Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Janeiro de 2018

45 views

Published on



Edição de Janeiro de 2018 do Jornal Folha de São Pedro, o Jornal da Paróquia de São Pedro

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Janeiro de 2018

  1. 1. Começa janeiro, abrindo um novo ano que desejamos seja para todos uma sequência de alegria, felicidade e paz. 2018, mais quatro dígitos que entram nos anais da história, mais uma convocação para não permanecermos na beira da estrada, vendo a humanidade desfilar. Não somos estáticos, porém dinâmicos e, enquanto vivos, devemos seguir o ro- teiro que Deus traçou para nós. O ponto final do nosso traje- to pelo mundo é segredo do Pai. Devemos preocupar-nos, sim, com os passos dados porque o troféu da nossa vida é conquistado por estes e através deles realizamos nossa mis- são. Vamos torcer para que o novo ano tenha uma fisionomia mais alegre, e um ar mais oxigenado. 2017 e os anteri- ores foram uma experiência pesada para nós brasileiros. Fomos surpreendidos por tantos fatos lamentáveis que é difícilacolher2018comentu- siasmo. Entretanto, se reunir- mos os grãos de esperança ainda encontrados em muitas pessoas, procurando partilhá- los, talvez se segure a onda de desânimo, e o Brasil prossiga para tempos mais promisso- res. Aguardemos dias ensola- rados e noites abençoadas peloCruzeirodoSul. Lamentavelmente, esse país de natureza tão bela está desfigurado, desbotado pela insensatez de muita gente, desde os dirigentes residentes em Brasília até moradores das fronteiras mais distantes. Enquanto nos Estados Unidos e no Caribe furacões varre- ram muitas cidades, penalizando milhares de pessoas, aqui os vulcões da corrupção e da irresponsabilidade, da politica- gem e dos interesses escusos entraram em erupção, espa- lhandolavasemtodasasdireções. Iniciamos um ano sem divisar perspectivas nem planos concretos que ajudem o povo a reorganizar sua vida dentro dos padrões da dignidade, do trabalho e do bem-estar; a deter a crise que sufoca todo o país, principalmente os seg- mentos mais vulneráveis da população. Mesmo assim, a fé nos pede não desesperar. Sempre a história teve eras críticas, mas que foram superadas pela inteligência e sabedoria do ser humano. Sempre houve joio e trigo disputando as colhei- tas. Lutemos interiormente para manter serenidade e confi- ança, coragem e animação. O Brasil precisa de todos os brasileiros e está muito carente do sal da verdade e do fer- mento da justiça. Na Praça dos Três Poderes, a bandeira das reformas é hasteada em toda parte. É a palavra mais pronun- ciada pelas lideranças e mais ouvida e discutida por todos que se empenham num Bra- silmaishumano. Peçamos ao Menino Jesus, que adoramos e a quem pedimos tantas graças no tempo do Natal, lucidez para os brasileiros, principal- mente para os que têm nas mãos o leme do poder. Está na hora de acertarmos os passos na meta de um verda- deiro desenvolvimento, sustentado pelos alicerces de um humanismo integral que coloque a vida humana acima de todos os valores temporais, abaixo apenas do Cristo ressuscitado, Senhor da VidaeMestredahistória. Paroquianos e paroquianas, pessoas que frequentam nossas comunidades, para todos vocês um novo ano que seja a continuidade do Natal. Que se desfaçam as nuvens pesadas das decepções, e iluminem o horizonte os tons delicados de uma madrugada de verão. No Pequeno de Belém, o meu abraçodeirmãoeo meuzelodepastor. UmsantoefelizAno Novo! Padre Aderbal Galvão de Sousa Em seu artigo, Zélia Viana fala da paz fundamentada na verdade, na justiça e no amor. Página 2 Visite a Memorabilia, instalada em homenagem ao centenário de nascimento de Dom Tomás Murphy. Páginas 4 e 5 Yvette Amaral nos conclama a abraçarmos com firmeza a esperança no novo ano. Página 7 Jesus é o caminho a verdade e a vida
