Slides Primeiros Socorros

147,001 views

Published on

Slides do conte

10 Comments
123 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
147,001
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
267
Actions
Shares
0
Downloads
9,555
Comments
10
Likes
123
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Slides Primeiros Socorros

  1. 1. São os cuidados imediatos prestados auma pessoa, fora do ambientehospitalar, cujo estado físico, psíquicoe ou emocional...
  2. 2. coloquem em perigo sua vida ou sua saúde,com o objetivo de manter suas funções vitaise evitar o agravamento de suas condições(estabilização), até que receba assistênciamédica especializada.
  3. 3. Pessoa leiga, mas com o mínimo deconhecimento capaz de prestaratendimento à uma vítima até a chegadado socorro especializado.
  4. 4. É a pessoa tecnicamente capacitada para,com segurança, avaliar e identificarproblemas que comprometam a vida. Cabe aosocorrista prestar o adequado socorro pré-hospitalar e o transporte do paciente semagravar as lesões já existentes.
  5. 5. Ações desenvolvidas com o objetivode garantir a vida da vítima,sobrepondo à "qualidade de vida".
  6. 6. Ações desenvolvidas para reduziras seqüelas que possam surgirdurante e após o atendimento.
  7. 7. Estado grave, que necessitaatendimento médico, embora não sejanecessariamente uma emergência. Ex: contusões leves, entorses, luxações.
  8. 8. Estado que necessita deencaminhamento rápido ao hospital.O tempo gasto entre o momentoem que a vítima é encontrada e oseu encaminhamento deve ser omais curto possível.
  9. 9. Exemplos de emergência:Parada Cardiorrespiratória e hemorragias graves.
  10. 10. Fato ou evento desastroso do qualnão resultam pessoas mortas ouferidas, mas que pode oferecer riscofuturo.
  11. 11. É a informação obtida a partirda observação da vítima.
  12. 12. É informação a partir de umrelato da vítima.
  13. 13. Lembre-se!!!Acidentes ocorrem a qualquer hora, emqualquer lugar e com qualquer pessoa.Devemos estar preparados para enfrentá-los, e da melhor maneira possível.
  14. 14. Deixar de prestar socorro, ou seja, não darnenhuma assistência a vítima de acidente oua pessoa em perigo iminente podendo fazê-lo, é crime segundo o artigo 135 do CódigoPenal Brasileiro.
  15. 15. A omissão ou a falta de um prontoatendimento eficiente são os principaismotivos de mortes ou danos irreversíveisem vítimas de acidentes de trânsito.
  16. 16. Preservar a vida;Reduzir o sofrimento;Prevenir complicações; Proporcionar transporte adequado,possibilitando melhores condições parareceber o tratamento definitivo.
  17. 17. 1º - Mantenha a calma;2º - Tenha em mente a seguinte ordem desegurança quando você estiver prestandosocorro: primeiro eu (o socorrista), depois minhaequipe (incluindo os transeuntes) e por ultimo avítima. Isso parece ser contraditório à primeiravista, mas tem o intuito básico de não gerarnovas vítimas;
  18. 18. 3º - Ao prestar socorro, é fundamental ligarpara o atendimento pré-hospitalar assim quechegar ao local do acidente. Podemos, porexemplo, discar 193 (número do corpo debombeiros);4º - sempre verificar se há riscos no local,para você e sua equipe, antes de agir noacidente;5º - Mantenha sempre o bom-senso;
  19. 19. 6º - Mantenha o espírito de liderança, pedindoajuda e afastando os curiosos;7º - Distribua tarefas, assim, os transeuntesque lhe atrapalhariam o ajudará e se sentirãomais úteis;8º - Evite manobras intempestivas (realizar deforma imprudente, com pressa);
