, naIgrejadeSão Pedro. REUNIÃO DO APOSTOLADO DA ORAÇÃO: 25 de novembro, das 14h30 às 17h, na Igreja Nossa Senhora da ConceiçãodaLapa. RETIRO EM PREPARAÇÃO PARA O ADVENTO: 26 de novembro, das 8h30 às 11h30, na Igreja Nossa Senhora da ConceiçãodaLapa. MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS PELOS DIZIMISTAS: 27 de novembro, missa às 7h30, 9h30 e 11h30, na Igreja de São Pedro. 1.º DOMINGO DOADVENTO: 27 de novembro, missa às 7h30, 9h30 e11h30, naIgrejadeSão Pedro. REUNIÃO DOS ANUNCIADORES DA PALAVRA: 29 denovembro,às 15h30, naIgrejadeSão Pedro. 01: Adoração ao Santíssimo Sacramento, na Igreja de São Raimundo, sob a responsabilidade da nossa Paróquia; 02: Hora Santa e missa do Sagrado Coração de Jesus; 02: Aniversário da nossa Paróquia – 337 anos; 03: Unção dos Enfermos; 03: Missa em Ação de Graças pelo aniversário da Paróquia e Crisma; 03 e 17: Preparação de pais e padrinhos para o batismo de crianças; 04: e 18: Batismo de crianças; 07, 14, 21 e 28: Grupo de Oração Nossa Senhora do Cenáculo; 08: Festa da Imaculada Conceição; 10: Reunião da Equipe de Recepção e Atendimento; 12: Festa de Nossa Senhora de Guadalupe; 13: Reunião da Pastoral da Visitação a Doentes e Idosos; 15: Reunião dos Monitores das Comunidades Bíblicas; 16: Reunião do Apostolado da Oração; 17: Aniversário de nascimento do Papa Francisco; 17: Confraternização de Natal; 18: Missa em Ação de Graças pelos doadores do Bazar; 24: Vigília do Natal; 25: Natal do Senhor; 25: Missa em Ação de Graças pelos dizimistas da Paróquia; 27: Reunião dos Anunciadores da Palavra; 30: Festa da Sagrada Família. MANHÃ DE LOUVOR, ORAÇÃO E ADORAÇÃO O Grupo Nossa Senhora do Cenáculo, da Renovação Carismática Católica (RCC), convida para uma manhã de louvor, oração e adoração, com partilha da Palavra, no próximo dia 30 de novembro, a partir das 8h30, na Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa.
  4. 4. JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE De 24 a 31 de julho último, aconteceu a 14.ª Jornada Mun- dial da Juventude, em Cracóvia, na Polônia. A integrante do Grupo de Jovens da nossa Paróquia, IrisAndrade deAlmeida, teve a oportunidade de participar da Jornada.Através de uma carta, dirigida aos paroquianos e amigos, ela relata sua expe- riência dos dias de fé vividos na Polônia. Apresentamos um resumodoseutestemunho: “É com imensa alegria e gratidão que lhes escrevo estas palavras. No período de 24 a 31 de julho de 2016, participei da Jornada Mundial da Juventude em Cracóvia, Polônia, terra de João Paulo II e cidade escolhida pelo Papa Francisco para sediara14ºJMJ. Aida à Jornada Mundial da Juventude aprofundou minha visão de Igreja, comunidade fraterna e fé! Serei eternamente grata por essa oportunidade em minha vida. Instituída pelo Papa João Paulo II em dezembro de 1985, a JMJ reúne milhões de católicos de todo o mundo, sobretudo jovens. Com duração de cerca de uma semana, a jornada promove eventos da Igreja Católica para os jovens celebrarem e apren- derem sobre a fé. Proporciona conhecer melhor a doutrina católica, rezar, meditar, peregrinar, construir pontes de ami- zade e esperança entre continentes, povos e culturas, além de compartilharentresiavivênciadaespiritualidadeefé. Nesses dias pude viver intensamente o deserto, a fome, sede, felicidade, emoção, oração, calor, frio, calvário, frater- nidade, plenitude, amizade, fé, catequese, a Palavra, confis- são, eucaristia, alegria e tantos outros sentimentos e expe- riênciasquedescrevê-losdariaumlivro. Jesus se fez presente de diversas maneiras.Aproximidade com a Eucaristia, Palavra, remissão dos pecados, em diversas horas do dia, foi bênção derramada do céu. Coube a cada jovem peregrino viver intensamente cada