Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Maio de 2018

43 views

Published on

Edição de Maio de 2018 do Jornal Folha de São Pedro, o Jornal da Paróquia de São Pedro

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Maio de 2018

  1. 1. Aunidade foi o grande anseio de Jesus em relação à Igre- ja. Depois da ceia em que instituiu a Eucaristia, Jesus dirige aos apóstolos palavras que são o seu testamento espiritual para eles e todos os seus seguidores que vieram depois. Nesse documento estão guardados magníficos ensinamen- tos, expressão do seu amor ao Pai e aos homens. Naquele momento emocionante, pouco antes da sua crucifixão e morte, o desejo do Filho é um apelo aos cristãos para vive- rem em harmonia. Para isto mandará o Espirito Santo, o grande sinal de que eles devem ter “um só coração e uma só alma” (At 4,32). O novo Povo de Deus, que é a Igreja, precisa viver em sintonia, fortalecendo sempre a unida- de que há de superar todas as divisões enquanto ele pere- grinarpelomundo. Uma das teclas mais digitadas nos discursos do Papa Francisco é exatamente a unidade entre os cristãos. O ecumenismo é meta do seu pontificado e a grande prova de que a Igreja deseja vencer a desunião. Não é possível que o Sangue derramado em favor da reconciliação uni- versalse dissolvanaterraestérildos desentendimentosedas separações. O Papa Francisco não perde de vista esse objeti- vo e chega a se pronunciar assim: “Fazer a unidade da Igreja é construí-la: esta é a tarefa de todo cristão, de cada um de nós”. Tem sido insistente a sua pregação sobre a urgência de lutarmos animados pela profecia de Jesus, antecipando que, nofim,“haveráumsó rebanhoeumsó Pastor”(Jo 17,2). É lamentável, mas é verdade, que a humanidade cami- nha na contramão dessa proposta. Os países, as comunida- des, os próprios cristãos se esquecem de que o amor é a sín- tese da pedagogia do Mestre, e que dos seus lábios saiu esta súplica ardente: “... que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim e eu em ti” (Jo 17,21). As nossas divisões ferem o Corpo de Cristo já tão massacrado pela fúria dos judeus. Como ponto de união entre o Pai e nós, Ele nos prepara para essa tarefa, reconhecendo que tal missão é ação do Espirito Santo, “o único capaz de fazer a unidade na diversidade dos povos, das culturas, das pessoas”. Estimula esse dever, con- vocando: “Vamos para ela! Mas com a força que nos dá a oração de Jesus pela unidade; com a docilidade do Espirito Santo, que é capaz de fazer de tijolos pedras vivas; e com a esperança de encontrar o Senhorquenos chamou”. Além de nos apontar o protagonista da unidade: o Espírito Santo, ele nos mos- tra o trajeto a ser feito para desaguarmos no coração do Pai. “Só caminhando pela trilha da humildade, doçura e magnanimidade, apoiando- nos uns aos outros, chega- mos lá”. O apoio recíproco é indispensável porque na estrada da mansão celeste ninguémandaisoladamente. Além do desejo de que a Páscoa encha o coração de todos vocês, faço-lhes um pedido: apertemos os laços da fé e da amizade para assumir, diante do Senhor ressuscitado, o compromisso de sermos, na família, no trabalho, na socie- dade e na Igreja, sementes de unidade que geram harmonia e paz. Nesse mês dedicado a Maria, Mãe de Deus e nossa mãe, quero agradecerao Senhor pelos 35 anos da minhacaminha- da sacerdotal, colocando-me inteiramente sob a proteção de Nossa Senhora. Um abraço fraterno a você, leitor, e aos paroquianos de SãoPedro. Padre Aderbal Galvão de Sousa Os sete dons do Espírito Santo : Fortaleza, Sabedoria, Ciência, Conselho, Piedade, Entendimento e Temor de Deus. Página 5 Yvette Amaral homenageia Padre Aderbal nos seus 35 anos de ordenação sacerdotal. Página 7 Na sua mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, o Papa Francisco faz um alerta sobre as notícias falsas. Página 8
