Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Parkinson

32,615 views

Published on

Parkinson

  1. 1. Parkinson<br />
  2. 2. O que é? <br />Doença neurodegenerativa de progressão lenta que afecta principalmente a motricidade. <br /> Esta doença foi primeiramente descrita pelo médico James Parkinson em 1817.<br />
  3. 3. Epidemiologia<br />A incidência média desta doença é entre 85 a 187 casos em 100.000 habitantes. Pensa-se que em Portugal existam 12.000 pessoas afectadas.<br /> O pico da doença é por volta dos 60 anos e a incidência aumenta com a idade, sendo esta considerada um factor de risco.<br />
  4. 4. Principais sintomas<br />Tremor (o mais característico)<br />Tremor Clássico Parkinsoniano<br />Aumenta quando o paciente se encontra em repouso ou situações de stress/cansaço<br />Movimento voluntário atenua o tremor e este desaparece completamente durante o sono.<br />
  5. 5. Rigidez muscular<br /><ul><li>Todo o corpo
  6. 6. Inexpressividade facial
  7. 7. Diminuição do pestanejar
  8. 8. Boca aberta
  9. 9. Deglutição difícil</li></li></ul><li>Bradicinesia : Lentidão dos movimentos causada pelo atrasado na transmissão de instruções do cérebro para o resto do corpo.<br /><ul><li>Hipomimia
  10. 10. Fala monocórdica
  11. 11. Palilalia
  12. 12. Micrografia
  13. 13. Dissinergiaoculocefálica</li></li></ul><li>Outros sintomas<br />Depressão<br />Ansiedade<br />Instabilidade postural<br />Bradifrenia (pensamento lento)<br />Nem todos os pacientes com Parkinson sofrem perda cognitiva apesar do pensamento lento ser um dos sintomas comuns.<br />
  14. 14. Progressão<br />
  15. 15. Não é fatal, mas torna o paciente mais susceptível e fraco<br />Aumenta o risco de infecções e outros episódios com potencial mortal ( ex: pneumonia de aspiração)<br />
  16. 16. Complicações Secundárias<br />Alterações nutricionais<br />Alterações respiratórias<br />Alterações circulatórias<br />Osteoporose<br />Úlceras por pressão<br />
  17. 17. Patologias<br />Morte exagerada de neurónios dopaminérgicos num dos gânglios de base despigmentação<br />
  18. 18. Esta DEGENERAÇÃO diminui os níveis de dopamina na substância negra<br />diminuir a projecção/acção desta no corpo estriado<br />Explica a depressão, psicose e perda cognitiva<br />
  19. 19. Em doentes de Parkinson<br />
  20. 20. Importância da dopamina<br />
  21. 21. Etiologia<br />Parkinson é uma doença idiopática.<br /><ul><li>Genética - a mais importante nos casos de Parkinson juvenil (antes dos 21 anos).
  22. 22. Ambiental - certos produtos tóxicos utilizados na indústria e agricultura podem estar relacionados com o aparecimento da doença.</li></li></ul><li>Diagnóstico<br />Clínico <br />Análise dos sintomas<br />A assimetria dos sintomas, a presença do tremor de repouso e a boa resposta à terapia dopaminérgica são indicadores objectivos.<br />Pode-se também recorrer a PET scans e SPECTs.<br />
  23. 23. Parkinsonismo Doença de Parkinson <br />Parkinsonismo é um termo genérico que designa uma série de doenças com causas diferentes e que têm em comum a presença de sintomas encontrados na doença de Parkinson.<br />A doença de Parkinson é uma das muitas formas de Parkinsonismo e também a mais frequente.<br />
  24. 24. Tratamento<br />Terapia sintomática<br />Terapia neuroprotectora<br />Terapia restauradora<br />Neuroestimulação<br />Palidotomia<br />Talomotomia<br />Fisioterapia<br />
  25. 25. Terapia sintomática<br />Administração de remédios inibidores de MAO <br /> Aumento dos níveis de dopamina <br />Levodopa - eficaz na diminuição da rigidez muscular e da bradicinesia<br /> - pode acelerar a degeneração <br /> - pode causar discinesia<br />
  26. 26. Agonistas de dopamina – estimulam os receptores dopaminérgicos do corpo estriado <br />Anticolinérgicos– inibem a produção de acetilcolina e diminuem os tremores<br />
  27. 27. Terapia neuroprotectora<br />Selegilina – inibe o metabolismo oxidativo da Levodopa<br /> Reduzindo a produção de radicais livres e fomentar a neuroprotecção<br />alfa nucleína<br />
  28. 28. Terapia restauradora<br />Transplante de células produtoras de dopamina<br />Procedimento abandonado<br />Neuroestimulação<br /><ul><li>Atenua a bradicinesia e a discinesia.</li></li></ul><li>Palidotomia<br />Restaura o equilíbrio e melhora o desempenho motor.<br />Talomotomia<br /><ul><li>Atenua a discinesia.</li></li></ul><li>Fisioterapia<br />Prevenção do aparecimento de complicações secundárias.<br />Máxima manutenção das capacidades cognitivas.<br />
  29. 29. Considerações finais<br />A grande “arma” da medicina hoje para combater o Parkinson consiste nos remédios e cirurgias, além da fisioterapia, a terapia ocupacional e a terapia da fala, entre outros profissionais, pois através da actuação de uma equipa multidisciplinar é possível proporcionar ao paciente uma boa qualidade de vida, funcionalidade e auto-estima.<br />

×