momento. A opor- tunidade de refletir as palavras do Santo Padre, nos dias da JMJ, transforma aquele que se deixa tocar, e isso aconteceu comigo e com muitos jovens que se deram a oportunidade, nãoapenasnaCracóvia,comotambémforadelá. Para praticar as obras de misericórdia é preciso reconhe- cer nossas fragilidades. Isso ouvimos do Santo Padre e dos bispos que ministraram as catequeses, de forma enfática. Só na fraqueza conseguimos reconhecer a misericórdia de Deus na nossa vida. A soberba nos cega, temos que descer do pedestal para alcançar a salvação. Só podemos oferecer aqui- lo que vivenciamos. Como praticar a misericórdia se achar- mos que não somos necessitados dela? A conversão requer que sejamos mais sensíveis e atentos às necessidades do próximoedos 'nãotãopróximos'assim. Foi na emoção da via sacra que ratifiquei dentro de mim um pensamento que sempre digo aos jovens e que o nosso querido Papa nos falou de forma bem simples na JMJ: 'Quem não vive para servir, não serve para viver!' Jesus quer de nós uma resposta concreta às necessidades e sofrimentos da humanidade. É urgente que sejamos um sinal do Seu amor misericordioso nos dias de hoje. E isso não significa ser cris- tão apenas nas horas que estamos na Igreja servindo. Vamos fazer o melhor de nós sempre! O verdadeiro encontro com Jesus mudaanossa vida!” MONSENHOR SADOC FOI AO ENCONTRO DO PAI Em 22 de setembro passado, o monsenhor Gaspar Sadoc da Natividade faleceu aos 100 anos e 6 meses de idade. A missa de corpo presente aconteceu no dia seguinte, na Igreja Nossa Senhora da Vitória, onde ele foi pároco durante muitos anos. A paroquiana de São Pedro Elizabeth Araújo Lima, da Pastoral do Acolhimento, quis prestar-lhe uma homenagem atravésdeumacróstico.Confiraabaixo: Muitofezpormerecernestaterrapadecente Os anjosesantoslhesrecebem, Nossa Senhoralheacalenta! Sãotantasasmaravilhas... Seussinaisestãopresentes: Amigos,irmãos,paroquianos, Dãotestemunhocomfé; OMonsenhor passou nestavida Colhendoeplantando... FezdavidaoqueDeus pede: Oseucarinhoeautoridade Igrejavivaemmissãofaziamostrar A cadaumnoseuconvívio Oamoratestemunhar! Emborafosse vaidoso, Nãonegavasuapresença Comopaiepastor Os olhosvoltadosparaascarências Nocoraçãodepastorsofriaporver Tantaincompetência! Renascidoparaaglória Océuestáemfesta! Deuslhedeu100anosdevidaplena Olhandosuaobediência Preparouobomcaminho A saúdedaalma Irradiandoocorpoapesardos espinhos! ANIVERSÁRIO DE PADRE ADERBAL Em meio a familiares, amigos, paroquianos e fiéis, o pároco de São Pedro, padreAderbal Galvão de Sousa, come- morouapassagemdoseuaniversárionatalíciopresidindoa
  5. 5. celebração eucarística das 8h, na Igreja Matriz, no últi- mo dia 30 de setembro. “O Senhor nos concede a graça de estarmos juntos celebrando nossa vida e nossa fé”, ressaltou ele no início da missa, juntando-se, no final, aos demais aniversariantes do dia e cantando com eles e toda assemble- ia o 'parabéns pra você'. Na homilia, padre Aderbal destacou que naquele dia se encerrava o Mês da Bíblia, “porque hoje a Igreja celebra o dia de São Jerônimo, que traduziu a Bíblia do hebraico, do aramaico e do grego para a língua latina”. O pároco assinalou que, na Palavra de Deus, encontramos toda a revelação, mas que “Ele nos fala também a cada momento pelos acontecimentos da nossa vida e pelo magis- tério da sua Igreja”, por isso “devemos ter mente aberta para ler o que Deus nos quer falar”. Em meio aos outros aniver- sariantes do dia, padre Aderbal fez questão de chamar para também receber o abraço de parabéns a presidente das Obras Sociais Irmã Dulce, Maria Rita Lopes Pontes – que aniversariou 19 de setembro –, oportunidade em que elogiou a sua dedicação na condução de tão importante instituição social. NOVENA E FESTA DE SANTA TERESINHA A Festa de Santa Teresinha, Doutora da Igreja e Padroeira das Missões, foi precedida por uma novena – Novena das Rosas –, realizada de 22 a 30 de setembro passado, na Igreja Matriz de São Pedro. Durante nove dias, a comunidade teve a oportunidade de caminhar um pouco ao lado da santa da “pe- quena via” e conhecer mais de perto a espiritualidade de Santa Teresinha. Os dias de oração e reflexão serviram de prepara- ção para as celebrações que ocorreram na Igreja de São Pedro, em 1.