Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Agosto de 2016

101 views

Published on

Edição de Agosto de 2016 do Jornal Folha de São Pedro, o Jornal da Paróquia de São Pedro.

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Agosto de 2016

  1. 1. De 15 a 21 de agosto, acontece o XVII Congresso Eucarístico Nacio- nal (CEN) na cidade de Belém, no Pará. A escolha de Belém, que sedia pela segunda vez um Congresso Eucarístico, foi para celebrar os 400 anosdefundaçãodacidade. O Congresso Eucarístico quer ser a convergência de todas as pes- soas que professam a fé católica na realidade da Santís- sima Eucaristia, e desejam dar um tes- temunho público de sua fé na presença real do Senhor Jesus.Apartir dessa profissão explicita denossa fénaEuca- ristia, o Congresso Eucarístico busca as consequências práticas, o compro- misso desse gesto tão sublime de ado- ração! “Adorareis o Senhor em Espírito e Verdade” (Cf. Jo 4, 24). No Brasil já foram realizados 16 Congressos Eucarísticos Nacionais. O primeiro foi realizado em 1933, aqui na cida- de do Salvador, e o último em Brasí- lia,em2010. A logomarca desse Congresso Eucarístico traz a “rosácea”, ele- mentopresentenaarquiteturaprimi- tiva no Pará, toscamente esculpida em pedra e barro pelos indígenas, no início da colonização portuguesa. Esse elemento sintetiza a presença, não só dos jesuítas no Pará quanto da mão de obra utilizada, em uma misturadeelementosculturais:euro- peueamazônico.Apresençadevolu- tas desenhadas, como as ondas dos rios e as folhas das florestas, com- plementa a leitura do tema: “Euca- ristia e Partilha na Amazônia Mis- sionária”. A intenção da logo foi de modernização da visualidade e dos conceitos comumente desenhados para uma peça de natureza religiosa, utilizando de recursos em terceira dimensãoparaodesenho. Com o tema: “Eucaristia e Parti- lha na Amazônia Missionária”, jun- tamente com o lema: “Eles o reco- nheceram no partir do Pão”, há o desejodetornarvisí- vel em todo o Brasil a força da Eucaristia e ação missionária naAmazônia, de um povo de fé que teste- munha com sua cul- tura e maneira de ser uma Igreja viva no NortedoBrasil. Assim, convoco a todos os paroquia- nos e leitores do Folha de São Pedro a nos colocarmos em oração pelo êxito desse evento, e, durante os dias do Congresso, estar- mos unidos com fervor na Santa Eucaristia. Umabraçofraterno. Padre Aderbal Galvão de Sousa Relembre os momentos de fé e entusiasmo da Festa de São Pedro. Páginas 4 e 5 Na página 7, Yvette Amaral fala sobre a globalização da indiferença Aprenda, reze e cante a oração e o hino do Congresso Eucarístico Nacional. Página 8 Rosácea Florestas Rios Amazônia Missões Jesuíticas Eucaristia Culturas
  2. 2. Caridade e Verdade! Duas virtudes indissolúveis da vida cristã: “Testemunhar a verdade na caridade, viver a caridade na verdade” (Cf. Ef 4.15). Para São Paulo, a caridade é a maior das virtudes: “A caridade é o pleno cumprimento da lei” (Rm 13,10); “Tudo o que fazeis, fazei-onacaridade”(1Cor 16,14). Em algumas Bíblias, ao invés de Caridade, alguns tradutores apresentam a palavra Amor. Para o cardeal africano Robert Sarah, ao dar a vida pelo outro, Jesus atinge o ápice do amor e esse amor recebe o nome de Caridade. Infelizmente, hoje, essas duas palavras nem sempre são bem compreendidas. Caridade é entendida como boa disposição para dar, ajudar, e a palavra amor, que o dicionário apresenta como forte afeição que se nutre por uma pessoa, está cada vez mais desfigurada, desvalorizada,banalizada. Mas o que é mesmo caridade? “Deus é amor”, escre- ve São João em uma de suas cartas. A caridade, que é o nome bíblico do amor, é a identidade de Deus.Apalavra Caridade vem do latim “caritas”, que, por sua vez, tem origemno grego“cháris”,quesignifica“graça”. A fé católica indica a Caridade como uma das virtu- des teologais – Fé, Esperança e Caridade –, assim cha- madasporquesão própriasdeDeus enos são dadasdire- tamente por Ele. A Caridade, que nos é infundida no batismo, está acima de todas as virtudes porque ela nos orienta para Deus, relaciona-nos com Ele, que nos envolve em Seu amor, e é essa relação que nos torna capazes de amá-Lo, de amar a nós mesmos e ao próxi- mo com o mesmo amor do coração de Cristo. Foi com certeza, da certeza de que isso é verdadeiro, que brotou a jaculatória: “Sagrado Coração de Jesus, fazei nosso coração semelhante ao vosso”. A caridade é amor rece- bidoedado. São Paulo afirma que “a caridade é o vínculo da per- feição” (Cl 3,14) e ensina que ela está acima de todas as outras virtudes humanas e até acima da Fé. Isso porque as virtudes humanas – como, por exemplo, a prudência eajustiça– fortalecemnossa vontade,tornam-noscapa- zes de praticar o bem comum e lutar em prol de justiça, mas sempre tendo em