Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Apresentação Mídia sociais de nicho

2,792 views

Published on

Aula da Camilo Aggio, no Curso de Marketing Político Online realizado pela UFBA.

Published in: Technology

Apresentação Mídia sociais de nicho

  1. 1. MEDIA SOCIAIS As redes sociais online de nicho e a comunicação digital hiper-especializada
  2. 2. O QUE SÃO AS REDES DE NICHO? <ul><li>Consistem em sites de relacionamento direcionados a grupos específicos : </li></ul><ul><li>Étnicos </li></ul><ul><li>Religiosos </li></ul><ul><li>Minoritários </li></ul><ul><li>Vinculados a causas específicas (ex. ambientalistas) </li></ul>
  3. 3. POTENCIAIS E FINALIDADES <ul><li>Comunicação direcionada </li></ul><ul><li>Esclarecimento de programas específicos </li></ul><ul><li>Produção e administração de imagem junto a um grupo delimitado </li></ul><ul><li>Alinhamento dos planos de governo, projetos e plataformas com uma comunidade específica </li></ul>
  4. 4. OBAMA COMO EXEMPLO. MAIS UMA VEZ <ul><li>O então candidato explorou a comunicação de campanha em nichos online: </li></ul><ul><li>Blackplanet (Afrodescendentes) </li></ul><ul><li>MiGente (Hispânicos) </li></ul><ul><li>AsianAve (Asiáticos) </li></ul><ul><li>Glee (Gays, Lésbicas e simpatizantes) </li></ul><ul><li>Faithbase (Cristãos Católicos) </li></ul>
  5. 5. BLACKPLANET
  6. 6. MIGENTE
  7. 7. REDES ONLINE DE NICHO NO BRASIL? <ul><li>Ainda são poucas as iniciativas de construção de sites de relacionamento de nicho no Brasil </li></ul><ul><li>A utilização política, com propósitos de campanha, foi ainda mais suprimida tendo em vista a legislação eleitoral anterior </li></ul><ul><li>Há uma exceção, detectada na prospecção realizada </li></ul>
  8. 8. NAÇÃO CATÓLICA
  9. 9. AGENDA E MENSAGEM POLÍTICA <ul><li>A exemplo do Nação Católica, as campanhas podem atingir públicos específicos com mensagens específicas. </li></ul><ul><li>Os esforços de comunicação num espaço como este, deve estar alinhada a tópicos da agenda católica, como aborto, casamento entre pessoas do mesmo sexo, pesquisa com células-tronco, dentre outros. </li></ul><ul><li>Construção de fóruns, comunidades e </li></ul>
  10. 10. NICHOS POR VIR <ul><li>A criação de espaços para a constituição das redes sociais online dão a tônica da atual fase da internet que parece se manter por um tempo </li></ul><ul><li>As redes sociais online de nicho, portanto, devem surgir gradativamente no Brasil, abrindo espaço para uma comunicação política mais precisa e eficaz. </li></ul><ul><li>Públicos específicos requerem mensagens específicas. </li></ul>
  11. 11. DO NICHO PARA A COMUNICAÇÃO HIPER-ESPECIALIZADA <ul><li>As redes de nicho ainda existem em pequeno número e não possuem popularidade. </li></ul><ul><li>No entanto, há um conjunto extenso de redes sociais online constituídas em torno de interesses, objetos, atividades, práticas, ações e sentidos diversos. </li></ul><ul><li>São estas redes, que apontam a tendência do crescimento de redes online que requerem a comunicação política hiper-especializada. </li></ul>
  12. 12. AS REDES ONLINE E SUAS CARACTERÍSTICAS ESPECÍFICAS CENTRAIS <ul><li>As redes sociais online que exigem uma comunicação específica/hiper-especializada se desenham em torno de: </li></ul><ul><li>1. Geolocalização </li></ul><ul><li>2. Interação Pessoas/Espaço </li></ul><ul><li>3. Sociabilidade a partir de partilha de vídeos </li></ul><ul><li>4. Apresentação de planilhas/slideshow </li></ul><ul><li>5. Registro de mensagens em áudio </li></ul><ul><li>6. Compartilhamento de updates </li></ul><ul><li>7. Interação a partir do consumo de livros e filmes </li></ul><ul><li>8. Agregador de endereços e perfis em redes diversas </li></ul>
  13. 13. GEOLOCALIZAÇÃO – ESPAÇO E INTERAÇÃO Foursquare, Gowalla e Jaiku
  14. 14. FOURSQUARE
