Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Internet das Coisas hoje

257 views

Published on

Internet das coisas do inglês internet of things - IoT consiste numa revolução.
O RFID é a tecnologia surgida nos anos 70

Published in: Technology
  • Login to see the comments

  • Be the first to like this

Internet das Coisas hoje

  1. 1. Internet das Coisas hoje Edmilson Orlando de Oliveira e.oliveira@ Internet das coisas do inglês internet of things - IoT consiste numa revolução tecnológica que tem como finalidade conectar os diversos equipamentos utilizados no dia a dia à rede mundial de computadores. Um exemplo de equipamento hoje vendido e já pensado sob a ótica da internet das coisas são as chamadas Smart TV, onde você consegue conectar sua TV a internet com uma extrema facilidade e interagir com este equipamento. Outro exemplo da internet das coisas que já está sendo amplamente utilizado é a pulseira Nike+ FuelBand SE que registra os movimentos em um aplicativo para smartphone que se conecta à pulseira por Bluetooth e que é capaz de dar avaliações sobre as atividades físicas, enviar lembretes e ideias de exercícios para os usuários. Além destes exemplos atualmente muitos equipamentos como geladeiras, óculos, elevadores e carros estão conectados à internet. Para se ter uma ideia segundo a pesquisa disponibilizada pela Gartner, Inc. (NYSE: IT) em 2016 temos mais de 6,4 bilhões de “coisas” conectadas e a projeção para o ano de 2020 e que teremos mais de 20 bilhões de coisas conectadas. Podemos dizer que internet das coisas surgiu em 1999 com o trabalho realizado pelo laboratório AUTO-ID Center (MIT) utilizando a tecnologia (RFID) e wireless sensor network, na qual a ideia inicial sempre foi criar um sistema global de registro de bens usando um sistema de numeração único chamado global eletronic product code. Já o termo “internet das coisas” foi utilizado pela primeira vez em 1999 por Kevin Ashton numa apresentação para executivos da Procter & Gamble quando ele falava da ideia de etiquetar eletronicamente os produtos da empresa, para facilitar a logística da cadeia de produção, através de identificadores de rádio frequência (RFID, em inglês). O RFID é a tecnologia surgida nos anos 70 pelo laboratório Nacional Los Alamos. Esta tecnologia surgiu inicialmente para substituir as etiquetas de código de barras, mas se mostrou uma tecnologia muito além disto pois oferece além da identificação do objeto sua localização e estado. Na prática o RFID utiliza ondas de rádio para enviar informações para leitores RFID que podem estar conectados à Internet. Assim, está tecnologia possibilita saber a localização de determinado objeto e informações sobre seu estado por exemplo ela é capaz de informar se a porta X está aberta ou fechada bem como informar outros status como temperatura e distância. Atualmente várias empresas estão sendo criadas com o intuito de automatizar equipamentos. Um equipamento muito utilizado para este tipo de automação é o micro controlador Atmel AVR Arduino este projeto livre surgiu em 2005 na cidade italiana de Ivrea para ser usado como uma ferramenta de baixo custo para projetos de computação de designers e estudantes de arte. Mas a ideia foi além e atualmente há várias empresas de peso que se utilizam deste micro controlador ou de outros
  2. 2. baseados neste, para realizar a automação de residências, escritórios ou fabricas. Com Arduino você consegue conectar vários tipos de equipamento como placa de infravermelho, RFID, wireless, sensor de temperatura e presença e conectar tudo isto à internet, para por exemplo saber qual a temperatura interna da sua residência se a algum movimento dentro da sua residência ou até mesmo automatizar um alimentador para seu animal de estimação onde remotamente você conseguiria dar um comando e este disponibilizar a comida para o seu animal. Estes são só alguns dos exemplos do que podemos fazer com a “internet das coisas”, e devido a tecnologia atual uma simples pessoa pode fazer parte desta revolução ela não está mais restrita à grandes empresas ou à grandes projetos. A outra face da internet das coisas consiste da sua vunerabilidade quanto à segurança. O barateamento da tecnologia causa um aumento de equipamentos conectados à internet sem a devida preocupação com a segurança seja porque o equipamento ficou defasado sem as correções de segurança do fabricante, ou seja, por uma falha de projeto onde o item segurança não foi pensado e implementado com a devida atenção. Pois quando criamos a “Internet das coisas” estamos conectando um equipamento a internet que pode ser acessado e ficará exposto