Apostila Contabilidade Avancada Custos

26,952 views

Published on

Published in: Technology, Business
1 Comment
23 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
26,952
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
105
Actions
Shares
0
Downloads
1,301
Comments
1
Likes
23
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apostila Contabilidade Avancada Custos

  1. 1. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY APRESENTAÇÃO Caros amigos! É como grande prazer que inicio este novo trabalho no Ponto dos Concursos. Desta vez, abordaremos a disciplina de Contabilidade de Custos voltada para o concurso de Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo, a ser realizado pela VUNESP ou pela FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (Ainda não foi decidida qual será a banca, mas, pelas informações que temos tido, o edital do concurso deverá sair a qualquer momento). Os dois últimos concursos para o referido cargo foram realizados pela VUNESP, nos anos de 1997 e 2002. Como ainda não saiu o edital, o enfoque inicial do estudo terá como base o programa do último concurso realizado. O desenvolvimento do trabalho será efetuado utilizando a sistemática que entendo ser a mais apropriada para a preparação eficaz em concursos públicos, qual seja, a da abordagem teórica inserida na dinâmica de resolução de questões de provas anteriores. Nesse contexto, examinaremos todas as questões da disciplina aplicadas nos concursos anteriores ao cargo, acrescidas de grande quantidade de questões elaboradas por outras bancas examinadoras, em essência, da Escola de Administração Fazendária – ESAF – e do CESPE/UNB, considerando a grande importância destas bancas como referência para as demais que elaboram provas de concursos nas áreas fiscais. O nosso trabalho é realizado utilizando a lei das probabilidades, tendo como base a abordagem da matéria utilizada em concursos anteriores, assim como, as situações que ainda não foram cobradas e que estejam vinculadas ao programa da disciplina. Obviamente não temos “bola de cristal” para adivinhar exatamente tudo o que será cobrado, pois é comum surgirem novidades em termos de assuntos e de estilos de questões em provas. No entanto, a experiência mostra claramente, que os candidatos que obtêm sucesso são aqueles que estão altamente treinados na resolução de questões de provas anteriores e com os conceitos teóricos sedimentados, pois esses, mesmo diante de situações novas, terão chances muito maiores de chegarem às soluções do que os demais. www.pontodosconcursos.com.br 1 PDF processed with CutePDF evaluation edition www.CutePDF.com
  2. 2. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Neste nosso primeiro encontro, trataremos de alguns conceitos muito importantes na compreensão da disciplina, uma vez que serão utilizados durante todo o curso. Com base no exposto, basearemos a exposição nas principais obras da matéria e no programa do último concurso, o qual, por razões didáticas, não terá sua ordem seguida na íntegra. Vamos ao trabalho. AULA O: 1. CONTABILIDADE DE CUSTOS, FINANCIERA E GERENCIAL – Conceitos e Finalidades CONTABILIDADE DE CUSTOS é a área da ciência contábil que estuda os gastos referentes à produção de bens e serviços. Abrange a Contabilidade de Serviços e a Contabilidade Industrial. No Brasil, a Contabilidade de Custos refere-se, essencialmente, à Contabilidade Industrial. A Contabilidade de Custos (Contabilidade Industrial) aplica-se ao departamento de produção das empresas, tendo como objetivo controlar os diversos gastos envolvidos na fabricação dos produtos, tais como, Mão-de-Obra Direta e Indireta, Materiais Diretos (Matérias- Primas, Embalagens e Insumos) e Gastos Gerais de Fabricação, também chamados de Custos Indiretos de Fabricação (energia elétrica, depreciação e aluguéis da fábrica, entre outros). A Contabilidade de Custos surgiu da necessidade de adaptação às empresas industriais dos critérios da Contabilidade Geral ou Financeira utilizados com sucesso no controle do patrimônio das sociedades comerciais. Enquanto na Contabilidade Geral ou Financeira busca-se o controle do patrimônio da empresa como um todo, na Contabilidade de Custos o objetivo imediato é a avaliação de estoques e do resultado. Com o crescimento das empresas e o conseqüente distanciamento dos administradores, a Contabilidade de Custos passou a ser vista como um importante instrumento de auxílio da função gerencial. Surgiu, assim, a denominada Contabilidade Gerencial. Esse novo ramo da contabilidade, que tem como finalidade o fornecimento de informações necessárias ao controle e tomada de decisão pelos administradores, por ser relativamente novo, ainda carece www.pontodosconcursos.com.br 2
  3. 3. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY de aperfeiçoamentos, cabendo reforçar a importância de adaptações dos critérios da Contabilidade de Custos para o bom desempenho dessa nova função gerencial. 2. TERMOS UTILIZADOS NA CONTABILIDADE DE CUSTOS – Distinções entre Gasto, Investimento, Custo, Despesa, Perda e Desembolso. 2.1 – GASTOS – São os sacrifícios necessários à obtenção de um bem ou serviço. Representam desembolsos imediatos ou a promessa de desembolsos futuros. Os gastos têm um sentido amplo, abrangendo investimentos, custos ou despesas. 2.2 – INVESTIMENTOS – São os gastos que têm como contrapartida um ativo. 2.3 - CUSTOS – São os gastos relativos a bens ou serviços utilizados na produção de outros bens ou serviços. 2.4 – DESPESAS – Representam os bens ou serviços consumidos direta ou indiretamente para a obtenção de receitas. Os gastos relativos aos demais departamentos, como os de Venda e Administrativo são considerados despesas. GASTOS INVESTIMENTOS CUSTOS DESPESAS Exercício 1: Identificar os itens a seguir relacionados como: 1. Investimentos 2. Custos 3. Despesas ( ) Salários do departamento administrativo ( ) Seguros das máquinas da fábrica ( ) Salários dos operários da fábrica diretamente ligados à produção ( ) Salários dos operários da fábrica encarregados da limpeza ( ) Aquisição de Matérias-Primas ( ) Consumo das Matérias-Primas na produção ( ) Comissões de Vendas ( ) Fretes e Seguros sobre Vendas ( ) Aquisição de Equipamentos www.pontodosconcursos.com.br 3
  4. 4. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY ( ) Seguros dos Equipamentos da fábrica ( ) Aquisição de Embalagens ( ) Embalagens consumidas ( ) Juros Passivos ( ) Aquisição de material de escritório ( ) Material de escritório da administração consumido no período ( ) Energia elétrica da sede da sociedade ( ) Energia elétrica da fábrica ( ) Depreciação dos móveis e utensílios do departamento administrativo ( ) Encargos sociais dos operários da fábrica Solução: Como já dissemos, custos são os gastos relativos a bens ou serviços utilizados na produção de outros bens ou serviços; e despesas são bens ou serviços consumidos direta ou indiretamente para a obtenção de receitas. Os gastos envolvidos na produção dos produtos, tais como, Mão-de- Obra Direta e Indireta, Materiais Diretos (matérias-primas e embalagens utilizadas no processo produtivo), Gastos Gerais de Fabricação (energia elétrica, depreciação das máquinas de produção e aluguéis da fábrica, entre outros) são custos. Já os gastos relativos aos demais departamentos, como os de Venda, Administrativo e Financeiro são considerados despesas. Regra geral, teremos o seguinte esquema: Gastos do Departamento de Gastos dos Demais Produção Departamentos (Vendas, (Fábrica) Administrativos, ⇓ Financeiros) ⇓ ⇓ Custos Despesas ⇓ ⇓ Apropriados aos Produtos ⇓ ⇓ Quando Vendidos ⇓ ⇓ Lançados ao Resultado Lançadas diretamente ao como Despesas (Custo dos Resultado Produtos Vendidas Gabarito do Exercício: (3) Salários do departamento administrativo www.pontodosconcursos.com.br 4
  5. 5. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY (2) Seguros das máquinas da fábrica (2) Salários dos operários da fábrica diretamente ligados à produção (2) Salários dos operários da fábrica encarregados da limpeza (1) Aquisição de Matérias-Primas (2) Consumo das Matérias-Primas na produção (3) Comissões de Vendas (3) Fretes e Seguros sobre Vendas (1) Aquisição de Equipamentos (2) Seguros dos Equipamentos da fábrica (1) Aquisição de Embalagens (2) Embalagens consumidas (3) Juros Passivos (1) Aquisição de material de escritório (3) Material do escritório da administração consumido no período (3) Energia elétrica da sede da sociedade (2) Energia elétrica da fábrica (3) Depreciação dos móveis e utensílios do departamento administrativo (2) Encargos sociais dos operários da fábrica Vejamos o esquema abaixo, representativo da aquisição de Matérias - Primas (Investimento): 1. O gasto referente à aquisição de matérias-primas representa um investimento, tendo em vista que, enquanto estiver estocada, comporá o ativo (estoques) da empresa. Como exemplo, determinada sociedade adquire matérias-primas no valor de R$ 1.000,00. Lançamento: Ativo Circulante (AC) Caixa Matérias-Primas Débito Crédito Débito Crédito 1.000 (1) (1) 1.000 2. Supondo que 20% da matéria-prima estocada seja incorporada ao processo de fabricação de um produto. Nesse momento, a matéria- prima incorporada à produção do bem será contabilizada como custo. www.pontodosconcursos.com.br 5
  6. 6. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Efetua-se, assim, o registro a crédito da conta Matérias-Primas e a débito da conta Produtos em Elaboração (o valor é transferido da conta Matérias-Primas para a conta Produtos em Elaboração). Ativo Circulante (AC) Matérias-Primas Produtos em Elaboração Débito Crédito Débito Crédito 1.000 200 (2) ⇒⇒ (2) 200 Vejamos agora o esquema representativo de um gasto que transita pela fase de investimento, até se tornar despesa: 1. Aquisição de material de escritório no valor de R$ 400,00. Ativo Circulante (AC) Caixa Material de Escritório Débito Crédito Débito Crédito R$ 400 (1) (1) 400 2. Consumo do material de escritório. Nesse momento, registra-se o valor do material consumido a crédito na conta Material de Escritório e a débito na conta de Despesa (o valor é transferido da conta Material de Escritório para a conta de Despesa). AC Resultado Material de Escritório Despesa Débito Crédito Débito Crédito 400 400 (2) ⇒⇒ (2) 400 Podemos resumir, afirmando que todos os gastos representados por custos se transformam em despesas quando da entrega dos bens ou serviços a que se referem. Muitos gastos representam automaticamente despesas, outros passam primeiro pela fase de custos e outros ainda passam pela fase de investimento. Vamos exemplificar: 1. A energia elétrica utilizada na produção de um bem é um gasto caracterizado como custo, considerando que é aplicado diretamente na produção de bens. Tal gasto não transita pela fase de investimento. 2. A comissão do vendedor é um gasto que se torna imediatamente despesa, sem transitar pela fase de custo e investimento. A matéria- prima adquirida é um gasto representado, inicialmente, por um investimento (integra o ativo). Quando tal matéria-prima é requisitada para a produção, transforma-se em custo da matéria-prima. Esse bem é www.pontodosconcursos.com.br 6