  2. 2. Do ponto de vista cristão, a família é anterior a qual- quer sociedade vez que o Deus que criou o ser humano à sua imagem e semelhança é um Deus Família (Pai, Filho, Espírito Santo). A família é a parte principal da socieda- de. Um mundo sem família é como uma casa sem alicer- ce ou uma planta sem raízes: qualquer oscilação ou vento um pouco mais forte poderá derrubá-la. Exatamente por- que a família é uma criação de Deus e uma necessidade da sociedade, a Igreja no Brasil escolheu a Sagrada Famí- lia de Nazaré – formada pelos leigos Jesus, Maria e José – comosímbolodoAno do Laicato. Convencidosdequeos únicosresponsáveispelaevan- gelização eram os bispos, padres e diáconos, lamentavel- mente, os leigos se esqueceram de cuidar do mundo lá fora, e essa ideia foi uma ver- dadeira pedra de tropeço no processo de evangelização. O resultado foi deveras desastroso. Deixaram vazio o seu principal lugar de atua- ção e concorreram decisiva- mente para o crescimento de umasociedadeviolenta,desi- gual, corrupta, injusta, cada vez mais distante da mensa- gem do Evangelho. Essa ideia clericalista, contudo, não desapareceu de todo e ainda permanece viva na cabeçademuitos. É justo que os leigos cola- borem e prestem serviços à comunidade eclesial da qual fazem parte, porém, sem jamais trair sua condição de discípulos missionários de Jesus nos ambientes onde moram, trabalham, diver- tem-se, passam enfim a maior parte de seu tempo. Esses ambientes sofrem a ausência de cristãos responsáveis e audaciosos, de leigos conscientes de sua condição de formadores de opinião e de construtores de uma sociedade afável, solidária e jus- ta,conformeo sonho do Senhor. De todos os ambientes a serem evangelizados destaco o da família, não apenas por ser a primeira sociedade que nos acolhe quando saímos do útero de nossa mãe e o lugar mais propício para o crescimento e transmissão da fé e dos valores humanos e cristãos, mas também porque uma sociedade justa e fraterna só será possível com a pre- sença e decisiva contribuição das famílias. Cabe bem aqui a célebre sentença do grande jurista Rui Barbosa: “A Pátriaéafamíliaamplificada”. Como o núcleo familiar é, ao mesmo tempo, sujeito e objeto da evangelização, fica evidente que só uma família evangelizada tem condições de ser evangelizado- ra. Por isso, o exemplo dos pais que vivem de acordo com asexigênciasdo Evangelho,bemmaisquepalavrasecon- selhos,étestemunhofundamentalparaaformaçãodaper- sonalidade dos filhos, que, quando adultos, procuram agirconformeforameducados. Não resta dúvida que o lar, que é o melhor lugar para se aprender a respeitar o outro, partilhar, conviver e acei- tar as diferenças, está sendo bombardeado por todos os lados. Com a justificativa de que tudo é relativo e de que não há verdade absoluta, através de programas e novelas, a mídia propõe como válidos diversos e degradantes tipos de comportamento e relacionamento familiar. Por sua vez, a droga, o álcool, o consumismo, o endeusamen- todabeleza,aculturadopro- visório, a desenfreada cor- rupção são males que cer- cam e atingem em cheio a família e promovem a sua desintegração. Penso que não precisa- mos debruçar-nos sobre livros e tratados para com- preender que a raiz de todos os problemas e crises está na ausência de Jesus Cristo na família, na ausência da ora- ção e do estudo do Evange- lho, o Livro que nunca enve- lhece e que contém lições de vida para todas as pessoas de todas épocas: reis, comerci- antes, donas de casa, gover- nantes, juízes, cidadãos comuns, crianças, jovens, oprimidoseinjustiçados. A cada dia torna-se mais urgente a necessidade de a família abrir-se para a comu- nidade eclesial e responder afirmativamente ao convite doPapaFrancisco:“sair”desi paraasrealidadesdomun- do, ir ao encontro de outras famílias nas “periferias exis- tenciais onde há sofrimento, solidão e degrado humano”. É uma proposta desafiadora principalmente porque, dife- rentemente do passado quando havia praticamente ape- nas um modelo tradicional de família, vários tipos de família estão surgindo. Diante dessa nova realidade, faz- se necessário não um novo Catecismo nem uma nova evangelização, porém um jeito novo de evangelizar, alémdeumaboadosedealegria,coragem,iniciativaecri- atividade. Acreditemos que é possível transformar a sociedade a partir da conversão das famílias porque o trabalho é nos- so, mas a conversão é obra de Jesus. E, se é obra d´Ele, nadaeninguémháquepossa impedirsuarealização. Zélia Vianna zelia.vianna@yahoo.com.br