vista as relações interpessoais e sociais.AFé, sem a qual “é impossível agradar a Deus” (Hb 11,6), tem sua origem em Deus. Entretanto para crescer e ser vivida, ela necessita da contribuição huma- na, vez que requer um esforço de nossa inteligência. Só comoração,só comailuminaçãodo EspíritoSanto,con- jugada com nossa vontade e disponibilidade para orar e estudaraBíblia,só, enfim,comumesforçodenossa par- te, vamos poder conhecer quem é Deus, compreender as ideias e conceitos contidos na revelação histórico- bíblica. O fim último e definitivo da Caridade é Deus. Por isso todas as coisas passarão, mas a Caridade/Amor jamaispassará. Para muitos, a Caridade ainda consiste em dar esmo- las, doar coisas. Sem tirar o mérito de que dar e realizar algo que leve o bem a outrem seja uma boa ação, e como tal agradável a Deus, a Caridade tem um sentido muito mais profundo. Não raramente a solidariedade é con- fundida com a caridade, mas, apesar de ambas terem a mesmaaparênciaegestos concretosiguais,elassão dife- rentes na sua origem e motivação. A solidariedade é motivada pelo desejo de aliviar, remediar, solucionar o problema de alguém que é digno de atenção e respeito. Amotivaçãoda caridadeé amar o próximo como o Cris- to nos ama, sofrer sua dor, fazer-se seu irmão. Amar é muito mais que ajudar.Amar é querer o bem do outro, é trabalharpelobemcomum,écomprometer-se comcora- gem e generosidade na construção de um mundo de jus- tiçaepaz,deacordocomo sonho deDeus. Tenho visto grandes arroubos de solidariedade caí- rem por terradiantede antipatias,decepçõese eventuais fracassos, mas nunca vi alguém realmente movido pelo Amor/ Caridade desistir diante de dificuldades, perse- guições ou mesmo traições. É bem conhecido o rápido diálogo entre Madre Tereza de Calcutá e um banqueiro em visita a um hospital, onde, carinhosamente, ela fazia o curativo dos doentes. Depois de algum tempo obser- vando, ele aproximou-se e falou: “Irmã, eu não faria isso por dinheiro nenhum”. Ela olhou para ele, sorriu baixinhoedisse:“Nemeu”. Muitos querem o Deus Amor, mas não o encontram porque não aceitam o Deus Verdade. E sem a Verdade, a Caridade cai no sentimentalismo e o amor não passa de atitude vazia.AVerdade é a luz que brilha e faz resplan- deceroAmor/Caridade. zelia.vianna@yahoo.com.br Zélia Vianna
  3. 3. TRÍDUO DA FESTA DO SENHOR BOM JESUS DOS AFLITOS: 2, 3 e 4 de agosto, às 15h, na Igreja Senhor Bom Jesus dosAflitos. GRUPO DE ORAÇÃO NOSSA SENHORA DO CENÁCULO: 3, 10, 17, 24 e 31 de agosto, às 8h, na Igreja Nossa SenhoradaConceiçãodaLapa. ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO: 4 de agosto, às 11h, na intenção do Congresso Eucarístico Nacional, na Igreja de São Raimundo, sob a responsabilidadedaParóquiadeSão Pedro. DIA DE SÃO JOÃO MARIA VIANNEY E DIA DOS PADRES: 4deagosto. HORA SANTA E MISSA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS: 5 de agosto. Hora Santa, às 9h; e Missa às 10h, na IgrejadeSão Pedro. FESTA DO SENHOR BOM JESUS DOS AFLITOS: 5 de agosto, missa festiva às 15h, na Igreja Senhor Bom Jesus dos Aflitos. UNÇÃO DOS ENFERMOS: 6 de agosto, na missa das 15h, na Igreja de São Pedro. Inscrições com antecedência na secretariaparoquial. PREPARAÇÃO DE PAIS E PADRINHOS PARA O BATISMO DE CRIANÇAS: 6 e 20 de agosto, das 14h às 18h, naIgrejaNossa SenhoradaConceiçãodaLapa. BATISMO DE CRIANÇAS: 7 e 21 de agosto, às 9h, na IgrejadeSão Pedro. FESTA DE SÃO DOMINGOS DE GUSMÃO: 8 de agosto, namissadas 9h, naIgrejaNossa SenhoradoRosário. REUNIÃO DA PASTORAL DA VISITAÇÃO AOS DOENTES E IDOSOS: 9 de agosto, às 16h, na Igreja Nossa SenhoradaConceiçãodaLapa. DIADE SÃO LOURENÇO E DIADOS DIÁCONOS: 10 de agosto. DIA DE SANTA CLARA DE ASSIS, DIA DOS ESTUDANTES EDIADOSADVOGADOS: 11deagosto. R E U N I Ã O D A E Q U I P E D E R E C E P Ç Ã O E ATENDIMENTO: 13 de agosto, às 9h, na Igreja Nossa Senhorado Rosário. REUNIÃO DO CONSELHO PASTORAL PAROQUIAL: 13 de agosto, das 9h às 11h, na Igreja Nossa Senhora da ConceiçãodaLapa. DIA DA BEM-AVENTURADA DULCE DOS POBRES: 13deagosto. DIADOS PAIS: 14 deagosto. XVII CONGRESSO EUCARÍSTICO NACIONAL: de 15 a21deagosto,emBelém,noPará. REUNIÃO DOS MONITORES DAS COMUNIDADES BÍBLICAS: 16 deagosto,às 17h30, naIgrejadeSão Pedro. FESTA DA ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA: 21 de agosto. MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS PELOS DOADORES DO BAZAR DA SOLIDARIEDADE DA PARÓQUIA: 21 deagosto,às 8h, 10h e12h, naIgrejadeSão Pedro. REUNIÃO DO APOSTOLADO DA ORAÇÃO: 26 de agosto, às 14h30, na Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa. DIADESANTAMÔNICA: 27deagosto. RETIRO PARA O MÊS DA BÍBLIA: 27 de agosto, das 8h30 às 11h30, na Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa. MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS PELOS DIZIMISTAS: 28deagosto,missaàs 8h, 10h e12h, naIgrejadeSão Pedro. REUNIÃO DOS ANUNCIADORES DA PALAVRA: 30 deagosto,às 15h30, naIgrejadeSão Pedro. TÍDUO DA FESTA DE SÃO RAIMUNDO NONATO: 28, 29e30deagosto,às 16h, naIgrejadeSão Raimundo. FESTA DE SÃO RAIMUNDO NONATO: 31 de agosto, missa às 7h, 9h, 12h, 15h, e missa solene às 17h, presidida pelo bispo auxiliar da nossa Arquidiocese, Dom Marco EugêniodeAlmeida,naIgrejadeSão Raimundo. 