  2. 2. Estamos vivendo um tempo de extrema violência.As grades que enfeitam nossas residências e locais de traba- lho são a prova testemunhal do medo que apavora as pes- soas e as torna reféns em suas próprias casas. Há um clima geral de insegurança em nosso país e no mundo. Entretanto, esse clima de desânimo e descrença não é compatível com a fé cristã. Nós, que há poucos dias cele- bramos o nascimento de Jesus, que foi profetizado pelo profeta Isaías como “Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Príncipe da Paz”, não podemo-nos entregar ao desespero. O que precisamos é aceitar o desafio de num mundo mergulhado em crises, disputas e lutas, crer que a Paz é possível porque nosso Deus éo SenhordaPaz. O conceito de paz para o mundo e, de um modo geral para as pessoas, é diferente do conceito encontrado na Bíblia. Desde cedo, os profe- tas alertaram e o povo bíblico deduziu que a verdadeira Paz era algo bem maior que ausência de guerras e confli- tos,equeocaminhoparache- gar a ela era o da Justiça Soci- al: “O efeito da justiça será a Paz, a função da justiça, calma e tranquilidade perpé- tuas; meu povo habitará num lugar pacífico, em moradas tranquilas, em mansões sos- segadas”(Is 32,17-18). Na língua hebraica, Paz é Shalom, palavra que aparece 239 vezes na Bíblia e repre- senta muito mais que uma saudação corriqueira ou um simples cumprimento. Shalom é o desejo de vida plena, é a síntese de tudo de bom que Deus oferece ao povo quan- do faz aliança com ele: terra, casa, comida, saúde, educa- ção, trabalho bem remunerado, relações sinceras e dura- douras, harmonia com a natureza, com o outro, com Deus econsigomesmo. APaz no conceito bíblico não provém de calmantes e exercícios de autocontrole, e independe de tempestades, sofrimentos e circunstâncias externas, mas tem origem em Deus e por isso é impossível adquiri-la afastado d´Ele. “Deixo-vos a Paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou comoadáo mundo”(Jo 14,27). Em Mateus 10,34, Jesus nos surpreende com palavras fortes e bastante estranhas à primeira vista: “Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espa- da” (Mt 10,34). Entretanto, no contexto em que foram ditas, essas palavras não sugerem um incitamento a lutas e violências, mas são uma advertência de que igual a Ele que veio trazer a bonança e a paz, mas encontrou a rejei- çãoeamorte,tambémos quesecomprometemcomaver- dadeira paz estarão sujeitos a enfrentar a espada do des- prezo,dorepúdioedaperseguição. De fato, a Paz não é fácil porque ela caminha na con- tramão dos valores da sociedade cujos sistemas econô- micos e políticos se alimentam de desamor e da injustiça. Entretanto, apesar de tudo e até contra tudo que acontece nesse nosso desvairado mun- do, porque acredito naquele que a prometeu, ouso sonhar com a Paz tantas vezes anun- ciada e oferecida por Jesus Cristo. Não sonho com a paz silenciosa dos cemitérios, nem com a paz nociva da mas- sividade e indiferença, nem também com a quietude gera- da pela presença das forças armadas nas ruas ou por um sistema ditatorial que pode até garantir segurança, mas inibe a liberdade. Pensar nesse tipo depazépensarpequeno. Sonho com a paz que está fundamentada na verdade, na justiça e no amor, na paz que começa no interior de cada um e cada uma de nós, porque é fruto do Espírito. É essa paz que busco e creio que cabe de modo especial a nós, cris- tãos, descobrir o que ela significa e entender que ser dis- cípulo missionário de Jesus é ser agente dessa paz à qual não se chega pela mentira, pela intolerância, pelas armas e métodos violentos, nem por acordos assinados em gabi- netes ou imposição da vontade dos países mais ricos sobre os mais pobres, mas pelo combate à fome e ao desemprego, pelo acesso à saúde, educação e moradia, pela prática do perdão, da solidariedade e amor, por, enfim,umnovo mododesereviver. Que neste ano em que celebramos oAno Nacional do Laicato, Maria, a mãe solícita e cuidadosa, seja nosso modeloecompanheiradecaminhadaenos ensineaanun- ciarJesus, o Shalomdo Pai. Zélia Vianna zelia.vianna@yahoo.com.br Jesus é o Shalom do Pai COMUNIDADES BÍBLICAS Nossa Paróquia está aberta à sua participação nos grupos de estudos bíblicos, que se reúnem semanalmente para o estudo da Palavra de Deus. Escolha o horário que for mais conveniente para você e venha participar e aprofundar seu conhecimento na Palavra. Informações na secretaria paroquial.
