Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

iii dia de geogebra iberoamericano puc sp

540 views

Published on

Na oficina foi abordado o uso do aplicativo Geogebra como ferramenta auxiliar no processo de ensino e aprendizagem de objetos matemáticos:"transformações Lineares Planas".
Obtenha a apostila sobre o assunto em meu blog:
www.odilthom.com

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

iii dia de geogebra iberoamericano puc sp

  1. 1. 18 DE OUTUBRO DE 2015 TEMA OFICINA: SOFTWARE GEOGEBRA OFICINA 5: “TRANSFORMAÇÕES LINEARES PLANAS EM UM AMBIENTE DE GEOMETRIA DINÂMICA”. Prof.: Odilthom ES Arrebola (ARREBOLA, O.E.S) Lic. em Mat. , Mestre em Edu. Mat. <pós-graduado – formação de profs. p/E.S.> arrebolas@uol.com.br http://odilthom.blogspot.com.br/
  2. 2. GEOGEBRA E AS TRANSFORMAÇÕES LINEARES PLANAS  LOCAL: FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CAMPUS MARQUÊS DE PARANAGUÁ  APOIO Organização dos Estados Iberoamericanos – OEI Institutos Ibero-americano de IBERTIC e IBERCIENCIA - Espanha Federação Ibero-americana de Sociedades de Educação Matemática - FISEM Instituto GeoGebra de Andalucía (Espanha) Instituto GeoGebra de São Paulo (Brasil) Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Equipe Técnica de apoio: DTI – PUC/SP - suporte@pucsp.br
  3. 3. PROPOSTA DA OFICINA RESUMO:  PALAVRAS CHAVES:  GEOGEBRA - ENSINO E APRENDIZAGEM - TRANSFORMAÇÕES LINEARES PLANAS. META:  DISCUTIR > utilização do software no ensino da matemática. OBJETIVOS  Compreender as práticas relacionadas à matemática  Reconhecer os programas computacionais como uma ferramenta natural > motivar a discussão qualitativa e integradora de ensino e aprendizagem dos objetos matemáticos.  Analisar > possíveis implicações do uso desse programa e suas possibilidades.
  4. 4. O TEMA DO EVENTO TEMA :  GEOGEBRA MOTIVAÇÃO: FAVORECER:  1.a construção ou produção do objeto em estudo.  2.a descoberta de como desenvolver o conhecimento .
  5. 5. A OFICINA CONSTRUÇÃO JUSTIFICATIVA: 1.TECNOLOGIA 2.TEORIA3.OBJETO DE ESTUDO COMPOSTA DE DUAS PARTES  PRIMEIRA PARTE  APRESENTAÇÃO 1. A TECNOLOGIA. 2. A TEORIA: REFERENCIAL TEÓRICO. 3. O OBJETO DE ESTUDO:TRANSFORMAÇÕES LINEARES. 4. EXERCÍCIO MOTIVADOR  SEGUNDA PARTE  ATIVIDADE PRÁTICA: Listas de exercícios com aplicação do software Geogebra.
  6. 6. 1. A TECNOLOGIA A UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS INFORMÁTICAS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA  Uso da tecnologia no ambiente de sala de aula para o ensino da Matemática traz:  1. Ao professor, a possibilidade de desenvolver contínuas construções de seu saber pedagógico e tecnológico;  2. Ao aluno, oportunidades de atitudes e ações, possibilitando-lhe a construção e reconstrução de conhecimentos, despertando-lhe o desejo de aprender e participar do processo de aprendizagem.  Geogebra: criado para ser utilizado em ambiente de sala de aula.  Análise da utilização: consequências – benefícios (?)