º de outubro último, em homenagem àquela que prome- teuquedocéufariacairchuvasderosas sobreomundo. NOVENA E FESTA DE NOSSA SENHORAAPARECIDA Com um novenário muito alegre e participativo, a comuni- dade da Paróquia de São Pedro se preparou para as missas festivas em honra de Nossa Senhora Aparecida no dia 12 de outubro, na Igreja Matriz. No dia 13 de outubro, houve a aco- lhida da imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida, que está visitando todas as paróquias da nossa Arquidiocese para celebrar os 300 anos do encontro da imagem no rio Paraíba do Sul. Com Maria, através do terço mariano, a assembleia pre- sente refletiu sobre os mistérios de nossa salvação, isso é, sobre os mistérios da encarnação, vida, paixão, morte e ressu- reiçãodeJesus. VISITA DA IMAGEM PEREGRINA Avisita da imagem peregrina de Nossa SenhoraAparecida à nossa Paróquia foi uma prova inequívoca de quanto o povo ama Maria Santíssima. A entronização da imagem foi feita na missa das 8h com muita emoção e alegria. Durante todo o dia, a Igreja de São Pedro permaneceu lotada.Aalegria, o entusias- mo, o querer ver de perto a imagem peregrina, cantar e rezar louvores a Nossa Senhora foram um testemunho de uma igreja realmente em movimento. Houve várias missas durante o dia como também momentos de oração, de catequese e de cantos de louvor. À tarde aconteceram momentos com três reflexões sobre o seguinte tema: Maria Padroeira, Rainha e Mãe. Às 17h foi celebrada a Missa do Envio, com a presença do pároco da Catedral, padre Lázaro Muniz, e de um grupo de leigos e de franciscanos da Ordem dos Franciscanos Menores, que vie- ram para receber e levar a imagem para a Paróquia da Transfi- guração do Senhor (Catedral). No final da missa, nosso páro- co, padreAderbal, conduziu a imagem de Nossa SenhoraApa- recida até a porta, abençoando a todos e a Cidade, enquanto os sinos repicavam. ENCONTRO COM OS DIZIMISTAS Sob a coordenação do casal coordenador da Pastoral do Dízimo, Roberto e Cláudia Vitti, e com uma grande quantida- de de dizimistas, realizou-se na manhã de 15 de outubro passa- do, na Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa, um encon- tro de animação e renovação do compromisso com o dízimo, aberto a todos os membros da nossa Paróquia. Após a palavra de abertura pelo nosso pároco, padre Aderbal, as pessoas pre- sentes rezaram o Terço. Em seguida, padre Aderbal acolheu Salete Ferreira, missionária da Canção Nova e convidada especial do dia. À luz da Palavra de Jesus “Vinde a mim vós todos que estais cansados e eu vos aliviarei”, Salete fez uma bela reflexão e em seguida a palavra foi partilhada. O Santíssi- mo Sacramento foi exposto pelo diácono de nossa Paróquia, Lourival Almeida, que solenizou o momento com belas ora- ções e agradecimento a Deus pelo dia rico de espiritualidade e de comunhão na comunidade. A animação do canto ficou a cargo do som delicado e suave do violão de Jean, que ajudou os participantes do encontro a rezar em todos os momentos, principalmente no ponto alto, que foi o momento de adoração ao Santíssimo. No final, um pedido à comunidade: Que a men- sagem ouvida e vivida não seja guardada, mas anunciada ao mundo.