01 a 07: Semana da Pátria; 01: Adoração ao Santíssimo Sacramento na Igreja de São Raimundo; 02: Hora Santa e missa do Sagrado Coração de Jesus; 03: Unção dos Enfermos; 03 e 17: Preparação de pais e padrinhos para o batismo de crianças; 04 e 18: Batismo de crianças; 07: Dia da Pátria; 08: Festa de Maria Menina; 10: Reunião da Equipe de Recepção e Atendimento; 11: Aniversário de nascimento de Dom Gilson; 11: Visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora Aparecida à nossa Arquidiocese; 13: Reunião da Pastoral da Visitação a Doentes de Idosos; 14: Festa da Santa Cruz; 14, 21 e 28: Grupo de Oração Nossa Senhora do Cenáculo; 15: Festa de Nossa Senhora das Dores; 17: Assembleia Paroquial; 18: Missa em Ação de Graças pelos doadores do Bazar paroquial; 19: Aniversário de nascimento de nosso Arcebispo Primaz, Dom Murilo Krieger; 22: Início da novena a Santa Teresinha do Menino Jesus; 23: Reunião do Apostolado da Oração; 24: Aniversário de ordenação episcopal de Dom Gilson; 24: Festa de Nossa Senhora das Mercês; 24: Seresta da Primavera; 25: Missa em Ação de Graças pelos dizimistas; 26: Dia do bem-aventurado Paulo VI; 27: Reunião dos Anunciadores da Palavra; 29: Dia dos Arcanjos Miguel, Rafael e Gabriel; 30: Dia de São Jerônimo, dia da Bíblia e aniversário de nascimento de Padre Aderbal.
  4. 4. Aexpressiva e fervorosa participação popular no dia festi- vo e no tríduo preparatório; a singeleza da procissão, na qual o povo conduziu o barco com a imagem de Pedro e duas grandes redes, homenageando o pescador da Galileia que se tornou 'pescador de homens'; e a beleza das missas presididas pelo Bispo da Diocese de Jequié, Dom José Ruy Gonçalves Lopes (solene campal) e pelo Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Salvador, Dom Marco Eugênio Galrão de Almeida (na inten- ção dos viúvos e viúvas) foram considerados pelo Pároco de São Pedro, padreAderbal Galvão de Sousa, os pontos altos da FestadeSão Pedro desse ano. “Mais uma vez, a festa foi muito bonita, com inúmeras demonstrações de fé na Santíssima Trindade e de confiança em São Pedro, dadas pelos paroquianos e fiéis procedentes de diversos bairros de Salvador que participaram com emoção e alegria da programação festiva realizada de 26 a 29 de junho”, ressaltou padreAderbal. Ele lembrou o belo testemunho dado pelo povo de Deus durante o forte aguaceiro que caiu durante a celebração solene campal: “Centenas de sombrinhas e guar- da-chuvas foram abertos, e os fiéis continuaram ouvindo atentosàhomiliadeDom Ruy”. O pároco destacou o acerto na escolha do tema geral da festa desse ano, 'A Misericórdia de Deus na vida de São Pedro', “em sintonia com a Igreja e oAno Santo da Misericór- dia que estamos celebrando”. Durante os quatro dias da festa, os fiéis puderam refletir sobre as Obras de Misericórdia Espi- rituais e Corporais, listadas e ilustradas nos 14 banners que compuseram a ornamentação do templo, bem como sobre o Ano Santo da Misericórdia, instituído pelo Papa Francisco. “O Sumo Pontífice nos convida a fazer a experiência da mise- ricórdia de Deus, vivendo a alegria do Evangelho e do amor, acolhendo a misericórdia do Pai e sendo misericordiosos como Ele. Somos também convidados a olhar como São Pedro fezaexperiênciadamisericórdiae,inspiradosno exem- plo do nosso Padroeiro, viver a misericórdia e ser instrumento da misericórdia para nossos irmãos”, completou padre Ader- bal. Homiliados bispos Presidindo a missa solene, o Bispo Dom José Ruy lem- brou do momento em que Jesus perguntou aos discípulos quem Ele era, “e Pedro foi o primeiro a se pronunciar, a pro- fessar sua fé, afirmando: 'Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo'”. O Bispo de Jequié ressaltou que Jesus sabia da fraque- za de Pedro, “mas sobretudo que Pedro O amava”. Horas antes, na missa dedicada aos viúvos, Dom Marco Eugênio assinalou que Pedro era medroso e covarde, mas que “foi a esse homem marcado pela fragilidade que Deus confiou a sua Igreja. Assim como Pedro, Deus continua utilizando-se de frágeis instrumentos como nós para dar a salvação. Não é a Igreja nem o Papa que salvam, mas Deus que se utiliza deles paranos trazeraféenos entregarSua graça”. Dom José Ruy revelou sua alegria pelo “reencontro euca- rístico com a Paróquia, o pároco e os paroquianos” (entre 1996 e 2000, como frei capuchinho do Convento da Piedade, ele deu uma valiosa colaboração à Paróquia). O Bispo afir- mou que “Pedro é o modelo de cada um de nós que experi- menta o amor misericordioso de Deus”. Diante dos fiéis, Dom José Ruy desejou que “Jesus continue guiando a barca de nossa vida, faça chuva ou faça sol”. Ladeando Dom José Ruy no altar, estavam os padres Aderbal, Fernando Leal, Elmo Andrade de Souza, Gabriel dos Santos Filho e Roberto Olivei- ra, e os diáconos LourivalAlmeida e Giovani, da Comunidade dos Frades Capuchinhos,do ConventoN. Sra. daPiedade. Dia festivo Paroquianos e fiéis de diversos bairros chegaram cedo e participaram com entusiasmo da programação em louvor ao Padroeiro.Às 6h30, muitosdelesjáestavamapreciandoa