  3. 3. DIA MUNDIAL DA PAZ – SANTA MARIA MÃE DE DEUS: 1.º de janeiro, missa às 7h30, 9h30 e 11h30, na IgrejadeSãoPedro. HORA SANTA E MISSA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS: 5 de janeiro, Hora Santa às 9h, emissaàs10h,naIgrejadeSãoPedro. PREPARAÇÃO DE PAIS E PADRINHOS PARA O BATISMO DE CRIANÇAS: 6 e 20 de janeiro, das 14h às 18h,naIgrejaNossa SenhoradaConceiçãodaLapa. EPIFANIA DO SENHOR E DIA DA BEM- AVENTURADA LINDALVA: 7 de janeiro, missa às 7h30, 9h30 e11h30,naIgrejadeSãoPedro. BATISMO DE CRIANÇAS: 7 e 21 de janeiro, às 8h30, naIgrejadeSãoPedro. MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS PELOS DOADORES DO BAZAR: 21 de janeiro, missa às 7h30,9h30 e11h30, naIgrejadeSãoPedro. ANIVERSÁRIO DE NASCIMENTO DE PADRE THIERRY:22 dejaneiro. DIA NACIONAL DOS APOSENTADOS: 24 de janeiro. DIADACONVERSÃO DE SÃO PAULO E DIADOS CARTEIROS: 25dejaneiro. MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS PELOS DIZIMISTAS DAPARÓQUIA: 28 de janeiro, missa às 7h30,9h30 e11h30, naIgrejadeSãoPedro. ANIVERSÁRIO DE NASCIMENTO DE DOM MARCO EUGÊNIO: 30 dejaneiro. FESTADAAPRESENTAÇÃO DO SENHOR E DIADE NOSSASENHORADAS CANDEIAS : 2 de fevereiro, missa às 8h, 10h, 12h, 15h, 17h e 18h, naIgrejadeSãoPedro. PREPARAÇÃO DE PAIS E PADRINHOS PARA O BATISMO DE CRIANÇAS: 3 e 17 de fevereiro, das 14h às 18h, na Igreja Nossa Senhora daConceiçãodaLapa. BATISMO DE CRIANÇAS: 4 e 18 de fevereiro, às8h30,naIgrejadeSãoPedro. SEMANA DE CARNAVAL: De 9 a 13 de fevereiro, as igrejas de São Pedro, Nossa Senhora da Conceição da Lapa, Nossa Senhora do Rosário e SenhorBomJesus dosAflitosestarãofechadas. QUARTA-FEIRADE CINZAS: 14 de fevereiro, missa das Cinzas às 10h, 12h, 15h, 17h, na Igreja de São Pedro, e às 18h, na Igreja Nossa Senhora da ConceiçãodaLapa. RETIRO DAQUARESMA: 17 de fevereiro, das 8h30 às 11h30, na Igreja Nossa Senhora da ConceiçãodaLapa. LANÇAMENTO DO LIVRO PERDER UM FILHO: CASTIGO OU BÊNÇÃO No próximo dia 25 de janeiro, na Igreja Matriz de São Pedro, a paroquiano Cláudia Mendonça Vitti fará o lançamento do livro 'Perder um filho: castigo ou bênção'. Redigido por sua cunhada, a escritora Catarina Vitti Pinhat, o livro conta a trajetória de vida, sustentada na fé e na devoção a Nossa Senhora, da filha de Cláudia e Roberto Vitti, a médica recém-formada Viviane Mendonça Vitti, falecida tragicamente em 18 de maio último, em um acidente de carro, aos 24 anos de idade. Enfoca também a decisão de Cláudia de abrir mão do luto para ajudar outras pessoas a viver e superar adversidades. “Pensei que ia enlouquecer; alguns familiares acharam que eu não seria mais capaz nem de crer. Mas eu não desisti de Deus nem da minha fé. Muito pelo contrário. Minha visão espiritual passou a ter um alcance maior, e me sustento na certeza da ressurreição”, afirma Cláudia. Ela estará na Igreja Matriz autografando o livro de autoajuda das 8h às 16h. GRUPO DE MÃES QUE ORAM PELOS FILHOS A nossa Paróquia está incentivando a consolidação do grupo das mães que oram pelos seus filhos. O grupo se reúne todo sábado, às 8h30, na Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa. Venha participar!