  6. 6. 01-JÚLIA PINTO SANTOS 01-LÚCIA JOSEFA DA SILVA 01-M.ª RENILDA DA P. DA SILVA 01-M.ª TEÓFILO DA SILVA 01-MANOEL ALEX LIMA DOS REIS 02-CARLINDA SIMÕES DOS REIS 02-HELIANIRA SILVA DOS SANTOS 02-HILDETE RAMOS MEIRA 02-VITÓRIA FERREIRA DE JESUS 03-CREUSA SAMPAIO BAGGI 03-ELIANA MUTTI DE CARVALHO FREITAS 04-ANTÔNIO CARLOS ALVES SANTOS 04-CÉLIA MARIA DOS SANTOS 04-M.ª DIONE ARAGAO DE OLIVEIRA 04-M.ª LÚCIA RANGEL LIMA 05-ISIS PAIVA DA CONCEIÇÃO 05-JÚLIA CARMELITA DOS SANTOS 05-M.ª SUELY REZENDE SOUZA 05-OSVALDO MATOS DE BARROS 06-CAMERINA S. DE CARVALHO LEAL 06-EDIVALDINA FERREIRA DE JESUS 06-JOSÉ ARAÚJO QUEIROZ 06-JOSÉ CARLOS DE ALMEIDA JÚNIOR 06-M.ª NEUZA TEIXEIRA 07-ALBA SANTOS ANUNCIAÇÃO 07-EDENICE LEAL SILVA BARROS 07-ORLANDO GARRIDO DOS SANTOS 07-SÔNIA Mª CONCEIÇÃO DE JESUS 08-JOSÉ CARLOS DA SILVA BATISTA 08-M.ª DEUSDEDITH RODRIGUES OLIVEIRA 08-M.ª DA CONCEIÇÃO ROCHA FACTUM 09-ANA MADALENA SANTOS 09-CLARA DA CONCEIÇÃO BARRETO 09-JOSELITA LIMA CORREIA DA SILVA 09-NIVALDO GUIMARÃES 09-OLGA ROSA DOS SANTOS 10-EROS BONFIM PAIVA DA CONCEIÇÃO 11-EDVALDO NOGUEIRA MASCARENHAS 11-M.ª EDLA DOS SANTOS 12-HOSANE FERNANDES DA SILVA 12-IRAMAIA M. LACERDA GASTALDINI 12-JULILSON CONCEIÇÃO SENA 12-M.ª DE LOURDES FREITAS GUIMARÃES 13-ALESSANDRO RODRIGUES OLIVEIRA 13-ANA CECÍLIA OLIVEIRA SILVA 13-ANTÔNIO CARLOS A. DOS SANTOS 13-ESTELAMARES FRATGOSO CALMON 13-JOSELICE LISBOA DA FONSECA 13-MARISTELA GUIMARÃES 14-ADALVA SANTOS DAS VIRGENS 14-LUSÍLVIA DE ALMEIDA GONÇALVES 15-DALVA FERREIRA SOUTO 15-JEOVÁ GONÇALVES DA SILVA 16-CAMILA LEITE LOPES 17-M.ª ODETE ALVES DOS SANTOS 17-M.ª SÃO PEDRO DOS SANTOS 17-REGINA MENEZES MOREIRA 17-ROSÂNGELA G. SANTOS PETERSEN 18-EUDETE ANTUNES MARTINS 18-JOSÉ EDUARDO DANTAS BECHARA 18-LENIZE CANÁRIO DE SANTANA 18-VANILDA FALCÃO RIBEIRO 18-ZULMIRA CARVALHO SOUZA SOARES 19-ANDRÉA CLÁUDIA DA SILVA REIS 19-M.ª DE FÁTIMA NAPOLI PEIXOTO 19-MILTON LIMA 20-JOSÉ FELIX DE FREITAS 20-M.ª DE LOURDES SANTOS 21-AVANY BRITO ASSUNÇÃO 21-M.ª DAS GRAÇAS SILVA FREITAS 21-MÁRCIO CHAGAS DE JESUS 21-SEBASTIÃO WALDEMAR R. DA SILVA 22-DAYSE SANTOS GOMES 22-ELZA NEVES DA SILVA 22-MARGARIDA HELENA BEZERRA NETA 22-NARA LUIZA OLIVEIRA RIBEIRO 22-NILZA M.ª DE FÁTIMA SILVA SOUZA 22-SHEILA CARDOSO DE MELO 23-JACIRAASCOLI ARAÚJO 23-JONATAN SOBRINHO ANDRADE 23-M.ª BERNADETE MOTA DE BARROS 23-M.ª AMÉLIA FERREIRA 23-SIDÔNIA MARIAALMEIDA MENEZES 24-IVETE MARIA MATOS SANTOS 25-CARLITA CAVALCANTE 25-M.ª DAS GRAÇAS ALFATTI 25-MAIARA OLIVEIRA BRITO 25-MARILENE MARIANI MEHMERE 25-NILSA COUÑAGO ALBAN 26-CÉLIA LEMOS ROCHA 26-JOSÉ ROBERTO PEIXOTO 26-NEIDE MARIA SOUZA DE NOVAES 26-NEUZA DE FREITAS BISPO 26-ROBERTO ANTÔNIO DA SILVA 27-ALBERTO OLIVEIRA DE SOUZA 27-CINTIA REJANE SOARES FONTES 27-GILDETE DA CONCEIÇÃO COSTA 27-M.ª AUXILIADORA SAMPAIO ALMEIDA 27-ROSANA SANTANA DOS SANTOS 27-ROSEMARY ABADE DE JESUS 27-SÔNIA MARIA DE ARAUJO 28-DINA NORMA CARDOSO 28-EMERITA LOPES CIRNE 28-GETÚLIO TANAJURA MACHADO 28-JANDIRA DA ROCHA CAMPOS 28-MARCIO FERREIRA SANTOS 28-WALMIR FAGUNDES SANTOS 29-AMÉLIA CONCEIÇÃO LEGAL 29-ANDRÉ REIS DE SOUZA 29-AYR MELO OLIVEIRA 29-EDLAMAR COSTA LEAL 29-ELZA SOUZA OLIVEIRA CERQUEIRA 29-JOSILENE CONCEIÇÃO DOS SANTOS 29-M.