  5. 5. alvorada realizada na Praça da Piedade. Em seguida, lota- ramassetemissascelebradasnaIgrejaMatrizdas7h às15h30. Padre Aderbal presidiu a tradicional celebração realizada há 26 anos na intenção dos comerciantes, comerciários e ven- dedores ambulantes do centro da cidade, e, também pelos ani- versariantes da Paróquia. Presentes os presidentes das associa- ções dos Empresários da Cidade Alta do Salvador (Aecasa), dos Empresários do Comércio (Aecom) e das Baianas deAca- rajé e Mingau (Abam), respectivamente, Haroldo Nuñez, Manoel Castro e Rita Santos; além de representantes do Pro- con-BA e do Mercado Modelo. Participaram da missa rezada na intenção das comunidades religiosas da Paróquia as irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor, Beneditinas Missionárias, Escravas da Mãe Menina, Imaculatinas e da Congregação Nossa Senhorados Humildes. No final da celebração solene campal, padreAderbal frisou que ele e os fiéis estavam “cheios de alegria e gratidão pela visita de Dom Ruy e de Dom Marco”. O pároco agradeceu ao casal coordenador (Cláudio e Heloísa Pires) e aos demais paro- quianos que trabalharam com empenho e dedicação na organi- zação e realização da festa, anunciando que, em 2017, o Conse- lhoPastoralParoquialseráresponsávelpelafesta. Tríduo preparatório O tríduo preparatório foi realizado nos dias 26, 27 e 28, das 11 às 12h, com participação de representantes das comunida- des da Paróquia e de fiéis de maneira geral. O tema geral da festa foi dividido em sub-temas. No primeiro dia, para refletir sobre 'Misericórdia é dom de Deus', as comunidades das igre- jas Nossa Senhora do Rosário e Senhor Bom Jesus dos Aflitos relembraram o momento em que Jesus foi preso e conduzido para ser interrogado pelo sumo sacerdote Caifás, e que Pedro nega por três vezes conhece-lO. Logo depois, o galo canta e Jesus olha para Pedro, que chora amargamente. “O olhar de Jesus continha uma lição que Pedro jamais esqueceu e marcou sua vida para sempre: uma lição de misericórdia e perdão. Arrependido e com a fé restaurada, Pedro convocou a comuni- dade reunida em oração para assumir o mandato de evangelizar eapascentaro rebanhodo Senhor”. No segundo dia, a comunidade da Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa iniciou a reflexão sobre o sub-tema 'Miseri- córdia é partilha' com a leitura deAt 4,32: 'Amultidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém considerava suas as coisas que possuía, mas tudo entre eles era posto em comum'. Em seguida, o paroquiano Helvécio Barbosa da Cunha, fiel- mente caracterizado de Papa Francisco, convocou os irmãos em Cristo a viver plenamente o Ano Santo da Misericórdia, realizando as Obras de Misericórdia Espirituais e Corporais em favor dos mais necessitados “pela Palavra, pelas nossas açõeseorações”. 'Misericórdia é missão' foi o sub-tema do terceiro dia do tríduo. Na oportunidade,YvetteAmaral ressaltou que “Pedro é a figura do missionário, que foi preciso que ele estivesse pleno do amor de Deus para concretizar seu mandato pastoral, e que, como Pedro, todos nós, batizados, somos missionários e con- vocados a difundir as maravilhas do Reino de Deus”. Depois, os representantes da comunidade da Igreja de São Pedro fize- ram uma retrospectiva da missão desenvolvida pelos recentes sucessores de Pedro: São João XXIII (que abriu o Concílio Vaticano II); Beato Paulo VI (concluiu o Vaticano II e convo- cou o mundo a viver uma 'civilização do amor' fundada sobre a cruz); São João Paulo II (inaugurou nova etapa da Igreja com viagens a 129 países, cumprindo o mandato de levar o coração do Evangelho, a misericórdia, a todos os povos); Bento XVI (destacou Maria como reflexo mais puro da misericórdia de Deus); e o Papa Francisco (proclamou o Ano Santo da Miseri- córdia, pedindo que o povo cristão reflita sobre as Obras de Misericórdia, 'pois será uma maneira de acordar nossa cons- ciência, muitas vezes adormecida perante o drama da pobreza, e de entrar cada vez mais no coração do Evangelho, onde os pobres são os privilegiadosdamisericórdiadivina').