  3. 3. DIA DO TRABALHADOR, ABERTURA DO MÊS DE MARIA, ANIVERSÁRIO DE ORDENAÇÃO SACERDOTAL DE PADRE ADERBAL: 1.º de maio, missa festiva às 9h30, na Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa. Não haverá missa na Igreja de São Pedro. HORA SANTA E MISSA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS: 4 de maio, Hora Santa às 9h, e missaàs10h, naIgrejadeSão Pedro. ANIVERSÁRIO DE NASCIMENTO DE PADRE ÁUREO:4demaio. PREPARAÇÃO DE PAIS E PADRINHOS PARA O BATISMO DE CRIANÇAS: 5 e 19 de maio, das 14h às 18h,naIgrejaNossa SenhoradaConceiçãodaLapa. BATISMO DE CRIANÇAS: 6 e 20 de maio, às 8h30, na IgrejadeSão Pedro. DIA DAS MÃES, DIA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMAE FESTADAASCENSÃO DE JESUS: 13 de maio, missa às 7h30, 9h30 e 11h30, na Igreja de São Pedro. DIADOS GARIS:14 demaio. FESTADE PENTECOSTES E MISSAEMAÇÃO DE GRAÇAS PELOS DOADORES DO BAZAR: 20 de maio, missa às 7h30, 9h30 e 11h30, na Igreja de São Pedro. FESTADASANTÍSSIMATRINDADE E MISSAEM AÇÃO DE GRAÇAS PELOS DIZIMISTAS DA PARÓQUIA: 27 de maio, missa às 7h30, 9h30 e 11h30, naIgrejadeSão Pedro. COROAÇÃO DE NOSSASENHORA: Devido à Festa de Corpus Christi, dia 31 de maio, o encerramento do mês de Maria será antecipado para o dia 30 de maio, às 17h, na IgrejadeSão Pedro. FESTA DE CORPUS CHRISTI: 31 de maio, missa às 7h30,9h30e11h30, naIgrejadeSãoPedro. ESCOLA DE MARIA: Todo sábado, às 9h, na Igreja de SãoPedro. GRUPO DE MÃES QUE ORAM PELOS FILHOS: Todo sábado, às 8h30, na Igreja Nossa Senhora da ConceiçãodaLapa.Venhaparticipar! 01 a13:TrezenadeSantoAntônio; 02 e 16: Preparação de pais e padrinhos para o batismodecrianças; 03 e17:Batismodecrianças; 05, 06 e 07: Tríduo da Festa do Sagrado CoraçãodeJesus; 08:Festado SagradoCoraçãodeJesus; 09:Festado ImaculadoCoraçãodeMaria; 17: Missa em ação de graças pelos doadores do bazar; 24: Missa em ação de graças pelos dizimistas daParóquia 24:NatividadedeSãoJoãoBatista; 26,27e28:TríduodaFestadeSãoPedro; 29:FestadeSãoPedro. A nossa Paróquia mantém três espaços com o Bazar da Solidariedade, que são frutos de doações de roupas, sapatos, objetos de decoração, móveis e utensílios domésticos em bom uso que são postos à venda com o objetivo de ajudar no trabalho social que a Paróquia desenvolve. Faça uma arrumação na sua casa, no seu guarda-roupa! Doe o que você não precisa mais para o nosso Bazar! Visite os espaços do Bazar da Solidariedade, onde também podem ser feitas as doações: Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa: Av. Joana Angélica, 41 - Lapa Igreja Nossa Senhora do Rosário: Av. Sete de Setembro, 819 - Rosário Igreja Senhor Bom Jesus dos Aflitos: Largo dos Aflitos, s/n - Aflitos Informações pelo telefone: 2137-8666
  4. 4. CELEBRAÇÕES DA SEMANA SANTA De 25 a 31 de março passado, aconteceram as celebra- ções da Semana Santa, com os atos litúrgicos realizados sempre na Igreja Matriz de São Pedro. No dia 25 de mar- ço, Domingo de Ramos, houve celebrações às 7h30, 9h30 e 11h30; na quarta-feira houve celebração penitencial; na Quinta-feira Santa, a comunidade se manteve em adora- ção ao Santíssimo Sacramento desde às 8h às 16h. Às 17h, houve a celebração da Missa da Ceia do Senhor, com o gesto do Lava-pés; na Sexta-feira Santa, a Liturgia da Paixão aconteceu às 17h; no Sábado Santo, a Vigília da Páscoa foi iniciada às 18h. Em todos os momentos do Tríduo Pascal houve grande participação da comunidade paroquial e contou com a presença do nosso pároco, Padre Aderbal Galvão de Sousa, do diácono Lourival Cerqueira deAlmeida e, com o reitor do Seminário Central da nossa Arquidiocese, Padre GilAndré Peixinho Vieira, que cele- brou no dia 29 de março dez anos de sua ordenação sacer- dotal. DEZ ANOS DE MINISTÉRIO SACERDOTAL DE PADRE GILANDRÉ Padre Gil André Peixinho Vieira também celebrou a passagem dos seus dez anos de aniversário de ordenação sacerdotal com um tríduo nos dias 5, 6 e 7 de abril passado e uma missa festiva no dia 8 de abril, na sua cidade natal, Campo Formoso. Nosso pároco Padre Aderbal foi convi- dado para presidir o terceiro dia do tríduo por ser conterrâ- neo e amigo do Padre GilAndré e pelo especial motivo de ter sido um forte diretor espiritual para ele. No dia 11 de abril, uma outra missa festiva foi celebrada na Capela da Sagrada Família,em Salvador. Padre GilAndré atualmen- teéreitordoSeminárioCentraldanossaArquidiocese. MANHÃ DE ORAÇÃO O Grupo Mães que Oram pelos Filhos e o Grupo Nossa Senhora do Cenáculo convidam para uma manhã de ora- ção, nos dias 12 e 23 de maio, respectivamente, a partir das 9h, na Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa, com a presença do missionário Fabrício Aquino em ambosos dias.