ª INÊS ANDRADE SOUSA 29-NORMA MARIA SILVA 30-CARLOS ANDRÉ ANGELO BRITTO 30-ENIR LIMA PALMA 30-KELLEN COELHO DA SILVA A você, meu irmão, minha irmã, que assume esta Paróquia como dizimista e se compromete com o trabalho pastoral, parabéns! Como presente do seu aniversário, a comunidade paroquial estará unida a você, seus amigos e familiares, nesse dia tão especial, para celebrar esta data. Venha participar, nesse dia, da Santa Missa, às 8h, na Igreja de São Pedro. Caso a data seja no Domingo ou Dia Santo, a missa começa às 7h30. PARÓQUIA DE SÃO PEDRO MOVIMENTO FINANCEIRO SETEMBRO/2016 RECEITAS Espórtulas de missas ................................4.529,00 Espórtulas de batizados ...............................320,00 Espórtulas de matrimônios ...........................795,00 Dízimos .................................................. 30.619,35 Coletas ordinárias .................................. 8.922,15 Taxas de certidões ...................................... 105,00 Donativos ............................................... 4.585,00 Rendimento do bazar ............................. 7.756,00 Rendimento do restaurante .................... 7.507,86 Aluguéis ................................................ 1.200,00 Rendimento de aplicações bancárias ..... 1.206,07 TOTAL ............................................... 67.545,43 DESPESAS Manutenção e conservação .................. 6.282,89 Material litúrgico ...................................... 446,70 Promoção humana/formação ...................3.710,00 Ajuda pastoral a moradores de rua ..........1.000,00 Ajuda pastoral a mulheres marginalizadas .880,00 Ajuda social ............................................. 620,00 Salários ................................................. 19.705,18 Vale refeição ......................................... 7.718,56 Vale transporte ......................................... 2.184,60 Encargos sociais .................................... 10.929,17 Côngrua ao pároco .............................. 2.800,00 Material de informática ............................ 300,00 Correios .................................................. 1.092,05 Água, energia e telefonia ......................... 3.021,95 Serviços contábeis .................................... 775,78 Tarifa bancária ............................................... 64,80 Taxa do programa SGCP ....................... 97,50 Repasse de taxa à Cúria ........................ 3.626,34 TOTAL ............................................. 65.255,52 SALDO DO MÊS 2.289,91 O dízimo sempre gera unidade e comunhão na comunidade. E isso nos faz cada vez mais irmãos. SEJA DIZIMISTA INSCREVA-SE NA SECRETARIA PAROQUIAL