  6. 6. 01-ALBERTINA RIBEIRO DA GAMA 01-ANA MARIA DA SILVA BATISTA 01-NILZETE PEREIRA DE JESUS 01-VERA LÚCIA ZACARIAS FRAGA 02-AMÉLIA FERREIRA DA SILVA 02-EUNICE CAETANO DE SOUZA 02-EUNICE MARIA DE OLIVEIRA 02-GLEYNA BARROS VEIGA DA SILVA 02-JORGE SIMÕES 02-M.ª MADALENA DOS SANTOS 03-CÉLIA Mª ESPÍRITO SANTO SANTANA 03-EDNA BRAGA SANTOS RODRIGUES 03-LECTÍCIA FERREIRA PIRAJÁ 04-VALFREDO GUERRA LIMA 05-ABIGAIL BRANDÃO M. DE ANDRADE 05-ANA RITA SILVA CARNEIRO 05-ANTÔNIO AUGUSTO DE C. GOMES 05-CARLOS ROBERTO G. BRANDÃO 05-CRISTINA NERI SANTOS 05-HILDETE TEIXEIRA BARBOSA 05-M.ª DAS NEVES LEAL SIMÕES 06-ELSIA COELHO DE CARVALHO 06-NILZA MOTA DOS SANTOS 06-PEDRINA WAGNER DE ALMEIDA 07-FRANCISCAALMEIDA GONÇALVES 08-AILTON SANTOS ASSIS 08-ARMIRENE PEREIRA PINHEIRO 08-EUNÉSIA MARIA TEIXEIRA NUNES 08-M.ª EUNICE DA SILVA PEREIRA 08-MARLENE DE SOUZA RABELLO 08-ZÉLIA MARIA VIANNA BRAGA 09-ADELAIDE BARBOSA FERREIRA 09-LÊDAALVES DA CRUZ 09-MILTON SANTOS 09-SÍLVIA Mª CONTREIRAS SANTOS 10-ADELAIDE ALMEIDA DOS SANTOS 10-LÚCIA VELOSO 10-MARICILDA QUEIROZ DÓREA 10-VAJURACI DA SILVA 11-DILZA BEHENS PERDIZ 11-DULCINÉA FARIAS 11-IVONE TRINDADE DE BRITO 12-IVANICE CLARA SANTOS 12-JADSON FERREIRA C. DA SILVA 12-LÚCIA SAMPAIO ALMEIDA 12-M.ª CLARA NERI DOS SANTOS 12-RICARDO NEDER 13-DIRLENE OLIVEIRA DE SOUZA 14-DANIEL BAHIANO PEDRAL SAMPAIO 14-EUDETE ANDRADE LEITE FILHA 14-HÉLDER DE OLIVEIRA ROCHA 14-ÍSIS BATISTA NUNES 14-LUIZA L. PEREGRINO DE CARVALHO 14-M.ª LÚCIA ROCHA LOBO COHIM 15-ANA LÚCIA DE JESUS GONZAGA 15-FERNANDO RICARDO B. DA SILVA 15-FRANSINEIDE MOURA DE OLIVEIRA 15-JOSÉ AUGUSTO BISPO DE SENA 15-JOSELITA CERQUEIRA GRAÇA 15-M.ª DAASSUNÇÃO DE SOUZA FERNANDEZ 16-NEYDE MARIA DA SILVA 16-REGINALDA CONCEIÇÃO DE JESUS 17-GLAUCIMEIRE BENTO DE SOUZA 17-RAIDALVA DOS SANTOS GÓES 18-ALEXIA MARIA SILVA NASCIMENTO 18-LÊDA GOES CERQUEIRA 18-M.ª HELENAALVES CORDEIRO 18-NOÉLIA VICENTE DA SILVA 19-ELENITA LIMA DAANUNCIAÇÃO 19-JOSÉ CARDEAL TRINDADE 19-M.ª JOSÉ VIEIRA LEITE 19-VILMA LIMA DE OLIVEIRA 19-WALDELICE DE OLIVEIRA SALES 20-ANA PAULA SANTOS DE ARAÚJO 20-CARLA LOURIDO MOREIRA 20-CATARINA BERNARDA S. DE MACÊDO 20-PAULO ALVES DE BRITO 20-ROSA DA SILVA 21-BEATRIZ SILVA DOS SANTOS 21-HÉLIO LEANDRO DOS SANTOS 21-M.ª FRANCISCA THEREZA PIMENTA 21-ROSE MEIRE TEIXEIRA DA SILVA 22-GLADYS PERAZZO DE SÁ FERREIRA 22-JANE BARBOSA DE OLIVEIRA FRANCA 22-MÔNICA DOS SANTOS ROSÁRIO 22-PERCÍLIA MARIA DA CONCEIÇÃO 23-ADENILZA DAVINA PEREIRA LOPES 23-ANTONIO PAULO CORDEIRO DE LIMA 23-CRISTINA MARIA SOUZA SANTOS 23-GEDEON GOMES DA SILVA 23-VALDOMIRO F. DA SILVA FILHO 23-YOLANDA PEREIRA DA MOTA 24-FABIANE SILVA MENEZES 24-M.ª BETÂNIA BARROS JATOBÁ 25-ALMIR BRITO 25-ANTÔNIO VIEIRA FILHO 25-ÍCARO FERREIRA DA SILVA 25-LUIZA PEREIRA SOBRINHO 25-M.ª ALOÍSIA DE FREITAS 26-ELIANE DA CUNHA DIAS 26-GENÉSIA QUEIROZ UMBURANAS 27-ANTÔNIAADERALDA CORDEIRO ROSA 27-CAROLINE DA CONCEIÇÃO BARBOSA 27-IONARA PINHEIRO BISPO 27-M.ª CONCEIÇÃO DOS SANTOS 27-M.ª DO LIVRAMENTO MORAIS DE SOUZA 27-ROSINEIDE SUZART DOS SANTOS 28-AUGUSTO DE SENA ROCHA 28-DIONÉA GONÇALVES BORBA 28-EDITE LEAL NEVES 28-JOÃO FELIPE TEIXEIRA DE S. FREITAS 28-VILMAANDRADE E SILVA 29-ARLENE PALMA DOS SANTOS 29-HILDECY BATISTA PINHEIRO 29-LUIZ GONZAGA DE MENEZES 29-M.ª EDICE CRUZ RODRIGUES 29-MARIANAALVES DE MOURA 29-RUTH VELOSO DA SILVA 29-VALDELICE BARRETO DOS SANTOS 30-JOEL PEREIRA FRANÇA 30-M.ª LÚCIA GOMES DA SILVA 30-PRISCILA DE ALMEIDA RHEINSCHMITT 30-RAFAEL ALMEIDA FERNANDEZ SOTO 30-ROSA SACRAMENTO DE OLIVEIRA 30-TIMOCLÉA ROSA BACELAR 31-BIANCA DE CARVALHO SOUZA ROCHA 31-HAMILTON MARTINS RAMOS A você, meu irmão, minha irmã, que assume esta Paróquia como dizimista e se compromete com o trabalho pastoral, parabéns! Como presente do seu aniversário, a comunidade paroquial estará unida a você, seus amigos e familiares, nesse dia tão especial, para celebrar esta data. Venha participar, nesse dia, da Santa Missa, às 8h, na Igreja de São Pedro. PARÓQUIA DE SÃO PEDRO MOVIMENTO FINANCEIRO JUNHO/2016 RECEITAS Espórtulas de missas ............................ 