  7. 7. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY de novo um investimento, uma vez que fica ativado até sua venda, quando, então, transforma-se em despesa, a qual denomina-se Custo da Mercadoria Vendida. 2.5 – DESEMBOLSO – Representa o pagamento resultante da aquisição de um bem ou serviço. Não se confunde com o gasto, uma vez que podem ocorrer em momentos distintos. Exemplo: Em uma compra a prazo, o gasto se dá quando da transferência da propriedade do bem, ocorrendo o desembolso no momento do pagamento. 2.6 – PERDA – Representa um bem ou serviço consumidos de forma anormal e involuntária. Exemplos: Obsoletismo de estoque, perdas com incêndio. Assim como as despesas, as perdas vão diretamente à conta de resultado. Mais à frente estabeleceremos a diferença entre perdas normais e anormais. 3. CUSTO: CONCEITO e CLASSIFICAÇÕES Já definimos custos como sendo os gastos relativos a bens ou serviços utilizados na produção de outros bens ou serviços. Os gastos envolvidos na produção dos produtos, tais como, Mão-de- Obra Direta e Indireta, Materiais Diretos (matérias-primas e embalagens), Gastos Gerais de Fabricação (energia elétrica, depreciação e aluguéis do departamento de produção, entre outros) são custos. Já os gastos relativos aos demais departamentos, como os de Venda e Administrativo são considerados despesas. No entanto, na contabilidade, a palavra Custo pode ser usada com vários significados. Os Custos podem ser classificados como Ativos (Custo dos Produtos em Elaboração, Custo dos Produtos Acabados, Custo de Aquisição de mercadorias) ou, impropriamente, como Despesas (Custo dos Produtos ou Mercadorias Vendidos), entre outras classificações. Trataremos, a seguir, de algumas das mais importantes classificações existentes: 3.1 - CUSTO DAS MERCADORIAS VENDIDAS (conta de RESULTADO)– Aplicável em empresas comerciais (aquelas que operam na compra e venda de mercadorias). O Custo das Mercadorias Vendidas (CMV) equivale ao valor que foi pago na aquisição das mercadorias que foram vendidas. Apropriam-se ao custo de aquisição das mercadorias www.pontodosconcursos.com.br 7
  8. 8. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY todos os gastos necessários à sua obtenção, tais como fretes, seguros, armazenagem e tributos cumulativos. Exemplo: Determinada sociedade adquire mercadorias pelo valor de R$ 2.000,00. Estas mercadorias serão contabilizadas como estoques, classificadas no ativo circulante ou realizável a longo prazo, dependendo se a intenção da sociedade é a de alienar estes bens a curto ou a longo prazo, respectivamente. Posteriormente, a sociedade aliena integralmente estas mercadorias a prazo pelo valor de R$ 5.000,00. No momento em que ocorre a alienação, será dada baixa nos estoques, já que estes são transferidos a terceiros. Nesse momento, os estoques são transformados em despesas (custo dos produtos vendidos). Então teremos a seguinte seqüência de lançamentos, supondo a inexistência de impostos: 1. Aquisição de Mercadorias AC AC Caixa Estoques de Mercadorias Débito Crédito Débito Crédito R$ 2.000 (1) (1) 2.000 2. Venda das Mercadorias AC Resultado Duplicatas a Receber Receita Débito Crédito Débito Crédito (2) 5.000 5.000 (2) 3. Baixa dos Estoques de Mercadorias AC Resultado Estoques de Mercadorias CMV Débito Crédito Débito Crédito 2.000 2.000 (3) ⇒⇒ (3) 2.000 3.2 - CUSTOS DIRETOS – São os custos identificados de forma direta no produto fabricado. São apropriados aos produtos sem a necessidade de rateios. Exemplos: 1. Materiais Diretos (Matérias-Primas e Embalagens) consumidos. 2. Mão-de-Obra Direta. Os Materiais Diretos da produção são relativos aos gastos com matérias- primas, embalagens e outros insumos diretamente identificados nos produtos fabricados. www.pontodosconcursos.com.br 8
  9. 9. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Exemplo: Determinada indústria de móveis arcou com os seguintes gastos de Materiais Diretos para fabricar 5.000 mesas de escritório, em determinado período contábil: Madeira R$ 70.000 Estruturas de metal R$ 40.000 Fórmica R$ 10.000 Tintas/Verniz R$ 2.000 Parafusos R$ 1.000 Embalagens R$ 7.000 Total de Materiais Diretos R$ 130.000 A Mão-de-Obra é considerada direta quando a sociedade estabelece a mensuração do número de horas trabalhadas pelos operários para uma ou mais unidades do produto fabricado. Assim, o custo da Mão-de-Obra Direta será calculado multiplicando-se o número de horas trabalhadas para cada unidade ou lote de produtos pelo valor da hora trabalhada. Incluem-se nesse custo os encargos trabalhistas arcados pela sociedade. Exemplo: Na referida indústria de móveis, para a fabricação das 5.000 unidades de mesas de escritório foram gastas 80 horas de trabalho para cada um dos 20 operários da fábrica. Para cada hora trabalhada a sociedade arcou com um custo de R$ 10,00 para cada operário. A Mão-de-Obra Direta para a fabricação das 5.000 unidades será calculada da seguinte forma: MOD = 20 operários x 80 horas x R$ 10,00 = R$ 16.000,00 3.3 - CUSTOS INDIRETOS – São os custos não identificados de forma direta nos produtos fabricados. São apropriados aos produtos por meio de rateios ou estimativas. Exemplos: 1. Aluguel da fábrica; 2. Energia elétrica consumida no departamento de produção; 3. Salários de operários que trabalham na produção de mais de um produto sem que haja o apontamento das horas trabalhadas; 4. Salários dos operários que não trabalham diretamente na fabricação dos produtos (manutenção, limpeza, segurança); 6. Salários dos supervisores; 7. Depreciação dos equipamentos ATENÇÃO – Se ocorrer a produção de um único produto, todos os custos serão considerados diretos. www.pontodosconcursos.com.br 9
  10. 10. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Exercício 2: Identificar os itens a seguir relacionados, considerando um departamento que fabrica mais de um produto, caso se tratem de: 1. Custos Diretos; 2. Custos Indiretos; 3. Despesas; ( ) Seguros das máquinas da fábrica ( ) Mão-de-obra direta ( ) Contribuição previdenciária da mão-de-obra direta a cargo do empregador ( ) Salários dos operários da fábrica encarregados da manutenção ( ) Horas-extras da mão-de-obra direta ( ) Seguros dos Equipamentos da fábrica ( ) Matérias-Primas consumidas na produção ( ) Embalagens utilizadas na produção ( ) Material de escritório da administração consumido no período ( ) Energia elétrica da sede da sociedade ( ) Energia elétrica da fábrica ( ) Encargos sociais referentes a mão-de-obra direta. ( ) Material indireto ( ) IPTU da sede Solução: Recapitulando, temos os seguintes conceitos: CUSTOS DIRETOS – São os custos identificados de forma direta no produto fabricado. São apropriados a estes produtos. Exemplos: Materiais Diretos (Matérias-Primas e Embalagens) consumidos e Mão-de-Obra Direta. CUSTOS INDIRETOS – São os custos não identificados de forma direta nos produtos fabricados. São apropriados aos produtos fabricados por meio de rateios ou estimativas. Esses rateios podem ser realizados em função do Material Direto (MD) aplicado em cada produto, em função do tempo gasto na fabricação de cada produto e etc. DESPESAS - Gastos relativos aos demais departamentos, como os de Vendas e Administrativo. Gabarito: (2) Seguros das máquinas da fábrica (1) Mão-de-obra direta (1) Contribuição previdenciária da mão-de-obra direta a cargo do empregador (2) Salários dos operários da fábrica encarregados da manutenção www.pontodosconcursos.com.br 10
  11. 11. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY (1) Horas-extras da mão-de-obra direta (2) Seguros dos Equipamentos da fábrica (1) Matérias-Primas consumidas na produção (1) Embalagens utilizadas na produção (3) Material de escritório da administração consumido no período (3) Energia elétrica da sede da sociedade (2) Energia elétrica da fábrica (1) Encargos sociais referentes a mão-de-obra direta. (2) Material indireto utilizado na produção (3) IPTU da sede Nota: Caso a empresa fabricasse apenas um produto todos os custos seriam considerados diretos. Os custos indiretos são apropriados aos produtos fabricados por meio de rateios. Tais rateios são adotados com base em critérios pré- estabelecidos pela sociedade. Exercício 3: Supondo que determinada indústria fabrique os produtos A e B e tenha apurado os seguintes custos na produção de seus estoques. Custos Valores Materiais Diretos (Produto A) R$ 6.000,00 Materiais Diretos (Prod.B) R$ 2.000,00 Mão-de-Obra Direta (Prod.A) R$ 14.000,00 Mão-de-Obra Direta (Prod.B) R$ 6.000,00 Imposto Predial da Fábrica R$ 700,00 Energia Elétrica da Fábrica R$ 1.300,00 Aluguel da Fábrica R$ 3.000,00 Sabendo-se que a sociedade utiliza a distribuição dos valores relativos à Mão-de-Obra Direta como base para o rateio dos Custos Indiretos de Fabricação, identificar o custo total de cada produto. Solução: Passo 1- Calcular o CIF total: Imposto Predial da Fábrica R$ 700,00 Energia Elétrica da Fábrica R$ 1.300,00 Aluguel da Fábrica R$ 3.000,00 Total R$ 5.000,00 www.pontodosconcursos.com.br 11