  7. 7. Há algum tempo lí uma informação científica a respei- to do hormônio oxitocina, afirmando ser a chave química do nosso comportamento ético. Da quantidade que circula emnosso organismo,dependeaqualidadedasaçõeshuma- nas, daí ser denominado “a molécula da moralidade”. Comprovadoisso, bombásticanovidade,umagranderevo- lução pode ocorrer na educação. Basta regular o metabo- lismo da oxitocina e uma nova arma é disparada na crimi- nologia. Todavia, o que podemos fazer para desacelerar a culturadamorte,enquantoaciêncianãogritarmaisum'eu- reka', e o remédio milagroso não estiver na prateleira das farmácias? Não vamos ficar passivos até o fim da pesquisa, mesmo porque já dispomos de uma milenar molécula da morali- dade: a educação, processo através do qual o homem que não nasce feito se faz, ajudado ou prejudicado pelos outros e pelas circunstâncias. A educação precisa ser valorizada, tanto na sua dimensão de ensino-aprendizagem, quanto na sua finalidade de formadora das novas gerações. Já é momentodeos paisseconscientizaremdequetodooorga- nismo social se ressente quando a família não vai bem. Ela merece cuidados especiais, porque eles são os primeiros e mais importantes educadores do homem. Ela ainda não soube entrar no ritmo do nosso tempo que, se trouxe inú- meros benefícios para a humanidade, também acarretou muitas dúvidas no campo da educação. Os pais muitas vezes tateiam entre o que deve ser conservado e o que necessita ser mudado. É um trabalho difícil que exige dis- cernimentoecriatividade. Não somos ingênuos, pensando que apenas a família, agindo isoladamente, corrigirá todo o mal da sociedade, mas é possível que o mundo melhore quando ela cumprir suaintransferívelmissão.Naverdade,háumagrandedefa- sagem entre as suas lições e a realidade social. Porque não identificou bem novos paradigmas para o comportamento humano, ela vacila e até transfere para outras instituições seu dever de semear no coração dos seus filhos, princípios e valores capazes que, para nós cristãos, encontram-se na Palavra de Deus, o verdadeiro farol para a humanidade de todosos milênios. Yvette Amaral yvettealemosmaral@gmail.com Uma das descobertas de maior impacto na cultura da humanidade são a geração e a distribuição de energia elé- trica gerada, pois o desenvolvimento desta mudou hábitos e possibilitou o avanço tecnológico da sociedade moder- na. O choque elétrico é a reação do organismo à passagem da corrente elétrica, que gera calor, podendo queimar gravemente e destruir os tecidos do corpo. Níveis danosos de corrente elétrica, passando pelos tecidos corporais, causam lesão. Durante décadas, a lesão elétrica foi vista simplesmente como uma forma de queimadura térmica, porém existem outros efeitos do campo elétrico signifi- cantes do ponto de vista de alterações no organismo. Dependendo do circuito, da voltagem e da amperagem, a força elétrica pode alterar e destruir tecidos biológicos e seus vasos de um modo totalmente não dependente do calor gerado, causando danos no sistema cardiovascular, neurológico,renal,podendotambémafetaravisão. Alesão