  4. 4. PAROQUIANOS PARTICIPAM DO RETIRO DO ADVENTO E DAASSEMBLEIA PASTORAL Maria Alcina Pipolo “O Advento é algo muito mais profundo que a preparação para o Natal. É um tempo litúrgico que relembra toda a história da salvação até a plenitude dos tempos com a segunda vinda do Filho de Deus”. Esta foi uma das orientações transmitidas aos paroquianos de São Pedro pelo seu pároco, padre Aderbal Gal- vão de Sousa, durante o Retiro do Advento, ocorrido na manhã de 25 de novembro último, na Igreja de Nossa Senhora da Con- ceição da Lapa. Na mesma oportunidade, foi realizada uma AssembleiaPastoralParoquial. “OAdvento é, por excelência, um tempo de expectativa e de esperança, e que nos incentiva a ter três atitudes: coragem, inici- ativa e entusiasmo”, afirmou padreAderbal, acrescentando que a cor litúrgica própria desse tempo é o roxo, “para nos fazer refletir que precisamo-nos despir do velho e nos cobrirmos do novo”. No primeiro domingo do Advento (ocorrido em 3 de dezembro), tem início um novo Ano Litúrgico, que, dessa vez, será oAno B, do Evangelho de São Marcos, “aquele que escre- veu para os novos cristãos e foi o primeiro catequista da Igreja”, ressaltou o pároco. Padre Aderbal destacou a instituição, pela CNBB, do “Ano do Laicato”, no período de 26 de novembro de 2017 a 25 de novembro de 2018, com o tema “Cristãos leigos e leigas, sujeitos na 'Igreja em saída', a serviço do Reino”, e o lema “Sal daTerra e Luz do Mundo” (Mt 5, 13-14), que objetiva estimular o protagonismo dos leigos, estimulando-os a se torna- remmissionáriosondeestiverem. A partir do tema do Ano do Laicato, padre Aderbal deu iní- cio à Assembleia Paroquial lançando uma indagação aos paro- quianos: “Quais são os principais desafios para a Paróquia de São Pedro ser uma comunidade em saída?” Os paroquianos foram-se manifestando, listando as dificuldades e carências da Paróquia: a quantidade insuficiente de pessoas que assumem o compromisso de servir; a carência de colaboradores, principal- mente na Pastoral do Acolhimento, no Ministério da Palavra e na Igreja de Bom Jesus dos Aflitos. Foram também apresenta- das sugestões, como a de incentivar os jovens que fazem cate- quese a se inserirem na liturgia, e criar uma Pastoral de Discipu- lado, uma espécie de escola de formação de discípulos de Jesus. No final da Assembleia, o paroquiano Jorge Ricardo Valois aceitou o convite para ser assessor pastoral do Conselho Paro- quianoPastoral. CONFRATERNIZAÇÃO DE NATAL DOS PAROQUIANOS Em 1.º de dezembro último, os paroquianos de São Pedro reuniram-se no Espaço Cultural da Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa para se confraternizarem, antecipando as comemorações do Natal. O espaço foi ornamentado pela Pasto- ral de Eventos que providenciou toda infraestrutura para aco- lher os participantes. Padre Aderbal conduziu esse momento, motivandoacomunidadecomcantosdoAdventoedo Natal. DOM MURILO PRESIDE CRISMA NO ANIVERSÁRIO DA PARÓQUIA Maria Alcina Pipolo No último dia 2 de dezembro, quando a Paróquia de São Pedro completou 338 anos de fundação e 100 anos da inaugura- ção da Igreja Matriz na Praça da Piedade, o Arcebispo de São Salvador da Bahia e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, presidiu a missa festiva com celebração da Crisma de 41 jovens e adultos. Ladeado no altar pelo pároco, padre Aderbal Galvão de Sousa, e pelo diácono Lourival Almeida, o Arcebispo pediu aos crismandos “que se deixem conduzir pelo Espírito Santo – que Deus nos dá pelo sacramento da Crisma –; não percam as oportunidades de estar com Jesus – que se manifesta de diversas maneiras na nossa vida –; e façam de Jesus um hóspede cons- tantenos seus coraçõeseO levemaoutros jovens”. Dos 41 crismandos, 14 foram da Paróquia, 13 do Instituto Nossa Senhora daAssunção e 14 do Colégio Nossa Senhora do Salete, preparados, respectivamente, pelas catequistas Jandira Campos, ÍrisAlmeida e Maria Deusdete Rodrigues; irmã Vanú- ziaBarbosa;enoviçaCristianedos Santos. Refletindosobre os 338 anos decriaçãodaParóquia,oArce- bispo assinalou que “é tempo de olhar para o passado para ver o resultado dos trabalhos dos que nos antecederam; de olhar para o presente para tomar consciência do que o Senhor pede a essa Paróquia que está no centro da cidade; e de olhar para o futuro com confiança e convicção que o futuro não se prevê, mas se constrói. Construam, pois, esse futuro”. Após a celebração da Crisma, padre Aderbal levou Dom Murilo para ser o primeiro visitanteda'MemorabiliaDomTomás100Anos', quefoimon