  15. 15. FOURSQUARE <ul><li>Rede social online baseada em geolocalização. De caráter informativo e lúdico, permite que seus usuários compartilhem informações sobre um determinado espaço, quantifiquem o número de visitas a um determinado lugar e se engajem num jogo de recompensas de acordo com atividades desenvolvidas. </li></ul>
  16. 16. FOURSQUARE – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Associação do político/candidato a determinados espaços, possibilitando a associação da sua imagem a atividades comuns e partilhadas entre os usuários que compõem as redes sociais do site. </li></ul><ul><li>Tanto informações sobre atividades ordinárias e cotidianas, quanto mensagens de campanha podem ser partilhadas. </li></ul><ul><li>Informações políticas também podem ser passadas, utilizando o programa como uma espécie de GPS quando próximo aos diretórios de partido, gabinetes, escritórios, etc. </li></ul>
  17. 17. FOURSQUARE – DIVIDENDOS POLÍTICOS <ul><li>Construção e Manutenção da imagem do candidato </li></ul><ul><li>Visibilidade da campanha e, mais especificamente, das agendas de atividades </li></ul><ul><li>Possível divulgação de mensagens de campanha atreladas a determinados ambientes </li></ul>
  18. 18. GOWALLA
  19. 19. GOWALLA <ul><li>Similar ao Foursquare, as redes sociais online funcionam nesta plataforma atreladas às atividades desenvolvidas e lugares visitados pelos participantes. O propósito é compartilhar informações sobre determinados lugares, trajetos realizados, fotos de locais e ingressar em desafios (aspecto lúdico) que rendem recompensas simbólicas. </li></ul>
  20. 20. GOWALLA – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Similares ao do Foursquare </li></ul>
  21. 21. GOWALLA – DIVIDENDOS POLÍTICO <ul><li>Possibilidade de projetar o candidato nos espaços locais, partilhar informações e interagir com os usuários. Tem o potencial de aproximar os candidatos dos eleitores, principalmente aqueles que disputam cargos com pouca visibilidade como vereadores e deputados. Há um mecanismo potencialmente poderoso de aproximação e vinculação dos candidatos a espaços e potenciais eleitores. </li></ul>
  22. 22. JAIKU
  23. 23. JAIKU <ul><li>Microblog criado e gerido pelo Google que funciona nos moldes do Twitter com alguns adendos. Há maior ênfase na possibilidade de usuários publicarem seus mini-textos através de serviços de SMS. Desse modo, a vinculação com a comunicação móvel também atribui outra camada semântica para o serviço: a localização dos sujeitos. O microblog funciona com a composição de redes sociais como o twitter. </li></ul>
  24. 24. JAIKU – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Utilização da ferramenta como uma agenda hiper-atualizada, sempre utilizando a especificidade de localização do serviço. Ou seja, as atividades do candidato podem ser divulgadas neste espaço, sempre com vinculação à sua localização, atribuindo maior sentido espacial na sua comunicação e, de acordo com a sociabilidade estabelecida, levar em consideração seus usuários, partilhando informações sobre um determinado lugar ou evento. </li></ul>
  25. 25. JAIKU – DIVIDENDOS POLÍTICO <ul><li>Permite ao candidato divulgar sua agenda de atividades através de um sistema composto por redes sociais online </li></ul><ul><li>A estratégia pode funcionar de modo similar ao Twitter, indicando aos seguidores onde assistir entrevistas, sabatinas, se engajar em eventos de campanha </li></ul><ul><li>A tônica do espaço permite que a comunicação da campanha vincule o candidato a lugares físicos onde, vinculando-o aos espaços de sua cidade ou estado </li></ul>
  26. 26. REDES SOCIAIS CENTRADAS EM FORMATOS DE CONTEÚDO Vimeo, Slideshare, Picasa, Blip.fm e Gengibre
  27. 27. VIMEO - VIDEOSHARING