  5. 5. PENTECOSTES: OS SETE DONS DO ESPÍRITO SANTO Os sete dons do Espírito Santo são graças de Deus e, só com nosso esforço, não podemos fazer com que cresçam e se desenvolvam. Necessitam de uma ação direta do Espírito Santo para podermos atuar dentro da virtude e perfeiçãocristã. No Espírito Santo, Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, reside oAmor Supremo entre o Pai e o Filho. Foi pelo Divino Espírito Santo que Deus se encarnou no seio de Maria Santíssima, trazendo Jesus ao mundo para nossa salvação. Peçamos a Maria, esposa do Espírito Santo, que interceda por nós junto a Deus, concedendo-nos a graça de recebermos os divinos dons, apesar de nossa indignidade, de nossa miséria. Nas Escrituras, o próprio Jesus nos recomenda: “Pedi e se vos dará. Buscai e achareis. Batei e vos seráaberto”(Mt7,7). 1. Fortaleza – Por essa virtude, Deus nos propicia a coragem necessária para enfrentarmos as tentações, vulnerabilidade diante das circunstâncias da vida e também firmeza de caráter nas perseguições e tribulações causadas por nosso testemunho cristão. Por essa virtude, a alma se fortalece para praticar toda a classe de atos heroicos, com invencível confiança em superar os maiores perigos e dificuldades com que nos deparamos diariamente. Ajuda-nos a não cair nas tentações e ciladas dodemônio. 2. Sabedoria – O sentido da sabedoria humana reside no reconhecimento da sabedoria eterna de Deus, Criador de todas as coisas que distribui seus dons conforme seus desígnios. Para alcançarmos a vida eterna devemos aliar- nos a uma vida santa, de perfeito acordo com os mandamentos da lei de Deus e da Igreja. Nisso reside a verdadeira sabedoria que, como os demais, não é um dom que brota de baixo para cima, jamais será alcançada por esforço próprio. É um dom que vem do alto e flui através do Espírito Santo que rege a Igreja de Deus sobre a terra. Permite-nos entender, experimentar e saborear as coisas divinasparapoderjulgá-lasretamente. 3. Ciência – Torna-nos capazes de aperfeiçoar a inteligência, onde as verdades reveladas e as ciências humanas perdem a sua inerente complexibilidade. Nossas habilidades com as coisas acentuam-se progressivamente em determinadas áreas, conforme nossas inclinações culturais e científicas, sempre segundo os desígnios divinos, mesmo que não nos apercebamos disso. Todo o saber vem de Deus. Se temos talentos, deles não nos devemos orgulhar, porque de Deus é que os recebemos. Se o mundo nos admira, bate aplausos aos nossos trabalhos, a Deus é que pertence essa glória, a Deus, que é o doador de todosos bens. 4. Conselho – Permite à alma o reto discernimento e santas atitudes em determinadas circunstâncias. Ajuda- nos a sermos bons conselheiros, guiando o irmão pelo caminho do bem. Hoje mais do que nunca está em foco a educação das crianças e dos jovens. As dificuldades internas e externas, materiais e morais, muitas vezes, passam pelo dom do Conselho sem disso nos apercebermos. É uma responsabilidade, portanto, cumprir a vontade de Deus, que destinou o homem para fins superiores, para a santidade. Para que possamos auxiliar o próximo com pureza e sinceridade de coração, devemos pedir a Deus esse precioso dom, com o qual O glorificaremos aos mostrarmos ao irmão as lições temporais que levam ao caminho da salvação. É sob a influência desse ideal que a mãe ensina o filhinho a rezar, a praticar os primeiros atos das virtudes cristãs, da caridade, daobediência,dapenitência,doamoraopróximo. 5. Entendimento – Torna nossa inteligência capaz de entender intuitivamente as verdades reveladas e naturais de acordo com o fim sobrenatural que possuem. A aparente correlação não significa que, quem possui a sabedoria, já traga consigo o entendimento por consequência (ou vice-versa). Existe uma clara distinção entre um e outro. Não sendo um consequência do outro, são distintamente preciosos e complementam-se mutuamente, fazem-nos aproximar de Deus com todas as nossas forças, com toda a nossa devoção, inteligência e sensível percepção das coisas terrenas, que devem estar sempredirecionadasàs coisascelestes. 6. Piedade – É uma graça de Deus na alma que proporciona salutares frutos de oração e práticas de piedade ensinadas pela Santa Igreja. Nos dias de hoje, considerando a população mundial, há poucas, muito poucas pessoas que acham prazer em serem devotas e piedosas; as poucas que o são tornam-se geralmente alvo de desprezo ou escárnio de pessoas que têm outra compreensão da vida. Num mundo materialista e distante de Deus, peçamos a graça da piedade para que sejamos fervorosos nocumprimentodaPalavra. 7. Temor de Deus – Teme a Deus quem procura praticar os seus mandamentos com sinceridade de coração. Como nos diz a Palavra, devemos buscar em primeiro lugar o reino de Deus, e o resto nos será dado por acréscimo. O mundo muitas vezes sufoca e obscurece o coração. Não esqueçamos, portanto, de pedir ao Deus Espírito Santo a graça de estarmos em sintonia diária com os preceitos do Criador. Por esse divino dom, torna-se Deus a pessoa mais importante em nossa vida, onde a alma docemente afasta-se do erro pelo temor em ofendê-Lo comnossos pecados.