  5. 5. tada em um salão multiuso do Centro Comunitário Dom Tomás Murphy, anexo à Igreja Matriz, e aberta ao público em 10 de dezembro. PARÓQUIA HOMENAGEIA DOM TOMÁS MURPHY NO CENTENÁRIO DE NASCIMENTO Maria Alcina Pipolo Em 10 de dezembro último, a Paróquia de São Pedro cele- brou, em memória, o centenário de nascimento de Dom Tomás Murphy, norte-americano que foi missionário na Amazônia, primeiro bispo de Juazeiro (na Bahia) e bispo auxiliar daArqui- diocese de São Salvador da Bahia por 18 anos. “Ele marcou os nossos corações, deixou-nos um legado de amor pela sua inten- sa espiritualidade, contribuindo muito para a evangelização da nossa Arquidiocese”, afirmou o pároco de São Pedro, padre Aderbal Galvão de Sousa, na missa das 11h30, na Igreja Matriz, transmitida pela Rede Excelsior. Antes dela, duas outras foram celebradas às 7h30 e 9h30 com a mesma intenção: em memória e ação de graças pelo trabalho pastoral de Dom Tomás, sendo intercaladas com momentos de oração e de adoração ao Santís- simo Sacramento. Também foi aberta à visitação dos fiéis e do público em geral a 'Memorabilia Dom Tomás 100 Anos', mon- tada em um salão multiuso do Centro Comunitário Dom Tomás Murphy, anexoàIgrejaMatriz. Os momentos de adoração ao Santíssimo Sacramento foram conduzidos pelas paroquianas Cláudia Vitti e Lúcia Lira e pelas integrantes da Associação dos Missionários da Eucaristia, Léa Macário e Raquel Francisco. Houve ainda a exibição do vídeo 'Abba,Amém', produzido pela Diocese de Juazeiro, que mostra oamplotrabalholádesenvolvidoporDomTomás. “Para nós, esse é um momento muito especial, não de sauda- de, mas de alegria, de lembrar de alguém que transbordava o Cristo Eucaristizado, que viveu em todos os sentidos o Cristo Eucaristizado”, afirmou a coordenadora da Associação dos Missionários da Eucaristia, Graça Mululo. Fundada por Dom Tomás em Salvador, há 27 anos, a Associação reúne hoje 42 missionárias consagradas que atuam também em Belo Horizon- te e Juiz de Fora (Minas Gerais) e na cidade de Muscolini, em Brescia,Itália. Emocionada, a paroquiana Dirlei Mendonça fez questão de dar um depoimento sobre o tempo que conviveu com Dom Tomás: “Eu participava da Renovação Carismática de Salvador, e Dom Tomás era nosso diretor espiritual. Era um homem simples, que amava os pobres, que nos incentivava a nos debruçar- mos sobre a Palavra de Deus e a vivermos no Espírito Santo. Ele tinha sinais de santidade e nos inspirava a buscar a santi- dade”. A paroquiana e professora aposentada Maura Rosa dos Santos foi uma das primeiras a visitar a 'Memorabilia Dom Tomás 100 Anos'. Com um sorriso permanente, ela contou que teve a alegria de trabalhar com Dom Tomás na Diocese de Juazeiro: “Ele fundou o Movimento de Educação de Base, inspirado no método Paulo Freire, e nós viajávamos com ele pelo interior para alfabetizar as pessoas. Era um homem do povo, que gostava de visitar as famílias e que tomava café na casa do meu pai”, lembrou Maura. Ela revelou que, como seu pai ficou em dificuldades financeiras, foi Dom Tomás que pagou as mensalidades do seu último ano do curso de Magistério e deu o anel de formatura. “Ele nos ensinou a conhecerCristo”,sintetizouMaura. AMemorabilia reúne 19 painéis que sintetizam e ilustram a vida e obra de DomTomás. Em duas dimensões (50cmX70cm e 1mX70cm), foram confeccionados em vinil sobre PVC e são de autoria do designer e artista visual Luciano Freaza.Aprodução dos painéis foi antecedida de um trabalho de pesquisa em publi- cações e álbuns de fotografias. As fotos selecionadas para a mostra foram restauradas, retirando-se as imperfeições e mar- casdeixadaspelotempo.Os textossãodeautoriadepadreAder- bal, dos paroquianos JoséTrindade e Getúlio Machado, além de LucianoFreaza.