  28. 28. VIMEO - VIDEOSHARING <ul><li>Site baseado fundamentalmente no compartilhamento de vídeos. As funcionalidades se assemelham a sites de relacionamento como Facebook e MySpace, no entanto os canais, comunidades e atividades estão fundamentalmente relacionados à produção e publicação de vídeos. Cada comunidade oferece o acesso a arquivos de vídeo, fóruns, calendário de atividades e o conhecimento dos perfis daqueles que compõem a compõe. </li></ul>
  29. 29. VIMEO – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Vídeos diversos podem ser postados e organizados em canais, grupos e dentro do perfil de um político. Se diferencia do Youtube por possibilitar articular redes sociais circunscritas a um determinado partido, candidato e campanha. </li></ul><ul><li>Vídeos variados podem ser postados e fomentar a inserção de um maior número quanto possível de pessoas em contato com as mensagens de campanha. Fóruns podem ser utilizados para estender a comunicação entre agentes políticos e eleitores de acordo com um determinado tema, tópico ou questão contemplado nos vídeos. </li></ul>
  30. 30. VIMEO – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Assim como no Youtube, as campanhas podem criar canais para a publicação e organização de seus vídeos. No entanto, o Vimeo é desenhado visando a formação de redes sociais e interação entre seus membros a partir dos conteúdos abordados nos vídeos. </li></ul><ul><li>Comunidades e canais podem ser criados, sustentando estratégias para a disseminação das mensagens políticas em formato audiovisual através de discussões em fóruns, chats e criando estratégias de mobilização </li></ul>
  31. 31. VIMEO – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Todos os candidatos e partidos podem produzir conteúdos exclusivos para web ou suplementares à propagandas televisivas </li></ul><ul><li>A partir dos potenciais do Vimeo, as campanhas podem publicar vídeos abordado projetos de políticas públicas, planos de governo, respostas a adversários, comparações programáticas, cobertura de eventos diversos, etc. </li></ul><ul><li>Todo o conteúdo produzido e publicado deve ser articulados com estratégias que utilizem canais, categorias e grupos para amplificar a visibilidade das campanhas </li></ul>
  32. 32. VIMEO – DIVIDENDOS POLÍTICOS <ul><li>Permite a publicação de conteúdos audiovisuais de campanha que podem fortalecer a construção de imagem, o esclarecimento das propostas, a divulgação de eventos e discursos </li></ul><ul><li>Possibilita, ao contrário do Youtube, que as campanhas explorem estratégias para que seus conteúdos sejam objeto de atenção e discussão dos membros das redes sociais e comunidades centradas nos conteúdos audiovisuais que circulam nestes espaços digitais. </li></ul>
  33. 33. SLIDESHARE
  34. 34. <ul><li>Redes sociais construídas em torno da partilha de slideshows, planilhas, documentos de texto, principalmente, embora vídeos também sejam possíveis de serem publicados. </li></ul><ul><li>Possibilita a publicação de informações de natureza e finalidade diversas em formato comuns de serem utilizados para apresentações em discursos, reuniões, conferências, etc. Assim como no Vimeo, os usuário podem construir redes sociais online, criar canais e grupos para compartilhar informações nos formatos especificados. A interação e as ferramentas possibilitam que os sujeitos especifiquem os conteúdos compartilhados de interesse comum. </li></ul>
  35. 35. SLIDESHARE – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Aloizio Mercadante é um agente da política que utiliza o slideshare para compartilhar planilhas acerca de termas concernentes à economia, política externa, desenvolvimento, dentre outros. Este exemplo já insinua as possíveis utilizações para a comunicação e marketing político eleitoral. </li></ul><ul><li>Candidatos como Dilma Roussef, que esteve a frente de projetos pilares do governo federal, pode usar as ferramentas do slideshare para publicizar conteúdos explicativos e informativos acerca de projetos realizados e as perspectivas de continuidade. Qualquer candidato pode se valer deste recurso, que possibilita não apenas a publicação de conteúdos, mas a articulações de estratégias de ação para circular tais apresentações, uma vez que o slideshare está integrado com ferramentas relacionadas a outros sites de relacionamento como Facebook, Buzz, Twitter, dentre outros. </li></ul>