  12. 12. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Passo 2 – Estabelecer os percentuais de Mão-de-Obra Direta para os Produtos (A) e (B): Custos Valores Percentuais Mão-de-Obra Direta (Prod.A) R$ 14.000,00 70% Mão-de-Obra Direta (Prod.B) R$ 6.000,00 30% Total R$ 20.000,00 100% Passo 3 - Ratear os CIF em função do percentual da MOD de cada produto: Produtos Percentuais A 70% R$ 3.500 (70% x 5.000) B 30% R$ 1.500 (30% x 5.000) Totais 100% R$ 5.000,00 Passo 4 – Calcular o custo de fabricação de cada produto: Produtos/Custos A B Material Direto 6.000 2.000 Mão-de-Obra Direta 14.000 6.000 Custos Indiretos de Fabricação 3.500 1.500 Custo de Produção 23.500 9.500 3.4 - CUSTO PRIMÁRIO - Compreende a soma dos Materiais Diretos (matéria-prima, insumos, embalagens) com a Mão-de-Obra Direta. Para alguns autores, como Eliseu Martins, pode ser considerado como a soma da Matéria-Prima consumida com a Mão de Obra Direta. Custo Primário = MD + MOD ou MP + MOD 3.5 - CUSTO DE TRANSFORMAÇÃO OU DE CONVERSÃO – Corresponde à soma da Mão-de-Obra Direta com os Custos Indiretos de Fabricação. São os gastos necessários à transformação dos materiais diretos em produtos acabados. Custo de Transformação = MOD +CIF 3.6 – CUSTO DOS PRODUTOS EM ELABORAÇÃO (Conta do ATIVO- ESTOQUES)– Corresponde aos custos apropriados aos produtos que estão em fase intermediária de produção. Supondo que em determinada sociedade exista, na data do balanço, 1.000 unidades de um produto que estejam em elaboração e que os custos incorridos acumulados (MD + MOD + CIF) relativos a estes produtos, até o final do período contábil, www.pontodosconcursos.com.br 12
  13. 13. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY seja de R$ 30.000. Assim, a situação será apresentada da seguinte forma no balanço patrimonial: Balanço Patrimonial Ativo Circulante Produtos em Elaboração R$ 30.000 3.7 – CUSTO DOS PRODUTOS ACABADOS ou CUSTO DA PRODUÇÃO ACABADA (Conta do ATIVO-ESTOQUES)– Corresponde ao total dos custos apropriados aos produtos que estão concluídos na data do balanço, mesmo que a produção tenha sido iniciada em período anterior ao da conclusão. Exemplo: determinado lote composto por 1.000 unidades de um produto foi iniciado no ano de 2004, sendo concluído apenas no ano de 2005. Os custos de produção do referido lote foram assim distribuídos: Período/Custos 2004 2005 Totais MD R$ 10.000 R$ 12.000 R$ 22.000 MOD R$ 20.000 R$ 25.000 R$ 45.000 CIF R$ 30.000 R$ 35.000 R$ 65.000 TOTAIS R$ 60.000 R$ 72.000 R$ 132.000 O Custo dos Produtos Acabados referente ao citado lote foi de R$ 132.000,00. 3.8 – CUSTO DA PRODUÇÃO DO PERÍODO – Corresponde ao total dos custos incorridos no período (Materiais Diretos + Mão-de-Obra Direta + Custos Indiretos de Fabricação), independentemente dos produtos que foram concluídos. Exemplo: Determinada sociedade iniciou um lote de 1000 unidades de determinado produto no ano de 2005. Ao final do período, os produtos ainda estavam em uma fase intermediária de produção, já tendo sido incorridos os seguintes custos: Ano de 2005 MD R$ 10.000 MOD R$ 15.000 CIF R$ 20.000 TOTAL R$ 45.000 O Custo de Produção do período foi de R$ 45.000,00, independentemente dos produtos terem sido terminados ou não. www.pontodosconcursos.com.br 13
  14. 14. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Cabe ressaltar, que o período de referência para contabilização dos custos será definido pela sociedade, podendo ser anual, semestral, trimestral e etc. 3.9 - CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS – É o valor correspondente aos gastos incorridos, como Materiais Diretos (Matérias-Primas, Insumos e Embalagens), Mão-de-Obra, Custos Indiretos de Fabricação (ou Gastos Gerais de Fabricação), aplicados na fabricação dos produtos que foram vendidos. Vamos demonstrar uma seqüência que será muito útil na resolução de questões de provas. Exemplo: A sociedade Alfa arcou com os seguintes custos durante o período X1: Materiais Diretos (MD) = R$ 20.000 Mão-de-Obra Direta (MOD) = R$ 30.000 Custos Indiretos de Fabricação (CIF) = R$ 40.000 1. Tais custos foram incorporados aos Produtos em Elaboração (PE). 2. Quando concluído o processo de fabricação, os custos foram apropriados aos Produtos Acabados (PA). 3. Quando vendidos, foram baixados os estoques de produtos acabados em contrapartida à conta Custo dos Produtos Vendidos (CPV). Valores em R$ 1.000,00 Vejamos a citada seqüência na forma de razonetes: MD PE PA CPV 20 20 (1) ⇒ (1) 20 MOD 30 30(1) ⇒ (1) 30 90 (2) ⇒ (2)90 CIF 90 (3) ⇒ (3) 90 R$ 40(1) ⇒ (1) 40 www.pontodosconcursos.com.br 14
  15. 15. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY 3.10 - CUSTO PADRÃO – É o custo projetado considerado como meta a ser atingida. Este conceito será detalhado nas aulas seguintes. QUESTÕES DE CONCURSOS 1. (ESAF) Assinale a alternativa correta. a) Material Direto + Mão-de-Obra Direta = Custo de Fabricação; b) Mão-de-Obra Direta + Gastos Gerais de Fabricação = Custo Primário; c) Material Direto + Gastos Gerais de Fabricação = Custo Total; d) Mão-de-Obra Direta + Custo Primário = Custo Total; e) Custo Primário + Gastos Gerais de Fabricação = Custo de Fabricação. Comentários:Sabemos que Custo de Fabricação=MD+MOD+CIF (GGF). Sabemos, ainda, que Custo Primário = MD+MOD. Logo, substituindo (MD+MOD), na primeira equação, por Custo Primário, teremos: Custo de Fabricação=Custo Primário + GGF (Gastos Gerais de Fabricação). Gabarito: Letra E 2. (ESAF) Uma empresa industrial adquiriu matéria-prima em maio de 1987, para pagamento em 90 dias. Armazenou-a em seu almoxarifado, de onde retirou metade da quantidade adquirida, em junho de 1987, e a outra metade, no mês seguinte, utilizando-a na sua produção, imediatamente após cada requisição. Essa matéria-prima deverá ser assim computada no custo de produção. a) em maio de 1987, pelo seu valor total; b) em junho de 1987, pelo seu valor total; c) em julho de 1987, pelo seu valor total; d) metade em junho e metade em julho de 1987; e) em agosto de 1987, pelo seu valor total. Comentários: Enquanto estocada, a matéria prima é investimento (ativo). Somente passará a representar custo, na medida em que for utilizada na produção (consumida no processo de produção). Logo, metade será computada no custo de produção, em junho, e a outra metade em julho. Vejamos os lançamentos, considerando a aquisição de matéria prima no valor de 10: (1) Em maio: Matéria-Prima www.pontodosconcursos.com.br 15
  16. 16. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY a Fornecedores 10 (2) Em junho: Produtos em Elaboração a Matéria Prima 5 (3) Em julho: Produtos em Elaboração a Matéria Prima 5 Ativo Circulante (AC) Matérias-Primas Produtos em Elaboração Débito Crédito Débito Crédito (1) 10 5 (2) ⇒⇒ (2) 5 5 (3) ⇒⇒ (3) 5 Gabarito: Letra D 3. (ESAF) Compõem o chamado Custo Primário: a) Custo do Material Direto + Custo da Mão-de-Obra Direta; b) Custo do Material Direto + Custo da Mão-de-Obra Direta + Gastos Gerais de Fabricação; c) Custo do Material Direto + Gastos Gerais de Fabricação; d) Custo da Mão-de-Obra Direta + Gastos Gerais de Fabricação; e) Custo do Material Direto e Indireto + Gastos Gerais de Fabricação. Comentários: Definimos Custo primário como a soma dos Materiais Diretos (matéria-prima, insumos, embalagens) com a Mão-de-Obra Direta. Pode ser considerado como a soma da Matéria-Prima consumida com a Mão de Obra Direta. Custo Primário = MD + MOD ou MP + MOD Gabarito: Letra A 4. (ESAF) Os custos que dependem de cálculos, rateios ou estimativas para serem divididos e apropriados em diferentes produtos ou diferentes serviços denominam-se: a) variáveis b) diretos c) proporcionais d) fixos e) indiretos www.pontodosconcursos.com.br 16
  17. 17. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Comentários: Definimos Custos Indiretos como os custos não identificados de forma direta nos produtos fabricados. Afirmamos, ainda, que são apropriados aos produtos fabricados por meio de rateios ou estimativas. Gabarito: E 5. (ESAF) Observe as informações abaixo, extraídas da escrituração de uma empresa industrial, relativas a um determinado período de produção. - Materiais requisitados do almoxarifado: Diretos R$ 300.000,00 Indiretos R$ 50.000,00 - Mão-de-Obra apontada: Direta R$ 200.000,00 Indireta R$ 30.000,00 - Aluguel da Fábrica R$ 40.000,00 - Seguro da Fábrica R$ 20.000,00 - Depreciação das máquinas R$ 60.000,00 O custo de fabricação, o custo primário e o custo de transformação têm, respectivamente, os valores de: a) R$ 700.000,00; R$ 500.000,00; R$ 400.000,00; b) R$ 580.000,00; R$ 500.000,00; R$ 120.000,00; c) R$ 700.000,00; R$ 580.000,00; R$ 230.000,00; d) R$ 500.000,00; R$ 580.000,00; R$ 400.000,00; e) R$ 580.000,00; R$ 350.000,00; R$ 230.000,00. Comentários: Sabemos que: Custo Primário= MD (Material Direto) + MOD (Mão de Obra Direta). Do enunciado, extraem-se os valores de: MD=300.000 MOD=200.000 Logo; Custo Primário=300.000+200.000=500.000. Para efeito de solução de prova, verifica-se que existe somente uma alternativa com este valor. Sabemos, também, que: Custo de Transformação = MOD + CIF (Custo Indireto de Fabricação) Do enunciado, extraem-se os valores de: www.pontodosconcursos.com.br 17
  18. 18. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Custos Indiretos de Fabricação (CIF) Materiais Indiretos 50.000 Mão-de-Obra Indireta 30.000 Aluguel da Fábrica 40.000 Seguro da Fábrica 20.000 Depreciação das Máquinas 60.000 TOTAL 200.000 Logo, o Custo de Transformação = 200.000 (MOD) + 200.000 (CIF) = 400.000. Sabemos, ainda, que o Custo de Fabricação=MD+MOD+CIF= 300.000+200.000+200.000= R$ 700.000. Gabarito: Letra A. 6. (ESAF) Entre os chamados custos indiretos, há aqueles que são considerados diretos, em relação ao departamento de produção ou serviço em se que originam. Entre eles podem ser citados: a) aluguel da fábrica; b) depreciação de edifícios; c) seguro contra acidentes do trabalho; d) iluminação da fábrica; e) depreciação de equipamentos. Comentários: Depreciação de equipamentos é um custo indireto, uma vez que os equipamentos destinam-se, em regra, à elaboração de mais de um produto, havendo, por conseguinte, a necessidade de rateio. No entanto, considerando um equipamento pertencente a um determinado departamento de produção, a depreciação desse equipamento é considerada custo direto em relação ao departamento ao qual pertence, uma vez que o equipamento é exclusivo do referido departamento, não havendo a necessidade de rateio do custo da depreciação com outros departamentos. Assim, a Depreciação do referido equipamento será um Custo Direto em relação ao departamento e Indireto em relação aos produtos fabricados. Gabarito: Letra E. 7. (ESAF) Para apropriar os gastos gerais de fabricação ao custo de seus produtos, uma empresa usa a aplicação de coeficiente predeterminado www.pontodosconcursos.com.br 18