por corrente elétrica acontece quando a pessoa toca em fios elétricos, cabos ou algo que conduz a eletrici- dade, muitas vezes em contato com água, como também através de raios.Agravidade da lesão pode variar de quei- maduras até a morte. Quatro manifestações clínicas são mais evidentes no choque elétrico: a eletrocussão, o cho- que elétrico propriamente dito, queimaduras e quedas provocadaspelochoque. A eletrocussão é fatal e causa a morte imediata, por exemplo, lesões fulminantes por raios e fios de alta ten- são. Fatores agravantes são: roupas molhadas, umidade elevada, contato com poças d'água. O choque propria- mente dito é causado por uma corrente elétrica que passa pelo corpo. Choques que atravessam o tórax têm grande chance de afetar o sistema cardiorrespiratório. No caso de queimaduras pelo choque elétrico, a chance de maior gravidade acontece com o corpo molhado e a pele rompi- da. As queimaduras são classificadas de acordo com a gravidade na sequência de primeiro a terceiro graus. Em relação a quedas, os acidentes com eletricidade muitas vezesocorrememmanipulaçãodefios emcertaaltura. Atender e tentar salvar uma vítima de choque elétrico requer muito cuidado e habilidade para não ficar na mesmasituação.Deve-sechamaro serviçode emergência o mais rápido possível. Procurar com urgência desligar a fonte de energia (interruptores, fusíveis, fio da tomada) ou usar alguma forma de isolamento elétrico com algo feito de borracha ou madeira (vassoura, cadeira, tapete, capa- cho de borracha) para empurrar a vítima para longe da fonte elétrica. Nunca use objetos molhados ou metálicos. Não se aproxime de vítimas em linhas ativas de alta volta- gem. Com a vítima fora da ação da eletricidade, iniciar técnicasdereanimaçãocardiorrespiratória,senecessário. AS CONSEQUÊNCIAS DO CHOQUE ELÉTRICO Dr. Getúlio Tanajura Machado gemachado@bol.com.br - tel. 71-3328-5633
  8. 8. Informativo da Paróquia de São Pedro Praça da Piedade, 11 - São Pedro - CEP: 40.060-300 - Salvador - Bahia - Brasil - Fone: (55)(0*71) 3329-3280 Site: www.paroquiadesaopedro.org - E-mail: padreaderbal@bol.com.br Direção e Coordenação: Padre Aderbal Galvão de Sousa Diagramação e Revisão: Equipe da Pastoral da Comunicação Colaboração: Getúlio Machado, Yvette Amaral e Zélia Vianna Ilustrações: Getúlio Machado, Rivelino Silva, Íris Andrade e internet Impressão: Pubgraf - E-mail: atendimentopubgraf@gmail.com Expediente: Jornalista responsável: Maria Alcina Pipolo - MTb/DRT/BA 915 Tiragem: 10 mil exemplares Distribuição Gratuita Arquidiocese de São Salvador da Bahia - Brasil Em 21 de setembro passado, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) realizou um ato oficial de lançamento doAno Mariano, com uma celebração na sede da entidade, em Brasília (DF). A cerimônia contou com a participaçãoda presidênciada CNBB, membros do Conse- lho Episcopal Pastoral, organismos vinculados à Confe- rênciaecolaboradoresqueatuamnasede. O Ano Nacional Mariano foi proclamado pela CNBB