  6. 6. 01-EDNA DE ARAUJO ROCHA 01-LUCIANA PINHEIRO IGLESIAS 01-MARINALVA CHAVES SANTANA 02-M.ª HELENA PASSOS DA SILVA PINTO 02-M.ª PEREIRA SANTOS 03-BERNADETE MARIA SOARES FONTES 03-JANDIRAA. SILVA DOS SANTOS 03-JOSÉ ONOFRE DOS SANTOS 03-M.ª DO CARMO RODRIGUES DE SOUZA 03-NEUZA BISPO DE ALMEIDA 04-FERNANDO S. MOTA DE BARROS 05-DANILO DE OLIVEIRA ROCHA 05-LUÍS ROBERTO ALVES DOS SANTOS 05-MÁRCIA MARIAABREU BASTOS 05-MARLENE MARIA COSTA FREITAS 06-JOSSILENE SANTOS FREIRE 06-M.ª CREUSA DE SOUZA TRINDADE 06-MIROSVALDO SANTOS MENEZES 07-IASMIM SOUZA ROCHA 07-M.ª ALICE COSTA MURICY 07-MARIA JOSÉ DE CARVALHO 07-SHEILA CRISTINA TEIXEIRA 08-ANITA DE OLIVEIRAALVES 08-CLARICE BARBOSA PEREIRA 08-EDNA SOUZA GUIMARÃES 08-M.ª DE LOURDES AMORIM VIEIRA 08-Mª NASCIMENTO LEAL 09-MÁRCIA COSTA DE SOUSA 09-RAIMUNDO DE SOUSA 10-ANTONINA MAURÍCIO DO CARMO 10-ANTÔNIO AUGUSTO DE LIMA PEREIRA 10-DIONE OLIVEIRAALMEIDA FREITAS 10-EDNA MARIA OLVEIRA RIBEIRO 10-JACQUELINE M. BARRETO PEREIRA 10-NÁBILA SANTOS BRITO 10-OSÓRIO HENRIQUE D. DE SOUZA 11-ELIANA CARDOSO XAVIER 11-JORGE LUIZ SANTANA BOAVENTURA 11-JOSÉ AUGUSTO SILVA 11-JOSÉ CARLOS DOS SANTOS 11-M.ª JOSÉ DOS SANTOS SANMARTIN 11-MONIQUE MONIZ BARRETO PEREIRA 11-ROBERTO LUIZ DE ANDRADE VIEIRA 11-STELLA SOUZA GUERRA LIMA 12-EDNA LIMA DE CARVALHO 12-ITALO N. DO NASCIMENTO FONSECA 12-JOÃO CANÁRIO BARBOSA DE SOUZA 12-NADIR TEIXEIRA 13-LINDAURA OLIVEIRAALMEIDA 13-M.ª DE FÁTIMA DE LIRO SÁ 13-MARLY PAES LANDIM DE BORGES 14-GIESI N. DOS SANTOS FILHO 14-IOLANDA MARIA SANTOS BATISTA 14-JACIARA CONCEIÇÃO ALMEIDA 14-LUÍS CARLOS CHAGAS BRAGA 14-M.ª CELESTE DE GOES BARRETO 15-JOANA ZEFERINA DA PAZ 15-M.ª DA HORA GONÇALVES DE SOUZA 16-IOLANDA DE OLIVEIRA KELLER 16-M.ª DO CARMO OLIVEIRA DE SOUZA 16-M.ª DAS GRAÇAS FERREIRA DA SILVA 16-ZILMA HONÓRIA XAVIER 17-JOSÉ AYRES NUNES COSTA 17-M.ª CLÉA MARQUES BITENCOURT 18-BRENDA DOS SANTOS DE SOUZA 18-CRISTIANE LOPES ESQUIVEL DE JESUS 18-DEMÉTRIUS BONFIM DOS SANTOS 18-ISA DA SILVA BATISTA 19-IVAN BARRETO SARDINHA 19-IVONE CELESTINA MARTINS 19-M.ª DA HORA DE JESUS SANTOS 19-M.ª GILMA VERA CRUZ 21-ALBANO ERNESTO MARTINS 21-M.ª CÉLIA DE ARAÚJO GUEDES 21-ZACÁRIAS CARDOSO DOS APÓSTOLOS 22-TEREZA CRISTINA LOPES DOS SANTOS 23-DULCENEIDE MOURA BORGES 23-EUNICE BATISTA 23-LÚCIA LIRA 23-MARINALVA SOUZA NASCIMENTO 24-M.ª DAS VIRGENS CHÉ DE MEDEIROS 24-NORMA MENDES BARRETO 25-HELOÍSA MENDES DOS SANTOS 25-IRAILDES MARIA FERREIRA 25-MARINA GOMES DA SILVA 26-M.ª DAS GRAÇAS OLIVEIRA DOS ANJOS 27-OLINDA SOUZA CRUZ MENEZES 28-ANDREY RAPHAEL DE S. NASCIMENTO 28-LIZETTE DIAS TEIXEIRA 28-LORENY CARDOSO DE MELO 28-SÔNIA REGINA DE OLIVEIRA PINHO 29-ALMERINDA BARBOSA DOS SANTOS 29-NAIR PALLES KELLER 30-FERNANDO CERQUEIRA SILVA 30-M.ª EDNETE GUIMARÃES NEGRÃO 30-NEIDE SOUZA MAGNAVITA 30-ROSILENE PALHETA DE OLIVEIRA 31-MÉRCIA CABRAL SILVA OLIVEIRA A você, meu irmão, minha irmã, que assume esta Paróquia como dizimista e se compromete com o trabalho pastoral, parabéns! Como presente do seu aniversário, a comunidade paroquial estará unida a você, seus amigos e familiares, nesse dia tão especial, para celebrar esta data. Venha participar, nesse dia, da Santa Missa, às 8h, na Igreja de São Pedro. Caso a data seja no Domingo ou Dia Santo, a missa começa às 7h30. PARÓQUIA DE SÃO PEDRO MOVIMENTO FINANCEIRO MARÇO/2018 RECEITAS Espórtulas de missas ............................... 7.060,00 Espórtulas de batizados .............................. 200,00 Espórtulas de matrimônios .......................... 975,00 Taxa de certidões .........................................105,00 Dízimos .................................................. 34.448,00 Coletas ordinárias .................................. 8.092,40 Donativos ............................................... 2.200,00 Rendimento do bazar ............................. 7.880,00 Rendimento do restaurante .................... 8.018,51 Rendimento de aplicações ........................... 55,18 TOTAL ............................................... 