  19. 19. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY sobre o custo do material direto. Uma Ordem de Produção para 1.000 unidades de produtos A apresentou os seguintes custos: Material R$ 10.000,00 Mão-de-Obra R$ 4.000,00 Sabe-se que a estimativa do valor do Material e dos Gastos Gerais de Fabricação para a produção total do período é de, respectivamente, R$ 50.000,00 e R$ 15.000,00. Assim sendo, o valor de custo unitário do produto A, relativo à Ordem de Produção citada, será de: a) R$ 13,00 b) R$ 14,00 c) R$ 17,00 d) R$ 18,20 e) R$ 25,00 Comentários: O primeiro passo a ser dado é determinar o CIF do produto A. Tendo sido informado que o CIF será rateado em função do Material Direto (MD) utilizado nos produtos, deve-se calcular o percentual do Material Direto do produto A em relação ao total de Materiais Diretos gastos na produção geral (% MD do produto A= 10.000/50.000= 0,2 = 20%). Constata-se, então, que no produto A aplicam-se 20% do total do Material Direto utilizado em toda a produção. Logo, pelo critério de rateio definido, 20% do Custo Indireto de Fabricação total deve ser apropriado ao produto A (CIF do produto A= 20% de 15.000 =3.000). Chega-se, por conseguinte, ao Custo total de Fabricação das 1.000 unidades do produto A: 10.000 (MD) + 4.000 (MOD) + 3.000 (CIF) = 17.000. Custos Totais Produto A Material 50.000 10.000 Mão-de-Obra Direta Não 4.000 informado Gastos Gerais de Fabricação 15.000 3.000 (GGF ou CIF) (20% x15.000) Total 17.000 Isto posto, o custo unitário do produto A é igual a R$ 17.000/1.000 unidades= R$ 17,00. Gabarito: Letra C. www.pontodosconcursos.com.br 19
  20. 20. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY 8. (ESAF) Assinale a alternativa que contenha contas representativas de bens fixos e bens de vendas de uma empresa industrial. a) adiantamento a fornecedores, credores por financiamento de equipamentos; b) contratos de aluguel de veículos, manutenção e reparos; c) títulos de capitalização, mercadorias recebidas em consignação; d) máquinas e equipamentos, estoques de produtos para vendas; e) imóveis para vendas, investimentos em coligadas. Comentários: Questão que dispensa muitos comentários, tendo em vista que as outras opções são absurdas. Na letra A, por exemplo, a conta “credores por financiamento de equipamentos” sequer faz parte do ativo. Gabarito: Letra D. 9. (ESAF) Numa empresa industrial, em determinado período, o saldo inicial da conta “Materiais Diretos” foi de R$ 40.000,00 (quarenta mil reais), e o saldo final foi também de R$ 40.000,00. O valor da mão-de- obra direta aplicada no processo de produção foi de R$ 50.000,00 (cinqüenta mil reais), valor igual ao das compras de materiais diretos, sempre no mesmo período. Sabendo-se que o total de materiais utilizados no processo produtivo foi de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), assinale o valor dos materiais utilizados indiretamente no precipitado processo: a) R$ 10.000,00 b) R$ 90.000,00 c) R$ 80.000,00 d) R$ 0,00 e) R$ 50.000,00 Comentários: Do enunciado, extraímos: Ativo Circulante (AC) Materiais Diretos Produtos em Elaboração Débito Crédito Débito Crédito EI 40.000 50.000(1) ⇒⇒ (1) 50.000 Compras 50.000 EF 40.000 Mão-de-Obra Direta Débito Crédito 50.000 50.000 (2) ⇒⇒ (2) 50.000 www.pontodosconcursos.com.br 20
  21. 21. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Sabendo-se que o total de materiais utilizados no processo produtivo foi de R$ 60.000,00, e que, desse total, R$ 50.000,00 correspondem ao valor de materiais diretos, chega-se à conclusão que os materiais indiretos somam R$10.000,00 (Total de Materiais=Materiais Diretos+Materiais Indiretos). Gabarito: Letra A. 10. (ESAF) Uma empresa fabril tem, entre outras, as seguintes contas, cujos saldos referentes ao início de certo mês são: - Caixa R$ 5.000,00 - Salários a Pagar R$ 0,00 - Gastos Gerais de Fabricação R$ 8.000,00 - Mão-de-Obra R$ 0,00 - Matérias-Primas R$ 40.000,00 - Produtos em Elaboração R$ 15.000,00 - Produtos Acabados R$ 30.000,00 - Custos dos Produtos Vendidos R$ 0,00 Nesse mês foram efetuados os seguintes lançamentos: a) Mão-de-Obra 20.000,00 a Diversos a Caixa 5.000,00 a Salários 15.000,00 b) Diversos a Mão-de-Obra 20.000,00 Gastos Gerais de Fabricação 12.000,00 Produtos em Elaboração 8.000,00 O total dos salários, pagos e a pagar, foi rateado entre mão-de-obra direta e mão-de-obra indireta, no mesmo mês, respectivamente, nas proporções de: a) 40% e 60% b) 25% e 75% c) 75% e 25% d) 50% e 50% e) 37,5% e 62,5% Comentários: Pelo lançamento (b) pode ser observado que, do total de 20.000 de mão de obra, 8.000 foram debitados diretamente na conta de “Produtos em Elaboração” (Mão-de - Obra Direta) e 20.000 foram debitados na conta “Gastos Gerais de Fabricação” (Mão-de-Obra Indireta). www.pontodosconcursos.com.br 21
  22. 22. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Conclui-se, então, que a Mão-de-Obra Direta equivale a 8.000/20.000=40% do total da Mão-de-Obra (Salários a pagar 15.000 + Salários Pagos 5.000), e que a Mão-de-Obra Indireta equivale a 12.000/20.000=60% do total da Mão-de-Obra. Vejamos os razonetes: Caixa Mão-de-Obra (total) Débito Crédito Débito Crédito 5.000 5.000(a) (a) 5.000 Salários a Pagar Débito Crédito 15.000 (a) (a) 15.000 Mão-de-Obra Produtos em Elaboração Débito Crédito Débito Crédito 20.000 8.000(b) ⇒⇒ (b) 8.000 Gastos Gerais de Fabricação Débito Crédito 12.000(b) ⇒⇒ (b) 12.000 Gabarito: Letra A. 11. (ESAF) Uma empresa fabril faz os seguintes gastos percentuais na sua produção: - Matéria-prima 50% - Mão-de-Obra direta 40% - Gastos Gerais de Fabricação 10% Sabendo-se que: I) cada unidade produzida é vendida a R$ 1,00; II) a empresa fez aumento de 30% no salário de seus trabalhadores diretamente ligados à produção; III) os demais elementos dos custos e o quantitativo da produção não foram alterados; conclui-se que a empresa, para manter a margem de lucro que vinha obtendo anteriormente ao aumento salarial, terá que vender cada unidade produzida por: www.pontodosconcursos.com.br 22
  23. 23. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY a) R$ 1,30 b) R$ 1,20 c) R$ 1,12 d) R$ 1,40 e) R$ 1,36 Comentários: Sabe-se que houve um aumento de 30% no salário dos trabalhadores diretamente ligados à produção. Considerando que a Mão-de-Obra responde por 40% do custo de produção, concluímos que o referido aumento representará um acréscimo de 12% no custo (30% de 40%=0,3x0,4=0,12=12%). Logo, para manter a mesma margem de lucro, deve haver um reajuste no valor de venda do produto no mesmo percentual do aumento de custo, ou seja, o produto deverá ser vendido por R$1,12. Gabarito: Letra C. 12. (ESAF) Uma empresa, para fabricar 1.000 unidades mensais de um determinado produto, realiza os seguintes gastos: - Matéria-prima R$ 400.000,00 - Mão-de-Obra Direta R$ 300.000,00 - Mão-de-Obra Indireta R$ 100.000,00 - Custos fixos R$ 200.000,00 Se a empresa produziu 1.200 unidades desse produto, por mês, com as mesmas instalações e com a mesma mão-de-obra, o custo por unidade produzida corresponderá a: a) R$ 900,00 b) R$ 833,33 c) R$ 1.000,00 d) R$ 966,66 e) R$ 950,00 Comentários: Tendo havido um acréscimo de 20% na produção (acréscimos de 200 unidades em relação às 1000 unidades anteriormente produzidas), haverá um aumento dos mesmos 20% nas matérias primas (400.000 + 20% =480.000), permanecendo inalterados os valores dos custos fixos e da mão de obra (mesmas instalações e mesma mão de obra). A empresa passou a gastar, então, para produzir 1200 unidades: Matéria-Prima R$ 480.000,00 Mão-de-Obra Direta R$ 300.000,00 Mão-de-Obra Indireta R$ 100.000,00 Custos Fixos R$ 200.000,00 www.pontodosconcursos.com.br 23
  24. 24. CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS-SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Total R$ 1.080.000,00 O custo por unidade produzida será, então: 1.080.000/1200= R$900,00. Gabarito: Letra A. Amigos, De acordo com informações que temos obtido, é possível que a partir da próxima aula já tenhamos o edital do concurso publicado. Não deverá haver grandes surpresas em relação aos tópicos da disciplina, pois as bancas costumam cobrar os mesmos itens em relação à Contabilidade de Custos. Saberemos então, se a Banca examinadora será novamente a VUNESP ou a Fundação Carlos Chagas. Assim, nas próximas aulas, daremos continuidade ao estudo dos conceitos da disciplina de Contabilidade de Custos, aplicando uma quantidade crescente de questões de provas anteriores elaboradas pela ESAF, VUNESP, FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS, CESPE/UNB E FUNDAÇÃO CESGRANRIO, entre outras. Até lá e bons estudos. www.pontodosconcursos.com.br 24
  25. 25. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY CONTABILIDADE DE CUSTOS – Aula 1 Caros Amigos, Nesta nossa Aula 1, apresentaremos o esquema básico da Contabilidade de Custos para avaliação de estoques e apuração do resultado, o que consideramos um dos principais conteúdos da matéria, cujo entendimento é imprescindível para o bom desenvolvimento do curso. Vamos ao trabalho. 1- ESQUEMA BÁSICO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS Para apuração do resultado em uma empresa industrial, deve ser seguido o seguinte roteiro: a- Separação de Custos e Despesas b- Apropriação dos Custos à Produção Realizada no Período c- Apuração do Custo dos Produtos Acabados d- Apuração do Custo dos Produtos Vendidos e- Apuração do Resultado Podemos extrair da Contabilidade Geral o caminho para se chegar ao resultado da empresa: RECEITA DE VENDAS (-) CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS (=) LUCRO BRUTO (-) DESPESAS • De Vendas • Administrativas • Financeiras (=) RESULTADO LÍQUIDO Para a obtenção do resultado, o problema a ser resolvido pela Contabilidade de Custos consiste na determinação do Custo dos Produtos Vendidos. Para a solução desse problema são utilizadas as seguintes contas: www.pontodosconcursos.com.br 1