  6. 6. 01-ALANDESSON SENA DO NASCIMENTO 01-AURÍCIA SANTA ROSA 01-JOSÉ RAFAEL DANTAS 01-MARIA CECÍLIA DOS SANTOS ANDRADE 01-MARIA EMILIA MACHADO RODRIGUES 02-ILMA DARCI RODRIGUES SANTANA 02-IVANETE LIMA MENDES 02-MARIA CIRA DA SILVA CARVALHO 02-SYLVIA MARIA DE OLIVEIRA COSTA 03-ANA PAULA BITTENCOURT COHEN 03-GENOVEVA BACELAR DA SILVA 03-LUCIANA DANTAS DOS SANTOS 03-NORMACY BATISTA FIGUEIREDO 04-JUDETE DE SOUZA SANTOS 04-MARIA DO CARMO FRANCO 04-MIRIAN PEDROSA DE JESUS 04-RAYMUNDA MARQUES DE SOUZA 04-RUI DE ASSIS SOUZA 05-ALLAN CHE DE MEDEIROS 06-CARLOS EDUARDO OLIVEIRA RIBEIRO 06-EDÍRIA DE OLIVEIRA FERREIRA 06-JANETE LEITE DE OLIVEIRA ROCHA 06-JUSSARA MARIACOSTA COUTINHO 06-MARIA DE LOURDES ASSEMANY 06-MARIA JOSÉ DOS SANTOS FILHA 06-REINALDO PEIXOTO ANDRADE 07-JOANA BRUNI DE CARVALHO 07-JUCILENE ELIZEU SILVA 07-MARIA LÚCIA GUEDES ANDRADE 07-PATRÍCIA M.ª FERNANDEZ CARRILHO 07-SHEYLA LUZIA SILVA MOURA SANTOS 08-EDVALDO RIBEIRO COSTA 08-ELZA BARRETO MAIA 08-MARIA LUIZAARAÚJO DE SOUZA 09-EVERALDO VAJÃO DO BONFIM 09-JOSÉ EDMUNDO SILVA SANTOS 10-JORGE LUIZ MATOS DA CUNHA 10-M.ª ERENITA C. DO N. SOUZA 10-PERIVALDO PINTO GOMES 10-ROSEMEIRE P. DOS S. SACRAMENTO 11-CLAUDEMIRO DE JESUS GONÇALVES 11-DANIELA SANTANA FERNANDES 11-JOSÉ MARIA FAGUNDES 11-MARIA JOSÉ FERREIRA DOS SANTOS 11-SIMAR MUTTI DE LIMA 11-VERA LÚCIA BARROS SANTOS 12-ADÉLIA CARDOSO DIAS 12-ARTEMIZA SILVA QUEIROZ 12-LAÍS ALVES SILVA 13-ALTAIR RIBEIRO FERREIRA GASPARI 13-JASMIN DA SILVA SANTOS 13-MARIA VERÔNICA LEAL CUNHA 13-MARIAANA LIMA 13-MAURA SOUZAALCÂNTARA SANTOS 14-GISELE CRISTINA G.GONÇALVES 14-IURI TINÔCO CORREIA 14-NEIDE PEREIRA DOS SANTOS 15-ERENITA DE JESUS SANTOS 15-JOANE FELIX DOS SANTOS 15-NIVANIS BISPO DE SANTANA 16-ADRIANA RODRIGUES MACIEL 16-BÁRBARA IRIS DAS MERCÊS SODRÉ 16-MARIACORREIA DE SALES 16-MARINALVA DA SILVA LOPES 16-WILMA DE FREITAS SANTOS 17-JANETE SANTOS CARVALHO DE ASSIS 17-MARIDALVA ELI DE SANTANA 18-CLESINAIDE OLIVEIRA HAINE 18-EDI ROSA DE SOUZA 18-JOÃO VICTOR CERQUEIRAA. RIBEIRO 18-MARIA CARMEN SANTOS GONZAGA 18-MARIA NECI DE JESUS FERREIRA 19-PAULO MARCUS BONFIM DOS SANTOS 19-RAFAEL MOTA DOS SANTOS 19-ROSÁLIO F. DOS SANTOS 20-CAMILAANGÉLICA C. DE SÁ TEIXEIRA 20-ELIENE OLIVEIRA LIMA 20-JOANA LEITE CAMPOS 20-MARIA DE LOURDES V. DOMINGUES 21-MAICKY LOPES DA SILVA 22-ALBERICO VELOSO DE JESUS 22-MARIA REGINA C. SANTOS PEREIRA 22-SIMONE LIMA SANTOS 22-ZILDA DOS SANTOS 23-M.ª APARECIDA DOS SANTOS DA SILVA 23-MARIZETE DOS SANTOS BRITO 23-YOLANDA MEDRADO SANTOS COSTA 24-ANDRÉ LUIZ SIMÕES PEDREIRA 24-DINORÁ LUNA DE ASSIS QUARESMA 24-EDMUNDO MAGALHÃES FONSECA 24-WANDA MARIA RIOS DE TEIVE E ARGOLLO 25-EVANICE DE CARVALHO AMORIM 25-HELOÍSA ROBERTO PEREIRA DA SILVA 25-LINDAURA JOANA RODRIGUES 25-LUCILA FERREIRA DE SOUZA 26-ADALGISA PEREIRA DA SILVA 26-JORGE ANTÔNIO DOS SANTOS ZUZA 26-REISEN JOSÉ FERREIRA SANTOS 27-AGILEILDES DANTAS MAIA 27-MARIA RITA SANTANA OLIVEIRA 27-SIDICLEI SANTOS NASCIMENTO 28-BÁRBARA SÍLVIA DAMASCENO SANTANA 28-ROMILDA MARIAABREU MEIRELES 28-RONALDO ALVES DOS SANTOS 28-RUBEM LUIZ MENEZES SANTOS 28-VALTÉRCIO CERQUEIRA DEIRÓ 28-VIRGÍLIO FERREIRAARAÚJO 29-AUGUSTO BATISTA DOS SANTOS 29-CLÁUDIA MARIA OLIVEIRA DE BRITO 29-MARIA CRISTINA ROCHA BORGES 29-MARLENE ALICE DOS SANTOS ROCHA 30-ANABELA COSTA MACHADO 30-WALDETE ROSA TAVARES 31-DINEA BAPTISTA DA SILVA 31-KAROLINE DE SANTANA NASCIMENTO 31-LUIZ CLÁUDIO SANTIAGO SANTOS A você, meu irmão, minha irmã, que assume esta Paróquia como dizimista e se compromete com o trabalho pastoral, parabéns! Como presente do seu aniversário, a comunidade paroquial estará unida a você, seus amigos e familiares, nesse dia tão especial, para celebrar esta data. Venha participar, nesse dia, da Santa Missa, às 8h, na Igreja de São Pedro. Caso a data seja no Domingo ou Dia Santo, a missa começa às 7h30. PARÓQUIA DE SÃO PEDRO MOVIMENTO FINANCEIRO NOVEMBRO/2017 RECEITAS Espórtulas de missas ............................... 8.871,00 Espórtulas de batizados .............................. 320,00 Espórtulas de matrimônios .......................... 630,00 Dízimos .................................................. 33.610,20 Coletas ordinárias .................................. 