4.882,00 Espórtulas de batizados ............................ 280,00 Espórtulas de matrimônios ........................ 180,00 Dízimos .............................................. 33.794,00 Coletas ordinárias ................................... 8.516,20 Coleta para o Congresso Eucaristico ......1.256,00 Taxas de certidões ......................................105,00 Donativos ............................................... 4.500,00 Rendimento do bazar ............................. 7.952,00 Rendimento do restaurante .................... 7.106,70 Aluguéis ................................................1.200,00 Rendimento de aplicações bancárias ..... 928,14 TOTAL ............................................... 70.700,44 DESPESAS Manutenção e conservação .................. 5.529,19 Material litúrgico ...................................... 2.186,30 Promoção humana/formação ...................2.320,00 Ajuda pastoral a moradores de rua ..........1.000,00 Ajuda pastoral a mulheres marginalizadas .880,00 Ajuda social ............................................. 1.400,00 Salários ................................................. 25.993,79 Vale refeição ......................................... 7.015,00 Vale transporte .........................................1.848,00 Encargos sociais .................................... 23.130,14 Côngrua ao pároco ................................. 2.800,00 Material de expediente ............................ 175,40 Material de informática ............................ 350,00 Correios .................................................. 1.249,85 Água, energia e telefonia ......................... 3.744,34 Serviços contábeis ....................................875,78 Tarifa bancária ...............................................82,20 Taxa do programa SGCP ....................... 97,50 Repasse de taxa à Cúria ........................ 3.913,64 Repasse de Coleta Especial .................. 1.256,00 Outras despesas ................................. 450,74 TOTAL ............................................. 86.297,87 SALDO DO MÊS negativo 15.597,43 O dízimo que devolvemos deve ser a nossa entrega pelo trabalho que a comunidade realiza. O desejo de Deus é que sejamos profundamente solidários e vivamos em comunhão. SEJA DIZIMISTA INSCREVA-SE NA SECRETARIA PAROQUIAL
  7. 7. No capítulo 3, 15-16, assim fala o autor do Apocalipse: “Conheço sua conduta: você não é frio nem quente! Porque é morno, nem frio ou quente, estou para vomitar você da minha boca”. Nessas palavras, fica claro que Deus não gosta de pessoas apáti- casquesearrastampelavidasemdei- xar marcas dos seus passos. O autor inglês Shakespeare diz o mesmo com a repetida expressão: “Ser ou nãoser”. Não nascemos por acaso; chega- mos à Terra com uma finalidade que deve ser atingida através de muitos recursos. O homem não é objeto da ação humana, ele é a própria ação, centelha da criatividade divina, e convocado a realizar a sua aventura pessoal unido à comunidade. Deus, no admirável plano da Criação, não deutantodestaqueaoser humanoape- nasparaelesobressair, porémparatra- balhar, como parceiro, completando sua obra. Tão grandiosa missão não pode ser assumida por uma pessoa inerte que prefere o descompromisso da indiferença ao risco da participa- ção. Essa doença também ataca muitos cristãos que se sentem melhor no banco de reserva do que na linha de frente. No Batismo recebemos uma nova vida. Na Crisma somos ungidos para as lutas.AEucaristia nos alimen- ta.Aprópria natureza nos motiva com madrugadas e ocasos que não se repe- tem. Por outro lado, vivemos um entreato da história perigoso