  36. 36. SLIDESHARE – DIVIDENDOS POLÍTICOS <ul><li>Projeta aos eleitores a qualidade política de oferecer informações qualificadas atreladas à carreira de um agente político, bem como de seus planos como representante. </li></ul><ul><li>Permite que as apresentações realizadas em atividades de campanha sejam tornadas disponíveis ao cidadãos, criando mecanismos que tornem o candidato mais responsivo e transparente aos olhos do eleitor </li></ul><ul><li>Articula as informações produzidas com redes sociais do próprio site, assim como de redes sociais de outros sites de relacionamento, aumentando a efetividade da visibilidade digital </li></ul>
  37. 37. PICASA
  38. 38. PICASA <ul><li>Software e site de publicação de imagens. O software possibilita uma organização rápida e eficaz de todas as imagens contidos num disco rígido. A partir desta organização, os usuários podem criar álbuns disponíveis na web para grupos específicos (familiares e amigos) ou totalmente público. </li></ul><ul><li>O serviço, adminsitrado pelo google, permite que tags sejam vinculados às imagens, bem como integre as imagens usadas em todas as contas google dos usuários </li></ul>
  39. 39. PICASA – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>O Picasa pode funcionar como um suporte para estratégias de construção e manutenção de imagem ao permitir a publicação de registros de eventos, movimentos, encontros, entrevistas, dentre outros </li></ul><ul><li>Permite, da mesma forma, o suporte a denúncias sobre atos irregulares de adversários, através dos registros visuais. </li></ul><ul><li>A utilização de tags para sofisticar e otimizar o acesso às imagens, permitem a formulação de estratégias de maior publicidade das campanhas em ambientes digitais diversos </li></ul>
  40. 40. PICASA – DIVIDENDOS POLÍTICOS <ul><li>A iconografia do candidato e os momentos de campanha registrados e publicados em álbuns públicos na web podem compor positivamente as imagens públicas que se pretende construir </li></ul><ul><li>Permite a estratégia de vincular afetivamente os candidatos com eleitores, na medida em que registros em eventos, contemplando alguns presentes, sejam publicados e divulgados na web. </li></ul><ul><li>Complementa ou suplementa estratégias de denúncias e críticas a adversários. </li></ul>
  41. 41. BLIP.FM
  42. 42. BLIP.FM <ul><li>Site de relacionamento centrados na partilha de músicas e informações pessoais acerca das composições através de mensagens de, no máximo, 150 caracteres. Possibilita, como todos os outros, a construção de redes sociais onde a música é a condicionante das interações estabelecidas. </li></ul>
  43. 43. BLIP.FM – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Permite que os eleitores tenham acesso ao gosto musical dos seus candidatos, se assim desejarem. </li></ul><ul><li>Obama funciona como um bom exemplo de iniciativas desse tipo, embora não tenha utilizado o site em questão. </li></ul><ul><li>Uma ferramenta como esta permite ao candidato trabalhar, em específico, com um fragmento da composição de sua imagem. As músicas postadas são avaliadas por outros “dj´s”, classificando e/ou comentando o material publicado. </li></ul>