69.034,09 DESPESAS Manutenção e conservação .................. 640,42 Material litúrgico ...................................... 624,70 Ajuda pastoral a moradores de rua .......... 1.000,00 Ajuda pastoral a mulheres marginalizadas 954,00 Promoção humana/formação ................. 954,00 Assistência social .................................. 4.200,00 Salários ....................................... 20.278,17 Vale refeição ......................................... 6.848,34 Vale transporte ..................................... 1.975,80 Encargos sociais ......................... 11.846,75 Assistência odontológica a funcionários .. 247,00 Côngrua ao pároco ....................... 3.000,00 Material de informática ......................... 100,00 Taxa de programa SGCP (informática).. 110,50 Serviços contábeis ................................... 1.550,00 Correios .................................................. 100,00 Água, energia e telefonia ........................ 3.748,30 Taxa à Cúria .................................. 4.847,32 Tarifa bancária .............................................127,80 Seguros ....................................................... 860,37 TOTAL ............................................. 64.013,47 SALDO DO MÊS 5.020,62 Dízimo é partilha. Partilhar os dons e os bens materiais é uma característica dos discípulos de Jesus e a condição para o seu seguimento. SEJA DIZIMISTA INSCREVA-SE NA SECRETARIA PAROQUIAL
  7. 7. Mais uma vez a Paró- quia de São Pedro, a Rede Excelsior de Comunica- ção, familiares e amigos celebram uma data importante na vida de PadreAderbal: 35 anos de sacerdócio. Já é um con- siderável trajeto por uma opção vocacional que ele fezlivremente,commatu- ridade e discernimento. Se folhearmos as páginas escritas dessa aventura singular – cada vida é uma saga pessoal e irre- petível –, encontramos capítulos edificantes, revelando que a metabuscadaestásendo atingida. Padre Aderbal viveu num tempo privilegiado para uma personalidade como a sua: combativa, corajosa e coerente. Na história da humanidade, foi uma etapa de mudanças pro- fundas decorrentes da Segunda Guerra Mundial. Na Igreja conviveu com o pós-concílio Vaticano II. Dois acontecimen- tos que determinaram uma virada histórica cheia de novida- des. Ele foi um favorecido por essa era. Com a graça de Deus e a firmeza do seu caráter, superou os obstáculos encontra- dos, alguns agravados pela sua limitação visual, confessando como são Paulo: “Posso tudo n'Aquele que me fortalece” (Fl 4,13). Hoje ele partilha seus carismas em duas comunidades diferentes, porém unidas pelo denominador comum: sua vocação sacerdotal.AParóquia de São Pedro, esposa querida a quem oferece os seus dons e as reservas do coração.Acami- nhada de Padre Aderbal como pároco merece mais eloquên- cia do que essas palavras tão simples, embora encadernadas em fraternal amizade. São parágrafos nascidos numa longa convivência que me deram oportunidade de conhecê-lo em várias dimensões. Por isso afirmo com segurança ser ele um padreparaoseu tempo. Paralelamente é o diretor da Rede Excelsior de Comuni- cação, que tem exigido dele um elenco de qualidades como administrador, além de habilidades indispensáveis a um jor- nalista evangelizador. Inicialmente dirigiu uma AM de potência restrita; hoje lidera uma equipe responsável por FMs que levam informações e mensagens a maiores distân- ciasecommelhorprodutividade. Essa miniatura de currículo de PadreAderbal, recordando apenas os 35 anos de sacerdócio, indica uma jornada dinâmi- ca de quem não quer desperdiçar nenhum dos talentos que Deus lhe deu. Sem referências ao seu passado de criança e jovem, porque este espaço jornalístico não comportaria, podemos afirmar que ele vem sendo fiel à sua opção pelo ministério sacerdotal. Seu 'sim' a Deus e à Igreja não foi uma palavra intempestiva, porém dada com maturidade, Ele assi- nou em 1.