  26. 26. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Materiais Diretos DÉBITO CRÉDITO Estoque Inicial Saídas (Requisições) de Materiais p/Produção Compras Estoque Final Mão-de-Obra Direta DÉBITO CRÉDITO Valor pago ou devido no Valor da Mão-de-Obra período relativo à mão- Direta apropriada aos de-obra diretamente Produtos em Elaboração. identificada nos produtos fabricados. Custos Indiretos de Fabricação (CIF) ou Gastos Gerais de Fabricação (GGF) DÉBITO CRÉDITO Valor dos Custos Valor dos CIF apropriados Indiretos incorridos no aos Produtos em período. Elaboração por meio de rateios. Produtos em Elaboração DÉBITO CRÉDITO Estoque Inicial Saídas do Custo dos Produtos Acabados Custo da Produção do Período (MD+MOD+CGF) (Custo da Produção Acabada) Estoque Final www.pontodosconcursos.com.br 2
  27. 27. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Produtos Acabados DÉBITO CRÉDITO Estoque Inicial Saídas do Custo dos Produtos Vendidos Custo da Produção Acabada (Custo dos Produtos Vendidos) Estoque Final Custo dos Produtos Vendidos DÉBITO CRÉDITO Custo dos Produtos Encerramento da Conta Acabados que foram em contrapartida a vendidos no período. Resultado do Período. A conta MATERIAIS DIRETOS apresenta, normalmente: 1. Saldo Devedor no início do período, o qual corresponde aos materiais existentes no período anterior que não foram utilizados na produção; 2. Compras Líquidas de materiais efetuadas no período que são registradas a débito da conta Materiais Diretos. 3. Requisições de materiais pelo departamento de produção, cujos valores são registradas a crédito da referida conta MATERIAIS DIRETOS, tendo em vista que representam saídas de materiais do almoxarifado requisitados para a produção. 4. Saldo Final dos materiais, representado pela diferença entre os débitos e créditos. Este valor corresponde aos materiais não empregados na produção no período, que constituirão o estoque inicial do período seguinte. Compõem o custo da produção do período, além dos Materiais Diretos (MD) empregados na produção, a Mão de Obra Direta (MOD) e os Custos Gerais de Fabricação (CGF). As contas de MOD e CIF, regra www.pontodosconcursos.com.br 3
  28. 28. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY geral, são encerradas ao final de cada período contra PRODUTOS EM ELABORAÇÃO. A conta PRODUTOS EM ELABORAÇÃO apresenta, normalmente: 1. Saldo Inicial (ou Estoque Inicial) ⇒ Representa o valor apropriado aos produtos ainda não terminados no período de produção antecedente. Corresponde ao Saldo Final dos Produtos em Elaboração do período anterior. 2. Registros a Débito ⇒ Todo o Custo de Produção do período (MD + MOD + CIF) é debitado na conta PRODUTOS EM ELABORAÇÃO. 3. Registros a Crédito ⇒ À medida que os produtos vão sendo terminados, os custos correspondentes vão sendo Creditados na conta PRODUTOS EM ELABORAÇÃO, ou seja, tais custos são transferidos para a conta PRODUTOS ACABADOS. 4. Saldo Final (ou Estoque Final) ⇒ Representa o custo remanescente apropriado aos produtos que até o final do período ainda não foram concluídos. Irá constituir o Saldo Inicial (Estoque Inicial) da conta do período seguinte. A conta PRODUTOS ACABADOS apresenta, normalmente: 1. Saldo Inicial (ou Estoque Inicial) ⇒ Representa o valor dos custos apropriados aos produtos acabados que não foram vendidos no período anterior. 2. Registros a Débito ⇒ Representam os custos apropriados aos produtos que são terminados no período. Tais valores são transferidos da conta PRODUTOS EM ELABORAÇÃO para a conta PRODUTOS ACABADOS. Os valores debitados na conta PRODUTOS ACABADOS representam o custo dos Produtos Acabados no Período – Custo da Produção Acabada. 3. Registros a Crédito ⇒ À medida que os produtos são vendidos, a conta PRODUTOS ACABADOS é creditada pelos valores dos custos dos produtos que foram alienados. 4. Saldo Final (Estoque Final) ⇒ O saldo devedor final da conta PRODUTOS ACABADOS representa o valor dos custos apropriados aos produtos acabados ainda não vendidos, o que constituirá o saldo inicial do período seguinte. www.pontodosconcursos.com.br 4
  29. 29. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY A conta CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS apresenta, normalmente: 1. Registros a Débito ⇒ O valor referente ao custo dos produtos acabados que foram comercializados pela empresa é debitado na conta CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS (CPV). 2. Registros a Crédito ⇒ A conta CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS representa uma despesa (segundo alguns autores, a nomenclatura correta seria DESPESA DOS PRODUTOS VENDIDOS). Se tratando de uma despesa, deve ser creditada em contrapartida à conta Resultado do Exercício, quando encerrado o período de apuração. Na Demonstração do Resultado do Período de apuração, o valor da conta CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS é deduzido das Vendas Líquidas, para a determinação do Lucro Bruto. Ver exemplo no item 3.9 da Aula 0. Exemplo (Esquema Básico da Contabilidade de Custos): Em um determinado mês (período de apuração considerado), foram consumidos os seguintes valores na produção mensal: MATERIAL DIRETO (MD) R$ 20.000,00 MÃO-DE-OBRA DIRETA (MOD) R$ 30.000,00 CUSTOS INDIRETOS DE FABRICAÇÃO (CIF) R$ 50.000,00 Existiam: Estoque Inicial de Produtos em Elaboração (PE) R$ 25.000,00 Estoque Inicial de Produtos Acabados (PA) R$ 65.000,00 Outras informações : a.O custo dos produtos acabados no período correspondeu a 60% dos custos de produção incorridos no mês. b. Dos produtos acabados, 70% foram vendidos no período. www.pontodosconcursos.com.br 5
  30. 30. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Vejamos a demonstração dos registros no razonetes: MD PE PA CPV SI 25 SI 65 20 20 (1) ⇒ (1) 20 MOD 30 30(1) ⇒ (1) 30 75 (2) ⇒ (2)75 CIF 98 (3) ⇒ (3) 98 50 50(1) ⇒ (1) 50 SF 50 SF 42 1. Apropriação dos Custos de Produção (MD + MOD + CIF) aos Produtos em Elaboração (PE). 2. Transferência do Custo dos Produtos Acabados no Período da conta PRODUTOS EM ELABORAÇÃO para a conta PRODUTOS ACABADOS (60% x 125.000,00 = R$ 75.000,00). Saldo final na conta (R$ 125.000,00 – R$ 75.000,00 = R$ 50.000,00) 3. Transferência do Custo dos Produtos Acabados que foram vendidos no período da conta PRODUTOS ACABADOS para a conta CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS (70% x R$ 140.000,00 = R$ 98.000,00). Saldo Final na conta (R$ 140.000,00 – R$ 98.000,00 = R$ 42.000,00). QUESTÕES DE CONCURSOS Apresentaremos, a seguir, algumas questões de concursos anteriores com o intuito de fixar os procedimentos descritos: Considere os seguintes dados, para responder às questões de números 1 a 4: www.pontodosconcursos.com.br 6
  31. 31. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY I — ESTOQUES Inicial Final (R$) (R$) - Materiais 188,00 327,00 - Produtos em Fabricação 520,00 327,00 - Produtos Acabados 237,00 5,00 II — OUTRAS INFORMAÇÕES - Requisições de materiais para R$ 330,00 fabricação - Produção acabada no período R$ 800,00 - Lucro bruto nas vendas R$ 1.468,00 1. (ESAF) O valor líquido das compras de material foi de: a) R$ 3,00 b) R$ 799,00 c) R$ 796,00 d) R$ 657,00 e) R$ 469,00 Comentários: Resolvemos a questão com a utilização da fórmula a seguir apresentada, adaptada da Contabilidade Geral para tratamento dos estoques da produção. Especificamente para os Materiais Diretos, temos: 1. Estoque Final (EF)= Estoque Inicial (EI) + Compras (C) – Requisições. Portanto: 2. Compras = 327 (EF) –188(EI)+ 330(R)= 469,00. Ativo Circulante (AC) Materiais Produtos em Elaboração Débito Crédito Débito Crédito EI 188 EI 520 Compras ? 330 ⇒⇒ 330 (Requisições) EF 327 Gabarito: Letra E www.pontodosconcursos.com.br 7
  32. 32. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY 2. (ESAF) O valor total debitado no período à conta Produtos em Fabricação foi de: a) R$ 277,00 b) R$ 607,00 c) R$ 1.127,00 d) R$ 657,00 e) R$ 330,00 Comentários: Conforme analisamos no exemplo teórico: 1. A conta PRODUTOS EM ELABORAÇÃO é debitada pelo Custo de Produção do período (MD + MOD + GGF). Das três variáveis que integram o Custo de Produção, só sabemos o valor dos Materiais Diretos (R$ 330), conforme calculado na questão anterior. Sendo: CPP = Custo de Produção do Período CPA = Custo da Produção Acabada MD ⇒⇒ Produtos em MOD CPP Elaboração GGF 2. Sabemos que a conta PRODUTOS ACABADOS é debitada pelo Custo da Produção Acabada (CPA) no período, que na questão foi informado como sendo R$ 800. Usamos aqui a mesma fórmula utilizada no exercício anterior. Especificamente para os produtos em elaboração, temos: EF=EI+CPP– CPA Então: CPP= EF(327) – EI(520) + CPA(800)=607. Vejamos os razonetes abaixo: Ativo Circulante (AC) Produtos em Elaboração Produtos Acabados Débito Crédito Débito Crédito EI 520 EI 237 CPP ? 800 ⇒⇒ 800 (Produção Acabada no Período) www.pontodosconcursos.com.br 8
  33. 33. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY EF 327 Gabarito: Letra B. 3. (ESAF) Considerando que os gastos com a mão-de-obra direta totalizaram R$ 69,00, o total dos Gastos Gerais de Fabricação debitado no período foi de: a) R$ 261,00 b) R$ 258,00 c) R$208,00 d) R$ 327,00 e) R$ 277,00 Comentários: Sabemos que: 1. Custos de Produção do Período (CPP) = 607,00 2. Custos de Produção do Período (CPP) = MD (Requisições de Materiais) (330)+ MOD(69) + CGF (ou CIF). Logo; 3. CGF= 607 – 330 - 69= 208. Gabarito: Letra C. 4. (ESAF) O valor das vendas líquidas realizadas no período foi de: a) R$ 2.268,00 b) R$ 1.505,00 c) R$ 1.832,00 d) R$ 2.505,00 e) R$ 2.500,00 Comentários: 1. Para calcular as Vendas Líquidas, precisamos definir, inicialmente, o Custo dos Produtos Vendidos, já que foi fornecido o valor do Lucro Bruto. 2. Usaremos a mesma fórmula, agora especificamente para: os Produtos Acabados: EF= EI+ CPA – CPV (Saídas). Então, 3. CPV= 237 + 800 – 5 = 1.032 PA CPV SI 237 800 ? Saídas (1.032) ⇒ 1.032 SF 5 www.pontodosconcursos.com.br 9
