Os teóricos do absolutismo

377 views

Published on

Slides mostrando as teorias que apoiavam o Absolutismo.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Os teóricos do absolutismo

  1. 1. Os Teóricos do Absolutismo:
  2. 2. • Muitos filósofos desenvolveram teorias e chegaram até mesmo a escrever livros defendendo o poder dos monarcas europeus.
  3. 3. Jacques Bossuet:
  4. 4. • Jacques Bossuet : para este filósofo francês o rei era o representante de Deus na Terra. Portanto, todos deveriam obedecê-lo sem contestar suas atitudes. Ele defendia a Teoria do Direito Divino dos reis.
  5. 5. Nicolau Maquiavel:
  6. 6. • Nicolau Maquiavel : Escreveu um livro, " O Príncipe", onde defendia o poder absoluto dos reis. De acordo com as idéias deste livro, o governante poderia fazer qualquer coisa em seu território para conseguir manter o poder. • É deste escritor a famosa frase : " Os fins justificam os meios."
  7. 7. Thomas Hobbes:
  8. 8. • Thomas Hobbes : Este pensador inglês, autor do livro " O Leviatã ", defendia a idéia de que o rei tinha o poder de salvar a sociedade de ser selvagem; porque para ela “todo homem é mau por natureza”portanto, a população deveria ceder ao Estado (governo) todos os poderes.
  9. 9. • A base social do Absolutismo era o privilégio: honras, riquezas e poderes eram reservados a um pequeno grupo de pessoas. • privilégios sociais (acesso exclusivo a cargos públicos, cargo de oficial no exército, colégios, roupas melhores...);
  10. 10. • privilégios jurídicos (direito de passar testamento, tribunais e penas especiais); • privilégios econômicos (isenções de impostos que recaíam sobre os pobres).
  11. 11. Algumas Características do Absolutismo: • 1 - O Direito divino dos Reis: a autoridade do rei vem de Deus e a ninguém ele devia explicação de suas atitudes. Sua pessoa é sagrada.
  12. 12. • 2 - A unidade política se fundamentava na unidade religiosa: um Rei, uma Fé, uma Lei. Quem não seguia a religião do rei era privado dos direitos políticos (cargos públicos) e civis (liberdade de domicílio, de trânsito, de profissão, de propriedade).
  13. 13. • 3 - A Religião do Estado: nos países católicos, a religião católica era a única permitida. Era dever do rei defendê-la e promovê-la, impedindo o proselitismo, a difusão de livros contrários à religião e considerando os delitos contra a religião como delitos contra o Estado. Cumprir os deveres religiosos era obrigatório para ter direitos civis.
  14. 14. • 4 – Somente a Igreja podia ajudar as pessoas e ensinar: o Estado não se interessava pela instrução pública, que ficava nas mãos dos religiosos. As obras assistenciais também estavam nas mãos da Igreja, que possuía e recebia os meios para mantê-las, sendo este seu grande título de glória.
  15. 15. • 5 - As imunidades dos nobres são estendidas à Igreja e ao clero. • Imunidades reais: os bens eclesiásticos eram isentos de taxas e inalienáveis; • Imunidades locais: direito de asilo conferido às Igrejas e edifícios anexos;
  16. 16. • Imunidades pessoais: isenção do serviço militar, direito de serem julgados por um tribunal eclesiástico. Era o foro eclesiástico.

×