º de maio de 1983 um juramento sério, uma pro- messa de vida comprometida com fé, esperança, energia e lucidez. Nos seus passos, o testemunho de que não caminhou sozinho; nos seus atos, a confirmação de que sua estrada foi respostaaomandamentodoamor. Só nos cabe, PadreAderbal, neste mês tão especial da sua história, agradecermos a Deus o tesouro da sua vida, e a você oseu serviçoesua amizade. Yvette Amaral yvettealemosmaral@gmail.com A osteoartrose do joelho é uma doença de caráter infla- matório e degenerativo que provoca destruição da cartila- gem articular e leva à deformidade da articulação. Esta enfermidade é bastante frequente, atingindo praticamente todaapopulaçãodaterceiraidade. A complexa estrutura da cartilagem articular, formada pelos elementos sólidos e 60% de água tem a função de absorver choques e distribuir a carga do peso do corpo. Com o envelhecimento acontece uma perda de água que provoca diminuição dessa capacidade de absorção de carga e de trau- mas. O trauma repetido e não convenientemente absorvido causa morte celular, ocorrendo a destruição da cartilagem. Devido à sua estrutura, o osso não tem condições adequadas de absorção de choque e, como consequência do trauma repetidoenãoprotegido,passa asofrer deformidades. No quadro clínico o paciente apresenta dor após esforços que anteriormente não provocavam dor. Pode ocorrer aumento de volume da articulação em decorrência do aumento da produção reacional do líquido intra-articular. O repouso do joelho em uma mesma posição pode provocar dor no início do movimento. Com a progressão do processo, esses sintomas tornam-se mais intensos, havendo dor já com pequenos esforços. As deformidades dos ossos fazem com que haja desvio do eixo do joelho, provocando envergadura das pernas, que pode ser em forma de “X” ou em forma de “O”. O diagnóstico é feito através da história clínica e de exa- mes de imagem que detectam a deformidade óssea, diminui- ção do espaço articular, processo de edema e excesso de líquido sinovial. O tratamento precoce tem ligação direta com as chances de minimizar ou evitar as perdas ósseas. Pode ser um tratamento medicamentoso ou cirúrgico, tendo- se sempre em consideraçãoque o portador de osteoartrose do joelho deve ser visto de forma global, por exemplo, o pacien- te obeso terá como consequência o aumento da carga nas articulações do joelho, sendo necessário uma abordagem terapêuticacompletanosentidodereduçãodepeso. OSTEOARTROSE DO JOELHO Dr. Getúlio Tanajura Machado gemachado@bol.com.br - tel. 71-3328-5633 Ordenação sacedortal em 1983, em Campo Formoso, por Dom Avelar
  8. 8. Informativo da Paróquia de São Pedro Praça da Piedade, 11 - São Pedro - CEP: 40.060-300 - Salvador - Bahia - Brasil Site: www.paroquiadesaopedro.org - E-mail: salvador.paroquiasaopedro@gmail.com Direção e Coordenação: Padre Aderbal Galvão de Sousa Diagramação e Revisão: Equipe da Pastoral da Comunicação Colaboração: Getúlio Machado, Yvette Amaral, Zélia Vianna Ilustrações: Getúlio Machado, José Queiroz e internet Jornalista responsável: Maria Alcina Pipolo - MTb/DRT/BA 915 Tiragem: 5 mil exemplares Distribuição Gratuita Arquidiocese de São Salvador da Bahia - Brasil Expediente: Fone: (71) 3329-3280 No último dia 24 de janeiro, dia em que a Igreja celebra São Francisco de Sales, padroeiro dos jornalistas, como faz anualmente, o Papa Francisco divulgou a sua mensagem para o 52.