Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

O desenho

  • Be the first to comment

O desenho

  1. 1. Expressão Corporal Dramática e Musical Trabalho realizado por: Inês Gonçalves Escola Secundária de Alcochete
  2. 2. Índice Introdução……………………………………………………………………3 Desenho Infantil………………………………………………………….4 Os primeiros rabiscos…………………………………………………5 Evolução do desenho……………………………………………….6-9 Importância dos pais……………………………………………10-12 Importância dos primeiros desenhos…………………....13 Motricidade Fina…………………………………………………………14 Importância dos materiais………………………………...17-18 Curiosidades………………………………………………………………..19 Conclusão……………………………………………………………………..20 Bibliografia…………………………………………………………………21
  3. 3. Introdução  Com a realização deste trabalho, espero ficar a conhecer melhor a importância do desenho para a criança, e como a criança deve ser estimulada para desenhar e como os adultos devem agir quando a criança lhe mostra o seu desenho.
  4. 4. Desenho Infantil  O desenho é apenas uma acção sobre uma superfície, a criança sente prazer ao constatar os efeitos visuais que a sua acção produz. Esta fase é conhecida como fase dos rabiscos , uma vez que os desenhos da criança são linhas ou traçados arredondados formando remoinhos. Nestes desenhos a cor tem um papel secundário.
  5. 5. Os Primeiros Rabiscos  Os primeiros rabiscos começam por volta dos 14 meses, são traçados longitudinais, desprovidos de controle motor e sem sentido. Com 1 ano e meio, surgem os movimentos circulares. A partir dos 3 anos, eles fecham-se em formas independentes. O desenho ganha significado, a criança atribui-lhes nomes e conta histórias sobre o que desenhou.
  6. 6. Evolução do Desenho  O desenho das crianças evoluem com a idade e não se guiam pelos padrões estéticos dos adultos. A evolução é semelhante na maioria das crianças, no entanto, dependente de diferenças individuais de temperamento e sensibilidade, bem como da estimulação e reforço que são dados pelas pessoas que a rodeiam.
  7. 7.  14 Meses: A criança já é capaz de agarrar o lápis e produzir os primeiros traços. Os rabiscos não tem forma ou intenção. A criança ainda tem pouco controle dos movimentos, que se originam nos braços ou nos ombros.  18 Meses: Surgem os primeiros movimentos circulares, intercalados com rectas. A criança começa a ter maior controle sobre os músculos da mão.
  8. 8.  3 Anos: Os rabiscos vão-se tornando em construções cada vez mais ordenadas e definidas. surgem os primeiros símbolos e formas isoladas. A criança desenvolve a intenção de criar imagens, integrando percepção e imaginação. Nesta fase surge o desenho da figura humana (cabeça, pernas e braços) e as cores começam a desempenhar um papel mais relevante.
  9. 9.  Mais tarde começam, também, a surgir as paisagens, muitas vezes com características humanas, como por exemplo, o sol com olhos e boca.  Quando a criança entra na escola, há uma diminuição da produção de desenhos, uma vez que a escrita passa a ser concorrente do desenho. Os desenhos, nesta fase, têm uma maior noção de espaço e surge a linha de base, sobre a qual é criado o desenho. Os símbolos são integrados num todo cada vez mais coerente, as figuras humanas têm maior número de pormenores e os sexos são distinguidos, sobretudo com base na roupa e cabelos. Há uma grande preocupação em aproximar o desenho à realidade para agradar ao adulto.
  10. 10. Importância dos Pais  Os pais deveram demonstrar interesse pelos desenhos do filho, perguntar o que é e conversar sobre o desenho. Estes momentos de interacção são muito importantes para a criança. Deverá guardar alguns dos seus desenhos com a data em que foram feitas para mais tarde lhe mostrar, ou pendure-os na parede do quarto.
  11. 11.  A atenção que os pais dão aos desenhos irá contribuir para a construção de uma boa auto estima. É importante respeitar os ritmos de cada criança e permitir que ela possa desenhar livremente, explorando diversos materiais e suportes.  O gozo e a correcção por parte dos adultos vão diminuir a confiança da criança, afastando-a dessa actividade, por pensar que não sabe desenhar. Mesmo não compreendendo o desenho, nenhum rabisco é feito ao acaso, todos têm um sentido e demonstram a forma de pensar e de interpretar o mundo da criança.
  12. 12.  Outra tarefa muito importante dos pais é estimular a criança a desenhar.  No princípio, a criança ignora os limites do papel. Cabe aos pais mostrá-los, pois ela ainda não sabe que existe um lugar certo para desenhar. Os pais devem mostrar interesse por essa vontade de desenhar. Deverá supervisionar a criança para que ela não se aleije ou risque as paredes.
  13. 13. Importância dos primeiros desenhos  Quando uma criança desenha está a comunicar, deixando falar o seu inconsciente. Os desenhos revelam aspectos da personalidade e da situação familiar e social.
  14. 14. MOTRICIDADE FINA  Motricidade fina é a capacidade para executar movimentos finos com controlo e destreza, por exemplo usar uma tesoura ou um lápis. Esta capacidade traduz-se na escrita, no desenvolvimento harmónico da parte grafo-motora.  A motricidade fina é uma das competências chave a ser desenvolvida desde sedo.
  15. 15. Importância dos materiais  O acesso a materiais de diferentes texturas e cores ajudará o desenvolvimento das capacidades e favorecerá a evolução da motricidade fina.  Para as crianças mais crescidos os materiais mais adequados são as canetas, os lápis de cor e as aguarelas, pois permitem dar mais importância a certos pormenores. As colagens com diversos materiais (por exemplo, com massas, folhas, papel de revista ou jornal) são também recomendáveis e permitem-lhes expressar a sua criatividade. O desenho infantil é um universo cheio de mundos que devem ser explorados.
  16. 16.  As pinturas com as mãos dão muito prazer as crianças e devem fazer essa actividade de vez em quando, pois é uma experiência muito estimulante que lhes permite conhecer diferentes texturas.  Uma outra actividade interessante é colocar sobre o chão cartolinas grandes e deixar as crianças desenhar sobre elas.
  17. 17. Curiosidades  As crianças mais novas tem mais facilidade em desenhar com um lápis mais grosso, pois são mais fáceis de segurar e a linha que deixam na folha é mais visível.
  18. 18. Conclusão  Após a realização deste trabalho, fiquei a saber como o desenho é importante para a vida e para o desenvolvimento da criança. Mas que o acompanhamento dos pais, ou de um adulto, também é muito importante nesta aprendizagem. Que o desenho é muito importante para os adultos que estão a volta da criança possam percebe-la e compreende-la melhor.  Eu gostei muito de realizar este trabalho, pois aprendi muito com a sua realização e acho que será muito importante quando no futuro trabalhar com crianças.
  19. 19. Bibliografia  http://familia.sapo.pt/crianca/educacao/bebe_saude/ 91713.html  http://portal.unesco.org/culture/en/files/29712/1137 608891lais-krucken-pereira.pdf/lais-krucken pereira.pdf

×