porque todos os fenômenos têm repercussão planetária. Acomodação, portanto, é preguiça,oualienaçãodavocaçãohis- tórica,épecadoepecadosério. Pensemos como a Madre Teresa de Calcutá: “Nós mesmos sentimos queoquefazemoséumagotanoocea- no. Mas o oceano seria menor, se essa gota faltasse.” Como isso é gratifi- cante para nós! Somos um micro no macro da humanidade, mesmo assim temos significação. Às vezes nos orgulhamos com ninharias. Com um cargo que ocupamos ou a soma dos reais que está no banco. Que vale isso diantedo mistériodaCriação,quando sabemos que contribuímos para o seu esplendorerealização. Há mais de 50 anos, o escritor cris- tão Lebret publicou um livro: “Para renovar o exame de consciência”, que talvez não exista mais nas livrarias. É uma pena porque geralmente recor- damos o errado que não fizemos (não roubei, não matei, não fiz mal ao outro, etc.), mas não declaramos o bem que deixamos de fazer com a nossa passividade, fruto do individu- alismo, que é um modo de ser fora dos padrõesevangélicos. Às vezes não nos omitimos, porém andamos lentos demais. Enquanto a banda passa, ficamos na janela, apreciando o desfile. Está na hora de engrenar uma primeira e par- tir pela estrada da liberdade. Já que não é possível meditar sobre as refle- xões de Lebret, procuremos reler o capítulo 25 de são Mateus. Aí encon- tramos estímulo para combater a glo- balizaçãodaindiferença. No Batismo recebemos uma nova vida. Na Crisma somos ungidos para as lutas. A Eucaristia nos alimenta. Yvette Amaral yvettealemosmaral@gmail.com O glaucoma é uma doença ocular caracterizada pela perda do campo visual, acompanhada de aumento da escavação do disco ótico, geralmente associada ao aumento da pressão intraocular. O dano causado pelo glaucoma é irreversível, sendo necessário o diagnóstico precoce para evitar a cegueira. Existem vários tipos de glaucoma,porexemplo:primáriodeânguloaberto,ângu- lofechado,congênitoesecundário. O glaucoma agudo é caracterizado pelo aumento súbi- to da pressão intraocular e pelo bloqueio do fluxo do humor aquoso (líquido intraocular) entre as câmaras ocu- lares (posterior e anterior). O quadro clínico pode-se apresentar com vermelhidão ocular, dor intensa no olho, diminuição da transparência da córnea, aumento da pres- são intraocular, baixa aguda da visão. Esse quadro urgen- te deve ser encaminhado ao oftalmologista imediatamen- te. No glaucoma crônico de ângulo aberto, ocorre perda progressiva do campo visual, da periferia para o centro, geralmente sem sintomas até que a doença já esteja em estado avançado, com redução intensa da visão. No glau- coma avançado, a perda do campo visual é tão intensa que o paciente passa enxergar como se estivesse vendo porumtubo,semavisãoperiférica. Por ser uma doença silenciosa, é importante a medida da pressão intraocular, com regularidade, depois dos 40 anos de idade. O diagnóstico e tratamento devem ser con- duzidospelomédicooftalmologistaassistente. GLAUCOMA Dr. Getúlio Tanajura Machado gemachado@bol.com.br - tel. 71-3328-5633
  8. 8. A letra do hino composto para o XVII CONGRESSO EUCARÍSTICO NACIONAL (XVII CEN) é de autoria do padre Carlos Augusto Azevedo da Silva, da Arquidiocese de Belém. Na primeira estrofe, é ressaltado o valor da Eucaristia como sacramento da unidade; na segunda estrofe, a Eucaristia que reúne todos numa grande ação de graças, na sua realidade de sacrifício, louvor e adoração; a terceira estrofe começa com uma citação do documento do Vaticano II “Lumen Gentium”, que aponta a Eucaristia como raiz e cume da mis- são da Igreja: dela tudo brota e para ela tudo converge; na últi- ma estrofe, a figura de Maria Santíssima é evidenciada, nas suas diversas manifestações e devoções, ela que é honrada com o título de Rainha daAmazônia, padroeira da cidade e da Arquidiocese de Belém sob o título de Santa