para celebrar os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da ConceiçãoAparecida nas águas do Rio Paraíba do Sul. Amensagem da proclamação doAno Mariano, dirigida à Igreja Católica no Brasil, foi assinada pelo presidente da CNBB, Dom Sérgio da Rocha,Arcebispo de Brasília; pelo vice-presidente, Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, Arcebispo de São Salvador da Bahia; e pelo secretário, DomLeonardoUlrichSteiner,BispoAuxiliardeBrasília. Diz a mensagem: “A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, em comemoração aos 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Senhora da ConceiçãoApa- recida, nas águas do rio Paraíba do Sul, instituiu o Ano Nacional Mariano, a se iniciar aos 12 de outubro de 2016, concluindo-se aos 11 de outubro de 2017, para celebrar, fazermemóriaeagradecer. Como no episódio da pesca milagrosa narrada pelos Evangelhos, também os nossos pescadores passaram pela experiência do insucesso. Mas, também eles, perseveran- do em seu trabalho, receberam um dom muito maior do que poderiam esperar: 'Deus ofereceu ao Brasil a sua pró- pria Mãe'.Tendo acolhido o sinal que Deus lhes tinha dado, os pescadores tornam-se missionários, partilhando com os vizinhos a graça recebida. Trata-se de uma lição sobre a missão da Igreja no mundo: 'O resultado do trabalho pasto- ral não se assenta na riqueza dos recursos, mas na criativi- dadedoamor'(PapaFrancisco). A celebração dos 300 anos é uma grande ação de gra- ças. Todas as dioceses do Brasil, desde 2014, preparam-se, recebendo a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida, que percorre cidades e periferias, lembrando aos pobres e abandonados que eles são os prediletos do coraçãomisericordiosodeDeus. O Ano Mariano vai, certamente, fazer crescer ainda mais o fervor dessa devoção e da alegria em fazer tudo o que Ele disser (cf. Jo 2,5).Todas as famílias e comunidades são convidadas a participar intensamente desseAno Mari- ano. A companhia e a proteção maternal de Nossa Senhora Aparecida nos ajude a progredir como discípulas e discí- pulos,missionáriasemissionáriosdeCristo!” Neste Ano Mariano, dê um presente a Nossa Senhora! Venha fazer parte dos Grupos Marianos que estão sendo organizados na nossa Paróquia. Informações na secretaria da Igreja Nossa Senhora do Rosário, na Avenida Sete de Setembro,819. Altar com a imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida na Igreja Matriz de São Pedro A nossa Paróquia mantém três espaços com o Bazar da Solidariedade, que são frutos de doações de roupas, sapatos, objetos de decoração, móveis e utensílios domésticos em bom uso que são postos à venda com o objetivo de ajudar no trabalho social que a paróquia desenvolve. Final de ano está chegando! Faça uma arrumação na sua casa, no seu guarda-roupa! Doe o que você não precisa mais para o nosso Bazar! Visite os espaços do nosso Bazar da Solidariedade, onde também podem ser feitas as doações. Informações pelo telefone: 2137-8666

×