8.180,23 Taxas de certidões ...................................... 315,00 Donativos ............................................... 11.700,00 Rendimento do bazar ............................. 7.648,00 Rendimento do restaurante .................... 8.080,14 Rendimento bancário ...................................... 9,30 TOTAL ............................................... 79.363,87 DESPESAS Manutenção e conservação .................. 1.909,62 Material litúrgico ...................................... 3.344,16 Promoção humana/formação ................... 2.100,00 Ajuda pastoral a moradores de rua .......... 1.000,00 Ajuda pastoral a mulheres marginalizadas 937,00 Ajuda social ............................................. 2.237,00 Salários ....................................... 42.807,31 Vale refeição ......................................... 7.477,58 Vale transporte ......................................... 2.318,40 Encargos sociais ......................... 16.078,34 Assistência odontológica a funcionários .. 308,40 Côngrua ao pároco ....................... 3.000,00 Material de informática ............................ 1.150,00 Material de expediente ........................ 1.100,00 Correios .................................................. 1.717,00 Água, energia e telefonia ........................ 3.406,91 Tarifa bancária ...............................................72,90 Taxa de programa SGCP ...................... 110,50 Repasse de taxa à Cúria ........................ 5.161,14 TOTAL ............................................. 96.236,26 SALDO DO MÊS negativo (16.872,39) O Dízimo gera unidade e comunhão na comunidade. E isso nos faz realmente irmãos. SEJA DIZIMISTA INSCREVA-SE NA SECRETARIA PAROQUIAL
  7. 7. Acontagem do tempo em anos, meses e dias é prova da sabedoria humana. Seria monótono se não houvesse essas divisões, se o tempo se apresentasse numa série sem nenhum referencial dentro do livro imenso da história. O homeméumserespaço-temporal,porisso essas duascate- gorias fazem parte da existência humana e, através delas, ele ganha identidade. O século e o ano são marcos de uma sociedadeedeumaindividualidade. Diante disso, o dia 1.º de janeiro tem significado para todos nós. É começo, fala de um novo ano, mais uma série de 12 meses que farão parte da aventura particular de cada um. E começo é momento de esperança. A saudação do ano novo é carregada dessa virtude responsável para que não morra em nós a vontade de continuar, de caminhar mais, apesar dos obstáculos encontrados no trecho anteri- or da estrada. Na verdade, olhando para trás, não percebe- mos apenas espinhos nas roseiras. Elas também produzi- ram rosas, cuja beleza e cujo aroma encantaram os nossos dias e ficam inesquecíveis nas caixas decoradas das lem- branças. Voltando o olhar para frente, divisamos janeiro, feve- reiro etc., convocando a novas vivências, apelando para a nossa missão de construir, que se prolonga ano após ano com tarefas que, se não forem feiras por nós, serão espaços vaziosnas aventurashumanas. Com a consciência de compromisso, partamos para 2018. Não procuremos saber o que ele prepara para nós, mas o que nós queremos ofertar-lhe: nosso tempo, nossa sabedoria acumulada, nossa disponibilidade, nossa com- petência, nossas energias físicas, nosso desejo de ser, fazer e ocupar o nosso espaço no mapa da comunidade humana. Provavelmente muitas obrigações da agenda de 2017 se repetirão, porque há deveres permanentes, decorrentes do estado de vida, da profissão e da fé. Mas há novidades, sur- presas inesperadas, solicitações importantes e opções capazes de mudar o itinerário, definitivas no roteiro que nos conduz desse mundo para o Jardim das flores que não murcham e para a Cidade de pessoas que não morrem. Tal caminhada não podemos fazer sozinhos, porém mais uni- dos aos irmãos que aumentam a nossa capacidade de ven- ceraspedrasdo caminho,semmedonemtédio. Nessa perspectiva, demos mais um passo na direção do nosso interior, buscando ser cada dia mais, assim como avancemos nas relações com o outro, colocando tudo no coração misericordioso do Pai. É aí, no espaço exclusiva- mente nosso, que