Maria de Belém e na sua maior manifestação que é no Círio de Nossa Senhora de Nazaré, fazendo menção aos 400 de Belém; e, por fim, no refrão, a união da realidade de que a Igreja de Belém acolhe a Igreja do Brasil inteiro, para, na unidade da Eucaristia, fazer brotar na Amazônia e da Amazônia uma missão permanente, pois a nossa vida deve ser um contínuo anúncio da experiên- cia do encontro com Cristo, que nos faz homens e mulheres novos. Informativo da Paróquia de São Pedro Praça da Piedade, 11 - São Pedro - CEP: 40.060-300 - Salvador - Bahia - Brasil - Fone: (55)(0*71) 3329-3280 Site: www.paroquiadesaopedro.org - E-mail: padreaderbal@bol.com.br Direção e Coordenação: Padre Aderbal Galvão de Sousa Diagramação e Revisão: Equipe da Pastoral da Comunicação Colaboração: Getúlio Machado, Yvette Amaral e Zélia Vianna Ilustrações: Getúlio Machado, Ivan Marques e internet Impressão: Pubgraf - E-mail: atendimentopubgraf@gmail.com Expediente: Jornalista responsável: Maria Alcina Pipolo - MTb/DRT/BA 915 Tiragem: 10 mil exemplares Distribuição Gratuita Arquidiocese de São Salvador da Bahia - Brasil “Eucaristia e Partilha na Amazônia Missionária” “Eles o reconheceram no partir do Pão” Refrão: É Belém a Casa do Pão É Brasil, Terra de Santa Cruz Na Amazônia, o Brasil se reúne Eucaristia à missão nos conduz A Eucaristia nos reúne nesta mesa Eleva a Deus um sacrifício de louvor É missão de toda a Igreja Viver no mundo a partilha do amor O Brasil em Belém se faz um No altar do Senhor, comunhão Cristo aponta para a Amazônia missionária partilhando o pão De todos os povos, toda raça e toda língua De todas as tribos e toda a nação Unidos na Santa Eucaristia Sacrifício de louvor e adoração A família, as crianças e os jovens, Os enfermos e tudo o que há Encontram na Eucaristia O alimento salutar A missão da Igreja tem a sua raiz E alcança o seu cume na celebração A Palavra de Deus diz: “E O reconheceram ao partir o pão” O mistério da Igreja realiza Tudo é graça, riqueza e dom E conosco caminha Maria A Estrela da Evangelização Bendita és, Maria, mulher da eucaristia Da Amazônia, de Belém, de Nazaré Quatro séculos de devoção Rios de amor, esperança e de fé Tu que trazes contigo teu Filho Em teus braços, nosso Salvador Ele que nos acolhe e oferece O sacrifício redentor HINO Jesus Eucaristia, fonte de vida para todos, coração dos corações! Nós te acolhemos presente entre nós. Ao recebermos teu Corpo e teu Sangue, mostra-nos a força redentora de teu sacrifício. Tu és partilha de vida e salvação para a vida do mundo. Abre nossos corações para compartilhar com todos os nossos bens. Ensina-nos a testemunhar, amar e servir e proteger a vida, aprendendo a lição do Altar. Em ti, todas as coisas foram criadas e nossas terras amazônicas são obra do amor do Pai. Reconhecemos estes sinais de amor, presença e providência em nossa história, e desejamos irradiar, na comunhão com Deus e com todos, a missão que nos confiaste. Senhor Jesus, há quatro séculos a Boa Nova do Evangelho aportou em nossas terras para aqui plantar raízes. Os teus missionários se alegraram ao verem as Sementes do Verbo de Deus, que o Espírito Santo havia espalhado, precedendo seus passos, e anunciaram corajosamente a tua Palavra. A partir do Forte do Presépio, sob a proteção de Nossa Senhora da Graça, chamando-a Santa Maria de Belém ou Senhora de Nazaré, a Amazônia recebeu a mensagem da salvação. Renova hoje, Senhor, com a força da Eucaristia, o vigor missionário em nossos povos, e brotem entre nós santas vocações para o serviço do Evangelho. Cristo Senhor, ao reconhecer-te no partir do Pão, faze arder nossos corações para que do Altar da Eucaristia nasça um novo ardor missionário em nossa Pátria. Ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo sejam dadas, hoje e sempre, toda a honra e toda a glória! Amém. ORAÇÃO

×