  34. 34. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Sabemos que Lucro Bruto= Vendas - CPV. Logo, Vendas= Lucro Bruto + CPV Vendas=1.468+1.032= 2.500. Vendas Líquidas ? ⇒ 2.500 (-) CPV (1.032) Lucro Bruto 1.469 Gabarito: Letra E Observem que as questões acima compõem um quebra-cabeça, no qual são fornecidas algumas peças (dados). Temos que descobrir as peças que faltam, utilizando a Estrutura Básica da Contabilidade de Custos, conforme modelo apresentado no início da presente aula. 5. (ESAF) Na área fabril de uma empresa, constituída por um prédio, ocorreram os seguintes custos: - depreciação do prédio R$ 8.000,00 - iluminação do prédio R$ 7.000,00 - imposto predial R$ 8.000,00 - mão-de-obra: Direta R$ 8.000,00 Indireta R$ 7.000,00 - seguro contra incêndio do prédio (parcela incorrida no período) R$ 7.000,00 Sabendo-se que: 1 – não houve encargos sociais neste período; 2 – no total dos custos acima mencionados estão incluídos todos os gastos gerais de fabricação no período; 3 – no final desse período a conta “Gastos Gerais de Fabricação” apresentava o saldo de R$ 5.000,00; assinale a alternativa que contém o valor dos gastos gerais de fabricação debitados na conta “Produtos em Elaboração”: a) R$ 32.000,00 b) R$ 45.000,00 c) R$ 30.000,00 d) R$ 33.000,00 e) R$ 40.000,00 www.pontodosconcursos.com.br 10
  35. 35. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Comentários: 1. Do enunciado, extraímos: GGF ou CIF Depreciações R$ 8.000 Iluminação R$ 7.000 IPTU R$ 8.000 MOI R$ 7.000 Seguro contra Incêndio R$ 7.000 Total R$ 37.000 Sabendo-se que o valor dos CGF do período soma R$ 37.000, e que seu saldo final corresponde a R$ 5.000, conclui-se que a diferença (R$32.000) foi debitada na conta “Produtos em Elaboração”. GGF Produtos em Elaboração DÉBITO CRÉDITO DÉBITO CRÉDITO 37.000 ? 32.000 ⇒ 32.000 SF 5.000 O saldo final dos GGF pode ser referente, por exemplo, à Mão-de- Obra Indireta que foi paga no período como adiantamento do período seguinte. Gabarito: Letra A 6. (ESAF) Uma empresa fabril, em certo período, aplicou no processo produtivo: R$ 50.000,00 de materiais diretos, R$ 50.000,00 de mão-de-obra direta e R$ 50.000,00 de gastos gerais de fabricação. O saldo inicial da conta “Produtos em Elaboração” também foi de R$ 50.000,00, enquanto que o seu saldo final foi de R$ 0,00. Sabendo-se que: 1) o custo dos produtos vendidos no período foi de R$ 200.000,00; 2) o saldo inicial da conta “Produtos Acabados” foi de R$ 0,00; assinale, com base nos dados fornecidos acima, a alternativa que contém o saldo final da conta “Produtos Acabados”. a) R$ 200.000,00 b) R$ 150.000,00 c) R$ 0,00 d) R$ 50.000,00 e) R$ 250.000,00 www.pontodosconcursos.com.br 11
  36. 36. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Comentários: Inicialmente, vejamos os razonetes na seqüência demonstrada referente ao processo de industrialização: MD PE SI 50.000 50.000 50.000 (1) ⇒ (1) 50.000 MOD 50.000 50.000 (2) ⇒ (2) 50.000 ?⇒ CIF 50.000 50.000 (3) ⇒ (3) 50.000 SF 0,00 Para que o Saldo Final da conta “Produtos em Elaboração” seja igual a zero, conforme informado no enunciado do problema, todos os Produtos em Elaboração (o Saldo Inicial mais a Produção iniciada no Período) foram terminados. Assim, deve ser feita a transferência dos custos da conta Produtos em Elaboração para a conta Produtos Acabados, o que corresponde a um crédito de R$ 200.000 na conta “Produtos em Elaboração” e a um débito de R$ 200.000 na conta “Produtos Acabados”. Vejamos os razonetes: PE PA DÉBITO CRÉDITO DÉBITO CRÉDITO SI 0,00 200.000 200.000 ⇒ 200.000 SF 0,00 ? www.pontodosconcursos.com.br 12
  37. 37. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Como o Saldo Inicial da conta Produtos Acabados era zero e o Custo dos Produtos Vendidos (CPV) no período foi de R$ 200.000,00, concluímos que todos os Produtos Acabados foram vendidos e, portanto, o Saldo Final da conta “Produtos acabados” será igual a zero. Vejamos os razonetes: PA CPV DÉBITO CRÉDITO DÉBITO CRÉDITO 200.000 200.000 ⇒ 200.000 SF 0,00 Gabarito: Letra C 7. (ESAF) A receita líquida de uma empresa fabril, em certo período, totalizou R$ 100.000,00; as despesas operacionais R$ 30.000,00 e a provisão para o imposto de renda R$ 25.000,00. O lucro bruto da venda de seus produtos foi de R$ 40.000,00. Sabendo-se que o custo dos produtos fabricados no aludido período foi de R$ 55.000,00 e que o saldo inicial da conta “Produtos Acabados” foi de R$ 25.000,00, assinale, com base nesses dados fornecidos, o saldo final da conta “Produtos Acabados”. a) R$ 60.000,00 b) R$ 80.000,00 c)R$ 25.000,00 d) R$ 55.000,00 e) R$ 20.000,00 Comentários: Extraímos do enunciado os seguintes dados: Receita Líquida 100.000 (-) CPV (?) Lucro Bruto 40.000 Concluímos, então, que: CPV=60.000 PA CPV DÉBITO CRÉDITO DÉBITO CRÉDITO SI 25.000 CPA 55.000 60.000 ⇒ 60.000 SF ? www.pontodosconcursos.com.br 13
  38. 38. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Para verificar qual o Saldo Final da conta Produtos Acabados, montamos, novamente a equação: SI(PA) + Custo dos Produtos Acabados no Período (CPA) – CPV = SF(PA) 25.000 + 55.000 - 60.000 = 20.000 Gabarito: Letra E. 8. (ESAF) Os dados abaixo referem-se à folha de pagamento de uma empresa industrial. - Mão-de-Obra Direta R$ 100.000,00 - Mão-de-Obra Indireta R$ 45.000,00 - Salários do pessoal de venda R$ 40.000,00 - Salários do pessoal da R$ 30.000,00 administração Seguro dos trabalhadores na produção: - mão-de-obra direta R$ 5.000,00 - mão-de-obra indireta R$ 2.500,00 Contribuição previdenciária a cargo do empregador: - mão-de-obra direta R$ 13.000,00 - mão-de-obra indireta R$ 6.000,00 - pessoal de vendas R$ 1.500,00 - pessoal de administração R$ 1.000,00 - Imposto de renda retido na R$ 35.000,00 fonte - Contribuição previdenciária a R$ 7.500,00 cargo dos empregados Os gastos gerais de fabricação (ou custos gerais de produção) da empresa, com base nos valores a que se refere a folha de pagamentos reproduzida acima, foi de: a) R$ 45.000,00 b) R$ 43.500,00 c) R$ 39.500,00 d) R$ 8.500,00 e) R$ 53.500,00 Comentários: Gastos Gerais de Fabricação Mão-de-Obra Indireta R$ 45.000 Seguros (MOI) R$ 2.500 Contribuições R$ 6.000 Total R$ 53.500 www.pontodosconcursos.com.br 14
  39. 39. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Deve ser registrado que o imposto de renda retido na fonte e a Contribuição previdenciária a cargo dos empregados estão embutidos nos salários brutos dos empregados, já tendo sido computados nos R$ 45.000, no caso da mão de obra indireta. Gabarito: Letra E. 9. (ESAF) Foram os seguintes os gastos feitos por uma empresa, num determinado período: Matéria-prima consumida R$ 100.000,00 Mão-de-obra R$ 60.000,00 Energia elétrica — fábrica R$ 20.000,00 Salários da Administração R$ 30.000,00 Depreciação de máquinas R$ 10.000,00 da fábrica Despesas de entrega R$ 40.000,00 O CUSTO DE PRODUÇÃO do período foi de: a) R$ 160.000,00 b) R$ 170.000,00 c) R$ 180.000,00 d) R$ 190.000,00 e) R$ 230.000,00 Comentários: Já apresentamos a fórmula do custo de produção do período: Custo de Produção=MD+MOD+CIF. No presente caso, temos: MD=100.000; MOD=60.000; CIF=20.000(Energia Elétrica) + 10.000 (Depreciação das Máquinas)=30.000. ATENÇÃO: Somente são considerados custos indiretos, os gastos do departamento de produção que são apropriados aos produtos por rateio. Os gastos dos outros departamentos (Departamento de Administração – Salários da Administração; Departamento de Vendas – Despesas de Entrega) são considerados como despesas. Portanto, concluímos que o Custo de Produção= 100.000+60.000+30.000= 190.000,00. www.pontodosconcursos.com.br 15
  40. 40. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Gabarito: Letra D. 10. (ESAF) As despesas financeiras de empresa, inclusive as correções monetárias de empréstimos contratados, têm as características de: a) serem incorporadas aos custos totais de fabricação dos produtos; b) serem incorporadas aos custos básicos de fabricação dos produtos; c) serem classificadas como despesas não-operacionais da empresa; d) não serem incluídos nos custos de fabricação dos produtos; Comentários: As Despesas Financeiras (Juros Passivos e Descontos Financeiros Concedidos), mesmo aquelas relativas a financiamentos de Bens do Imobilizado, como máquinas e equipamentos, são consideradas Despesas. Gabarito: Letra D 11. (ESAF) Produtos Acabados em Estoque são: a) Custos das Mercadorias Vendidas; b) Ativos; c) Gastos Gerais de Fabricação; d) Custos de Transformação. Comentários: Produtos Acabados em estoque encontram-se na fase investimento (ativo), transformando-se em despesa somente no momento da venda (CPV). Gabarito: Letra B. PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES DE NOS 12 A 17, OBSERVE O SEGUINTE: DADOS DA EMPRESA RUMO CERTO LTDA, NO PERÍODO DE 1998: Em (R$ 1,00) Matérias-Primas Compradas 24.000 Depreciação de Equipamentos de Produção 400 Despesas de Entrega 400 Depreciação de Equipamento de 200 Entrega www.pontodosconcursos.com.br 16
  41. 41. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Despesas Financeiras 520 Estoque Final de Matérias-Primas 10.000 Mão-de-Obra Direta 12.000 Materiais Consumidos na Fábrica 8.000 Despesas Administrativas 3.600 Despesas de Material de Escritório 480 Mão-de-Obra Indireta 6.000 Vendas 31.000 Estoque Final de Produtos 16.160 Acabados Não há Outros Estoques Comentários: A estrutura a seguir desenvolvida permite solucionar as questões relativas aos dados apresentados (nºs 12 a 17). 1. Apropriação dos Custos de Produção do Período aos Produtos em Elaboração: MD PE EI 0 C 24.000 ?* 14.000 ⇒ 14.000 EF 10.000 MOD 12.000 12.000 ⇒ 12.000 CIF 14.400* 14.400 ⇒ 14.400 * MD consumidos na produção = EI (0,00) +Compras (24.000) – EF (10.000) = 14.000 ** Questão 13 Gastos Gerais de Produção Depreciação de Equipamentos 400 Materiais Indiretos 8.000 Mão-de-Obra Indireta 6.000 Total 14.400 www.pontodosconcursos.com.br 17
  42. 42. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY 2. Considerando que não havia Estoque Inicial na conta Produtos em Elaboração (PE) ou Produtos em Andamento acumulará um total, antes de ser encerrada, de: MD + MOD + CIF = 14.000 + 12.000 + 14.400 = 40.400. De acordo com os dados do problema, também não havia Estoque Final na conta Produtos em Elaboração, o que leva à conclusão de que toda a produção iniciada no período foi concluída: PE PA 40.400 40.400 ⇒ 40.400 EF 16.160 3. Como sobrou um Estoque Final no valor de R$ 16.160 na conta Produtos Acabados, conclui-se que o Custo dos Produtos Vendidos no período foi de: CPV = PA – EF(PA) = 40.400 – 16.160 = 24.240 PA CPV 40.400 24.240 ⇒ 24.240 EF 16.160 12. (ESAF) A partir dos dados da Empresa Rumo Certo Ltda, constatamos que: a) o Lucro Bruto Operacional é R$ 3.380,00; b) o Lucro Líquido Operacional é de R$ 1.560,00; c) o Custo dos Produtos Vendidos é de R$ 15.000,00; d) o Custo Total da Produção do Período é de R$ 20.000,00; www.pontodosconcursos.com.br 18