devolvemos os dons recebidos como pedrinhas coloridas no mosaico da nossa vida. E não nos esqueçamos de pôr em nossa mochila de estradeiro a insubstituível companheira das andanças pelo tempo: a esperança. Ela nos ajudará a lutar sem desânimo, a sofrer sem desalento e a ser bom sem aguardar compensação. A esperança é a presença de Deus agindo em nós, convocan- do-nos a multiplicar os talentos até a última prestação de contas. Abraçados com ela, nossa vida será sempre festa até sermos introduzidos no salão dourado onde a Trindade Santíssima nos acolherá na paz eterna e na alegria sem fim. Um feliz ano novo para você, minha irmã, para você, meuirmão! Yvette Amaral yvettealemosmaral@gmail.com Avitamina D é uma vitamina lipossolúvel derivada dos esteróis que atuam no metabolismo do cálcio. Esses este- róis são denominados pró-vitaminas, que, ao sofrerem a ação dos raios ultravioleta na pele, são convertidos na forma ativa da vitamina D. O organismo humano adquire a vitamina D de maneira endógena ou por meio da alimenta- ção. Uma das principais funções da vitamina D é a manu- tenção das concentrações intra e extracelulares do cálcio dentro de valores fisiológicos aceitáveis, por meio da ação da 1,25-diidroxicolecalciferol na regulação do cálcio e do fósforo no intestino e no osso. Essa proteína permite que ocorra a absorção do cálcio do intestino para a corrente sanguínea, que também promove uma maior absorção do fósforo no jejuno e no íleo. No osso, a vitamina D atua esti- mulando as células ósseas, que, por meio de reações enzi- máticas, liberam cálcio e fósforo para o espaço extracelu- lar,contribuindoparaoendurecimentodos ossos. Aabsorção dessa vitamina e de seus percussores é feita no intestino delgado.Adeficiência da vitamina D pode ser decorrente de ingestão insuficiente, má absorção ou então, por baixa exposição solar.As principais fontes de vitamina D são peixes com alto teor de gordura (salmão, sardinha, porexemplo),gemadeovo, fígado,leiteeseus derivados. A deficiência de vitamina D durante a gestação e a infância pode causar atraso no crescimento e deformidades esqueléticas, além de aumentar o risco de fraturas em fases mais tardias da vida. As crianças com deficiência de vita- mina D podem evoluir com raquitismo. Em adultos, a defi- ciência pode precipitar ou exacerbar a baixa de cálcio nos ossos e a osteoporose, levando ao aumento do risco de fraturas. Aingestão adequada de fósforo, cálcio, vitamina D, e a exposição à luz solar previnem o raquitismo e a deformida- de dos ossos. Nos pacientes que apresentam quadro clínico de deficiência de um desses fatores, a correção da dieta e a exposição à luz solar corrigem a deficiência. Converse comoseumédico. VITAMINA D E SUA INFLUÊNCIA NOS OSSOS Dr. Getúlio Tanajura Machado gemachado@bol.com.br - tel. 71-3328-5633
  8. 8. Informativo da Paróquia de São Pedro Praça da Piedade, 11 - São Pedro - CEP: 40.060-300 - Salvador - Bahia - Brasil Site: www.paroquiadesaopedro.org - E-mail: padreaderbal@bol.com.br Direção e Coordenação: Padre Aderbal Galvão de Sousa Diagramação e Revisão: Equipe da Pastoral da Comunicação Colaboração: Getúlio Machado, Yvette Amaral, Zélia Vianna Ilustrações: Getúlio Machado, Rivelino Silva, Luciano da Mata e internet Jornalista responsável: Maria Alcina Pipolo - MTb/DRT/BA 915 Tiragem: 5 mil exemplares Distribuição Gratuita Arquidiocese de São Salvador da Bahia - Brasil Em janeiro de 2015, Zélia Vianna dá início a uma nova série de artigos sobre 'Comunidade' em suas várias facetas – acolhimento, iniciativa, desapego, dom da sabedoria. A edição de maio de 2015 destaca a instituição do Ano Santo da Misericórdia. Expediente: Fone: (71) 3329-3280 Maria Alcina Pipolo LINHA DO TEMPO (PARTE V) A edição de março de 2013 destaca a renúncia do Papa Bento XVI. A edição de abril de 2013 anuncia a escolha do Papa Francisco. O destaque da edição de julho de 2013 é a realização da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro. A edição de outubro de 2013 ressalta a inauguração, por Dom Murilo Krieger, do novo espaço de oração e evangelização da Paróquia – a Igreja Senhor Bom Jesus dos Aflitos.

×