  7. 7. 2. A TEORIA A TEORIA DOS REGISTROS DE REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS:  O que é Semiótica?  Representar um objeto? E uma representação?  Registro? DUVAL (1993, 1995, 2003, 2011) - BARROS(2011) - KARRER (2006) – ARREBOLA (2013) SEMIÓTICA > BARROS (2011): Ciência ligada a signos e símbolos que tem a função de comunicação. REPRESENTAR UM OBJETO > Criar uma cópia ou produzir alguma expressão que lembre o objeto. Ato de representar > REPRESENTAÇÃO. REGISTRO > Conjunto de signos ou sinais ou sons >utilizados na representação > evocar um objeto presente ou ausente.
  8. 8. 2. A TEORIA HISTÓRIA:  Em 1910, a semiótica torna disciplina.  OBRA: “Cours de linguistique génèrale”  PESQUISADORES: ao filósofo, lógico e linguístico suíço SAUSSURE (Henri Louis Ferdinand de ) e ao matemático, filósofo e lógico americano PIERCE(Charles Sanders).  ARTIGOS(2): do matemático, filósofo e lógico alemão FREGE(Friedrich Ludwig Gottob). A TEORIA DOS REGISTROS DE REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS:  CRIADOR: Psicólogo francês Raymond DUVAL (1993, 1995, 2003, 2011).  TENTATIVA: Explicar > Processo cognitivo do aprendizado – aspectos da Semiótica e da Psicologia Cognitiva.
  9. 9. 2. TEORIA DUVAL (1993, 1995, 2003, 2011)BARROS(2011)  Como surgiu a noção de representação semiótica?  Problema de modelização da linguagem.  Como é feita a apreensão ou produção de uma representação semiótica de um objeto?  REPRESENTAÇÕES:  1. EXTERNA > indivíduo =>SEMIÓSIS e  2. INTERNA > indivíduo => NOÉSIS (conceitualização).
  10. 10. FIGURAS ILUSTRATIVAS DA TEORIA DOS REGISTROS DE REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS ( UNIBAN - ANHANGUERA – ARREBOLA, 2013.)  Como entender a diferença entre tratamento e conversão?  Quantos são e quais são os tipos de registro
  11. 11. 3. OBJETO DE ESTUDO  TÓPICO DA ÁLGEBRA LINEAR : T.L.  O que são transformações lineares (T.L.)? Funções: domínios e imagens são espaços vetoriais. Preservam: Operações - adição de vetores e multiplicação de um vetor por um escalar.  Uso: Representação gráfica do Geogebra - apresentar as ilustrações dessas transformações.  Qual o motivo da escolha desse tópico? Porque as TL modelam vários tipos de movimentos tanto no plano, quanto no espaço.  MATEMÁTICA: comunicação  representações.  Objetos: conceitos, propriedades, estruturas e relações  escritos, símbolos, desenhos, gráficos e notações.
  12. 12. SINOPSE DO OBJETO MATEMÁTICO e REGISTROS  CONTEÚDO: Transformações Lineares no Plano e no Espaço.  MATERIAL DA ATIVIDADE: questões selecionadas e retiradas das referências bibliográficas.  REGISTROS: ALGÉBRICOS GRÁFICOS (KARRER (2006))  OBJETIVO: Avaliar se os participantes da oficina são capazes de compreender como se reconhece a matriz de Transformação Linear partindo do efeito geométrico.  SITUAÇÃO:  1. Envolve a conversão de registros.  2. Efeito geométrico e sua Descrição.  3. Avaliação no plano e no espaço : o que ocorre com a imagem do objeto de estudo.
  13. 13. O SOFTWARE GEOGEBRA  APRESENTAÇÃO  O SOFTWARE GEOGEBRA:  Software livre, portátil, fácil de manipular, idealizado e desenvolvido por Markus Hohenwarter – Universidade de Salsburg. Projeto foi iniciado em 2001.  SIGNIFICADO: Geogebra é um programa com união de um sistema de geometria dinâmica e de um sistema de computação algébrica, i.e., DGS – Dynamic Geometry System e CAS – Computer Algebric System.  FINALIDADE: Para ser utilizado em ambiente de sala de aula.