  44. 44. BLIP.FM – DIVIDENDOS POLÍTICOS <ul><li>Como citado anteriormente, permite que os candidatos explorem uma faceta da composição de suas imagens </li></ul><ul><li>As campanhas ganham ao construírem redes sociais e exporem o gosto musical de seus candidatos, possibilitando explorar as possíveis afinidades de gosto com seus eleitores em potencial </li></ul><ul><li>O desenho do site também pressupõe a interação com outros membros, de modo que o candidato pode avaliar e comentar músicas de outros participantes, ampliando o sentido de relacionamento com potenciais eleitores </li></ul>
  45. 45. GENGIBRE
  46. 46. GENGIBRE <ul><li>Plataforma centrada na publicação de mensagens em formato de áudio. A idéia é permitir que os sujeitos publiquem comentários breves, como se faz no twitter, por exemplo, mas em formato sonoro. </li></ul><ul><li>Redes sociais são formadas </li></ul><ul><li>As gravações podem ser feitas através do web site ou então através de um celular, ligando para um número de uma operadora local. O site permite a construção de comunidades, o que permite a especificação dos conteúdos publicados em determinados espaços construídos internamente. </li></ul>
  47. 47. GENGIBRE – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Permite que as campanhas desenvolvam estratégias para a construção de redes sociais e comunidades, de modo a publicar trechos de discursos, entrevistas ou mesmo considerações produzidas exclusivamente para o gengibre. Uma utilização similar ao twitter, no entanto permitindo uma possibilidade diferencial de registro. </li></ul><ul><li>Falas de apoio provenientes de pessoas públicas também podem ser vinculados ao Gengibre </li></ul>
  48. 48. GENGIBRE – DIVIDENDOS POLÍTICOS <ul><li>Permite a divulgação de trechos de discurso, colocações, críticas ou esclarecimentos, de forma dinâmica, ampliando a visibilidade de aspectos das campanhas </li></ul><ul><li>A exemplo de um caso recente envolvendo a candidata Dilma Roussef, o Gengibre pode ser utilizado para destacar algum trecho de discurso ou entrevista a fim de contrapor a interpretação noticiosa de algum veículo de comunicação </li></ul>
  49. 49. MEDIA SOCIAIS VOLTADOS PARA PRODUTOS CULTURAIS Skoob, Orangotag e Moviemobz
  50. 50. SKOOB
  51. 51. SKOOB <ul><li>Rede social online cuja tônica se assenta em informações sobre literatura. Permite a construção de perfis públicos, construção de redes de relacionamento, comunidades, permite divulgar publicações, bem como listar os livros lidos, publicar resenhas, divulgar as publicações de interesse e avaliar publicações. </li></ul>
  52. 52. SKOOB – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Permite que o candidato explore um fragmento da sua imagem política através de facetas relacionadas ao gosto literário. </li></ul><ul><li>Críticas também podem ser tecidas sobre publicações de alguma natureza que tenham efeitos negativos sobre suas campanhas. </li></ul>
  53. 53. SKOOB – DIVIDENDOS POLÍTICOS <ul><li>As campanhas podem interagir com seus seguidores, sugerir publicações, propor discussões e, desse modo, permitir que seus seguidores e outros interessados tenham insumos específicos para a construção da imagem de um agente político. </li></ul><ul><li>O Skoob é uma dentre outras redes sociais online que permite ao marketing político das campanhas explorar uma faceta da imagem dos candidatos e construit uma interação a partir de temáticas ou objetos específicos. </li></ul>
  54. 54. ORANGOTAG
  55. 55. ORANGOTAG <ul><li>O orangotag permite que seus usuários formem redes sociais online e comunidades para trocarem informações sobre seriados televisivos. </li></ul>
  56. 56. ORANGOTAG – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Assim como no caso do Skoob, é possível converter o Orangotag para uma plataforma onde os gostos de um candidatos podem ser partilhados e associados a de outras pessoas. </li></ul>