  43. 43. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Temos, então: Vendas 31.000 (-) CPV (24.240) LUCRO OPERACIONAL BRUTO 6.760 (-) Despesas de Entrega (Despesas de (400) Vendas) (-) Despesas de Depreciação dos (200) Equipamentos de Entrega (-) Despesas Administrativas (3.600) (-) Despesas de Material de Escritório (480) LUCRO OPERACIONAL (antes das Despesas 2.080 Financeiras) * (-) Despesas Financeiras (520) LUCRO LÍQUIDO OPERACIONAL 1.560 Gabarito: Letra B 13. (ESAF) O total de Custos Indiretos da Empresa Rumo Certo Ltda, é de: a) Cr$ 14.400,00 b) Cr$ 14.000,00 c) Cr$ 6.400,00 d) Cr$ 8.400,00 Comentários: Reiterando o cálculo dos Custos Indiretos ou Gastos Gerais de Fabricação, temos: Custos Indiretos de Fabricação Depreciação de Equipamentos 400 Materiais Indiretos 8.000 Mão-de-Obra Indireta 6.000 Total 14.400 Gabarito: Letra A 14. (ESAF) A Conta Produtos em Andamento da Empresa Rumo Certo Ltda acumulará um total (antes de ser encerrada) de: a) Cr$ 40.000,00 b) Cr$ 48.400,00 c) Cr$ 48.000,00 d) Cr$ 40.400,00 Comentários: Conforme demonstrado, a conta Produtos em Andamento (ou em Elaboração), antes de ser encerrada, acumulará um total de 40.400, que representa a soma de: www.pontodosconcursos.com.br 19
  44. 44. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY MD requisitado 14.000 MOD 12.000 CIF 14.400 TOTAL 40.400 Gabarito: Letra D. 15. (ESAF) Os Custos Diretos da Empresa Rumo Certo Ltda são: a) Cr$ 36.400,00 b) Cr$ 36.000,00 c) Cr$ 32.000,00 d) Cr$ 26.000,00 Comentários: Os Custos Diretos são compostos pela soma dos Materiais Diretos aplicados (MD) com a Mão-de-Obra Direta (MOD): MD 14.000 MOD 12.000 Custos Diretos 26.000 Gabarito: Letra D 16. (ESAF) O Lucro Operacional da Empresa Rumo Certo Ltda antes da Despesa Financeira é de: a) Cr$ 2.080,00 b) Cr$ 4.080,00 c) Cr$ 3.080,00 d) Cr$ 5.080,00 Comentários: De acordo com a Lei nº6.404/76, o Lucro Líquido Operacional é calculado após a dedução das Despesas Financeiras. No entanto, para fins gerenciais, é comum calcular- se o Lucro Líquido Operacional antes das Despesas Operacionais, considerando-se que estas despesas não fazem parte das atividades principais da sociedade. Conforme demonstrado, o Lucro Líquido Operacional calculado foi de R$ 2.080,00 Gabarito: Letra A 17. (ESAF) Admitindo-se que a Empresa Rumo Certo Ltda. produziu 20.200 unidades, o Custo Unitário será de: a) Cr$ 1,00 b) Cr$ 2,00 c) Cr$ 3,00 d) Cr$ 4,00 Comentários: Extraímos dos razonetes o Custo dos Produtos Acabados: 40.400. Concluímos, então, que o custo unitário dos www.pontodosconcursos.com.br 20
  45. 45. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY produtos é igual a este valor divido pela quantidade produzida no período. Custo de Produção = Custo Unitário Quantidade (unidades produzidas) 40.400 = 2,00 20.200 Gabarito: Letra B. 18. (ESAF) Entende-se como Despesas Pós-Fabricação: a) Despesas Administrativas, com vendas e Financeiras; b) Apenas Despesas de Fretes, Seguros para entrega de mercadoria; c) Apenas Despesas de Fretes, Seguros e Impostos na distribuição do produto; d) Apenas perdas e avarias na estocagem e distribuição do produto acabado. Comentários: Os gastos que não se referem ao departamento de produção (fábrica) são considerados despesas. Essas despesas podem ser comerciais, administrativas e financeiras. Seus valores são deduzidos do Lucro Bruto para fins de determinação do Lucro Líquido. Gabarito: Letra A. 19. (ESAF) Entende-se como Mão-de-Obra Indireta, na contabilidade de custos, aquela: a) que diz respeito ao pessoal que trabalha e atua estritamente ligado ao produto que está sendo fabricado; b) responsável pelas vendas dos produtos fabricados; c) relativa à manutenção, prevenção de acidentes, supervisão e programação e controle da produção; d) relativa à administração dos escritórios, contabilidade geral e apoio à Diretoria. Comentários: Os gastos referentes ao departamento de produção são considerados custos. Já os gastos referentes aos outros departamentos são considerados despesas. Dentre os gastos do departamento de produção, alguns estão ligados diretamente a um determinado produto (custo diretos), sendo apropriados diretamente. Outros não estão ligados diretamente a um determinado produto (custos indiretos), sendo necessária a www.pontodosconcursos.com.br 21
  46. 46. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY realização de rateio para sua apropriação aos produtos. Na presente questão, a opção que representa mão-de-obra indireta (custo indireto) é a da letra C, uma vez que o pessoal da manutenção, prevenção de acidentes, supervisão e programação e controle da produção não estão vinculados diretamente à produção de um determinado produto. Gabarito: Letra C. 20. (ESAF) Por definição, Custo dos Produtos Vendidos é a soma dos custos: a) incorridos no período, dentro da fábrica; b) contidos na produção acabada no período; c) de vendas dos produtos vendidos no período; d) incorridos na fabricação dos bens que são vendidos no período. Comentários: Por definição, Custo dos Produtos Vendidos é a soma dos custos incorridos na fabricação dos produtos vendidos no período. Gabarito: Letra D. 21. (ESAF) Assinale a afirmativa correta: a) matéria-prima e embalagens são custos diretos, porque podem ser apropriados perfeitamente aos diversos produtos que são fabricados; b) materiais de consumo são custos diretos pelas mesmas razões apontadas para matéria-prima e embalagens; c) depreciação das máquinas é uma despesa direta, em geral, porque se relaciona com a mão-de-obra direta aplicada; d) o aluguel do prédio fabril não é item apropriável pela Contabilidade de Custos. Comentários: Matéria-Prima e Embalagens são custos diretos, porque podem ser apropriados diretamente aos diversos produtos que são fabricados (são usados em produtos determinados). Gabarito: Letra A 22. (ESAF) O esquema ou fluxo básico de atividades de um Sistema de Contabilidade de Custos é, pela ordem: a) Apropriação dos Custos Indiretos e Diretos aos Produtos — Apuração de Resultados; www.pontodosconcursos.com.br 22
  47. 47. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY b) Separação entre Custos e Despesas — Apropriação dos Custos Diretos a cada Produto — Rateio dos Custos Indiretos para alocação a cada produto; c) Apuração dos Custos Indiretos — Apuração das Margens dos Produtos — Apuração dos Custos Diretos; d) Apuração dos Custos e Receitas dos Produtos — Apuração de Margens e Resultados Unitários — Apuração de Resultados Finais. Comentários: Já comentamos que o primeiro passo a ser adotado na contabilidade de custos é a separação dos custos das despesas. Posteriormente, devem ser apropriados os custos diretos aos produtos, e, finalmente, devem ser rateados os custos indiretos pelos diversos produtos fabricados. Gabarito: Letra B. 23. (ESAF) O preço de venda de um produto é calculado usando-se a seguinte fórmula: a) matéria-prima direta + mão-de-obra direta + despesas gerais de fabricação; b) custo de fabricação + lucro; c) custos primários + custos secundários + lucro; d) custo de fabricação + custo de administração e vendas + lucro; e) matéria-prima direta e indireta + mão-de-obra direta e indireta + lucro. Comentários: Sabemos que Lucro Bruto=Vendas – CPV. Sabemos, ainda, que Lucro Líquido=Lucro Bruto – Despesas (comerciais, administrativas e financeiras). Logo, Vendas=Lucro Líquido + Despesas + CPV. Portanto, o preço de venda é igual ao custo de fabricação dos produtos vendidos, somado ao lucro líquido, acrescido das despesas de administração, de vendas e financeiras. Gabarito: Letra D. 24. (ESAF) Num determinado mês, a escrituração contábil de uma empresa industrial registrou os seguintes dados: R$ 1) estoque de matérias-primas no início do 60.000,00 mês 2) compras efetuadas durante o mês 120.000,00 3) estoque de matérias-primas no final do 120.000,00 mês www.pontodosconcursos.com.br 23
  48. 48. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY 4) despesas com mão-de-obra direta 40.000,00 5) despesas gerais de fabricação 50.000,00 6) produção em andamento no início do mês 24.000,00 7) produção em andamento no final do mês 34.000,00 O custo dos produtos elaborados foi, portanto, de (R$): a) 60.000,00 b) 140.000,00 c) 150.000,00 d) 174.000,00 e) 180.000,00 Comentários: Montemos o esquema básico da contabilidade de custos para resolver a questão: 1.Apropriação dos Custos de Produção do Período aos Produtos em Elaboração. As Matérias-Primas apropriadas aos Produtos em Elaboração são calculadas por meio da equação: EI(MP) (60.000) + Compras (120.000) – EF(MP) = 60.000 + 120.000 – 120.000 = 60.000. A Produção em Andamento no início do mês representa o Estoque Inicial dos Produtos em Elaboração (24.000), assim como a Produção em Andamento no final do mês representa o Estoque Final dos Produtos em Elaboração (34.000), ou seja, os custos apropriados aos produtos que foram iniciados mas ainda não foram terminados. MP PE EI 60.000 EI 24.000 C 120.000 ? 60.000 ⇒ 60.000 EF 120.000 MOD 40.000 40.000 ⇒ 40.000 CIF 50.000 50.000 ⇒ 50.000 EF 34.000 www.pontodosconcursos.com.br 24
  49. 49. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY 2. O cálculo do Custo dos Produtos Elaborados, ou seja, o custo dos produtos que foram terminados no período é determinado conforme a equação a seguir evidenciada: EI (PE) + Produção do Período – EF(PE) = 24.000 + 150.000 – 34.000 = 140.000. PE PA EI 24.000 150.000 140.000 ⇒ 140.000 EF 34.000 Gabarito: Letra B ATENÇÃO: Observem que no enunciado foram apresentados os termos “Despesa com Mão-de-Obra Direta” e “Despesas com Gastos Gerais de Fabricação”. Embora seja uma nomenclatura inapropriada, tendo em vista que tratam-se de custos e não de despesas, é comum entre alguns autores esta identificação. Assim, quando na questão aparecer Despesa com Mão-de-Obra Direta ou Despesas Gerais de Fabricação, entenda-se como Custos de Mão-de-Obra e Gatos Gerais de Fabricação, respectivamente. 25. (ESAF) Na movimentação de contas que registram o processo de produção industrial, a conta DESPESAS GERAIS DE FABRICAÇÃO é creditada: a) pelos materiais indiretos saídos do almoxarifado, debitando-se a conta Almoxarifado; b) pela mão-de-obra indireta ocorrida, debitando-se a conta Folhas de Pagamento — Fábrica; c) por outras despesas indiretas de fabricação, debitando-se as contas Caixa ou Contas a Pagar, conforme o caso; d) pelas despesas de seguros, impostos, taxas e assemelhadas, debitando-se as contas representativas do pagamento ou da apropriação dessas despesas; e) pelo total das despesas gerais de fabricação ocorridas, debitando-se a conta Produtos em Elaboração. www.pontodosconcursos.com.br 25