  14. 14. O GEOGEBRA E AS TRANSFORMAÇÕES LINEARES NO PLANO - R² NO ESPAÇO - R³
  15. 15. O GEOGEBRA E EXERCÍCIO MOTIVADOR ASPECTOS GERAIS • BARRA DE MENUS • As funções de seus elementos. • BARRAS DE FERRAMENTAS • 12 botões ou ícones – bloco de ferramentas FIGURA ILUSTRATIVA  EXERCÍCIO MOTIVADOR  Retirado do livro “Introdução à Álgebra Linear” de autoria de João Pitombeira de Carvalho, c.2, p.52, n.2.2.40:  Se , ache a imagem de C por um prolongamento paralelo ao eixo “Oy”.
  16. 16. RECORDANDO ALGUNS TÓPICOS BÁSICOS DA ÁLGEBRA LINEAR.  ESPAÇO VETORIAL REAL I. COMBINAÇÃO LINEAR II. LINEARMENTE DEPENDENTE E LINEARMENTE INDEPENDENTE III. BASES E DIMENSÃO
  17. 17. RECORDANDO ALGUNS TÓPICOS BÁSICOS DA ÁLGEBRA LINEAR. C.L., BASE E DIMENSÃO L.D. OU L.I. FIGURA ILUSTRATIVA FIGURA ILUSTRATIVA
  18. 18. TRANSFORMAÇÕES LINEARES EM DIMENSÃO 2 .  TRANSFORMAÇÕES: Definição: Uma transformação linear de R2 em R2, ou simplesmente um operador linear em R2, é uma função T: R2 → R2 da forma: T(x, y) = (a1. x + b1. y , a2. x + b2. y) ou 1. DILATAÇÃO OU CONTRAÇÃO OU INVERSÃO 2. CISALHAMENTO: i. Na direção do eixo dos x ii. Na direção do eixo dos y 3. REFLEXÃO: i. Na em torno do eixo dos x ii. Na direção do eixo dos y iii. Em torno da origem 4. ROTAÇÃO
  19. 19. TRANSFORMAÇÕES LINEARES EM DIMENSÃO 2 MATRIZ CANÔNICA TRANSFORMAÇÕES LINEARES: T(x, y) = (a1. x + b1. y , a2. x + b2. y) Determine a lei algébrica T(x, y) que transforma o quadrado azul de vértice (0,0), (1, 0), (1,1) e (0,1) no quadrado vermelho.” KARRER (2006) Quadrado unitário Paralelogramo
  20. 20. TRANSFORMAÇÕES LINEARES EM DIMENSÃO 2 .  ATIVIDADE PRÁTICA: FAMILIARIZAÇÃO COM O APLICATIVO GEOGEBRA Tempo de duração: aproximadamente 30min. Todos com a folha contendo a atividade 1. Com o aplicativo aberto iniciaremos nossa incursão sobre o uso do Geogebra.  Transformações especiais usadas em aplicações práticas e numéricas.  No plano: R2 GeoGebra (2).lnk
  21. 21. TRANSFORMAÇÕES LINEARES EM DIMENSÃO 2 ATIVIDADE PRÁTICA: FAMILIARIZAÇÃO COM O APLICATIVO GEOGEBRA Tempo de duração: aproximadamente 30min Objetivo geral: A atividade visa dar uma visão geral do uso do software Geogebra aos participantes da oficina, propiciando-lhes em um primeiro contato a manipulação das ferramentas que esse aplicativo oferece. AF1. (Anton&Rorres, 2001, p.105 c.3.1 ex.02-adaptação) Esboce os seguintes pontos a seguir, depois como vetores com ponto inicial na origem. a. A = (1, 0) b. B = (0, 1) c. C = (1, 2) d. D = (3, 6) e. E = (–4, –3) f. F = (5, –3) O que observaram? AF2. (Anton&Rorres, 2001, p.146 c.4.2 ex.08) Encontre a reflexão do vetor (–1, 2) em torno: a. Do eixo x b. Do eixo y c. Da reta y = x AF3. Anton&Rorres, 2001, p.146 c.4.2 ex.10) Encontre a projeção ortogonal de (2, –5) sobre : a. O eixo x b. O eixo y AF4. (Anton&Rorres, 2001, p.146 c.4.2 ex.12) Encontre a imagem do vetor (3, – 4) quando girado por um ângulo de: a. Ө = 30º b. Ө = 45º c. Ө =–60º d. Ө = 90º AF5. (Kolman&Hill, 2006, p.235 c.4 ex.26- adaptação) Seja L uma transformação linear tal definida por : Represente-a geometricamente em coordenadas cartesianas, em seguida, encontre sua matriz canônica e a imagem do vetor (2, 3), mude os valores desse vetor, o que se observa?