  57. 57. ORANGOTAG – DIVIDENDOS POLÍTICOS <ul><li>Mais um fragmento de imagem que pode ser trabalhado a fim de aproximar as campanhas de potenciais eleitores. </li></ul><ul><li>As campanhas podem utilizar deste recurso para aproximar os candidatos da cultura popular/mediática centrada no consumo de séries televisivas, cada vez mais consumidas. </li></ul><ul><li>A inserção, comentário ou avaliação de séries assistidas por outros membros, vincula a imagem do candidato a um determinado gosto popular </li></ul>
  58. 58. MOVIEMOBZ
  59. 59. MOVIEMOBZ <ul><li>Partilha de informações e avaliações sobre produções cinematográficas, com possibilidade de construção de redes sociais e comunidades em forma de vídeo clubes, onde as divisões são temáticas ou por categorias de gênero. </li></ul>
  60. 60. MOVIEMOBZ – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Assim como no Orangotag e Skoob, possibilita a partilha de informações sobre gosto dos candidatos. Grande potencial de maior aproximação com os usuários, potenciais eleitores, através da divulgação de filmes, recomendações e considerações. </li></ul>
  61. 61. COMPARTILHADORES DE UPDATES ONLINE Delicious, Digg e diHITT
  62. 62. DELICIOUS
  63. 63. DELICIOUS <ul><li>Site para compartilhamento de conteúdos considerado importante pelos membros das redes sociais do site. </li></ul><ul><li>O site possibilita que os sujeitos compartilhem seus “favoritos” com toda a comunidade e com membros de uma rede social específica, de um determinado usuário. </li></ul><ul><li>Oferece nos sistemas de busca a verificação de determinadas informações através de tags. </li></ul>
  64. 64. DELICIOUS – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Oferecer conteúdos diversos, locados em diferentes pontos da internet, aos participantes das redes sociais dos candidatos. </li></ul><ul><li>As estratégias devem ser formuladas visando a popularização de determinadas informações,articulando ações de eleitores simpatizantes tendo em vista o alcance de maior destaque das mensagens políticas. </li></ul>
  65. 65. DELICIOUS – DIVIDENDOS POLÍTICOS <ul><li>Popularizar notícias e informações específicas de campanha, ampliando sua visibilidade </li></ul><ul><li>Obama utilizou o recurso e, mobilizando 210 mil eleitores que etiquetaram com a palavra “Obama” links enviados ao delicious. </li></ul><ul><li>O site do então candidato Obama foi selecionado como favorito por 3.132 internautas </li></ul><ul><li>Fonte: Gomes et al. 2009 </li></ul>
  66. 66. DIGG
  67. 67. DIGG <ul><li>Site de compartilhamento de updates online. Permite a construção de redes sociais, onde informações são publicadas e partilhadas, assim como permite que determinadas informações ascendam em popularidade e, consequentemente, aumente em visibilidade. </li></ul>
  68. 68. DIGG – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Permite que as campanhas lancem mão de estratégias para divulgar notícias de seus interesses dentro das redes sociais construídas, bem como nas zonas públicas/principais do site. </li></ul><ul><li>Estratégias de mobilização de eleitores podem fazer com que determinadas informações recebam quantidades expressivas de votos e se tornem populares. </li></ul>
  69. 69. DIGG – DIVIDENDOS POLÍTICOS <ul><li>Similares aos do Delicious </li></ul><ul><li>Os conteúdos podem servir a diferentes propósitos, desde a divulgação de projetos e planos de governo, quanto de respostas a adversários, esclarecimentos de fatos, sondagens de opinião, desempenho em debates, agenda, dentre outros. </li></ul>
  70. 70. DIHITT
  71. 71. DIHITT <ul><li>Site de partilha de partilha de notícias em versão brasileira com formato similar ao DIGG </li></ul><ul><li>Permite que os usuários construam redes sociais, façam seus próprios blogs, enviem, avaliem e comentem notícias e consumam informações classificadas por temas, popularidade, atualização e categorias </li></ul><ul><li>Perfis são construídos com informações pessoais, fotos, links e as interações podem se estabelecer, também, através de troca de mensagens. </li></ul>