a qualquer tipo de ataque. Sendo essencial que a segurança seja mapeada e pensada para preservar este ativo. Um exemplo de falha de segurança recente foi na boneca Barbie lançada pela Mattel, que responde às perguntas das crianças. O brinquedo grava a fala da criança, envia para processamento em um servidor na nuvem e retorna uma resposta. Há alguns meses eles descobriram que hackers conseguiram espionar as comunicações. Pensando na proteção dos dados pessoais e na privacidade algumas empresas estão oferecendo um modelo chamado de “Privacy by design” onde a privacidade é pensada e assegurada ao usuário sem que ele tenha que fazer configurações adicionais nos equipamentos, ou seja ele, o equipamento, já sai de fábrica com uma configuração pensada na privacidade. O relatório do FTC (Federal Trade Comission, órgão regulador dos Estados Unidos) de 2015 destaca a importância de se pensar na segurança dos dispositivos desde da concepção, além disso o relatório aconselha que as empresas façam avaliações dos riscos, alterar senhas padrão treinamento de funcionários e criar várias camadas (barreiras) de defesa pensando em segurança, o relatório também lembra que nenhuma medida é muito pequena quando se trata de proteger a internet das coisas. Um bom caso de falha de “Privacy by Design” foi apontado pelo teste realizado pelo laboratório da Rapid7 que analisou várias marcas de babás eletrônicas disponíveis no mercado. Muitas das babás eletrônicas trazem câmeras para que os pais vejam os bebês dormindo e possuem saída de áudio para que os pais se comuniquem com as crianças. O teste mostrou falhas de segurança em praticamente todas as babás eletrônicas. A falha mais grave foi a transmissão de vídeos e dados para servidores externos sem a devida preocupação com a criptografia. Além disso, muitos dos equipamentos vêm de fábrica com senhas integradas como “1234” e “admin” que são facilmente descobertas. Temos que lembrar que um estudo realizado pela Deloitte mostra que apenas 40% dos dispositivos serão utilizados por usuários domésticos e o restante será divido entre empresas e governo isto demonstra que quando falamos de internet das coisas estamos falando de um cenário que mexe com a sua vida como um todo seja na esfera pública, empresarial ou governamental. A Internet das coisas realmente veio para ficar e a sua aplicação é quase infinita, facilita e melhora nosso dia a dia, mas como qualquer item em nossa vida temos que ter a devida preocupação com a segurança.
  3. 3. O futuro da internet das coisas é bem promissor, há vários playres desenvolvendo novos projetos sobre a internet das coisas. Há o projeto da Nokia para saúde e bem- estar onde a mesma anunciou recentemente a compra da empresa de hardware finlandesa Withngs que produz tecnologia voltada para a área da saúde. Com a qual a Nokia espera utilizar sua experiência em telefonia e redes para ligar os produtos da Withngs a internet e à aparelhos como relógios, rastreadores termômetros digitais entre outros dispositivos. Outra iniciativa da própria Nokia é a parceria firmada entre ela e a Oi para desenvolver projetos e oportunidades baseadas na tecnologia LTE-M (Comunicação máquina a máquina.) Praticamente todos os playres de peso do mercado estão com projetos voltados para internet das coisas dentre eles podemos mencionar além da Nokia, o Google, Miscrosoft, Aplle, HP, etc.. Como podemos ver ao longo deste artigo a internet das coisas já é uma realidade em nossa vida seja em casa ou no trabalho, nas viagens, nas compras, pouco a pouco ela vem ocupando a nossa rotina. Ainda há alguns problemas a serem resolvidos principalmente em relação a segurança, privacidade e conectividade. Mas como podemos ver também há vários playres trabalhando para resolver estes problemas e criar novas soluções para a Internet das coisas. Para saber mais acesse: http://corporate.canaltech.com.br/materia/seguranca/internet-das-coisas-a-ameaca-de- seguranca-que-esta-em-tudo-56835/ https://mitpress.mit.edu/books/internet-things http://www.arduino.cc/ http://www.gartner.com/newsroom/id/3165317 http://www.espm.br/download/Anais_Comunicon_2014/gts/gt_seis/GT06_MASTROCOLA_ V.pdf http://searchcio.techtarget.com/news/2240239198/FTC-sounds-the-alarm-on-IoT-privacy https://www.rapid7.com/docs/Hacking-IoT-A-Case-Study-on-Baby-Monitor-Exposures-and- Vulnerabilities.pdf http://networks.nokia.com/file/34496/lte-m-optimizing-lte-for-the-internet-of-things Sobre o autor: Edmilson Orlando de Oliveira é Analista de Sistemas com mais de 25 anos de experiência na área de TI, estudante do 5 semestre do curso de Tecnologia Gestão de TI do SENAC-SP.

×