  22. 22. FIGURAS ILUSTRATIVAS DAATIVIDADE PRÁTICA: FAMILIARIZAÇÃO COM O APLICATIVO GEOGEBRA AF1 AF2
  23. 23. FIGURAS ILUSTRATIVAS DAATIVIDADE PRÁTICA: FAMILIARIZAÇÃO COM O APLICATIVO GEOGEBRA AF5 AF5- A mesma TL vista como polígono
  24. 24. ATIVIDADE PRÁTICA COM APLICATIVO GEOGEBRA T,. L. E REGISTROS DE REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS A1. A projeção ortogonal do IR2 : T: IR2 ______ IR2 É linear? Verifique. Faça sua representação geométrica. A2. (Steinbruch & Winterle, 1987, p.212 c.4 ex.03 item d) A transformação do IR2 definida pela seguinte lei: T: IR2 ______ IR2 T(x, y) = (x+ 1, y) É linear? Verifique. A3. Descreva em palavras o efeito geométrico sobre o vetor v = (x, y) = (1, 2) ao multiplicá-lo pela matriz A. e. Usando o Geogebra, faças a representação figural (desenho) e a gráfica (registro cartesiano) f. Observe a representação da figura em coordenadas cartesianas e preencha a seguinte tabela referente ao gráfico: A4. (Lay, 2007, p.69 c.1 ex.19) Seja T: IR2 __ IR2 uma transformada linear que leva : Use o fato de que T é linear para determinar as imagens por T de 2u, 3v e 2u+3v. A5. Encontre a matriz canônica da transformação linear T: IR2 ___ IR2 dada por: w1 = 3x1 + 5x2 w2 = 4x1 – x2 E em seguida calcule T (- 1, 2). A6. (Kolman&Hill, 2006, p.130 c.2 ex.2 - adaptação) Seja R o retângulo com vértices (1,1), (1,4), (3,1) e (3,4). Seja f o cisalhamento na direção x com k = 3. Encontre e esboce a imagem de R. O mesmo cisalhamento na direção y. 1 0 1 0 1 0 1 0 a. A ; b. A c. A ; d. A 0 1 0 0 0 ; 1 0 1                            1 2 3 1 u v 5 0 1 4 e                          
  25. 25. ATIVIDADE PRÁTICA COM APLICATIVO GEOGEBRA A7. (Kolman&Hill, 2006, p.130 c.2 ex4 - adaptação) A transformação matricial: f: IR2 ___ IR2 definida por f(v) = Av, onde: e k um número real. Seja R o retângulo da atividade anterior, movas “k” e observe o que acontece. A8. (Kolman&Hill, 2006, p.130 c.2 ex14 - adaptação) Represente por Q quadrado unitário. Determine duas maneiras diferentes de usar as transformações matriciais definidas sobre Q para obter a imagem dada. k 0 0 k A=      
  26. 26. TRANSFORMAÇÕES LINEARES EM DIMENSÃO 2 E REGISTROS DE REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS TRANSFORMADAS LINEARES GEOMÉTRICAS DO IR² Preencham a Tabela a seguir conforme o modelo usando o ambiente lápis&papel:
  27. 27. TRANSFORMAÇÕES LINEARES EM DIMENSÃO 2 E REGISTROS DE REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS TRANSFORMADAS LINEARES GEOMÉTRICAS DO IR² Preencham a Tabela a seguir conforme o modelo usando o ambiente lápis&papel: Observem a Figura 2, vejam que a transformação aplicar a circunferência produziu a elipse como imagem. De posse aos conhecimentos até aqui adquiridos, usem o ambiente “papel&lápis” a fim de preencher a tabela respectiva à figura em questão, ou seja, traduzir os registros de representações semióticas. Apliquem animação aos fatores “a” e “b”, ou ora a “a”, ou ora a “b”, e vejam o que acontece.