  72. 72. DIHITT – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Em termos gerais, as utilizações com fins políticos são similares ao Digg e Delicious </li></ul><ul><li>No entanto, a quantidade de ferramentas de interação, assim como de produção e referência a conteúdos, faz do diHITT um instrumento de comunicação digital mais completo. </li></ul><ul><li>Desse modo, notícias de fontes diversas podem ser vinculados aos perfis dos políticos interessados em explorar este espaço digital </li></ul>
  73. 73. DIHITT – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>A interação com os eleitores, através de troca de mensagens e estratégias de mobilização, permite que agentes políticos em campanha direcionem mensagens de seus interesses para segmentos específicos, bem como as tornem mais visíveis nas páginas principais de notícias </li></ul><ul><li>A produção de informações por parte dos eleitores pode ser otimizada, uma vez que a vinculação a blogs externos, bem como a produção de blogs internos ao site, são possíveis. </li></ul>
  74. 74. DIHITT – DIVIDENDOS POLÍTICOS <ul><li>Estratégias de mobilização pode fazer com que informações de interesse dos agentes políticos e das campanhas alcancem níveis consideráveis de publicidade, dentro das redes sociais (seguidores), bem como de outros espaços do site </li></ul><ul><li>Com a integração de diversas redes sociais mantidas por usuários, o diHITT pode funcionar como um primeiro mecanismo de difusão de informação. Um gatilho para uma possível disseminação viral de conteúdos. </li></ul>
  75. 75. REDE SOCIAL PARA PERGUNTAS E RESPOSTAS Formspring
  76. 76. FORMSPRING
  77. 77. FORMSPRING <ul><li>Consiste num site de relacionamento de interfaces simples, com um propósito objetivo: permitir que os usuário façam e respondam perguntas de outros usuários </li></ul>
  78. 78. FORMSPRING – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Ao manter um perfil no Formspring, os agentes políticos se tornam mais reponsivos e próximo dos cidadãos e eleitores </li></ul><ul><li>Questões podem ser esclarecidas e estratégias nas respostas podem estar a serviço de uma ampliação da comunicação política estabelecida: links para outros ambientes. </li></ul>
  79. 79. FOUMSPRING – DIVIDENDOS POLÍTICOS <ul><li>Aproxima o político de seu eleitorado </li></ul><ul><li>Permite o esclarecimento de questões que afetam diretamente a imagem e atuação de um agente político </li></ul><ul><li>Esclarece o cidadão/eleitor sobre tópicos de seus interesses, potencializando a fidelização ou conquista de eleitores através de mecanismos de responsividade </li></ul><ul><li>Permite que informações sejam circuladas em outras redes sociais por usuários que foram contemplados pelas respostas. </li></ul>
  80. 80. AGREGADOR DE PERFIS E CONTAS Me adiciona
  81. 81. ME ADICIONA
  82. 82. ME ADICIONA <ul><li>Rede social online que permite aos usuários agregar todas as contas que mantém em outros sites de relacionamento, blogs e websites. </li></ul>
  83. 83. ME ADICIONA – POSSÍVEL USO POLÍTICO <ul><li>Direciona os usuários para todos os caminhos digitais de uma campanha. Toda sua existência em termos de comunicação online pode estar a serviço dos eleitores interessados. </li></ul><ul><li>Redes sociais podem ser construídas e estratégias de mobilização podem fazer com que as informações se disseminem com eficiência. </li></ul>
  84. 84. ME ADICIONA - DIVIDENDOS POLÍTICOS <ul><li>Como ferramenta, permite informar às redes sociais ou aos visitantes esporádicos, todos espaços onde o agente político existe digitalmente. Perfis no orkut e Facebook, Gengibre, Twitter, Delicious, Digg, Nação Católica.... </li></ul>
  85. 85. <ul><li>Camilo Aggio – Doutorando POSCOM/UFBA </li></ul><ul><li>e-mail: camiloaggio@gmail.com </li></ul>

×