  20. 20. 9º - Em caso de múltiplas vítimas, dêpreferência aquelas que correm maiorrisco de vida como, por exemplo, vítimasem parada cardiorrespiratória ou que estejamsangrando muito;10º - Seja socorrista e não um herói(lembre-se do 2º mandamento).
  21. 21. Enquanto o socorro especializado não chegar,devemos tomar algumas precauções básicas.Antes de qualquer procedimento, avaliar acena do acidente e observar se ela podeoferecer riscos, para o acidentado e paravocê. EM HIPÓTESE NENHUMA PONHASUA PRÓPRIA VIDA EM RISCO.
  22. 22. AVALIAÇÃO PRIMÁRIAConsiste na primeira avaliação feita aochegar ao local do acidente, antes de seiniciar o socorro:
  23. 23. 1º Avaliar o LocalObservar se existem perigos, por exemplo: Fios elétricos soltos e desencapados; tráfego de veículos; risco de desmoronamento, explosão, queda de objetos, etc. Assumir o controle da situação; Evitar o pânico e afastar os curiosos.
  24. 24. 2º Avaliar a Vítima - o estado que ela seencontra:Na avaliação será feito um rápido exameda vítima, obedecendo a uma sequênciapadronizada e corrigindo imediatamente osproblemas encontrados.
  25. 25. O exame deverá ser feito rigorosamentenessa seqüência: O “ABCDE” da vida.A - Abertura das vias aéreas com controlecervical - Estão desobstruídas? Existelesão da cervical?B - Boa ventilação, respiração - Estáadequada?
  26. 26. C - Circulação, hemorragia e controle dochoque - Existe pulso palpável? Háhemorragias graves?D - Distúrbio neurológico, nível deconsciência;E - Exposição e proteção da vítima.
  27. 27. É realizado após a estabilização dos sinaisvitais da vítima. Consiste em uma avaliaçãominuciosa, a qual se inicia na cabeça e vaiaté os pés, na parte anterior (frente) eposterior (costas), identificando lesões queapesar de sua gravidade não colocam a vítima emrisco iminente de morte.
  28. 28. Pelo histórico do acidente deve-se observarindícios que possam ajudar ao prestadorde socorro classificar a vítima como clínicaou traumática. Vítima Clínica: apresenta sinais e sintomasde disfunções com natureza fisiológica, comodoenças, etc.
  29. 29. Vítima de Trauma: apresenta sinais esintomas de natureza traumática,como possíveis fraturas.Devemos nesses casos atentar para aimobilização e estabilização da regiãosuspeita de lesão.
  30. 30. Sinais vitais são aqueles que indicam aexistência de vida. São indícios quepermitem concluir sobre o estado geralde uma pessoa.Os sinais sobre o funcionamento do corpohumano que devem ser compreendidos econhecidos são:
  31. 31. Temperatura (precisa de instrumentalespecífico);Pulso – braquial (antebraço) e carotídeo(pescoço);Respiração - geralmente usa-se o dorsoda mão para sentir;Pressão arterial (precisa de instrumentalespecífico).
  32. 32. Temperatura: 36.5º C;Pulso: 60 a 100 bpm;Freqüência Respiratória: 12 a 20 ipm;Pressão Arterial: 120 x 80 mmHg.
  33. 33. Os sinais vitais são sinais quepodem ser facilmente percebidos,deduzindo-se assim, que na ausênciadeles, existem alterações nas funçõesvitais do corpo.
  34. 34. O pulso é a onda de distensão de umaartéria transmitida pela pressão que ocoração exerce sobre o sangue. Esta ondaé perceptível pela palpação de umaartéria e se repete com regularidade,segundo as batidas do coração.
  35. 35. OSSO
  36. 36. PULSO NORMAL FAIXA ETÁRIA 60-100 bpm Adultos 80-90 bpm Crianças acima de 7 anos 80-120 bpm Crianças de 1 a 7 anos 110-130 bpm Crianças abaixo de um ano 130-160 bpm Recém-nascidos
  37. 37. A alteração na freqüência do pulso denunciaalteração na quantidade de fluxo sanguíneo.As causas fisiológicas que aumentam osbatimentos do pulso são: digestão,exercícios físicos, banho frio, estado deexcitação emocional e qualquer estado dereatividade do organismo.

×