  28. 28. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .  ANTON, H.; RORRES, C. Álgebra Linear com Aplicações 8ª. Ed. Porto Alegre: Bookman, 2002.  ARAÚJO, L.C.L. & NÓBRIGA, J.C.C. Aprendendo matemática com o geogebra. São Paulo: Editora Exato, 2010.  ARREBOLA, O.E.S. Uma sequencia didática sobre transformações lineares em um ambiente de geometria dinâmica. Apresentação de mestrado. Universidade Bandeirante Anhanguera de São Paulo, São Paulo, 2013.  ARREBOLA, O.E.S. GeoGebra – Um Software Educativo Útil como ferramenta auxiliar ao Ensino da Matemática em diversos níveis. Apresentação em slide no HTPC numa escola pública. Casqueiro, Cubatão, 2010.  BARROS, L.G.X. Uma Introdução Ingênua à Teoria dos Registros de Representações Semióticas. Revista Ceciliana, Ano 22, nº 32, p.33–41. Santos, 2011.  BARROS, L. G. X. ; KARRER, M. Inovações no Processo de Ensino-Aprendizagem de Geometria Analítica e Álgebra Linear. Sinergia (CEFETSP). Vol. 12 p. 259-266, 2011. ISSN: 1677-499X.  BARROS, L. G. X. ; KARRER, M. A Integração de Ambientes Computacionais com os Registros de Representações Semióticas nos Processos de Ensino e Aprendizagem de Matemática. Revista Seleção Documental. Nº 23, 2011. ISSN: 1809-0648.  CARVALHO, J. P. Introdução à Álgebra Linear. Série do IMPA - Instituto de Matemática Pura e Aplicada. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1974. .
  29. 29. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .  DUVAL, R. Registros de representações semióticas e funcionamento cognitivo da compreensão em Matemática. In: MACHADO, S.D.A. Aprendizagem em Matemática: Registros de representação semiótica. Campinas: Papirus. p. 11-33, 2003.  DUVAL, R. Ver e Ensinar a Matemática de outra forma – Entrar no modo matemático de pensar: os registros de representações semióticas. São Paulo: Proem Editora, 2011.  GEOGEBRA – página com exemplos interativos, disponível em <http://docentes.educacion.navarra.es/~msadaall/geogebra/ind. Acesso em abril de 2008.  KARRER, M. Articulação entre Álgebra Linear e Geometria: Um estudo sobre as transformações lineares na perspectiva dos registros de representação semiótica. Tese de doutorado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2006.  KOLMAN, B. & HILL, D.R. Introdução à Álgebra Linear: com aplicações, 8ª Ed. Rio de Janeiro. Editora LTC. 2006.  LAY, D. C. Álgebra Linear e Aplicações, 2ª. Ed. São Paulo. Editora LTC. 1999.  MACHADO, S. D. A. (Org.). Aprendizagem em Matemática: Registros de representação semiótica. 7ª. Ed. Campinas, São Paulo: Papirus, 2010.  STEINBRUCH, A. Álgebra Linear, 2ª. ed. São Paulo. Makron Books. 2000

×