º Dia Mundial das Comunicações Sociais, a ser celebrado neste ano no próximo dia 13 de maio, na Festa da AscensãodoSenhor. “A comunicação humana é uma modalidade essencial para viver a comunhão”, afirma o Papa Francisco na sua mensagem.Após elevar a capacidade humana de expressão, compartilhamento e construção da sua própria memória, o Pontífice faz um alerta sobre o egoísmo, sentimento aponta- do por ele como capaz de distorcer a comunicação e a verda- deemproldeumbemindividualoucoletivo. As “fake news” – notícias falsas – foram apontadas pelo Papa como um tema a ser refletido. De acordo com o Santo Padre, essas “notícias” verossímeis – aquilo que parece intuitivamente verdadeiro, mas não é – são capazes de cha- mar a atenção dos leitores, apoiadas sobre estereótipos e preconceitos generalizados, e explorar emoções como ansi- edade, desprezo, ira e frustração. A difusão desses conteú- dos falsos acontece, em sua maioria, pelas redes sociais, ondeganhamvisibilidadeetornamseus danosirreversíveis. As notícias falsas, que, segundo destacou o Pontífice, visam objetivos prefixados – como influenciar opções polí- ticas e favorecer lucros econômicos – devem ser erradicadas em uma corrente de conscientização das pessoas que intera- gem a partir desse tipo de conteúdo. Para o Papa, as “fake news” geram ambientes digitais de confronto, de descrédito do outro, que passa a ser visto como um inimigo: uma demo- nizaçãoquepodefomentarconflitos. Nesse drama da desinformação que gera intolerância, arrogância e ódio, o Santo Padre afirmou que as “fake news” seguem a “lógica da serpente”, citada na narração do pecado original como figura de confusão e tentação para o homem e para a mulher. “Este episódio bíblico revela, assim, um fato essencial para o nosso tema: nenhuma desinformação é inofensiva, antes, pelo contrário, fiar-se daquilo que é falso produz consequências nefastas. Mesmo uma distorção da verdade aparentemente leve pode ter efeitos perigosos”, advertiuoPontífice. Comunicaraverdade O Papa Francisco manifestou seu desejo de contribuir para a prevenção da difusão das notícias falsas e para a redescoberta do valor da profissão jornalística e da respon- sabilidade pessoal de cada um na comunicação da verdade. O Santo Padre caracterizou como louváveis as iniciativas que ensinam homens e mulheres a aprender como ler e ava- liar o contexto comunicativo, e a não ser divulgadores inconscientes de desinformação, mas atores do seu desven- damento. As i n i c i a t i v a s institucionais e j u r í d i c a s também foram valorizadas pelo Pontífice. “O antídoto mais radical ao vírus da falsidade é d e i x a r - s e purificar pela v e r d a d e ” , assinalouele. De acordo com o Santo Padre, o homem descobre sem- pre mais a verdade quando a experimenta em si mesmo como fidelidade e fiabilidade de quem o ama. “O melhor antídoto contra as falsidades não são as estratégias, mas as pessoas: pessoas que, livres da ambição, estão prontas a ouvire,atravésdafadigadumdiálogosincero,deixamemer- gir a verdade; pessoas que, atraídas pelo bem, mostram-se responsáveisnouso dalinguagem”,afirmouoPontífice. JornalismodePaz Por fim, o Papa direcionou sua mensagem aos jornalis- tas, que, segundo ele, por profissão, são obrigados a ser responsáveis ao informar, e que, como guardiões das notíci- as, não desempenham apenas uma profissão, mas uma ver- dadeira e própria missão. “[O jornalista] tem o dever de lembrar que, no centro da notícia, não estão a velocidade em comunicá-la nem o impacto sobre a audiência, mas as pes- soas. Informar é formar, é lidar com a vida das pessoas. Por isso, a precisão das fontes e a custódia da comunicação são verdadeiros e próprios processos de desenvolvimento do bem, que geram confiança e abrem vias de comunhão e de paz”,esclareceuoPontífice. Francisco convidou os profissionais de comunicação a promover um jornalismo de paz, que não negue a existência de problemas graves, mas que, pelo contrário, não use de fingimentos, seja hostil às falsidades, a slogans sensacionais e a declarações bombásticas; um jornalismo a serviço de todas as pessoas, que não se limite a queimar notícias, mas que se comprometa na busca das causas reais dos conflitos, favorecendo a compreensão das raízes e empenhado em indicarsoluçõesealternativas. O Santo Padre encerrou sua mensagem inspirado na oração franciscana da paz: “Senhor, fazei de nós instrumen- tos da vossa paz. Fazei-nos reconhecer o mal que se insinua emumacomunicaçãoquenãocriacomunhão”. Papa alerta sobre as “fake news”

×