  50. 50. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Comentários: Do esquema básico da contabilidade de custos, observa-se que a conta DESPESAS GERAIS DE FABRICAÇÃO ou CGF ou CIF é creditada pelo total dos custos gerais de fabricação ocorridos, debitando-se a conta Produtos em Elaboração. Importante reforçar que a conta Produtos em Elaboração também é debitada pelos valores dos materiais diretos aplicados (MD) e da mão de obra utilizada. Gabarito: Letra E. 26. (ESAF) As contas de Matérias Primas e Materiais Indiretos de Fabricação (ou Custos Indiretos), como componentes de custo, ligam-se a fatos cuja ordem de formação ou constituição, como eventos patrimoniais, em uma indústria, é seqüencial. Qual das seqüências, no processo produtivo, pode-se considerar como natural ou lógica? a) compra- armazenagem- produção- armazenagem b) compra- produção- venda- armazenagem c) armazenagem- compra- venda- produção d) compra- armazenagem- venda- produção e) armazenagem- produção- compra- venda Comentários: A aquisição de matéria-prima representa, inicialmente, um investimento, uma vez que, enquanto estiver armazenada, representará um ativo da empresa. A referida matéria-prima permanecerá armazenada até ser aplicada no processo de produção com a utilização da mão de obra (direta e indireta). No momento que for concluída a Produção, o produto acabado permanecerá armazenado até a comercialização do produto final, oportunidade na qual será determinado o Custo do Produto Vendido. Gabarito: Letra A 27. (ESAF) Numa determinada empresa industrial, o fluxo de matérias- primas durante o ano foi o seguinte: I) Saldo inicial: Item 1 — 5.000 unidades a R$ 1,00 cada uma Item 2 — 8.000 unidades a R$ 0,75 cada uma Item 3 — 4.000 unidades a R$ 2,75 cada uma II) Compras: Item 1 — 12.000 unidades a R$ 1,00 cada uma Item 3 — 6.000 unidades a R$ 2,75 cada uma www.pontodosconcursos.com.br 26
  51. 51. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY III) Entregas à produção: Item 1 — 3.500 unidades Item 2 — 2.000 unidades Item 3 — 3.000 unidades IV) Matérias-primas defeituosas, devolvidas aos fornecedores: Item 1 — 200 unidades V) Matérias-primas excedentes, devolvidas ao almoxarifado pela fábrica: Item 2 — 50 unidades Efetuadas essas operações, o saldo da conta “Matérias-Primas” na escrituração da referida empresa era de: a) R$ 37.287,50 b) R$ 37.087,50 c) R$ 37.012,50 d) R$ 22.000,00 e) R$ 15.087,50 Comentários: Vejamos os razonetes representativos das operações realizadas: I) Saldos Iniciais MP (1) = 5.000 unidades x R$ 1,00 = R$ 5.000 MP (2) = 8.000 unidades x R$ 0,75 = R$ 6.000 MP (3) = 4.000 unidades x R$ 2,75 = R$ 11.000 II) Compras: Item 1 — 12.000 unidades x R$ 1,00 = R$ 12.000 Item 3 — 6.000 unidades x R$ 2,75 = R$ 16.500 III) Entregas à produção: Item 1 — 3.500 unidades x R$ 1,00 = R$ 3.500 Item 2 — 2.000 unidades x R$ 0,75 = R$ 1.500 Item 3 — 3.000 unidades x R$ 2,75 = R$ 8.250 IV) Matérias-primas defeituosas, devolvidas aos fornecedores: Item 1 — 200 unidades x R$ 1,00 = R$ 200 V) Matérias-primas excedentes, devolvidas ao almoxarifado pela fábrica: Item 2 — 50 unidades x R$ 0,75 = R$ 37,50 www.pontodosconcursos.com.br 27
  52. 52. CURSOS ON LINE – CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS – SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY MP(1) SI 5.000 C 12.000 3.500 (III) 200 (IV) SF 13.300 MP (2) SI 6.000 1.500 (III) 37,50 (V) SF 4.537,50 MP (3) SI 11.000 C 16.500 8.250 (III) SF 19.250 Saldo de Matérias-Primas MP (1) 13.300 MP (2) 4.537,50 MP (3) 19.250 TOTAL 37.087,50 Gabarito: Letra B. www.pontodosconcursos.com.br 28
  53. 53. CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS –SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY CONTABILIDADE DE CUSTOS – Aula 2 Caros Amigos, Nesta aula, abordaremos os seguintes assuntos: 1. Custos em relação aos níveis de produção (Custos Fixos e Variáveis), 2. Sistema de Custeio por Absorção 3. Sistema de Custeio Variável (ou Direto) 4. Métodos de avaliação de saídas e estoques de materiais (PEPS, UEPS e Custo Médio). Vamos ao trabalho. 1- CUSTOS FIXOS E VARIÁVEIS 1.1 - CUSTOS FIXOS – São os custos que independem do volume de produção. Os custos classificados nesta categoria não variam em relação à quantidade produzida. Exemplos: Aluguel da Fábrica, Seguro da Fábrica, Imposto Predial, Depreciação das Máquinas. 1.2 - CUSTOS FIXOS UNITÁRIOS – São os custos fixos divididos pela quantidade de produtos fabricados. Custo Fixo Unitário (CFU) = Custos Fixos (CF) Quantidade Produzida Os Custos Fixos Unitários variam na razão inversa da quantidade de unidades produzidas, tendo em vista que os Custos Fixos totais (CF) não variam com a quantidade produzida. Exercício: Considerando que em uma indústria os Custos Fixos sejam no montante de R$ 20.000,00. No período 1, foram produzidas 400 unidades e no período 2 a produção foi de 500 unidades. Determinar o Custo Fixo Unitário em cada um dos períodos citados. Solução: Período 1 Período 2 Custo Fixo Unitário R$ 20.000 = R$ 50 R$ 20.000 = R$ 40 (CFU) 400 500 www.pontodosconcursos.com.br 1
  54. 54. CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS –SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY 1.3 - CUSTOS VARIÁVEIS – São aqueles que variam de forma diretamente proporcional à quantidade produzida. Exemplos: Materiais Diretos (Matérias-Primas, Embalagens e Insumos), Mão-de-Obra Direta, Energia Elétrica (embora não varie na mesma proporção da quantidade produzida). ATENÇÃO: Para que a Mão-de-Obra seja considerada um Custo Variável é preciso que seja identificada a quantidade de horas gastas para a produção de cada produto. Calcula-se o Custo da Mão-de-Obra Direta, multiplicando-se o número de horas trabalhadas para cada produto pelo valor pago pela hora. O tempo de Mão-de-Obra não identificado diretamente a cada produto é considerado Custo Indireto ou Custo Fixo. ATENÇÃO: Regra geral, os Custos Fixos são também Custos Indiretos. A exceção a esta regra é quando a indústria produz apenas um produto. Neste caso, os Custos Fixos serão considerados Custos Diretos. No entanto, um custo pode ser variável e ao mesmo tempo indireto como é o caso da cola utilizada na fabricação de móveis. A cola é custo indireto, pois é difícil estabelecer a quantidade exata gasta em cada unidade, e ao mesmo tempo é custo variável, pois varia de acordo com a quantidade produzida. Outro exemplo de Custo Variável e Indireto é o da energia elétrica. É Custo Variável pois aumenta em função da quantidade produzida e Indireto pois não se sabe exatamente quanto cada produto demandou de energia, sendo, portanto, apropriado aos produtos de acordo com algum critério de rateio. 1.4 - CUSTOS VARIÁVEIS UNITÁRIOS – Correspondem aos Custos Variáveis Totais divididos pela quantidade produzida. ATENÇÃO – Enquanto os Custos Variáveis totais (CV) variam em relação à quantidade produzida, os Custos Variáveis Unitários (CVU) não se alteram, pois o aumento dos Custos Variáveis Totais é compensado pelo aumento da quantidade das unidades produzidas. Exemplo: Supondo que para a fabricação de cada unidade de um produto, mesas, por exemplo, incorram os seguintes gastos: Custos Variáveis Unitários (CVU) Materiais Diretos (MD) R$ 10 Mão-de-Obra Direta (MOD) R$ 20 www.pontodosconcursos.com.br 2
  55. 55. CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS –SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Materiais Diretos e Mão-de-Obra Direta são custos Variáveis. Quanto maior a quantidade de mesas fabricadas, maiores serão tais custos. No entanto, para cada unidade produzida, o valor dos Materiais Diretos e da Mão-de-Obra empregados serão os mesmos, ou seja, R$ 10 e R$ 20, respectivamente. Exercício: Considerando que em determinada indústria os Custos Fixos correspondem a R$ 1.000,00 e os Custos Variáveis Unitários de determinado produto correspondem a R$ 10,00, os Custos Variáveis Totais e os Custos Fixos Unitários teriam o seguinte comportamento: Quantidade Custos Fixos Custos Fixos Custos Custos Produzida Totais (B) Unitários Variáveis Variáveis (A) Unitários Totais (D) 10 1.000 10 20 1.000 10 30 1.000 10 O quadro preenchido fica assim: Quantidade Custos Fixos Custos Fixos Custos Custos Produzida Totais (B) Unitários Variáveis Variáveis (A) (C = B/A) Unitários Totais (D) (AxD) 10 1.000 100 10 100 20 1.000 50 10 200 30 1.000 33,33 10 300 Podemos resumir as relações comentadas, conforme quadro a seguir: Relação CF com Quantidade Relação CFU com Quantidade CF ⇒ constantes CFU Diminui ⇓ Quantidade Aumenta ⇑ Quantidade Aumenta ⇑ www.pontodosconcursos.com.br 3
  56. 56. CONTABILIDADE DE CUSTOS P/ ICMS –SP PROFESSOR JOÃO IMBASSAHY Relação CV com Quantidade Relação CVU com Quantidade CV Aumentam ⇑ CVU ⇒ constante Quantidade Aumenta ⇑ Quantidade Aumenta ⇑ 1.5 - CUSTOS SEMIFIXOS E SEMIVARIÁVEIS – São aqueles que contém parte fixa e parte variável. Exemplo: Energia Elétrica da fábrica A rigor, a Energia Elétrica é um custo semivariável, pois haverá um gasto mínimo que independe da quantidade produzida. A partir deste valor, aumentará em função da quantidade produzida. Graficamente, poderíamos representar os Custos Totais, os Custos Fixos e os Custos Variáveis da seguinte forma: ATENÇÃO: Observamos, então, que os Custos Fixos (CF) permanecem inalterados, qualquer que seja a quantidade (Q) produzida, no caso, permanecem em R$ 1.000,00. Já os Custos Variáveis (CV) variam proporcionalmente à quantidade produzida. Finalmente, os Custos Totais representam a soma dos Custos Fixos com os Custos Variáveis (CT=CF+CV). www.pontodosconcursos.com.br 4

×